Você está na página 1de 11
Quara-feira, 4 de Dezembro de 2013, BOLETIM DA REPUBLICA PUBLICACAO OFICIAL DA REPUBLICA DE MOCAMBIQUE IMPRENSA NACIONAL DE MOGAMBIQUE, E.P. AVISO ‘A matéria @ publicar no «Boletim da Repibiicas deve ser remetida em cépia devidamente autenticada, uma Por cada assunto, donde consie, além das indicagdes necessarias para esse efeito, 0 averbamento seguinte, assinado © aulenticado: Para publicagae ne «Boletim da Republica». SUMARIO Conseino de Ministros: Decrto n= sa0ts: Aprova o Regulamento que esiabelece o Regime Jurdico se Acidentes de Trabalho ¢ Doengas Profisionas ¢revoga © Diploma Legislativom* 1706, de 19 de Qutbro de 1957 Minisiério da Fungo Publica Diploma ministerial n.* 2052013; Aprova Quaiko de Pessal do Insitute Nacional e Estacica CONSELHO DE MINISTROS Decreto n." 62/2013 de 8 de Dezembro Havendo necessidade de actualizar 0 Regime Juridico de Acidentes de Trabalho © Doengas Profissiona's 40 abrigo do disposto na alinea f) do m1 do artigo 204 daConstnigio da Repiblca edo antigo7269 conjugado como.” dv artigo 233, ambos da Lei a.* 23/2007, de 1 de Azost, © Conselho de Ministos decreta Antigo 1. Eaprovadoo Regularento que esabelece o Re Jurico de Acidentes de Trabalho e Doengas Profssio em anexo, que € pate integrante do preseie Decreto. An. 2. & revogado o Diploma Legisatvo n° 1706, de 19 de Outro de 1957 etd a epislagio que contareo presente Decreto Ar. 3. O preseate Deere entra em vigor 90 das aps asia publicags. Aprovado pelo Conselno de Minis de 2013. Publiquese e Junto 0 Primciro-Ministro. Alberto Clementino Anténio Vaguina Regulamento que Estabelece o Regime Juridico de Acidentes de Trabalho Doengas Profissionais caPiTeLoi Disposigdes geraie Agno | objecto 1. O presente Regulamento estabelece o regime ji e acidentes de trabalho e doengas profssiori 2. As doengas profissionais aplicam-se, com as devidas adapregBes, 28 normas relativas aos acidentes de trabalho. ‘dico Awnico 2 ‘Ambito do apleagso 1. Exte Regulamento aplica-se aos trabalhadores, nacionais eestrangeios, por conta de outre. bem como as adminstadores ditectores, gerentes ou equiparados. 2. O presente Regulamento nao se aplice eos funcionétios agentes do Estado e das Autarquias Locais, Arnica 3 Definigses 5 constam de glossirio em anexo, que & parte integrante do precente Regulamonto Annioo ‘Trabathedores por conta de outrem Para efeitos do presente Regulamento, trabalhadores por conta de outrem, so todos aqueles que se encontram vinculados ‘um empregator por contratoindivideal ecolectiv de trabalho, ‘ou equiparados e os praicantes, aprendizes,estagissios assim como os que, cansiderando-se na dependéncia econémica € juridica da pessoa servida, The prestem em conjunto 4 individualmente determinado servigo. ‘Axmico 5 Prevengao de actentes ae trabalho e doengas profissionels O empregador deve adoptar as medidas prescrtas nas fis « regularcentos reltivos & prevenglo dos acidentes de trabalho « doengas profissionsis. devendo, entre outs medidas. formar os trabathadores sobre as normas de prevencto de riscos rofissionais, te ric © Fan Ut et re 976 ig tae © Pa Bs et eae 1 SERIE — NUMERO 97 ‘Agn0 6 rotbigao de descontos na remuneragao £ vedado ao empregador 0 esconto de quslquer quantis sobre a remuneragGo dos trabalhadores a0 seu servigo a titulo 4e compensago pelos encargos resuliances da aplieagio deste regulamento, sendo nulos os acordos celebrados com este objectivo. ‘Axnigo7 Slatima@ unidade de seguro 1 Osempregadores stoobrigados transfers aresponsebilidade para a cobertura dos respectivos acidentes de trabalho e doengas profssionais para entidades seguradoras legalmente autorizadas ina Replica de Mogambique. 