2 | U Prìmeìro de [aneìro quinIa·Ieira, 24 de Vaio de 2û12


5erretárie de £stade des
1ranspertes inaugureu
neve terminal de
rarga 0Bl £xpress, ne
aereperte de Perte.
O secretario de Estado dos
-
mou ontem que o Governo preten-
de avançar com a extensäo da rede
do Metro do Porto até à Trofa °no
momento em que houver capaci-
dade orçamental para o fazer".
°Reconhecendo a importância
estratégica dessa linha na expan-
são da rede do metropolitano que
serve a Area Metropolitana do
Porto (AMP)", Sérgio Monteiro
referiu que a ideia é avançar com a
obra a partir do momento em que
°haja receitas que venham de ou-
tras origens, que não de dívida".
°Temos dito aos cidadãos que o
Governo, conscientemente, avan-
çara [com a obra] no momento
em que tiver condiçoes para que
feitos com dívida", concluiu.
O secretario de Estado comen-
tava aos jornalistas, à margem da
cerimonia de inauguraçäo do novo
terminal de carga DHL Express no
aeroporto do Porto, a publicaçäo
em Diario da República, na terça-
feira, da resoluçäo da Assembleia
da República que recomenda ao
Governo que a construçäo da li-
nha do Metro do Porto até à Trofa
integre a 2.ª fase da rede.
O secretario de Estado dos
Transportes garantiu ainda que o
Governo e a Junta Metropolitana
do Porto (JMP) têm trocado °con-
tactos e documentos" para que
seja possível a nomeaçäo de uma
administraçäo comum para a Me-
tro do Porto e STCP.
°A JMP e o Governo têm estado
em dialogo desde ha muito tem-
po, o dialogo mantém-se. Ain-
da ontem (na terça-feira) houve
troca de correspondência entre a
JMP e o Governo"
Monteiro.
ter °enviado um comentario à
proposta" que o Governo tinha
remetido um dia antes, escusando-
se a mais comentarios.
Sérgio Monteiro disse ter sido
enviado à JMP o °conjunto de
documentos que havia sido
combinado na última reunião"
entre o ministro da Economia e
os autarcas da Area Metropolita-
na do Porto, que decorreu a 20 de
abril.
uoverno esclarece
fxtensãe de Metre
à 1refa sé cem erçamente
Sérgie Menteire. 0bra avança
quando houver receiIas que
venham de ouIras origens
Pûk1û kfS1AukAN1 wffk
kefeiçêes
a 20 eures
A partir de hoje e até dia 3
de junho decorre a 6.ªediçäo
da Porto Restaurant Week,
iniciativa à qual aderiram
26 restaurantes onde seräo
servidas refeições gourmet a
preços acessíveis, revertendo
um euro por refeiçäo para
instituições de solidarieda-
de. O conceito é simples:
restaurantes de topo servem
refeições a preços acessíveis -
20 euros.
PAÇûS ûf ffkkfIkA
fmpresáries
vãe a Marreces
Empresarios de Paços de Fer-
reira väo participar, de 03 a 08
de junho, numa missäo em-
presarial em Marrocos, país
no qual väo realizar contactos
comerciais para analise de
mercado, anunciou ontem a
associaçäo empresarial local.
O grupo sera constituído por
cerca de uma dezena de em-
presarios, estando programa-
das passagens por Casablanca
e Marraquexe.
CûPfNhA6A
CatéIica de
Perte premiada
A Faculdade de Economia
e Gestäo da Catolica Porto
acaba de conquistar uma
distinçäo europeia, através
do projecto «Employability
and enterpreneurship: tunnig
Universities and Enterpri-
ses», desenvolvido pelo PIC
- Portfolio Individual de
Competências. O prémio foi
atribuído durante a conferên-
em Copenhaga.
Mesa kedonda com 8eImìro de Azevedo
A Santa Casa da Misericor-
dia do Porto (SCMP) e a Cua-
trecasas Gonçalves organizam
hoje (18h00), no Colégio Ba-
räo de Nova Sintra, uma Mesa
Redonda subordinada ao tema
«Profissäo: um projeto com
vida».
Entre os reconhecidos convi-
dados desta reflexäo social, po-
lítica e economica sobre a atua-
lidade portuguesa destacam-se
as participações e contributos
de Antonio Tavares, Provedor
da SCMP, Belmiro de Azevedo,
Presidente do Conselho de Ad-
ministraçäo da SONAE, Fran-
cisco Maria Balsemäo, presi -
dente da ANJE, Daniel Bessa,
professor de Economia, Anto-
nio Costa, secretario de Estado
da Solidariedade e Segurança
Social e D. Manuel Clemente,
Bispo do Porto.
O desenvolvimento de
workshops experimentais com
associações empresariais, in-
dustriais e ligadas ao Empre-
endedorismo, a identificaçäo
de oportunidades e desafios da
formaçäo no contexto prof is-
sional, bem como a exploraçäo
da relevancia das competências
e espírito empreendedor no
atual mercado de trabalho na-
cional, säo alguns dos objetivos
e motivos de discussäo desta
mesa Redonda promovida pela
SCMP.
MAIA
£âmara diz que é "reube"
retençãe de lMl
ontem como °um roubo escandaloso" ter ja perdido °cinco milhoes
de euros" com a retençäo de cinco por cento da receita do Imposto Mu-
nicipal sobre Imoveis (IMI) de 2011. °É um roubo, porque se trata de
uma receita referente ao ano passado", disse, acrescentando ser °uma
injustiça muito grande" o facto do possível benefício que as autarquias
venham a ter em termos de receita com a reavaliaçäo dos imoveis °tam-
do Estado" deste ano. °É um escândalo, não ha ética, querem acabar
com o poder local e qualquer dia é melhor fechar a porta", desabafou
Bragança Fernandes, que näo aceita que o °possível aumento de recei-
ta com a nova avaliação também fique para o Estado".
ûk
ûk
ßeImire de Azevede. S0NAL
ûk

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful