Você está na página 1de 50

LUCRO REAL E PRESUMIDO

IRPJ E CSLL

Setembro a Novembro de 2013

Rômulo Albuquerque Silva

Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013

SUMÁRIO

1. LUCRO REAL ................................................................................................................... 3
1.1. Empresas Obrigadas à Apuração do Lucro Real ........................................................ 3
1.2. FORMAS DE TRIBUTAÇÃO ....................................................................................... 4
1.3. OPÇÃO PELA FORMA DE TRIBUTAÇÃO ................................................................. 4
1.4. Lucro Real Trimestral .................................................................................................. 4
1.5. Regime da Estimativa Mensal ..................................................................................... 5
1.6. Real Trimestral e Estimativa: Vantagens X Desvantagens ......................................... 5
1.7. REGIME DA ESTIMATIVA .......................................................................................... 6
1.8. Conceito de Receita Bruta .......................................................................................... 6
1.9. Percentuais do Lucro Estimado .................................................................................. 7
1.10. Prestadoras de Serviço com Receita Bruta Anual de até R$120.000,00 ................. 8
1.11. Atividades Imobiliárias ............................................................................................. 9
1.12. Comercialização de Veículos Usados...................................................................... 9
1.13. Cálculo do IR Estimado ......................................................................................... 10
1.14. Cálculo do Adicional Mensal .................................................................................. 10
1.15. Exemplos de Adicional........................................................................................... 10
1.16. Deduções do Imposto ............................................................................................ 11
1.17. Exemplo do Cálculo da Estimativa Mensal ............................................................ 11
1.18. BALANÇO DE SUSPENSÃO/REDUÇÃO DO IR/CSLL ......................................... 12
1.19. Como Praticar a Suspensão ou Redução .............................................................. 12
1.20. Apuração do Lucro Real Intermediário (Balanço de Suspensão/Redução) ........... 12
1.21. Cálculo da Suspensão ou Redução ....................................................................... 13
1.22. Compensação do Imposto pago Anteriormente ..................................................... 13
1.22.1. Quadro-resumo da Suspensão/Redução ........................................................ 16
1.22.2. Recolhimentos da estimativa à maior em 2000: ............................................. 17
1.23. LIVRO DE APURAÇÃO DO LUCRO REAL ........................................................... 18
1.24. Objetivo do LALUR ................................................................................................ 18
1.25. Finalidade do LALUR ............................................................................................. 18
1.26. Lucro Real.............................................................................................................. 18
1.27. Época de Escrituração ........................................................................................... 19
1.28. ADIÇÕES E EXCLUSÕES PERMITIDAS AO LUCRO REAL ................................ 19
1.28.1. Adições ao Lucro Líquido ................................................................................ 20
1.28.2. Exclusões e Compensações do Lucro Líquido................................................ 21
1.29. EXEMPLO DE ESCRITURAÇÃO .......................................................................... 22
1.30. Exemplo de Escrituração da Parte A ..................................................................... 23
1.31. Escrituração da Parte B ......................................................................................... 24
1.31.1. Contas Suscetíveis de Controle ...................................................................... 24
1.31.2. Exemplo de Escrituração da Parte "B" do Lalur .............................................. 25
1.32. COMPENSAÇÃO DE PREJUÍZOS FISCAIS ......................................................... 25
1.33. DEDUÇÕES DO IRPJ / INCENTIVOS FISCAIS .................................................... 26
1.33.1. Quadro Resumo dos Incentivos Fiscais .......................................................... 27
2. LUCRO PRESUMIDO ..................................................................................................... 29
2.1. EMPRESAS IMPEDIDAS AO LUCRO PRESUMIDO ............................................... 29
2.2. APURAÇÃO TRIMESTRAL ...................................................................................... 30

1

Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013

2.3. FORMALIZAÇÃO DA OPÇÃO .................................................................................. 30
2.3.1. Opção definitiva a partir de 1999 ........................................................................ 31
2.4. BASE DE CÁLCULO ................................................................................................. 31
2.5. DETERMINAÇÃO DO LUCRO PRESUMIDO ........................................................... 31
2.5.1. Conceito de Receita Bruta .................................................................................. 31
2.6. Adoção do Regime de Caixa ..................................................................................... 32
2.7. PERCENTUAIS DE PRESUNÇÃO APLICÁVEIS SOBRE A RECEITA BRUTA DA
ATIVIDADE ......................................................................................................................... 32
2.8. Percentual reduzido de apuração do lucro presumido .............................................. 34
2.9. Prestadoras de Serviço com Receita Bruta Anual de até R$ 120.000,00 ................ 34
2.10. Atividades Imobiliárias ........................................................................................... 35
2.11. Comercialização de Veículos Usados.................................................................... 35
2.11.1. Obrigações Acessórias – documentos hábeis................................................. 36
2.12. DEMAIS RECEITAS E GANHOS DE CAPITAL E OUTROS ACRÉSCIMOS À
BASE DE CÁLCULO .......................................................................................................... 36
2.13. OUTROS VALORES QUE DEVEM SER ACRESCIDOS À BASE DE CÁLCULO. 37
2.14. CÁLCULO DO IMPOSTO E ADICIONAL............................................................... 38
2.14.1. Alíquota ........................................................................................................... 38
2.15. Deduções do Imposto ............................................................................................ 38
2.16. Impossibilidade de Dedução de Incentivos Fiscais ................................................ 38
2.17. Exemplo de Cálculo do Imposto Trimestral............................................................ 39
2.18. RECEITAS FINANCEIRAS .................................................................................... 40
2.19. ADICIONAL DE IMPOSTO DE RENDA ................................................................. 40
2.20. EXEMPLO DE CÁLCULO PARA O LUCRO PRESUMIDO ................................... 40
2.21. RECOLHIMENTO DO ADICIONAL ....................................................................... 42
3. CONTRIBUIÇÃO SOCIAL – LUCRO PRESUMIDO ....................................................... 42
3.1. REGIME DE APURAÇÃO – COMPETÊNCIA OU CAIXA ......................................... 42
3.1.1. Regime de Caixa ................................................................................................ 42
3.2. BASE DE CÁLCULO ................................................................................................. 42
3.3. Prestadora de serviços – Percentual desde 01/09/2003 ........................................... 43
3.4. ALÍQUOTA DA CSLL ................................................................................................ 44
3.5. Exemplo de Calculo do Imposto................................................................................ 44
3.6. DEDUÇÕES DO IMPOSTO TRIMESTRAL .............................................................. 45
3.7. RECOLHIMENTO DO IRPJ E DA CSLL (PRESUMIDO) .......................................... 46
3.7.1. Divisão em quotas .............................................................................................. 46
3.7.2. Antecipação do Imposto Devido ......................................................................... 46
4. DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS ......................................................................................... 47
4.1. PREVISÃO NO CONTRATO SOCIAL ...................................................................... 47
4.2. DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS E DIVIDENDOS AO TITULAR, SÓCIO OU
ACIONISTA DA PESSOA JURÍDICA ................................................................................. 48
4.3. Calculo Distribuição de Lucros e Dividendos no Lucro Presumido ........................... 49
4.4. Cálculo da Distribuição de Lucros ............................................................................. 49
4.5. IMPEDIMENTO PARA DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS/ DIVIDENDOS ...................... 49

2

Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013

1. LUCRO REAL

As pessoas jurídicas podem optar pela tributação do lucro, na forma do Lucro Presumido ou Pelo
Lucro Real, e em algumas vezes pelo Lucro Arbitrado. Algumas atividades e acima de um
determinado faturamento, as empresas devem tributar suas receitas na forma do Lucro Real. O
lucro a ser tributado será sobre o montante do lucro líquido ajustado, pelas adições, exclusões e
compensações permitidas pelo Imposto de renda.

Qualquer empresa pode optar, sem qualquer restrição, pela tributação com base no lucro real.
Aliás, este é o regime próprio de incidência do Imposto de Renda, pois, neste regime se demonstra o
resultado efetivo apurado no exercício da atividade.

Para que a empresa possa optar por outro regime deverá verificar a possibilidade de
enquadramento.

Os demais regimes têm por característica a forma simplificada de apuração e escrituração com
possibilidade, em certos casos, de redução da carga tributária.

1.1. Empresas Obrigadas à Apuração do Lucro Real

a) cuja receita total, no ano-calendário anterior, seja acima de R$ 48.000.000,00; (R$
78.000.000,00 a partir de 2014, conforme dispõe o art. 7º da Lei 10.814/2013)

b) Instituições financeiras, empresas de seguros privados, de capitalização, de previdência privada e
equiparadas;

c) que tenham lucros ou rendimentos oriundos do exterior;

d) que gozem de benefícios fiscais de isenção/redução do imposto de renda;

e) que no decorrer do ano tenham efetuado a suspensão ou redução do imposto;

f) empresas de fomento mercantil – “Factoring”;

g) Empresas de construção civil com registro de custo orçado.

h) que explorem as atividades de securitização de créditos imobiliários, financeiros e do
agronegócio. (Incluído pela Medida Provisória nº 472, de 2009, convertida na Lei nº 12.249/2010)

Nota: Tais empresas não poderão optar por outro regime, por exemplo: lucro presumido ou Simples
Nacional (Art. 14 da Lei nº. 9.718/98; art. 246 do RIR/99).

3

Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013

1.2. FORMAS DE TRIBUTAÇÃO

As empresas que apuram o lucro real, durante o ano calendário poderão adotar como forma de
cálculo do Imposto de Renda da CSLL, o Lucro Real Trimestral ou o Lucro Real Anual (estimativa
mensal).

No lucro real trimestral os recolhimentos efetuados são definitivos, ou seja, não estarão sujeitos a
ajustes no encerramento do ano-calendário.

O regime da estimativa tem por característica ser uma forma de antecipação mensal de IR/CSLL,
resultando, portanto, em cálculos provisórios cujos recolhimentos serão ajustados com o IR/CSLL
apurados no encerramento do período-base, normalmente em 31/dezembro. (Artigo 2º, § 6º da IN
SRF nº. 93/97)

Uma vez exercida a opção pelo pagamento mensal do imposto calculado por estimativa, a empresa
deverá apurar o Lucro Real em 31 de dezembro do respectivo ano-calendário.

A diferença constatada entre o tributo (imposto ou contribuição) apurado com base no Lucro Real
em 31.12. XX e a soma dos pagamentos mensais feitos por estimativa no mesmo ano-calendário:

a) quando positiva será paga em quota única, até o último dia útil do mês de março do ano
seguinte;

b) quando negativa será compensada com o tributo mensal a ser pago a partir do mês de janeiro do
ano seguinte (ou será objeto de restituição).

1.3. OPÇÃO PELA FORMA DE TRIBUTAÇÃO

A opção pela forma de tributação se dá com o primeiro recolhimento do imposto no ano-calendário
através do código informado no DARF.

Uma vez efetuada a opção o regime adotado é definitivo para todo o ano-calendário, ou seja, não
poderá ser alterado. (Arts. nºs. 17 e 35, § 2º da IN SRF nº. 93/97 e Art. 13, § 1º da Lei nº. 9.718/98)

1.4. Lucro Real Trimestral

Adotado este regime, a pessoa jurídica deverá ao final de cada período-base (trimestral), apurar o
lucro líquido, nos termos da legislação comercial e fiscal, o que vai lhe exigir escrituração contábil
completa.

Este lucro líquido será transportado para o LALUR para fins ajustes e assim chegando-se à
determinação do lucro real, base de cálculo do IR.

