ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Adutoras I

Haga clic para modificar el estilo de subtítulo del patrón

Prof. João Abner Guimarães Jr.

Héctor Sanín Ángel

Sistema de Abastecimento de Água
Captação Mananciais Sistema Produtor/ETAs Reservatórios de Distribuição

Rede de Distribuição Héctor Sanín Ángel

Adutoras em Sistemas de Abastecimento de Água

Adutoras são canalizações dos sistemas de abastecimento e destinam-se a conduzir água entre as unidades que precedem à rede distribuidora. Héctor Sanín Ángel

Classificação das Adutoras l l Quanto à natureza das águas transportadas – Adutora de água bruta – Adutora de água tratada Quanto à energia para a movimentação da água – Adutora por gravidade l l Em condutos forçados (tubos sujeitos a pressão superior à atmosférica) Em conduto livre (canais. aquedutos ou tubos sujeitos à pressão atmosférica) – – Adutora por recalque Adutoras mistas Héctor Sanín Ángel .

Adutoras por gravidade Héctor Sanín Ángel .

Adutoras por recalque Héctor Sanín Ángel .

Adutoras mistas

Héctor Sanín Ángel

Traçado das adutoras
l l

l l l

Uso de critérios técnicos e econômicos. Evitar regiões que forneçam obstáculo para a implantação, operação e manutenção (áreas pantanosas, submersas, com grandes declives, etc.). Preferencialmente em faixa de domínio público. Traçado mais direto. Aproximando de estradas que facilitem sua implantação e manutenção futura.

Héctor Sanín Ángel

Para diminuir o custo de implantação das adutoras, recomenda-se...
l l l

l l

l

A adutora deverá ser implantada, de preferência em ruas e terrenos públicos. Deve-se evitar traçado onde o terreno é rochoso, pantanoso e de outras características não adequadas. A adutora deve ser composta de trechos ascendentes com declividade não inferior a 0,2% e trechos descendentes com declividade não inferior a 0,3%, mesmo em terrenos planos. Quando a inclinação do conduto for superior a 25%, há necessidade de se utilizar blocos de ancoragem para dar estabilidade ao conduto Não se devem executar trechos de adução horizontal; no caso do perfil do terreno seja horizontal, o conduto deve apresentar alternadamente, perfis ascendentes e descendentes. São recomendados os traçados que apresentam trechos ascendentes longos com pequena declividade, seguido de trechos descendentes curtos, com maior declividade.

Héctor Sanín Ángel

o eixo da adutora... l l l l l Inspeção de campo para a escolha da melhor alternativa de traçado. Com os dados acima. Levantamento topográfico planialtimétrico e cadastral de uma faixa envolvendo o melhor traçado (de 30 a 60 metros de largura). Elaboração do perfil do terreno e da adutora. Sondagens de terreno a trado e a percurssão ao longo da faixa.Para o traçado definitivo das adutoras. que deverá ser estaqueado de 20 em 20 metros. deve-se lançar na planta da faixa. Héctor Sanín Ángel . para informações geotécnicas sobre o subsolo.

Condutos livres Canal artificial = Conduto livre Héctor Sanín Ángel .

CE Héctor Sanín Ángel .Canal da integração .

Condutos sob pressão Héctor Sanín Ángel .

Adutoras no RN Héctor Sanín Ángel .

Adutoras do RN Héctor Sanín Ángel .

23 cidades e 160 comunidades rurais População: 173 mil pessoas 4 adutoras (construção) 500 km 30 municípios e 81 comunidades População: 282. ‘‘.581 habitantes. Héctor Sanín l 2003 – 2009 – – – – l 2010 – – – – – Ángel . População: 853 mil pessoas 3 adutoras (conclusão e expansão) 500 km.Programa de Adutoras do RN l l 1997 – 2002 Adutora – 7 adutoras (construção) de Mossoró – – – – Investimento: R$ 416 milhões Extensão: 1.080 km 46 cidades e 132 localidades.

Héctor Sanín Ángel .

Héctor Sanín Ángel .

SAA Sistema de abastecimento de água Héctor Sanín Ángel .

Adutoras de SAA Héctor Sanín Ángel .

Vazão de adução Héctor Sanín Ángel .

Héctor Sanín Ángel .

l ABASTECIMENTO DE ÁGUA ADutoraS por gravidade Héctor Sanín Ángel .