2. As entidades empregadoras podem celebrar seguros ‘complementares mais favoriveis. 3. Na data da admisséo ao trabalho, o empregador deve possuir um seguro colectvo que abrange o trabalhador, para cobertura dos respectivosacidentes de trabalho e doengasprofissionais. 4. Verificando-se alguma das situagSes referidas no artigo $7 deste regulamento, a responsabilidade nee previstarecai sobre ‘cempregador, sendoa entdade seguradora apenas subsidiaviamemte responsivel pels prestagdes normais. 5. Quando a remuneragio declerads para efeito do prémio de seguro for inferior 4 real, 2 entidsde seguradora s6 € responsével em relagio Aquela remuneragio, sendo que ‘© empregador responde, neste caso, pela diferenca e pelas despesas efectuadas com 8 asistencia médica, medicamentose ‘transporte, na respectiva proporcéo. 6. A declaracio de remuneragées inferiores so real para feito de pagamento de apdlice constitu violaglo’do presente Regulamentoe é passivel de sangies. 7. Para eumprimento integral dos ameros ameriores deste artigo, a entidade a quem eabe a supervis8o de seguros em ‘Mocambique adopia providencias de modo 2 evitar fraudes fomissoes ou insuficiacias nas declaragSes quanto 20 pessoal ‘eA remuneragio, Axmico 8 Apstce unter 1. A apotice uniforme do seguro de acidestes de trabalho «© doengas profssionais adequads as diferentes profisses «actividades, de harmonie com os prinetpis estabelecidos neste regulamento, € aprovada gela entidade a quem cabe asupervstodesegurosem Mocambique ouvieas asassociagbes representatives das empresas de sogures. 2. Napéliceuniforme deve obedecer a pinepio da praduasio 4os prmios de seguro em fargo do grau de rsco de acdente doenga profisional,considerando a natureza da actividade ‘eas condigées de prevengto nos locas de trabalho. 3.E previsa na alice uniform revisio do valer do prémio porinicitivedasegurador ou a pedido doempregador. com base ‘mamodificagio efectva da eondigbes de prevengzo de seidentes ss loess de rabalhoe de doengsprofissionas. 4, Sto nlasas eldusulascue contariem os diitosou garanas estaeleidos na apsticeuniforme previa nese srg capfTuLo Acidentes de trabalho doengas profissionais seogao! Aeidones do vabaro ‘Arnic09 Cconeatto de acidente de trabalno 1. Acidente de trabalho € o sinistro que se verifca, no local durante o tempo do trabalho, desde que produza, directa ou {ndiectamente, no wabalhador por conta éeoutrem lsto corpo. Perturbasto funcional ox doenga de que resulte& mone ou redugso ‘a capacidade do tabalho-ou de ganko. 2. Considera-se ainda acidente de trabalho 0 que ocorr: €@) Na ida ou regresso do local de trabalho, quando wilizado meio de transporte fornecido pelo empregador ou quando o acidente seja consequéncia de panicular petigo do pereurso normal ou de outrasircuns:Incias {ue ternar agravado o sco do mesmo percurso: by Antes ou depois de prestasto do trebalho, desée que directamente relaciorado com a preparagio ox termo dessa presiagio: €) Por ocasi3o da prestago do trabalho fora do local e tempo do trabalho normal, se verificar enquanto © trabalhador execusa ordens ou realiza servigos sob direegio e awcoridade do empregador. A Naexecugio de servigos, ainda que nfo profssionais, fora