Você está na página 1de 27
Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. QUALIFICAGAO EM SOLDAGEM NBR 10474 Terminotogia SeT/1908 SUMARIO. 1 Objetivo 2. Definigdes ANEXO — Figuras 1 OBJETIVO Esta Norma define os termos empregados nas operacdes de qualificac3o em solda gem, 2. -DEFINIGOES: Para os efeitos desta Norma sao adotadas as definicdes de 2.1 a 2.83. Secies Termos Def inicées 24 Abertura da vate Separacao entre membros a serem unidos na raiz da junta (ver Figura 1 em Ane. xo). 2.2 Acopladetra rio empregado geralmente nas ‘operagoes de montagem de componentes a serem soldados. 2.3 Angulo de arvaste Angulo de deslocamento, quando o ele, trodo esta apontando para a direcao oposta da progressao da solda. Ver Angulo de deslocamento e Figura 2 em ‘Anexo. 2.4 Angulo de avango Angulo de deslocamento, quando o ele trodo esta apontando para a direcao de progressao da solda. Ver Angulo de deslocamento e Figura 2 em Anexo. Eel Origem: ABNT — 1: 41.07-002/88 (TB-338) (CB-1 — Comité Brasileiro de Mineraco « Metalurgia CE-1: 41.07 — Comissfo de Estudo de Unidades de Medidas, Terminologia, Classificago e Simbologia de Soldagem ‘¥641.07-002 — Welding Qualification — Terminology Descriptors: Welding qualification. terminology. welding. ‘Tomou como taxto-bate AWS A 3.0.— 1980 ‘SISTEMA NACIONAL DE ABNT — ASSOCIACAO BRASILEIRA METROLOGIA, NORMALIZAGAO DE NORMAS TECNICAS E QUALIDADE INDUSTRIAL ° Palavras-chave: qualificaglo em soldagem. soldagem. ‘CDU: 621.781:001.4 NBR 3 NORMA BRASILEIRA REGISTRADA ‘Totlos 08 direitos reservados 27 paginas Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 10474/1988 nn Segdes Termos Def inigées 2.5 Angulo de deslocamento a) b) para chapa: Angulo que o eletrodo faz com uma li nha de referéncia perpendicular ao eixo da solda, contida num plano que passa por este eixo. Ver também Angu lo de avango e Angulo de Arraste.Ver Figura 2 em Anexo; para tubo: Zngulo que 0 eletrodo faz com uma Ti nha de referéncia estendendo: do cen tro do tubo até a poca de fusdo, no plano do eixo da solda. Este angulo pode ser usado para definir a posi ¢80 das tochas, pistolas, varetas e feixes de alta energia. 2.6 Angulo de trabalho a) ») para chapas: Angulo formado entre o eletrodoe a superficie do metal de base, no pla no perpendicular ao eixo da solda (ver Figuras 2.a e 2.b em Anexo) ; para tubos: Angulo formado entre o eletrodoe a linha de referéncia tangente do tubo, no plano comum ao eixo da solda (ver Figura 2.c em Anexo). 2.7 Angulo do biset Angulo formado entre a borda do componente ¢ um plano perpendicular & superficie deste componente (ver Figu ra 1 em Anexo). preparada 2.8 Angulo do chanfro Angulo integral entre as bordas prepara das dos componentes (ver Anexo). Figura 1 em 2.9 Bisel Borda do componente a ser soldado, parada na forma angular (ver em Anexo) . pre. Figura 1 2.10 Camada Deposicao de um ou mais passes u tivos dispostos lado a lado (ver Figura 3 em Anexo) . consecu 2a Chanfro Abertura devidamente preparada, perflcie de uma peca ou entre dois ponentes, para conter a solda. Os Cipais tipos de.chanfros sao os tes (ver Figura 4 em Anexo): ras su com pr seguin chanfro em J; chanfro em duplo J; chanfro em U; chanfro em duplo U; chanfro em V; Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10474/1988 3 — Segdes Termos Definicdes 2at Chanfro f) chanfro em X; g) chanfro em meio V; h) chanfro em K; 1) chanfro reto. Cobre junta Material colocado na parte posterior da junta a ser soldada, para suportar o me, tal fundido, durante a soldagem (ver Fi gura 3 em Anexo). ~ 2.13 Ensato Avaliacao realizada em um certo mate rial de maneira preestabelecida, sem a utilizaco de dispositivos laborato rials especfficos, podendo ser sob for ma destrutiva ou nao destrutiva (ver Fi gura 2 em Anexo). ~ Face da rata Parte da face do chanfro adjacente a ralz da junta (ver Figura 1 em Anexo). Face de fuséo Superficie do metal de base a ser fundi da durante a soldagem (ver Figura 6 em Anexo). Face do chanfro Superffcie de um componente preparada previamente, para conter a solda (ver Figura 5 em Anexo). 