Você está na página 1de 6
RIBEIRÃO PIRES CIDADE DE OPORTUNIDADES

RIBEIRÃO PIRES CIDADE DE OPORTUNIDADES

O crescimento econômico do Brasil, resultado das bem sucedidas

administrações do ex-presidente Lula e da Presidenta Dilma Rousseff, tem possibilitado que os municípios retomem seu histórico de

crescimento depois de sucessivos governos de orientação neoliberal.

Agora o momento é outro, de investimentos e possibilidades. É cada vez mais evidente que o desenvolvimento sustentável em nosso país está nas mãos dos municípios, que precisam garantir sua expansão respeitando os patrimônios naturais e humanos de nossa terra, distribuindo renda e gerando oportunidades para todos. Ribeirão Pires tem muito o que caminhar nesse sentido, a fim de mantermos um ritmo de crescimento sustentável que eleve significativamente a qualidade de vida de todos.

CIDADE DE OPORTUNIDADES

NOVO AMBIENTE ECONÔMICO SUSTENTÁVEL

NOVO AMBIENTE ECONÔMICO SUSTENTÁVEL

O modelo de desenvolvimento sustentável, iniciado pelo governo da prefeita Maria Inês (1997- 2004) agregado aos 10 anos de recuperação da economia em nível federal dos governos Lula e Dilma, propiciou um ambiente de crescimento econômico que há muito tempo Ribeirão Pires não conhecia. Pela ausência de propostas claras de uma política econômica nos últimos anos, o município não vem acompanhando o ritmo de expansão da região metropolitana de São Paulo. Entre 2007-2011, segundo o IBGE, o crescimento econômico de Ribeirão Pires foi de 2,2% ao ano, enquanto a média da macrorregião de São Paulo foi de 5,3%. Manter o diálogo com os atores econômicos, reativar o Conselho de Desenvolvimento Econômico, fortalecer o Conselho Municipal de Emprego, são ferramentas certas de gestão a partir das quais estabeleceremos um novo ambiente econômico sustentável para a cidade. Assim, propomos:

Articular com o governo estadual a construção de uma alça de acesso ao Rodoanel Leste em Ribeirão Pires;

Fomentar a criação de feiras e exposições, seminários, projetos de capacitação, com o objetivo de incentivar os vários setores da economia;

Monitorar e analisar as atividades econômicas, estabelecendo estratégias de fortalecimento das cadeias produtivas;

Estudar a readequação da Lei de Incentivos Seletivos para uma nova realidade econômica local.

Inovação e desenvolvimento tecnológico

Articular ações visando à construção de um Parque Tecnológico;

Implantar Programa Municipal de Inovação Tecnológica;

Promover workshops e grupos de trabalho envolvendo a indústria e as instituições de ensino e pesquisa buscando soluções criativas;

Tornar mais efetivo o ambiente favorável a empresas criativas, inovadoras e geradoras de empregos qualificados;

Trabalhar e oferecer as condições ideais para trazermos ao município de Ribeirão Pires um campus da UFABC;

• Trabalhar e oferecer as condições ideais para trazermos ao município de Ribeirão Pires um campus
67
67

PROGRAMA DE GOVERNO • RIBEIRÃO, CIDADE DE TODOS NÓS

Fazer gestão junto ao governo federal para trazer uma Escola Técnica Federal para o município;

Aderir ao Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) através da parceria estabelecida entre o Ministério das Comunicações e o Consórcio Intermunicipal do ABC- Plano Regional de Banda Larga (PRBL).

Empreendedorismo, emprego e renda

Estimular o empreendedorismo em nichos de mercado como o da beleza/estética, artes e alimentos especializados;

Criar um serviço de Apoio ao Empreendedorismo;

Estimular a formalização dos microempreendedores individuais (MEI);

Incentivar as incubadoras públicas e empreendimentos solidários;

Implantar centro público de emprego e renda;

Incentivar a integração entre empresas e escolas da região;

Implementar cursos profissionalizantes destinados à qualificação de mão-de-obra para o setor industrial, tecnológico de serviços e turismo.

MARIA INÊS VAI ESTIMULAR O EMPREENDEDORISMO EM TODA A CIDADE E ESTIMULAR A FORMALIZAÇÃO DOS MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS.

