Você está na página 1de 28

AutomationToday

AméricaAmérica LatinaLatina Agosto/2012,Agosto/2012, AnoAno 13,13, 3636

Rockwell Automation adquire Softswitching Technologies Automação em nuvem: projeto piloto Benefícios do programa de
Rockwell Automation adquire
Softswitching Technologies
Automação em nuvem:
projeto piloto
Benefícios do programa de
capacitação em gestão de ativos
A versatilidade da tecnologia
Rockwell Automation em
aplicações na Argentina, Brasil,
Chile e México

Lucros e segurança crescem à medida que os fabricantes adotam segurança integrada em uma única plataforma

A evolução da

segurança

crescem à medida que os fabricantes adotam segurança integrada em uma única plataforma A evolução da
crescem à medida que os fabricantes adotam segurança integrada em uma única plataforma A evolução da

Carta ao leitor

Carta ao leitor Eliana Freixa Gerente de Comunicação Regional para a América Latina Ganho seguro Q

Eliana Freixa

Gerente de Comunicação Regional para a América Latina

Ganho seguro

Quando você ganha, acrescenta algo ao que já possui. Quando você deixa de perder, no entanto, nada muda no que já se tem. Ganhar é agregar. E ganhar é o que acontece quando a segurança deixa de ser apenas uma área e passa a permear a estratégia de negócios de uma indústria. Não se trata, somente, de reduzir perdas – de produção, de dias trabalhados etc. O conceito de segurança alcança mais além, abrangendo

desde os ativos físicos e os colaboradores da empresa, até o que ela construiu ao longo do tempo e à custa de muito trabalho, e que é tão intangível quanto valioso: a reputação no mercado. Por essa crescente relevância, a segurança é tema da matéria de capa desta edição. Ainda por essa mesma razão, desde 2008

a segurança é foco de um evento global específico: o Safety Automation Forum, realizado anualmente na véspera da abertura da Automation Fair®. O evento

de 2011 atraiu mais de 350 pessoas de diversos países,

e este ano, na Filadélfia, deve agregar ainda mais

participantes. A propósito, vale a pena se programar para integrar a delegação latino-americana que, com

o acompanhamento de engenheiros da Rockwell

Automation, viajará em novembro para a Automation Fair®. Também nesta edição, você encontra mais informações a respeito. Boa leitura e, quem sabe, boa viagem!

Entre em

contato

Envie seus

comentários

e sugestões

sobre a revista

Automation Today

e os artigos

aqui publicados para esfreixa@ra.rockwell.com. Sua opinião é muito importante! Obrigada.

Eliana Freixa

AutomationToday

é uma publicação quadrimestral da Rockwell Automation. Rua Verbo Divino, 1488 – 1º andar – São Paulo – 04719-904 - Tel.: (11) 5189.9500

Todos os direitos reservados. O conteúdo desta publicação não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, sem a expressa autorização da Rockwell Automation.

COORDENAÇÃO GERAL Eliana Freixa (Gerente de Comunicação Regional para a América Latina) E-mail: esfreixa@ra.rockwell.com – Tel.: (55 11) 5189.9612

EQUIPE EDITORIAL Rebecca Archibald (Publisher The Journal - Rockwell Automation) Theresa Houck (Editora Executiva The Journal - Putman Publishing) Márcia M. Maia (Jornalista responsável e redatora no Brasil - Mtb 19.338 - Interativa Comunicação)

FOTOGRAFIA Arquivo Rockwell Automation / Istockphoto

DESIGN E PRODUÇÃO Projeto gráfico e diagramação: Interativa Comunicação - Tel/Fax: (11) 4368.6445 - e-mail: interativa@interativacomunicacao.srv.br Tiragem: 15.000 exemplares

Todos os produtos e tecnologias mencionados na Automation Today são marca registrada e propriedade industrial de suas respectivas empresas.

Today são marca registrada e propriedade industrial de suas respectivas empresas. 2 AUTOMATION TODAY | AGOSTO

2 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

Today são marca registrada e propriedade industrial de suas respectivas empresas. 2 AUTOMATION TODAY | AGOSTO

Matéria de capa

A evolução da

segurança

Segurança e lucros cada vez mais integrados em plataforma única de controle

8
8
vez mais integrados em plataforma única de controle 8 DESTAQUES Ética, nova aquisição, automação em nuvem

DESTAQUES

Ética, nova aquisição, automação em nuvem e evento de inovações e tecnologias

TECH TIPS

Características ocultas, mas poderosas, do seu software de interface de operação (IHM)

poderosas, do seu software de interface de operação (IHM) CASES Argentina, Brasil, Chile e México compartilham

CASES

Argentina, Brasil, Chile e México compartilham suas experiências bem sucedidas

4

6 PRODUTOS

Monitores de energia, conectividade Ethernet-Fieldbus Foundation e nova linha CompactLogix

15

Ethernet-Fieldbus Foundation e nova linha CompactLogix 15 16 SUPORTE Uma estratégia de gestão integral de ativos

16 SUPORTE

Uma estratégia de gestão integral de ativos ajuda a reduzir significativamente o tempo de parada não planejado e aumentar a rentabilidade da empresa

18

não planejado e aumentar a rentabilidade da empresa 18 26 SERVIÇOS Calendário de treinamentos até dezembro
26 SERVIÇOS
26 SERVIÇOS

Calendário de

treinamentos

até dezembro

de 2012

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

3

DESTAQUES

Rockwell Automation adquire a SoftSwitching Technologies, importante provedor de sistemas de detecção de qualidade de energia elétrica industrial e de proteção

As soluções da SoftSwitching

Technologies, localizada em Middleton, Wis – EUA, aumentam o tempo em operação de indústrias, identificando

e corrigindo perturbações rápidas

na energia elétrica, chamadas de ‘abaixamentos de tensão’. Normalmente, abaixamentos de tensão podem fazer com que máquinas computadorizadas fiquem off-line, instrumentos de precisão apresentem pane e sistemas de controle parem. Esses problemas podem ser extremamente onerosos para os clientes, especialmente nos setores de semicondutores, automotivo, alimentos, bebidas e farmacêutico. “Atualmente, perturbações rápidas na energia elétrica são responsáveis por até 70% do total de tempo parado não programado nas indústrias”,

disse Bob Lennon, vice-presidente de Componentes Industriais. “Estudos mostram que a maioria desses eventos é causada por abaixamentos de tensão que duram menos de dois segundos. Os produtos da SoftSwitching Technologies fortalecem nossa capacidade de oferta de otimização para toda a fábrica, complementa nossas soluções atuais para qualidade na área de energia elétrica e protegem os ativos industriais de nossos clientes.” Os produtos sem bateria e ambientalmente amigáveis da SoftSwitching Technologies proporcionam vantagens de custo e desempenho em relação a fontes de alimentação ininterruptas trifásicas, com baterias ou transformadores de tensão constante. O sistema de rede

global, inteligente e centralizada, também fornece alertas às redes de

energia elétrica, para que as indústrias possam monitorar as atividades e correlacionar eventos de qualidade da energia elétrica com tempo parado não programado, economizar horas de suposições e de diagnósticos mecânicos. “Esta aquisição propicia os recursos necessários para ampliar todas as tecnologias exclusivas da SoftSwitching

a muitas outras aplicações, através da rede de canais globais da Rockwell Automation”, disse Jason Doescher, principal executivo financeiro da SoftSwitching Technologies.

A SoftSwitching Technologies estará

alinhada com o segmento de operação de Produtos e Soluções de Controle da Rockwell Automation.

Produtos e Soluções de Controle da Rockwell Automation. Pela quarta vez, Rockwell Automation figura entre as

Pela quarta vez, Rockwell Automation figura entre as mais éticas do mundo

Ethisphere Institute avaliou empresas em mais de 100 países e 36 mercados, e número recorde de inscrições é prova da crescente importância do prêmio e do desejo das empresas de serem reconhecidas por seus altos padrões éticos

foram as mais altas de todas as categorias, e estavam acima das pontuações normativas disponíveis, por uma grande margem. Os empregados comentaram que entendem claramente as expectativas de um comportamento ético, que denunciariam uma

violação ou problema, e sabem onde

e como relatar tais comportamentos.

Adicionalmente, a Sociedade de Profissionais em Serviços Financeiros concedeu, em 2011, seu Prêmio Wisconsin Business Ethics Award à Rockwell Automation. A empresa também foi vencedora, no passado, do Torch Award concedido pelo Better Business Bureau e foi finalista no Torch Award Internacional.

A lista completa de 2012 do

Ethisphere Institute com as empresas mais éticas do mundo pode ser vista no site http://ethisphere.com/wme.

Para saber mais sobre práticas e programas de responsabilidade corporativa da Rockwell Automation, acesse http://www. rockwellautomation.com/about_us/ responsibility.html.

rockwellautomation.com/about_us/ responsibility.html. O Ethisphere Institute é uma organização internacional de

O Ethisphere Institute

é uma organização

internacional de pesquisa dedicada à criação, avanço e compartilhamento de

eles continuam a avaliar seus padrões

éticos para se manter atualizados com um ambiente regulatório em constante mudança.” “Um elemento característico que destaca a Rockwell Automation entre outras empresas é a nossa cultura de ética, responsabilidade e prestação de contas. Mundialmente, em todos os níveis da empresa, nossos 21 mil empregados são totalmente dedicados a fazer o que é certo”, comentou Keith Nosbusch, CEO da Rockwell Automation. “Nosso compromisso global com práticas comerciais responsáveis é absoluto. Para nós, honestidade, ações justas, qualidade e rapidez de resposta são princípios orientativos, e a integridade é um valor básico em cada transação comercial.” No Índice de Envolvimento de Funcionários Global Voices mais recente, as pontuações da Rockwell Automation relacionadas à ética

melhores práticas em ética empresarial, responsabilidade social corporativa, práticas anticorrupção e sustentabilidade. Ao anunciar, em março, sua sexta seleção anual das empresas mais éticas do mundo, o Ethisphere destaca as organizações, incluindo

a Rockwell Automation, que

mostraram liderança na promoção de padrões comerciais éticos. “A cada ano, cresce a quantidade de indicações apresentadas para análise”, disse Alex Brigham, diretor

executivo do Ethisphere. “Os vencedores de 2012 sabem que um programa de ética robusto é componente fundamental para um modelo de negócio bem-sucedido, e

4 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

DESTAQUES Rockwell Automation expande evento de inovações e tecnologias Rockwell Automation On The Move (RAOTM)

DESTAQUES

Rockwell Automation expande evento de inovações e tecnologias

Rockwell Automation On The Move (RAOTM) replicou formato da Automation Fair® em menor escala e levou aos participantes brasileiros soluções para os mais diversos segmentos industriais. Em 2013, o evento deve chegar a outros países da América Latina

Mais de mil participantes aceitaram o convite da Rockwell Automation para

o primeiro RAOTM no Brasil, realizado em maio nas cidades do Rio de Janeiro

e de São Paulo. “Há vários anos realizamos nessas capitais eventos de gran- de porte e, neste ano, incrementamos o conteúdo, apresentando simulações

e painéis com inovações tecnológicas”, destacou Ronaldo Carneiro, Diretor

Regional. Na agenda do evento, 98 sessões, entre ‘hands-on labs’, palestras

técnicas da empresa e de seus parceiros e exposição de ‘cases’ feita por usuários das soluções Rockwell Automation, como Arteq, Nitroquímica, Translift e Vale. “A empresa promove todos os anos uma série de eventos tecnológicos em di- versas cidades de vários países da América Latina e, em 2013, pretendemos levar o RAOTM para Chile e Argentina”, explicou Eliana Freixa, Gerente de Co- municação para a região.

O

bal promovido pela Rockwell Automation nos Estados Unidos, que costuma reunir uma média de 10 mil visitantes. A principal ca- racterística da Automation Fair®, replicada no RAOTM, é oferecer conteúdo tecnológico inovador e soluções de seus parceiros. “A empresa apoia e destaca sua estraté- gia de PartnerNetwork™, que continuamos contruindo ao longo de vários anos”, destaca Ronaldo Carneiro. Outro ponto em comum com a Automation Fair® fo- ram as estações e painéis de Arquitetura Integrada, Segurança e Potência. Eles mostram em funcionamen- to as soluções da companhia para usuários de todos os portes e segmentos industriais. “Os painéis foram um

RAOTM 2012 foi uma versão regional da Automation Fair®, evento anual glo-

ponto alto na área de exposição, que contou com 16 empresas no Rio e 25 em São Paulo”, destaca ele.

com 16 empresas no Rio e 25 em São Paulo”, destaca ele. Demonstração de todas as
com 16 empresas no Rio e 25 em São Paulo”, destaca ele. Demonstração de todas as

Demonstração de todas as capacidades do sistema de controle de processo PlantPAx, inclusive a de rodar em ambiente virtualizado

PlantPAx, inclusive a de rodar em ambiente virtualizado Estandes de parceiros na exposição paralela aos eventos

Estandes de parceiros na exposição paralela aos eventos educacionais

No painel de Arquitetura Integrada, um dos três em que a empresa investiu para possibilitar maior interatividade aos participantes, foi possível ver como essa plataforma pode contribuir com todas as disciplinas de automação: processo, controle de movimento, segurança, intertravamento discreto, inversores e controle de batelada

M.G. Bryan é pioneiro em sua categoria a usar sistema de gerenciamento de desempenho de ativos via computação em nuvem

Com a ajuda da Rockwell Automation e da Microsoft, o fabricante de equipamentos pesados está adotando um sistema piloto que usa o Windows Azure para gerenciamento remoto de equipamentos de alta tecnologia do setor de petróleo e gás

A americana M.G. Bryan Equipment Co., importante fabricante de equipamentos pesados e máquinas para o setor de petróleo e gás, está usando computação em nuvem para o gerenciamento remoto de equipamentos de fraturamento hidráulico de alta tecnologia. Projetado e integrado pela Rockwell Automation, o sistema de controle e de informações utiliza a plataforma para computação em nuvem Windows Azure, da Microsoft. Ele ajuda a proporcionar acesso remoto seguro a informações em tempo real, a alertas de manutenção automatizados e a

pedidos de fornecimento de peças de serviços. Com ajuda da Rockwell Automation, a M.G. Bryan projetou um sistema simples e fácil de operar, usando computação em nuvem para melhorar a produtividade e a inteligência da empresa. O fraturamento hidráulico libera petróleo ou gás natural da rocha reservatório para a extração. “No setor de petróleo e gás, a produção tem que acompanhar os recursos e nunca tira folga”, disse Matt Bryan, presidente da M.G. Bryan. “Veículos de fraturamento operam em ambientes extremos e isolados. Eles normalmente necessitam

de novos filtros de óleo a cada 200 horas, e de reforma completa do motor depois de 4.000 a 5.000 horas

de serviço. Aproveitando a computação em nuvem, podemos controlar os custos de nossos equipamentos

e ajudar os clientes a maximizar o

tempo em operação de seus ativos,

melhorando drasticamente o retorno de investimento desses equipamentos.”

A Rockwell Automation atualizou os

equipamentos de fraturamento da M.G. Bryan com um sistema integrado de controle e de informações que agrega fontes de informações diversas, incluindo dados históricos, relacionais e comerciais. Para alavancar plenamente essa riqueza de dados, sem exigir que a M.G. Bryan ou seus clientes montassem e gerenciassem

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

5

DESTAQUES

seus próprios datacenters, a Rockwell Automation adotou a computação em nuvem. Usando tecnologia móvel

e uma transferência de informações

empresariais na nuvem, a M.G. Bryan tem acesso a um grau mais elevado

de inteligência conectada, habilitando novos níveis de atendimento aos clientes nesse setor. “Nossa parceria com a Microsoft explora os usos industriais da computação em nuvem para abrir

a porta para inovações de nossos

clientes”, disse Sujeet Chand, principal executivo de tecnologia da Rockwell Automation. “Para a M.G. Bryan, a computação em nuvem oferece um método altamente escalável

e econômico para armazenar e

acessar remotamente, em tempo real, informações que ajudarão a ampliar os ciclos de vida dos equipamentos

e otimizar a produtividade. Focar no

desenvolvimento de soluções que consideram a produtividade, facilidade

PRODUTOS

de uso e inteligência conectada em uma plataforma escalável foi como

alavancamos os pilares da Arquitetura de Referência para Indústria Discreta da Microsoft. Vemos isso como uma solução atrativa para muitos fabricantes de equipamentos e usuários finais em todo o mundo.” Com o novo sistema, os dados podem ser retirados da nuvem por dispositivos móveis e navegadores de internet, para gerar relatórios

e painéis demonstrativos sobre a

condição do trem de força de veículos individuais e sobre o desempenho do fraturamento hidráulico, bem como o desempenho do processo

e tendências de manutenção

relacionadas a frotas inteiras. A exibilidade e a escalabilidade da computação em nuvem ajudará a M.G. Bryan a oferecer gerenciamento holístico de operações à sua frota de veículos em rápida expansão. “A M.G. Bryan vem se diferenciando

nesse mercado através da transformação de seu modelo de negócio, usando uma abordagem inovadora de computação em nuvem,

que ajuda a reduzir riscos de projeto e

o custo da propriedade, melhorando, ao mesmo tempo, a relação entre

tempo e valor”, disse Caglayan Arkan, gerente-geral do Setor de Manufatura

e Recursos Globais da Microsoft. “A

Microsoft forneceu uma estrutura que ajudou a Rockwell Automation a

aproveitar o sistema Windows Azure para o gerenciamento de operações de alta eficiência em ambientes de produção remota. Essa plataforma pode melhorar o desempenho

empresarial e reduzir dramaticamente os custos e a complexidade do sistema para a M.G. Bryan.”

os custos e a complexidade do sistema para a M.G. Bryan.” Para saber mais sobre a

Para saber mais sobre a Arquitetura de Referência para Indústria Discreta da Microsoft acesse www.microsoft. com/dira.

Novos monitores ajudam a controlar e reduzir o consumo de energia industrial

Dois novos medidores de energia elétrica da Rockwell Automation oferecem recursos wireless e display de dados completo, para simplificar o acompanhamento do consumo de energia

Os PowerMonitor W250 e 500 proporcionam uma solução escalável e visibilidade do custo-benefício sobre como, quando e onde a energia elétrica está sendo utilizada ao longo do processo de produção. Esses novos monitores de energia elétrica permitem que o usuário se aprofunde no monitoramento das instalações ou nível do processo, para coletar dados de aplicações específicas que consomem muita energia, sem um custo ou esforço significativo. O PowerMonitor W250 oferece plataforma de comunicações wireless, ideal para aplicações onde a instalação de rede via cabo é proibitiva em termos de custo e em vários locais de medição, incluindo espaços remotos ou confinados, como tetos, correias transportadoras ou áreas externas. A rede wireless transmite as informações do consumo de energia diretamente para o software RSEnergyMetrix, para

reduzir os custos da rede e facilitar a coleta de dados. Uma rede simplificada para monitores adicionais permite melhor modularidade e flexibilidade do sistema. Para aplicações de monitoramento de consumo e de demanda de energia menores, o PowerMonitor 500 apresenta display de cristal líquido grande, para visualizar as informações do uso da energia diretamente no processo que está sendo monitorado, sem exigir qualquer componente adicional, e aumentando o envolvimento dos funcionários em programas de economia de energia. O medidor apresenta, também, opções de comunicação Modbus TCP e EtherNet/IP e é totalmente integrado com o software RSEnergyMetrix. Os dados de consumo de energia podem ser carregados diretamente em painéis de instrumentos baseados na internet para proporcionar uma ferramenta econômica para implementar e verificar iniciativas de economia de energia.

e verifi car iniciativas de economia de energia. Para saber mais: • Medidores PowerMonitor –
e verifi car iniciativas de economia de energia. Para saber mais: • Medidores PowerMonitor –
Para saber mais:
Para saber mais:

• Medidores PowerMonitor – http://ab.rockwell automation. com/energy-Monitoring/

6 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

PRODUTOS Nova interface redundante para conexão de dispositivos Fieldbus Foundation fortalece o portfólio de

PRODUTOS

Nova interface redundante para conexão de dispositivos Fieldbus Foundation fortalece o portfólio de comunicação da Rockwell Automation para controle de processo em toda a planta

Interfaces de conexão para FF H1 simplificam a resolução de problemas e expandem capacidades de comunicação do sistema PlantPAx

Duas novas interfaces de conexão da Rockwell Automation proporcionam aos usuários de sistemas de automação de processo PlantPAx conectividade para seus dispositivos Fieldbus Foundation. As interfaces de comunicação Allen-Bradley 1788-EN2FFR e 1788-CN2FFR proporcionam conexão direta de redes EtherNet/IP ou ControlNet para rede no nível de dispositivo Fieldbus Foundation H1, tornando a integração de dispositivos Fieldbus Foundation intuitiva, fácil e rápida. “O padrão Fieldbus Fundation é uma escolha bastante comum entre muitas indústrias de processo, porque a ação, comissionamento e suporte economizam uma rede digital”, explicou Graham Proctor, gerente de produto da Rockwell Automation. “Com essas interfaces de conexão, os usuários do sistema PlantPAx podem acessar dados para gerar melhores diagnósticos, resolução de problemas, manutenção e tempo em operação.” As interfaces de conexão 1788-EN2FFR e 1788-CN2FFR oferecem configuração simplificada com o Software RSLogix 5000 da Rockwell Automation, graças a um Add-On Profile (AOP) e ferramenta de configuração automática. Essa ferramenta de configuração automática ajuda a economizar horas de tempo de configuração aplicando a configuração utilizada com mais frequência,

e o AOP proporciona um ambiente gráfico para uma configuração de dispositivo em campo muito detalhada. Além disso, o AOP fornece diagnósticos incorporados, incluindo informações sobre as tensões e correntes da rede, temperatura interna e status de dispositivo, que também podem ser visualizados diretamente no display da interface, simplificando a resolução de problemas para os operadores de plantas. Um servidor de web incorporado também proporciona acesso remoto a dados da rede e dos dispositivos em campo. As duas interfaces suportam até 16 dispositivos de campo em um único segmento H1 e apresentam configurações de redundância múltipla, incluindo interfaces de conexão redundantes, mídia H1, mídia ControlNet, e anel em nível de dispositivo EtherNet/IP. Não é necessário software externo ou licenças de usuário para a operação/configuração, e cada dispositivo apresenta um condicionador de sinal incorporado, não necessitando de condicionador de sinal externo, o que minimiza a área do painel.

de sinal externo, o que minimiza a área do painel. Para saber mais, acesse: Rockwell Automation

Para saber mais, acesse:

Rockwell Automation FOUNDATION Fieldbus Linking Solutions: http://ab.rockwellautomation.com/Networks-and- Communications/Process/FOUNDATION-Fieldbus

Novos controladores compactos

A linha de controladores de automação programáveis (PACs) CompactLo- gix 5370, da Rockwell Automation, traz os modelos L1, L2 e L3, com recur- sos de desempenho e de controle de posicionamento, aproveitando os ambientes de projeto e redes comuns ao sistema de Arquitetura Integrada da Rockwell Automation. Isto dá aos usuários acesso aos amplos recursos da Plataforma de Controle Logix em um pacote pequeno, integrado e eco- nômico. O recurso de armazenamento de energia sem o uso de baterias elimina problemas de manutenção, transporte e questões ambientais re- lacionadas às baterias de lítio. A remoção das baterias – além de outras melhorias de projeto e desenvolvimentos tecnológicos – reduziram o ta- manho desses controladores. Com a memória variando entre 384 KB e 3 MB, são ideais para diversas aplicações, como máquinas de classificação, rotulagem, embalagem, mistura, processamento em lote e enchimento. O CompactLogix 5370 L1 é o menor modelo, utiliza módulos POINT I/O como seus pontos de E/S locais, gerencia controle de posiciona- mento de até dois eixos e tem preço econômico para o controle de máquinas simples. O L2 é 40% menor que sua ge- ração anterior e suporta até quatro eixos de posicionamento integrados. De pequenos equipamentos independentes até aplicações de alto desempenho, são ideais para máquinas, sistemas de elevação, conjuntos de processo, mesas de indexação e equipamentos para embalagem. O modelo L3 suporta até 16 eixos de posicionamento integrado em rede EtherNet/IP. A versão sem energia armazenada (NSE-No Stored Energy) oferece recursos adicionais para ambientes perigosos encontrados em indústrias como mineração, petróleo e gás.

em indústrias como mineração, petróleo e gás. Para saber mais, acesse: CompactLogix 5370 PACs:
em indústrias como mineração, petróleo e gás. Para saber mais, acesse: CompactLogix 5370 PACs:

Para saber mais, acesse:

CompactLogix 5370 PACs: http://ab.rockwellautomation.com/Programmable-Controllers/CompactLogix Integrated Architecture Builder tool: http://www.rockwellautomation.com/en/e-tools/configuration.html

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

7

A evolução da

segurança

Examinamos os avanços em segurança integrada que ajudam a agilizar ainda mais os projetos de sistema de controle e os benefícios que a segurança integrada proporciona

e os benefícios que a segurança integrada proporciona 8 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012 C om

8 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

Com os estímulos dos avanços tecnológicos e de mudanças nas normas industriais, tornou-se mais

fácil e economicamente viável projetar, implementar e manter as plataformas ‘dois em um’ de segurança e controle padrão. Recentes melhorias técnicas proporcionam agora, aos projetistas de automação, maior flexibilidade para implementar sistemas de segurança que ajudem a reduzir custos e melhorar

a produtividade. Fatores econômicos – especificamente o objetivo de aumentar

os lucros sem perder de vista a segurança

– estão estimulando a evolução de

sistemas de segurança de soluções

antigas para sistemas via rede, com modernas configurações integradas. Quanto mais os projetistas puderem integrar as funções de segurança de um sistema de controle

a funções que não são de segurança, melhor será a oportunidade para

minimizar redundâncias em equipamentos, melhorar a produtividade

e reduzir custos. Projetistas podem

cortar custos de hardware porque as partes padrão e de segurança do aplicativo podem compartilhar os componentes do sistema. Além de eliminar a necessidade de

um controlador de segurança separado, sistemas de segurança integrados também utilizam um único pacote de software de programação. Isto pode suprimir a necessidade de escrever

e coordenar vários programas em

diferentes controladores, o que, por sua

vez, pode simplificar a programação do

aplicativo, e ajudar a reduzir custos de treinamento e suporte. Além disso, um ambiente único de desenvolvimento ajuda a eliminar redesenvolvimentos dispendiosos. Por exemplo, se um engenheiro de controle precisa aumentar de uma linha para três, o processo é tão simples como portar o aplicativo necessário de uma linha para a próxima. Menos componentes também resultam em painéis menores, economia de dinheiro em gabinetes de controle e em espaço no piso.

