Você está na página 1de 35

TROCA E TRANSPORTE DE GASES

TROCA E TRANSPORTE DE GASES
Difusão dos gases através da membrana respiratória Unidade Respiratória Cada alvéolo: 0,2 mm ♣ Parede

Difusão dos gases através da membrana respiratória

Unidade Respiratória

Cada alvéolo: 0,2 mm

Parede Unidade respiratória: delgada

Capilares

♣ Parede Unidade respiratória: delgada ♣ Capilares Membrana Respiratória ou Membrana Pulmonar Alvélo

Membrana Respiratória ou

Membrana Pulmonar

Alvélo

Parede Unidade respiratória: delgada ♣ Capilares Membrana Respiratória ou Membrana Pulmonar Alvélo respiratório
respiratório
respiratório

Membrana Respiratória

♣ ♣

Espessura da Membrana Respiratória: 0,6 μ

Superfície total: 50 a 100 m 2 (sala 8x10 mt)

Quantidade total sangue capilares pulmonares:

140mililitos

Quantidade total sangue capilares pulmonares: 140mililitos Pq. Quantidade de sangue em grande área de superfície

Pq. Quantidade de sangue em grande área de superfície

Trocas gasosas respiratórias rápidas

Estrutura da membrana respiratória e difusão do O 2 do alvéolo para a hemácia e a difusão do CO 2 na direção oposta

Fatores que afetam a velocidade da difusão gasosa através da membrana respiratória

1.

Espessura da membrana

2.

Área superficial da membrana

3.

Velocidade de difusão do gás específico no tecido da membrana (na água da membrana)

4.

Diferença de pressão entre os dois lados da membrana

específico no tecido da membrana (na água da membrana) 4. Diferença de pressão entre os dois

Aumento da membrana respiratória em decorrência:

Aumento da membrana respiratória em decorrência: Edema pulmonar Doenças pulmonares Gases devem se difundir pela

Edema pulmonar

Doenças pulmonares

em decorrência: Edema pulmonar Doenças pulmonares Gases devem se difundir pela membrana e líquido

Gases devem se difundir pela membrana e líquido

Interferência nas trocas gasosas

pela membrana e líquido Interferência nas trocas gasosas Superfície pleural lisa e brilhante de um pulmão.
pela membrana e líquido Interferência nas trocas gasosas Superfície pleural lisa e brilhante de um pulmão.

Superfície pleural lisa e brilhante de um pulmão. Este paciente tem sinalizado um edema pulmonar, o qual aumenta o fluido nos vasos linfáticos que drenam os lóbulos pulmonares. Assim, o lóbulos do pulmão aparecem marcados com linhas claras.

Área da membrana respiratória Diminuída pela ♣ Remoção total do pulmão ♣ Enfisema Diminuição em
Área da membrana respiratória
Diminuída pela
♣ Remoção total do pulmão
♣ Enfisema
Diminuição em até 5 vezes da área
total da Membrana Respiratória
Prejudicial para esportes competitivos

Coeficiente de difusão

A transferência de gás através da Membrana respiratória é dependente:

Solubilidade na membrana

respiratória é dependente: ♣ Solubilidade na membrana CO 2 (se difunde através da membrana) : 20

CO 2 (se difunde através da membrana) : 20 x mais rápido que o O 2

O 2 : 2 x mais rápido que o N 2

membrana CO 2 (se difunde através da membrana) : 20 x mais rápido que o O

Diferença de pressão = tendência efetiva da membrana

“Diferença entre pressão do gás nos alvéolos e a pressão do gás no sangue”

do gás nos alvéolos e a pressão do gás no sangue” Total de moléculas de um

Total de moléculas de um gás que se choca com paredes alveolares

Total de moléculas de um gás tentando escapar do sangue na direção oposta

de um gás tentando escapar do sangue na direção oposta O 2 : maior pressão alveolar:

O 2 : maior pressão alveolar: sai dos alvéolos e vai para o sangue CO 2 : maior pressão sanguínea: sai do sangue e vai para alvéolos

Capacidade de difusão da membrana respiratória

Habilidade Membrana Respiratória ↔ trocar gás entre alvéolos e sangue

Respiratória ↔ trocar gás entre alvéolos e sangue Expressa em termos quantitativos pela Capacidade de difusão

Expressa em termos quantitativos pela

Capacidade de difusão que é definida como:

Volume de um gás que se difunde através da membrana a cada minuto para uma diferença

de pressão de 1 mm Hg

através da membrana a cada minuto para uma diferença de pressão de 1 mm Hg Fatores

Fatores que afetam a capacidade de difusão

através da membrana a cada minuto para uma diferença de pressão de 1 mm Hg Fatores

Capacidade de difusão para O 2

Capacidade de difusão para O 2 Capacidade de difusão para O 2 sob condições de repouso
Capacidade de difusão para O 2 Capacidade de difusão para O 2 sob condições de repouso

Capacidade de difusão para O 2 sob condições de repouso

21 ml/min/mm Hg

Diferença de pressão de O 2 através da membrana durante respiração: 11 mm Hg

21 x 11 =

230 mililitros de O 2 /min

de pressão de O 2 através da membrana durante respiração: 11 mm Hg 21 x 11

Alteração da capacidade de difusão de O 2 durante exercício físico

capacidade de difusão de O 2 durante exercício físico ♣ Fluxo sanguíneo pulmonar ↑ ♣ Ventilação

Fluxo sanguíneo pulmonar

Ventilação alveolar ↑

Difusão de O 2

máximo de 65 ml/min/mm Hg (3x + repouso)

de O 2 ↑ máximo de 65 ml/min/mm Hg (3x + repouso) (3x 21 ml) Provocado

(3x 21 ml)

Provocado pela

Abertura de capilares pulmonares Aumento da área superficial

de 65 ml/min/mm Hg (3x + repouso) (3x 21 ml) Provocado pela Abertura de capilares pulmonares

Capacidades de difusão para monóxido de carbono, oxigênio e dióxido de carbono em pulmões normais

carbono, oxigênio e dióxido de carbono em pulmões normais ♣ Capacidade de difusão para dióxido de

Capacidade de difusão para dióxido de carbono

a)

Difusão rápida pela membrana

b)

Diferença média menor que 1 mmHg

No entanto,

as medidas de difusão de outros gases mostram que : a capacidade de difusão:

relaciona-se à difusão do gás em foco

Captação do O 2 dos alvéolos pelo sangue pulmonar

Difusão de moléculas de O2 entre

ar alveolar e sangue pulmonar:

Difusão de moléculas de O2 entre ar alveolar e sangue pulmonar: Diferença de pressão inicial: 104

Diferença de pressão inicial: 104 40 = 64 mmHg

Difusão do O 2 dos capilares teciduais para líquido tecidual

do O 2 dos capilares teciduais para líquido tecidual ♣ Difusão rápida do O 2 do

Difusão rápida do O 2 do sangue para os tecidos

♣ Efeito velocidade do fluxo e metabolismo tecidual sobre PO 2 líquido intersticial: ↑ fuxo:
♣ Efeito velocidade do fluxo e metabolismo tecidual sobre PO 2 líquido intersticial:
↑ fuxo: ↑ O 2 para o tecido, ↑ PO 2
95 mmHg (PO 2 no sangue arterial)

Difusão do O 2 dos capilares teciduais para células teciduais

Sendo o O 2 constantemente utilizado pelas células,

PO 2 intracelular ↓ do que a PO 2 nos capilares

(de 5 até 40 mm Hg)

23 mmHg

Valor suficiente e seguro

(de 5 até 40 mm Hg) 23 mmHg Valor suficiente e seguro Apenas 1 a 3
(de 5 até 40 mm Hg) 23 mmHg Valor suficiente e seguro Apenas 1 a 3

Apenas 1 a 3 mmHg de pressão de O2 é o necessário para manter os processos metabólicos da célula

suficiente e seguro Apenas 1 a 3 mmHg de pressão de O2 é o necessário para

Difusão do dióxido de carbono das células para os capilares e dos capilares pulmonares para os alvéolos

Transformação O 2 → CO 2 : ↑PCO 2 intracelular

CO 2 das células → capilares teciduais → pulmões → dos capilares pulmonares → alvéolos

Dióxido de Carbono se difunde na direção contrária à difusão do Oxigênio

se difunde na direção contrária à difusão do Oxigênio CO 2 difunde até 20 x mais

CO 2 difunde até 20 x mais rápido que o O 2

Diferenças de pressão que provocam difusão do CO 2 são bem menores que as necessárias para a difusão do O 2

2 Diferenças de pressão que provocam difusão do CO 2 são bem menores que as necessárias

Irrigação pulmonar e relação ventilação perfusão

Resistência ao fluxo dos vasos pulmonares

18 mmHg Velocidade idêntica Independente débito cardíaco, já que:

↑ débito → ↑ pressão pulmonar: vasos sanguíneo fechados: se abrem (recrutamento) Artérias pulmonares → + complacentes que as sistêmicas