VAI ESTIMULAR O EMPREENDEDORISMO EM TODA A CIDADE E ESTIMULAR A FORMALIZAÇÃO DOS MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS. 68

68

68
VAI ESTIMULAR O EMPREENDEDORISMO EM TODA A CIDADE E ESTIMULAR A FORMALIZAÇÃO DOS MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS. 68

CIDADE DE OPORTUNIDADES

TURISMO

TURISMO

A elevação de Ribeirão Pires, em 1998, à condição de Estância Turística foi um marco para uma nova fase de desenvolvimento da cidade. A partir daí, os recursos do DADE – Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias – foram aportados para investimentos específicos para o setor, o que possibilitou, nas gestões Maria Inês, revitalizar pontos turísticos como os parques Milton Marinho de Moraes e Pérola da Serra, Mirantes São José e Santo Antônio e praças, além de investimentos em infraestrutura urbana. Em 2000, o primeiro censo turístico realizado pela prefeitura apontou que apenas 32% dos entrevistados consideravam a cidade turística, percentual insuficiente para a aceitação do turismo como alavanca de desenvolvimento econômico e social. Uma cidade turística deve, antes de tudo, oferecer qualidade de vida para seus moradores, gerando oportunidades de emprego e renda para as pessoas e riquezas para a cidade. Caberá ao novo governo o desafio de articular o desenvolvimento turístico e ao mesmo tempo manter e melhorar a qualidade de vida das pessoas que residem na cidade. A aprovação da Lei Estadual que reconheceu Ribeirão Pires como EstânciaTurística e as obras de infraestrutura realizadas neste setor foram os primeiros passos para atingirmos o patamar de cidade efetivamente turística. Ainda há muito o que ser feito nos setores de hospedagem, gastronomia, capacitação de mão-de-obra e marketing, entre outros. Neste sentido, propomos:

Implantar um Plano Diretor de Desenvolvimento do Turismo;

Garantir manutenção e mobiliários urbanos qualificados nos equipamentos de turismo do município – mirantes, parques, sítios históricos e ecológicos;

Fortalecer e divulgar o turismo ecológico de curta duração;

Garantir que o Festival do Chocolate seja fonte de emprego e renda permanente para o município;

Atrair e estimular o surgimento de empresas de chocolate, com o objetivo de explorar o comércio durante todo o ano;

Implantar calendário de festas e eventos turísticos articulando áreas afins como cultura, esporte e lazer, desenvolvimento;

Estruturar ciclos de feiras e seminários;

Fomentar a implementação de rede de hospedagem, de bares e restaurantes, focando o turismo ecológico sustentável;

Mapear todos os equipamentos de turismo e redesenhar os roteiros turísticos da cidade;

Integrar as estratégias de turismo de Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Paranapiacaba criando o corredor verde.

Integrar as estratégias de turismo de Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Paranapiacaba criando o
69
69

PROGRAMA DE GOVERNO • RIBEIRÃO, CIDADE DE TODOS NÓS

AGRICULTURA ORGÂNICA

AGRICULTURA ORGÂNICA

O estímulo a uma economia sustentável passa por mudanças significativas nas abordagens dos segmentos econômicos.A agricultura é uma delas, pois se buscam processos limpos de produção que resultem em alimentação saudável. Nas proximidades das grandes aglomerações urbanas

do mundo, está se desenvolvendo uma nova lógica agrícola: a agricultura orgânica que se aplica

a pequenas unidades agrícolas com produção especializada e escoamento próximo à produção.

A produção de mercadorias voltados para a jardinagem, que já conta com muitos empreendedores locais, será cada vez mais assistida e estimulada. Propostas:

Criar a feira dos produtores orgânicos do município;

Incentivar a economia verde, as atividades da pesca e a agricultura orgânica;

Estimular a criação de pequenas unidades de produção agrícola a serem inseridas nos

programas de compra de alimentos para a merenda escolar.

MAIS OPORTUNIDADES NA AGRICULTURA:

MARIA INÊS VAI ESTIMULAR

A ECONOMIA VERDE E CRIAR

A FEIRA DE PRODUTORES

ORGÂNICOS DO MUNICÍPIO.

AGRICULTURA: MARIA INÊS VAI ESTIMULAR A ECONOMIA VERDE E CRIAR A FEIRA DE PRODUTORES ORGÂNICOS DO
AGRICULTURA: MARIA INÊS VAI ESTIMULAR A ECONOMIA VERDE E CRIAR A FEIRA DE PRODUTORES ORGÂNICOS DO

70

70
AGRICULTURA: MARIA INÊS VAI ESTIMULAR A ECONOMIA VERDE E CRIAR A FEIRA DE PRODUTORES ORGÂNICOS DO