4

· Se o lucro for menor que o lucro · deverá escriturar o diário. estimado. os mesmos previstos para o regime do lucro presumido. inexistência de prejuízos. poderá compensação nos trimestres seguintes ser corrigido a partir do mês seguinte. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Por sua vez. Regime da Estimativa Mensal O regime da estimativa mensal caracteriza-se pela forma simplificada de recolhimento. e haja previsão segura da e o Lalur trimestralmente. inventário estimado. É um sistema facultativo. que o imposto já pago excede o devido no período em curso ou. Real Trimestral e Estimativa: Vantagens X Desvantagens REAL TRIMESTRAL VANTAGENS DESVANTAGENS · imposto é pago trimestralmente e · no caso de lucro real maior que o pode ser parcelado em três quotas. podendo ser adotado quando melhor convier ao contribuinte. Uma vez definida a receita bruta. seguindo o mesmo sistema. exclusões e compensações que lhe são próprias. A esta base deverão ser acrescidas as demais receitas e ganhos de capital. na forma definida pela legislação em vigor. a · No caso de saldo negativo. Para quem está apurando o lucro real.6. este sistema de suspensão/redução é uma das principais formas de planejamento tributário a ser adotada durante o ano-calendário. a CSLL será calculada sobre o lucro líquido ajustado pelas adições. não terá alternativa. 1. ESTIMATIVA MENSAL VANTAGENS DESVANTAGENS · Poderá suspender ou reduzir o · Se não for comparado com o lucro 5 . comprovar que não se deve imposto no período em curso. sobre ela aplicam-se os percentuais de presunção de lucro.5. 1. Neste regime vigora o sistema de suspensão ou redução do IRPJ e CSLL que certamente vai exigir da empresa rígida organização contábil para que se possa comprovar com base em escrituração completa. estará limitada a 30% do lucro. simplesmente. · apurando prejuízo-fiscal.

cobrado pelo contribuinte substituto que figura como mero depositário do imposto cobrado antecipadamente. O lucro é calculado da seguinte forma: a) aplicando os percentuais de presunção sobre a receita bruta. que o efetivamente devido. 1. · Se o lucro real for maior poderá · imposto pago na forma de desconsiderá-lo e simplesmente antecipação não é corrigido durante o recolher o imposto com base no lucro ano.8. ou.1) as vendas canceladas (devoluções). observando-se que: a) não se incluem na receita bruta: a. o preço dos serviços prestados e o resultado auferido nas operações de conta alheia (por exemplo: comissões). b) devem ser excluídos da receita bruta: b. pelo contribuinte substituto que figura como mero depositário do imposto cobrado antecipadamente. b) com base no balancete de suspensão que vai demonstrar o lucro acumulado do período-base. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 imposto mensal se o lucro for menor ou real poderá ser recolhido imposto maior apurar prejuízos-fiscais. · No caso de saldo negativo só será · É um sistema simplificado de corrigido a partir do ano seguinte. estimado. a. 1. a.7.2) o ICMS por substituição tributária.1) o IPI (se a empresa for contribuinte deste imposto) cobrado destacadamente do comprador. opcionalmente. REGIME DA ESTIMATIVA No regime da estimativa a base de cálculo é formada pelo somatório do lucro estimado e demais receitas e ganhos de capital. positivos. Conceito de Receita Bruta A receita bruta sobre o qual se aplicam os percentuais de presunção compreende o produto da venda de bens (mercadorias ou produtos) nas operações por conta própria. do qual o vendedor dos bens é mero depositário. escrituração regular por ocasião de · Os resultados negativos se cada balancete que for utilizado para compensarão automaticamente com os suspensão e redução. apuração. pois os balancetes são apurados de forma acumulada.3) as contribuições ao PIS/PASEP e COFINS cobradas. e 6 . Toma-se por base as · sistema de suspensão exige receitas.

imagenologia. de transporte e de sociedades civis de profissão regulamentada) prestados com exclusividade por 16% empresas com receita bruta anual não superior a R$ 120. imóveis. álcool etílico carburante e gás natural 1. desde que a prestadora destes 8. de combustível derivado de petróleo.000. inclusive representação comercial e corretagem (de Seguros. · Instituições financeiras a entidades a elas equiparadas · Serviços em geral. · Atividade Rural · Atividades Imobiliárias (incorporação e loteamento) · Construção por empreitada. 1. para consumo. patologia clínica. quando houver fornecimento de todo material indispensável à execução da obra (ADN COSIT 06/97.0% serviços seja organizada sob a forma de sociedade empresária e atenda às normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária . etc. inclusive prestados por sociedades civis de profissões regulamentadas · Intermediação de negócios. derrogado pela IN SRF n. Percentuais do Lucro Estimado ATIVIDADE GERADORA DA RECEITA PERCENTUAL · Revenda.Anvisa.6% · Venda de mercadorias e produtos (exceto revenda de combustível para consumo).00.) 7 . para os quais não esteja previsto percentual específico. medicina nuclear e análises e patologias clínicas. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 b. 539/2005) · Outras atividades (exceto prestação de serviços para a qual não esteja previsto percentual específico) · Serviços de transporte (exceto o de cargas) · Serviços (exceto hospitalares. seja indústria ou revenda · Transporte de cargas · Serviços hospitalares. anatomia patológica e citopatologia.9. auxílio diagnóstico e terapia.2) os descontos incondicionais concedidos (que consta da NF e não depende de evento futuro).

000. deduzido dos encargos necessários à sua percepção. d) variações monetárias ativas. inclusive os incidentes sobre valores restituídos ou compensados. Quando paga no prazo previsto acima. não decorrentes de aplicações financeiras. 8 . Podemos citar.00 As empresas exclusivamente prestadoras de serviços em geral. 6º e 7º da IN SRF nº 93/97) 1.00. poderão utilizar. móveis e 32% direitos de qualquer natureza · Factoring · Construção por empreitada. quando houver emprego unicamente de mão-de-obra. para determinação da base de cálculo do imposto.00. 4º. (Arts. quando este não for o objetivo social da empresa. a diferença será recolhida sem acréscimos. A diferença de imposto deverá ser paga até o último dia útil do mês subsequente àquele em que ocorrer o excesso.000. reversão de provisões.10. o percentual de 16%. deverão ser somadas as demais receitas e ganhos de capital. ajuste da equivalência patrimonial. entre outros: a) juros ativos. apurada em relação a cada mês transcorrido. que não sejam de profissão regulamentada e cuja receita bruta não exceder a R$120. À base de cálculo da estimativa. OBS: Não devem ser somadas a base de cálculo os rendimentos de aplicações financeiras. juros sobre o capital próprio. locação ou cessão de bens imóveis. c) receita de locação de bens permanentes. ou material insuficiente para execução da obra. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 · Administração. Exemplo: Dados hipotéticos relativos aos meses de janeiro a abril de 2001. Prestadoras de Serviço com Receita Bruta Anual de até R$120. lucros e dividendos recebidos. b) descontos financeiros obtidos.000. quando houver utilizado o percentual de 16% e a receita bruta acumulada ano período exceder o limite de R$120. e) ganhos de capital nas alienações de bens do ativo permanente. no mês em que forem auferidos. recuperação de créditos que não representem ingresso de novas receitas. Diferença de Imposto: a empresa ficará sujeita ao pagamento da diferença do imposto.

relativo às unidades imobiliárias vendidas. Assim.000. nas operações de venda de veículos usados.00 x 15% = R$2.000.00 16 14.000.000.00.00 20. Comercialização de Veículos Usados A pessoa jurídica que tenha como objeto social. juntamente com o imposto do mês de abril de 2006.11. o 9 .000.00 140. ou seja: Cálculo da Diferença de Imposto Jan a Mar/2006 Valores .R$ % Base de Cálculo do IR Base de Cálculo Acumulada 90.00 32% Até o mês de março de 2001 a empresa utilizou o percentual de 16% sobre o valor da receita bruta de R$90. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Mês Receita Bruta – R$ Acumulado Percentual Jan/2006 20.00 90. 1. O lucro estimado será calculado aplicando-se o percentual de 8% sobre o valor das receitas recebidas(§ 7º do art.00 No exemplo em tela. até o último dia do mês de maio de 2006 (Art.000. 5º da IN SRF nº 93/97).00 Diferença de Imposto Devida: R$14. a compra e venda de veículos automotores deverá observar que. a diferença deverá ser recolhida.000. 3º §4º da IN SRF nº 93/97).00 50.000.00 16% Fev/2006 30.00 16% Mar/2006 40. 3º e inciso I do art.000. tendo em vista que o valor acumulado ultrapassou o limite de R$120.000. construção de prédios destinados à venda deverão considerar como receita bruta o montante efetivamente recebido.12.400. declarado em seus atos constitutivos.400. deverá ser recolhida a diferença de imposto. relativa a utilização do percentual de 16% (32%-16% = 16%).160.00 16% Abr/2006 50. incorporação imobiliária.000. A partir do mês de abril de 2001 passou a utilizar o percentual de 32%. Atividades Imobiliárias As pessoas jurídicas que explorem atividades imobiliárias relativas a loteamento de terrenos.00. 1.

00 _________________________________ R$ 16. 1.00 IRPJ normal = 15% sobre R$ 24.000.00 ___________________________ R$ 400.00 ____________________________ R$ 3.00 IRPJ Adicional = 10% sobre R$ 30.000.000. constante da nota fiscal de venda.000.00 b) Regime da estimativa – cálculo com base em balancete de redução/suspensão em julho de 2005 (7 x R$20. (Art. na determinação da base de cálculo.00 = limite do adicional): Admitindo-se a base de cálculo _________________________________ R$ 110. Assim. Cálculo do Adicional Mensal Estará sujeita à incidência do adicional a parcela a parcela de lucro excedente a R$ 20. § único. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 valor a ser computado na determinação da base de cálculo será apurado segundo o regime aplicável às operações de consignação. será computada a diferença entre o valor pelo qual o veículo usado houver sido alienado. Exemplos de Adicional a) Regime da estimativa – cálculo com base na receita bruta/demais receitas: Admitindo-se a base de cálculo _________________________________ R$ 12.500. e o seu custo de aquisição constante da nota fiscal de entrada (IN SRF nº 152/98).000.00 IRPJ a recolher _______________________________________________ R$ 4.00 = R$140.00 IRPJ = 15% sobre R$ 12. da IN SRF nº 93/97) 1.15.000.13.00 __________________________________ R$ 1.000. Cálculo do IR Estimado Sobre a base de cálculo determinada na forma dos itens anteriores incide o Imposto de Renda determinado pela aplicação da alíquota de 15%.000.00 IRPJ normal = 15% sobre R$ 170.600.14.00 Admitindo-se a base de cálculo _________________________________ R$ 24.00 multiplicada pelo número de meses do período de apuração.000. 8º da IN SRF nº 93/97) 1.500.000.00 __________________________ R$ 3.000.000.000. (Art.00 Admitindo-se a base de cálculo _________________________________ R$ 170.00 IRPJ = 15% sobre R$ 110.000.00 10 .00 IRPJ Adicional = 10% sobre R$ 4.00 ___________________________ R$ 25.800.000. 8º.

00 . 1.000.3) comissões e corretagens.Lucro na venda de um veículo do imobilizado ____________________ R$ 14.Receita Bruta da Atividade Comercial ___________________________ R$ 400. a. a. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 IRPJ a recolher _______________________________________________ R$ 28.Receita Bruta da Prestação se Serviços em Geral _________________ R$ 50.2) remuneração pela prestação de serviços de limpeza e conservação.6) juros remuneratórios do capital próprio. vigilância e locação de mão-de-obra. a. b) o saldo de imposto pago indevidamente ou a maior em períodos anteriores.4) remuneração de serviços de propaganda e publicidade. se pago a partir de 1º de janeiro de 1996.17. Deduções do Imposto A pessoa jurídica tributada com base na estimativa mensal pode deduzir do imposto apurado: a) o Imposto de Renda Retido da Fonte. ou pago pela própria empresa. Admitam-se os seguintes dados.000.000. etc.1) remuneração pela prestação de serviços profissionais.7) outras remunerações sujeitas ao IRRF..5) importâncias recebidas de entidades da administração pública federal.500. sobre receitas computadas na determinação da base de cálculo. a. O imposto de renda pago indevidamente ou a maior em períodos anteriores poderá ser atualizado monetariamente.00 . a. acrescido de juros equivalentes à taxa Selic.Receita de aluguel de um imóvel da empresa ____________________ R$ 6.00 11 . a. pagas ou creditadas à empresa por pessoas jurídicas a título de: a.000.00 . Exemplo do Cálculo da Estimativa Mensal A empresa que tenha optado pelo pagamento do imposto por estimativa(dessa forma obrigada à apuração do Lucro Real). para o mês de janeiro de 2001: . conforme o caso.16.00 1. que ainda não tenham sido objeto de compensação.