Grandes aumentos do débito do

que as sistêmicas Grandes aumentos do débito do Estas características da alça pulmonar possibilitam que

Estas características da alça pulmonar possibilitam que

esquerdo que ocorrem quando praticamos exercícios,

Sejam enfrentados pelo direito sem aumento pressão arterial pulmonar

que ocorrem quando praticamos exercícios, Sejam enfrentados pelo ♥ direito sem aumento pressão arterial pulmonar

Filtração e reabsorção capilares no pulmão

↓ pressão arterial pulmonar → 7 mmHg nos capilares pulmonares

(deslocando o equilíbrio de absorção e filtração)arterial pulmonar → 7 mmHg nos capilares pulmonares Favorecendo a absorção - Protege do Edema Equilíbrio

Favorecendo a absorção - Protege do Edema

Equilíbrio Ventilação perfusão (V/Q)

É a proporção entre ventilação alveolar e o fluxo sanguíneo alveolar

Sistema respiratório como todo:

Volume minuto respiratório/débito cardíaco

4l/min (de ar)

5l/min (de sangue)

Sistema respiratório como todo: Volume minuto respiratório/débito cardíaco 4l/min (de ar) 5l/min (de sangue)
Sistema respiratório como todo: Volume minuto respiratório/débito cardíaco 4l/min (de ar) 5l/min (de sangue)

Eficiência trocas gasosas: V/Q deveria ser uniforme em todas as regiões do pulmão

Desequilíbrios:

Desequilíbrios regionais da V/Q: espaço morto fisiológico

Alvéolo que é ventilado mas não recebe qualquer perfusão:

ESPAÇO MORTO ANATÔMICO

Alvéolo que é perfundido mas não recebe qualquer ventilação:

CURTO-CIRCUITO FORA DO PULMÃO]

ESPAÇO MORTO ANATÔMICO Alvéolo que é perfundido mas não recebe qualquer ventilação: CURTO-CIRCUITO FORA DO PULMÃO]

Equilíbrio ventilação perfusão

Pessoa deitada problema banal

Pessoa em pé

Pa acima

: menor

abaixo : maior

Pulmão

Pessoa em pé Pa acima : menor abaixo ♥ : maior Pulmão Efeito da gravidade sobre

Efeito da gravidade sobre a pressão hidrostática

Alvéolos do ápice: maior expansão

Alvéolos maiores: menor complacência

Alvéolos da base: menores → ↑ complacência e ↑ perfusão

Pressão Intrapleural:

→ ↑ complacência e ↑ perfusão Pressão Intrapleural: Efeitos da gravidade sobre ventilação e perfusão se

Efeitos da gravidade sobre ventilação e perfusão se anulam?

da gravidade sobre ventilação e perfusão se anulam? Não. Base do pulmão: dobro de ventilação e
Não. Base do pulmão: dobro de ventilação e 10x mais fluxo sanguíneo
Não. Base do pulmão: dobro de ventilação
e 10x mais fluxo sanguíneo
sobre ventilação e perfusão se anulam? Não. Base do pulmão: dobro de ventilação e 10x mais

Compensação do pulmão pela variação da ventilação local

1. Aumento de CO 2 e diminiuição de O 2 : bronquíolos vizinhos se dilatam:

redirecionando o ar inspirado para alvéolos pouco ventilados

2. Diminuição do O 2 ou aumento do CO 2 ocasionam vasoconstrição local:

deslocam sangue para fora das partes apicais pouco ventiladas do pulmão

sangue para fora das partes apicais pouco ventiladas do pulmão Discrepância menos intensa entre perfusão e

Discrepância menos intensa entre perfusão e ventilação

sangue para fora das partes apicais pouco ventiladas do pulmão Discrepância menos intensa entre perfusão e
O 2 O 2 O 2 O 2 O 2 O 2 ♣ Transporte do
O 2 O 2 O 2 O 2 O 2 O 2
O 2
O 2
O 2
O 2
O 2
O 2

Transporte do O 2 :

Dissolvido Combinado à hemoglobina

Papel da hemoglobina no transporte do O 2 no sangue arterial

O 2 dos pulmões para tecidos: 97% O 2 hemoglobina ↔ fraca combinação

PO 2 ↑ (capilares pulmonares) → O 2 se liga à hemoglobina PO 2 ↓ (capilares teciduais) → O 2 liberado da hemoglobina

PO 2 ↓ (capilares teciduais) → O 2 liberado da hemoglobina Base do transporte O 2

