Você está na página 1de 171
Discoteca iDeal Música Clássica
Discoteca iDeal Música Clássica

Índice

A selecção de 258 obras desta discoteca ideal é o reflexo da escolha dos especialistas Fnac em música clássica.

Um especial agradecimento a Cristina Messias, vendedora especialista de música clássica da Fnac CascaiShopping e a Francisco Garcia, vendedor especialista de música clássica da Fnac Chiado.

Os especialistas Fnac estão sempre à sua disposição para qualquer pesquisa ou pedido complementar.

Capa:

Título

Sem título (c. 1917)

Autor

Amadeu de Souza Cardoso

Materiais

óleo sobre tela

Medidas

93,5 cm Altura 93,5 cm Largura

Nº de inventário

77P8

Col. Fundação Calouste Gulbenkian CAMJAP

Índice

 

pág.

Introdução

4

Os 50 Indispensáveis

6

Visão Cronológica da Música Clássica

12

Registos Vocais e Escalas

14

Composição e disposição da Orquestra

15

Tessituras

16

Períodos

18

Compositores

23

Recitais Instrumentais

233

Recitais Líricos

246

Compositores Portugueses

259

Compilações

281

Grandes Nomes da Música Clássica

288

Glossário

332

Introdução

Introdução

Introdução Introdução Nada se pode substituir, na Música, à experiência mágica do concerto ao vivo. Mas

Nada se pode substituir, na Música, à experiência mágica do concerto ao vivo. Mas o desenvolvimento do disco, sobretudo a partir da II Guerra Mundial, quando a tecnologia sonora se foi apurando de forma crescente com a introdução sucessiva de inovações como o LP ou a estereofonia, veio permitir o registo sistemático das obras de maiores dimensões até então reservadas à sala de concerto, a disponibilidade de múltiplas leituras das mesmas partituras por diferentes intérpretes, e de um modo geral um alargamento extraordinário do repertório gravado. O disco veio assim criar uma nova realidade, impensável ainda há pouco mais de meio século: a do acesso fácil à literatura musical de todo um milénio, do cantochão medieval às últimas produções dos compositores contemporâneos, registando ao mesmo tempo, para as obras centrais do cânone da Música erudita, uma multiplicidade de abordagens interpretativas sempre inesgotável e cada vez mais enriquecedora. É claro que esta fruição musical por via fonográfica não substitui, como dizia, a experiência directa do con- certo, mas constitui sem qualquer dúvida, por direito próprio, um outro manancial de fabulosas experiências artísticas a que, de resto, nenhum melómano poderia aceder ao vivo em tempo real, por maiores que fossem a sua mobilidade e os seus recursos.

Coloca-se agora um problema de natureza completamente diferente: face a um catálogo em constante expan- são, em que às grandes empresas multinacionais se juntam a cada momento pequenas editoras locais, como navegar neste oceano de escolhas múltiplas? Por entre as dezenas (se não mesmo, em alguns casos, centenas) de versões disponíveis das obras-primas da Historia da Música erudita, como seleccionar à partida as leituras de referência, os intérpretes de excepção, os momentos de estado de graça – por assim dizer – da história do disco clássico? É evidente que não existem nesta matéria escolhas absolutas, e que em última análise o critério do gosto pessoal do ouvinte tem de ser o critério decisivo. Um melómano experiente depressa identifica afectos e cumplicidades musicais que são arreigadamente suas – o “grão” de uma certa voz, a força rítmica de uma certa batuta, a carga lírica de um certo fraseado ao piano, a força expressiva de uma certa sonoridade

no violoncelo. E nascidas essas opções é a partir delas que decide percorrer o repertório, conduzido pelos seus intérpretes favoritos. A verdadeira “discoteca ideal” é sempre, afinal, a de cada um, a cada momento. Só que o cruzamento das escolhas individuais acaba por criar núcleos de consenso. Os itinerários do gosto pes- soal tendem a coincidir em momentos da história do disco que se revelam incontornáveis e que sobrevivem à sucessão das versões alternativas e aos caprichos da oferta do mercado. Quando Janet Baker e John Barbirolli se encontram nos Kindertotenlieder de Mahler há ali qualquer coisa de sublime e de perene que a cada vez que os ouvimos continua a deixar-nos um nó na garganta, por mais que gostemos muito de outras interpreta- ções; e o mesmo sucede com o Triplo Concerto de Beethoven às mãos de Richter, Oistrakh, Rostropovitch e Karajan, com o Cravo Bem Temperado de Bach por Gustav Leonhardt, ou com o Tristão e Isolda de Wagner com Nilsson, Windgassen, Ludwig e Böhm.