..000. Isto quer dizer que a vantagem deve ser aferida em relação aos dois tributos..........R$14........19......................00 R$50...20................ 1.....................................000......000....000.. 1................................00 x 8%.................000.... Assim para definirmos o período de abrangência deveremos observar as seguintes circunstâncias: a) Período de abrangência de empresa constituída até o ano anterior: 12 ........00) 1.....000. Como Praticar a Suspensão ou Redução Os balanços/balancetes deverão ser levantados com observância das lei comerciais e fiscais e transcritas no livro diário......... ou que o valor pago excede o valor do imposto devido.. (Art........R$10..R$16.................R$20..................... Será possível suspender ou reduzir o IRPJ e a CSLL de cada mês desde que se demonstre através de balanço ou balancete do período a inexistência de lucro tributável................00 = R$48...........200......R$4...........00 =Subtotal(Lucro Estimado).....00 – R$20...................000......00 Lucro na Venda de Veículo..000.................00 Acréscimos à base de cálculo: Receita de Aluguel.............00 Base de Cálculo da Estimativa.......... BALANÇO DE SUSPENSÃO/REDUÇÃO DO IR/CSLL O sistema de suspensão ou redução do imposto (IR/CSLL) é próprio do regime da estimativa..000...00 Imposto: 15% x R$68........R$48........... A demonstração do lucro real do período abrangido deverá ser transcrita na parte “A” do LALUR....R$6.R$15....................000..00 (*)Parcela da Base de Cálculo Mensal que excedeu a R$20.R$32.....00. 35 da Lei nº 8..981/95)............000........000.........00 x 32%.....000............... Note-se que a opção pelo sistema de tributação deve ser o mesmo para IRPJ e para CSLL...............00 = Imposto Devido..... Portanto não se fala em suspensão/redução em outro regime de tributação.......000........00 (R$68....000..................................................................800... Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Cálculos Receita Bruta Ajustada R$400...................... Apuração do Lucro Real Intermediário (Balanço de Suspensão/Redução) O balanço/balancete deverá compreender o período transcorrido dentro do ano-calendário.00....R$68................18..00(*)..............................00 Adicional: 10% x R$48.....000.....

02 a 30.02 a 30.21.2005 • de 23. 13 . 1. • de 01.02 para suspensão/redução do imposto apurado em fevereiro.01 para suspensão/redução do imposto apurado em janeiro. b) o IRRF: b1) sobre receitas.22. Ex.01 a 31.02 para suspensão/redução do imposto apurado em fevereiro. à critério da empresa. Se a empresa pretende suspender/reduzir o pagamento de períodos subsequentes deverá levantar novo balancete. • e assim. desconsiderando aqueles levantados anteriormente. b2) aplicações financeiras(somente no Bal. deverá obrigatoriamente recolher com base na receita bruta.04 para suspensão/redução do imposto apurado em abril.Susp. Compensação do Imposto pago Anteriormente Do imposto apurado com base no resultado acumulado poderão ser deduzidos os créditos da pessoa jurídica: a) o imposto pago em períodos anteriores (IR/CSL estimado). b) Empresa que foi constituída durante o ano-calendário. • de 23. sucessivamente. sucessivamente.02 a 30. • de 01.06 para suspensão/redução do imposto apurado em junho. • de 23.01 a 31..07 para suspensão/redução do imposto apurado em julho. • e assim. • de 23.02.07 para suspensão/redução do imposto apurado em julho. 23./Red). O novo balancete será exigido inclusive quando a empresa já tiver demonstrado saldo de imposto a recuperar demonstrado em meses anteriores. Cálculo da Suspensão ou Redução Os valores apurados com base neste sistema servem única e exclusivamente para definir a situação tributária daquele período. Na hipótese em que a empresa optar pela estimativa e não reunir os elementos necessários para adotar este regime de suspensão/redução.01 a 28. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 • de 01.02 a 28. 1. à critério da empresa.

000.000.00 2º PASSO .Calcular IRPJ: considerando que seja___________________ R$ 90.00 Adicional = 10% sobre R$ 240.000.00) Nesta situação poderá ser efetuada a suspensão integral do IRPJ tendo em vista que os créditos (imposto já pago) supera o devido no período em curso.000.00 _________________________________ R$ 54.00 IRPJ a pagar __________________________________________________ R$ 78.2005: Imposto pago por estimativa ____________________________________ R$ 80.2001: 1º PASSO . d) o IR/CSL pago a maior ou indevidamente.Verificar os créditos existentes em 30.00 Total dos créditos _____________________________________________ (R$ 82.000.00 3º PASSO .00 2º PASSO .00: 1º PASSO . Exemplo de Suspensão Integral: Lucro real apurado com base no resultado acumulado em 30.000.000.06.000.Verificar resultado __________________________________ (R$ 4.00) 3º PASSO .000.Cálculo do IRPJ e do Adicional: IRPJ = 15% sobre R$ 360.000. assim: 14 .000.00 _____________________________ R$ 24. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 c) o saldo negativo (IR/CSL) de ano-calendário anterior.06.00 Imposto retido na fonte ________________________________________ R$ 2.000.Verificar resultado comparando os dois sistemas.Créditos existentes: considerando que sejam ____________ R$ 82. Exemplo de Redução: Aproveitando dados do exemplo anterior supondo que a estimativa de junho resulte no imposto a pagar de R$ 10.

....00 3º PASSO ..........000.. Exemplo de Desconsideração do Balancete: 1º PASSO .....000..000.Calcular o IRPJ: considerando que seja _________________ R$ 100..00 -Valor das antecipações já efetuadas -Valor das antecipações já efetuadas .. Vantagem Tributária Tanto na suspensão como na redução o valor que deixou de ser pago..000.000.R$82..Créditos existentes: considerando que sejam ____________ R$ 82.Verificar resultado conforme segue: PELO SISTEMA DA ESTIMATIVA PELO SISTEMA DE SUSPENSÃO -Valor a ser recolhido competência 07/01 -Valor devido no período em . R$92......00 curso.... fica no caixa da empresa a custo zero podendo ser utilizado livremente em suas atividades operacionais..R$82..000....R$10......000.R$90.00 -Valor das antecipações já efetuadas -Valor das antecipações já efetuadas ... Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 PELO SISTEMA DA ESTIMATIVA PELO SISTEMA DE SUSPENSÃO -Valor a ser recolhido competência 07/01 -Valor devido no período em ....... que somada aos créditos de R$ 82.00 . Contudo....00 Somatório das antecipações....00 -Valor a ser recolhido......000.........00 e o que já foi antecipado R$ 82.............R$ 15 .000.....00..R$100. ou até em investimentos..000.....000..00....00 .........00 2º PASSO .....R$82...000..000.............000...........00 totalizará antecipações de R$ 92..........000.000....... se optar pela tributação com base no resultado acumulado deverá ser recolhido mais R$ 8.................... R$ recolhido... que corresponde a diferença entre o devido R$ 90.00 Se optar pelo recolhimento com base na estimativa deverá ser recolhida a importância de R$ 10..........00 curso.R$82....00..000..R$ 8.....R$10.....00 Somatório das -Valor a ser antecipações.000...00.

000. se optar pela tributação com base no resultado acumulado deverá ser recolhido mais R$ 18.03.000. e efetuar o recolhimento de R$ 10.000.00 RB Março 15.00 Redução Abril 12.000.000.000.000.00 20.00.000. que somada aos créditos de R$ 82.22. Isto que dizer que o lucro estimado está sendo mais vantajoso devendo o balancete ser desconsiderado.00 30.000.00-8.00.00.00= Suspensão 16 .000.000.00 Redução Maio 12.000.000.000.000.) 0 -45. Quadro-resumo da Suspensão/Redução Mês Estimativa(RB) Lucro Real Acumulado Janeiro 12.000.00= 5.00 e o que já foi antecipado R$82.00= 7.00 18.00-25.000.00 25.000.000.00 8.00= 12.000.01.00= 10.000.000.00= 15.1.2001 sem acréscimos ou até 31.00 totalizará antecipações de R$ 92.00 Se optar pelo recolhimento com base na estimativa deverá ser recolhida a importância de R$ 10.00(-) Suspensão Junho 10. Desvantagem: Nesta hipótese o resultado acumulado gera um imposto a pagar superior àquele apurado com base na estimativa.00 35.000.000. Contudo. 1.00 Redução Fevereiro 10.000.00.000. que corresponde a diferença entre o devido R$ 100.000. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 92.000.00 50.000.2006 acrescido de juros SELIC.00.000.000. a diferença de imposto a pagar poderá ser paga no ano seguinte.00-18.000.00-35. até 31.00 RB 12.000.00 Julho (Prej. Se a situação persistir até o final do ano.00-35.

000.00 Julho - Fevereiro R$ 10.00 passou a ser considerado pagamento à maior (saldo negativo de IRPJ).00 .000. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 45. Novembro - Junho R$ 10. e pode ser utilizado para compensação com a estimativa nos períodos subsequentes.00 Dezembro (prejuízo) (R$ 45.2001.em 31.000.000.00 Setembro - Abril R$ 10.005: Janeiro R$ 8.000.00 = R$25.00 17 .00 Setembro - Abril R$ 10.000. Novembro - Junho R$ 10.000.00 deu um IRPJ de R$80.000.00 Julho - Fevereiro R$ 10.000.00 Dezembro (com R$10.00 Outubro - Maio .00 Agosto - Março R$ 7. podendo a partir desta data ser corrigido pela taxa SELIC.000.000.00 base na rec.00 – R$ 55.00 Outubro - Maio .00) . Recolhimentos da estimativa à maior em 2000: Janeiro R$ 8.12.000.00 Agosto - Março R$ 7.000.000. o valor de R$ 45.01.00(-) 1. Bruta) R$ 55.000.000.2.A partir de 01. Recolhimentos da estimativa à menor em 2.22.000.000.

Objetivo do LALUR Este livro fiscal tem por finalidade apurar a base de cálculo do IRPJ nas empresas enquadradas no regime do Lucro Real. bem como dos demais valores que devam influenciar a determinação do lucro real de períodos-base futuros e não constem da escrituração comercial. Neste livro deve-se manter os registro de controle dos valores excedentes a serem utilizados no cálculo das deduções nos períodos-base subsequentes. Finalidade do LALUR O Livro de Apuração do Lucro Real (LALUR) existe para assegurar a separação entre a escrituração comercial e a fiscal. Lucro Real A expressão “lucro real” corresponde ao próprio lucro tributável. denominado de “lucro líquido”. e a apuração de resultados e as demonstrações financeiras exigidas pela lei comercial não devem ser distorcidas em razão de conveniências ou imperativos da legislação tributária. 1. Segundo o art. 1.25. exclusões ou compensações prescritas ou autorizadas por este decreto”. No LALUR serão lançados os ajustes do lucro líquido do período-base. cujo ponto de partida é o lucro contábil. devem obrigatoriamente escriturar o Livro Lalur.23. prevista no § 2º do art.000/99 o “lucro real é o lucro líquido do período-base ajustado pelas adições. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 1.598/77.26. para demonstrar o lucro real ajustado.404/76 (Lei das S/A). 247 do Decreto nº 3. Conforme afirmado na Exposição de Motivos que acompanhou o Projeto do Decreto-lei nº 1. da depreciação acelerada incentivada. da exaustão mineral com base na receita bruta. será transcrita a demonstração do lucro real e será efetuado o controle de deduções e compensações. 1. é necessária a separação entre essas duas escriturações porque as informações sobre a posição e os resultados financeiros das sociedades são regulados na lei comercial com objetivos diversos dos que orientam a legislação tributária. 177 da Lei nº 6. vale-transporte e outros previstos no Regulamento do Imposto de Renda. do lucro inflacionário a realizar.24. LIVRO DE APURAÇÃO DO LUCRO REAL As pessoas jurídicas optantes pelo Lucro Real. O lucro tributável baseado no lucro contábil pode ser assim demonstrado: 18 . Este livro tem por finalidade também manter os registro de controle de prejuízos fiscais a compensar em períodos- base subsequentes. dos dispêndios com o programa de alimentação ao trabalhador.

