Você está na página 1de 1

O termo orientação sexual é considerado, actualmente, mais apropriado do que opção sexual ou preferência sexual.

Isso porque opção indica que uma pessoa teria escolhido a sua forma de desejo, coisa que muitas pessoas consideram como sem sentido. Assim como o heterossexual não escolheu essa forma de desejo, o homossexual (tanto feminino como masculino) também não, pois, segundo pesquisas recentes esta orientação poderá estar determinada por factores bio genéticos, sejam questões hormonais do útero ou genes que possam determinar esta predisposição. É importante esclarecer que há grande imposição do modelo heterossexual para todos. Em alguns casos, pode não existir a preocupação em conhecer o nível ou qualidade de vida afectiva, nível de prazer ou felicidade que uma pessoa possa ter, mas sim que ela deveria ser heterossexual. Por conta dessa forte imposição, muitas pessoas podem encontrar alívio dos desejos homo eróticos na religiosidade fanática, nos remédios, nas drogas ou mesmo, a dotando um padrão escondido ou de vida dupla: No seu entorno social e familiar assume um comportamento heterossexual e num mundo privado permite-se exercer a sua homossexualidade, situação esta que cria um maior ou menor conflito interior e assim as suas repercussões posteriores nesse ser humano.

Se fores rapaz, serão as «CURVAS» femininas que te fazem seguir as raparigas. Existem causas meramente físicas e químicas que têm a ver com o despertar das hormonas sexuais. Quando falamos de sexualidade, estamos a referir-nos tanto às «condições anatómicas e fisiológicas que caracterizam cada sexo» como ao «desejo sexual ou seja, aquela vontade de desfrutar do sexo com alguém».