Você está na página 1de 37

Cálculo do redutor para o sistema de elevação

Dados do motor
Motor Potência N° de Rotação Frequência Tensão
(CV) polos Nominal (Hz) Nominal
(rpm) (V)
WEG-W22 100 6 1190 60 220/380
IR4 Super
Premium

Relação de transmissão
Redução total
𝑅𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝑑𝑒 𝑒𝑛𝑡𝑟𝑎𝑑𝑎 1190
i=  i=  i = 113,33
𝑅𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝑑𝑒 𝑠𝑎í𝑑𝑎 10,5

Determinação do número de pares de engrenagens


A relação de transmissão por par de engrenagens deve ser no máximo e não ultrapassar i = 6.

3
𝑟𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑝𝑎𝑟 = √i  𝑟𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑝𝑎𝑟 = 3√113,33  𝑟𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑝𝑎𝑟 ≈ 4,84

Dimensionamento do 1° par de engrenagem


Modulo adotado: 5 mm

N° de dentes do pinhão (𝑧𝑝 ): 23 (adotado)

N° de dentes da coroa (𝑧𝑐 ): 112

Ângulo de pressão (𝜃): 20 °

Determinação da velocidade tangencial


𝜋 .𝐷𝑝𝑝 .𝑛𝑚 𝜋 .115 .1190
𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 = 7,16 𝑚/𝑠
60000 60000

Dados do pinhão:
𝐷𝑝𝑝 = 𝑚 . 𝑧𝑝
Diâmetro primitivo pinhão (mm) 115
𝑎=𝑚
Altura da cabeça do dente (mm) 5
𝑏 = 1,67 . 𝑚
Altura do pé do dente (mm) 8,35
ℎ =𝑎+𝑏
Altura total do dente (mm) 13,35
𝐷𝑖𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 − 2𝑏
Diâmetro interno (mm) 98,3
𝐷𝑒𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 + 2𝑎
Diâmetro externo: 𝐷𝑒𝑝 (mm) 125
𝐷𝑏𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
Diâmetro de base: 𝐷𝑏𝑝 (mm) 108,0647
𝑙 = 9 .𝜋 .𝑚
Largura do dente: 𝑙 (mm) 141,3
𝑃𝑐 = 𝑚 . 𝜋
Passo circular: 𝑃𝑐 (mm) 15,7

Dados da coroa:
Diâmetro primitivo coroa (mm) 𝐷𝑝𝑐 = 𝑚 . 𝑧𝑐 555
Diâmetro interno (mm) 𝐷𝑖𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 − 2𝑏 538,3
Diâmetro externo (mm) 𝐷𝑒𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 + 2𝑎 565
Diâmetro de base (mm) 𝐷𝑏𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 521,5294

Grau de recobrimento (𝟏, 𝟐 < 𝑬𝒄 < 𝟐, 𝟎)

2 − 𝑅 2 + √𝑅 2 − 𝑅 2 −
√𝑅𝑒𝑝 𝑏𝑝 𝑒𝑐 𝑏𝑐 [(𝑅𝑝𝑝 + 𝑅𝑝𝑐 ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃]
𝐸𝑐 =
𝑚 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠𝜃

√(62,52 − 54,052 + √2852 − 263,112 − [(57,5 + 280) . 𝑠𝑒𝑛20]


𝐸𝑐 =
5 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠20

𝐸𝑐 = 1,72
Onde:

𝑅𝑒𝑝 = raio externo do pinhão

𝑅𝑏𝑝 = raio de base do pinhão

𝑅𝑒𝑐 = raio externo da coroa

𝑅𝑏𝑐 = raio de base do coroa

𝑅𝑝𝑝 = raio primitivo do pinhão

𝑅𝑝𝑐 = raio primitivo da coroa

𝑠𝑒𝑛𝜃 = seno do ângulo de pressão

𝑐𝑜𝑠𝜃 = cosseno do ângulo de pressão

𝑚 = módulo
Momento torçor do motor
𝑁 100
𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 𝑛  𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 1190  𝑀𝑡𝑚 = 60,18 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Onde:
N = potência do motor em CV
n = rotação do motor em rpm

Momento torçor do pinhão


𝑀𝑡𝑝 = 𝑀𝑡𝑚 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 60,18 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 59,78 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Força tangencial nos dentes do pinhão


2.𝑀𝑡𝑚 2 . 59,78
𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 = 10,30 𝑘𝑔𝑓
𝐷𝑝𝑝 0,115

Observação: 𝐷𝑝𝑝 está em metros.

Correção na força tangencial nos dentes do pinhão

𝑄𝑡′ = 𝑄𝑡 . 𝛾  𝑄𝑡′ = 10,30 . 2,75  𝑄𝑡′ = 2859,72 𝑘𝑔𝑓


𝜸 - é um fator que leva em consideração o aumento do conjugado do motor durante a
aceleração. Valores sugeridos para 𝜸, são encontrados na tabela no Anexo A deste documento.

De acordo com a Tabela 1, o valor adotado para o cálculo foi 2,75 para um motor de 100 CV.

Resistência do dente do pinhão a flexão


A seguir será adotado valores observando tabelas e gráficos para determinados fatores, são
eles:

𝐾𝑒 – coeficiente de aplicação de carga sobre o dente, (Anexo B)

𝑙𝑒 – comprimento efetivo do dente (Anexo B)

𝐾𝑓 – coeficiente de concentração de tensão (Anexo B)

𝐶𝑣 – fator de velocidade (Anexo B)

𝑌𝑡 – fator de forma

𝑌𝑐 – fator que leva em conta a posição da carga no dente

Considerando a necessidade de um redutor de grande potência e com maiores requisitos de


precisão, garantindo um contado de 100 % dos dentes, adotaremos a 4ª opção da tabela que
consta no Anexo B, para valores de 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒 .
𝐾𝑒 =1,00

𝑙𝑒 = 142 mm (largura da engrenagem)

Para determinarmos 𝐾𝑓 , teremos que dividir o raio de concordância da raiz do dente pelo
módulo das engrenagens, pois de acordo com o resultado obteremos o valor de 𝐾𝑓 no gráfico
que consta no Anexo B. Portanto:
𝑟𝑓 0,833
 = 0,1666 ~ 2.00
𝑚 5
Onde:

𝑟𝑓 – raio de concordância (módulo dividido por 6)

De acordo com o gráfico (Anexo B), o valor encontrado para 𝐾𝑓 é igual a 1.

