P. 1
mei_imposto_renda

mei_imposto_renda

|Views: 2.505|Likes:
Publicado porArlete Nunes Nunes

More info:

Published by: Arlete Nunes Nunes on May 17, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/08/2013

pdf

text

original

O MEI E O IMPOSTO DE RENDA (PESSOA FÍSICA E JURÍDICA

)

I - INTRODUÇÃO Abordaremos neste trabalho uma questão que tem sido objeto de várias consultas por parte dos Microempreendedores Individuais (MEI) que, nos termos do Código Civil e da Lei Complementar 128/08 que regulamentou esta nova figura jurídica, dispensou esses empreendedores de manterem sistema de contabilidade. Diante da complexidade que o assunto pode gerar aos interessados que não são afeitos ao imposto de renda, faremos aqui duas abordagens em relação à tributação da pessoa física do MEI. Para isso, o item IV, será dividido em item IV-A e IV-B. O item IV-A faz uma abordagem direta sobre os cálculos do imposto de renda, considerando tão somente o limite de rendimento isento das pessoas físicas. É bem verdade que este cálculo seja suficiente para atender a grande maioria dos Microempreendedores Individuais. Já o item IV-B contempla não só o limite máximo de rendimento isento auferido por parte do MEI enquanto pessoa física, como também a parte da distribuição de lucro considerada isenta e não tributável pela legislação do imposto de renda. Na verdade, o item IV-B não passa de um complemento do item IV-A.

II - PESSOA JURÍDICA X PESSOA FÍSICA Como sabemos, o MEI foi equiparado pela legislação tributária à Pessoa Jurídica. Consequentemente, em razão dessa equiparação este trabalhador passa a ter obrigações como pessoa jurídica e também mantém obrigações como pessoa física, para efeito do imposto de renda: Portanto devemos separar muito bem estas duas situações: • • Pessoa Jurídica (PJ); Pessoa Física (PF).

Diante disso, para facilitar nossos estudos passaremos a denominar o MEI em dois momentos distintos: • • MEI/PJ: quando referirmos ao MEI equiparado à Pessoa Jurídica no exercício de seu negócio; MEI/PF: quando referirmos ao MEI Pessoa Física que usufrui os rendimentos do trabalho em sua vida particular.

III - TRIBUTAÇÃO NA PESSOA JURÍDICA DO MEI

que é a Declaração Anual do Simples Nacional. como fazer para esse dinheiro ir parar no bolso do MEI/PF. 1 Base legal: § 4º do art. COFINS. o MEI/PJ não recolhe o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica .00 ISS = R$ 5. CSLL. c) informação referente à contratação de empregado. em formato especial. Agora. está isento do IR e também da apresentação da declaração do IR. Com o cumprimento desta obrigação. Portanto. . A DASN do MEI conterá somente as informações relativas à receita bruta total sujeita ao ICMS.00 Vale lembrar que por força da LC 128/08. para seus gastos pessoais? Inicialmente vale esclarecer que a legislação do IRPF estabelece que a pessoa física que auferir rendimento anual igual ou inferior a determinado valor.10 ICMS = R$ 1. o MEI/PJ deverá apresentar anualmente o DASN. b) a receita bruta total auferida relativa ao ano-calendário anterior. recebeu por isso. informando tão-somente: a) a receita bruta total auferida relativa ao ano-calendário anterior. para efeito de partilha do ICMS com os municípios. a tributação da Pessoa Jurídica já está resolvida.IRPJ. O MEI/PJ comprou. pagou suas despesas e foi tributado conforme visto acima. enquanto pessoa jurídica no exercício de suas atividades (MEI/PJ). referente às atividades sujeitas ao ICMS. 25 da Lei Geral das MPEs (LC 123/06 atualizada pela LC 128/08).1 IV-A . quando houver. Inicialmente devemos lembrar que a Pessoa Jurídica (PJ) e a Pessoa Física (PF) não se confundem. IPI. tais como: PIS. ele recolherá: INSS = R$ 56.TRIBUTAÇÃO DA PESSOA FÍSICA DO MEI (Simplificado) Vejamos agora como a receita auferida pelo MEI. Como vimos. prestou serviços. os Estados não poderão exigir declaração adicional com dados relativos ao cálculo do IPM (distribuição do ICMS para os Municípios). Contudo. ICMS e/ou ISS Desta forma. o MEI está isento do IRPJ e demais tributos. pode influenciar a tributação do Imposto de Renda em sua pessoa física (MEI/PF). independentemente da receita bruta auferida pelo MEI/PJ (na condição de pessoa jurídica equiparada) e.Na condição de pessoa jurídica o MEI paga os seguintes tributos: INSS. desde que respeitado o limite anual de R$ 36 mil. vendeu.