Héctor Sanín Ángel .Adutora por gravidade Reservatório superior Adutora por gravidade Reservatório inferior Utiliza-se apenas o desnível para promover o escoamento da água.

Héctor Sanín Ángel .Adutora por recalque Estação de bombeamento Utiliza-se a energia fornecida por um sistema de bombeamento para promover o escoamento da água.

Héctor Sanín Ángel .Adutora mista Adutora por recalque Estação de bombeamento Reservatório inferior Reservatório elevado Adutora por gravidade Córrego Num trecho da canalização utilizamos energia de sistema de bombeamento e noutro o desnível.

Posição da canalização em relação à linha de energia efetiva PLANO DE ENERGIA EFETIVO LINHA DE ENERGIA EFETIVA hf Reservatório inferior 0 PLANO DE REFERÊNCIA VENTOSA SAÍDA PARA ESVAZIAMENTO REGISTROS Héctor Sanín Ángel .

Válvula de descarga para permitir o esvaziamento e a limpeza da canalização nos pontos baixos. l Héctor Sanín Ángel .Acessórios de tubulações l l Registros no início e no final da canalização. Ventosas para permitir a expulsão do ar da canalização durante seu enchimento e a operação normal diária.

Materiais da adutoras l l l l Aço soldados – 350 – 2400 mm 50 a 1500 mm 50 – 300 mm 12.5 – 200 mm Ferro fundido dúctil – Tubo plástico PVC – Polietileno de alta densidade – Héctor Sanín Ángel .

Tubulação de Aço • • • A tubulação de aço é geralmente competitiva com o ferro fundido dúctil para grandes diâmetros e pressões elevadas Fabricados no Brasil com D entre 150 e 2500 mm. sendo mais vantajoso nas tubulações com D> 800mm Características: • • • • • • • Ótima resistência às pressões externas e internas. especialmente quando soldados Quando aparentes. permitindo a utilização de paredes finas (devem ser observadas as condições de colapso) Facilidade de deformação (cuidados especiais) Custo maior que as outras tubulações Pouca resistência à corrosão Dificilmente apresentam vazamentos. são sujeitos à dilatação (juntas de expansão) Necessário revestimento interno para não oferecerem resistência ao escoamento Héctor Sanín Ángel .

Tubulação de Aço – Tipos de juntas l Junta Soldada: – – – – – – Mais utilizada Tem grande resistência mecância Boa estanqueidade Facilidade de aplicação Eliminação de ancoragem (apenas nos casos de travessias) Impossibilidade de desmontagem .

Tubulação de Aço – Tipos de juntas Junta Flangeada: – – – l Geralmente utilizadas em tubulações de sucção e no barrilete de estações elevatórias Facilitam as montagens e desmontagens Dispensam os blocos de ancoragem .

havendo a necessidade de revestimentos internos e externos .: Todas as estruturas e tubulações metálicas enterradas estão sujeitas às ações corrosivas de natureza eletroquímica ou eletrolítica.Tubulação de Aço – Tipos de juntas l Junta Elástica: – – – – Utilizada para tubulação de aço com ponta e bolsa Facilidade de montagem e manuseio dos tubos Permite deflexões com perfeita estanqueidade Dispensa mão-de-obra especializada Obs.

Revestidos internamente por argamassa de cimento aplicada por centrifugação e externamente recebem uma camada de zinco metálico puro. principalmente em terrenos agressivos (não é mais fabricado) Ferro fundido dúctil: aqui se introduz uma pequena quantidade de magnésio. . com isso. 7 m. Comprimentos variando de 3. a grafita se cristaliza sob a forma de esferas. que tornam o material mais elástico (menos frágil) e resistente à tração e aos impactos: Ø Ø Ø São fabricados nos diâmetros de 50 a 1200 mm.Tubulação de ferro fundido l l Ferro fundido cinzento: elevada fragilidade e vulnerabilidade à corrosão. 6.

mais utilizada em tubulações de ponta e bolsa Junta elástica travada – anterior + travamento para neutralizar esforços dinâmicos que ocorram nas tubulações.Tubulação de ferro fundido l l l l Junta elástica . Dispensa de ancoragem.). Utilizada em tubulações não enterradas e sujeitas a eventuais desmontagens (captação. Custo elevado. tomada d’água. Junta mecânica – para tubos com D médios e grandes. sendo preparada para suportar grandes pressões. travessia de rios. através do travamento de suas bolsas. etc. permite desmontagem e reaproveitamento do material Junta de flanges – é uma junta rígida que permite a desmontagem da tubulação. Montagem simples e rápida. evitando-se a desconexão dessas. EE) Héctor Sanín Ángel . (solos de pequena resistência.