A seguir adotaremos um valor para 𝑐𝑣 (fator de velocidade Anexo B)

De acordo com o gráfico o valor que adotaremos de 𝑐𝑣 para o de resistência a flexão do


pinhão do primeiro par será 0,5.

Em seguida, através da tabela para fator de forma (Anexo B), determinatermos 𝑌𝑡 , de acordo
com o número de dentes tanto do pinhão , quanto a coroa.

𝐾𝑓 = 1

𝑌𝑡𝑝 = 0,334

𝑌𝑡𝑐 = 0,450

Para o pinhão : 𝑌𝑐𝑝 = 𝑌𝑡𝑝 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑝 = 0,334 . 1,72  𝑌𝑐𝑝 = 0,57

Para a coroa : 𝑌𝑐𝑐 = 𝑌𝑡𝑐 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑐 = 0,450 . 1,72  𝑌𝑐𝑐 = 0,77

Onde :

𝐸𝑐 – grau de recobrimento

𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 2859,72 . 1 . 1


𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 = 14,13 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 5 . 142 . 0,57 . 0,5

Resistência do dente do pinhão à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑝 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 1039,9 . 1 4,84+1


𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √142 . . ( )
115 . 0,5 4,84

𝜎𝑐𝑝 = 59,18 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²


Valores finais de tensão
Por fim definiremos os valores de mais dois fatores que são :

𝐾𝑎 = Fator de aplicação de carga

𝐿𝑓 = Fator de vida (tensão)

𝐿𝑓𝑐 = Fator de vida (desgaste)

De acordo com a tabela de características do órgãos acionadores e acionados (Anexo C)


obteremos valores práticos de 𝐾𝑎 , por se tratar de um redutor para elevação de uma ponte
rolante temos choque moderados e é acionado por um motor elétrico, devemos cruzar as
informações na tabela (Anexo C), e obtermos o valor de 1,25

Para o fator de vida 𝐿𝑓 , é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑡 , da resistência à flexão do
pé do dente, supondo que o redutor deva funcionar por 5 anos, a razão de 720 horas/ mês.
Teremos uma vida esperada em ciclos de :

𝑁°𝑑𝑒 𝐶𝑖𝑐𝑙𝑜𝑠 = 5 . 12 . 720 . 60 . 1190 = 3,1𝑥109


De acordo com o gráfico para valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓 (Anexo C), temos um valor
de 1.

Agora para o fator de vida 𝐿𝑓𝑐 é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑐 , da resistência do ao
desgaste, para adotar um valor, utilizaremos a tabela de valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐

(ANEXO C), que de acordo com o valos do número de ciclos nos da um 𝐿𝑓𝑐 igual a 0,90.

Portanto os valores são:

𝐾𝑎 = 1,25
𝐿𝑓 = 1

𝐿𝑓𝑐 = 0,90

Substituindo esses valores na equação para fatores finais de tensão teremos:

′ 𝐾 ′ 1,25 ′
𝜎𝑡𝑝 = 𝜎𝑡𝑝 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 14,13 . 1
. 100  𝜎𝑡𝑝 = 1766,25 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1,25 ′
𝜎𝑐𝑝 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 59,18 . 0,90
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 7351,7 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para o pinhão foi o aço 4340 com 33 Rc.

Calcularemos agora, a resistência do dente a flexão, resistência do dente a compressão e


valores finais de tensão.
Resistência do dente da coroa à flexão
𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 2859,72 .1 . 1
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑐 = 10,46 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑐 . 𝐶𝑣 5 . 142 . 0,77 . 0,5

Resistência do dente da coroa à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑐 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 1039,9 . 1 4,84+1


𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √142 . . ( )
560 . 0,5 4,84

𝜎𝑐𝑐 = 26,82 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Valores finais de tensão


′ 𝐾𝑎 ′ 1,25 ′
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑐 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 10,46 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 1307,5 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓 1

′ √𝐾𝑎 ′ √1,25 ′
𝜎𝑐𝑐 = 𝜎𝑐𝑐 . . 100  𝜎𝑐𝑝 = 26,82 . . 100  𝜎𝑐𝑝 = 3331,74 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓𝑐 0,90

Material adotado para a coroa foi o aço 4340 com 33 a 38 Rc.


Dimensionamento do 2° par de engrenagem
Modulo adotado: 5 mm

N° de dentes do pinhão (𝑧𝑝 ): 25 (adotado)

N° de dentes da coroa (𝑧𝑐 ): 121

Ângulo de pressão (𝜃): 20 °

Determinação da velocidade tangencial


𝐷𝑝𝑝 = 25 . 5  𝐷𝑝𝑝 = 125 𝑚𝑚
𝜋 .𝐷𝑝𝑝 .𝑛𝑚 𝜋 .125 .245,86
𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 = 1,61 𝑚/𝑠
60000 60000

Dados do pinhão:
𝐷𝑝𝑝 = 𝑚 . 𝑧𝑝
Diâmetro primitivo pinhão (mm) 125
𝑎=𝑚
Altura da cabeça do dente (mm) 5
𝑏 = 1,67 . 𝑚
Altura do pé do dente (mm) 8,35
ℎ =𝑎+𝑏
Altura total do dente (mm) 13,35
𝐷𝑖𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 − 2𝑏
Diâmetro interno (mm) 108,03
𝐷𝑒𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 + 2𝑎
Diâmetro externo: 𝐷𝑒𝑝 (mm) 135
𝐷𝑏𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
Diâmetro de base: 𝐷𝑏𝑝 (mm) 117,46
𝑙 = 9 .𝜋 .𝑚
Largura do dente: 𝑙 (mm) 141,37
𝑃𝑐 = 𝑚 . 𝜋
Passo circular: 𝑃𝑐 (mm) 15,71

Dados da coroa:
Diâmetro primitivo coroa (mm) 𝐷𝑝𝑐 = 𝑚 . 𝑧𝑐 605
Diâmetro interno (mm) 𝐷𝑖𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 − 2𝑏 588,3
Diâmetro externo (mm) 𝐷𝑒𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 + 2𝑎 615
Diâmetro de base (mm) 𝐷𝑏𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 568,5

Grau de recobrimento (𝟏, 𝟐 < 𝑬𝒄 < 𝟐, 𝟎)

2 − 𝑅 2 + √𝑅 2 − 𝑅 2 −
√𝑅𝑒𝑝 𝑏𝑝 𝑒𝑐 𝑏𝑐 [(𝑅𝑝𝑝 + 𝑅𝑝𝑐 ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃]
𝐸𝑐 =
𝑚 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
√(67,52 − 58,732 + √307,52 − 284,262 − [(62,5 + 302,5) . 𝑠𝑒𝑛20]
𝐸𝑐 =
5 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠20