Época de Escrituração a) Trimestralmente: para quem optou pelo lucro real trimestral. 19 .27. com observância das leis comerciais. 247 do RIR/1999. Formalidades Legais Não precisa ser autenticado em nenhuma repartição (Junta Comercial ou Receita Federal). 1. b) data e assinatura do sócio gerente/diretor e do contabilista responsável pela escrituração contábil/fiscal da empresa. somente parte “A”). exclusões ou compensações prescritas ou autorizadas pela legislação tributária. ADIÇÕES E EXCLUSÕES PERMITIDAS AO LUCRO REAL Lucro real é o lucro líquido ajustado pelas adições. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 LUCRO REAL Resultado operacional Lucro líquido (+) resultado não-operacional (contábil) (-) participações nos lucros antes da provisão para IRPJ (+) débitos não-dedutíveis (+) Adições (+) outras adições conforme livro de apuração do lucro real (-) créditos não tributáveis (-) Exclusões (-) outras exclusões conforme livro de apuração do lucro real (-) Compensações (-) compensações de prejuízos-fiscais (=) LUCRO REAL Ajustado das adições. b) Anualmente: para quem optou pelo lucro real anual. Deve conter: a) termo de abertura e encerramento. A determinação do lucro real será precedida da apuração do lucro líquido de cada período na escrituração mercantil. c) No mês em que for levantado o balancete para fins de suspensão ou redução do imposto (neste caso. inclusive no que se refere à constituição da provisão para o Imposto de Renda. conforme art.28. exclusões e compensações 1.

18 da Lei nº 9. exceto se intrinsecamente relacionados com a produção de bens e serviços. planos de saúde e benefícios complementares assemelhados aos da previdência social. d) contribuições não compulsórias. IV) valor das provisões não dedutíveis na determinação do lucro real. cuja constituição é exigida pela legislação especial a elas aplicável. 20 .003/1990 e art. Adições ao Lucro Líquido Na determinação do lucro real. 249 do RIR/1999 e Majur SRF): I) Provisão para a CSLL. seguros e quaisquer outros gastos com bens móveis ou imóveis. manutenção. observados os limites fixados na legislação. para fins de determinação do lucro real. serão adicionados ao lucro líquido do período (Art.1. b) provisões técnicas das companhias de seguro e capitalização. exceto quando relacionados intrinsecamente com a produção ou comercialização dos bens e serviços. c) despesas com alimentação dos sócios. 3º da Lei nº 8. cuja contrapartida não tenha sido computada no resultado desse mesmo período. e) as doações.941/2009) b) despesas de depreciação.28. inclusive mediante resgate ou alienação sob qualquer forma de títulos públicos ou Certificados de Securitização. taxas. reparo. instituídos em favor dos empregados e dirigentes da pessoa jurídica. excluídos na determinação da base de cálculo da contribuição em período anterior. exceto as destinadas a custear seguros. III) valor da reserva de reavaliação. ou em benefício da comunidade onde atuem. nas hipóteses em que deva ser adicionada ao lucro líquido. conservação. bem como das entidades de previdência privada. baixada durante o período. exceto as seguintes: a) provisão para pagamento de férias e 13º salário. amortização.711/1998). impostos. VI) a parcela dos lucros decorrentes de contratos com entidades governamentais. emitidos especificamente para quitação desses créditos (Art. proporcional ao valor das receitas recebidas no período de apuração. V) o valor das despesas não dedutíveis computados no resultado: a) contraprestações de arrendamento mercantil e do aluguel de bens móveis ou imóveis. exceto as efetuadas em favor de instituições de ensino e pesquisa sem finalidade lucrativa e entidades civis sem fins lucrativos que prestem serviços gratuitos em benefício de empregados da pessoa jurídica doadora e seus dependentes. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 1. (VIDE ALTERAÇÕES LEI Nº 11. acionistas e administradores. II) resultado negativo da avaliação de investimentos pela equivalência patrimonial.

28. IX) as despesas com brindes. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 VII) os encargos de depreciação. 22.2. que tenham sido computados como receita. o direito ao diferimento caberá também à empreiteira ou fornecedora. Exclusões e Compensações do Lucro Líquido Na determinação do lucro real poderão ser excluídos do lucro líquido do período (Art. III) o valor das provisões não dedutíveis que tenham sido adicionadas na determinação da base de cálculo de período de apuração anterior e que tenham sido baixadas no período de apuração por utilização ou reversão.249/1995. VI) a diferença entre o valor de mercado e o valor contábil de bens e direitos recebidos a título de devolução de participação no capital social de outra sociedade. no caso de sua capitalização ou manutenção em conta de reserva para esse fim. que tenha sido creditada ao resultado (Art. 250 do RIR/1999): I) o resultado positivo da avaliação de investimentos pelo valor do patrimônio líquido. debitados ao resultado do período de apuração. na proporção da sua participação na receita a receber. produzidos na apuração do resultado na forma do art. amortização. exaustão. emitidos especificamente para essa finalidade. proporcional ao valor das receitas desses contratos. V) a parcela dos lucros decorrentes de contratos de construção por empreitada ou de fornecimento de bens ou serviços celebrados com entidades governamentais. inclusive com Certificados de Securitização. correspondente à correção complementar pela diferença IPC/BTNF. amortização e exaustão e o custo dos bens baixados a qualquer título. II) os lucros e dividendos derivados de investimentos avaliados pelo custo de aquisição. 2º da Lei nº 8. X) os juros remuneratórios do capital próprio. 1. alienação ou baixa por perecimento.249/1995). Nota: No caso de subcontratação de parte da empreitada ou fornecimento. por pessoa jurídica domiciliada no Brasil. assumido pela empresa. quando os créditos com essas pessoas jurídicas forem quitados pelo Poder Público com títulos de sua emissão. realizados no período mediante depreciação. 9º da Lei nº 9. computadas na apuração do resultado e não recebidas até a data do encerramento do trimestre. VIII) o valor da reserva de correção especial do Ativo Permanente (Art.200/1991) proporcional ao valor dos bens submetidos a essa correção especial. bem como o Imposto de Renda incidente na Fonte sobre esses juros. § 4º da Lei nº 9. VII) os rendimentos e ganhos de capital auferidos no Exterior. 21 . desde que devidamente computados no seu resultado. IV) a parcela dos lucros decorrentes de contratos de construção por empreitada ou de fornecimento de bens ou serviços celebrados com entidades governamentais.

00 Pagto NF 539 Restaurante Churrascaria Lazaro Ltda ____________________ R$ 23. devidas pelas pessoas jurídicas a que se refere o § 1º do art.14 III Despesas Indedutíveis Pagto NF 25474 Restaurante Vila Maria Ltda __________________________ R$ 294.212.14 Pagto NF 1058 Café Colônia Ltda ___________________________________ R$ 29.117. correspondente a qualquer período de apuração posterior a 31 de dezembro de 1998.809.53 Pagto NF 2340 Borcato borracharia Ltda ______________________________ R$ 46. IX) a parcela compensável de créditos oriundos da mudança das alíquotas para o Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público .04 I Provisão para a CSLL _________________________________________ R$ 4.29.71 22 .53 Pagto NF 45796 Posto Vanguarda Ltda _______________________________ R$ 23.94 IV Dividendos recebidos Dividendos Participação Química Nacionaliza S/A________________________ R$ 183.71 Pago multa guia recolhimento n/data ____________________________ R$ 29.36 Pagto NF 256879 Restaurante Vila Maria Ltda _________________________ R$ 260. quando houver sido exercida a opção para a tributação antecipada com o benefício da redução da alíquota do imposto.849. 22. de 24 de julho de 1991.30 Pagto NF 1245 Dissoft Vision Ltda ___________________________________ R$ 70.54 Dividendos Participação Balsamo do Campo S/A ___________________________R$ 1.PIS/Pasep. EXEMPLO DE ESCRITURAÇÃO Resultado do Período antes do LALUR ____________________________ R$ 66. 1. da Lei nº 8.58 II Multas registradas Pago multa guia recolhimento n/data ____________________________ R$ 43. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 VIII) a reversão do saldo remanescente da provisão para o Imposto de Renda sobre o lucro inflacionário com tributação diferida.

36 04/12/2005 Pagto NF 256879 Restaurante Vila Maria Ltda 260.25 66.010 31/12/205 Dividendos Participação Química Nacionaliza S/A 183.46 ADIÇÕES Provisão para a CSLL 4.71 1.00 10/11/2005 Pagto NF 539 Restaurante Churrascaria Lazaro Ltda 23.670.99 23 .301.001 31/12/2005 Provisão para a Contribuição Social 4.959.017 05/04/205 Pagto NF 25474 Restaurante Vila Maria Ltda 294.809.1.1.3.85 Despesas Indedutíveis 747.85 31/12/2005 Despesas Indedutíveis registradas na conta 3.2.005 53.301.24 _____________________________ José Salvador Saúde Roberto Pessoa Responsável Contador CRC/PR 9999.94 747.301.58 Multas Indedutíveis 72.80 TOTAL ADIÇÕES 5.54 31/12/2005 Dividendos Participação Balsamo do Campo S/A 1.02.301.30 1706/2005 Pagto NF 1245 Dissoft Vision Ltda 70.009 05/11/2001 Pagto multa guia recolhimento 72.23 EXCLUSÕES Recebimento de Dividendos 1.670.8.80 31/12/2005 Dividendos recebidos registrados na conta 3.849.NATUREZA DOS AJUSTES ADIÇÕES EXCLUSÕES 31/12/2005 CSLL.25 TOTAL DAS ADIÇÕES E EXCLUSÕES 5.444.2.884.20 LUCRO REAL Curitiba.04 TOTAL EXCLUSÕES 1.849.14 15/06/2005 Pagto NF 1058 Café Colônia Ltda 29.117.05.25 DEMONSTRATIVO DO LUCRO REAL RESULTADO DO PERÍODO 61.53 27/11/2005 Pagto NF 2340 Borcato borracharia Ltda 46.1.05.REGISTRO DOS AJUSTES DO LUCRO LIQUIDO DO EXERCÍCIO Folha 1 DATA H I S T O R I C O .25 COMPENSAÇÕES Prejuízo Fiscal de 2000 12.30.1. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 1. 31 de Dezembro de 2.53 14/11/2005 Pagto NF 45796 Posto Vanguarda Ltda 23. registrada na conta 3.04.23 1. Exemplo de Escrituração da Parte A PARTE A .58 31/12/2005 Multas registradas na conta 3.

etc. os saldos que devam ser adicionados ao lucro líquido de exercícios subsequentes terão letra D. deverão ser controlados na Parte B do Lalur. embora não constituam valores a serem excluídos do lucro líquido.provisões não dedutíveis. tais como: .1.31. Contas Suscetíveis de Controle Os valores que devam influenciar a determinação do lucro real de período de apuração futuro e que não são controlados na escrituração comercial devem ser agrupados em contas distintas. ..lucro inflacionário acumulado.lucro não realizado decorrente de contrato a longo prazo com empresa pública. . A coluna D/C do livro destina-se a indicar a natureza devedora (D) ou credora (C) do saldo apurado.perdas excedentes aos ganhos auferidos no mercado de renda variável.depreciação acelerada incentivada. 1. Na Parte B do Livro de Apuração do Lucro Real. . Escrituração da Parte B O registro de controle é efetuado na Parte B do Livro de Apuração do Lucro Real.prejuízos fiscais a compensar.31. passíveis de dedução do Imposto de Renda devido na Declaração de Ajuste. concomitantemente com os lançamentos de ajuste efetuados na Parte A do referido livro no encerramento de cada período de apuração. Portanto. . 24 . . Os incentivos fiscais aproveitáveis em períodos subsequentes. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 1. utilizando-se uma folha para cada conta ou fato que requeira controle individualizado. serão efetuados os controles dos valores que devam influenciar a determinação do lucro real de períodos de apuração subsequentes. segundo a sua natureza. e os que devam ser excluídos terão letra C.