Héctor Sanín Ángel .

50 a 4.40 m/s Água suja: 0.5D l Velocidades máximas: – – – Héctor Sanín Ángel .5 m/s Rede de distribuição: Vmax = 0.25 a 0.Limites de velocidade l Velocidade mínima: – – Água limpa: 0.4 m/s Adutoras de gravidade: 1.60 + 1.5 m/s Linhas de recalque: 0.8 a 2.

0 3.1000 Pressões máximas de serviço em MPa Classe K-9 4.0 2.8 1.9 1.2 3.0 4.9 – 2.100 150 200 250 300 350 400 500 600 .8 1.7 Héctor Sanín Ángel Classe K-7 3.1 3.8 1.5 3.700 800 .1 2.Classes de tubos e pressões de serviço DN (mm) 50 .8 .0 1.2 3.1 3.5 3.6 2.2 2.8 2.

Dimensionamento das adutoras l Parâmetros para o cálculo: – – – – Vazão (Q) Velocidade (V) Perda de carga unitária (J) Diâmetro (D) Héctor Sanín Ángel .

Hidráulica de condutos Héctor Sanín Ángel .

Hidráulica de condutos Héctor Sanín Ángel .

Hidráulica de condutos Héctor Sanín Ángel .

Hidráulica de condutos livres Héctor Sanín Ángel .

Hidráulica de condutos livres Héctor Sanín Ángel .

Héctor Sanín Ángel .

Velocidades máximas l A escolha da velocidade máxima das adutoras em condutos forçados. depende de: – – – – – – Condições relacionadas ao bom funcionamento dos sistemas Possibilidade de ocorrência de efeitos dinâmicos nocivos (sobrepressões prejudiciais) Limitação da perda de carga Desgaste das tubulações e peças acessórias Controle da corrosão Ruídos desagradáveis Héctor Sanín Ángel .

Fórmula de Hazen-Wiliams l l l l l hf = perda de carga (m) L = comprimento da tubulação (m) J = perda de carga unitária (m/m) Q = vazão (m³/s) Héctor Sanín C = coeficiente Ángel .

Fórmula de Hazen-willians: Coeficiente de rugosidade “C” Material do tubo Plástico Diâmetro até 50mm Diâmetro entre 60 e 100 mm Diâmetro entre 125 e 300 mm Ferro fundido (tubos novos revestidos) Ferro fundido (tubos com 15 a 20 anos) Manilhas de cerâmica Aço galvanizado (novos) Aço soldado Héctor Sanín Ángel Coeficiente C 125 135 140 130 100 110 125 110 .

estas perdas atingem valores desprezíveis.Perdas de carga localizadas l Para o dimensionamento das adutoras (conduto livre ou forçado). a rigor devem ser consideradas as perdas localizadas No entanto. comparativamente às perdas por atrito ao longo das tubulações l Héctor Sanín Ángel . na maioria dos casos.

Perdas de cargas localizadas Héctor Sanín Ángel .

Perdas de cargas localizadas l l l l l ht = perda de carga total (m) J = perda de carga unitária (m/m) Lv = comprimento virtual da tubulação (m) L = comprimento real da tubulação Le = comprimento equivalente da perda localizada (m) Héctor Sanín Ángel .

Héctor Sanín Ángel .

Héctor Sanín Ángel .

rugosidade: (D1. L1). Usando-se Hazen-Williams: Um conduto equivalente a outro: .L2) Sejam equivalentes é necessário que aperda de carga total seja igual para os dois transportando a mesma vazão Q. Para que dois condutos com o mesmo coef. (D2. quando transporta a mesma quantidade de água sob a mesma perda de carga total.Condutos equivalentes l l Um conduto é equivalente a outro (s).

Condutos equivalentes em série Usando –se Hazen-Williams: .

