Você está na página 1de 25

CONTABILIDADE I (CONCEITOS BÀSICOS)

UNIDADE II – Patrimônio

1. Definição
O patrimônio como um conjunto de bens, direitos e obrigações vinculados a uma
pessoa ou a uma entidade. Podemos ainda defini-lo como conjunto de bens econômicos, ou
conjunto de bens com fim específico.

2. BENS, CAPITAL E PATRIMÔNIO

Dadas as afinidades entre os três termos, vamos conceituá-los, para que se possa
fazer perfeita distinção entre eles.
Necessário se faz, também, para conceituação do que seja bem, estabelecer a
distinção entre coisa, bem e riqueza.

2.1 Noção de coisa, bem e riqueza

Coisa - Coisa é o que simplesmente existe na natureza, independente da vontade e da in


tervenção do homem, como, por exemplo, a terra, os rios, as árvores e o ar.

Bem - Para satisfazer suas necessidades, o homem utiliza-se das coisas, transformando-
as em bens. As coisas corpóreas transformam-se em bens quando recebem destinação útil à
satisfação das necessidades humanas. Por exemplo, o fruto sisvestre é coisa até que o
homem o colha, transformando-o em utilidade, para satisfazer uma de suas necessidades
essenciais, a da alimentação; o rio transforma-se em bem quando o homem o utiliza para a
navegação ou aproveita suas águas para outras finalidades.

Riqueza - Alguns bens não são conseguidos facilmente, porque sua quantidade é limitada.
Esses são chamados bens econômicos, porque essa limitação lhes dá valor de troca. São
bens desejados e raros, chamados riqueza.

Riqueza, portanto, é tudo o que é útil, limitado, material e apropriável.

2.2 Classificação dos bens

Várias são as classificações dos bens, segundo o aspecto em que são considerados.
Assim, a classificação mais importante para a Contabilidade é a que divide os bens em
corpóreos e incorpóreos, também chamados materiais e imateriais, ou tangíveis e
intangíveis. Como bens materiais, podemos citar imóveis, móveis, máquinas, mercadorias
etc. Como imateriais, os créditos (valores a receber de terceiros), marcas, patentes etc.

De acordo com a destinação que recebem, os bens materiais podem ser classificados
da seguinte forma:
Destinados à instalação: Prédios e terrenos, Móveis e utensílios e Instalações diversas.

Destinados à produção: Maquinismos e acessórios, Instrumentos e ferramentas


Equipamentos diversos.

Destinados à transformação: Matérias-primas, Materiais diversos e Produtos químicos.

Destinados ao consumo: Materiais de escritório, Selo postais e Materiais diversos


consumíveis.

Destinados à circulação: Dinheiro em Caixa e Bancos, Títulos de livre circulação.

Destinados à defesa: Aparelhos contra incêndio e Armas e munições.

Destinados ao transporte: Veículos.

Destinados às comunicações: Instalações telefônicas, radiofônicas e de telecomunicação.

Destinados à venda: Comprados pela empresa: mercadorias e Produzidos na empresa:


produto, subprodutos e resíduos.

2.3 Capital

Quando os bens são utilizados na produção de outros bens, denominamo-los capital.


Nas entidades com objetivo econômico, isto é, com finalidade de lucro, todos os
bens que compõem seu patrimônio têm por fim a produção de outros bens. Por essa razão, o
patrimônio dessas entidades recebe também a denominação de capital.
Assim, o ativo do patrimônio (bens e direitos) são os capitais aplicados; o passivo
(obrigações e patrimônio líquido) representa os capitais obtidos para a aplicação no ativo.

Em contabilidade a palavra capital é habitualmente utilizada para representar a


importância com que o proprietário inicia suas atividades. Após determinado período de
atividades, essa importância inicial sofre modificações, pois o objetivo das empresas
(entidades com fins econômicos) é exatamente o aumento de suas riquezas. A conta
representativa do capital permanecerá com seu valor inicial até que sejam modificados os
atos constitutivos da empresa ( contrato social ou estatutos), nos quais o capital é fixado.

A variação aumentativa do capital aparece em outras contas, como de Reservas ou


Lucros, denominando-se capital real a soma de todos esses valores, isto é , o capital inicial
mais as reservas e os lucros decorrentes da atividade economia.

Essa soma chama-se também patrimônio líquido, porque é a parte do patrimônio


que realmente pertence a seus titulares (proprietários de ações ou quotas de capital).

Vendidos todos os bens, recebidos os créditos e pagos os débitos, o proprietário do


patrimônio estará de posse de uma importância líquida, que é seu capital. Não se deve
confundir, entretanto, capital com dinheiro. O excesso que o proprietário detém em suas
mãos pode ser representado por outros bens e direitos que não o dinheiro, o que não deixa
de ser capital.

Nota-se, portanto, que a terminologia capital é utilizado somente nas entidades com
fins lucrativos, não se admitindo o uso dessa expressão quando se trata de patrimônio de
entidades com fins ideais ou sociais (não-econômicos).

2.4 Patrimônio

O patrimônio forma-se por acumulação de bens.

O patrimônio compõe-se de uma parte positivas, denominada Ativo, e de outra


negativa, denominada Passivo.