30%. ou seja. observadas as normas pertinentes à compensação que as autorizam: De acordo com o art.00) Lucro real antes da compensação de prejuízos fiscais _______________ R$ 600.00 e. no máximo.20 C 31/12/2005 Prejuízo fiscal compensado no exercício 12/05 D 12.000.00 Adições ______________________________________________________ R$ 200.2.00 Exclusões ____________________________________________________ (R$100.444.995 o lucro real de cada período-base poderá ser reduzido em função da compensação de prejuízos fiscais em. se o saldo de prejuízos fiscais a compensar: 25 . COMPENSAÇÃO DE PREJUÍZOS FISCAIS A partir de 1. portanto.000. Corrigir 31/12/2000 Prejuízo Fiscal apurado no exercício 12/00 12. no máximo.00 Nesta hipótese.20 1. R$ 180. Exemplo: Lucro Líquido do Período Base __________________________________ R$ 500. 42 da Lei n. o limite máximo para a compensação de prejuízos de períodos-base anteriores é de 30% de R$ 600.20 12. 30% (trinta por cento).º 8981/95. o lucro real de cada período-base (lucro líquido ajustado pelas adições e exclusões previstas ou autorizadas pela legislação do Imposto de Renda) poderá ser reduzido em função da compensação de prejuízos fiscais em.00.000.000. As pessoas jurídicas poderão compensar os prejuízos fiscais apurados em períodos-base anteriores.000.000. Exemplo de Escrituração da Parte "B" do Lalur PARTE B .CONTROLE DE VALORES QUE CONSTITUIRÃO AJUSTE DO LUCRO LIQUIDO EM EXERCÍCIOS FUTUROS FOLHA 26 CONTA : Conta: Prejuízo Fiscal Ano Calendário 2000 Para efeitos de Correção Monetária Controle de Valores Valor DATA H I STÓRICO Mês de Valor a Coeficiente Débito Crédito Corrigido D/C Ref.31.444. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 1.32.444. A mesma limitação se aplica em relação à base de cálculo da CSLL.

apurado em cada período de apuração. PDTI – PDTA: Programa de desenvolvimento tecnológico industrial ou agropecuário: foi reduzido para 4% do IRPJ normal (até 1997 estava limitado a 8%).00. trimestral ou anual. para ser compensado com o lucro real que vier a ser apurado nos períodos-base subsequentes. (limite de 1%) PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À ATENÇÃO ONCOLÓGICA – PRONON E PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À ATENÇÃO DA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 .PRONAS/PCD – até 4% do imposto 26 .33. DEDUÇÕES DO IRPJ / INCENTIVOS FISCAIS A partir do ano-calendário de 1998 os incentivos fiscais de dedução do IR estão dispostos da seguinte forma: PAT: reduzido para 4% do IRPJ normal (até 1997 o limite era 5%). deve-se respeitar a limitação de 30% do Lucro Real Acumulado. DOAÇÕES AOS CONSELHOS DOS DIREITOS DA CRIANÇA: foi mantida a dedução de até 1% do IRPJ normal. . sempre respeitado o limite de 30%. A parcela de prejuízos fiscais apurados até 31. devendo permanecer registrado na conta de controle da parte B do LALUR. pela pessoa jurídica tributada com base no lucro real os valores despendidos a título de patrocínio ou doação. na forma da legislação então aplicável. sem limite de prazo desde que nesta data fossem ainda passíveis de compensação. poderá ser totalmente compensado. compensados. e . poderá ser compensada nos anos-calendário subsequentes. 1. integral e automaticamente. o excedente não poderá ser compensado neste período-base.94. OPERAÇÕES DE CARÁTER CULTURAL E ARTÍSTICO: foi reduzido para 4% do IRPJ normal (até 1997 o limite era 5%). ATIVIDADE AUDIOVISUAL: foi mantida a dedução de até 3% do IRPJ normal. que não for compensada em virtude dessa limitação. INCENTIVO AO DESPORTO: poderão ser deduzidos do imposto de renda devido.12.000.não ultrapassar R$180. hipótese em que os prejuízos gerados no próprio ano-calendário em curso são.se ultrapassar esse limite. no apoio direto a projetos desportivos e paradesportivos previamente aprovados pelo Ministério do Esporte. Se por ocasião da suspensão ou redução do imposto do período em curso houver aproveitamento de prejuízos fiscais do ano calendário anterior. Nota: Não confundir com apuração do lucro real com base em balanço ou balancete de suspensão ou redução do imposto mensal.

ou. (c)balancetes de suspensão/redução. 40% das doações Decretos nºs OPERAÇÕES Projetos aprovados com 1. com as alterações IN/SE – da MP nº 1. 25 e 26 da Lei nº 489 e 543 do 8. Dedução do Imposto Devido Os incentivos fiscais poderão ser deduzidos do IRPJ normal apurado durante o ano de acordo com a opção de tributação da pessoa jurídica: (a)balanço trimestral.493 e CULTURAIS base no art.383/91.589/97 e edições MinC/SRF nº posteriores da MP nº 1/95. 475 a base arts. e o disposto no § 4o do art. 3o da Lei no 9. (b)regime da estimativa. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 devido. 1. de 26 de dezembro de 1995. for menor 4% 543 e 581 a 15% dos dispêndios com o 588 do PDTI ou PDTA PDTI/PDTA incorridos no 4% RIR/99 período Projetos aprovados com Arts.249. com exceção ao incentivo ao Desporto que não é considerado neste limite. (Medida Provisória nº 563/2012) Limites de Dedução Global Observado o limite específico de cada incentivo. observado o limite global de que trata o § 7o. 504.871/99: SRF nºs até 100% do somatório das 56/94 e 27 . PAT 4% refeições fornecidas. 540. Quadro Resumo dos Incentivos Fiscais INCENTIVO CÁLCULO DO INCENTIVO LIMITES BASE LEGAL FISCAL INDIVIDUAL GLOBAL 15% da despesa líquida ou 15% de R$ 1. o que 526.383/91: 30% patrocínios e RIR/99. deve ser respeitado ainda o limite global de 4%. 8.494/95. 18 da Lei nº 4% 4% 1. I.99 x nº Arts.1.739/98 e MP nº 1. e Ins 1.33.

438/2006. 1º da Lei NACIONAL DO total das doações feitas aos 1% Criança e do nº IDOSO Fundos Nacional. vedada a dedução como 28 . e IN DOS DIREITOS realizados SRF nº DA CRIANÇA 86/94. EMPRESA prorrogação prorrogação da licença. em cada Fundos dos FUNDO período de apuração. total da remuneração da empregada Instrução pago no Dedução do imposto de Normativa PROGRAMA período de renda em relação à RFB nº 991. Cultura Arts.213/2010 ou Municipais do Idoso não poderá devidamente comprovadas. AO ESPORTE 1% NÃO HÁ previamente aprovados pelo Decreto nº (DESPORTO) Ministério do Esporte 6. Projetos desportivos e Art. Estaduais Adolescente. janeiro de licença- 2010. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 doações e patrocínios 62/95 Valores efetivamente aplicados na aquisição ATIVIDADE primária de certificados de 3% AUDIOVISUAL investimento em projetos aprovados Min. 543 e DOAÇÕES 591 do CONSELHO Doações efetivamente 1% NÃO HÁ RIR/99. maternidade. de 21 de CIDADÃ – de sua maternidade. do Direitos da Art. 1º da Lei INCENTIVO paradesportivos 11. 12. ultrapassar 1% do imposto devido.180/2007 somado àquele relativo às Dedução do Imposto de doações aos Renda devido.

000.814/2013) b) instituições financeiras.000. de previdência privada e equiparadas. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 despesa operacional. 246 do RIR/99) a) cuja receita total.00 a partir de 2014. de capitalização. a tributação pelo Imposto de Renda segundo as regras do lucro presumido é. e) que no decorrer do ano tenham efetuado a suspensão ou redução do imposto. dos Lei nº 4% PRONAS/PCD Programa nacional de apoio patrocínios. por cento PRONON E .715/2012. dedução como despesa operacional. o que tem despertado o interesse de um número cada vez maior de empresas. no ano-calendário anterior. seja acima de R$ 48. 2. bastante prática e simplificada. c) que tenham lucros ou rendimentos oriundos do exterior. cinquenta por cento das doações Programa nacional de apoio e quarenta à atenção oncológica. (R$ 78. pois se baseia em mera presunção de lucro. empresas de seguros privados. 29 .000. conforme dispõe o art. LUCRO PRESUMIDO Embora não seja a forma mais adequada sob o ponto de vista econômico.00. 7º da Lei 10. na verdade. EMPRESAS IMPEDIDAS AO LUCRO PRESUMIDO Empresas impedidas de optar pelo lucro presumido por serem obrigadas à apuração do lucro real: (art. 2.000. d) que gozem de benefícios fiscais de isenção/redução do imposto de renda. 12. à atenção da saúde da vedada a pessoa com deficiência.1. principalmente daquelas impedidas de optar pelo Simples.

249/2010) 2. ressalvada a alternativa de apuração com base na estimativa mensal para empresas sujeitas a apuração do lucro real anual. g) que explorem as atividades de securitização de créditos imobiliários. convertida na Lei nº 12. 30 de junho. considera-se formalizada a opção mediante a indicação. 30 .3. a opção será manifestada com o pagamento da primeira quota ou quota única do imposto apurado no primeiro trimestre cujo vencimento se deu em 30/04/2001. financeiros e do agronegócio. presumido ou arbitrado apurado em períodos de apuração encerrados em 31 de março. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 f) empresas de fomento mercantil – “Factoring”. com base no lucro real. 26 da Lei nº 9. 1º Trimestre Janeiro /Fevereiro /Março Período de Apuração: 31 de março 2º Trimestre Abril/ Maio/ Junho Período de Apuração: 30 de junho 3º Trimestre Julho/ Agosto/ Setembro Período de Apuração: 30 de setembro 4º Trimestre Outubro/Novembro/Dezembro Período de Apuração: 31 de dezembro 2. 1º da Lei nº 9. no campo 04 do DARF. Assim. Portanto. FORMALIZAÇÃO DA OPÇÃO Podem optar pelo lucro presumido todas as pessoas jurídicas não obrigadas a apuração do Imposto com base no lucro real. (Incluído pela Medida Provisória nº 472.2. o Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas passou a ser determinado trimestralmente. APURAÇÃO TRIMESTRAL A partir de 1997.430/96). do código de receita próprio do imposto apurado nesse regime de tributação (2089). 30 de setembro e 31 de dezembro de cada ano (art.430/96). de 2009. A opção pela tributação com base no lucro presumido será manifestada com o pagamento da primeira ou única quota do imposto devido correspondente ao primeiro período de apuração de cada ano-calendário e será aplicada em relação a todo o período de atividade da empresa em cada ano-calendário (art. em relação ao ano-calendário de 2001.