2A7 Geometréa da junta Forma e dimensées da secdo transversal deuma junta a ser soldada. 2.18 Gotvagem Operacao pela qual se forma um bisel ou um chanfro, através da remocao de mate rial. ~ 2.19 Gotvagem a arco Operacao pela qual se forma um bisel ou um chanfro, através da remocdo de mate rial por arco elétrico. 2.20 Intenetdade de corrente de soldagem Faixa de corrente elétrica aplicada du rante a execugao de solda. 2.21 Junta Regido onde duas ou mais pecas serdo unidas por soldagem. Tipos: de aresta, de topo, de angulo e sobreposta (ver Fi guras 7, 8, 9 10.em Anexo), ~ 2.22 Junta dissimilar Junta constitufda por componentes,cujas composi¢oes quimicas dos metais de base diferem significativamente entre. si 2.23 Linha de fuséo Interface entre a zona de fusio e o me. tal de base (ver Figura 6 em.Anexo). Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 4 NBR 10474/1988, Secao Termos Def inicées 2.24 Mata-junta Ver Cobrejunta. 2.25 Metal de adigao Metal a ser adicionado & uma junta para sua soldagem ou brasagem. 2.26 Metal de base Material a ser soldado, brasado ou cor tado. 2.27 Metal de solda Regio fundida durante a soldacem. 2.28 Metal deposttado Metal de adi¢3o depositado durante a operacdo de soldagem. 2.29 Operador de soldagem Pessoa capacitada a operar equipamento de soldagem automitico ou mecanizado. 2.30 Oseilagao do eletrodo Wedida linear do deslocamento lateral do eletrodo, em relacdo ao eixo da sol da (ver Figura 11 em Anexo). 2031 Passe Ver Passe de solda. 2.32 Passe de revenimento Depésito de solda, feito em condicées que permitam a modificacao estrutural do depdsito anterior e de sua zona afe, tada pelo calor. 2.33 Passe de solda Progressao simples de uma operacdo de soldagem ou revestimento. 0 resultado de um passe € um cordao de solda (ver Figura 3 em. Anexo). 2.34 Passe de solda eatreito | Passe realizado sem movimento oscilato rio apreciavel (ver Figura 11 em Ane xo). 2.35 Passe de solda oscilante | Passe realizado com oscilagao transver sal (ver Figura 11 em Anexo). 2.36 Perna de solda Distancia minima da raiz da junta, a margem da solda em angulo (ver Figura 12 em Anexo). 2.37 Polaridade Ver Polaridade direta e Polaridade’ in versa. 2.38 Polaridade direta Tipo de ligagao para soldagem com cor rente continua, onde o eletrodo € 0 po lo negativo e 0 componente, 0 polo post tivo. Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NAR 10474/1988 5 — Segoes Termos Definicdes 2.39 Polaridade inverea Tipo de ligacio para soldagem com cor rente continua, onde o eletrodo €.0 po lo positivo e 0 componente, o polo nega tivo. 2.40 Pée~aquecimento Aplicagao de calor da junta soldada,bra sada ou cortada, imediatamente apés a operacao de soldagem, de brasagem ou de corte. 2.41 Posicéo de soldagem Angulo formado entre 0 eixo da solda e a horizontal (inclinacao do eixo) e en tre uma linha de referéncia_ perpendicu lar & face da solda e uma linha preesta belecida (rotacao da face) (ver Figuras 13 e 14 em Anexo). 2.42 Posicéo horizontal a) em soldas em ngulo: posi¢ao na qual a soldagem é executa ta na parte superior de uma superfl cie aproximadamente horizontal e con tra uma superficie —aproximadamente vertical. Adota-se a identificacao 2F (ver Figura 15.b em Anexo) ; b) em soldas em chanfro: posi¢ao na qual o eixo da solda esta em um plano aproximadamente horizon tal ea face da solda, em um plano aproximadamente vertical. Adota-se a identificagao 26 (ver Figura 16.b em Anexo) . 