O ativo é formado por bens e direitos, e o passivo, por obrigações. O excesso do


ativo sobre o passivo representa o capital, também chamado, como dissemos, patrimônio
líquido, parcela esta que aparece no passivo, para completar a igualdade entre o total do
ativo e o do passivo. A essa igualdade denominamos equação patrimonial.

2.5 Patrimônio como fundo de valores

A Contabilidade estuda os componente patrimoniais como um conjunto de bens


econômicos. Nesta acepção, consideram-se os direitos como bens em poder de terceiros,
assim como as obrigações como bens pertencentes a terceiros, mas que se encontram em
mãos do titular do patrimônio.

A Contabilidade estuda os componentes patrimoniais em seus aspectos qualitativos


e quantitativos. No aspecto qualitativo, eles são classificados de acordo com a natureza e a
destinação de cada um dos bens, direitos ou obrigações de acordo com a natureza e a
destinação de cada um dos bens, direitos ou obrigações que formam esse patrimônio e são
representados por contas, como: Caixa, Mercadorias, Conta a Receber, Móveis, Máquinas,
Imóveis, Contas a Pagar etc.
Analisados do ângulo quantitativo, esses elementos são considerados sob um
aspecto homogêneo, que é o da tradução monetária de seus valores.
Sob esse aspecto, o patrimônio representa um fundo de valores, exibindo, de um
lado, os valores positivos (bens e direitos) e, de outro, os negativos (obrigações).
A diferença entre os valores positivos e negativos é chamada SITUAÇÃO
LÍQUIDA, como veremos adiante.
O ativo do patrimônio, também chamado parte positiva, é constituído por bens e
direitos, e o passivo, também chamado parte negativa, pelas obrigações.

2.6 Patrimônio como investimento e como fonte de financiamento.

O ativo patrimonial compreende as aplicações de capitais em bens e direitos,


variando essa aplicação de acordo com a natureza da empresa; o passivo patrimonial
compreende a origem dos capitais, ou seja, a fonte de onde provêm.
2.6. Investimentos patrimoniais

De acordo com a natureza das entidades econômico-administrativas e os fins a que se


destinam, os bens e direitos que compõem seu ativo recebem destinação específica,
necessária à consecução de seus objetivos.
Em face da divergência de naturezas e finalidades das entidades, não podemos
estabelecer classificação uniforme, de componentes patrimoniais para todas elas, mas
podemos criar grupos gerais, comuns a todas, embora os bens e direitos tenham diversas
classificações dentro desses grupos, de acordo com a natureza da entidade, a destinação dos
bens e o prazo de realização dos direitos, isto é, de seu recebimento. Um prédio, um veículo
ou um imóvel, por exemplo, não têm a mesma destinação em todas as entidades, pois umas
os destinam a uso próprio e outras, à venda. O mesmo ocorre com certos bens, ou mesmo
com créditos da entidade (direitos) que podem existir em algumas e não existir em outras,
de acordo com suas finalidades.
Em todas as entidades encontramos, entretanto, capitais aplicados em valores
disponíveis, de livre circulação; capitais aplicados em bens circulantes, destinados à
movimentação econômica incluindo bens que podem ser convertidos em dinheiro, assim
como créditos que podem ser recebidos; capitais aplicados em bens fixos, não destinados à
movimentação econômica, mas apenas como meios ou instrumentos para o alcance dos fins
a que se destina a entidade; capitais aplicados em valores transitórios, cuja destinação ou
consumo se dará em exercícios futuros.
Essa classificação não é uniforme para todas as entidades, pois naquelas com fins
lucrativos há ocorrências que não se verificam em entidades com meramente sociais.
Nem mesmo para as entidades com fins lucrativos é possível estabelecer classificação
uniforme, pois elas variam de acordo com a natureza da atividade.

No Brasil, atendendo ao disposto na Lei nº 6.404/76 (lei das sociedades por ações),
adotamos a classificação dos componentes patrimoniais nos seguintes grupos:

ATIVO PASSIVO
A. Ativo Circulante A. Passivo Circulante
a. Disponível B. Exigível a Longo Prazo
b. Créditos C. Resultados de Exercícios Futuros
c. Estoques D. Patrimônio Líquido
d. Valores Mobiliários a. Capital
e. Despesas Diferidas b. Reservas
B. Realizável a Longo Prazo c. Lucros
C. Ativo Permanente
a. Investimentos
b. Imobilizado
c. Ativo Diferido
Total Total

2.7 Fontes de financiamento


Se o ativo indica a aplicação dos capitais e o passivo a origem desses capitais,
teremos a representação, através das contas do passivo, das fontes de financiamento para
formação do ativo.
Nas entidades com fins lucrativos (empresas), o patrimônio se forma com a dotação
de um capital inicial, aplicado por seu titular. Esse capital sofrerá variações,aumentativas e
diminutivas, mas será sempre a parcela que pertence aos proprietários e que lhes caberá em
caso de liquidação de haveres e conseqüente paralisação das atividades patrimoniais.
A atividade econômica não prescinde, entretanto, da utilização de capitais de
terceiros, seja como decorrência do próprio funcionamento da empresa (fornecimento de
matérias-primas, mercadorias e outros materiais), seja em forma de financiamentos para seu
desenvolvimento (empréstimo de terceiros).
Nessas condições, poderemos dividir as fontes de financiamento em dois grupos:
Capitais próprios e Capitais de terceiros.
Os capitais próprios distinguem-se, de acordo com sua origem, em dois grupos:
(1) aqueles que tiveram sua origem fora do patrimônio e que foram fornecidos por seu
titular; (2) aqueles que se originaram da própria atividade patrimonial, como lucros e
reservas.
Os capitais de terceiros também merecem classificação, de acordo com sua origem,
em : (1) débitos de funcionamento, que são os decorrentes da atividade normal da empresa,
como fornecimento de matérias-primas, mercadorias, serviços e materiais diversos; (2)
débitos de financiamento, assumidos para ampliação e desenvolvimento da empresa, tias
como os decorrentes de empréstimos bancários, emissões de debêntures e financiamentos
obtidos a longo prazo.

2.8 Situação líquida do patrimônio

Genericamente, a diferença entre o ativo e o passivo do patrimônio pode ser


chamada de situação líquida, podendo o patrimônio apresentar três situações líquidas:

1ª situação: O ativo é maior que o passivo, resultando uma situação líquida ativa,
também chamada positiva, superavitária ou favorável. Nessa situação, em que se evidencia
o chamado patrimônio líquido, é que aparece o capital.

2ª situação: O ativo é menor que o passivo, donde resulta uma situação líquida
passiva, também denominada negativa, deficitária ou desfavorável. Nesse caso, todo o
capital foi absorvido havendo ainda um déficit patrimonial, chamado de passivo a
descoberto.

3ª situação: O ativo é igual ao passivo, donde resulta uma situação nula ou


compensada. Nesse caso o capital foi absorvido e todo o patrimônio pertence a terceiros,
pois o total dos bens e direitos é igual ao das obrigações.

O aumento da situação líquida positiva, ou a diminuição da situação líquida


negativa, acarreta aumento da riqueza do titular do patrimônio; a diminuição na situação
líquida positiva ou aumento na situação liquida negativa resulta em diminuição da riqueza
patrimonial.
O lucro ou o prejuízo, entretanto, embora modifiquem quantitativamente a situação
líquida, podem não representar a mudança de uma situação positiva em negativa, ou vice-
versa, pois a empresa pode apresentar prejuízo em determinado exercício mas continuar
com a situação líquida positiva, embora diminuída, desde que a diminuição seja inferior ao
patrimônio líquido existente.

ESTUDO DIRIGIDO

1. Que é Patrimônio?

2. Que é bem ? Cite exemplos.

3. Que são direitos? Cite exemplos.

4. Que são obrigações? Cite exemplos.

5. Que é capital?

6. Que é ativo?

7. Que é passivo?

8. Que é equação patrimonial?

9. Que se entende por patrimônio como fundo de valores?

10. Que se entende por aspecto qualitativo do patrimônio?

11. Que se entende por aspecto quantitativo do patrimônio?

12. Que é situação patrimonial líquida?

13. Que se entende por patrimônio como investimento e como fonte de financiamento?

14. Que é investimento patrimonial?

15. Que são fontes de financiamento?

16. Que é patrimônio líquido?

ATIVIDADES PRÁTICAS:
Prática 1

Classifique os elementos constantes do quadro a seguir em:


(A) Bens ou Direitos ou Obrigações;
(B) Positivo ou Negativo
(C) Ativo ou Passivo

Nº ELEMENTOS A B C
1 Dinheiro Bem Positivo Ativo
2 Estoque de Mercadorias
3 Duplicatas a receber
4 Duplicatas a Pagar
5 Imóveis
6 Biblioteca
7 Calculadoras Eletrônicas
8 Terrenos
9 Veículos
10 Impostos a Pagar
11 Promissórias a Receber
12 Promissórias a Pagar
13 Instalações
14 Ferramentas
15 Aluguéis a Pagar
16 Mesas
17 Prateleiras
18 Computadores
19 Circulador de ar
20 Carnês a Receber

Prática 2

Represente os seguintes elementos no gráfico em forma de T, colocando no lado esquerdo


os Bens e os Direitos e no lado direito as Obrigações:

Caixa, Veículos, Instalações, Duplicatas a Pagar, Fornecedores, Duplicatas a Receber,


Clientes, Móveis e Utensílios, Promissórias a Pagar, Impostos a Pagar e Promissórias
a Receber.

Patrimônio
ATIVO PASSIVO

Prática 3

Represente graficamente e apure a Situação Líquida:

R$
Caixa .................................................................... 200
Móveis e Utensílios ............................................. 300
Duplicatas a Pagar ............................................. 170
Veículos ............................................................... 30
Salários a Pagar ................................................. 20
Duplicatas a Receber ......................................... 70

Balanço Patrimonial
ATIVO PASSIVO

A Situação Líquida é .............................. de R$ ................................

Prática 4
Represente graficamente e apure a Situação Líquida:

R$
Veículos ........................................................................ 4.000
Móveis e Utensílios ...................................................... 2.000
Máquinas e Equipamentos ......................................... 1.000
Caixa ............................................................................ 1.000
Promissórias a Pagar .................................................. 2.000
Impostos a Pagar ......................................................... 5.000
Duplicatas a Pagar ...................................................... 7.000
Títulos a Receber ......................................................... 500
Aluguéis a Receber ...................................................... 500

Balanço Patrimonial
ATIVO PASSIVO

A Situação Líquida é .............................. de R$ ................................

Prática 5

Represente graficamente e apure a Situação Líquida:

R$
Imóveis ......................................................................... 6.000
Veículos ........................................................................ 1.500
Títulos a Pagar ............................................................ 5.000
Títulos a Receber ........................................................ 3.000
Aluguéis a Pagar ......................................................... 1.000
Impostos a Pagar ........................................................ 4.500

Balanço Patrimonial
ATIVO PASSIVO

A Situação Líquida é .............................. de R$ ................................

CONTABILIDADE - AULA II

2 - PATRIMÔNIO
2.1 - CONCEITO
O termo patrimônio significa, a princípio, o conjunto de bens pertencentes a uma pessoa ou
a uma empresa. Compõe-se também de valores a receber ( ou dinheiro a receber). Por isso,
em contabilidade esses valores a receber são denominados direitos a receber ou,
simplesmente, direitos.Relacionando-se, todavia, apenas bens e direitos, não se pode
identificar a verdadeira situação de uma pessoa ou empresa. É necessário evidenciar as
obrigações (dívidas) referentes aos bens e direitos. Por exemplo, se você disser que tem
como patrimônio um apartamento e não fizer referência à dívida com o banco financiador
( em caso de ter sido adquirido através desse sistema de crédito ), sua informação é
incompleta e pouco esclarecedora.Em Contabilidade, portanto, a palavra patrimônio tem
sentido amplo: por um lado significa o conjunto de bens e direitos pertencentes a uma
pessoa ou empresa; por outro lado inclui as obrigações a serem pagas.

PATRIMÔNIO DE UMA PESSOA OU DE UMA EMPRESA

Bens e Obrigações (a serem pagas)


Direitos (a Receber)
2.2 - BENS
Entendem-se por bens as coisas úteis, capazes de satisfazer as necessidades das pessoas e
das empresas. Se eles têm forma física, são palpáveis, denominam-se bens tangíveis:
veículos, imóveis, estoques de mercadorias, dinheiro, móveis e utensílios (moveis de
escritórios), ferramentas etc.
Os bens incorpóreos, isto é, não constituídos de matérias, denominam-se bens intangíveis.
Normalmente são as marcas ( ex.: Mesbla, Lojas Americanas) e as patentes de invenção.

Código Civil brasileiro distingue os bens em:


• Bens imóveis: são aqueles vinculados ao solo, que não podem ser retirados sem
destruição ou danos: edifícios, construções, árvores etc.
• Bens móveis: são aqueles que podem ser removidos por si próprios ou por outras
pessoas: animais, máquinas, equipamentos, estoques de mercadorias etc.
2.3 - DIREITOS
Em Contabilidade entende-se por Direito ou Direito a Receber o poder de exigir alguma
coisa. São valores a receber, títulos a receber, contas a receber etc.O direito a receber mais
comum decorre das vendas a prazo, ou seja, quando se vendem mercadorias a outras
empresas, o pagamento não é efetuado no ato mas no futuro; a empresa vendedora emite
uma duplica como um documento comprobatório. Esse direito denomina-se duplicatas a
receber.
Outros exemplos de direitos: aluguéis a receber, promissórias a receber, ações a receber etc.
2.4 - OBRIGAÇÕES
São dívidas com outras pessoas. Em Contabilidade tais dívidas são denominadas
obrigações exigíveis, isto é, compromissos que serão reclamados, exigidos: pagamento na
data do vencimento.Em caso de um empréstimo bancário, você fica devendo ao banco
(empréstimo a pagar). Se a dívida não for liquidada na data do vencimento, o banco exigirá
o pagamento.
Uma obrigação exigível bastante comum nas empresas é a compra de mercadorias a prazo
(exatamente o contrário de duplicatas a receber): ao comprar a prazo, a empresa fica
devendo para o fornecedor da mercadoria; por essa razão, essa dívida é conhecida como
fornecedores (ou duplicatas a pagar).
Outras obrigações: salários a pagar, impostos a pagar, financiamento, encargos sociais a
pagar etc.
2.5 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO
O patrimônio por si só não mede a efetiva riqueza de uma empresa. A empresa poderá estar
a um passo da falência ou totalmente endividada, embora os números do seu patrimônio
sejam elevados. Na verdade é necessário conhecer a riqueza liquida da pessoa ou empresa:
somam-se os bens e os direitos e, desse total, subtraem-se as obrigações, o resultado é a
riqueza líquida , ou seja, a parte que sobra do patrimônio para a pessoa ou empresa. Ela é
denominada patrimônio líquido ou situação líquida.
Face o exposto acima chegamos a "equação fundamental do patrimônio líquido":

PATRIMÔNIO LÍQUIDO = BENS + DIREITOS (-) OBRIGAÇÕES

3 - BALANÇO PATRIMONIAL (UMA INTRODUÇÃO)


Balanço Patrimonial é um relatório gerado pela contabilidade onde nós identificamos a
saúde financeira e econômica da empresa no fim do ano ou em qualquer data prefixada.
BP é dividido em duas colunas: a do lado esquerdo é denominado Ativo, a do lado direito,
Passivo. O ideal seria denominar a segunda coluna Passivo e Patrimônio Líquido.
Entretanto a Lei das SA apresenta apenas o termo passivo. Esta divisão é pura convenção.