31 . 13 da Lei nº 9.1) o IPI (se a empresa for contribuinte deste imposto) cobrado destacadamente do comprador.4. 2. art. cobrado pelo contribuinte substituto que figura como mero depositário do imposto cobrado antecipadamente. a. o valor resultante da aplicação dos percentuais de presunção indicados no quadro a seguir. o preço dos serviços prestados e o resultado auferido nas operações de conta alheia (por exemplo: comissões). § 2º da Lei nº 9. 25. o débito deverá ser pago com os acréscimos legais cabíveis. em relação ao mesmo ano-calendário (Lei nº 9. 224 e 519 do RIR/99): a) não se incluem na receita bruta: a. pela soma das seguintes parcelas (arts. de lucro presumido para lucro real. Opção definitiva a partir de 1999 Até 31.5. Ocorrida este hipótese. DETERMINAÇÃO DO LUCRO PRESUMIDO 2.430/96): 1. observando-se que (Art. de acordo com o § 1º do art. Conceito de Receita Bruta A receita bruta sobre o qual se aplicam os percentuais de presunção compreende o produto da venda de bens (mercadorias ou produtos) nas operações por conta própria.1. BASE DE CÁLCULO O lucro presumido será apurado.1. e 2. 2. a partir do ano-calendário de 1999 a opção pela tributação com base no lucro presumido passa a ser definitiva em relação a todo o ano-calendário.430/96.718/98.430/96).5. 51 e 53 da Lei nº 9.3. sobre a receita bruta da atividade auferida em cada trimestre. incorporado ao § 1º do art.12. 516 do RIR/99. demais receitas e ganhos de capital e outros acréscimos á base de cálculo. §§ 3º e 4º). Não impede o exercício da opção pela tributação com base no lucro presumido o fato de a empresa não ter efetuado o pagamento nos prazos legais ou ter pago com insuficiência. 26. 5º da IN SRF 93/97 e Art. trimestralmente. 2. do qual o vendedor dos bens é mero depositário.2) o ICMS por substituição tributária. Todavia. 26. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 A pessoa jurídica que iniciar atividade a partir do segundo trimestre manifestará a opção pelo lucro presumido com o pagamento da primeira quota ou quota única do imposto devido relativo ao período de apuração de início de atividade (art.1998 era admitido que a pessoa jurídica alterasse sua opção.

somente no mês do efetivo recebimento. para efeito de determinação do lucro presumido. auxílio diagnóstico e terapia.6. em registro individual.3) as contribuições ao PIS/PASEP e COFINS cobradas. 2. anatomia patológica e citopatologia. Adoção do Regime de Caixa Alternativamente ao regime de competência. PERCENTUAIS DE PRESUNÇÃO APLICÁVEIS SOBRE A RECEITA BRUTA DA ATIVIDADE ATIVIDADE GERADORA DA RECEITA PERCENTUAL · Revenda. 2. a receita de venda de bens ou direitos ou de prestação de serviços com recebimento a prazo ou em parcelas seja reconhecia segundo o regime de caixa. álcool etílico carburante e gás natural 1. patologia clínica.1) as vendas canceladas (devoluções). pelo contribuinte substituto que figura como mero depositário do imposto cobrado antecipadamente.6% · Venda de mercadorias e produtos (exceto revenda de combustível para consumo). seja indústria ou revenda · Transporte de cargas · Serviços hospitalares. a nota fiscal a que corresponder o recebimento. e b. desde que observadas as seguintes regras (IN SRF nº 104/98): a) que escriture apenas o livro Caixa: deve emitir a nota fiscal por ocasião da entrega do bem ou direito ou da conclusão do serviço e indicar. medicina nuclear e análises e patologias clínicas. para consumo. a nota fiscal a que corresponder cada recebimento. é admitido que. de combustível derivado de petróleo. b) devem ser excluídos da receita bruta: b. desde que a prestadora destes serviços seja organizada sob a 8. imagenologia.7.2) os descontos incondicionais concedidos (que consta da NF e não depende de evento futuro). b) pessoa jurídica que mantenha escrituração contábil: deverá controlar os recebimentos de suas receitas em conta específica e indicar nessa conta. em cada lançamento. ou seja. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 a. no livro Caixa.0% forma de sociedade empresária e atenda às normas da Agência 32 .

000.00 · Serviços em geral. derrogado pela IN SRF n. quando houver emprego unicamente de mão-de-obra. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Nacional de Vigilância Sanitária . 539/2005) · Outras atividades (exceto prestação de serviços para a qual não esteja previsto percentual específico) · Serviços de transporte (exceto o de cargas) · Serviços (exceto hospitalares. inclusive representação comercial e corretagem (se Seguros. ou seja. quando houver fornecimento de todo material indispensável à execução da obra (ADN COSIT 06/97. para os quais não esteja previsto percentual específico. sem o emprego de materiais 33 . · Atividade Rural · Atividades Imobiliárias (incorporação e loteamento) · Construção por empreitada. móveis 32% e direitos de qualquer natureza · Construção por empreitada. inclusive prestados por sociedades civis de profissões regulamentadas · Intermediação de negócios. locação ou cessão de bens imóveis.ANVISA. imóveis. etc.) · Administração. de transporte e de sociedades civis de profissão regulamentada) prestados com 16% exclusividade por empresas com receita bruta anual não superior a R$ 120.

o percentual de 16% (Art.000.000. passou a utilizar o percentual de 32%. para determinação da base de cálculo do imposto.00 90.36 da IN SRF Nº 93/97 e Art.000. Exemplo: Ano de 2009 Receita Bruta – R$ Receita Acumulada Percentual 1º Trimestre 90.000.00. 519 do RIR/99). a empresa utilizou o percentual de 16% sobre o valor da receita bruta acumulada de R$ 90.00. A partir do 2º trimestre de 2001.00.000. Diferença de Imposto: a empresa ficará sujeita ao pagamento da diferença do imposto.000. Prestadoras de Serviço com Receita Bruta Anual de até R$ 120.00 para determinar o valor do imposto.9.000.00 As empresas exclusivamente prestadoras de serviços em geral.000. quando houver utilizado o percentual de 16% e a receita bruta acumulada ano-calendário exceder o limite de R$ 120. apurada em relação a cada trimestre transcorrido. 34 .00 200. que não sejam de profissão regulamentada e cuja receita bruta não exceder a R$120.00 2.00 32% No primeiro trimestre de 2009. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 2. Percentual reduzido de apuração do lucro presumido Regra prática para verificar quando pode reduzir o percentual de 32% para 16% (quando não há um percentual específico) 1ª Condição Não ser profissão regulamentada 2ª Condição Ser exclusivamente prestação de serviços 3ª Condição Receita Bruta até R$ 120. poderão utilizar. A diferença de imposto deverá ser paga até o último dia útil do mês subsequente ao trimestre em que ocorrer o excesso.000. tendo em vista que o valor acumulado ultrapassou o limite de R$ 120.000.8.00 16% 2º Trimestre 110.

000. A diferença calculada na forma abaixo deverá ser recolhida até o último dia do mês de julho de 2009.160.R$ % Base de Cálculo do IR Base de Cálculo 90. 9.000.00 (-) Valor total pago pelos veículos vendidos no trimestre R$ 200. 3º e inciso I do art. Comercialização de Veículos Usados A pessoa jurídica que tenha como objeto social.00 Se for somente esta a receita auferida no trimestre. 5º da Lei nº.00 Diferença de Imposto Devida: R$ 14. relativo às unidades imobiliárias vendidas. incorporação imobiliária. o lucro presumido será assim determinado: 35 . o valor a ser computado na determinação da base de cálculo será apurado segundo o regime aplicável às operações de consignação.10. a compra e venda de veículos automotores deverá observar que.000.400. Exemplo: Receita da venda de veículos no trimestre R$ 300. declarado em seus atos constitutivos. construção de prédios destinados à venda deverão considerar como receita bruta o montante efetivamente recebido. Cálculo da Diferença de Imposto 1º Trimestre Valores .00 x 15% = R$ 2.00 - (=) Receita auferida (equiparada à consignação) R$ 100.11. 2. constante da nota fiscal de venda. (art. nas operações de venda de veículos usados.00 16 14. será computada a diferença entre o valor pelo qual o veículo usado houver sido alienado. Atividades Imobiliárias As pessoas jurídicas que explorem atividades imobiliárias relativas a loteamento de terrenos. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Nesta hipótese a empresa deverá recolher a diferença de imposto utilizando o percentual de 16% sobre o valor da receita bruta do 1º trimestre de 2009. e o seu custo de aquisição constante da nota fiscal de entrada (IN SRF nº 152/98). na determinação da base de cálculo.716 de 1998) Assim. O lucro presumido será calculado aplicando-se o percentual de 8% sobre o valor das receitas recebidas (§ 7º do art.000.00 2.400. sem qualquer acréscimo legal. 5º da IN SRF nº 93/97).

000. por ser equiparado à consignação) poderá utilizar percentual reduzido em 16% até R$ 120.00 Juros recebidos de clientes 0. diminuído dos encargos de depreciação.00 Juros s/ PL recebidos 0.00 Variação monetária ativa 0.000.11.800. modelo 1 ou 1-A pelo alienante. se este for obrigado a sua emissão.95. que correspondem à diferença positiva verificada no trimestre entre o valor da alienação e o respectivo valor contábil do bem.000. Obrigações Acessórias – documentos hábeis A compra desses veículos será documentada mediante Nota Fiscal.36 da IN SRF nº 93/97): a) os ganhos de capital auferidos na venda de ativos.00 Variação cambial Ativa 0. 2.000.00 Mais Receitas Financeiras Bruta 0. 36 .00 mês R$ xxxxxxxx 60.000.00 Lucro Presumido % 32% 32. esta será emitida pelo adquirente. corrigido monetariamente até 31.00 no ano-calendário.00 Outras receitas eventuais 0.00 anual OBS: esta atividade (venda de veículos usados. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Faturamento bruto – Cancelamentos 100.1.12. deverá ser emitida Nota Fiscal.00 Ganho de Capital 0.00 AIR 10% excedente R$ 20.12.00 Aluguéis recebidos 0. 2.521 do RIR/99 e Art. amortização ou exclusão.000.00 Descontos Obtidos 0.00 IRPJ 15% 4. modelo 1 ou 1-A .00 trimestre R$ 240. Na posterior revenda. emitida pelo alienante.000. Quando o alienante for pessoa física ou pessoa jurídica não obrigada a emissão de nota fiscal.00 (=) 32. DEMAIS RECEITAS E GANHOS DE CAPITAL E OUTROS ACRÉSCIMOS À BASE DE CÁLCULO Deverá ser adicionado ao lucro presumido (Art.

6) multa ou qualquer outra vantagem paga ou creditada por pessoa jurídica. houver sido tributada com base no lucro real deverá adicionar. c. inclusive com perdas no recebimento de créditos (exceto se comprovar não os ter deduzido em período anterior). 37 . descontos financeiros obtidos e juros ativos (não decorrentes de aplicações financeiras). também. c. 520 do RIR/99).4) rendimentos auferidos nas operações de mútuo realizadas entre pessoas jurídicas controladas.5) receita de locação de imóvel.430/96 e Art. 54 da Lei nº 9.022/2010) c) demais receitas ou resultados. de mercadorias e de futuros ou no mercado de balcão. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 b) os rendimentos de aplicações financeiras de renda fixa e os ganhos líquidos de aplicações financeiras de renda variável. quando do resgate. até o ano-calendário anterior. 2. ainda que a título de indenização.8) ganhos auferidos em operações de cobertura (hedge) realizadas em bolsas de valores. c. tais como: a) lucro inflacionário a tributar.13.7) valores recuperados correspondentes a custos e despesas. em virtude de rescisão de contrato.2) juros equivalentes à taxa SELIC relativos a tributos a recuperar. c. (IN RFB n. coligadas ou interligadas.1) variações monetárias ativas. OUTROS VALORES QUE DEVEM SER ACRESCIDOS À BASE DE CÁLCULO A pessoa jurídica que. quando não for este o objeto social da pessoa jurídica. c. c) lucro não realizado relativo a vendas de bens do ativo permanente com recebimento do preço em prazo que ultrapassa o ano-calendário seguinte ao da contratação. b) lucro não realizado decorrente de contratos com entidades governamentais. os saldos dos valores cuja tributação havia sido diferida e controlados na parte B do LALUR (art. cessão ou alienação do título. c. c. tais como: c. à base de calculo do imposto correspondente ao primeiro período de apuração no qual houver optado pelo lucro presumido. controladoras. 1.3) os juros sobre o capital próprio que houverem sido pagos ou creditados por outra pessoa jurídica da qual a empresa seja sócia.