00 é que o MEI/PF estará sujeito ao Imposto de Renda sobre este valor! Se o rendimento médio mensal do MEI/PJ é de R$ 2. cuja soma foi superior a R$ 17. Portanto.000. telefone. caso supere o limite de isenção mencionado.00. caso tenha recebido em 2009. 1.00 → Receita bruta anual (12 meses) de R$ 24. transporte para se dirigir ao local de venda ou realizar entregas. Isto é. 2 Utilizamos o ano-base de 2009 como período de recebimento dos rendimentos.000.00.00.08 (dezessete mil. prevê que o contribuinte. outros. antes de repassar algum dinheiro para a sua pessoa física. novos limites serão fixados.000. é preciso analisar a capacidade financeira da Pessoa Jurídica. MEI que exerce atividade mercantil. Atenção: Não é porque o MEI/PJ faturou R$ 24. cadeiras.Neste sentido. Quais custos e despesas seriam estes? a) b) c) d) e) f) g) preço de aquisição de mercadorias (recomposição do estoque). → Receita bruta mensal de R$ 2.000. Feito isso.00. água. Exemplo: MEI que compra mercadorias no atacado e as revende no varejo. Com esses dados já podemos analisar alguns exemplos práticos. criar também outro fundo de reserva para investimentos.00.3 Observe que. aluguel de um box. caso queira.08 em 2009:2 Está obrigado a apresentar a declaração o contribuinte.215. de modo a melhorar a desempenho de seu negócio. se o MEI/PJ tem receita média mensal de R$ 2. salário e encargos de empregado (se tiver empregado). duzentos e quinze reais e oito centavos). cuja declaração se faz no exercício de 2010. ele deverá subtrair os gastos inerentes ao exercício de sua atividade econômica. etc (local onde exerce a atividade). rendimento superior a R$ 17.215. que no ano-calendário de 2009: 1 . o MEI/PJ deve avaliar os custos e despesas que tiver com o seu negócio. observe que o Caderno de Perguntas e Respostas do IRPF – Exercício 2010 – ano-calendário 2009 da Receita Federal do Brasil. residente no Brasil. ISS (tributos do MEI). logo o limite de receita bruta seria proporcional e não poderia atingir R$ 24. está obrigado a apresentar a declaração.000. luz. o que sobra é considerado lucro do MEI/PJ.000. manter alguma reserva para situações inesperadas e. se o MEI teve receita bruta anual de R$ 24. INSS. pessoa física. . esta receita pertence à sua Pessoa Jurídica e não à Pessoa Física. ICMS. sala. e o MEI/PF poderá retirar este dinheiro para as suas necessidades pessoais. como aquisição de estantes. Para outros anos.000. computador.recebeu rendimentos tributáveis na declaração. visto que o MEI entrou em vigor somente no mês de julho de 2009. 3 Trata-se apenas de caso exemplificativo.