𝐸𝑐 = 1,74
Onde:

𝑅𝑒𝑝 = raio externo do pinhão

𝑅𝑏𝑝 = raio de base do pinhão

𝑅𝑒𝑐 = raio externo da coroa

𝑅𝑏𝑐 = raio de base do coroa

𝑅𝑝𝑝 = raio primitivo do pinhão

𝑅𝑝𝑐 = raio primitivo da coroa

𝑠𝑒𝑛𝜃 = seno do ângulo de pressão

𝑐𝑜𝑠𝜃 = cosseno do ângulo de pressão

𝑚 = módulo

Momento torçor do motor


𝑁 100
𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 𝑛  𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 245,86  𝑀𝑡𝑚 = 291,30 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Onde:
N = potência do motor em CV
n = rotação do motor em rpm

Momento torçor do pinhão


𝑀𝑡𝑝 = 𝑀𝑡𝑚 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 291,30 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 286,93 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Força tangencial nos dentes do pinhão


2.𝑀𝑡𝑚 2 . 286,93
𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 = 4590,9 𝑘𝑔𝑓
𝐷𝑝𝑝 0,125

Observação: 𝐷𝑝𝑝 está em metros.

Correção na força tangencial nos dentes do pinhão


𝑄𝑡′ = 𝑄𝑡 . 𝛾  𝑄𝑡′ = 4590,3 . 2,5  𝑄𝑡′ = 11477,25 𝑘𝑔𝑓
𝜸 - é um fator que leva em consideração o aumento do conjugado do motor durante a
aceleração. Valores sugeridos para 𝜸, são encontrados na tabela no Anexo A deste documento.

De acordo com a Tabela 1, o valor adotado para o cálculo foi 2,5 para um motor de 100 CV.

Resistência do dente do pinhão a flexão


A seguir serão adotados valores observando tabelas e gráficos para determinados fatores, são
eles:

𝐾𝑒 – coeficiente de aplicação de carga sobre o dente, (Anexo B)

𝑙𝑒 – comprimento efetivo do dente (Anexo B)

𝐾𝑓 – coeficiente de concentração de tensão (Anexo B)

𝐶𝑣 – fator de velocidade (Anexo B)

𝑌𝑡 – fator de forma

𝑌𝑐 – fator que leva em conta a posição da carga no dente

Considerando a necessidade de um redutor de grande potência e com maiores requisitos de


precisão, garantindo um contado de 100 % dos dentes, adotaremos a 4ª opção da tabela que
consta no Anexo B, para valores de 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒 .

𝐾𝑒 =1,00

𝑙𝑒 = 141,37 mm (largura da engrenagem)

Para determinarmos 𝐾𝑓 , teremos que dividir o raio de concordância da raiz do dente pelo
módulo das engrenagens, pois de acordo com o resultado obteremos o valor de 𝐾𝑓 no gráfico
que consta no Anexo B. Portanto:
𝑟𝑓 0,833
 = 0,1666 ~ 2.00
𝑚 5
Onde:

𝑟𝑓 – raio de concordância (módulo dividido por 6)

De acordo com o gráfico (Anexo B), o valor encontrado para 𝐾𝑓 é igual a 1.

A seguir adotaremos um valor para 𝑐𝑣 (fator de velocidade Anexo B)

De acordo com o gráfico o valor que adotaremos de 𝑐𝑣 para o de resistência a flexão do


pinhão do primeiro par será 0,5.

Em seguida, através da tabela para fator de forma (Anexo B), determinatermos 𝑌𝑡 , de acordo
com o número de dentes tanto do pinhão, quanto a coroa.

𝐾𝑓 = 1
𝑌𝑡𝑝 = 0,341

𝑌𝑡𝑐 = 0,452

Para o pinhão: 𝑌𝑐𝑝 = 𝑌𝑡𝑝 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑝 = 0,341 . 1,74  𝑌𝑐𝑝 = 0,594

Para a coroa: 𝑌𝑐𝑐 = 𝑌𝑡𝑐 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑐 = 0,452 . 1,74  𝑌𝑐𝑐 = 0,79

Onde:

𝐸𝑐 – grau de recobrimento

𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 11477,25 . 1 . 1


𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 5 . 141,37 . 0,594 . 0,72
38,22 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²
Resistência do dente do pinhão à compressão
0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑝 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 4590,90 . 1 4,85+1


𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √141,37 . . ( )
125 . 0,72 4,85

𝜎𝑐𝑝 = 99,62 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²

Valores finais de tensão


Por fim definiremos os valores de mais dois fatores que são :

𝐾𝑎 = Fator de aplicação de carga

𝐿𝑓 = Fator de vida (tensão)

𝐿𝑓𝑐 = Fator de vida (desgaste)

De acordo com a tabela de características do órgãos acionadores e acionados (Anexo C)


obteremos valores práticos de 𝐾𝑎 , por se tratar de um redutor para elevação de uma ponte
rolante temos choque moderados e é acionado por um motor elétrico, devemos cruzar as
informações na tabela (Anexo C), e obtermos o valor de 1,00

Para o fator de vida 𝐿𝑓 , é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑡 , da resistência à flexão do pé
do dente, supondo que o redutor deva funcionar por 5 anos, a razão de 720 horas/ mês.
Teremos uma vida esperada em ciclos de:

𝑁°𝑑𝑒 𝐶𝑖𝑐𝑙𝑜𝑠 = 5 . 12 . 720 . 60 . 1190 = 3,1𝑥109


De acordo com o gráfico para valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓 (Anexo C), temos um valor
de 1,00.

Agora para o fator de vida 𝐿𝑓𝑐 é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑐 , da resistência do ao
desgaste, para adotar um valor, utilizaremos a tabela de valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐

(ANEXO C), que de acordo com o valos do número de ciclos nos da um 𝐿𝑓𝑐 igual a 1,00.
Portanto os valores são:

𝐾𝑎 = 1
𝐿𝑓 = 1

𝐿𝑓𝑐 = 1

Substituindo esses valores na equação para fatores finais de tensão teremos:

′ 𝐾𝑎 ′ 1 ′
𝜎𝑡𝑝 = 𝜎𝑡𝑝 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 38,22 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 3822 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓 1

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑝 = 𝜎𝑐𝑝 . . 100  𝜎𝑐𝑝 = 99,62 . . 100  𝜎𝑐𝑝 = 9962 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓𝑐 1

Material adotado para o pinhão foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.

