Você está na página 1de 2

A MAGIA INFANTIL

Linda era chinesa e morava no Hava. Contrariando o pai, que a desejava ver casada com algum dos cls chineses, ela foi para a Califrnia. Entrou para a universidade, apaixonou-se por um americano branco, de olhos azuis e com ele se casou. Uma cerimnia simples, bem ao contrrio das festas pomposas, no estilo dos casamentos tradicionais, como esperava seu pai. Depois do casamento, um silncio pesado se fez entre pai e filha. Ele no a visitava, ela tambm no. Quando a me telefonava, o pai nunca pedia para falar com a filha. Por todas estas atitudes do pai, Linda entendia que ele estava desaprovando tudo o que ela fizera. Ela trara todos os princpios. Contudo, Linda se lembrava da infncia feliz, no Hava. Lembrava-se de, aos 3 anos, ser a sombra do pai. Correr atrs dele entre as bananeiras. E, quando ela cansava, o pai a colocava nos ombros. Dali de cima ela podia ver o mundo. E o pai cantava uma cano que falava: "voc minha luz do sol. Voc me faz feliz quando o cu est cinzento." Ento, Linda teve um beb. Quando o beb completou cinco meses, ela decidiu que era a hora de mostr-lo aos avs. Por isso, ela, o marido e o filho foram ao Hava. Linda estava angustiada. Ser que o pai a receberia? Ela estava levando um menino no colo, que pouco tinha a ver com os antepassados chineses. Como me, ela dizia para si mesma que se seu pai rejeitasse o neto, ela nunca mais voltaria. Ao chegarem, as saudaes foram educadas. O velho chins olhou a criana sem nenhuma reao. Depois do jantar, o beb foi acomodado em um bero em um quarto. Linda e o marido se recolheram para um descanso. De repente, ela acordou em sobressalto. Havia passado a hora do beb mamar. Levantouse. Nenhum som de choro. Pelo contrrio, ela ouviu uma risada delicada de beb. Atravessou o corredor, chegou sala. Seu filho de apenas cinco meses estava deitado em uma almofada, com as mos e os ps em agitao alegre. Sorria para o rosto inclinado sobre ele. Um rosto asitico, bronzeado pelo sol. O av dava a mamadeira para o netinho, enquanto lhe acariciava a barriguinha e cantava baixinho: "voc minha luz do sol."

A criana conseguira, em breve tempo, conquistar o corao do av e pr fim a um afastamento tolo entre pai e filha. Hoje, o av chins caminha feliz, seguido por uma sombra saltitante de olhos cor de mel e cabelos encaracolados de quatro anos de idade.