Base do transporte O 2 pulmões → tecidos

PO 2 ↓ (capilares teciduais) → O 2 liberado da hemoglobina Base do transporte O 2

Curva de dissociação da Oxiemoglobina

Curva de dissociação da Oxiemoglobina Pressão gasosa do oxigênio ↑ progressivo da % de hemoglobina ligada

Pressão gasosa do oxigênio

↑ progressivo da % de hemoglobina ligada ao O 2 à medida que a PO 2 do sangue

da % de hemoglobina ligada ao O 2 à medida que a PO 2 do sangue

Percentual de saturação da hemoglobina

Quantidade de O 2 combinado a hemoglobina do sangue

Sangue de indivíduo normal:

15 g hemoglobina/100 mililitros de sangue

1g hemoglobina: liga-se a 1,34 mililitro de O 2 → 100 mililitros sangue:

20 mililitros de O 2 (hemoglobina 100% saturada)

Quantidade de O 2 liberado pela hemoglobina nos tecidos

97% saturada: 19,4 mililitros/100 mililitros de sangue Capilares dos tecidos: 14,4 mililitros

mililitros de sangue Capilares dos tecidos: 14,4 mililitros 19,4-14,4 = 5 mililitros são transportados para os
mililitros de sangue Capilares dos tecidos: 14,4 mililitros 19,4-14,4 = 5 mililitros são transportados para os
mililitros de sangue Capilares dos tecidos: 14,4 mililitros 19,4-14,4 = 5 mililitros são transportados para os

19,4-14,4 = 5 mililitros

são transportados para os tecidos/100 mililitros de sangue

Transporte de O 2 durante exercício extenuante

Restam apenas 4,4 mililitros de O 2 associado à hemoglobina, ao passar pelos tecidos

de O 2 associado à hemoglobina, ao passar pelos tecidos 15 mililitros O 2 /100 mililitros

15 mililitros

O 2 /100 mililitros de sangue são transportados

ao passar pelos tecidos 15 mililitros O 2 /100 mililitros de sangue são transportados 3 x
ao passar pelos tecidos 15 mililitros O 2 /100 mililitros de sangue são transportados 3 x

3 x mais

* Maratonistas

Uso metabólico do O 2 pelas células

Relação entre PO 2 intracelular e a velocidade de consumo do O 2 em diferentes concentrações de ADP

de consumo do O 2 em diferentes concentrações de ADP Pequeno nível de pressão de O2
Pequeno nível de pressão de O2 é necessário para reações → ADP se torna limitante
Pequeno nível de pressão de O2 é necessário
para reações → ADP se torna limitante

Quando a PO 2 intracelular de 1 para 3 mmHg a velocidade de consumo de O 2 é constante para qualquer concentração fixa de ADP na célula

Variações da curva de dissociação O 2 -hemoglobina: Desvio da curva

Para a direita:

Desvio E Ligação a Hb Desvio D O2 aos tecidos
Desvio E
Ligação a Hb
Desvio D
O2 aos tecidos
direita: Desvio E Ligação a Hb Desvio D O2 aos tecidos PCO 2 (aumentado no sangue

PCO 2 (aumentado no sangue venoso proveniente de tecido com elevado metabolismo)

pH (pela maior produção de CO2 nos tecidos ativos) (pela maior produção de CO2 nos tecidos ativos)

pH (pela maior produção de CO2 nos tecidos ativos) Temperatura (maior em tecidos ativos) 2-3 DP-glicerato

Temperatura (maior em tecidos ativos)

nos tecidos ativos) Temperatura (maior em tecidos ativos) 2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias) Exercício

2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias)

Exercício

Para a Esquerda:

2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias) Exercício Para a Esquerda: PCO 2 pH Temperatura 2-3 DPG metabolismo

PCO 2

pHativos) 2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias) Exercício Para a Esquerda: PCO 2 Temperatura 2-3 DPG metabolismo

2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias) Exercício Para a Esquerda: PCO 2 pH Temperatura 2-3 DPG metabolismo

Temperatura 2-3 DPG

2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias) Exercício Para a Esquerda: PCO 2 pH Temperatura 2-3 DPG metabolismo
2-3 DP-glicerato (produzido pelas hemácias) Exercício Para a Esquerda: PCO 2 pH Temperatura 2-3 DPG metabolismo

metabolismo

Fatores que alteram a afinidade do O 2 pela hemoglobina

Combinação da hemoglobina com monóxido de carbono deslocamento do O 2

CO→ se combina com a hemoglobina no mesmo ponto que o O 2

250 x mais forte

com a hemoglobina no mesmo ponto que o O 2 250 x mais forte Deslocamento de
com a hemoglobina no mesmo ponto que o O 2 250 x mais forte Deslocamento de