É esse o propósito deste “Discoteca Ideal Música Clássica” que a FNAC agora nos oferece: o de nos lembrar um conjunto de instantes de excepção na produção discográfica maciça das últimas décadas, uma cartografia fundamental do universo aparentemente caótico do catálogo clássico, um elenco de visões interpretativas particularmente inspiradas e marcantes que o consenso da crítica identificou em torno do repertório essencial da História da Música ocidental. A escolha final só pode ser – repito – a de cada um de nós, mas estas gran- des sugestões propostas pela FNAC têm sobre si, na maioria dos casos, o peso de um reconhecimento quase unânime que cada nova geração de ouvintes tem tendido a confirmar. Não participei no processo de selecção, mas reconheço-me em grande parte destas escolhas, e sei por experiência própria quantas horas de prazer de ouvir grande Música por grandes músicos se contêm nesta lista.

RUI VIEIRA NERY Musicólogo, Director-Adjunto do Serviço de Musica da Fundação Calouste Gulbenkian

Indispensáveis

Indispensáveis

Os 50

Os 50

Os 0 Indispensáveis

Goebel, Reinhard / Archiv Archiv

página 2

Bach

Concertos Brandenburg/Suiter Orquestrais

página página 2 Bach Concertos Brandenburg/Suiter Orquestrais Bach Paixão Segundo S. Mateus Harnoncourt / Teldec Bach

Bach

Paixão Segundo S. Mateus

Harnoncourt / Teldec

Bach

Suítes p/ Violoncelo Bach Paixão Segundo S. Mateus Harnoncourt / Teldec Bach Pablo Casals / EMI página

Pablo Casals / EMI

página

Variações GoldbergBach Suítes p/ Violoncelo Pablo Casals / EMI página  Bach G. Gould / Sony página

Bach

G. Gould / Sony

página

Quarteto Alban Berg / EMI EMI

Beethoven

Últimos Quartetos

página

Sonatas p/ PianoAlban Berg / EMI Beethoven Últimos Quartetos página  Beethoven Gilels / Deutsche Grammaphon página

Beethoven

Gilels / Deutsche Grammaphon

página

Sinfonia n.º 9p/ Piano Beethoven Gilels / Deutsche Grammaphon página  Beethoven Furtwangler / EMI página  Abbado

Beethoven

Furtwangler / EMI

página

Abbado / Deutsche Grammaphon Deutsche Grammaphon

Bizet

Carmen

página 8

Gilels / Deutsche Grammaphon Deutsche Grammaphon

Brahms

Concerto p/ piano 1 e 2

página 2

Chopin Grammaphon Brahms Concerto p/ piano 1 e 2 página 2 página 2 Nocturnos Rubinstein / RCA

página 2

Nocturnos

Rubinstein / RCA

Chopin e 2 página 2 Chopin página 2 Nocturnos Rubinstein / RCA Prelúdios Lugansky / Warner página

Prelúdios

Lugansky / Warner

página

página 88/ RCA Chopin Prelúdios Lugansky / Warner página  Fauré Requiem Herreweghe / Harmonia Mundi Gershwin

Fauré

Requiem

Herreweghe / Harmonia Mundi

Gershwin  página 88 Fauré Requiem Herreweghe / Harmonia Mundi Previn / EMI página 89 Rhapsody in

Previn / EMI

página 89

Rhapsody in Blue

página 9Mundi Gershwin Previn / EMI página 89 Rhapsody in Blue Händel Messias McCreesh / Decca Water