541 do RIR/99).5) rendimentos de aplicações financeiras.14. 526 do RIR/99): a) o Imposto de Renda Retido da Fonte.7) juros remuneratórios do capital próprio. etc.532/97). b) o saldo de imposto pago indevidamente ou a maior em períodos anteriores.16.8) outras remunerações sujeitas ao IRRF. 2. do imposto apurado com base no lucro presumido (Art.15. a título de incentivo fiscal. a.01. O adicional incide sobre a parcela do lucro presumido trimestral excedente a R$ 60. a.14.. Alíquota O imposto trimestral devido deve ser calculado. Deduções do Imposto A pessoa jurídica tributada com base no lucro presumido pode deduzir do imposto apurado em cada trimestre (Art. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 2. 38 . a. sobre receitas computadas na determinação da base de cálculo.00. conforme o caso. mediante aplicação da alíquota de 15% sobre a base de cálculo (Art. que ainda não tenham sido objeto de compensação. ou pago pela própria empresa.1) remuneração pela prestação de serviços profissionais. a. 542 do RIR/99).6) importâncias recebidas de entidades da administração pública federal. mediante aplicação da alíquota de 10% (Art.1998 deixou de ser permitida qualquer dedução.2) remuneração pela prestação de serviços de limpeza e conservação. pagas ou creditadas à empresa por pessoas jurídicas a título de: a.3) comissões e corretagens. em reais. 10 da Lei nº 9. a.000.1. CÁLCULO DO IMPOSTO E ADICIONAL 2. vigilância e locação de mão-de-obra. a. Impossibilidade de Dedução de Incentivos Fiscais A partir de 1º. a. 2.4) remuneração de serviços de propaganda e publicidade.

000.00 IRRF s/ rendimentos de aplicação financeira ______________________ R$ 500.910.210.000.00 __________ R$ 85.3) (-) IRRF __________________________________________________ R$ 500. respectivamente.00 Rendimentos de aplicação financeiras ____________________________ R$ 2.100.000. teríamos: a) Apuração da lucro presumido da atividade a.00 (-) IPI _______________________________________________________ R$ 110.1) Lucro presumido da atividade _______________________________ R$ 181.000.00 Lucro Presumido da atividade __________________________________ R$ 181.1) Receita da venda de produtos: 8% de R$ 1. e considerando-se os percentuais de 8% e 32%.100.00 Total do imposto devido _______________________________________ R$ 46.00 a.00 __________ R$ 96.000.000.775.070.600.000.00 c) Cálculo do imposto a pagar relativo ao 1º trimestre de 2009 c.365.00 Base de cálculo do IR trimestral _________________________________ R$ 209.00 b.2) Receita de prestação serviços: 32% de R$ 300.00 b.00 Imposto líquido a pagar ________________________________________ R$ 45.1) Imposto normal (R$ 209.00 c.3) Rendimentos de aplicação financeira ________________________ R$ 2.500.500.600. para receita de venda de produtos e para a de prestação de serviços.600.000.000.17.00 x 15%)________________________ R$ 31. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 2.00 Ganho de capital na venda ativo permanente______________________ R$ 25.00 b) Determinação da base de cálculo do imposto b.275. Exemplo de Cálculo do Imposto Trimestral Admitamos que uma empresa optante pela tributação com base no lucro presumido apresente os seguintes dados no 1º trimestre de 2009: Receita da venda de produtos de fabricação própria: Total das vendas (inclusive IPI) _________________________________ R$ 1.00 Com base nesse dados.00 Receita de prestação de serviços ________________________________ R$ 300.100.00 (-) Devoluções recebidas (líquidas IPI) ____________________________ R$ 30.00 Receita de venda a ser considerada ______________________________ R$ 1.2) Ganho da capital na alienação bem do Ativo Permanente _______ R$ 25.00 Receita de vendas_____________________________________________ R$ 1.00 39 .100.00* x 10%) ____________________________ R$ 14.000.00 c.000.2) Adicional (R$ 149.070.

2. deve ainda calcular o valor do Adicional de Imposto de Renda. Aplica-se então a alíquota de 10% sobre o excesso. a base de cálculo do adicional será a soma do lucro real apurado nas atividades em geral com o lucro real apurado na atividade rural. ADICIONAL DE IMPOSTO DE RENDA Na forma do art. 242 e 243 do Regulamento do Imposto de Renda. inclusive. RECEITAS FINANCEIRAS Quando houverem receitas financeiras. Porem.000. Referente a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido – CSLL. superior a R$ 60. será pago juntamente com o imposto devido. EXEMPLO DE CÁLCULO PARA O LUCRO PRESUMIDO Exemplo de cálculo do adicional de imposto de renda. de 1995. 228. com a base presumida de 8% sobre a Receita Bruta da atividade da empresa no trimestre.19. 542 e 543 do Regulamento de Imposto de Renda. de 24 de dezembro de 1997. Esse adicional aplica-se. nos casos de incorporação. fusão. 2. sem nenhuma dedução.18. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 * base de cálculo do adicional: lucro presumido que excedeu a R$ 60. § 3º). conforme disposto na planilha a seguir: 40 . O adicional.20. artigo 38. não há a incidência do adicional de imposto que trata os arts. art. A alíquota do adicional é única para todas as pessoas jurídicas. ganhos de capital e demais receitas não operacionais.00. Neste mesmo trimestre a empresa obteve um ganho liquido na alienação de um bem do Ativo Imobilizado no valor de R$ 100.00.00 (vinte mil reais). ficará sujeita à incidência do adicional do imposto à alíquota de 10% . Nota: A Instrução Normativa nº 93. No caso de atividades mistas.000. 228. dispõe sobre o adicional de 10% (dez por cento) sobre a parcela que exceder a R$ 20. para uma empresa com atividade de comércio de mercadorias.000. parágrafo 1º.249. nos mesmos prazos e código. sobre os resultados tributáveis de pessoa jurídica que explore atividade rural (Lei nº 9. sociedades seguradoras e assemelhadas. 3º. deve- se aplicar a alíquota de 15% para o cálculo do Imposto de Renda (IRPJ) e de 9% para a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) sobre o valor bruto destas receitas. caso a empresa venha a apurar “lucro presumido”. cisão e de extinção da pessoa jurídica pelo encerramento da liquidação. inclusive instituições financeiras. 2. O adicional incide.000. no trimestre. inclusive. a parcela do lucro presumido ou real que exceder o valor da multiplicação de vinte mil reais pelo número de meses do respectivo período de apuração.00.

000.000.00 Base Presumida 8% Lucro Presumido da Atividade 360.000.000.000.00 Calculo do Adicional Lucro Presumido Total 460.00 Ganho de Capital 100.00 Adicional de IRPJ (10%) 40.00 IRPJ Normal (15%) 69.00 Lucro Presumido Total 460.500.00 Base do Adicional 400.000.00 Imposto de Renda a Recolher 109.000.000.00 41 . Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Receita Bruta 4.000.000.000.000.00 Imposto de Renda a Recolher: Somatório do IRPJ Normal (15%) e do Adicional de IRPJ (10%) IRPJ Normal (15%) 69.00 (-) Limite de Isenção 60.00 Adicional de IRPJ (10%) 40.

2. devida mensalmente por estimativa corresponderá ao somatório dos seguintes valores. 3. observado o critério da base no lucro presumido (Lei nº. 3. RECOLHIMENTO DO ADICIONAL O recolhimento do imposto adicional deverá ser feito juntamente com o imposto normal devido no período.718. § 2º).1. II – se mantiver escrituração contábil: b) na forma da legislação comercial. devendo: I – se mantiver escrituração do livro caixa a) emitir a nota fiscal quando da entrega do bem ou direito ou da conclusão do serviço.1. REGIME DE APURAÇÃO – COMPETÊNCIA OU CAIXA Relativamente aos limites estabelecidos em conformidade com a legislação do Imposto de Renda. no livro caixa. 13. b) Indicar. com mesmo vencimento e período de apuração. A base de cálculo da CSLL devida por essas pessoas jurídicas corresponderá ao resultado presumido apurados em cada trimestre. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 2. 390 de 2004): 42 . na qual. controlar os recebimentos e pagamentos de suas receitas em conta específica. pessoa jurídica que adotar o critério de reconhecimento de suas receitas de vendas de bens ou direitos ou de prestação de serviços com recebimento a prazo ou em parcelas. apurados em cada mês (art. em registro individual. a receita bruta auferida no ano anterior será considerado segundo o regime de competência ou caixa. será indicada a nota fiscal a que corresponder ao recebimento. 9. 88 e 89 da IN SRF nº.21. BASE DE CÁLCULO A base de cálculo da CSLL. em cada lançamento. 3.1. Regime de Caixa Utilizando o regime de caixa. de 1998. a nota fiscal a que corresponder cada recebimento. 3. CONTRIBUIÇÃO SOCIAL – LUCRO PRESUMIDO As pessoas jurídicas submetidas à tributação do IRPJ com base no lucro presumido ou arbitrado e as demais entidades dispensadas de escrituração contábil (exceto empresas optantes pelo simples) ficam sujeitas à apuração trimestral da Contribuição Social Sobre o Lucro. art.

IV – rendimentos de aplicações financeiras de renda fixa e ganhos líquidos de operações financeiras de renda variável. A base de cálculo da contribuição social sobre o Lucro líquido corresponderá ao somatório abaixo: • 12% ou 32% ( * ) da receita bruta mensal. Prestadora de serviços – Percentual desde 01/09/2003 Desde 01/09/2003. 10.684. locação ou cessão de bens imóveis. pagos ou creditados por sociedade da qual a empresa seja sócia ou acionista. III – ganho de capital. • ( + ) Ganhos líquidos e rendimentos nominais em aplicações financeiras de renda fixa e variável • ( + ) Ganhos de capital na venda de bens de direitos. (lucros) obtidos na alienação de bens de ativo permanente e de aplicação em ouro não caracterizado como ativo financeiro. a) Prestação de serviços em geral. móveis e direitos de qualquer natureza. móveis e direito de 43 . locação ou cessão de bens imóveis. 22 da Lei nº. o percentual a ser aplicado sobre a receita bruta auferida no mês sobre o lucro das empresas optantes pela estimativa mensal e das pessoas jurídicas desobrigadas de escrituração contábil é de 32% para aquelas que exerçam as seguintes atividades (art. exceto a de serviços hospitalares e transporte. 3. 10. inclusive de carga. c) administração. pela pessoa jurídica que tenha a atividade de factoring e para as seguintes atividades (Lei nº. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 I – 12% da receita bruta da venda de mercadorias. exceto a de serviços hospitalares e de transportes. c) administração. d) prestação cumulativa e contínua de serviços de assessoria creditícia. gestação de crédito. b) intermediação de negócios. de 30-05-2003).3. • ( + ) Demais receitas e resultados positivos ( = ) SOMATÓRIO (BASE DE CÁLCULO) ( * ) O percentual de 32% será utilizado para fatos geradores corrigidos a partir do mês de setembro de 2003.684/2003): a) prestação de serviços em geral. II – 32% prestação de serviços. compra de direitos creditórios resultantes da venda mercantil a prazo ou de prestação de serviços (factoring). mercadológica. V – demais receitas do capital próprio. administração de contas a pagar e a receber. seleção de riscos. b) intermediação de negócios.