Calcularemos agora, a resistência do dente a flexão, resistência do dente a compressão e


valores finais de tensão.

Resistência do dente da coroa à flexão


𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 11477,25 .1 . 1
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑐 = 28,55 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑐 . 𝐶𝑣 5 . 141,37 . 0,79 . 0,72

Resistência do dente da coroa à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑐 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 4590,90 . 1 4,85+1


𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √141,37 . . ( )
605 . 0,72 4,85

𝜎𝑐𝑐 = 45,28 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Valores finais de tensão


′ 𝐾 ′ ′ 1
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑐 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 28,55 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 2855 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑐 = 𝜎𝑐𝑐 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 45,28 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 4528 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para a coroa foi o aço 4340 com 33 a 38 Rc.


Dimensionamento do 3° par de engrenagem
Modulo adotado: 5 mm

N° de dentes do pinhão (𝑧𝑝 ): 27 (adotado)

N° de dentes da coroa (𝑧𝑐 ): 131

Ângulo de pressão (𝜃): 20 °

Determinação da velocidade tangencial


𝐷𝑝𝑝 = 27 . 5  𝐷𝑝𝑝 = 135 𝑚𝑚
𝜋 .𝐷𝑝𝑝 .𝑛𝑚 𝜋 .135 .50,79
𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 = 0,35 𝑚/𝑠
60000 60000

Dados do pinhão:
𝐷𝑝𝑝 = 𝑚 . 𝑧𝑝
Diâmetro primitivo pinhão (mm) 135
𝑎=𝑚
Altura da cabeça do dente (mm) 5
𝑏 = 1,67 . 𝑚
Altura do pé do dente (mm) 8,35
ℎ =𝑎+𝑏
Altura total do dente (mm) 13,35
𝐷𝑖𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 − 2𝑏
Diâmetro interno (mm) 118,3
𝐷𝑒𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 + 2𝑎
Diâmetro externo: 𝐷𝑒𝑝 (mm) 145
𝐷𝑏𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
Diâmetro de base: 𝐷𝑏𝑝 (mm) 126,86
𝑙 = 9 .𝜋 .𝑚
Largura do dente: 𝑙 (mm) 191,37
𝑃𝑐 = 𝑚 . 𝜋
Passo circular: 𝑃𝑐 (mm) 15,7

Dados da coroa:
Diâmetro primitivo coroa (mm) 𝐷𝑝𝑐 = 𝑚 . 𝑧𝑐 655
Diâmetro interno (mm) 𝐷𝑖𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 − 2𝑏 638,3
Diâmetro externo (mm) 𝐷𝑒𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 + 2𝑎 665
Diâmetro de base (mm) 𝐷𝑏𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 615,5

Grau de recobrimento (𝟏, 𝟐 < 𝑬𝒄 < 𝟐, 𝟎)

2 − 𝑅 2 + √𝑅 2 − 𝑅 2 −
√𝑅𝑒𝑝 𝑏𝑝 𝑒𝑐 𝑏𝑐 [(𝑅𝑝𝑝 + 𝑅𝑝𝑐 ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃]
𝐸𝑐 =
𝑚 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
√(75,52 − 63,432 + √332,52 − 307,752 − [(67,5 + 327,5) . 𝑠𝑒𝑛20]
𝐸𝑐 =
5 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠20

𝐸𝑐 = 1,75
Onde:

𝑅𝑒𝑝 = raio externo do pinhão

𝑅𝑏𝑝 = raio de base do pinhão

𝑅𝑒𝑐 = raio externo da coroa

𝑅𝑏𝑐 = raio de base do coroa

𝑅𝑝𝑝 = raio primitivo do pinhão

𝑅𝑝𝑐 = raio primitivo da coroa

𝑠𝑒𝑛𝜃 = seno do ângulo de pressão

𝑐𝑜𝑠𝜃 = cosseno do ângulo de pressão

𝑚 = módulo

Momento torçor do motor


𝑁 100
𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 𝑛  𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 50,79  𝑀𝑡𝑚 = 1410,12 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Onde:
N = potência do motor em CV
n = rotação do motor em rpm

Momento torçor do pinhão


𝑀𝑡𝑝 = 𝑀𝑡𝑚 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 1410,12 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 1389,05 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Força tangencial nos dentes do pinhão


2.𝑀𝑡𝑚 2 . 1389,05
𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 = 20578,5 𝑘𝑔𝑓
𝐷𝑝𝑝 0,135

Observação: 𝐷𝑝𝑝 está em metros.

Correção na força tangencial nos dentes do pinhão


𝑄𝑡′ = 𝑄𝑡 . 𝛾  𝑄𝑡′ = 20578,5 . 2,25  𝑄𝑡′ = 46301,62 𝑘𝑔𝑓
𝜸 - é um fator que leva em consideração o aumento do conjugado do motor durante a
aceleração. Valores sugeridos para 𝜸, são encontrados na tabela no Anexo A deste documento.

De acordo com a Tabela 1, o valor adotado para o cálculo foi 2,25 para um motor de 100 CV.

Resistência do dente do pinhão a flexão


A seguir serão adotados valores observando tabelas e gráficos para determinados fatores, são
eles:

𝐾𝑒 – coeficiente de aplicação de carga sobre o dente, (Anexo B)

𝑙𝑒 – comprimento efetivo do dente (Anexo B)

𝐾𝑓 – coeficiente de concentração de tensão (Anexo B)

𝐶𝑣 – fator de velocidade (Anexo B)

𝑌𝑡 – fator de forma

𝑌𝑐 – fator que leva em conta a posição da carga no dente

Considerando a necessidade de um redutor de grande potência e com maiores requisitos de


precisão, garantindo um contado de 100 % dos dentes, adotaremos a 4ª opção da tabela que
consta no Anexo B, para valores de 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒 .

𝐾𝑒 =1,00

𝑙𝑒 = 141,37 mm (largura da engrenagem)

Para determinarmos 𝐾𝑓 , teremos que dividir o raio de concordância da raiz do dente pelo
módulo das engrenagens, pois de acordo com o resultado obteremos o valor de 𝐾𝑓 no gráfico
que consta no Anexo B. Portanto:
𝑟𝑓 0,833
 = 0,1666 ~ 2.00
𝑚 5
Onde:

𝑟𝑓 – raio de concordância (módulo dividido por 6)

De acordo com o gráfico (Anexo B), o valor encontrado para 𝐾𝑓 é igual a 1.

A seguir adotaremos um valor para 𝑐𝑣 (fator de velocidade Anexo B)

De acordo com o gráfico o valor que adotaremos de 𝑐𝑣 para o de resistência a flexão do


pinhão do primeiro par será 0,5.

Em seguida, através da tabela para fator de forma (Anexo B), determinatermos 𝑌𝑡 , de acordo
com o número de dentes tanto do pinhão, quanto a coroa.

𝐾𝑓 = 1
𝑌𝑡𝑝 = 0,35

𝑌𝑡𝑐 = 0,46

Para o pinhão: 𝑌𝑐𝑝 = 𝑌𝑡𝑝 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑝 = 0,35 . 1,75  𝑌𝑐𝑝 = 0,61

Para a coroa: 𝑌𝑐𝑐 = 𝑌𝑡𝑐 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑐 = 0,46 . 1,75  𝑌𝑐𝑐 = 0,805

Onde:

𝐸𝑐 – grau de recobrimento

𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 46301,62 . 1 . 1


𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 = 135,92 𝑘𝑔𝑓/
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 5 . 141,37 . 0,61 . 0,79
𝑚𝑚²
Resistência do dente do pinhão à compressão
0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑝 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 20578,5 . 1 4,85+1


𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √141,37 . . ( )
135 . 0,79 4,85

𝜎𝑐𝑝 = 193,74 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²

Valores finais de tensão


Por fim definiremos os valores de mais dois fatores que são :

𝐾𝑎 = Fator de aplicação de carga

𝐿𝑓 = Fator de vida (tensão)

𝐿𝑓𝑐 = Fator de vida (desgaste)

De acordo com a tabela de características do órgãos acionadores e acionados (Anexo C)


obteremos valores práticos de 𝐾𝑎 , por se tratar de um redutor para elevação de uma ponte
rolante temos choque moderados e é acionado por um motor elétrico, devemos cruzar as
informações na tabela (Anexo C), e obtermos o valor de 1,00

Para o fator de vida 𝐿𝑓 , é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑡 , da resistência à flexão do pé
do dente, supondo que o redutor deva funcionar por 5 anos, a razão de 720 horas/ mês.
Teremos uma vida esperada em ciclos de:

𝑁°𝑑𝑒 𝐶𝑖𝑐𝑙𝑜𝑠 = 5 . 12 . 720 . 60 . 1190 = 3,1𝑥109


De acordo com o gráfico para valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓 (Anexo C), temos um valor
de 1,00.

Agora para o fator de vida 𝐿𝑓𝑐 é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑐 , da resistência do ao
desgaste, para adotar um valor, utilizaremos a tabela de valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐

(ANEXO C), que de acordo com o valos do número de ciclos nos da um 𝐿𝑓𝑐 igual a 1,00.
Portanto os valores são:

𝐾𝑎 = 1
𝐿𝑓 = 1

𝐿𝑓𝑐 = 1

Substituindo esses valores na equação para fatores finais de tensão teremos:


′ 𝐾 ′ ′ 1
𝜎𝑡𝑝 = 𝜎𝑡𝑝 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 135,92 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 13592 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑝 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 193,74 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 19374 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para o pinhão foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.

Calcularemos agora, a resistência do dente a flexão, resistência do dente a compressão e


valores finais de tensão.

Resistência do dente da coroa à flexão


𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 46301,62 .1 . 1
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑐 = 103 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑐 . 𝐶𝑣 5 . 141,37 . 0,805 . 0,79

Resistência do dente da coroa à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑐 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 20578,5 . 1 4,85+1


𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √655 . . ( )
141,37 . 0,79 4,85

𝜎𝑐𝑐 = 87,95 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Valores finais de tensão


′ 𝐾 ′ ′1
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑐 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 103 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 10300 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑐 = 𝜎𝑐𝑐 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 87,95 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 8795 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para a coroa foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.


Cálculo do redutor para o sistema de Translação

Dados do motor
Motor Potência N° de Rotação Frequência Tensão
(CV) polos Nominal (Hz) Nominal
(rpm) (V)
WEG-W22 7,5 6 1175 60 220/380
IR4 Super
Premium

Relação de transmissão
Redução total
𝑅𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝑑𝑒 𝑒𝑛𝑡𝑟𝑎𝑑𝑎 11,94
i=  i=  i = 4,62
𝑅𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝑑𝑒 𝑠𝑎í𝑑𝑎 1175

Determinação do número de pares de engrenagens


A relação de transmissão por par de engrenagens deve ser no máximo e não ultrapassar i = 6.

3
𝑟𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑝𝑎𝑟 = √i  𝑟𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑝𝑎𝑟 = 3√98,4  𝑟𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑝𝑎𝑟 ≈ 4,62

Dimensionamento do 1° par de engrenagem


Modulo adotado: 3,5 mm

N° de dentes do pinhão (𝑧𝑝 ): 23 (adotado)

N° de dentes da coroa (𝑧𝑐 ): 107

Ângulo de pressão (𝜃): 20 °

Determinação da velocidade tangencial


𝐷𝑝𝑝 = 23 . 3,5  𝐷𝑝𝑝 = 80,5𝑚𝑚
𝜋 .𝐷𝑝𝑝 .𝑛𝑚 𝜋 .80,5 .1175
𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 = 4,95 𝑚/𝑠
60000 60000
Dados do pinhão:
𝐷𝑝𝑝 = 𝑚 . 𝑧𝑝
Diâmetro primitivo pinhão (mm) 80,5
𝑎=𝑚
Altura da cabeça do dente (mm) 3,5
𝑏 = 1,67 . 𝑚
Altura do pé do dente (mm) 5,85
ℎ =𝑎+𝑏
Altura total do dente (mm) 9,35
𝐷𝑖𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 − 2𝑏
Diâmetro interno (mm) 68,81
𝐷𝑒𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 + 2𝑎
Diâmetro externo: 𝐷𝑒𝑝 (mm) 87,5
𝐷𝑏𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
Diâmetro de base: 𝐷𝑏𝑝 (mm) 75,6
𝑙 = 9 .𝜋 .𝑚
Largura do dente: 𝑙 (mm) 109,88
𝑃𝑐 = 𝑚 . 𝜋
Passo circular: 𝑃𝑐 (mm) 10,99

Dados da coroa:
Diâmetro primitivo coroa (mm) 𝐷𝑝𝑐 = 𝑚 . 𝑧𝑐 374,5
Diâmetro interno (mm) 𝐷𝑖𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 − 2𝑏 362,8
Diâmetro externo (mm) 𝐷𝑒𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 + 2𝑎 381,5
Diâmetro de base (mm) 𝐷𝑏𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 351,9