Händel

Messias

McCreesh / Decca

Water Musicin Blue página 9 Händel Messias McCreesh / Decca página 9 Händel Hogwood / Decca A

página 9

Händel

Hogwood / Decca

A CriaçãoMcCreesh / Decca Water Music página 9 Händel Hogwood / Decca página 99 Haydn Karajan /

página 99

Haydn

Karajan / Deutsche Grammaphon

Indispensáveis

Indispensáveis

Os 50

Os 50

Os 0 Indispensáveis

O s 5 0 O s 5 0 Os 0 Indispensáveis Haydn Quartetos Mosaïques / Naive

O s 5 0 O s 5 0 Os 0 Indispensáveis Haydn Quartetos Mosaïques / Naive

Haydn

Quartetos

Mosaïques / Naive

página 100

Mahler

Kindertoten Lieder

Baker/Barbiroli / EMI

página 110

Sinfonia n.º Mahler Kindertoten Lieder Baker/Barbiroli / EMI página 110 página 112 Mahler Boulez / Deutsche Grammaphon Quarteto

página 112

Mahler

Boulez / Deutsche Grammaphon

Quarteto para o Fim dos Temposn.º  página 112 Mahler Boulez / Deutsche Grammaphon Messiaen Ensemble Walter Boeykens Harmonia Mundi página

Messiaen

Ensemble Walter Boeykens

Harmonia Mundi

página 119

Messiaen Ensemble Walter Boeykens Harmonia Mundi página 119 Monteverdi Oitavo Livro de Madrigais La Venexiana /

Messiaen Ensemble Walter Boeykens Harmonia Mundi página 119 Monteverdi Oitavo Livro de Madrigais La Venexiana /

Monteverdi

Oitavo Livro de Madrigais

La Venexiana / Glossa

página 12

Mozart

Concertos p/ piano 1, 1 e 21

Pires / Deutsche Grammaphon

página 12

página 11piano 1, 1 e 21 Pires / Deutsche Grammaphon página 12 Mozart Flauta Mágica Klemperer /

Mozart

Flauta Mágica

Klemperer / EMI

página 112 página 11 Mozart Flauta Mágica Klemperer / EMI Mozart Requiem Bohm / Deutsche Grammaphon Part

Mozart

Requiem

Bohm / Deutsche Grammaphon

EMI página 1 Mozart Requiem Bohm / Deutsche Grammaphon Part Tabula Rasa Kremer / ECM New

EMI página 1 Mozart Requiem Bohm / Deutsche Grammaphon Part Tabula Rasa Kremer / ECM New

EMI página 1 Mozart Requiem Bohm / Deutsche Grammaphon Part Tabula Rasa Kremer / ECM New

Part

Tabula Rasa

Kremer / ECM New Series

página 1

Pergolesi

Stabat Mater

Alessandrini / Naive

página 1

Prokofiev

Pedro e o Lobo

Arthaus

página 1

Puccini

Madame Butterfly

Karajan / Deutsche Grammaphon

página 1

Madame Butterfly Karajan / Deutsche Grammaphon página 1 Puccini Tosca Sabata / EMI página 1 Purcell

Madame Butterfly Karajan / Deutsche Grammaphon página 1 Puccini Tosca Sabata / EMI página 1 Purcell

Puccini

Tosca

Sabata / EMI

página 1

Purcell

Dido e Eneias

Lewis / Decca

página 18

Rachmaninov

Ashkenazy / Decca Decca

Obras para Piano

página 12

Rachmaninov Ashkenazy / Decca Obras para Piano página 12 Rossini Barbeiro de Sevilha Gelmetti / Decca

Rossini

Barbeiro de Sevilha

Gelmetti / Decca

página 19

Indispensáveis

Indispensáveis

Os 50

Os 50

Os 0 Indispensáveis

Schoenberg O s 5 0 O s 5 0 Os 0 Indispensáveis Pierrot Lunar Boulez / Deutsche

Pierrot Lunar

Boulez / Deutsche Grammaphon

página 1

Amadeus Quartet / Deutsche Deutsche

Schubert

Quinteto “A Truta”

Grammaphon

página 180

Viagem InvernoSchubert Quinteto “A Truta” Grammaphon página 180 Schubert Fischer-Dieskau / Deutsche Gram- maphon página

Schubert

Fischer-Dieskau / Deutsche Gram-

maphon

página 18

The Jazz AlbumFischer-Dieskau / Deutsche Gram- maphon página 18 Shostakovich Chailly / Philips página 188 Shostakovich

Shostakovich

Chailly / Philips

página 188

Shostakovich The Jazz Album Shostakovich Chailly / Philips página 188 página 190 Prelúdios e Fugas Nikolayeva /

página 190

Prelúdios e Fugas

Nikolayeva / Hyperion

Schwarzkopf / EMI EMI

página 19

Richard Strauss

Quatro Últimas Canções

Sagração da Primavera/ EMI página 19 Richard Strauss Quatro Últimas Canções página 19 Stravinsky Boulez / Deutsche Grammaphon

página 19

Stravinsky

Boulez / Deutsche Grammaphon

página 19 Stravinsky Boulez / Deutsche Grammaphon Tchaikovsky Lago dos Cisnes Fonteyn/Nureyev / Deutsche

Tchaikovsky

Lago dos Cisnes

Fonteyn/Nureyev / Deutsche

Grammaphon

página 200

AidaCisnes Fonteyn/Nureyev / Deutsche Grammaphon página 200 Verdi Guadagno / Warner página 211 Verdi La Traviata

Verdi

Guadagno / Warner

página 211

página 200 Aida Verdi Guadagno / Warner página 211 Verdi La Traviata Rizzi / Deutsche Grammaphon

Verdi

La Traviata

Rizzi / Deutsche Grammaphon

página 21

Villa-Lobos

Angeles / EMI EMI

página 218

Bachianas Brasileiras

Vivaldi Villa-Lobos Angeles / EMI página 218 Bachianas Brasileiras página 221 Quatro Estações Biondi / Naive Alessandrini

página 221

Quatro Estações

Biondi / Naive

Alessandrini / Naive Naive

Vivaldi

Stabat Mater

página 222

Naive Alessandrini / Naive Vivaldi Stabat Mater página 222 Wagner Tristão e Isolda Bohm / Deutsche

Naive Alessandrini / Naive Vivaldi Stabat Mater página 222 Wagner Tristão e Isolda Bohm / Deutsche

Wagner

Tristão e Isolda

Bohm / Deutsche Grammaphon

página 22

Compilações

Maria Callas

Callas / EMI

página 2

página 2022 Compilações Maria Callas Callas / EMI página 2 Bomtempo Requiem Rogner / Numérica Canções Heróicas

Bomtempo

Requiem

Rogner / Numérica

Canções Heróicaspágina 2 página 20 Bomtempo Requiem Rogner / Numérica Lopes Graça EMI página 28 Seixas Concertos

Lopes Graça

EMI

página 28

Seixas / Numérica Canções Heróicas Lopes Graça EMI página 28 Concertos para Cravo Haugsand / Virgin página

Concertos para Cravo

Haugsand / Virgin

página 2

Visão Cronológica da Música Clássica

Música Música antiga Música barroca Período clássico Música romântica Música do século XX contemporânea
Música
Música
antiga
Música barroca
Período clássico
Música romântica
Música do século XX
contemporânea
1200
1600
1750
1800
1890
1970
2007
Ravel:
Bolero (1928)
Bernstein: West Side
Story (1957)
Charpentier:
Adams:
Te Deum (1690)
Harmonielehre (1984)
Pergolese:
Stabat Mater (1736)
Berlioz:
Schoenberg: A Noite Transfigurada (1899)
Puccini: Tosca (1900)
Debussy: Pelléas et Mélisande (1902)
Mahler: Sinfonia n.° 5 (1904)
Sinfonia Fantástica (1832)
Chopin:
Bizet:
Grande Valsa Brilhante (1834)
Carmen (1875)
Mozart:
Purcell:
Tchaikovsky:
Dido e Eneias (1689)
Don Giovanni (1787)
Requiem (1791)
O Lago dos Cisnes (1875)
Britten:
Peter Grimes (1945)
Richard Strauss:
Haendel:
O Messias (1741)
Lully:
Canto gregoriano (autor
do século VIII)
Le bourgeois
Fauré: Requiem (1892)
Dvoˇrák: Sinfonia n.° 9 (1893)
As Quatro Últimas Lieder (1948)
Messiaen:
Turangalîla-Sinfonia (1949)
gentilhomme (1670)
Bach: Variações
Wagner:
Prokofiev:
Goldberg (1742)
Verdi:
La Traviata (1853)
Tristão e Isolda (1865)
Strauss:
Stravinsky:
Haydn:
Romeu e Julieta (1935)
Gershwin:
O Belo Danúbio Azul
A Criação
Liszt:
A Sagração
da Primavera (1913)
Bach: Paixão Segundo
S. João (1724)
(1867)
(1798)
Sonata em si (1857)
Gounod: Fausto (1859)
Porgy and Bess (1935)
Shostakovich:
Gorecki:
Machaut: Missa de Notre-Dame
(século XIV)
Beethoven:
Bruckner:
Sinfonia n.° 5 (1937)
Bartók:
Sinfonia n.°7 (1884)
Música para cordas (1937)
Sinfonia n.° 3 (1976)
Glass:
Vivaldi: As Quatro Estações
(1725)
Sinfonia n.° 9 (1824)
Schubert: Der Tod
und das Mädchen (1826)
Einstein on the Beach (1976)
Pärt:
Brahms:
Tabula Rasa (1977)
Sinfonia n.°4 (1885)

Registos Vocais e Escalas

Composição e disposição mais usual da Orquestra

Registos Vocais

Femininos

Soprano

Mezzo-soprano

Contralto

Masculinos

Contratenor

Tenor

Barítono

Baixo

Escalas

Dó – C

Mi

Sol

Si

– F

– E

– D

– G

– A

– B

Timbales Bombo Caixa Trombones de Rufo Trompetes Tuba Fagotes Oboés Harpa Clarinetes Trompas Contrabaixos
Timbales
Bombo
Caixa
Trombones
de Rufo
Trompetes
Tuba
Fagotes
Oboés
Harpa
Clarinetes
Trompas
Contrabaixos
Flautas
Violinos
Violoncelos
Violas
Maestro

Tessituras

(ver pág. 338)

Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)
Tessituras (ver pág. 338)

Períodos

Períodos

Deixe-se guiar

pelas principais correntes da música clássica

Música antiga Mal determinada em termos cronológicos, a noção de música antiga abrange a época medieval, passando pelo Renascimento, até ao advento do estilo barroco, nos princípios do século XVII. Esta faixa cronológica abrange toda uma série de estilos musicais, pelo que se torna impossível propor uma definição homogénea das suas características; vemos assim suceder-se, um pouco desordenadamente, o estilo monódico do canto gregoriano, a polifonia nascida no século IX e que tem o seu apogeu no século XV, o domínio do madrigal na Itália do século XVI, bem como em Inglaterra, e o nascimento da ópera com Monteverdi.

Música barroca Classifica-se como “música barroca” aquela que foi composta durante um período relativa- mente breve, que se estende dos anos 1600 até cerca de 1750 (Bach, Vivaldi, Haendel). Tal como a arte barroca em geral, esta música distingue-se por um certo exacerbamento da sensibilidade na representação das emoções e, em particular, por um gosto pelo virtuosis-

mo, pela ostentação, pelo movimento. Mas esta exuberância estética não exclui, de forma alguma, a coerência, nem a ordem ou a profundidade. É na época barroca, marcada pelo aparecimento do baixo contínuo, que se desenvolvem, em particular, a cantata, a oratória e a ópera. No entanto, a uniformidade não é regra e os estilos divergem entre músicos italianos, ingleses e franceses.

Música clássica Respondendo a um certo ideal de harmonia, de comedimento e de simplicidade, o estilo clássico, na música, corresponde a uma época que facilmente se pode resumir à sua tríade emblemática dos mestres vienenses Haydn, Mozart e Beethoven. Porém, não se limita ape- nas a estes, estendendo-se aproximadamente de meados do século XVIII até ao princípio do século XIX. O equilíbrio é a palavra-chave desta estética, que irá desenvolver em particular o repertório orquestral.

Música romântica O romantismo, que lhe sucede no século XIX, inscreve-se como reacção e enaltece com veemência o primado da individualidade artística. Exprime igualmente um certo gosto pelo lendário medieval e nacional, como em Wagner, por exemplo. Por fim, é a época em que o piano adquire o seu estatuto de instrumento vedeta (Chopin, Liszt).

Períodos

Períodos

Música do século XX

O último século foi, como sabemos, rico em ressaltos históricos e o domínio musical também

não escapou a isso! As últimas décadas do século XIX assistiram à extinção progressiva dos últimos focos do Romantismo, mas no século XX novas vias musicais se abririam, com o

questionar da tonalidade, adoptado por compositores como Schoenberg, Webern e Berg, e que tem sido desenvolvido e aprofundado pelos seus herdeiros, ou recusado e contraposto

pelos seus detractores, até aos dias de hoje. Porém, o conceito que verdadeiramente define

o século é a inesgotável diversidade de estilos e tendências, patente nas obras de Ravel, Stravinsky, Bartók, Janacek, Shostakovich, Britten, Messiaen ou John Adams.

Ópera De uma maneira geral, é costume datar o nascimento do mais popular dos géneros musi- cais com a criação do Orfeo de Monteverdi, em 1607. A partir daí, de querela em querela, não mais deixaria de evoluir, embora se tenha mantido sempre aquilo que era então: teatro musicado. Enquanto, nos seus primórdios, a ópera era fortemente marcada pela sua dimen- são dramática e poética, na época barroca, o canto propriamente dito começaria a resgatar progressivamente o primeiro lugar, com o aparecimento do “bel canto”. As óperas de Mozart viriam, em seguida, a representar o equilíbrio ideal entre Música e Teatro; com Wagner, a

orquestra sai virtualmente do fosso para se tornar um personagem de pleno direito. Por fim,

a grande popularidade do género deve-se igualmente às obras italianas do século XIX.

Música sacra Designam-se tradicionalmente por este termo todas as obras compostas de carácter religio- so. Recorrem constantemente à voz, já que colocam em música os textos sagrados, quer se trate simplesmente de missa ou de salmos, desde passagens dos Evangelhos até à própria narrativa da Paixão de Cristo, passando ainda por muitos outros. A música sacra constitui a base da música ocidental, já que, na Idade Média, representava a essência da produção musical. A diversidade dos textos, dos ritos e das meditações espirituais, bem como as evo- luções da sensibilidade religiosa através dos séculos, fazem da música sacra um mundo de uma riqueza inquestionável. “Sem música, a vida seria um erro.”

Depois do silêncio, a música é o que melhor exprime o inexprimível.

Aldous Huxley

Compositores

Compositores

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Adams, John (n. 19)

Bach, Johann Sebastian (18-10)

EUA

Alemanha

Contemporâneo

Barroco

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Concerto para Violino / Shaker Loops

Gidon Kremer

Nonesuch

Concerto que conta as raízes de Adams nas suas texturas e ligações minimais. A sua for- ma de construção musical característica con- duz-nos, por blocos segmentados, “a contar um todo” de emoções progressivas. Esta pri- meira gravação vive da energia magnética de Gidon Kremer.

meira gravação vive da energia magnética de Gidon Kremer. Outras boas escolhas Cravo Bem Temperado –

Outras boas escolhas

CrAvo beM TeMPerAdo – Livro 1

(LeoNhArdT, GuSTAv) dhM

Compositores

Compositores

3 564705 003171

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Bach, Johann Sebastian (18-10)

Alemanha

Barroco

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Outras boas escolhas

tão grande. Será possível existir música mais humana? Outras boas escolhas Paixão Segundo S. Mateus Nikolaus

Outras boas escolhas

MiSSA eM Si MiSSA eM Si

(herreweGhe)

hArMoNiA MuNdi

PAiXÃo SeGuNdo S. MATeuS PAiXÃo SeGuNdo S. MATeuS PAiXÃo SeGuNdo S. MATeuS

 

(LeoNhArdT) bMG

(GArdiNer,

Sir JohN eLioT) ArChiv

(herreweGhe)

hArMoNiA MuNdi

 

(GArdiNer,

Sir JohN eLioT) ArChiv

2

Compositores

Compositores

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Bartók, Béla (1881-19)

Hungria

Contemporâneo

Beethoven, Ludwig van (10-182)

Áustria

Clássico

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Outras boas escolhas

CoNCerTo PArA orqueSTrA CoNCerTo PArA PiANo

8

(bouLez) deuTSChe GrAMMoPhoN (ANdA/FriCSAy) deuTSChe GrAMMoPhoN

deuTSChe GrAMMoPhoN (ANdA/FriCSAy) deuTSChe GrAMMoPhoN Outras boas escolhas Concertos para Piano Alfred Brendel /

Outras boas escolhas

CoNCerToS PArA PiANo 4 e 5

(GiLeLS) eMi

9

Compositores

Compositores

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Biber, Heinrich Ignaz Franz von (1-10)

Bingen, Hildegard von (1098-119)

Boémia / Actual República Checa

Alemanha

Barroco

Medieval

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Outras boas escolhas

requieM

(MCCreeSh)

ArChiv

sua vitalidade e diferença. requieM  (MCCreeSh) ArChiv Outras boas escolhas 11 000 Virgens Anonymous

Outras boas escolhas

horTuS deLiCiAruM

(LeSNe)

oPuS 111

Compositores

Compositores

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Britten, Benjamin (191-19)

Inglaterra

Contemporâneo

Bruckner, Anton (182-189)

Áustria

Pós-Romântico

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Outras boas escolhas

War Requiem

Benjamin Britten

Decca

Britten é, para muitos o grande compositor britânico de século XX. Esta obra, escrita para os solistas escolhidos nesta gravação, Pears/Ficher-Dieskau/Vishneshkaya, demons- tra a sua sensibilidade e visão para este tema, em que se procura a reconciliação do período pós-guerra.

em que se procura a reconciliação do período pós-guerra. Outras boas escolhas Sinfonia n.º 9 Bruno

Outras boas escolhas

GuiA doS JoveNS à orqueSTrA PeTer GriMeS

(briTTeN)

deCCA

SiNFoNiA N.º 4 SiNFoNiA N.º 7

(bohM) deCCA

(ATherToN) ArThAuS

(CeLibidAChe) eMi

Compositores

Compositores

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Chopin, Fryderyk Franciszek (1810-189)

Couperin, François (18-1)

Polónia

França

Romântico

Barroco

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Prelúdios

Nikolai Lugansky

Erato

Estes prelúdios, miniaturas pianisticas, de pura musicalidade e de uma notável densida- de, contam-se entre as obras mais importan- tes do compositor. Lugansky, o jovem pianista russo que se impôs na última década como um dos melhores solistas da sua geração, apresenta aqui um Chopin magnífico pela cla- reza e poesia de sonoridades, no grande virtuo- sismo que é, em primeiro lugar, inteligência.

virtuo- sismo que é, em primeiro lugar, inteligência.  Música para Tecla Angela Hewitt Hyperion Bach,

Compositores

Compositores

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.

Liszt, Franz (1811-188)

Lully, Jean-Baptiste (12-18)

Hungria

França

Romântico

Barroco

Passe este código de barras no ponto de escuta FNAC e oiça o disco correspondente.
Passe este código de barras
no ponto de escuta FNAC e
oiça o disco correspondente.

Outras boas escolhas

Obras para Piano

György Cziffra

EMI Classics

Cziffra, desaparecido em 1994, era dotado de uma capacidade de interpretação excepcional que não tinha nada de comum com os outros. No disco, reconhece-se imediatamente o seu toque, pelo virtuosismo, a energia e a fluidez sobre o teclado. Estas torrentes de traçados, de uma suavidade infinita, parecem fazer des- cer em cascata os acordes mais delicados. E será que alguém conhece verdadeiramente o elevado grau de virtuosismo que o piano de Liszt requer?

obrAS PArA PiANo obrAS PArA PiANo

(breNdeL)

reGiS

(boLeT) deCCA

PArA PiANo obrAS PArA PiANo (breNdeL) reGiS (boLeT) deCCA Suítes Jordi Savall Alia Vox Compositor, músico,