2.43 Posicéo horizontal fiza | Posi¢fo na qual o eixo do tubo & aproxi, madamente horizontal, sendo que o tubo nao € girado durante a soldagem. Adota~ se a Identificacdo 56 (ver Figura 17.¢ em Anexo) . 2.44 Posteao hort zontal Posigao na qual 0 eixo do tubo é aproxi_ girada madamente horizontal, sendo que o tubo € girado durante a soldagem, feita na posicao plana. Adota~se a identificacao 1G (ver Figura 17.2 em Anexo). 2.45 Posigao. inelinada Posi¢fo na qual o eixo do tubo é aprox, madamente inclinado a 45°, sendo que © tubo néo é girado durante a soldagem. Adota-se a identificacdo 66 ou 6GR (ver Figuras 17.d e 17.e em‘Anexo). 2.46 Postedo plana Posi¢3o na qual a face da solda fica em um plano aproximadamente horizontal, sen, do.usada para soldar a. parte. superior Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10474/1988 te Secdes Termos Definicées 2.46 Posigao plana da junta. Adotam-se a identificagao IF para soldas em angulo e 16 para soldas em chanfro (ver Figuras 15.2 16.2 em ‘Anexo) . 2.47 Posiedo sobrecabega Posicao na qual executa-se a soldagem pelo lado inferior da junta (ver Figu ras 15.d e 16.d em Anexo), 2.48 Posiedo vertical Posicao na qual o elxo da solda esté em um plano aproximadamente vertical. Ado ta-se a identificacdo 36 para solda em chanfro e 3F para solda em angulo (ver Figuras 15.c e 16.c em Anexo). 2.49 Preaquecimento Aplicacéo de calor ao metal de base, imediatamente antes da operacio de sol dagem, brasagem ou corte. 2.50 Progressdo de soldagem Sentido em que se executa a soldagem a0 longo de uma junta; quando esta junta é posicionada na vertical pode-se ter pro gressao ascendente ou descendente. 2.51 Qualificagao de soldador Demonstracao da habilidade de um solda. dor em executar soldas, de acordo com as variaveis previamente estabelecidas. 2.52 Reforeo da solda Metal depositado em excesso, além do ne cessario paraipreencher a junta“(ver Fi gura 21 em Anexo). 2.53 Revestimento Deposicao de um metal de adicao sobre um metal de base, para obter proprieda des ou dimensoes desejadas. 2.54 Sequéncia de passes Ordem pela qual ocorrem os depésitos unitarios de uma solda multipasse, em relacdo. 4 secao transversal da junta (ver Figura 3 em Anexo). 2.55 Sequéncia de soldagem Ordem pela qual sio executadas as sol. das de um.equipamento. 2.56 Sotda Unto localizada de materiais através de aquecimento a temperaturas adequa das com ou sem aplicacdo de pressao, po dendo-se usar material de adicao, ou so mente com aplicacéo de pressdo sem aque cimento. Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10474/1988 Zz Segdes Termos Definicdes 2.57 Solda autégena Solda executada por fusdo de materiais, sem a participacao de metal de adicdo. 2.58 Solda cirounferencial Solda executada em uma junta circunfe rencial (ver Figura 17 em Anexo) . 2.59 Solda descontinua Solda executada de maneira que a sua continuidade seja interrompida por espa ‘gamentos. sem. sold 2.60 Solda descontinua Ver Solda em cadeia. coinctdente 2.61 Solda descontinua Ver Solda em escalao. ‘intercalada 2.62 Solda de selagem Solda executada com a finalidade de im pedir vazamentos. 2.63 Solda de tampéo Solda executada em um furo circular ou nao, localizado em uma das superficies de uma junta sobreposta ouem T, que une um componente a outro. As paredes do furo podem ser paralelas ou nao, e 0 furo pode ser parcial ou totalmente pre. sei com solda (ver Figura 19 em Ane xo). 2.64 Solda de topo Solda executada em uma junta, cuja se sao transversal as superficies dos com ponentes a serem soldados, esta alinha da aproximadamente num mesmo plano (ver Figura 2.a em Anexo). 2.65 Solda em dngulo Solda cuja secdo transversal apresenta- se aproximadamente triangular, com um Jngulo geralmente reto entre as super ficies avserem unidas (ver Figura 2.B em Anexo) « 2.66 Solda em cadeta Solda descontTnua, executada em ambos 0s lados de_uma junta de angulo, compos, ta por corddes igualmente espacados, de modo que um'trecho dos cordoes se opo. nha.ao outro. (ver Figura. 