Você está na página 1de 12

RELATÓRIO DE QUÍMICA ANALÍTICA II

ESPECTROMETRIA DE MASSA COM PLASMA INDUTIVAMENTE ACLOPADO:

Determinação de Metais em Água Mineral

1.

INTRODUÇÃO

A espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado (ICP-MS) é uma técnica que tem como principal vantagem a possibilidade da análise multielementar e a sua sensibilidade que também irá permitir a determinação de elementos em baixas concentrações em diversas matrizes. A técnica se baseia na separação e na posterior contagem de íons formados quando o aerossol, resultante da nebulização de uma solução estudada, atravessa um plasma de argônio.

No seguinte trabalho, buscou-se determinar a concentração de metais, como Cromo, Níquel, Cádmio, Chumbo, Arsênio e Prata em amostra de água mineral por meio da técnica apresentada.

2. OBJETIVOS

Determinação das concentrações dos metais Cr, Ni, Cd, Pb, As e Ag em amostra de água por meio da técnica de ICP-MS;

Obtenção dos limites de detecção (LD) para cada análise.

3. MATERIAIS E MÉTODOS

3.1.Materiais

Amostra de água;

Padrões dos metais nas concentrações 0,5, 1,0, 2,5, 5,0 e 10 µg/L;

Equipamento de ICP-MS.

3.2.Metodologia

Vazão do gás principal: 15 L/min;

Vazão do gás auxiliar: 1,2 L/min;

Vazão do gás nebulizador: 1,1 L/min.

Escolha dos Isótopos apropriados, ou seja, elementos com mesmo número de prótons, Tabela 1.

Tabela 1. Isótopos selecionados para o experimento.

Analito

Massa

g/mol

Cr

50

Cr

52

Ni

58

Ni

60

Cd

106

Cd

108

Pb

204

Pb

206

As

75

Ag

107

Ag

109

3.2.2.

Procedimento

Primeiramente aspiraram-se os padrões e anotaram-se os valores de cps para a construção da curva analítica. Após, aspirou-se a amostra de água e os valores de cps foram anotados para cada isótopo. O branco foi aspirado para a obtenção dos desvios- padrões para o posterior cálculo do Limite de Detecção. E, por meio da curva de calibração, determinou-se a concentração de cada elemento na amostra.

4. RESULTADOS E DISCUSSÕES

Na Tabela 2 encontram-se dispostos os valores dos cps obtidos com os padrões dos metais analisados em diferentes concentrações. Após, foram construídas curvas de calibração para cada metal, como mostram as Figuras 1, 2, 3, 4, 5 e 6.

Tabela 2. Dados para a construção das curvas de calibração.

Concentrações µg/L

0

0,5

1

2,5

5

10

Analito

Massa

CPS

CPS

CPS

CPS

CPS

CPS

Cr

50

316

850

1556

3447

6534

12713

Cr

52

14388

23793

34482

64358

117713

217592

Ni

58

0

4106

10092

28086

57677

113881

Ni

60

314

2528

4995

12223

24192

47000

Cd

106

0

168

356

877

1810

3457

Cd

108

0

128

259

621

1377

2537

Pb

204

17

324

665

1641

3339

6354

Pb

206

249

5672

11174

27765

55769

107644

As

75

66

1709

3381

8363

17253

33599

Ag

107

117

9181

18232

44942

91071

178725

Ag

109

107

8699

17351

43139

87024

169013

Cromo

250000 y = 20406x + 14101 200000 R² = 0,9999 150000 Cr 50 Cr 52
250000
y = 20406x + 14101
200000
R² = 0,9999
150000
Cr 50
Cr 52
100000
50000
y = 1243,1x + 299,65
R² = 0,9999
0
0
2
4
6
8
10
12
CPS

Concentração µg/L

Figura 1. Curva de Calibração para o Cromo 50 e 52.

Níquel

140000 120000 y = 11508x - 800,65 R² = 0,9997 100000 80000 60000 40000 20000
140000
120000
y = 11508x - 800,65
R² = 0,9997
100000
80000
60000
40000
20000
y = 4684x + 375,89
R² = 0,9998
0
0
2
4
6
8
10
12
-20000
CPS

Concentração

Ni 5880000 60000 40000 20000 y = 4684x + 375,89 R² = 0,9998 0 0 2 4

Ni6080000 60000 40000 20000 y = 4684x + 375,89 R² = 0,9998 0 0 2 4

Figura 2. Curva de Calibração para o Níquel 58 e 60.

 

Cádmio

 

4000

3500

y = 346,83x + 15,63 R² = 0,9993 y = 255,84x + 12,224 R² =
y = 346,83x + 15,63
R² = 0,9993
y = 255,84x + 12,224
R² = 0,9976

106y = 346,83x + 15,63 R² = 0,9993 y = 255,84x + 12,224 R² = 0,9976

Cd

Cd

108y = 346,83x + 15,63 R² = 0,9993 y = 255,84x + 12,224 R² = 0,9976

3000

2500

CPS

2000

1500

1000

500

0

 

0

2

4

6

8

10

12

 

Concentração µg/L

 

Figura 3. Curva de Calibração para o Cromo 106 e 108.