Condutos eq. em paralelo Usando-se Hazen-Williams: .

adimensional).Dimensionamento hidráulico de adutoras por gravidade l – – – Elementos necessários: Vazão máxima diária (Q  vazão de adução em m3/s) Desnível geométrico entre o nível d’água na tomada e na chegada ( Z em m). Comprimento da adutora (L medido em planta se a declividade do terreno for menor que 25%. NA Pressão Dinâmica Q Linha Piezométrica L NA Pressão Estática – Z Héctor Sanín Ángel . caso seja maior. em m) Material do conduto que determina a rugosidade (C da fórmula de Hazen Williams ou K da fórmula Universal. deve-se medir no perfil.

não se considera as perdas localizadas . ∆Z (m).000D. L (m) Para adutoras com L > 5. uma vez que utilizaria toda a energia disponível: • • J (m/m). Este valor conduziria ao D mais econômico.Dimensionamento hidráulico de adutoras por gravidade l Calcula-se a perda de carga unitária ideal ao longo da tubulação: J.

Dimensionamento hidráulico de adutoras por gravidade • Calcula-se o diâmetro teórico por Hazen-Williams: • • • • Q = vazão máxima diária (m3/s) D = diâmetro teórico a ser calculado (m) Ji = perda de carga unitária ideal (m/m) C = admensional (função do material da tubulação) .

Dimensionamento hidráulico de adutoras por gravidade l l l Adota-se o Diâmetro comercial imediatamente superior ao teórico calculado Com o Diâmetro comercial maior vazão Para chegar na vazão requerida pode-se: a) Dar um fechamento parcial na válvula b) Energia despendida com o fechamento da válvula pode ser utilizada no próprio tubo (casos em que não se pode aumentar a vazão) .

∆Gc > 0.Dimensionamento hidráulico de adutoras por gravidade Calcula-se a nova perda de carga unitário (Jc) Calcula-se o novo desnível geométrico (∆Gc = Jc x L) Compara-se: – Se ∆G .∆Gc  0. – .05 ∆G  utiliza-se Dc adotado como final. Haverá perda de energia igual a ∆G – ∆Gc Se ∆G .05 ∆G  subdivide-se a adutora em dois sub-trechos de diâmetros diferentes.

correspondente a L1 L2 D’c imediatamente inferior ao anterior. correspondente a Calcula-se J’c correspondente a D’c. Pode-se então calcular L1 e L2 através do sistema de equações: L = L1+L2 .Roteiro de cálculo: dimensionamento adutora por gravidade Divide-se a adutora em dois trechos: L = L1 + L2 Sendo: Dc já adotado.

5 a 5. • águas com matéria orgânica: 0.0 4.Dimensionamento hidráulico de adutoras por gravidade Ø Determina-se os valores da velocidade da água que não devem ser maiores que: Material do tubo Plásticos Ferro fundido dúctil Aço Concreto Fonte: CETESB Vel.30 m/s. • águas com areias finas: 0.45 m/s.0 6. Máxima (m/s) 4.0 Ø Para velocidade mínima: • águas com suspensões finas: 0. .5 4.60 m/s.0 a 6.

Alternativas de traçado l l l A linha piezométrica não deve cortar a tubulação  prejudicial ao funcionamento da adutora (formação de bolsas de ar. variação de volume) O que se deve fazer? Opção 1: Cortar o terreno para locar a tubulação abaixo da piezométrica NA Corte no terreno LP D L Héctor Sanín Ángel . pressões negativas.

aberta à pressão atmosférica.Alternativas de traçado l Opção 2: Construção de uma caixa intermediária no ponto mais alto do terreno. J1 NA Caixa intermediária A D1 Corte no terreno L1 L2 LP.5 D2 D2 NA LP. Cada trecho vai ser dimensionado como já explicado. NA h  2. J2 Héctor Sanín Ángel .

– A piezométrica do primeiro trecho terá declividade menor (J1) para ultrapassar o ponto alto – Deve-se ter uma folga da piezométrica de no mínimo 1.5m acima do terreno Escolhe-se a alternativa mais econômica e adequada operacionalmente a cada caso.Alternativas de traçado l Opção 3: Dimensionar a linha com dois diâmetros D1>D2. Héctor Sanín Ángel .

100mm 150mm 200mm . Desprezando as perdas localizadas e as cargas cinéticas. determine a vazão que chega ao reservatório R2.Exemplo 1 l A ligação de dois reservatórios mantidos em níveis constantes é feita pelo sistema de tubulações de PVC como mostrado na Figura.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful