Você está na página 1de 7

(Valores expressos em milhares de reais – R$, exceto quando outro indicado)

1 - Resultado do serviço:

No trimestre findo em: No semestre findo em:

30/06/2010 30/06/2009 Variação % 30/06/2010 30/06/2009

Receita operacional 2.030.622 1.904.335 6,63 4.027.064 3.626.809


Fornecimento de energia elétrica 1.960.810 1.800.644 8,89 3.873.203 3.449.621
Suprimento de energia elétrica 45.378 82.334 (44,89) 90.502 138.063
Outras receitas (a) 24.434 21.357 14,41 63.359 39.125

Deduções da receita operacional (693.568) (627.476) 10,53 (1.354.015) (1.199.216)


ICMS (389.214) (352.472) 10,42 (765.689) (680.893)
PIS (33.499) (31.366) 6,80 (66.203) (59.916)
COFINS (154.237) (144.931) 6,42 (305.134) (276.433)
Quota reserva global reversão (13.538) (16.515) (18,03) (29.509) (32.672)
Outros (103.080) (82.192) 25,41 (187.480) (149.302)

Receita líq. dos serviços vendidos 1.337.054 1.276.859 4,71 2.673.049 2.427.593

Custos
Energiaserviço de Energia
Elétrica comprada Elétrica
para (748.039) (721.081) 3,74 (1.555.896) (1.336.221)
revenda
Encargos de uso do sistema de (624.848) (624.459) 0,06 (1.319.290) (1.163.383)
transmissão e distribuição (123.191) (96.622) 27,50 (236.606) (172.838)

Custo de Operação (267.633) (250.005) 7,05 (519.281) (498.070)


Pessoal (68.722) (57.143) 20,26 (122.283) (113.097)
Material (10.079) (10.920) (7,70) (20.339) (19.650)
Matéria prima e insumos p/produção energia elétrica
(61.015) (49.392) 23,53 (118.627) (99.055)
Serviços de terceiros (96.221) (80.255) 19,89 (174.226) (163.875)
Depreciação e amortização (93.253) (89.893) 3,74 (185.719) (177.460)
Aluguéis e arrendamentos (2.353) (1.305) 80,31 (5.373) (3.499)
Custo do serviço prestado a terceiros (222) (315) (29,52) (370) (783)
Subvenção CCC 57.756 49.670 16,28 108.152 99.938
Outros 6.476 (10.452) (161,96) (496) (20.589)
Lucro operacional bruto 321.382 305.773 5,10 597.872 593.302

I) A receita líquida dos serviços vendidos atingiu no 2º. Trimestre de 2010 o


montante de R$ 1.337.054, apresentando um crescimento de 4,71% em relação ao
mesmo trimestre do exercício anterior, devido basicamente aos seguintes fatos:

a) Aumento da demanda de energia elétrica em 14,74% (5.955.311 MWh (*) no


segundo trimestre de 2010, contra 5.190.243 MWh (*) no mesmo período de
2009), sendo os maiores destaques para as classes residencial (11,55%) e
Industrial (10,09%), que foram influenciadas mais fortemente pelo crescimento
no número de consumidores.

b) As revisões tarifárias concedidas pela ANEEL a partir de julho de 2009 às


controladas distribuidoras, cujos reajustes médios variaram de -3,49% a 17,57%.

c) Deduções da receita operacional - Apresentaram acréscimo de 10,53% na


comparação entre os trimestres devido ao aumento da receita operacional que é
a base de cálculo da maioria das contas que compõe estas deduções e pelas
Quotas das Companhias controladas na conta de consumo de combustível –
CCC que passou de R$ 40.505 mil no 2º trimestre de 2009 para R$ 54.199 no
trimestre atual.
II) Os custos do serviço de energia elétrica apresentaram no segundo trimestre de
2010 um aumento de 3,74% em relação ao mesmo período do exercício anterior,
motivado pelos seguintes fatos

a) Aquisição de maior quantidade de energia elétrica para atender o aumento da


demanda.

b) Reajustes tarifários a partir de Julho de 2009 na energia elétrica adquirida pelas


controladas distribuidoras.

II) Os custos de operação atingiram o montante de R$ 267.633 no trimestre contra R$


250.005 no mesmo período do ano anterior. O aumento de 7,05% teve como
motivo a combinação dos seguintes fatos:

a) Despesa com Pessoal: Apresentou um aumento de 20,26% na comparação entre


os trimestres, devido basicamente aos reajustes salariais concedidos pelas
empresas controladas aos empregados a partir de julho de 2009, ao aumento no
valor da PLR paga aos funcionários neste trimestre, em comparação ao mesmo
período de 2009 e do aumento na alíquota do SAT em janeiro de 2010, que
passou de 2% para 3%.

b) Matéria prima e insumos para produção de energia elétrica: Apresentou um


aumento de 23,53% no trimestre atual em relação ao mesmo período de 2009,
devido ao aumento no consumo de Óleo diesel nas controladas Celpa e Cemat.
Este aumento de consumo de óleo diesel foi para atender a demanda de energia
elétrica nas localidades isoladas, atendidas pela geração térmica.

c) Serviços de Terceiros: o crescimento de 19,89% verificado no trimestre atual está


consubstanciado no reajustamento de preços de alguns contratos de serviços, e
na contratação de novos serviços para atender a demanda com manutenção do
sistema elétrico, devido a ampliação do sistema motivado pela implantação dos
programas Luz no Campo, Luz para todos e Universalização, que vem exigindo
um esforço maior por parte das empresas distribuidoras para a manutenção e
conservação destas linhas e redes de distribuição.

d) Outros: a redução de 161,96% verificado nesta rubrica é devido substancialmente


pela recuperação de despesas no trimestre atual, pela controlada Celpa, relativo
aos custos de geração térmica cobertos pela reserva da CCC no montante de R$
11.951.
2 - RECEITA OPERACIONAL
No trim e s tr e findo e m :

Nº de cons um idor e s (*) M Wh (*) R$

CONSOLIDADO 30/6/2010 30/6/2009 30/6/2010 30/6/2009 30/6/2010 30/6/2009

Residencial 3.710.087 3.547.342 1.710.230 1.533.197 724.256 636.719


Industrial 39.799 36.364 1.089.581 989.699 362.444 327.574
Comercial, serviços e outras atividades 357.564 345.106 1.021.976 930.686 454.759 416.730
Rural 430.372 389.733 384.919 358.634 102.912 95.945
Poder público 45.113 42.794 286.006 260.472 122.283 111.266
Iluminação pública 3.539 3.253 229.974 224.764 50.897 48.940
Serviço público 5.032 4.875 179.100 159.258 50.019 45.494
Consumo próprio 1.061 1.051 13.916 12.899 -
Fornecimento não f aturado - - (17.857) 9.889
Receita do uso rede elétrica 36 28 - 45.781 32.708
Reposição tarif ária extraordinária - - (4.509) (23.873)
Redução receita Baixa Renda - - 28.639 28.024
Fornec. não f aturado - Repos. tarifária - - 47.081 58.381
Provisão redução tarifa - Irrigação - - 774 (1.256)
Fornec. não f aturado - Luz para Todos - - (8.419) 14.103
Fornec. não f aturado - RTE majoração - - 1.750 -
4.592.603 4.370.546 4.915.702 4.469.609 1.960.810 1.800.644

Suprimento - 1.053.525 733.533 45.379 82.334


Transmissão - - -
Outras Receitas - - 24.433 21.357
4.592.603 4.370.546 5.969.227 5.203.142 2.030.622 1.904.335
No s e m e s tre findo e m :

Nº de cons um idor e s (*) M Wh (*) R$

CONSOLIDADO 30/6/2010 30/6/2009 30/6/2010 30/6/2009 30/6/2010 30/6/2009

Residencial 3.710.087 3.547.342 3.406.173 3.107.283 1.439.582 1.269.334


Industrial 39.799 36.364 2.087.426 1.915.245 687.735 610.478
Comercial, serviços e outras atividades 357.564 345.106 2.052.235 1.888.693 902.496 822.446
Rural 430.372 389.733 747.217 696.585 200.712 181.427
Poder público 45.113 42.794 535.730 499.980 226.898 210.596
Iluminação pública 3.539 3.253 458.315 447.202 102.125 96.031
Serviço público 5.032 4.875 347.274 321.161 96.413 88.194
Consumo próprio 1.061 1.051 27.788 26.133 -
Fornecimento não f aturado - - (10.270) (17.816)
Receita do uso rede elétrica 36 28 - 82.520 78.061
Reposição tarif ária extraordinária - - (5.577) -
Redução receita Baixa Renda - - 59.930 56.106
Fornec. não f aturado - Repos. tarifária - - 76.708 59.372
Provisão redução tarifa - Irrigação - - (1.277) (3.439)
Fornec. não f aturado - Luz para Todos - - 15.208 (1.169)
Fornec. não f aturado - RTE majoração - - -
4.592.603 4.370.546 9.662.158 8.902.282 3.873.203 3.449.621

Suprimento - 1.335.291 1.307.162 90.502 138.063


Transmissão - - -
Outras Receitas - - 63.359 39.125
4.592.603 4.370.546 10.997.449 10.209.444 4.027.064 3.626.809

(*) Informações não auditadas.

a) No 2o trimestre de 2010 o fornecimento de energia elétrica foi de 4.901.786


(descontado o consumo próprio) MWh (*). Esse volume correspondeu a um
acréscimo de 9,99% em relação ao mesmo período do ano anterior, motivado
principalmente pelo aumento 222.047 novos consumidores.

b) O número de consumidores atingiu o nível de 4.591.542 (descontado o consumo


próprio) enquanto que no mesmo período do exercício anterior foi de 4.369.495,
gerando uma variação positiva de 5,08%, proveniente da expansão da rede
elétrica, motivada pelos programas Universalização e Luz para Todos
principalmente nas controladas Celpa e Cemat que levou energia elétrica a novos
consumidores impactando as classes residenciais e rurais.

c) A tarifa média de fornecimento de energia no 2o trimestre de 2010, teve o valor de


R$ 381,00 /MWh (*), contra R$ 377,56 /MWh no mesmo período do ano anterior.

3 – Receitas e despesas financeiras:


No trimestre findo em: No semestre findo em:
30/06/2010 30/06/2009 Variação R$ 30/06/2010 30/06/2009
Receitas financeiras:
Renda de aplicações financeiras 10.384 2.557 7.827 16.054 9.265
Juros ativos 24.167 27.753 (3.586) 71.404 62.758
Acréscimos moratórios 28.395 18.573 9.822 53.787 36.225
Variação monetária 61.611 339.230 (277.619) 153.692 389.126
Outras receitas financeiras 90.102 118.534 (28.432) 182.677 143.792
Total das receitas 214.659 506.647 (291.988) 477.614 641.166

Despesas financeiras:
Encargos de dívidas (166.386) (145.761) (20.625) (300.868) (300.466)
Variação monetária (80.216) (12.351) (67.865) (210.579) (26.662)
Juros e Multas (42.055) (47.518) 5.463 (103.138) (99.083)
Outras despesas financeiras (284.073) (501.527) 217.454 (440.296) (630.360)
Total das despesas (572.730) (707.157) 134.427 (1.054.881) (1.056.571)

Resultado financeiro (358.071) (200.510) (157.561) (577.267) (415.405)

O resultado financeiro negativo, registrado no 2º. trimestre de 2010 apresentou um


aumento líquido de R$ 157.561 em relação ao mesmo período de 2009, motivado
pela combinação dos seguintes fatos:

I) As receitas financeiras do 2º. trimestre de 2010 (R$ 214.659) apresentaram um


decréscimo de R$ 291.988 em relação a igual período de 2009 (R$ 506.647),
devido principalmente a:

a) Variação Monetária: A redução de R$ 277.619 verificado na comparação entre


os trimestres é devido a variação cambial do dólar, que foi negativa no 2º
trimestre de 2009 em -15,70%, gerando naquele trimestre uma receita de R$
364.890 mil pela atualização dos empréstimos tomados nesta moeda, com
destaque especial para a atualização do saldo dos Bônus Perpétuo da
Companhia, que gerou um resultado positivo de R$ 208.686, enquanto que no
trimestre atual, apresentou variação cambial positiva de 1,15%, gerando
consequentemente despesa de variação monetária.