 

Chumbo

 

120000

 

100000

y = 10772x + 600,76 R² = 0,9997
y = 10772x + 600,76
R² = 0,9997

y = 637,16x + 38,997 R² = 0,9994

204y = 10772x + 600,76 R² = 0,9997 y = 637,16x + 38,997 R² = 0,9994

Pb

Pb

206y = 10772x + 600,76 R² = 0,9997 y = 637,16x + 38,997 R² = 0,9994

80000

CPS

60000

 

40000

20000

0

 

0

2

4

6

8

10

12

 

Concentração

Figura 4. Curva de Calibração para o Chumbo 204 e 206.

Arsênio

40000 35000 y = 3367,1x + 65,888 R² = 0,9998 30000 25000 20000 15000 10000
40000
35000
y = 3367,1x + 65,888
R² = 0,9998
30000
25000
20000
15000
10000
5000
0
0
2
4
6
8
10
12
CPS

Concentração

As 75

Figura 5. Curva de Calibração para o Arsênio 75.

Prata

200000 180000 y = 17888x + 397,79 160000 R² = 0,9999 140000 120000 100000 80000
200000
180000
y = 17888x + 397,79
160000
R² = 0,9999
140000
120000
100000
80000
60000
y = 16930x + 611,66
R² = 0,9998
40000
20000
0
0
2
4
6
8
10
12
CPS

Concentração

Ag 107100000 80000 60000 y = 16930x + 611,66 R² = 0,9998 40000 20000 0 0 2

Ag 109100000 80000 60000 y = 16930x + 611,66 R² = 0,9998 40000 20000 0 0 2

Figura 6. Curva de Calibração para a Prata 107 e 109.

Os valores de cps obtidos para amostra de água encontram-se na Tabela 3 e a partir desses, pode-se obter o valor da concentração de cada elemento e seus isótopos estudados.

Tabela 3. Cps medidos com amostra de água.

Analito

Massa

CPS

RSD

Cr

50

-536

56,793

Cr

52

9034

12,177

Ni

58

-866

10,681

Ni

60

132

20,9

Cd

106

0

2050,166

Cd

108

3

167,625

Pb

204

-4

19,601

Pb

206

50

5,6

As

75

1918

23,428

Ag

107

24

30,124

Ag

109

27

17,252

Para os valores de cps que foram negativos, na realidade são nulos, pois não há sentido uma contagem por segundo ser negativa.

Cálculo das Concentrações

a. Cromo 50

b. Cromo 52

c.

Níquel 58

d. Níquel 60

e. Cádmio 106

f. Cádmio 108

g. Chumbo 204

h. Chumbo 206

i. Arsênio 75

j. Prata 107

k. Prata 109

A partir dos dados obtidos para cada elemento, a determinação da concentração apenas foi possível para o Arsênio (75). De acordo com o modelo linear obtido com base nos dados experimentais, as demais concentrações encontradas foram negativas. Porém, valores de concentração negativos não são possíveis fisicamente. Estes resultados acontecem devido ao fato do modelo ser obtido apenas para valores superiores a 0,5 µg/L. Isso evidencia que, para cps pequenos, se faz necessário obter uma curva de calibração com valores menores de concentrações.

Em relação aos Limites de Detecção (LD) medidos com os brancos das amostras, ou seja, a menor concentração da substância em análise que pode ser detectada, mas não necessariamente quantificada, tem-se as seguintes relações:

Logo, isolando o Desvio Padrão, tem-se:

Assim, o LD pode ser determinado:

Os valores obtidos, substituindo os respectivos valores na equação acima, encontram-se na Tabela 4.

Tabela 4. Dados para o cálculo do Limite de Detecção para cada elemento.

Analito

CPS

RSD

Inclinação da

LD (ppb)

reta

Cr (50)

-86

16,519

1243,1

0,03428

Cr (52)

8462

1,623

20406

0,02015

Ni (58)

-1409

11,908

11508

0,04374

Ni (60)

40

8,122

4684

0,00208

Cd

(106)

-1

177,518

347,52

0,01532

Cd

(108)

-1

309,740

256,37

0,03624

Pb

(204)

2

87,410

637,16

0,00823

Pb

(206)

19

11,691

10772

0,00062

As (75)

48

6,606

3367,1

0,00282

Ag

(107)

19

10,285

17888

0,00033

Ag

(109)

19

8,318

16930

0,00028

Através dos Limites de Detecção obtidos, foram determinadas as menores concentrações em que os elementos seriam detectados durante o experimento. Por esse motivo, alguns valores não foram possíveis de serem detectados, pois esses deveriam se encontrar em concentrações inferiores a LD.

5.

CONCLUSÃO

Através da técnica realizada de ICP-MS foi possível determinar apenas a concentração do elemento Arsênio (75) em amostra de água. Plotando-se as curvas de calibração notou-se a linearidade do modelo para os pontos medidos, sendo o R² quase unitário em todas as análises. Contudo, como as curvas de calibração foram construídas apenas para valores de concentração superiores a 0,5 , algumas concentrações não foram detectadas pelo equipamento devido à falta de dados inferiores a concentração mínima trabalhada.