Você está na página 1de 1

A CASA ENCANTADA DE NINGUM

Dcio Mallmith

Havia uma casa encantada,


desabitada...
E l Ningum morava.
Perguntei a Ningum
porque ningum
na casa habitava.
E Ningum me respondeu
que ningum residia na casa
porque a porta estava trancada
e que Ningum tinha a senha
que lhe abria a fechadura.
E que no encontrara ningum
capaz de romper o segredo,
pois este algum deveria
ser puro de corao,
e a todos amar,
at quem no era Ningum,
incondicionalmente...
Desde ento procurei
em todos os lugares,
no cu, na terra e no mar.
Removi montanhas,
vasculhei florestas inteiras
e no encontrei ningum
que pudesse romper a aldrava,
abrir a porta e habitar
a casa encantada de Ningum.

Fonte: MALLMITH, Dcio de Moura. Poemas Anacrnicos. p. 11. Rio de Janeiro:


Cmara Brasileira de Jovens Escritores - CBJE, 2008.