b) Outras Receitas Financeiras: O decréscimo de R$ 28.432 tem como fato


principal a aquisição de 13,64% dos Bônus Perpétuo da Companhia em junho
de 2009, que resultou em um ganho de R$ 72.264, impactando positivamente
aquele trimestre em detrimento do período atual.

II) As despesas financeiras do segundo trimestre de 2010 (R$ 572.730) apresentaram


um decréscimo de R$ 134.427 em relação ao mesmo período de 2009 (R$
707.157) devido a combinação dos seguintes fatos:

a) Encargos de dívidas: Apresentou um crescimento de R$ 20.625 na


comparação entre os trimestres devido as novas captações de empréstimos
feitas pela Companhia e suas controladas a partir de julho de 2009, que
resultou em um aumento de 33,67% no saldo da dívida consolidada, quando
comparada entre os períodos em análise.
b) Variação monetária: Apresentou aumento de R$ 67.865 em relação ao mesmo
período de 2009, devido principalmente a variação cambial positiva do dólar
em 1,15% verificada neste trimestre, utilizada para corrigir os saldos dos
empréstimos contratados nesta moeda.

c) Outras despesas financeiras: A redução de R$ 217.454 na comparação entre


os trimestres é devido principalmente a dois fatos relevantes: a) O ajuste de
marcação a mercado dos Bônus Perpétuo da Companhia que gerou no
segundo trimestre de 2009 uma despesa de R$ 314.166, enquanto que no
trimestre atual esta despesa reduziu para R$ 65.415; e b) As despesas com
Swap das controladas que totalizaram R$ 117.160 em 2009 e R$ 61.670 em
2010.

4 - EBITDA:

No semestre findo em:


30/06/2009 30/06/2009 VariaçãoR$

Receita Operacional 4.027.064 3.626.810 400.254


Deduções da Receita Operacional (1.354.015) (1.199.216) (154.799)
Receita Operacional Líquida 2.673.049 2.427.594 245.455
Custo de Bens e Serviços Vendidos (2.075.177) (1.834.291) (240.886)
Despesas Operacionais (304.673) (274.269) (30.404)
(-) Despesas com Vendas (90.493) (95.113) 4.620
(-) Despesas Gerais e Administrativas (202.243) (167.730) (34.513)
(-) Outras Despesas Operacionais (11.937) (11.426) (511)
Depreciação e Amortização 208.996 194.660 14.336
EBITDA 502.195 513.694 (11.499)

O EBITDA consolidado passou de R$ 513.694 mil no 1º semestre de 2009 para


R$ 502.195 mil no semestre atual, representando um decréscimo de apenas
2,24% (R$ 11.499). Esta redução foi impactada principalmente pelo aumento nos
custos com energia elétrica comprada para revenda e os encargos de uso do
sistema de transmissão/distribuição das controladas distribuidoras.

5 – Indicadores Econômicos – Financeiros:


NoPeríodofindoem
30/06/2010 31/03/2010
1 – Liquidez corrente
Ativo circulante / passivo circulante 0,91 0,85
2 – Liquidez geral
(ativo circulante + realizável a longo prazo) / exigível total 0,61 0,61
3 – Endividamento
Exigível total / ativo total 0,81 0,78
4 – Capitalização
(patrimônio líquido + participações minoritárias) / ativo total 0,07 0,09

5 – Valor patrimonial da ação – R$ por lote de mil ações (*) 2.604,83 3.201,63

(*) Exclui recursos destinados a aumento de capital.

Indicadores Operacionais (*)

NoPeríodofindoem
30/06/2010 31/03/2010
1 – Número de empregados 7.034 6.849
2 – Consumidores por empregado 653 661

(*) Informações não auditadas