Balanço Patrimonial

Ativo Passivo e Patrimônio Líquido

 ATIVO
É o conjunto de bens e direitos de propriedade da empresa. São os itens "positivos" do
patrimônio; trazem benefícios, proporcionam ganho para empresa.
Fazem parte do ativo: estoque, máquinas, prédio, gado, duplicatas a receber, título a receber
etc.

Balanço Patrimonial

Ativo Passivo e Patrimônio Líquido

Bens ?
 estoque
 máquinas
Direitos
 títulos a receber
 duplicatas a receber

 PASSIVO
Significa as obrigações exigíveis da empresa, ou seja, as dívidas que serão cobradas,
reclamadas a partir da data do seu vencimento. É denominado também passivo exigível,
dívidas com terceiros, recursos de terceiros, ou capital de terceiros. O passivo exigível
evidencia o endividamento da empresa; o seu crescimento de forma desmedida pode levar a
empresa à concordata ou até falência.
Fazem parte do passivo: fornecedores, funcionários etc.

Balanço Patrimonial

Ativo Passivo e Patrimônio Líquido

Bens Passivo exigível


 estoque  Impostor a pagar
 máquinas  Fornecedores
Direitos Patrimônio Liquido
 títulos a receber ?
 duplicatas a receber

 PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Representa o total das aplicações dos proprietários na empresa.
Toda empresa necessita de uma quantia inicial de recursos (normalmente dinheiro) para
efetuar suas primeiras aquisições, seus primeiros pagamentos etc. Os proprietários, então,
concedem suas poupanças com o objetivo de proporcionar à empresa os meios necessários
ao início do negócio. Essa quantia inicial concedida pelos proprietários denomina-se,
contábilmente, capital social , que poderá ser aumentado a qualquer momento.
Dessa forma, a empresa, pessoa jurídica, fica devendo (obrigação) para seus proprietários,
que, por lei, não podem exigir (para não extinguir a empresa) seu dinheiro de volta,
enquanto a empresa estiver em funcionamento (continuidade). Por isso, o patrimônio é
conhecido como obrigação não exigível ( que não se pode reclamar, cobrar, exigir de volta.
Se os proprietários quiserem retirar-se da sociedade, devem vender sua participação no
capital para outras pessoas, sem envolverem a empresa.
Pelo fato de os proprietários não terem direito de reclamar seu dinheiro aplicado na
empresa, enquanto esta estiver em processo de continuidade, no mundo financeiro, o
patrimônio líquido é denominado de recurso próprio ou capital próprio, ou seja, recursos
que pertencem à própria empresa até a sua extinção. No encerramento da empresa os
recursos seriam devolvidos aos proprietários.
4 - DIFERENCIAÇÃO ENTRE CAPITAL E PATRIMÔNIO
De maneira geral o termo capital significa recursos. Capital próprio, portanto, denota
recursos (financeiros ou materiais) dos proprietários ( sócios ou acionistas) aplicados na
empresa. Capital de terceiros, por seu lado, significa recursos de outras pessoas (físicas ou
jurídicas) aplicados na empresa.
A importância que os proprietários investem inicialmente na empresa, cantabilmente, é
denominada capital ou capital nominal. O valor inicial do capital nominal será modificado,
normalmente aumentado com o passar do tempo.
Em caso de os sócios (ou acionistas) se comprometerem a investir na empresa certa
quantia, esse capital será denominado capital subscrito (assinado, comprometido).
Ao cumprirem o contrato firmado, fornecendo dinheiro ou outros bens à empresa, os
proprietários integralizam capital (realização do capital). Capital a integralizar é, portanto,
a parte do capital comprometido (subscrito) ainda não realizada.

4.1 - ORIGENS x APLICAÇÕES


Todos os recursos que entram numa empresa passam pelo passivo e patrimônio líquido. Os
recursos (financeiros ou materiais) são originados dos proprietários (PL), fornecedores,
governo, bancos, financeiras etc. que representam origens de recursos. Através do passivo e
do patrimônio líquido, portanto, identificam-se as origens de recursos.
O ativo, por sua vez, evidencia, todas as aplicações de recursos: aplicação no caixa, em
estoque, em máquinas, em imóveis etc.
A empresa, na verdade, só pode aplicar (ativo) aquilo que tem origem (passivo e PL).
Evidentemente, havendo origem de $ 2.96 milhões , a aplicação deve ser de R$ 2.96
milhões. Dessa forma, fica bastante simples entender por que o Ativo será sempre igual ao
Passivo + PL.