Grau de recobrimento (𝟏, 𝟐 < 𝑬𝒄 < 𝟐, 𝟎)

2 − 𝑅 2 + √𝑅 2 − 𝑅 2 −
√𝑅𝑒𝑝 𝑏𝑝 𝑒𝑐 𝑏𝑐 [(𝑅𝑝𝑝 + 𝑅𝑝𝑐 ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃]
𝐸𝑐 =
𝑚 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠𝜃

√(43,752 − 37,82 + √190,752 − 175,952 − [(40,25 + 187,25) . 𝑠𝑒𝑛20]


𝐸𝑐 =
3,5 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠20

𝐸𝑐 = 1,73
Onde:

𝑅𝑒𝑝 = raio externo do pinhão

𝑅𝑏𝑝 = raio de base do pinhão

𝑅𝑒𝑐 = raio externo da coroa

𝑅𝑏𝑐 = raio de base do coroa

𝑅𝑝𝑝 = raio primitivo do pinhão


𝑅𝑝𝑐 = raio primitivo da coroa

𝑠𝑒𝑛𝜃 = seno do ângulo de pressão

𝑐𝑜𝑠𝜃 = cosseno do ângulo de pressão

𝑚 = módulo

Momento torçor do motor


𝑁 7,5
𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 𝑛  𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 1175  𝑀𝑡𝑚 = 4,57 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Onde:
N = potência do motor em CV
n = rotação do motor em rpm

Momento torçor do pinhão


𝑀𝑡𝑝 = 𝑀𝑡𝑚 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 4,57 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 4,5 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Força tangencial nos dentes do pinhão


2.𝑀𝑡𝑚 2 . 450
𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 = 111,87 𝑘𝑔𝑓
𝐷𝑝𝑝 0,0805

Observação: 𝐷𝑝𝑝 está em metros.

Correção na força tangencial nos dentes do pinhão

𝑄𝑡′ = 𝑄𝑡 . 𝛾  𝑄𝑡′ = 111,87 . 2,5  𝑄𝑡′ = 279,68 𝑘𝑔𝑓


𝜸 - é um fator que leva em consideração o aumento do conjugado do motor durante a
aceleração. Valores sugeridos para 𝜸, são encontrados na tabela no Anexo A deste documento.

De acordo com a Tabela 1, o valor adotado para o cálculo foi 2,5 para um motor de 7,5 CV.

Resistência do dente do pinhão a flexão


A seguir serão adotados valores observando tabelas e gráficos para determinados fatores, são
eles:

𝐾𝑒 – coeficiente de aplicação de carga sobre o dente, (Anexo B)

𝑙𝑒 – comprimento efetivo do dente (Anexo B)

𝐾𝑓 – coeficiente de concentração de tensão (Anexo B)


𝐶𝑣 – fator de velocidade (Anexo B)

𝑌𝑡 – fator de forma

𝑌𝑐 – fator que leva em conta a posição da carga no dente

Considerando a necessidade de um redutor de grande potência e com maiores requisitos de


precisão, garantindo um contado de 100 % dos dentes, adotaremos a 4ª opção da tabela que
consta no Anexo B, para valores de 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒 .

𝐾𝑒 =1,00

𝑙𝑒 = 109,9 mm (largura da engrenagem)

Para determinarmos 𝐾𝑓 , teremos que dividir o raio de concordância da raiz do dente pelo
módulo das engrenagens, pois de acordo com o resultado obteremos o valor de 𝐾𝑓 no gráfico
que consta no Anexo B. Portanto:
𝑟𝑓 0,833
 = 0,1666 ~ 2.00
𝑚 5
Onde:

𝑟𝑓 – raio de concordância (módulo dividido por 6)

De acordo com o gráfico (Anexo B), o valor encontrado para 𝐾𝑓 é igual a 1.

A seguir adotaremos um valor para 𝑐𝑣 (fator de velocidade Anexo B)

De acordo com o gráfico o valor que adotaremos de 𝑐𝑣 para o de resistência a flexão do


pinhão do primeiro par será 0,5.

Em seguida, através da tabela para fator de forma (Anexo B), determinatermos 𝑌𝑡 , de acordo
com o número de dentes tanto do pinhão, quanto a coroa.

𝐾𝑓 = 1

Para o pinhão: 𝑌𝑐𝑝 = 𝑌𝑡𝑝 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑝 = 0,578

Para a coroa: 𝑌𝑐𝑐 = 𝑌𝑡𝑐 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑐 = 0,777

Onde:

𝐸𝑐 – grau de recobrimento

𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 279,68 . 1 . 1


𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 3,5 . 109,9 . 0,578 . 0,57
2,207 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Resistência do dente do pinhão à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑝 .𝐶𝑣 𝑖
0,73 111,87 . 1 4,62+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √109,9 . . ( )
80,5 . 0,57 4,62

𝜎𝑐𝑝 = 24,76 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²

Valores finais de tensão


Por fim definiremos os valores de mais dois fatores que são :

𝐾𝑎 = Fator de aplicação de carga

𝐿𝑓 = Fator de vida (tensão)

𝐿𝑓𝑐 = Fator de vida (desgaste)

De acordo com a tabela de características do órgãos acionadores e acionados (Anexo C)


obteremos valores práticos de 𝐾𝑎 , por se tratar de um redutor para elevação de uma ponte
rolante temos choque moderados e é acionado por um motor elétrico, devemos cruzar as
informações na tabela (Anexo C), e obtermos o valor de 1,00

Para o fator de vida 𝐿𝑓 , é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑡 , da resistência à flexão do pé
do dente, supondo que o redutor deva funcionar por 5 anos, a razão de 720 horas/ mês.
Teremos uma vida esperada em ciclos de:

𝑁°𝑑𝑒 𝐶𝑖𝑐𝑙𝑜𝑠 = 5 . 12 . 720 . 60 . 1190 = 3,1𝑥109


De acordo com o gráfico para valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓 (Anexo C), temos um valor
de 1,00.

Agora para o fator de vida 𝐿𝑓𝑐 é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑐 , da resistência do ao
desgaste, para adotar um valor, utilizaremos a tabela de valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐

(ANEXO C), que de acordo com o valos do número de ciclos nos da um 𝐿𝑓𝑐 igual a 1,00.

