Você está na página 1de 23

Percolação nos Solos- Fluxo Bidimensional

Percolação nos Solos- Fluxo Bidimensional

Em

geral,

o

fluxo

de

água

através

do

solo

é

tridimensional,

pois

as

partículas

de

água

seguem

qualquer direção.

Mas, quando as partículas de água seguem caminhos

curvos contidos em planos paralelos dizemos que o fluxo

e Bidimensional (fundações de barragens).

Para resolvermos esse tipo de Percolação utilizamos um

método gráfico (Laplace), pois soluções numéricas

necessitariam funções complexas.

Percolação nos Solos- Fluxo Bidimensional

Percolação nos Solos- Fluxo Bidimensional • A solução da Equação de Laplace é representada por duas

A solução da Equação de

Laplace é representada por

duas famílias de curvas (linhas

equipotenciais e linhas de

fluxo) que se interceptam

ortogonalmente formando a

chamada Rede de Fluxo.

Rede de fluxo: representação gráfica dos caminhos percorridos pela água.

É constituída por:

Linhas de fluxo - (linhas traçadas no sentido do caminho de

percolação da água no interior do solo).

Linhas equipotenciais (linhas traçadas perpendicularmente ao

sentido do caminho percorrido pela água no interior do solo).

Percolação nos Solos- Fluxo Bidimensional

Rede de fluxo: O caminho percorridos pela água entre

duas linhas de fluxo de denominado “Canal de Fluxo”.

Esses canais paralelos apresentam mesma Vazão.

Linhas equipotenciais (linhas

de igual carga total):

determinam faixas de Perda de

Carga de igual valor.

Na rede de fluxo, a perda de

carga entre duas linhas

equipotenciais paralelas é igual

a uma certa quantidade “Δh”

da perda de carga total “h ”.

entre duas linhas equipotenciais paralelas é igual a uma certa quantidade “Δh” da perda de carga

Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo

unidimensional

o método gráfico em uma rede de fluxo unidimensional - Na amostra de solo representada na

- Na amostra de solo representada na figura verificamos que:

- Área da seção transversal 6x1;

- O coef. Permeabilidade da areia k = 1x10 -2 cm/s

na figura verificamos que: - Área da seção transversal 6x1; - O coef. Permeabilidade da areia

Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo

unidimensional

Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo unidimensional
Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo unidimensional
Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo unidimensional

Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo

unidimensional

o método gráfico em uma rede de fluxo unidimensional Embora não seja necessário, é conveniente escolher

Embora não seja necessário, é conveniente escolher o

espaçamento entre elementos quadrados. Ou seja, as

linhas equipotenciais foram traçadas a cada 2 cm.

escolher o espaçamento entre elementos quadrados. Ou seja, as linhas equipotenciais foram traçadas a cada 2

Aplicando o método gráfico em uma rede

de fluxo unidimensional
de fluxo unidimensional

Perda de

carga total

carga total h 

h

Perda de carga total h  Vazão i  h l   h N q

Vazão

i

h

l

h

N

q

i
i

carga total h  Vazão i  h l   h N q i 

h

N

q

h  Vazão i  h l   h N q i   h

Perda de carga total em cada

linha equipontêncial

4

h

1 cm

4

4

2 . 4

0 , 5 cm

Vazão

Vazão Cm Os valores individuais de N f e N q não importam no calculo da
Cm
Cm

Os valores individuais de N f e N q não importam no calculo da vazão mas sim a relação N f / N q .

É importante ressaltar que, nessa equação,

Q é a vazão por unidade de comprimento da

rede (m³/s/m), ou seja, depende da largura

da barragem.

3 /s/cm

, ou seja, depende da largura da barragem. 3 /s/cm Ex. se a barragem tiver 200

Ex. se a barragem tiver 200 cm de largura a vazão será 0,03 cm 3 /s/cm x 200 cm = 6cm 3 /s. Ou, 6cm 3 /s x (24hx60minx60s) = 518.400 cm 3 /dia

Mesmo valor obtido pela lei direta de Darcy

K= coef. permeabilidade

∆h= perda de carga total

Aplicando o método gráfico em uma rede de fluxo Bidimensional

Fluxo confinado

Na figura a seguir mostra-se a rede de fluxo obtida com N f = 4

Após, traçada a rede de fluxo é possível determinar em

qualquer ponto da rede de fluxo a:

possível determinar em qualquer ponto da rede de fluxo a: • vazão , • pressão neutra

vazão,

pressão neutra em um ponto A,

em qualquer ponto da rede de fluxo a: • vazão , • pressão neutra em um

gradiente hidráulico.

em qualquer ponto da rede de fluxo a: • vazão , • pressão neutra em um
em qualquer ponto da rede de fluxo a: • vazão , • pressão neutra em um

1 x 10 -5 m/s

Exemplo

1 x 10 - 5 m/s Exemplo
E x e m p l o N f = 4; N q = 8

Exemplo

N f = 4; N q = 8

E x e m p l o N f = 4; N q = 8 4
E x e m p l o N f = 4; N q = 8 4
4 ( H )  5  x 7  1, 5 m T A
4
(
H
)  5 
x
7
1, 5
m
T
A
8
u
 [( H )  z ]
u
1,5 m ( 4 m ) x10 kN / m 55 kN / m
 
A 
3
A
T A
w

2

Exemplo

Exemplo

Exemplo

Exemplo

Exemplo
Exemplo
Exemplo

Exemplo

Exercício proposto

Nas figuras determine:

Vazão

Carga

piezométrica

no ponto A

Gradiente de

saída

K solo = 5,0 x10 -6 m/s

Nas figuras determine:

Compare os resultados obtidos e forneça o seu

parecer técnico quanto a eficiência dos dois

sistemas.

Na sua opinião com base nos resultados obtidos

qual o sistema é mais eficiente? Explique?

Vazão

Carga piezométrica no ponto A

Gradiente de saída

qual o sistema é mais eficiente? Explique? • Vazão • Carga piezométrica no ponto A •

Temas de casa refaça o exemplo da cortina (prancha) aumentando e diminuindo o nº de linhas de fluxo e equipotenciais.