Deslocamento de O 2 da hemoglobina

a hemoglobina no mesmo ponto que o O 2 250 x mais forte Deslocamento de O

Paciente envenenado por CO

a hemoglobina no mesmo ponto que o O 2 250 x mais forte Deslocamento de O

CO liberado pela “queima” de combustíveis fósseis e fumaça de cigarros → combinação com a hemoglobina Impossibilidade de transportar O 2

com a hemoglobina → Impossibilidade de transportar O 2 Morte por asfixia Concentração de CO e

Morte por asfixia

Concentração de CO e qualidade do ar

2 Morte por asfixia Concentração de CO e qualidade do ar Qualidade do ar Inadequada Péssima
2 Morte por asfixia Concentração de CO e qualidade do ar Qualidade do ar Inadequada Péssima

Qualidade do ar

Qualidade do ar

Inadequada

Péssima

Crítica

Concentração de CO – ppm* (média de

Concentração de CO ppm* (média de

Qualidade do ar Inadequada Péssima Crítica Concentração de CO – ppm* (média de 15 30 8h)

15

30

8h)

a 30

a 40

Acima de 40

Acima de 40

* ppm (parte por milhão) = 1 micrograma de CO por grama de ar 10 6

Concentração de CO (ppm)

10

15

60

100

270

800

Sintomas em seres humanos

Nenhum

Diminuição da capacidade visual

Dores de cabeça

Tonturas, fraqueza muscular

Inconsciência

Morte

Transporte de CO 2 Dissolvido Carmino-hemoglobina Ìon bicarbonato (HCO 3 - ) ( 5 a
Transporte de CO 2 Dissolvido Carmino-hemoglobina Ìon bicarbonato (HCO 3 - ) ( 5 a

Transporte de CO 2

Transporte de CO 2 Dissolvido Carmino-hemoglobina Ìon bicarbonato (HCO 3 - ) ( 5 a 7
Transporte de CO 2 Dissolvido Carmino-hemoglobina Ìon bicarbonato (HCO 3 - ) ( 5 a 7

Dissolvido

Carmino-hemoglobina

Ìon bicarbonato (HCO 3 - )

(5 a 7% do total)

(15 a 25 % do total)

a 7 % d o t o t a l ) (15 a 25 % do

Produzido pelas hemácias

* Facilidade: Condições anormais: pode ser transportado em grandes quantidades

Equilíbrio CO 2 , ácido carbônico e bicarbonato

CO 2 dissolvido no sangue → reage com H 2 O: forma H 2 CO 3 (anidrase carbônica: 5.000x)

CO 2

forma H 2 CO 3 (anidrase carbônica: 5.000x) CO 2 Dissocia-se em: HCO 3 - +

Dissocia-se em:

HCO 3 - + H +

A maior parte de íons H se combina com hemoglobinas nas hemácias e a maioria do bicarbonato se difunde

nas hemácias

Alterações da acidez do sangue durante o transporte do CO2

Formação do H 2 CO 3 ↓ pH sanguíneo

Reação do ácido com tampões sanguíneos impede que a concentração de H aumente muito e que o pH desça muito

impede que a concentração de H aumente muito e que o pH desça muito Alteração de

Alteração de 0,04 unidade

pH: 7,4 → 7,37

impede que a concentração de H aumente muito e que o pH desça muito Alteração de
impede que a concentração de H aumente muito e que o pH desça muito Alteração de

Efeito Bohr e efeito Haldane

Aumento da concentração de CO 2 no sangue provoca deslocamento da hemoglobina

Efeito Bohr

Altos níveis de CO 2 diminuem a afinidade da Hemoglobina com o O 2

Sangue passa pelos pulmões CO 2 difunde-se do sangue para alvéolos:

↓ PCO 2 do sangue e a concentração de íons hidrogênio

Desvio da curva para a esquerda (↓ metabolismo)

Sangue passa capilares dos tecidos CO 2 penetra-se no sangue:

Dissocia-se O 2 da hemoglobina: liberação de O 2 para tecidos

Desvio da curva para a direita

(exercício)

Efeito Haldane

O 2 liga-se à hemoglobina → liberação de CO 2

O 2 liga-se à hemoglobina → liberação de CO 2 Aumento do transporte de CO 2

Aumento do transporte de CO 2 do sangue

Inverso do Efeito Bohr:

A ligação do O 2 á hemoglobina tende a deslocar o CO 2 do sangue