Balanço Patrimonial
Ativo (aplicações) P e PL (origens)

Aplicações De terceiros e
próprio

Se o total do Passivo + Patrimônio Líquido for R$ 10.000, qual o total do ativo? O total é
de R$ 10.000, só pode aplicar a quantia de R$ 10.000, nem um centavo a mais, nem um
centavo a menos.
4.2 - PRINCIPAL ORIGEM DE RECURSOS
Sem dúvida nenhuma, a principal origem de recurso para as empresa é o lucro obtido no
negócio.
O lucro é a remuneração ao capital investido na empresa pelos proprietários. O lucro é
sobra líquida à disposição dos proprietários da empresa que darão as várias destinações ao
mesmo.
5 - REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ESTADOS PATRIMONIAIS
Sendo o Patrimônio Líquido (PL) a diferença algébrica entre o Ativo (A) e o Passivo (P),
não tem sentido falarmos em Ativo ou Passivo negativos. Nestas condições, os elemento
patrimoniais poderão assumir somente os seguintes valores:

A ≥ 0 P ≥ 0 PL ≥ ou < 0
Com base na equação do Balanço (A-P =PL), em determinado momento, o Patrimônio
poderá se apresentar nos seguintes estados:

1º) A>P⇒ PL>0, portanto: A= P+PL (existe riqueza própria)

2º) A=P⇒ PL=0, portanto: A=P (inexistente riqueza própria)

3º) A<P⇒ PL<0, portanto: A+PL=P (existe passivo a descoberto)

4º) A>P e P=0⇒ PL>0, portanto: A=PL (inexiste dívidas)

5º) A<P e A=0⇒ PL<0, portanto: PL=P (só existe dívidas)


Os estados 3 e 5 raramente ocorrem, principalmente o último, pois a empresa não tem mais
condições de sobrevivência.
6 - FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO E SUAS VARIAÇÕES
Vamos acompanhar a formação do Patrimônio de uma empresa comercial prestadora de
serviços e alguns exemplos de sua movimentação, representando, a cada acontecimento, a
Situação Patrimonial respectiva.
a) SUBSCRIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL
Diversas pessoas resolvem fundar uma sociedade anônima, denominada Garrincha S/A,
com o capital subscrito e integralizado em dinheiro de $ 4.000,00:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 20/01/X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PATRIMÔNIO LÍQUIDO


4.000
TOTAL Capital
4.000 4.000
TOTAL
4.000

b) AQUISIÇÃO DE EDIFÍCIO
A empresa adquiriu em 05/02/X1, mediante pagamento à vista, um edifício de pela
importância de $ 1.200,00:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 05/02/X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PATRIMÔNIO LÍQUIDO


2.800
Imóveis Capital
1200 4.000
TOTAL TOTAL
4.000 4.000

c) COMPRA DE MATERIAIS
Para iniciar suas atividades mercantis, a empresa comprou no dia 13/02 materiais
eletrônicos no valor de $ 2.000,00 à prazo:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 13/02/X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PASSIVO
2.800
Imóveis Contas a Pagar
1200 2.000
Materiais PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.000
Capital
4.000
TOTAL TOTAL
6.000 6.000
d) COMPRA DE VEÍCULOS
A empresa comprou em 20/02/X1 veículos para uso, pagando à vista $ 200:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 20/02/X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PASSIVO
2.600
Imóveis Contas a Pagar
1200 2.000
Materiais PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.000
Veículos Capital
200 4.000
TOTAL TOTAL
6.000 6.000

e) VENDA DE PARTE DO EDIFÍCIO


Foi vendido em 28/02/X1um pavimento do edifício por $ 600,00, representado por uma
nota promissória emitida pelo comprador:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28/02/X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PASSIVO
2.600
Imóveis Contas a Pagar
600 2.000
Materiais PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.000
Veículos Capital
200 4.000
Títulos a Receber
600
TOTAL TOTAL
6.000
6.000

f) PAGAMENTO DE UMA OBRIGAÇÃO


Em 05/03/X1 foi pago $ 1.300 correspondente à parte da dívida da aquisição de materiais
eletrônicos:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 05/03X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PASSIVO
1.300
Imóveis Contas a Pagar
600 700
Materiais PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.000
Veículos Capital
200 4.000
Títulos a Receber
600
TOTAL TOTAL
4.700
4.700

g) RECEBIMENTO DE UM DIREITO
Em 10/03/X1 foram recebidos $ 400,00 referente ao pagamento parcial da venda do
pavimento do edifício:
GARRINCHA S/A. - BALANÇO PATRIMONIAL EM 10/03X1

ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Caixa PASSIVO
1.700
Imóveis Contas a Pagar
600 700
Materiais PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.000
Veículos Capital
200 4.000
Títulos a Receber
200
TOTAL TOTAL
4.700
4.700

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1) O Patrimônio é representado por:

a. Bens
b. Bens e obrigações
c. Ativo e patrimônio líquido
d. Ativo + passivo + patrimônio líquido
e. Direitos + obrigações
2) As "Aplicações" de uma Empresa fazem parte:

a. Do ativo
b. Do passivo
c. Do patrimônio líquido
d. Das obrigações
e. N.D.A.
3) (AFTN/85) Assinale a alternativa que indica situação patrimonial inconcebível:

a. Situação Líquida igual ao Ativo.


b. Situação Líquida maior que o Ativo.
c. Situação Líquida menor do que o Ativo.
d. Situação Líquida maior do que o Passivo Exigível.
e. Situação Líquida menor do que o Passivo Exigível.
4) (FTE-MG/93) A representação gráfica dos estados patrimoniais que indica a existência de "Passivo a
Descoberto" é:

a. Passivo + Patrimônio Líquido = Ativo.