4 Ora. devemos considerar o limite de receita bruta anual proporcionalmente. ainda que fosse no limite da receita bruta admitido pela Lei Geral das MPEs. O MEI/PJ deve fazer um planejamento muito semelhante àquele que fazemos no âmbito doméstico.08. Portanto a menção é somente explicativa. logo o limite de receita bruta seria proporcional e não poderia atingir R$ 30.00 → Receita bruta anual (12 meses) de R$ 30. isto é.6 Aplicamos exatamente os mesmos critérios do exemplo anterior.215.215.00. devemos considerar o limite de receita bruta anual proporcionalmente a seis meses. o MEI não deve gastar mais do que ganha sob pena de ir à falência! Lembre-se que o MEI teve início no mês de julho de 2009 e. pedicura e cabeleireira. Portanto a menção é somente explicativa. isto é.08)? Neste caso.000.7 o MEI/PF será tributado pelo imposto de renda sobre o excedente. 7 Como o MEI entrou em vigor em meados de 2009 (julho de 2009). criar fundos de reserva e de futuros investimentos e distribuir o restante ao MEI/PF.000.500.000. fazer o correto planejamento financeiro é muito importante para todo empresário.5 O que acontece se o MEI/PJ transferir ao MEI/PF valor superior ao limite de isenção (R$ 17. por esta razão. isto é. 4 .00 (metade de R$ 36.000. deve se considerar todos os demais rendimentos tributáveis auferidos por esta pessoa no decorrer do ano (de janeiro a dezembro de 2009). Como vimos. Exemplo: MEI que presta serviços de manicure. Portanto. MEI que exerce atividade de prestação de serviços. A regra é simples: Assim como na economia doméstica.00.00 (metade de R$ 36. O MEI/PJ deverá considerar seus gastos e despesas. O mesmo pode-se afirmar se o MEI/PJ tenha obtido receita bruta superior em seu negócio. fixado em R$ 36.08. visto que o MEI entrou em vigor somente no mês de julho de 2009. o MEI/PF não será tributado caso a quantia retirada da pessoa jurídica (MEI/PJ) em 2009. terá condições de distribuir ao MEI/PF valor superior a R$ 17.08. se o valor distribuído for superior a R$ 17.00). → Receita bruta mensal de R$ 2.000. não ultrapasse a R$ 17.00 ao ano. R$ 18.00.215. 5 Como o MEI entrou em vigor em meados de 2009 (julho de 2009). Considerando o ano calendário de 2009 que utilizamos como referência.Como fica o imposto de renda sobre essa distribuição do lucro do MEI/PJ para o MEI/PF? Sim.215.000. inclusive para o MEI.00). dificilmente o MEI/PJ que tenha faturado R$ 24. R$ 18. 6 Trata-se apenas de caso exemplificativo. será tributado pelo excedente! 2. verificar quanto entra e regular quanto sai de dinheiro.000. isto é. lembramos que este montante será isento do imposto de renda caso não ultrapasse o limite de isenção previsto em nossa legislação.000.

conforme transcreve a Receita Federal:8 “São considerados isentos do Imposto sobre a Renda. da Lei nº 9.10 Considerando que muito dificilmente o MEI manterá escrituração contábil11 para apuração de seu lucro. 11 Com exceção do Relatório Mensal das Receitas Brutas a ser preenchido pelo próprio MEI. o Imposto de Renda da Pessoa Física do MEI.6º. de 23 de julho de 2007. § 1º. veremos que o MEI/PF pode retirar quantia um pouco maior sem tributação do imposto de renda. mesmo porque há dispensa legal para o MEI. se a distribuição de lucros superar estes limites. Se exercer atividade mercantil (comércio ou indústria).TRIBUTAÇÃO DA PESSOA FÍSICA DO MEI (Distribuição + Pró-Labore) Neste tópico. a distribuição de lucro for igual ou inferior a 8% da receita bruta auferida pelo MEI/PJ. desconsideramos o item 3 acima e passemos a analisar casos práticos apenas relativos aos itens 1 (MEI que exerce atividade mercantil) e 2 (MEI que exerce presta serviços). dos percentuais de apuração do Lucro Presumido. somente nos seguintes casos: 1. e Resolução CGSN nº 14. A regra é a aplicação do percentual de 32% sobre a receita bruta das empresas tributadas pelo Lucro Presumido para se encontrar a base de cálculo do IR. Em ambos os casos. 14 da Lei Geral das MPEs que apresenta a seguinte solução. a legislação tributária reduz para 16% no caso delas auferirem receita bruta anual abaixo de R$ 120 mil/ano. Resolução CGSN nº 4. só haverá isenção se o MEI/PJ mantiver escrituração contábil que evidencie lucro superior. 8 9 IRPF – Perguntas e Respostas – Pergunta 168. na fonte e na declaração de ajuste do beneficiário. a contratação de contabilidade se torna mais difícil. de 26 de dezembro de 1995. Contudo. de 14 de dezembro de 2006. A isenção fica limitada ao valor resultante da aplicação. no caso de antecipação de fonte. de 30 de maio de 2007. sobre a receita bruta mensal. art. 14. os valores efetivamente pagos ou distribuídos ao Microempreendedor Individual – MEI. aplica-se o art.2º)” Diante dessa informação. mencionados no artigo 15. optante pelo Simples Nacional. art. já que em razão de seu reduzido faturamento mensal/anual. prevalece o percentual reduzido de 16% para a grande maioria dos serviços. a distribuição de lucro for igual ou inferior a 16*9 ou 32%* da receita bruta do MEI/PJ. O limite acima não se aplica na hipótese de o microepreendedor individual manter escrituração contábil que evidencia lucro superior àquele limite.IV-B . (Lei Complementar nº 123. Se exercer atividade de prestação de serviços.249. será a seguinte: A Pessoa Física do MEI está isenta do IRPF sobre os valores que lhes forem distribuídos a título de lucro. 2. . Como o MEI tem receita bruta anual de até R$ 36 mil. art. 3. exceto os que corresponderem a pró-labore ou alugueis. Para tanto. 10 Esta hipótese é mais remota ao se tratar de MEI. ou da receita bruta total anual. tratando-se de Declaração de Ajuste Anual.