Segurança CIP permite integração

Outro passo importante na evolução de segurança integrada ocorreu com a introdução do CIP SafetyTM ((http://bit.ly/hI1nx9). Uma comunicação perfeita no passado era praticamente impossível, porque nenhuma rede única era capaz de integrar sistemas de controle padrão e de segurança e, ao mesmo tempo, permitir o transporte coeso de dados através de várias redes físicas no chão de fábrica. Isso mudou com a chegada do Protocolo Industrial Comum (CIP), um protocolo de aplicação para redes industriais que é independente da rede física. O protocolo CIP fornece um conjunto de serviços comuns para controle, configuração, coleta e compartilhamento em todas as redes CIP – DeviceNet™, ControlNet™ e EtherNet/IP™. No passado, um evento de segurança em uma seção de uma máquina poderia provocar a parada total da máquina, porque o sistema padrão tinha conhecimento limitado do evento de segurança. A segurança com protocolo CIP permite que sistemas de controle e de segurança coexistam na mesma rede, e compartilhem dados entre os aplicativos de segurança e de controle padrão. Isso capacita engenheiros, por exemplo, a realizar ‘controle por zona’, por meio do qual uma zona da máquina é levada

a um estado seguro, enquanto

outras zonas continuam a operar. Diferentemente de sistemas convencionais, a integração de sistema de segurança e de controle padrão fornece aos operadores e ao

pessoal de manutenção a visibilidade

a todos os eventos das máquinas

– incluindo eventos de segurança

– por meio da máquina ou da

interface homem-máquina (IHM). Com essa visibilidade proporcionada pelo sistema integrado, o pessoal da fábrica pode responder rapidamente, no sentido de recolocar a máquina em produção plena. O protocolo CIP Safety também ajuda a eliminar a necessidade de instalar gateways custosos e difíceis de manter entre cada rede. Antes do desenvolvimento de redes de segurança, os engenheiros, em geral, tinham que usar sistemas menores ou minimizar seus requisitos de desempenho, porque era difícil conectar, via fiação, em um

porque era difícil conectar, via fiação, em um nos quais um controlador maior, adquirido previamente,

nos quais um controlador maior,

adquirido previamente, poderia ser excessivo ou de custo proibitivo. Exemplo de aplicação:

o novo controlador de automação programável (PAC) Compact GuardLogix® executa todas as funções de controle da máquina

– incluindo o controle de

acionamento, movimento e controle sequencial de alta velocidade e, ao mesmo tempo, executa as funções de segurança SIL 2 e SIL 3.

Ideal para aplicações de

Um passo importante na evolução da segurança integrada ocorreu com a introdução do CIP Safety

sistema de automação completo, os intertravamentos e a lógica de segurança baseada em relés. Agora, os engenheiros podem integrar seus dispositivos em segmentos de rede física comum

e permitir que as informações de

segurança e controle padrão fluam entre dispositivos e controladores.

Próxima geração de controle de segurança

Desenvolvimentos recentes em segurança integrada implicam em alavancar os benefícios de uma arquitetura de controle comum e aumentá-la em um fator de forma escalável e mais compacto. Isto proporciona aos usuários mais flexibilidade de projeto, permitindo que apliquem a funcionalidade de segurança integrada em uma ampla variedade de aplicativos, incluindo muitos aplicativos de porte médio,

porte médio, o controlador multidisciplinar oferece aos projetistas funcionalidades de segurança previamente encontradas apenas em sistemas integrados maiores. Uma segurança integrada também oferece as vantagens de um ambiente de programação comum, que ajuda a reduzir o tempo e os custos de projeto, configuração, partida e manutenção. Com um único programa de software gerenciando tanto a segurança como a funcionalidade padrão, os engenheiros não precisam mais gerenciar manualmente a separação de memória padrão e de segurança, ou preocupar-se acerca da partição lógica para isolar a segurança.

Projetos mais enxutos

Essa produtividade de projeto beneficia empresas como a Amcor,

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

9

A evolução da
A evolução da

fabricante global de embalagens, ao implementar uma nova solução de segurança integrada em sua fábrica de latas de alumínio em Revesby, na Austrália. Anteriormente, controladores padrão nas 11 máquinas de conformação do corpo

e de acabamento eram intertravados

com um sistema de controle de segurança separado, interligado por os. Agora, 11 controladores de

segurança individuais integrados gerenciam as máquinas. Uma conexão EtherNet/IP proporciona o intertravamento entre as máquinas

e liga os controladores de segurança

integrados ao controle supervisório

O novo controlador de automação programável (PAC) Compact GuardLogix® executa todas as funções de controle da máquina – incluindo o controle de acionamento, movimento e controle sequencial de alta velocidade e, ao mesmo tempo, executa as funções de segurança SIL 2 e SIL 3.

da fábrica e ao sistema de aquisição de dados (SCADA). A combinação de E/S distribuídas com uma rede de segurança CIP ajudou a reduzir

a instalação do local e o tempo

de cabeamento. O ambiente de desenvolvimento integrado permitiu

que os engenheiros desenvolvessem paralelamente o código fonte dos sistemas de controle padrão e de segurança, o que economizou bastante tempo.

Adicionalmente, com a arquitetura de controle integrada já configurada, desenvolver e expandir

o sistema é muito mais fácil.

Melhor controle, uniformidade

Novas ferramentas de software,

como Instruções Add-on (AOI) de alta integridade, estão contribuindo para projetos de sistemas de segurança cada vez mais precisos

e

eficientes. Os AOIs encapsulam

o

código fonte, que podem ser

módulos pré-validados e facilmente reutilizados. Isto promove uniformidade entre projetos, ajuda a simplificar a resolução de problemas no código fonte e solucionar

segurança

Segurança integrada oferece as vantagens de um ambiente de programação comum

problemas, além de minimizar o risco de erros de codificação. Esses AOIs de alta integridade empregam um recurso de assinatura para ajudar os projetistas a proteger dados contra alteração acidental ou intencional. O recurso de assinatura permite que eles saibam se uma definição de AOI foi modificada. Esta capacidade de controle de revisão é crítica em setores altamente regulamentados, nos quais as indústrias precisam manter uniformidade, para atender exigências regulatórias e proteger sua propriedade intelectual.

A evolução continua

O futuro da segurança integrada aponta para mais opções e mais flexibilidade para aplicar a tecnologia de segurança e atender necessidades específicas. À medida que os componentes de segurança e controle padrão seguem tornando-se cada vez mais integrados em projetos de sistemas de controle, implementar a segurança não será mais uma disciplina separada, mas, sim, uma parte concomitante e mais natural do processo de projeto. Por sua vez, essas inovações ajudarão a manter trabalhadores e máquinas mais seguros, aumentando os lucros da empresa.

e máquinas mais seguros, aumentando os lucros da empresa. Soluções de Segurança Rockwell Automation

Soluções de Segurança Rockwell Automation

http://bit.ly/9aJ5Zp

10 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

COMO POSSO OTIMIZAR E PROTEGER MEUS ATIVOS? Faça uma pausa de uma semana repleta de
COMO POSSO OTIMIZAR E PROTEGER MEUS ATIVOS? Faça uma pausa de uma semana repleta de

COMO POSSO OTIMIZAR E PROTEGER MEUS ATIVOS?

COMO POSSO OTIMIZAR E PROTEGER MEUS ATIVOS? Faça uma pausa de uma semana repleta de perguntas
COMO POSSO OTIMIZAR E PROTEGER MEUS ATIVOS? Faça uma pausa de uma semana repleta de perguntas
COMO POSSO OTIMIZAR E PROTEGER MEUS ATIVOS? Faça uma pausa de uma semana repleta de perguntas

Faça uma pausa de uma semana repleta de perguntas e participe de um evento cheio de respostas

Conheça as novas soluções inteligentes, seguras e sustentáveis para otimizar a produção. Melhore o desempenho de máquinas. Obtenha todas as respostas na Automation Fair ® , na Filadél a, EUA, nos dias 7 e 8 de novembro. Para tornar sua viagem ainda mais proveitosa, participe também do Fórum de Automação de Segurança (Safety Automation Forum) ou do Grupo de Usuários de Soluções de Processo (PSUG). Saiba mais sobre estes eventos em: www.automationfair.com, www.safetyautomationforum.com e http://psug. rockwellautomation.com.

Para mais informações, entre em contato com o escritório de vendas da Rockwell Automation ou distribuidor autorizado mais próximo de você.

entre em contato com o escritório de vendas da Rockwell Automation ou distribuidor autorizado mais próximo

Explore o valor de

um projeto de sistema

de segurança

inteligente

detalhado e mais sistemático para apli- cações em máquinas. Um objetivo fun- damental do ciclo de vida da segurança

é tratar as causas de acidentes. Para fazer isso, os projetistas alme- jam criar um sistema que ajude a re- duzir riscos, atenda requisitos técnicos apropriados e ajude a assegurar a com- petência dos trabalhadores. Normas anteriores se baseavam em medidas prescritivas que definiam medidas de segurança específicas. As novas normas funcionais são baseadas em desempe-

nho, que facilita aos projetistas quanti- ficar e justificar o valor da segurança. Essa base utiliza uma abordagem mais metódica e determinística e oferece

a capacidade de personalizar as funções

de segurança específicas para a aplicação. Isso ajuda a reduzir o custo e a comple- xidade, melhora a sustentabilidade das máquinas e ajuda a atingir um nível mais ideal de segurança para cada circuito ou função de segurança definido, para me- lhorar o retorno do investimento.

Fases do ciclo de vida da segurança

Realizar uma avaliação de risco é a pri-

meira fase do ciclo de vida da segurança. Essa avaliação fornece a base para o proces- so geral de redução de risco (veja a ilustra- ção), que envolve os seguintes passos:

Os benefícios econômicos de um sistema de segurança bem projetado são muito significativos para passar despercebidos. Nós examinamos o que você precisa

Pergunte a qualquer gerente de produção sobre a importância da segurança, e ele/ela

provavelmente lhe dirá sobre o papel crítico que a segurança tem para ajudar a prote- ger os empregados e atender demandas de conformidade. Esses, certamente, são objetivos válidos. No entanto, indústrias

e fabricantes de máquinas estão perden-

do oportunidades ao se concentrarem apenas em evitar as consequências ne- gativas, em vez de lutar por um melhor desempenho como maior produtividade, competitividade e lucratividade. Historicamente, a indústria via as práticas de segurança como ações pu-

nitivas ou atividades de conformidade,

e não como oportunidades para pro-

porcionar valor real ou ganhar uma vantagem competitiva. Atualmente, entretanto, várias in- dústrias entendem que um sistema de segurança bem projetado pode ajudar a

melhorar a eficiência e a produtividade,

e as indústrias de máquinas reconhe-

cem, cada vez mais, como os sistemas de segurança podem melhorar o de- sempenho das máquinas e da empre- sa, ajudando-as a se destacar diante de clientes em potencial.

A combinação de normas de segu-

rança funcionais, novas tecnologias de segurança e abordagens de projeto ino- vadoras estão posicionando a segurança como uma função de sistema básica, que pode proporcionar valor comercial

e econômico significativo. Isso inclui re- tornos financeiros, além dos benefícios

de reduzir custos associados a acidentes

e despesas médicas.

Abordagem sistemática para o ciclo de vida da segurança

Projetistas de sistemas devem ter um entendimento profundo e comple- to sobre o processo de fabricação, uma clara consciência dos limites e funções das máquinas e um amplo conheci- mento das maneiras como as pessoas interagem com as máquinas. Eles tam- bém precisam adotar uma abordagem

prática e rigorosa em relação ao projeto do sistema de segurança, e devem estar dispostos a implementar e aplicar novas tecnologias e técnicas de segurança.