b. Passivo = Ativo + Patrimônio Líquido.
c. Passivo = zero e Ativo = Patrimônio Líquido.
d. Passivo = Patrimônio Líquido e Ativo = zero.
e. Passivo < ou = zero e Ativo > Patrimônio Líquido.
5) (FTE-MG/93) A empresa Cascata comprou uma máquina por R$ 350.000 em cinco prestações iguais,
sendo uma entrada no ato da compra e quatro pagamentos mensais. Após a contabilização da operação, o
patrimônio da empresa sofreu a seguinte alteração:

a. diminuiu o Ativo em R$ 70.000 e aumentou o Passivo em R$ 280.000.


b. aumentou o Ativo em R$ 280.000 e aumentou o Passivo em R$ 280.000.
c. aumentou o Ativo em R$ 280.000 e aumentou o Passivo em R$ 350.000.
d. aumentou o Ativo em R$ 350.000 e aumentou o Passivo em R$ 280.000.
e. aumentou o Ativo em R$ 350.000 e aumentou o Passivo em R$ 350.000.
RESPOSTAS:

1)d 2)a 3)b 4)b 5)b

DICAS PARA ELABORAÇÃO DO BALANÇO PATRIMONIAL


Equipe Portal de Contabilidade
Balanço Patrimonial é a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e
quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira da Entidade.

No balanço patrimonial, as contas deverão ser classificadas segundo os elementos do


patrimônio que registrem e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da
situação financeira da empresa.

De acordo com o § 1º do artigo 176 da Lei 6.404/76, as demonstrações de cada exercício


serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes das demonstrações do
exercício anterior, para fins de comparação.

COMPOSIÇÃO

O Balanço Patrimonial é constituído pelo:

- Ativo compreende os bens, os direitos e as demais aplicações de recursos controlados


pela entidade, capazes de gerar benefícios econômicos futuros, originados de eventos
ocorridos.

- Passivo compreende as origens de recursos representados pelas obrigações para com


terceiros, resultantes de eventos ocorridos que exigirão ativos para a sua liquidação.

- Patrimônio Líquido compreende os recursos próprios da Entidade, e seu valor é a


diferença positiva entre o valor do Ativo e o valor do Passivo. Quando o valor do Passivo
for maior que o valor do Ativo, o resultado é denominado Passivo a Descoberto. Portanto, a
expressão Patrimônio Líquido deve ser substituída por Passivo a Descoberto.

AGRUPAMENTO

Os elementos da mesma natureza e os saldos de reduzido valor quando agrupados, e desde


que seja indicada a sua natureza e nunca devem ultrapassar, no total, um décimo do valor
do respectivo grupo de contas, sendo vedada a utilização de títulos genéricos como
"diversas contas" ou "contas correntes".

PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO BALANÇO


Ao término do exercício, como se faz em todos os meses, procede-se ao levantamento do
balancete de verificação, com o objetivo de conhecer os saldos das contas do razão e
conferir sua exatidão.

No balancete são relacionadas todas as contas utilizadas pela empresa, quer patrimoniais
quer de resultado, demonstrando seus débitos, créditos e saldos.

As contas do balancete, no fim do exercício, sejam patrimoniais ou de resultado, nem


sempre representam, entretanto, os valores reais do patrimônio, naquela data, nem as
variações patrimoniais do exercício, porque os registros contábeis não acompanham a
dinâmica patrimonial no mesmo ritmo em que ela se desenvolve.

Desta forma, muitos dos componentes patrimoniais aumentam ou diminuem de valor, sem
que a contabilidade registre tais variações, bem como muitas das receitas e despesas,
recebidas ou pagas durante o exercício, não correspondem realmente aos ingressos e ao
custo do período.

Daí a necessidade de se proceder ao ajuste das contas patrimoniais e de resultado, na data


do levantamento do balanço, para que elas representem, em realidade, os componentes do
patrimônio nessa data, bem como suas variações no exercício.

CONCILIAÇÕES DOS SALDOS CONTÁBEIS

A conciliação consiste, basicamente, na comparação do saldo de uma conta com uma


informação externa à contabilidade, de maneira que se possa ter certeza quanto à exatidão
do saldo em análise.

As fontes de informações mais usuais para verificação dos registros contábeis são os livros
fiscais, os extratos bancários, as posições de financiamentos e carteiras de cobranças, as
folhas de pagamento, os controles de caixa, etc.

AJUSTES E RECLASSIFICAÇÕES PATRIMONIAIS

Para elaboração do balanço devem ser efetuados vários ajustes e reclassificações nas contas
patrimoniais, como estoques, empréstimos, etc.

Calcula-se também a provisão para o Imposto de Renda e a Contribuição Social sobre o


Lucro Líquido, de acordo com as normas tributárias vigentes, fazendo-se a respectiva
contabilização.

LANÇAMENTOS DE ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO

Para apuração do resultado do exercício, faz-se os lançamentos de encerramento,


debitando-se as contas de receitas e creditando-se uma conta transitória, chamada de
“apuração do resultado do exercício”.
O inverso é efetuado nas contas de despesas e custos, debitando-se a conta “Apuração do
Resultado do Exercício” e creditando-se as contas de custos ou despesas.