II. Obs: Corretoras autônomas de seguros e empresas de Factoring continuam em 9%.entidades de liquidação e compensação.bolsas de valores e de mercadorias e futuros. . 37 da Lei nº. . ALÍQUOTA DA CSLL a) Pessoa Jurídica em Geral No cálculo da CSLL aplica-se a seguinte alíquota: 9% relativamente aos fatos geradores ocorridos desde 01/02/2000 (art. . DOU de 22.pessoas jurídicas de seguros privados. 2.administradoras de mercado de balcão organizado. .cooperativas de crédito.administradoras de cartões de crédito.637/2002). Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 qualquer natureza. financiamento e investimentos.pessoas jurídicas de capitalização. 3.01.sociedades de crédito. 10. . . conforme demonstrado na tabela de evolução das alíquotas da CSLL desde 1992. 6º. Exemplo de Calculo do Imposto Admitindo que uma empresa optante pela tributação com base no lucro presumido apresente os seguintes dados no 1º trimestre de 2009: 44 . .sociedades de crédito imobiliário. 3.os bancos de qualquer espécie. .associações de poupança e empréstimo. .distribuidoras de valores mobiliários. da MP nº. .5.4.corretoras de câmbio e de valores mobiliários.sociedades de arrendamento mercantil.158/2001 e reedições posteriores e art. . . b) Instituições Financeiras A partir de 1º de maio de 2008 as seguintes entidades abaixo utilizarão 15% de alíquota para a CSLL: (Instrução Normativa RFB nº 810.2008) . .

00 x 9% ____________________________________________ R$ 22.00 Receita de vendas_____________________________________________ R$ 1.00 Cálculo da CSLL a pagar relativo ao 1º trimestre de 2009 R$ 251.500.00) __________________ R$ 96.900. DEDUÇÕES DO IMPOSTO TRIMESTRAL Para efeito de pagamento.00 Rendimentos de aplicação financeiras ____________________________ R$ 2.00 3.000.00 Determinação da base de cálculo do imposto: 12% da receita bruta de venda (R$1.500.00 (-) Devoluções recebidas (líquidas IPI) ____________________________ R$ 30.00) ___________________ R$ 128.100.00 Receita de prestação de serviços ________________________________ R$ 300.000.000.000.000.00 Receita de venda a ser considerada ______________________________ R$ 1.000.671.00 Base de cálculo da CSLL trimestral _______________________________ R$ 251.400.000.6.00 32% da receita bruta de serviços (R$ 300. a pessoa jurídica poderá deduzir do imposto devido no período de apuração: I – no caso de apuração com base no lucro presumido: a) a contribuição social sobre lucro líquido pago ou retido na fonte sobre receitas computadas na determinação da sua base de cálculo.070.00 Ganho da capital na alienação bem do Ativo Permanente ___________ R$ 25.00 Rendimentos de aplicação financeira_____________________________ R$ 2.070. 45 .900.000.000.000.000.210.00 (-) IPI _______________________________________________________ R$ 110. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Receita da venda de produtos de fabricação própria: Total das vendas (inclusive IPI) _________________________________ R$ 1.00 Ganho de capital na venda ativo permanente______________________ R$ 25.

incidentes a partir do segundo mês subsequente ao do período de apuração até o último dia do mês anterior ao do pagamento.1. com a atividade de comércio de mercadorias. devendo. o imposto inferior a R$ 2. recolhendo antes da data efetiva do pagamento para assim proporcionar um fluxo de caixa e não estar com um imposto alto a ser recolhido em uma única data. através de Per/Dcomp. um faturamento de R$ 350. 3. constar a data de vencimento e apuração original dos impostos. RECOLHIMENTO DO IRPJ E DA CSLL (PRESUMIDO) O Imposto de Renda (código 2089) e a CSLL (código 2372) devidos. obteve no mês janeiro do ano calendário. correspondentes a taxa SELIC. Divisão em quotas À opção do contribuinte. isto é.00 deverá ser pago em quota única. Não esquecendo que esta não é uma nova forma de apuração de impostos. Exemplo: A empresa “XYZ”. d) do saldo negativo do CSLL de trimestres anteriores. c) a contribuição social sobre lucro líquido retido na fonte por órgãos públicos. até o dia efetivo de seu vencimento origina.7.7. seguindo estes critérios: 46 . iguais e sucessivas. 3.00. na guia do DARF.2. o contribuinte deve fazer as apurações mensalmente.000. e de 1% no mês do pagamento. O empresário pode optar por efetuar o pagamento do tributo devido de forma antecipada.000. Antecipação do Imposto Devido Alternativamente o contribuinte pode optar por antecipar os tributos ao fisco. poderá ser parcelado em até três quotas mensais.7. Neste sentido. podendo recolher o tributo em qualquer data. devem ser recolhidos até o último dia último do mês subsequente ao do período de apuração. 3. As quotas estarão sujeitas ao acréscimos de juros.000. Nenhuma quota poderá ser inferior a R$ 1. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 b) o saldo de imposto pago a maior ou indevidamente em períodos anteriores.00. sendo tão somente uma forma de fluxo de caixa. e deverão ser pagas até o último dia dos meses subsequentes ao de encerramento do período competente.

cabendo aos sócios. na proporção de suas quotas. (Art.000.1. mas aquele.000.00 X 15% = R$ 4.000. PREVISÃO NO CONTRATO SOCIAL Na sociedade por quotas de responsabilidade limitada ao término da cada exercício social. DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS 4. ficando condicionado ao Per/Dcomp.000. para poder compensar estes valores.008) é ainda salvo estipulação em contrário.000. visto que o faturamento nos meses seguintes pode vir a diminuir. o sócio participa dos lucros e das perdas. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Empresa “DELTA” – Revenda de Mercadorias 1º Trimestre Faturamento Janeiro R$ 350. o administrador prestará contas justificadas de sua administração.000. 1. CC/2002) Quando não houver previsão no Contrato Social os sócios deliberarão o modo de sua remuneração conforme trata o Art. 1.065. na proporção das respectivas quotas.071.00 * Aconselha-se o cálculo do Adicional do Imposto de renda no último mês do trimestre.00 Cálculo do Imposto parcial do Trimestre IRPJ CSLL R$ 350. O código civil também determina que seja nula a estipulação contratual que exclua qualquer sócio de participar dos lucros e das perdas ( Art. IV .00 R$ 42. 4.780.00 X 8% = R$ 28. do balanço patrimonial e do balanço de resultado econômico.007).00 Imposto Devido Imposto Devido R$ 28. cuja contribuição consiste em serviços.00 X 12% = R$ 42.00 * R$ 350. Caso o contribuinte recolha o Adicional antecipadamente. 47 . 1.00 X 9% = R$ 3. (Art. procedendo à elaboração do inventário.000. somente participa dos lucros na proporção da média do valor das quotas. em 31 de dezembro. 1.CC/2002 . os lucros ou perdas apurados. pode incorrem em recolhimento de imposto a maior.200.

ou seja. no caso de beneficiário pessoa física. Art.) A isenção do imposto de renda não abrange os valores pagos a outro título. § 4º). anualmente. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 Na Sociedade Anônima conforme Lei nº 6. CSLL. através de escrituração contábil feita com observância da lei comercial. nos 4 (quatro) primeiros meses seguintes ao término do exercício social. Nota: Inexistindo lucros acumulados ou reservas de lucros em montante suficiente. SÓCIO OU ACIONISTA DA PESSOA JURÍDICA Não estão sujeitos ao imposto de renda os lucros e dividendos pagos ou creditados a sócios. diminuída de todos os impostos e contribuições a que estiver sujeita a pessoa jurídica (inclusive adicional do IR. deverá haver 1 (uma) assembléia-geral para deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de dividendos. bem assim quando se tratar de lucro que não tenha sido apurado em balanço. 48 A pessoa jurídica tributada com base no lucro presumido ou arbitrado. ainda que por conta de período-base não encerrado. art. de 1997. que.2. acionistas ou titular de empresa individual. poderá distribuir. tais como "pro labore". com acréscimos legais. II. a parcela excedente será submetida à tributação. a título de lucros ou dividendos distribuídos. Cofins. presumido ou arbitrado. 132. o valor da base de cálculo do imposto. aluguéis e serviços prestados. 48. ficando sujeita a incidência do imposto de renda calculado segundo o disposto na legislação específica. IN SRF Nº 093/97 Art. o lucro presumido ou arbitrado. 48. sem incidência de imposto renda na fonte. dar-se-á com base na tabela progressiva mensal. (IN SRF nº 93. (IN SRF Nº 093/97 Art. 48 .404/76. PIS/ Pasep) A pessoa jurídica poderá distribuir parcela de lucros ou dividendos excedentes ao valor determinado no parágrafo anterior. que exceder ao valor apurado com base na escrituração. A parcela dos rendimentos pagos ou creditados a sócio ou acionista ou ao titular da pessoa jurídica submetida ao regime de tributação com base no lucro real. desde que a empresa demonstre. 4. que o lucro efetivo é maior que o determinado segundo as normas para apuração da base de cálculo do imposto pela qual houver optado. DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS E DIVIDENDOS AO TITULAR. será imputada aos lucros acumulados ou reservas de lucros de exercícios anteriores.

00 X 32% X 9% ) = 576.00 X 3% ) = 600. Curso Intensivo Lucro Real e Presumido – IRPJ E CSLL – Realização Set a Nov 2013 4. Cálculo da Distribuição de Lucros Base de calculo do lucro presumido ( 32% do faturamento ) = 6. 368.134. (art. não poderão: I . II .00 OBS: No lucro arbitrado será a mesma sistemática de cálculo. da IN SRF nº 093/1997) 4.65%)= 130.00 Total provisão de imposto ( IRPJ + CSSL + PIS + COFINS ) = 2. no art. bem como a seus diretores e demais membros de órgãos dirigentes. Redator e editor de publicações periódicas.00 – 2.400. seminários e mesas redondas. Legislação Societária e Contabilidade. IMPEDIMENTO PARA DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS/ DIVIDENDOS Conforme dispõe o Decreto-lei nº. não poderá distribuir lucros.00 PIS ( 20.266. § 2º. 48.00 COFINS – ( 20.266. gestor do SESCAP – CONSULTORIA & LEGISLAÇÃO.000. FIM Elaborado por Rômulo Albuquerque Silva .00 PROVISÃO DE IMPOSTOS IRPJ . Pós-Graduado em Gestão Tributária – Consultor nas áreas de Tributos Federais. por falta de recolhimento de imposto no prazo legal.00 4.000. de 19 de dezembro de 1.000. Diretor da Versus Treinamentos Empresariais. dividendos ou interesses a seus sócios titulares.00)= 4. O art. a sociedade tiver débito salarial.00 X 0.00 CSLL -Base de Cálculo 32% (20.00 Lucro distribuível independentemente do lucro líquido contábil ( 6.dar ou atribuir participação de lucros a seus sócios ou quotistas.Base de Cálculo 32% (20. 889 do RIR/99 preceitua que as pessoas jurídicas.400. 1º inciso II.Bacharel em Ciências Contábeis. fiscais ou consultivos. bonificações. enquanto estiverem em débito.968.4.00 X 32% X 15% ) = 960.distribuir quaisquer bonificações a seus acionistas. Membro de Centro de estudos em matéria tributária e contábil de renomadas instituições. Palestrante e colaborador de renomadas instituições focadas em treinamento/desenvolvimento empresarial. não garantido. acionistas ou membros de órgãos fiscais ou consultivos.000. Calculo Distribuição de Lucros e Dividendos no Lucro Presumido FATURAMENTO: R$ 20.5.000. 49 .3.