Logo. em 2009.00. MEI que exerce atividade de prestação de serviços. sobre o valor da receita do mês (R$ 2. 14 da LG das MPEs) + R$ 17.08 – rendimento isento do Imposto de Renda Pessoa Física.000. 14 da Lei Geral das MPEs.920.00 x 12) com isenção do IRPF. R$ 160.00 é o valor mensal que pode ser distribuído a título de lucro com isenção do IRPF. pedicura e cabeleireira. 12 . conforme vimos no tópico IV-A.08.Pró-labore ou distribuição “tributável” (limite de rendimento em 2009) Total: R$ 19. → Receita bruta mensal de R$ 2. → Receita bruta mensal de R$ 2.000.00 x 8% = R$ 160. Considerando que este valor anual (R$ 1. no ano o MEI/PJ poderá distribuir ao MEI/PF. com isenção do IR: R$ 1. R$ 1.920. que é de 8%.215.Utilizando os exemplos do tópico IV-A.00). É como se fosse um salário pago pela empresa (MEI/PJ) ao empresário (MEI/PF). Pró-labore e a remuneração ou o ganho que o empresário recebe como compensação do trabalho que realiza na empresa.000. teremos: 1.00.00 (R$ 160. Pela legislação do Imposto de Renda.215. poderá o MEI/PF fazer retiradas a título de pró-labore. Exemplo: MEI que compra mercadorias no atacado e as revende no varejo.12 cujos valores serão tributados se ultrapassarem os limite de isenção do IRPF que. Como vimos na explicação do art.135. o MEI/PF poderá retirar o total de R$ 19.08 .00 → Receita bruta anual (12 meses) de R$ 24.08. Portanto.000.920. este valor é considerado “isento e não tributável” para o MEI/PF. foi de R$ 17. MEI que exerce atividade mercantil. o MEI/PF poderá retirar ainda o limite de isenção anual do IRPF que é de R$ 17. 2. Exemplo: MEI que presta serviços de manicure.215.249/95) correspondente à atividade comercial.00 – Distribuição de lucro isento de IR (art.135.08. Aplica-se o percentual de presunção de lucro (tabela da Lei 9.00 → Receita bruta anual (12 meses) de R$ 30.500.00) é “isento e não tributável” pelo Imposto de Renda Pessoa Física.

no ano o MEI pode distribuir R$ 4.00 – Distribuição de lucro isento de IR (art. o empreendedor poderá responder por prática de crime falimentar (falência fraudulenta). São Paulo.00).00/ano). sobre o valor da receita do mês (R$ 2.215.Neste caso. Paulo Melchor Claudio R.00 é o valor mensal que pode ser distribuído a título de lucro com isenção do IRPF. R$ 400. tomando-se por base os custos e despesas que tiver com o seu negócio. aplica-se o percentual de presunção de lucro (tabela da Lei 9. Portanto.015. portanto: R$ 4.000.00 x 16% = R$ 400.08 .08 – isento do Imposto de Renda Pessoa Física. 14 da LG das MPEs) + R$ 17. Vallim Atendimento e Fomento SEBRAE-SP .Pró-labore ou distribuição “tributável” (limite de rendimento em 2009) Total: R$ 22.00 (R$ 400.800. que é de 16%. 09 de abril de 2010. econômica. o MEI/PJ deve controlar suas contas mediante um simples planejamento financeiro.00 x 12).800.015. sendo.500. podemos partir para as conclusões: Neste caso o rendimento isento do IR do MEI/PF será de R$ 22. Logo. Considerando os dados já fornecidos acima. Mas muita atenção: é preciso verificar a possibilidade econômica/financeira do MEI/PJ para poder repassar esses valores ao MEI/PF (pró-labore e distribuição de lucros).08.249/95) correspondente à prestação de serviços (para faturamento inferior a R$ 120. e contra as relações de consumo. contra a ordem tributária. Se o MEI/PJ não tiver condições econômicas para suportar tais repasses.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->