O ciclo de vida da segurança fun-

cional, conforme definido nas normas IEC 61508 e IEC 62061, proporciona a base para esse processo de projeto mais

12 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

Quatro fases da avaliação de risco

As empresas estão cada vez mais usando a experiência de engenheiros consultores para conduzir avaliações de risco, especialmente quando reduções no quadro de pessoal deixaram a empresa sem os recursos humanos para fazer avaliações, além das tarefas de trabalho padrão. Em geral, as indústrias contratam um consultor de segurança porque têm um problema relacionado à segurança, ou uma oportunidade de melhoria. Na maioria dos casos, o consultor conclui as mesmas fases de avaliação, independentemente das metas do projeto – análise do estado atual, análise de normas e especificações, remediação e melhoria e análise de custos e benefícios. Entretanto, as tarefas de um consultor de segurança podem variar em função da empresa.

Fase 1: Análise do estado atual - Engenheiros de consultoria iniciam uma avaliação abrangente, em geral, com uma análise do estado atual. Esta é uma oportunidade para avaliar a situação e realizar uma análise detalhada de como a fábrica está operando, para determinar áreas de melhoria. Durante esta fase, um consultor de segurança fazendo uma avaliação de risco poderia inspecionar máquinas e células de produção para determinar os pontos evidentes de operação e os riscos de transmissão de energia. O consultor poderia usar informações obtidas fora da área para fazer uma análise mais detalhada, e determinar áreas de alto impacto para melhorias.

Fase 2: Exame de normas/especificações - Nesta fase, o consultor analisará normas e especificações aplicáveis do setor, para determinar se elas estão sendo atendidas e onde existem lacunas – ou onde há violações ou riscos. O consultor examina normas e especificações como OSHA, TÜV, IEC, NFPA, ANSI e ASSE. Ele também pode esclarecer requisitos de salvaguarda e definir a arquitetura de controle de circuito apropriada e o nível de desempenho da segurança necessário para se obter conformidade.

Fases 3-4: Recomendações e análise de custo-benefício - Usando as informações coletadas na fase anterior, o consultor de segurança faz recomendações de melhorias. Ele também conduz uma análise de custo-benefício, oferecendo uma visão da potencial economia de fazer as alterações, bem como o custo de não fazer nada. Por exemplo, um engenheiro fazendo uma avaliação de abertura de arco voltaico poderia rever a sinalização e as marcações no piso, para identificar riscos potenciais durante a avaliação e a análise das normas. Durante a fase final, o consultor poderia apresentar recomendações, como acrescentar etiquetas de advertência em dispositivos de manobra e subestações, e oferecer treinamento para novos contratados da operação e da manutenção.

Serviços de segurança Rockwell Automation www.rockwellautomation.com/go/tj-safetyservices

Outra abordagem que ajuda a limi- tar e desincentiva que se burle o sistema de segurança é um projeto configurável, que permite aos operadores alterar o com- portamento do sistema de segurança com base na tarefa que eles precisam realizar. Por exemplo, em muitos casos, um operador pode precisar acessar uma máquina, e ainda precisar de certa forma de energia ativada para realizar

uma função de manutenção, liberar um entupimento ou ensinar um robô. A avaliação de risco inicial identifica e define todas as tarefas, incluindo essas, que devem ser realizadas na máquina com ou sem energia. A avaliação oferece um panorama para criar um projeto configurável que atenda os requisitos globais de seguran- ça, ajude a aumentar a produtividade

globais de seguran- ça, ajude a aumentar a produtividade O primeiro passo no ciclo de vida

O primeiro passo

no ciclo de vida da segurança é conduzir uma

avaliação de risco para identificar riscos potenciais

e os mecanismos de segurança que devem ser

implementados

para proteção

adequada contra

esses riscos

• Ajuda a eliminar riscos pelo projeto,

usando conceitos de projeto inerente- mente seguro.

• Emprega medidas de salvaguarda e

medidas protetoras com dispositivos de

segurança e barreiras de entrada física. • Implementa medidas de segurança complementar, incluindo Equipamen- tos de Proteção Individual (EPIs).

• Ajuda a atingir práticas de trabalho

mais seguras, com procedimentos, trei- namento e supervisão. Ao projetar um sistema de segu- rança, uma avaliação de risco ajuda a identificar riscos potenciais e mecanis- mos de segurança que devem ser im- plementados. O ciclo de vida funcional proporcio- na a estrutura para diversos conceitos de segurança ‘no projeto’, altamente efeti- vos. Isto inclui projetos de sistemas pas- sivos, configuráveis e com bloqueio.

Mais fáceis e intuitivos

Uma abordagem passiva se alinha com a filosofia de projeto de que sistemas de segurança devem ser fáceis de usar e não devem atrapalhar a produção. O mo- tivo que os operadores poderiam escolher para burlar sistemas de segurança é que os sistemas são complicados, impraticáveis ou não acomodam facilmente os procedi- mentos de manutenção e operação. Um projeto de sistema passivo eficiente realiza sua função automaticamente – com pouco ou nenhum esforço por parte do usuário. Além disso, quando aplicado de forma inteligente, um projeto passivo pode ajudar a aumentar a produtividade. Por exemplo, em muitas operações de produção, as indústrias usam uma cortina de luz para ajudar a evitar movimentos de máquinas quando um operador entra em uma área perigosa. Outras abordagens, como um portão de segurança com inter- travamento, requerem que os operadores realizem uma tarefa para iniciar a função de segurança. Mesmo se levar apenas dez segundos para abrir e fechar o portão em cada ciclo, esse tempo se acumula ao lon- go de um dia com 200 ciclos. Com uma cortina de luz, o operador simplesmente rompe a barreira infra- vermelha ao entrar em áreas perigosas e a operação é interrompida de forma segura. Ao longo do tempo, esse projeto passivo ajuda a aumentar a produtivida- de e gera um retorno positivo.

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

13

Explore o valor de um projeto de sistema de segurança inteligente

e a reduzir os incentivos para burlar o sistema. Na maioria dos casos, compo- nentes de baixo custo, como botoeiras, chaves seletoras e luzes, são tudo de que se precisa para atingir um nível de se- gurança aceitável.

Transformando segurança em produtividade

Usando sistematicamente um projeto de sistema com bloqueio para reduzir o tempo médio para reparo (TMPR) pode ajudar a incrementar a produtividade. Os operadores podem selecionar uma confi- guração de segurança e, em seguida, blo- queá-la no local, no ponto de entrada. Um projeto que permite bloqueio também ajuda a atingir produtividade mais elevada utilizando o sistema de segurança, em vez de um procedimen- to de trava/identificação (LOTO) para muitas rotinas de manutenção e proce- dimentos de preparação.

Por exemplo, em uma situação de travamento e identificação, os operado- res poderiam precisar usar seis cadeados para parar uma linha de forma segura, incluindo os sistemas eletrônicos, pneu- máticos e robóticos. Isto pode represen- tar uma operação demorada e ineficien- te, causando muito tempo parado. Se o sistema de segurança atender a meta do nível de segurança – e atender a norma ANSI Z244-1 – esse sistema pode ser utilizado para cancelar os riscos. Nes- te caso, o procedimento LOTO não é necessário. Em vez de bloquear a chave geral, os operadores bloqueiam apenas o sistema de segurança. A redução de custo em potencial associada à redução do tempo para- do do procedimento LOTO pode ser substancial. Digamos que uma indús- tria seja capaz de reduzir o TMPR em dois minutos usando essa abordagem de projeto com bloqueio. Se o valor de

um minuto parado for de US$ 10.000

e a fábrica apresentar, em média, três

mil eventos com tempo parado por ano (oito por dia), o valor da solução de se- gurança equivale a aproximadamente US$ 60 milhões por ano (US$ 10.000

2 minutos x 3.000). Os amplos benefícios econômicos de um sistema de segurança bem projetado são muito significativos para passarem despercebidos. Usando uma tecnologia de segurança confiável e a abordagem rigorosa definida no ciclo de vida da se- gurança, as indústrias e fabricantes de máquinas podem explorar o valor intrín- seco de projetos de sistemas de segurança inteligentes, para ajudar a impulsionar a produtividade, reduzir custos de mão de obra e aumentar lucros.

x

reduzir custos de mão de obra e aumentar lucros. x Soluções de segurança Rockwell Automation

Soluções de segurança Rockwell Automation

http://bit.ly/9aJ5Zp

PESQUISA
PESQUISA

AutomationToday

A Rockwell Automation do Brasil quer conhecer sua opinião sobre a revista Automation Today.

Sua participação é fundamental para aprimorar

a qualidade e o conteúdo da publicação.

Até 10 de setembro de 2012, acesse http://pesquisarevista.blogspot.com.br

e responda um breve questionário. É rápido, fácil e você não precisa se identificar. E
e
responda um breve questionário.
É
rápido, fácil e você não precisa se identificar.
E
aguarde sua Automation Today ainda melhor!
TECH TIPS Cinco principais oportunidades com alarmes e eventos de IHM Descubra características ocultas, porém

TECH TIPS

Cinco principais oportunidades com alarmes e eventos de IHM

Descubra características ocultas, porém poderosas, do seu software de interface homem-máquina, que podem ajudá-lo a economizar tempo e facilitar a resolução de problemas

Interagir com alarmes é uma das funções básicas que seus operadores esperam de um software de interface homem-máquina (IHM). Entretanto, se você estiver usando apenas as funções de alarme padrão, seus operadores podem estar perdendo recursos menos conhecidos que poderiam ajudá-los

a economizar tempo e facilitar a resolução

de problemas. Examinamos cinco funções de alarmes e eventos do FactoryTalk® que, em geral, não são muito utilizadas mas po- deriam ser úteis aos operadores.

1 Referências (tags) associadas

Em um sistema IHM, é útil ter infor- mações adicionais do sistema associadas a

um alarme, para gerar relatórios eficientes

e um tratamento de alarmes mais efetivo.

Um alarme pode ser associado a até qua- tro referências (tags), que são gravadas no registro de histórico de alarmes, e também podem estar incorporadas nas mensagens de alarmes, visíveis em um resumo ou campo de alarmes. Ao associar referên- cias, para incluir dados de processo nas informações de eventos e nas mensagens de alarme, os operadores podem receber automaticamente informações pertinentes que descrevem como estava o ambiente do sistema quando o alarme foi acionado. Por exemplo, se você tiver um alarme de uma bomba associado ao valor de saída de um fluxômetro, um peso de tanque, e duas válvulas de processo, você tipicamente tem que analisar os dados de tendências e os relatórios de atividade para entender o que poderia ter contribuído para este alarme ficar ativo. Com referências associadas, você recebe todas as informações relevantes em uma única transação. Isto economiza tem- po e esforços, pois elimina a necessidade de executar diversos relatórios e correlacionar os dados em bases de dados separadas.

2 Comandos em alarmes

Tratar a causa de um alarme em tem- po hábil e de forma eficiente é uma prio- ridade importantíssima para os operado- res. Entretanto, um sistema de IHM que identifique corretamente as condições de alarmes não produz nenhum resultado se o operador ainda tiver que clicar em diversas telas e abrir novos programas para acessar os controles necessários para corrigir o problema. Avanços re- centes permitem que novos aplicativos de software de IHM sejam configurados para executar um comando quando o

usuário clica duas vezes em um alarme do resumo de alarmes. Por exemplo, um operador pode clicar duas vezes em um alarme ativo e abrir a tela apropriada para tomar a ação corretiva. Isto é especialmente eficaz em um sistema IHM de grande porte, no qual o operador precisa ter acesso a uma tela de processo ou máscara de controle do dispositivo para entender a área em questão antes de tomar uma ação.

3 Alarmes de controle de status

pré-configurados

O software de IHM deve ser muito

bem integrado com os controles do chão de fábrica e permitir a captura de dados adicio- nais, além das informações do alarme e do evento. Coletar dados relacionados a fatores do ambiente, como problemas com contro- ladores e outros equipamentos, pode ajudar os operadores a entender melhor o que está acontecendo no sistema. Aplicativos de IHM mais recentes incluem alarmes de controle de status pré-configurados que indicam quando ocorre um problema com um controlador ou com sua conexão. Além disso, os opera- dores devem ser capazes de gerar relatórios mostrando detalhes precisos das condições do alarme. Por exemplo, com alarmes de contro- le de status pré-configurados, quando um operador observar que os dados não estão sendo atualizados em seu sistema, ele pode analisar o resumo de alarmes e ver imedia- tamente que o controlador está no modo de programação, e não no modo de operação. Isto economiza tempo para o operador por- que ele não precisa mais tentar descobrir se algo precisa de correção.

4 Classes de alarmes

Ao visualizar muitos alarmes diferentes,

agrupar alarmes semelhantes pode ser uma tarefa bem demorada. Organizar alarmes de forma eficiente em um resumo de alarmes ou

em um relatório pode ser simples, ao utilizar classes de alarmes em alguns aplicativos. A classe do alarme é um trecho de tex- to com até 40 caracteres que os operadores digitam ao configurar um alarme. Durante

a operação, o valor da classe de alarme é gra- vado no registro do histórico de alarmes, e

o conteúdo é filtrado com base no valor da

classe do alarme. Isto permite ordenar ou fil- trar facilmente seus alarmes por função, seja

de válvulas que falham em abrir ou fechar, pressão ou temperatura, equipamento em operação ou níveis de tanques.

5 Anunciador de alarme remoto e transferência a nível superior A última função de alarmes e eventos geralmente pouco utilizada fornece aos

operadores recursos de acesso e controle re- motos. A Specter Instruments, participante do Encompass™ Product Partner na rede PartnerNetwork™ da Rockwell Automation

(www.rockwellautomation.com/go/pspec-

ter), incorpora um plug-in de subscrição FactoryTalk Alarms and Events em seu pro- duto Win 911. Com anunciação remota de

alarmes e transferência para nível superior,

o sistema FactoryTalk notifica os operado-

res sobre alarmes via texto com conversão para voz (ligando para um telefone celular do operador), enviando mensagens de texto, correio eletrônico ou através de um modem voz-sobre-TAPI. Se o operador não for loca- lizado, o produto Win 911 pode utilizar a função de transferência para nível superior baseado na taxa de resposta. Por exemplo, se o sistema não receber resposta quando um operador é contatado, o sistema transfere o problema para o supervi-

sor da linha. Se o supervisor da linha não res- ponder, o sistema transferirá o problema para

o gerente da planta, e assim sucessivamente,

até alguém ser contatado para resolver o alar- me. Como o sistema está entrando em conta-

to com pessoas em seus lares, ele também dá

aos empregados a capacidade de reconhecer

e tratar os alarmes remotamente.

Alarmes e eventos são vitais Alarmes e eventos administrados incorretamente podem ser desastres aguardando para acontecer. Use essas fer- ramentas ocultas e comece a agilizar seu gerenciamento de alarmes.

ocultas e comece a agilizar seu gerenciamento de alarmes. Alarmes e eventos no FactoryTalk

Alarmes e eventos no FactoryTalk

www.rockwellautomation.com/go/tjf-

talarms

Descubra mais recursos ocultos de alarmes e eventos

Visite estas páginas para descobrir mais oportunidades com alarmes e eventos:

• Apresentação de recursos importantes de alarmes

e eventos do FactoryTalk no formato SlideShare:

http://slidesha.re/x4b4Jm

• Fotos de alarmes e eventos do FactoryTalk no site Flickr: http://bit.ly/xOiUGG

• Rockwell Automation - Manufatura Inteligente:

http://discover.rockwellautomation.com/hmi

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

15

SUPORTE

Como melhorar o rendimento de todos os ativos de sua empresa

Como melhorar o rendimento de todos os ativos de sua empresa M uitos fabricantes consideram a

Muitos fabricantes consideram a otimização de toda a planta somente como uma estratégia para equipa- mentos de automação – um investi- mento em tecnologia mais avançada para melhorar o rendimento, o tempo de acesso ao mercado e a rentabilida- de da empresa. Infelizmente, muitas empresas descuidam do investimento em outros ativos-chave e serviços de

apoio necessários para se obter o má- ximo rendimento da fabricação, que é

o objetivo final da otimização de toda

a planta. Com um programa de capacitação

integral, de gestão de ativos e assistência remota, incluído no plano de operações, as empresas podem obter uma melhor qualidade de produto, redução de des- perdícios, menor despesa com peças de reposição e substituição de hardware e melhorar a prevenção de falhas. Con- seguem alcançar, também, uma maior produtividade e colocação mais rápida de seus produtos no mercado, por meio de operações mais flexíveis. Embora treinamentos ajudem a oti- mizar as habilidades dos funcionários, para maximizar o rendimento dos in- vestimentos em hardware, uma estraté- gia de gestão de ativos pode melhorar

o rendimento e minimizar o tempo de

parada da planta, ao proporcionar uma

avaliação precisa das peças de reposição

e das práticas de manutenção. Além disso, uso eficiente de suporte

a distância permite reduzir o tempo que

16 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

os funcionários dedicam aos problemas de produção e ajuda a identificar pos- sibilidades de melhorias tecnológicas que levem a novas oportunidades para otimizar toda a planta.

Capacitação: a otimização dos ativos humanos de sua empresa

Funcionários altamente capacitados, com conhecimentos apropriados e atuali- zados são a base de um ambiente de pro- dução totalmente otimizado. Somente seus ativos humanos podem obter o máximo desempenho da infraestrutura de sua em- presa. Mediante a avaliação dos níveis de qualificação de seus funcionários e traba- lhando com um provedor especializado em treinamento, com experiência para perso-

nalizar a capacitação profissional, é possível ver melhorias significativas no rendimento, nas entregas dentro do prazo e nos índices de retenção de funcionários. A melhor forma para começar a mon- tar seu programa de treinamento é realizar uma avaliação. Essa avaliação é feita, em geral, por um fornecedor externo e produz uma análise imparcial e completa das ha- bilidades de seus funcionários na operação

e solução de problemas dos equipamentos

de automação e software. A avaliação ajuda

a identificar o melhor programa de trei-

namento para melhorar o rendimento de cada funcionário. Também leva em conta os objetivos comerciais de sua empresa para ajudá-lo a obter o máximo retorno de seu investimento em treinamento. A maioria dos programas de ca- pacitação é realizada por meio de um autotreinamento ou treinamento com instrutor, ou uma combinação de am- bos. O autotreinamento é administrado habitualmente por meio da internet ou por software instalado nos computado- res da empresa. Este método de treina- mento frequentemente funciona melhor para pessoas que necessitam de horários mais flexíveis e uma formação de nível intermediário. Para reforçar as habilidades apren- didas durante os cursos de capacitação anteriores, estações de trabalho perso- nalizadas e programadas disponíveis nas

instalações de sua empresa e um progra- ma personalizado proporcionam acesso

rápido às informações sobre as perguntas mais comuns ou para a solução de pro- blemas frequentes.

A opção de cursos dirigidos por um

instrutor é a solução ideal para a capa- citação de vários funcionários de uma vez e onde a alternativa de oferecer o treinamento nas instalações do cliente permite reduzir ao mínimo as viagens

e

os problemas de horários. Para obter

o

máximo proveito do investimento

em treinamento muitas empresas op- tam por um treinamento personalizado, preparado para resolver lacunas em co- nhecimentos específicos nas áreas mais críticas da produção.

Gestão de ativos: a capitalização dos ativos físicos de sua empresa pode alavancar a rentabilidade

A maioria dos gerentes industriais

precisa operar e manter os investimen- tos de capital em níveis similares aos anos anteriores ou em alguns casos até com redução dos ativos operacionais. Em função disto os fabricantes preci- sam identificar formas de minimizar os custos associados às suas operações. Embora os fabricantes deixem passar despercebidos os serviços de reparos, o gerenciamento de garantias, a organiza-

ção de almoxarifados e o controle de es- toques, as peças são repostas conforme

a previsão do orçamento e para evitar

paradas da planta. Uma estratégia de gestão integral de ativos pode ajudar a reduzir signi- ficativamente o tempo de parada não planejado e aumentar a rentabilidade da empresa, ajudando a melhorar a gestão das peças de reposição e os problemas de manutenção. O primeiro passo na estratégia de gestão de ativos é examinar a situação atual e estabelecer uma meta para a me- lhoria. Para isto é necessário identificar áreas críticas que preocupam, para prio-

rizar as necessidades gerais de melhoria e definir os objetivos em relação aos objeti- vos de toda a empresa, estabelecido pela equipe de gestão. Em seguida, examinar

a disposição dos almoxarifados existen-

tes e as ferramentas de gestão de peças, realizando uma auditoria do estoque de peças, para determinar os níveis adequa- dos de reposição de cada componente.

Em seguida, avaliar sistematicamente as linhas de produção e identificar as peças mais críticas para a operação. Quando as peças de reposição críticas forem identificadas, priorizar quais pe- ças devem estar à mão e quais podem ser fornecidas por distribuidores ou fabrican- tes em função da urgência dessas peças. Além disso, se deve realizar um acompa- nhamento do ciclo de vida de cada pro- duto individual. Quando uma peça falha, é necessário verificar se ela está dentro da garantia. Se não estiver, o reparo pode significar muito mais valor agregado do que comprar uma peça nova.

Suporte remoto: para maximizar os investimentos tecnológicos

A opção de suporte remoto pode servir como um recurso essencial para a identificação e implementação de melhorias de engenharia, que podem ajudar a aumentar a produção. Mui- tas ofertas de suporte técnico remoto permitem o acesso ao processo e a

especialistas de produtos que podem ajudar o pessoal da fábrica a obter o máximo rendimento. Esses engenheiros de suporte técnico podem ajudar a identificar e implementar trocas de programação para melhorar o rendimento e a facili- dade de conectividade do sistema. Ao mesmo tempo, o suporte à distância

do sistema. Ao mesmo tempo, o suporte à distância SUPORTE se beneficiar amplamente de uma gestão

SUPORTE

se beneficiar amplamente de uma gestão técnica personalizada. Isso funciona em essência como uma extensão do pesso- al da fábrica, onde engenheiros podem ajudar de forma remota a desenvolver e executar as metas de produção e atender consultas quando for necessário. Para empresas com sistemas de automação integrados que requerem

“Com um programa de capacitação integral, de gestão de ativos e assistência remota incluída no plano de operação, as empresas podem obter uma melhor qualidade do produto, redução de desperdícios, menor despesa com peças de reposição e substituição de hardware, e podem melhorar a prevenção de falhas. Podem obter, também, uma maior produtividade e colocação mais rápida de seus produtos no mercado por meio de operações mais flexíveis “

pode simplificar a solução de problemas mediante a identificação de problemas potenciais antes que ocorram. É importante dimensionar as opções de suporte remoto às necessidades espe- cíficas da empresa. As opções podem variar muito dependendo dos requisitos da instalação. Algumas fábricas podem

conhecimentos mais profundos, e que não tenham pessoal próprio, o suporte remoto a todo o sistema pode ser útil. Se for necessário apenas ajuda para pro- dutos ou máquinas específicas, o acesso aos engenheiros por meio de um ‘chat’ ou diretamente por telefone pode ser a opção mais eficaz.

meio de um ‘chat’ ou diretamente por telefone pode ser a opção mais eficaz. AGOSTO 2012

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

17

CASE ARGENTINA

Nestlé da Argentina moderniza fábrica de sorvetes com Rockwell Automation

moderniza fábrica de sorvetes com Rockwell Automation O s analistas da empresa avaliaram as vantagens que

Os analistas da empresa avaliaram as

vantagens que a Rockwell Automation oferecia, considerando que, na fábrica, havia uma plataforma PLC5 para contro-

le discreto, e um DCS de outro provedor,

utilizado para o controle de processos.

Ao final, a Rockwell Automation foi selecionada, pela confiabilidade e escalabi- lidade de seus sistemas, e pela capacidade de sua equipe de especialistas em imple- mentar sistemas em prazos limitados. A Nestlé é líder mundial em alimen- tação e referência em nutrição, saúde e bem-estar. Com 144 anos de existência,

a empresa está presente na Argentina

desde 1930. A fábrica de El Talar está em atividade há 40 anos. A maior parte de sua produção é distribuída no mer- cado interno, e uma parte é exportada. No ano passado, esta instalação bateu recorde de produção. Como parte de sua política de melho- ria contínua, a Nestlé Argentina realizou

uma atualização dos processos, e escolheu

a Rockwell Automation para substituir os equipamentos existentes por um sistema de Controle Distribuído PlantPAx, com-

posto de três controladores, servidores re- dundantes e três estações de operação ins- taladas em PCs industriais VersaView. No momento de escolher a Rockwell Automation, levou-se em conta a capaci- dade da empresa em realizar o empreen- dimento em apenas 15 dias. A fábrica de El Talar é responsável por todo o sorvete que a empresa produz para o mercado argentino e, por isso, a migração somente poderia ser realizada durante uma para- da de manutenção, no inverno. A Nestlé Argentina também levou em conta a vida útil do sistema e sua escalabilidade. “O sistema de controle deveria ser aberto e de última geração”, explicou Da- niel Lira, chefe técnico do departamento de engenharia da Nestlé Argentina na fá- brica em El Talar. “No caso da Rockwell Automation, por ser um sistema aberto, é possível chamar a empresa ou algum parceiro de sua rede de integradores, o que proporciona liberdade de escolha e variedade de preços para consultar.” Pesou a favor da Rockwell Automation também o fato de que a administração dos sinais digitais utilizava a plataforma PLC5. O objetivo da Nestlé era interagir com apenas uma empresa responsável.

Vantagens claras

A capacidade da Rockwell Automation em garantir a execução do projeto no prazo reduzido disponível, sua capaci- dade de integrar processos discretos e de controle, o amplo ciclo de vida de

Como parte de um plano de melhoria contínua

e com o objetivo de otimizar o funcionamento

de sua fábrica de sorvetes Frigor®, localizada em

El Talar, província de Buenos Aires, a companhia alimentícia escolheu o Sistema de Controle Distribuído PlantPAx

18 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

seus produtos e o suporte pós-venda fo- ram vantagens identificadas pela Nestlé Argentina. Em maio de 2010, o projeto da mi- gração foi iniciado. O desenvolvimen- to do sistema consumiu dois meses de desenvolvimento prévio à instalação e partida do sistema. “A equipe da Rockwell Automation trabalhou de maneira muito profissio- nal antes da instalação, tanto em seu laboratório de programação, como fa- zendo testes e simulações para poder cumprir o prazo de 15 dias. Graças ao seu detalhado programa de execuções,

a empresa pode cumprir os prazos e so- lucionar sem demora as mudanças ou situações que foram surgindo durante

a partida do sistema”, elogiou Lira. A

configuração e teste dos servidores an- tes da instalação permitiram economi- zar bastante tempo e deram ao cliente

a segurança de que o projeto seria ins-

talado em tempo. Com o sistema PlantPAx, a Nestlé da Argentina otimizou o índice de dis- ponibilidade de sua fábrica e conseguiu

reduzir os custos de peças de reposição

e serviços de assistência técnica. Além

disso, melhorou a qualidade das infor-

mações e relatórios de processos e de ma- nutenção que os operadores obtinham. A solução da Rockwell Automation integra-se na rede administrativa da em- presa e permite o acesso remoto a rela- tórios e dados de produção. Além disso,

a nova plataforma de controle permite

a integração com outros dispositivos do

sistema, como inversores de frequência e

chaves de partida suave, entre outros. “Tradicionalmente, nossa relação com a Rockwell Automation abrangia o

fornecimento de equipamentos, porém não tínhamos tido experiência com software. Mesmo assim, me senti muito confiante antes da implementação, porque já conhe- cia a empresa”, explicou Lira. “Me surpre- endeu agradavelmente, – acrescenta ele

– que o pessoal da Rockwell Automation

não tenha tido nenhuma dificuldade para entender nossa necessidade, embora ela fosse bem específica”.

Automation não tenha tido nenhuma dificuldade para entender nossa necessidade, embora ela fosse bem específica”.

FOTO: LUIZ PAULO JUTTEL/CTBE

FOTO: LUIZ PAULO JUTTEL/CTBE CASE BRASIL Planta piloto do CTBE vai testar diferentes rotas tecnológicas de

CASE BRASIL

FOTO: LUIZ PAULO JUTTEL/CTBE CASE BRASIL Planta piloto do CTBE vai testar diferentes rotas tecnológicas de

Planta piloto do CTBE vai testar diferentes rotas tecnológicas de produção de etanol celulósico em escala semi-industrial

Planta piloto implementa PlantPAx

Controle da Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) será realizado com base na tecnologia PlantPAx

O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) é uma instituição de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) na área de etanol de cana-de-açúcar, que conta, hoje, com cerca de 90 profissionais, entre biólogos, físicos, químicos, engenheiros e técnicos, e cuja equipe de pesquisa deverá contar com 130 pessoas até o final de 2012. Aberto a usuários externos, o desafio do CTBE é contribuir para a manutenção do Brasil na liderança na produção de bioetanol, buscando respostas para desafios científicos e tecnológicos em todo o ciclo produtivo. Suas instalações começaram a ser construídas no início de 2009 no campus do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), localizado no Pólo II de Alta Tecnologia

de Campinas-SP. A Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos (PPDP)

e os últimos laboratórios entraram em

operação no final de 2011. Áreas como Tratamento Físico, Pré-tratamento e Separação e Purificação de Enzimas estão em fase final de instalação ou em testes e comissionamento. Cerca de 9

mil m 2 de área construída, divididos em laboratórios de pesquisa básica, processos químicos e bioquímicos, de protótipo agrícola e uma planta piloto servem à realização de experimentos científicos e escalonamento de processos de interesse

à indústria sucroenergética. Além do orçamento proveniente do Governo Federal (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação), as atividades de pesquisa do CTBE podem ser subsidiadas por recursos resultantes de parcerias que já são mais de 20 com

empresas do setor público e privado e

por projetos aprovados em instituições de fomento à pesquisa. Segundo Celina K. Yamakawa, engenheira de Processos do CTBE, as expectativas desse projeto são:

• No curto prazo - facilitar a operação dos equipamentos, o controle de processos, aquisição e armazenamento de dados de plantas de bioetanol.

• No médio prazo - possibilitar testes com malhas de controle sofisticadas, garantir acessibilidade restrita de dados e integração com controle de ativos e passivos.

• No longo prazo - ser capaz de aplicar modelos desenvolvidos para essas malhas de controle.

Desafios

A produção de etanol de cana-de-

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

19 19

FOTOS: LUIZ PAULO JUTTEL/CTBE

CASE BRASIL

Biorreator utilizado para produzir enzimas usadas na degradação da biomassa de cana
Biorreator utilizado para
produzir enzimas usadas
na degradação da
biomassa de cana
enzimas usadas na degradação da biomassa de cana “A Rockwell Automation mostrou flexibilidade para

“A Rockwell Automation mostrou flexibilidade para fornecer soluções de acordo com as necessidades de uma planta não convencional por tratar-se de uma planta multipropósito constituído de diferentes configurações operacionais e proativa para buscar soluções durante a fase de desenvolvimento da automação”

Celina K. Yamakawa, engenheira de processos do CTBE

açúcar no Brasil apresenta uma série

de vantagens econômicas e ambientais perante outros biocombustíveis. Ainda assim, desenvolvimentos científicos

e tecnológicos são essenciais para

manter baixos os custos de produção

e alavancar a sustentabilidade dos empreendimentos na área.

Desafio

Fornecer um sistema de controle de processo flexível e robusto, com diferentes níveis de acessos locais e remotos, principalmente para projetos-pilotos que envolvem diferentes instituições e empresas

Solução

Adoção do Controle de Processo Distribuído PlantPAx para equipar toda a planta com tecnologia de ponta e, sobretudo, com o controle total (leitura e escrita) remotamente, via web, com nível elevado e restrito de acesso a usuários

20 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

Para mensurar o estágio de desenvolvimento e sucesso de uma

nova tecnologia de produção de etanol

e outros produtos da cana-de-açúcar, o CTBE desenvolveu uma Biorrefinaria

Virtual, ferramenta que usa simulação computacional de processos para avaliar

a

sustentabilidade econômica, ambiental

e

social desta tecnologia, comparada

a

uma cadeia de produção padrão do

setor. Isso significa que será possível

projetar o nível aproximado de alteração na produção de etanol, nos impactos causados ou na geração de emprego

e renda proporcionada por uma nova

tecnologia (como a de etanol celulósico) em comparação ao sistema produtivo atual. Assim, a avaliação antecipada do sucesso de um processo ou inovação tecnológica se dá sobre dados sólidos e consistentes. As propostas de otimização de novas tecnologias também têm a ganhar com o uso desta ferramenta.

Soluções

Além da competitividade comercial e da capacidade de integração oferecidas pela Rockwell Automation, a tecnologia PlantPAx veio ao encontro do que o CTBE buscava para o projeto:

• integração total da planta - processo e potência;

• otimização de controle de processo incorporada;

• plataforma de controle escalável, abrangendo dos menores aos mais sofisticados controles;

• protocolo acessível e aberto, sem itens proprietários;

• arquitetura flexível, que possibilita

importar e exportar dados com conectividade total;

e multidisciplinar, que permite

interação de vários outros equipamentos e sistemas. A importância de participar desta iniciativa do CTBE reside nos seguintes pontos principais:

O projeto é voltado a estimular os desenvolvimentos de tecnologia, tanto por parte do meio acadêmico (estudantes, mestres, doutores) quanto do meio empresarial, e todos os recursos de que se possa necessitar estão disponíveis na planta piloto, que reproduz, em escala menor, um processo industrial.

A

iniciativa parte do princípio que,

com base em estudos locais, o Brasil venha a desenvolver tecnologias de alcance mundial.

Para dar recursos a todos os níveis de pesquisa, a planta piloto é multidisciplinar, agregando várias categorias de controle. E é de grande relevância para a Rockwell Automation que sua tecnologia PlantPAx seja difundida e trabalhada, usando desde os controles mais simples até os níveis mais sofisticados, que vão viabilizar que várias pessoas ou empresas acessem

diferentes testes e pesquisas realizados numa mesma plataforma de controle.

Tem cunho técnico e educacional, o que vem ao encontro das iniciativas da empresa no sentido de multiplicar

conhecimento de sua tecnologia e fortalecer sua base instalada.

o

conhecimento de sua tecnologia e fortalecer sua base instalada. o Primeiro experimento realizado na PPDP do
conhecimento de sua tecnologia e fortalecer sua base instalada. o Primeiro experimento realizado na PPDP do

Primeiro experimento realizado na PPDP do CTBE

CASE CHILE Rockwood Litio desenvolve projetos inovadores com o apoio tecnológico e a experiência da

CASE CHILE

CASE CHILE Rockwood Litio desenvolve projetos inovadores com o apoio tecnológico e a experiência da Rockwell

Rockwood Litio desenvolve projetos inovadores com o apoio tecnológico e a experiência da Rockwell Automation

O lítio é um mineral que ganha cada vez mais relevância no mundo. O uso de baterias recarregáveis em muitas aplicações como celulares, computadores pessoais ou aparelhos MP3 permitiu um crescimento acelerado da demanda por carbonato de lítio

Neste contexto de expansão, o Chile é, hoje, o principal ator neste mercado lucrativo. Somente no Salar de Atacama estão aproximadamente 40% das reser- vas mundiais de lítio em salinas. Atualmente, um dos maiores produto- res é a Rockwood Litio – a razão social anterior era Sociedad Chilena de Litio – , que opera há mais de 30 anos neste mercado. Sua planta química, “La Ne- gra”, conta com uma plataforma de ser- viços completa fornecida pela Rockwell Automation, solução que permite à em- presa um controle eficiente da instalação e a implementação de soluções tecnológicas de vanguarda, entre outros benefícios. Apenas duas empresas produzem lítio no Chile: a SQM (ex Soquimich) e a

Rockwood Litio Ltda. Ambas representa- ram aproximadamente 42% da produção mundial de carbonato de lítio em 2011.

A Rockwood Litio foi constituída em

1980 e, no momento, pertence à empresa

de especialidades químicas Rockwood Holdings, com sede nos EUA.

A planta química da Rockwood Litio,

localizada no Bairro Industrial La Negra, a 20 km de Antofagasta (na II Região), recebe o material extraído das salinas do deserto de Atacama, que é a maior reserva mundial de lítio, com uma concentração média dez vezes superior a dos depósitos salinos dos EUA. Na planta de La Negra se prepara carbonato de lítio e cloreto de lítio, empregados em diversos campos como

pilhas e baterias, materiais cerâmicos e vidros especiais, na construção civil, indústria de alumínio e indústria far-

macêutica, entre outros. Uma das principais unidades de negócios da planta de La Negra é a Su- perintendência de Produção, da qual

dependem áreas como a produção e a manutenção, ambas dedicadas à opera- ção e controle da instalação, e adicio- nalmente, à implementação de soluções tecnológicas de vanguarda.

Soluções

A área de manutenção tem um de- partamento de instrumentação que ope- ra uma série de equipamentos de alta tec- nologia, fundamentais para o processo

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

21

CASE CHILE

CASE CHILE “Ao começar a trabalhar na empresa, em 1997, a instalação contava com uma base

“Ao começar a trabalhar na empresa, em 1997, a instalação contava com uma base instalada de PLCs modelo SLC 500 da Allen- Bradley e, em curto prazo, foi integrada uma plataforma ControlLogix”

Claudio García, chefe de instrumentação da Planta de La Negra

de controle da planta. Claudio García, chefe de instrumentação da planta de La Negra, comenta que, ao começar a trabalhar na empresa, em 1997, a insta- lação contava com uma base instalada de PLCs modelo SLC 500 da Allen-Bradley e, em curto prazo, foi integrada uma pla- taforma ControlLogix. “Antes de começar a trabalhar nesta empresa, eu atuava na área de mineração de cobre e já tinha feito alguns cursos sobre o PLC da Allen-Bradley, e por esse motivo, eu conhecia muito bem esses produtos e essa marca”, relembra ele. “Tenho uma relação profissional com a Rockwell Automation de quase 15 anos”, completou. O profissional contou que a Abmatic, na época o distribuidor oficial da Rockwell Automation no Chile, era um fornecedor reconhecido e com forte presença no mercado local. “Logo co- meçamos a desenvolver um relaciona- mento direto com o pessoal da Rockwell Automation e, desde então, eles têm nos oferecido soluções adequadas e inovado- ras”, acrescentou.

22 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

García destaca a qualidade dos ser- viços de pós-venda e de suporte técnico que a Rockwell Automation oferece. “Em sua página na internet, há diversos tipos de manuais, tudo está disponível

on-line e a documentação é adequada. Se houver algum problema, é possível so- lucionar por conta própria em uma pri- meira instância, que nos propicia maior flexibilidade, já que não dependemos exclusivamente deles”, explicou García. Atualmente, a Rockwell Automation oferece uma gama completa de produtos

e serviços para a Rockwood Litio, dentre os quais destacamos aplicações simples como relés ou botoeiras de campo e

sistemas mais complexos como CCMs inteligentes Centerline, ControlLogix e Micrologix, os variadores de frequência PowerFlex 70, switch de software ERP Stratix (desenvolvido em conjunto com

a Cisco Systems), redes de comunica-

ção industrial DeviceNet; e o sistema de medição e monitoramento de energia RSEnergyMetrix.

Vantagens

García informa que a empresa teve um salto tecnológico importante em 2004 ao mudar de um sistema CCM padrão para um sistema inteligente. “Primeiro descobrimos que a empresa fornecedora daquele equipamento ha- via fechado e o produto não era mais fabricado. A soluções que analisamos, naquele momento, eram caras e bas-

tante deficientes, até que chegamos na Rockwell Automation, fornecedor que escolhemos devido à qualidade de seus produtos e da base instalada que já havia na empresa”, relembra ele. Em sua opinião, os benefícios que

a empresa obteve foram muitos. “Com

a tecnologia fornecida pela Rockwell

Automation, hoje podemos controlar os fluxos de corrente de uma maneira sim- ples e direta. As perdas de tempo, que antes eram muito grandes, ficaram no passado”, comentou ele. “Hoje, sabemos com exatidão porque os equipamentos falham e porque as sobrecargas ocorrem. Somos capazes de administrar o sistema completo com apenas um técnico em uma planta tão grande”, acrescentou. Além disso, na área de visualiza- ção, a empresa contava com o sistema RSView, que apresentou excelentes re- sultados, e depois decidiram fazer uma atualização e migraram para a platafor- ma FactoryTalk View. “A ideia de virtu- alizar é otimizar os tempos de parada e levar a disponibilidade dos equipamen- tos a 100%”, afirmou Luis Maldonado, Chefe de TI da planta de La Negra. “Virtualizar não significa apenas conti- nuidade operacional, mas também fica independente do hardware. Agora esta- mos pensando em replicar este sistema em locais remotos, pois temos escritórios em Santiago”, acrescentou ele. Por outro lado, de acordo com o que informa García, outra vantagem que a Rockwell Automation ofereceu foi que, naquela ocasião, a empresa já tinha cir- cuitos internos com CCMs certificados pela Rockwell Automation. “Ou seja:

isso significa que, para cada novo pro- jeto gerado, nós economizamos quatro semanas na fabricação dos equipamen- tos”, acrescentou ele. Cabe ressaltar ainda que a Rockwell Automation também oferece cursos de capacitação para os projetos que neces- sitam desse serviço.

Suporte permanente

Para Maldonado, o objetivo do plano estratégico da Superintendência de Pro- dução está orientado a administrar, da melhor forma possível, as informações que os sistemas tecnológicos implemen- tados pela área de manutenção coletam.

“A meta da Administração Geral é pro-

curar desenvolver Business Intelligence na empresa e continuar inovando nesse assunto”, disse ele.

E é nesse sentido, onde a Rockwell

Automation nos tem apoiado de forma constante com aplicações e soluções de vanguarda, que eles nos ajudam a cumprir

nossos objetivos específicos. “O retorno do investimento que fizemos é um aspecto fundamental”, declarou Maldonado. Para García, a conectividade e a es- calabilidade que a planta obteve nesses últimos anos são fundamentais. “Fize- mos tudo pouco a pouco, integrando diversos tipos de sistemas fornecidos pela Rockwell Automation, o que nos permitiu construir uma sólida base de equipamentos”, disse ele. As duas áreas, TI e Instrumentação, operam hoje em absoluta concordância

e convergência, por esse motivo seu de-

senvolvimento conjunto é primordial. “A partir das necessidades próprias da tecnologia, fomos construindo redes

conjuntas como Ethernet”, explicou Maldonado. “As soluções fornecidas pela Rockwell Automation são importantes,

por exemplo, pois os dados estão sempre disponíveis. Nossas áreas de Desenvol- vimento e Engenharia utilizam muito este tipo de informação”, informou ele. “Graças a essa disponibilidade eficiente de informações, hoje temos a possibili- dade de enviar dados on-line para um sistema ERP robusto como é o software SAP”, acrescentou. Outro aspecto relevante, na opi- nião de García, é o fato de sua chefia direta mostrar um apoio permanente e desenvolver uma visão compartilha- da de como fazer as coisas na planta, que facilita muito o trabalho cotidiano. “Desenvolvemos projetos com ideias locais, desenvolvidos por nosso próprio pessoal, e rapidamente usamos a asses- soria de diversos fornecedores, que nos apoiam diariamente, como é o caso da Rockwell Automation. A partir da ex-

CASE CHILEcomo é o caso da Rockwell Automation. A partir da ex- periência deles, podemos saber ao

periência deles, podemos saber ao certo

se esses projetos serão factíveis para se executar”, explicou ele.

O profissional acrescentou que seu

chefe direto, Christian Lathrop, Supe-

rintendente de Produção, “é o incentiva- dor das ideias desenvolvidas na área de manutenção e delega plena liberdade aos funcionários para propor diversos tipos de projetos”. Assim, o suporte que a Rockwell Automation oferece em termos de co- ordenar suas ações internas para ofere- cer suporte internacional é fundamen- tal. Fornecer informações atualizadas

e o fato de poder participar em feiras

tecnológicas como a Automation Fair®

e a RSTechED são um fator adicional.

Esses eventos nos permitiram obter no- vas ideias que foram implementadas na planta. “Trabalhamos de maneira con- junta, desenvolvendo soluções persona- lizadas, de acordo com nossas necessi- dades, e sabemos que irão funcionar”, concluiu García.

dades, e sabemos que irão funcionar”, concluiu García. CASE MÉXICO Como reforçar a segurança e minimizar

CASE MÉXICOdades, e sabemos que irão funcionar”, concluiu García. Como reforçar a segurança e minimizar riscos em

Como reforçar a segurança e minimizar riscos em sua fábrica

Caso de sucesso com tecnologia Rockwell Automation no CPG La Venta, um dos nove Centros de Trabalho que compõem a Subdireção de Produção da PEMEX Gás e Petroquímica Básica

O CPG – localizado na zona Sudeste da República do México, no povoado de La Venta, município de Huimanguillo,

em Tabasco, a 133 km da cidade de Villahermosa, capital do Estado, e a 45 km da cidade de Coatzacoalcos, em Veracruz

– é um complexo que processa, em média,

182 MMPCD em condições normais de operação e produz etano C2+ e gás seco. No complexo existem duas unidades:

a unidade recuperadora de etano e de gases

liquefeitos (Unidade Criogênica), e a uni-

dade de desidratação de petróleo cru.

O CPG La Venta foi construído para

processar inicialmente o gás úmido pro- veniente dos distritos de Agua Dulce e El

Plan. A produção de gás desses distritos de exploração constituía a carga da planta de ab- sorção, que iniciou suas operações em 1963 com uma capacidade inicial de 60 MMPCD de gás doce úmido. Além disso, foi constru- ída uma fábrica de desidratação de petróleo cru com capacidade inicial de 70.000 BPD para tratar o petróleo cru do distrito de Agua Dulce. Devido à necessidade de processar uma quantidade maior de gás, em 1969 a capacidade de absorção da unidade passou para 210 MMPCD. Em maio de 1972 foi construída uma planta criogênica com ca-

pacidade de 182 MMPCD para tratar o gás proveniente dos campos recém-descobertos em Chiapas, Campeche e Tabasco.

campos recém-descobertos em Chiapas, Campeche e Tabasco. Importância dos sistemas de segurança para o setor de
campos recém-descobertos em Chiapas, Campeche e Tabasco. Importância dos sistemas de segurança para o setor de

Importância dos sistemas de segurança para o setor de petróleo e gás

A

operação de processos da in-

dústria petrolífera, incluindo seus sistemas auxiliares, convive com riscos inerentes devidos à presença de substân- cias combustíveis e atividades altamente perigosas que, em virtude das caracterís- ticas corrosivas, reativas, explosivas, tó-

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

23

CASE MÉXICO

A implementação do sistema de segurança permitiu atender os requisitos estabelecidos pela Petróleos

• Tanques e vasos de pressão - API

2510

• Tubulações - API RP 14C

Em relação às características das válvu- las:

• Resistente a fogo - ISA S84.01, API RP 553, API 2510

• Abertura rápida, estanqueidade, fun- cionalidade e confiabilidade - ISA

S84.01

Operação remota - API 2510 A e API RP 553 Nas instalações da fábrica criogênica do CPG La Venta existem 26 válvulas de isolamento operadas à distância, insta- ladas em equipamentos como linhas de entrada e saída de bombas centrífugas, compressores centrífugos, fornos, torre de destilação, turboexpansor-compres- sor e tanques de grande capacidade para armazenamento de propano e metanol. Essas válvulas já instaladas não realiza- vam a função de válvulas de isolamento operadas à distância (VIODs), pois se encontravam funcionando unicamente como tubo e, devido a isso, era necessá- rio incrementar os níveis de segurança, ao operar os equipamentos e tanques de grande capacidade, para isolá-los, em caso de ocorrer uma contingência, sem expor as pessoas e o meio ambiente. A fábrica criogênica do CPG La Venta não contava com um sistema in- dependente de segurança que permitisse, em todos os momentos, proporcionar, de forma segura, o isolamento de um equi- pamento ou de partes da fábrica, de tal forma que, em caso de incêndio ou vazamento, se limitasse a pas- sagem de materiais ou substâncias combustíveis a uma área reduzida ou a um pequeno grupo de equipa- mentos. Devido a isso, havia descum- primento das recomendações feitas por uma Auditoria de Segurança Industrial e de Proteção Ambiental (ASIPA) e, também, aumento nos custos dos prê- mios de resseguros pagos pela PEMEX Gás e Petroquímica Básica. Além disso, não eram atendidos os requisitos de ní- veis de segurança requeridos, resultan- tes das Análises de Risco dos Processos (ARP) realizados na fábrica criogênica do CPG La Venta.

Alcance da aplicação realizada

Como a planta criogênica não conta- va com um sistema de segurança para o acionamento das VIODs, era necessário implementar um sistema que atendesse os requisitos de segurança estabelecidos pelas auditorias de ASIPA e estivessem em conformidade com as normas de se- gurança vigentes. Por se tratar de um projeto a ser re- alizado em uma empresa paraestatal, foi necessário submeter a aquisição do siste- ma a um processo de licitação pública, no qual foi escolhida a melhor opção que

atendia, em sua totalidade, os requisitos técnicos, econômicos, administrativos e legais solicitados pela PEMEX Gás e Pe- troquímica Básica. A proposta que aten-

deu esses requisitos foi a da empresa Au-

tomatização Industrial do Sureste SA de

CV (Provedor de Solução da Rockwell

Automation para aplicações em petróleo

e gás), que ofereceu a tecnologia de siste-

mas de segurança ControlLogix.

O sistema proposto consistiu de

um sistema de segurança ControlLogix

com um projeto de arquitetura para

atender um nível de segurança SIL-2.

Esse sistema conta com redundância em

processadores de controle, em fontes de

alimentação para todos os racks do sis- tema, redes de controle e ControlNet re- dundante. Os processadores de controle utilizados foram da família L62 (AB), dimensionados para operar a quantidade de Entradas/Saídas (E/S) do sistema,

os
os

módulos de comunicação e as ta-

refas que devem ser realizadas pelo controlador. Na fábrica criogênica do CPG La Venta existe uma grande base instalada de sistemas de controle e segurança da família Logix, e a planta conta com a infraestrutura de comuni-

cação de uma rede ControlNet redun- dante que agrupa os sistemas existentes

com suas interfaces de operação (IHM).

Graças a isso, o sistema de segurança das VIODs foi conectado na rede ControlNet existente, utilizando, dessa forma, a IHM existente do sistema de segurança da planta. Como se trata de um sistema de se- gurança para acionamento de válvulas e

um sistema de se- gurança para acionamento de válvulas e xicas, inflamáveis e, em quantidades tais

xicas, inflamáveis e, em quantidades tais que, em caso de ocorrer uma li- beração, seja por vazamento ou por derramamento dessas substâncias, ou também por explosão, haveria um efeito significativo no meio ambiente, à população ou a seus bens. Especificamente, a existência de

grandes volumes de hidrocarbonetos com um alto potencial para gerar explosões e/ ou incêndios de grandes proporções exige

a presença de controles de processo para

a prevenção, e dispositivos para a mitiga-

ção de acidentes. Isto, adicionalmente às ações de emergência dos operadores e dos planos de emergência da instalação. Em resumo, quando o elemento fi- nal é uma válvula cuja função é isolar equipamentos, instrumentos e compo- nentes da tubulação ou isolar grandes volumes de hidrocarbonetos em um recipiente ou equipamento de proces- so, essas válvulas são denominadas de Válvulas de Bloqueio de Emergência (Válvula de Isolamento com Ativação Remota ou Válvula de Isolamento Ope- rada à Distância).