O saldo da conta “Apuração do Resultado do Exercício” será então transferida para a conta
de “Resultados a Destinar”, sendo esta distribuída para outras contas patrimoniais,
conforme proposta da administração.

CLASSIFICAÇÃO DAS CONTAS PATRIMONIAIS

Após os ajustes pertinentes e lançamentos de encerramento das contas de resultado, as


contas remanescentes são apenas as contas patrimoniais, que devem ser separadas e
classificadas em grupos para elaboração do balanço patrimonial, sendo que o saldo do ativo
deve ser igual ao do passivo.
Para maiores detalhamentos, acesse o tópico BALANÇO PATRIMONIAL, no Guia Contábil
On Line.

Funções da
Contabilidade
sobre Contabilidade Geral Por Algosobre
conteudo@algosobre.com.br
Publicidade

FUNÇÃO ADMINISTRATIVA DA CONTABILIDADE

Controlar o patrimônio.

a. Patrimônio – conjunto de bens, direitos e obrigações suscetíveis de


avaliação econômica,
vinculados a uma entidade ou pessoa física.

b. Bem – tudo aquilo que satisfaz as necessidades humanas e pode ser


avaliado econômicamente.

1. Classificação dos bens:

1.1 Bens tangíveis, corpóreos, concretos ou materiais – têm existência física,


existem como
coisa ou objeto.
1.2 Bens intangíveis, incorpóreos, abstratos ou imateriais – não possuem
existência física,
porém representam uma aplicação de capital indispensável aos objetivos da
empresa, e
cujo valor reside em direitos de propriedade que são legalmente que são
legalmente
conferidos aos seus possuidores.

Exemplos de bens intangíveis: direitos sobre marcas, patentes, direitos


autorais, ponto
comercial, fundo de comércio, ações ou quotas do capital de outras empresas,
etc.

c. Direitos – valores de propriedade da entidade que se encontram em posse


de terceiros.

Exemplos: duplicatas a receber, clientes, contas a receber, dinheiro


depositado no banco,
aplicações financeiras, etc.

d. Obrigações: são dívidas ou compromissos de qualquer espécie ou natureza


assumidos perante
terceiros, ou bens de terceiros que se encontram em nossa posse (uso).

Exemplos: fornecedores, duplicatas a pagar, notas promissórias a pagar,


impostos a recolher,
contas a pagar, títulos a pagar, contribuições a recolher, etc.

e. Composição Patrimonial: o patrimônio é dividido em três partes.

1ª Parte – ATIVO (A) - parte positiva, composta de bens e direitos.


2ª Parte – PASSIVO EXIGÍVEL (PE) - parte negativa, composta das
obrigações com terceiros.
3ª Parte – PATRIMÔNIO LÍQUIDO (PL) ou SITUAÇÃO LÍQUIDA (SL) – parte
diferencial entre o ativo e o passivo exigível. O patrimônio líquido representa as
obrigações da entidade para com os sócios ou acionistas (proprietários) e
indica a diferença entre o valor dos bens e direitos (ativo) e o valor das
obrigações com terceiros (passivo exigível).

Essa parte diferencial (PL/SL) é que vai medir ou avaliar a situação ou


condição da entidade
sendo, portanto, considerado como PASSIVO NÃO EXIGÍVEL.

f. Equação Fundamental do Patrimônio: PL/SL = A – PE


Especificação da fórmula: PL = Patrimônio Líquido, SL = Situação Líquida, A =
Ativo, PE =
Passivo Exigível.

g. Representação Gráfica do Patrimônio

PATRIMÔNIO
ATIVO + PASSIVO (-)
Bens Exigível – Obrigações
Direitos PL/SL
TOTAL TOTAL

h. Situações ou Estados Patrimoniais

1. Situação favorável: ocorre quando A > PE, determinando PL > 0. Assim, A =


PE + PL.
2. Situação plena ou propriedade total dos ativos: ocorre quando A > PE e PE
= 0,
determinando PL > 0. Assim, A = PL.
3. Situação nula ou de equilíbrio aparente: ocorre quando A = PE,
determinando PL = 0. Assim,
A = PE.
4. Inexistência de ativos: ocorre quando PE > A e A = 0, determinando PL < 0.
Assim, PE =
(PL).
5. Situação desfavorável: ocorre quando A < PE, determinando PL < 0.

FUNÇÃO ECONÔMICA DA CONTABILIDADE: apurar o resultado (rédito)


Resultado

Diferença entre o valor das Receitas e o valor das Despesas (D)


O resultado pode ser:
Positivo ou Lucro - quando o valor das receitas é superior ao das despesas;
Negativo ou prejuízo – quando o valor das receitas é inferior ao das despesas;
Nulo – quando o valor das receitas é igual ao valor das despesas.

Receitas
São entradas de elementos para o ativo da empresa, na forma de bens ou
direitos que sempre
provocam aumento da situação líquida.

Despesas
É gasto incorrido para, direta ou indiretamente, gerar receitas. As despesas
podem diminuir o ativo
ou aumentar o passivo, mas sempre provocam diminuições na situação líquida
ou patrimônio líquido.