20°em Anexo). 2.67 Solda em chanfro Solda. executada em uma junta, com bisel previamente preparado (ver Figura 22 em ‘Anexo) . Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 8 NAR 10474/1988 — eee Segoes Termos Def inicées 2.68 Solda em eacalao Solda descont fnua, executada em junta de Engulo, geralmente em T, composta Por'cordées igualmente espacados, de mo. do que um trecho dos cordoes, se oponha a uma parte nao soldada (ver Figura 23 em Anexo) , 2.69 Solda heterogénea Solda executada de modo que a composi G30 quimica do metal de solda, seja sig nificativamente diferente da: composicao do metal de base. 2.70 Solda homogénea Solda executada de modo que a composi go qufnica do metal de isolda, seja Proxima 3 do metal de base. 271 Solda longitudinal Solda paralela ao eixo de um tubo ou no sentido do comprimento de determinada pega (ver Figura 18 em Anexo). 2.72 Solda por costura Solda executada entre ou sobre superfi. cies sobrepostas, podendo ser consti tut da de um Unico passe ou de uma série de a de solda (ver Figura 25 em Ane xo). 2.73 Solda por pontos Solda executada entre ou sobre componen tes sobrepostos, cuja fusio ocorre en tre as superficies em contato ou sobre @ superficie externa de um dos componen tes. A secao transversal da solda no plano da junta é aproximadamente circu lar (ver Figura 24 em.Anexo). 2.74 Solda transversal Solda perpendicular ao sentido do com Primento de uma pega. No caso de tubos denomina-se solda circunferencial. (ver Figura 18 em Anexo) , 2.75 Soldador Pessoa que executa uma operacio de sol dagem manual. ou. semi-automatica. 2.76 Soldagem Método utilizado para unir materiais por meio de. solda. 2.77 Soldagem automditica Soldagem feita com equipamento que exe cuta a operacdo de soldagem, com ajuste dos controles feito por um operador de soldagem, 0 equipamento pode ou n3o po siclonar a peca, Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10474/1988 2 a OE—_ Segdes Termos Definicdes 2.78 Soldagem manual Operacao realizada por equipamento de soldagem, sendo que toda a. sua sequén cia @ executada‘e controlada manualmen te. 2.79 Soldagem semi-automitica | Operacao realizada por equipamento de soldagem que controla somente a alimen tacao do metal de adicao, A progressao da'solda € controlada manualmente. 2.80 Velocidade de aoldagem Velocidade com a qual a solda progride. 2.81 Zona afetada pelo calor | Regiao do metal de base que nao foi fun dida‘ durante a soldagem, mas cujas mi croestruturas e propriedades mecdnicas, foram alteradas devido ao calor da sol dagen (ver Figura 6 em Anexo) . 2.82 Zona de fusdo Area do metal de base fundida, determi nada sobre a seco transversal da solda (ver Figura 6 em Anexo). 2.83 Zona fundida Ver Hetal de solda. /ANEXO Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 10 NBR 10474/1988 Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NeR 10474/1988 n ANEXO ~ FIGURAS Aaguto do chanfro yf faerie ee Face da raiz 1= (a) Angulo do ‘chantro Angulo do Abertura a ve Rolo do chantro Face da raiz 4 (b) FIGURA 1 — Geometria da junta Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. a 0474/1088 a nguio de Angulo de (Angulo; desocamento) wabane | Angulo de i destocamento) \orros equ de ovango CAggulo ge. ‘Sebtceaten nto) AG ee da solda Linha de eantro do tubo FIGURA 2 — Poticfo do eletrodo ou tocha Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10474/1988 13, =< == SF Z 7 on eee Camadas FIGURA 3 — Pastas 0 camadas Z 6 2 > 3 fit EC P\f}t $C F\C 3 £_ kK Il FIGURA 4 — Tipot do chanfro Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. “4 NBR 10474/1988