Histórico do sistema de controle de válvulas de isolamento operadas à distância

Normalmente, a seleção do local

onde as válvulas de corte rápido devem ser instaladas é resultante de uma Aná- lise de Risco de Processos, que é rea- lizada por um grupo multidisciplinar, composto de pessoas com experiência e conhecimentos de Manutenção, Opera- ção e Inspeção Técnica. São utilizadas metodologias como

‘HAZOP’ e ‘What

para analisar os

If’

riscos dos processos. É muito importante considerar as normas do setor, pois as empresas de resseguro internacional se baseiam nelas para avaliar se uma planta de processo mantém as condições de segurança ide- ais ou apresenta riscos intrínsecos.

Normas aplicáveis para a seleção de válvulas de corte rápido

Em relação à instalação em:

• Bombas, compressores, fornos e venti- lação - API RP 553 e API RP 14C

24 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

CASE MÉXICO Mexicanos para garantir e manter o Nível de Integridade de Segurança (SIL) do

CASE MÉXICO

Mexicanos para garantir e manter o Nível de Integridade de Segurança (SIL) do sistema

estas se encontram localizadas em diver- sos pontos da fábrica, foi instalado um rack de entradas/saídas remotas em cam- po, que se conectou a uma rede ControlNet redundante que passa na periferia da fábrica criogênica. O canal primário da rede foi instalado por uma via aérea, e o canal secundário, por uma segunda via subterrânea, de tal forma que se assegura a integridade da rede em caso de algum acidente físico com ela. “Em uma situação de emergência, em que o fogo poderia destruir uma das vias de comunicação entre as válvulas e/ ou sala de controle, o fato de contar com uma via alternativa e fora da área de risco permite aos operado- res manter a operabilidade do sis- tema de válvulas de corte rápido”, afirma Hector Velázquez Martínez, coordenador de produção da Unidade de Negócios 1 CPG La Venta. Como se tratava de uma aplicação de segurança, era muito importante contar com a disponibilidade de redundância na alimentação elétrica do sistema. Por esta razão, o sistema foi implementado com fontes de alimentação redundantes para todos os racks do sistema, que, por serem externas ao chassi, são alimenta- das por barramentos elétricos indepen- dentes, permitindo, dessa forma, uma grande disponibilidade de alimentação elétrica para o sistema. Uma grande vantagem que as fontes redundantes do sistema ControlLogix proporcionam é a possibilidade de mo- nitorar o estado de cada uma das fontes do sistema sem a necessidade de acessá-las diretamente, utilizando, para isso, os relés de alarme das fontes, que foram integra- dos como sinais do sistema e as IHMs foram configuradas para monitorar o estado das fontes. Para as interfaces de E/S do sistema foram utilizados módulos do ControlLogix aprovados pela TÜV para aplicações com nível de segurança SIL-2, considerando redundâncias e retroalimentações em pontos de E/S do sistema, que são indi- cados como recomendações e restrições no manual de segurança da série AB 1756 do fabricante do sistema, administrando um total de 186 sinais digitais.

A implementação do sistema de segu- rança para o acionamento das VIODs in- cluiu no escopo proporcionar ao pessoal de operação a disponibilidade de contar com diversas possibilidades de aciona- mento e visualização do estado das vál- vulas em caso de alguma contingência. Os métodos de acionamento foram:

acionamento direto da válvula em campo, acionamento em campo a uma distância de 15 metros da válvula acionada pelo sistema, acionamento com botoeira pela sala de controle, acionamento pela IHM e acionamento por meio de um sistema pneumático alternativo. Os métodos de visualização implementados foram: visuali- zação em campo por luz piloto a 15 metros da válvula, visualização por luz piloto na sala de controle e visualização por meio da IHM. “É importante mencionar que, tra- tando-se de válvulas de corte rápido com atuador de ação simples, uma falta de instrumentação ocasiona o fechamento das válvulas. Esta característica foi levada em conta ao instalar um jogo de válvulas que dá aos operadores a opção de poder bloquear manualmente as válvulas em caso de uma falha extrema do sistema digital”, diz Hector Velázquez Martínez, coordenador de produção da Unidade de Negócios 1 CPG La Venta. Como a finalidade do sistema é acio- nar as VIODs em caso de alguma con- tingência, como combate a incêndio, é necessário contar com a disponibilidade do sistema em todos os momentos. Por isso, todos os sinais foram integrados ponto a ponto com cabeamento à prova de fogo, que assegura a funcionalidade

do sistema antes, durante e depois de um combate a incêndio.

Benefícios obtidos

Entre os principais benefícios obti- dos pela realização do projeto do siste- ma de segurança para acionamento de VIODs com sistemas ControlLogix de nível de integridade SIL-2 está a melho-

ria nas condições de segurança da fábrica criogênica, atendendo às recomendações derivadas das Análises de Riscos do Pro- cesso (ARP). Ao mesmo tempo, foram corrigidas as observações de segurança feitas pela Auditoria de Segurança Indus- trial e de Proteção Ambiental (ASIPA). Como consequência, foi possível reduzir

o custo dos prêmios de resseguros pagos

pela PEMEX Gás e Petroquímica Básica

e foram atendidos os requisitos de níveis

de segurança indicados nas análises de risco nos processos (ARP) realizados na fábrica criogênica do CPG La Venta. O fato de contar com uma grande base instalada de sistemas Logix na fá-

brica criogênica ajudou o pessoal de ope- ração e de manutenção a operar o novo sistema de segurança instalado, devido

à familiaridade que já existia, ajudando

a reduzir o tempo de aprendizagem do

sistema e a centralizar as manutenções em apenas um tipo de tecnologia. Em resumo, a implementação do sis- tema de segurança para o acionamento das VIODs permitiu atender os requi- sitos estabelecidos pela Petróleos Me- xicanos para garantir e manter o grau de confiabilidade do sistema em caso de uma necessidade real de atuação, ou seja, para manter o Nível de Integridade de Segurança (SIL) do sistema.

o Nível de Integridade de Segurança (SIL) do sistema. Por se tratar de um projeto a
o Nível de Integridade de Segurança (SIL) do sistema. Por se tratar de um projeto a

Por se tratar de um projeto a ser realizado em uma empresa paraestatal, foi necessário submeter a aquisição do sistema a um processo de licitação pública, no qual foi escolhida a melhor opção que atendia, em sua totalidade, os requisitos técnicos, econômicos, administrativos e legais solicitados pela PEMEX Gás e Petroquímica Básica. A proposta que atendeu esses requisitos foi a da empresa Automatização Industrial do Sureste SA de CV (Provedor de Solução da Rockwell Automation para aplicações em petróleo e gás), que ofereceu a tecnologia de sistemas de segurança ControlLogix

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

25

SERVIÇOS

Treinamentos de agosto a dezembro de 2012

Para obter mais informações e fazer inscrições, entre em contato com o distribuidor autorizado ou com a filial mais próxima de sua região

em contato com o distribuidor autorizado ou com a filial mais próxima de sua região 26
em contato com o distribuidor autorizado ou com a filial mais próxima de sua região 26

26 AUTOMATION TODAY | AGOSTO 2012

CONTATOS Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima – JAV DA AMAZÔNIA COMERCIAL DE ELETRÔNICOS – www.jav.com.br

CONTATOS

CONTATOS Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima – JAV DA AMAZÔNIA COMERCIAL DE ELETRÔNICOS – www.jav.com.br Manaus

Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima – JAV DA AMAZÔNIA COMERCIAL DE ELETRÔNICOS – www.jav.com.br Manaus (AM) - Fone/Fax: (92) 3237-6406

Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe JAV DISTRIBUIÇÃO DE MATERIAIS ELÉTRICOS E AUTOMAÇÃO – www.jav.com.br Salvador (BA) - Fone: (71) 3026.9999 – Fax: (71) 3026.9980

Amapá, Ceará, Maranhão, Pará e Piauí JAV DISTRIBUIÇÃO DE MATERIAIS ELÉTRICOS E AUTOMAÇÃO – www.jav.com.br São Luiz (MA) - Fone/Fax: (98) 3313-8700

Espírito Santo – MACROTEC LTDA. – www.macrotec.ind.br Vitória - ES – Fone/Fax: (27) 3317-6965

Goiás, Distrito Federal e Mato Grosso – SUPPORT–COMÉRCIO DE EQUIPAMENTOS E AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL – www.supportautomacao.com.br Cuiabá - MT – Fone/Fax: (65) 3054.4267 Goiânia - GO – Fone: (62) 4006-7400 – Fax: (62) 4006-7401

Minas Gerais (exceto Sul do Estado) – MACROTEC LTDA. www.macrotec.ind.br Belo Horizonte - MG – Fone: (31) 3379-3400 – Fax: (31) 3379-3401 Uberlândia - MG – Fone/Fax: (34) 3221-5800 Ipatinga - MG – Fone/Fax: (31) 3823-9399

Paraná – ELETRONOR DISTRIBUIDORA DE MATERIAIS ELÉTRICOS www.eletronor.com.br Curitiba - PR – Fone/Fax: (41) 3217-1900 Londrina - PR – Fone/Fax: (43) 3026.8080

Rio Grande do Sul – ELETRONOR DISTRIBUIDORA DE MATERIAIS ELÉTRICOS – www.eletronor.com.br Porto Alegre - RS – Fone/Fax: (51) 3314-8000 Caxias do Sul - RS – Fone/Fax: (54) 3220-3800 Rio Grande - RS – Fone/Fax: (53) 3931.0000

Escritórios de vendas Rockwell Automation

• São Paulo (SP) - Rua Verbo Divino, 1488, 1º andar CEP 04719-904 - Tel.: (11) 5189-9500

• Belém (PA) - Tel.: (91) 3249-5600

• Belo Horizonte (MG) - Tel.: (31) 3227-4099

• Campinas (SP) - Tel.: (19) 3255-6162

• Curitiba (PR) - Tel.: (41) 3233-6623

• Rio de Janeiro (RJ) - Tel.: (21) 2484-4428

• Salvador (BA) - Tel.: (71) 3341-0888

Santa Catarina – JAV AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL – www.jav.com.br Joinville - SC – Fone: (47) 2101-8000 – Fax: (47) 2101-8001 Chapecó - SC – Fone/Fax: (49) 3321-7600 Criciúma - SC – Fone/Fax: (48) 3439-0948

São Paulo (Interior, exceto Vale do Paraíba, região de Sorocaba e Baixada Santista), Sul de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul – INTERENG AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL – www.intereng.com.br Jaboticabal - SP – Fone: (16) 3209-1700 – Fax: (16) 3209-1701 Bauru - SP – Fone: (14) 3104-7700 – Fax (14) 3104-7701 Americana - SP – Fone: (19) 3471-6600 – Fax: (19) 3471-6601

São Paulo (região metropolitana), Baixada Santista, Vale do Paraíba e região de Sorocaba LADDER AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL www.ladder.com.br São Caetano do Sul - SP – Fone/Fax: (11) 4224-0300 São José dos Campos - SP – Fone: (12) 3935-3000 – Fax: (12) 3934-1867 Sorocaba - SP – Fone/Fax: (15) 3224-2410

(12) 3934-1867 Sorocaba - SP – Fone/Fax: (15) 3224-2410 Escritórios Rockwell Automation na América Latina

Escritórios Rockwell Automation na América Latina

Escritório central para a América Latina – Tel.: 1-954-306-7900 Argentina – Tel.: 54-11-5554-4000 – www.rockwellautomation.com.ar Caribe – Tel.: 1-787-300-6200 – www.rockwellautomation.com.pr Chile – Tel.: 56-2-290-0700 – www.rockwellautomation.com.cl Colômbia – Tel.: 57-1-649-9600 – www.rockwellautomation.com.co Costa Rica – Tel.: 506-2201-1500 – www.rockwellautomation.com México – Tel.: 52-55-5246-2000 – www.rockwellautomation.com.mx Peru – Tel.: 51-1-441-5900 – www.rockwellautomation.com.pe Venezuela – Tel.: 58-212-949-0611 – www.rockwellautomation.com.ve

Telefone útil (11) 5189-9500 - Centro de Serviços ao Cliente
Telefone útil
(11) 5189-9500 - Centro de Serviços ao Cliente

www.rockwellautomation.com.br

AGOSTO 2012 | AUTOMATION TODAY

27