Portanto os valores são:

𝐾𝑎 = 1
𝐿𝑓 = 1

𝐿𝑓𝑐 = 1

Substituindo esses valores na equação para fatores finais de tensão teremos:


′ 𝐾𝑎 ′ 1 ′
𝜎𝑡𝑝 = 𝜎𝑡𝑝 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 2,207 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 220,7 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓 1

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑝 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 24,76 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 2476 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para o pinhão foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.


Calcularemos agora, a resistência do dente a flexão, resistência do dente a compressão e
valores finais de tensão.

Resistência do dente da coroa à flexão


𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 279,68 . 1 . 1
𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 3,5 . 109,9 . 0,777 . 0,57
1,64𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Resistência do dente da coroa à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑐 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 279,68 . 1 4,62+1


𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √109,9 . . ( )
80,5 . 0,57 4,62

𝜎𝑐𝑐 = 11,48 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Valores finais de tensão


′ 𝐾 ′ 1

𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑝 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 1,64 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 164 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑐 = 𝜎𝑐𝑝 . . 100  𝜎𝑐𝑐 = 11,48 . . 100  𝜎𝑐𝑐 = 1148 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓𝑐 1

Material adotado para a coroa foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.

Dimensionamento do 2° par de engrenagem


Modulo adotado: 3,5 mm

N° de dentes do pinhão (𝑧𝑝 ): 25 (adotado)

N° de dentes da coroa (𝑧𝑐 ): 116

Ângulo de pressão (𝜃): 20 °

Determinação da velocidade tangencial


𝐷𝑝𝑝 = 25 . 3,5  𝐷𝑝𝑝 = 87,5𝑚𝑚
𝜋 .𝐷𝑝𝑝 .𝑛𝑚 𝜋 .87,5 .254,33
𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 = 1,164 𝑚/𝑠
60000 60000

Dados do pinhão:
𝐷𝑝𝑝 = 𝑚 . 𝑧𝑝
Diâmetro primitivo pinhão (mm) 87,5
𝑎=𝑚
Altura da cabeça do dente (mm) 3,5
𝑏 = 1,67 . 𝑚
Altura do pé do dente (mm) 5,85
ℎ =𝑎+𝑏
Altura total do dente (mm) 9,35
𝐷𝑖𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 − 2𝑏
Diâmetro interno (mm) 75,81
𝐷𝑒𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 + 2𝑎
Diâmetro externo: 𝐷𝑒𝑝 (mm) 94,5
𝐷𝑏𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
Diâmetro de base: 𝐷𝑏𝑝 (mm) 82,22
𝑙 = 9 .𝜋 .𝑚
Largura do dente: 𝑙 (mm) 109,9
𝑃𝑐 = 𝑚 . 𝜋
Passo circular: 𝑃𝑐 (mm) 10,99

Dados da coroa:
Diâmetro primitivo coroa (mm) 𝐷𝑝𝑐 = 𝑚 . 𝑧𝑐 406
Diâmetro interno (mm) 𝐷𝑖𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 − 2𝑏 394,31
Diâmetro externo (mm) 𝐷𝑒𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 + 2𝑎 413
Diâmetro de base (mm) 𝐷𝑏𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 381,51

Grau de recobrimento (𝟏, 𝟐 < 𝑬𝒄 < 𝟐, 𝟎)

2 − 𝑅 2 + √𝑅 2 − 𝑅 2 −
√𝑅𝑒𝑝 𝑏𝑝 𝑒𝑐 𝑏𝑐 [(𝑅𝑝𝑝 + 𝑅𝑝𝑐 ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃]
𝐸𝑐 =
𝑚 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠𝜃

√(47,252 − 41,12 + √206,52 − 381,522 − [(43,75 + 203) . 𝑠𝑒𝑛20]


𝐸𝑐 =
3,5 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠20

𝐸𝑐 = 1,74
Onde:

𝑅𝑒𝑝 = raio externo do pinhão

𝑅𝑏𝑝 = raio de base do pinhão


𝑅𝑒𝑐 = raio externo da coroa

𝑅𝑏𝑐 = raio de base do coroa

𝑅𝑝𝑝 = raio primitivo do pinhão

𝑅𝑝𝑐 = raio primitivo da coroa

𝑠𝑒𝑛𝜃 = seno do ângulo de pressão

𝑐𝑜𝑠𝜃 = cosseno do ângulo de pressão

𝑚 = módulo

Momento torçor do motor


𝑁 7,5
𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 𝑛  𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 254,33  𝑀𝑡𝑚 = 21,12 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Onde:
N = potência do motor em CV
n = rotação do motor em rpm

Momento torçor do pinhão


𝑀𝑡𝑝 = 𝑀𝑡𝑚 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 21,12 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 20,80 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Força tangencial nos dentes do pinhão


2.𝑀𝑡𝑚 2 . 20,80
𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 = 475,51 𝑘𝑔𝑓
𝐷𝑝𝑝 0,0875

Observação: 𝐷𝑝𝑝 está em metros.

Correção na força tangencial nos dentes do pinhão

𝑄𝑡′ = 𝑄𝑡 . 𝛾  𝑄𝑡′ = 475,51 . 2,5  𝑄𝑡′ = 1188,76 𝑘𝑔𝑓


𝜸 - é um fator que leva em consideração o aumento do conjugado do motor durante a
aceleração. Valores sugeridos para 𝜸, são encontrados na tabela no Anexo A deste documento.

De acordo com a Tabela 1, o valor adotado para o cálculo foi 2,5 para um motor de 7,5 CV.

Resistência do dente do pinhão a flexão


A seguir serão adotados valores observando tabelas e gráficos para determinados fatores, são
eles:
𝐾𝑒 – coeficiente de aplicação de carga sobre o dente, (Anexo B)

𝑙𝑒 – comprimento efetivo do dente (Anexo B)

𝐾𝑓 – coeficiente de concentração de tensão (Anexo B)

𝐶𝑣 – fator de velocidade (Anexo B)

𝑌𝑡 – fator de forma

𝑌𝑐 – fator que leva em conta a posição da carga no dente

Considerando a necessidade de um redutor de grande potência e com maiores requisitos de


precisão, garantindo um contado de 100 % dos dentes, adotaremos a 4ª opção da tabela que
consta no Anexo B, para valores de 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒 .

𝐾𝑒 =1,00

𝑙𝑒 = 109,9 mm (largura da engrenagem)

Para determinarmos 𝐾𝑓 , teremos que dividir o raio de concordância da raiz do dente pelo
módulo das engrenagens, pois de acordo com o resultado obteremos o valor de 𝐾𝑓 no gráfico
que consta no Anexo B. Portanto:
𝑟𝑓 0,833
 = 0,1666 ~ 2.00
𝑚 5
Onde:

𝑟𝑓 – raio de concordância (módulo dividido por 6)

De acordo com o gráfico (Anexo B), o valor encontrado para 𝐾𝑓 é igual a 1.

A seguir adotaremos um valor para 𝑐𝑣 (fator de velocidade Anexo B)

De acordo com o gráfico o valor que adotaremos de 𝑐𝑣 para o de resistência a flexão do


pinhão do primeiro par será 0,5.

Em seguida, através da tabela para fator de forma (Anexo B), determinatermos 𝑌𝑡 , de acordo
com o número de dentes tanto do pinhão, quanto a coroa.

𝐾𝑓 = 1

Para o pinhão: 𝑌𝑐𝑝 = 𝑌𝑡𝑝 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑝 = 0,593

Para a coroa: 𝑌𝑐𝑐 = 𝑌𝑡𝑐 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑐 = 0,785

Onde:

𝐸𝑐 – grau de recobrimento

𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 1188,76 . 1 . 1


𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 3,5 . 109,9 . 0,593 . 0,65
8,01 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²
Resistência do dente do pinhão à compressão
0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑝 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 475,51 . 1 4,62+1


𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √109,9 . . ( )
87,5 . 0,65 4,62

𝜎𝑐𝑝 = 45,85 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²

Valores finais de tensão


Por fim definiremos os valores de mais dois fatores que são :

𝐾𝑎 = Fator de aplicação de carga

𝐿𝑓 = Fator de vida (tensão)

𝐿𝑓𝑐 = Fator de vida (desgaste)

De acordo com a tabela de características do órgãos acionadores e acionados (Anexo C)


obteremos valores práticos de 𝐾𝑎 , por se tratar de um redutor para elevação de uma ponte
rolante temos choque moderados e é acionado por um motor elétrico, devemos cruzar as
informações na tabela (Anexo C), e obtermos o valor de 1,00

Para o fator de vida 𝐿𝑓 , é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑡 , da resistência à flexão do pé
do dente, supondo que o redutor deva funcionar por 5 anos, a razão de 720 horas/ mês.
Teremos uma vida esperada em ciclos de:

𝑁°𝑑𝑒 𝐶𝑖𝑐𝑙𝑜𝑠 = 5 . 12 . 720 . 60 . 1190 = 3,1𝑥109


De acordo com o gráfico para valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓 (Anexo C), temos um valor
de 1,00.

Agora para o fator de vida 𝐿𝑓𝑐 é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑐 , da resistência do ao
desgaste, para adotar um valor, utilizaremos a tabela de valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐

(ANEXO C), que de acordo com o valos do número de ciclos nos da um 𝐿𝑓𝑐 igual a 1,00.

Portanto os valores são:

𝐾𝑎 = 1
𝐿𝑓 = 1

𝐿𝑓𝑐 = 1

Substituindo esses valores na equação para fatores finais de tensão teremos:


′ 𝐾 ′ 1 ′
𝜎𝑡𝑝 = 𝜎𝑡𝑝 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 8,01 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 801 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓
′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑝 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 45,85 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 4585 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para o pinhão foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.

Calcularemos agora, a resistência do dente a flexão, resistência do dente a compressão e


valores finais de tensão.

Resistência do dente da coroa à flexão


𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 1188,76 . 1 . 1
𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 3,5 . 109,9 . 0,785 . 0,65
6,06𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Resistência do dente da coroa à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑐 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 475,51 . 1 4,62+1


𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √109,9 . . ( )
406 . 0,65 4,62

𝜎𝑐𝑐 = 21,28 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Valores finais de tensão


′ 𝐾 ′ 1 ′
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑝 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 6,06 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 606𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑐 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑐 = 21,28 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑐 = 2128 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para a coroa foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.

Dimensionamento do 3° par de engrenagem


Modulo adotado: 3,5 mm

N° de dentes do pinhão (𝑧𝑝 ): 27 (adotado)

N° de dentes da coroa (𝑧𝑐 ): 125

Ângulo de pressão (𝜃): 20 °


Determinação da velocidade tangencial
𝐷𝑝𝑝 = 27 . 3,5  𝐷𝑝𝑝 = 94,5𝑚𝑚
𝜋 .𝐷𝑝𝑝 .𝑛𝑚 𝜋 .94,5 .55,05
𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 =  𝑉𝑡 = 0,272 𝑚/𝑠
60000 60000

Dados do pinhão:
𝐷𝑝𝑝 = 𝑚 . 𝑧𝑝
Diâmetro primitivo pinhão (mm) 94,5
𝑎=𝑚
Altura da cabeça do dente (mm) 3,5
𝑏 = 1,67 . 𝑚
Altura do pé do dente (mm) 5,85
ℎ =𝑎+𝑏
Altura total do dente (mm) 9,35
𝐷𝑖𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 − 2𝑏
Diâmetro interno (mm) 82,81
𝐷𝑒𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 + 2𝑎
Diâmetro externo: 𝐷𝑒𝑝 (mm) 101,5
𝐷𝑏𝑝 = 𝐷𝑝𝑝 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
Diâmetro de base: 𝐷𝑏𝑝 (mm) 88,80
𝑙 = 9 .𝜋 .𝑚
Largura do dente: 𝑙 (mm) 109,9
𝑃𝑐 = 𝑚 . 𝜋
Passo circular: 𝑃𝑐 (mm) 10,99

Dados da coroa:
Diâmetro primitivo coroa (mm) 𝐷𝑝𝑐 = 𝑚 . 𝑧𝑐 441
Diâmetro interno (mm) 𝐷𝑖𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 − 2𝑏 429,31
Diâmetro externo (mm) 𝐷𝑒𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 + 2𝑎 488
Diâmetro de base (mm) 𝐷𝑏𝑐 = 𝐷𝑝𝑐 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 441,4

Grau de recobrimento (𝟏, 𝟐 < 𝑬𝒄 < 𝟐, 𝟎)

2 − 𝑅 2 + √𝑅 2 − 𝑅 2 −
√𝑅𝑒𝑝 𝑏𝑝 𝑒𝑐 𝑏𝑐 [(𝑅𝑝𝑝 + 𝑅𝑝𝑐 ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃]
𝐸𝑐 =
𝑚 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠𝜃

√(50,752 − 44,42 + √2242 − 2072 − [(47,25 + 220,5) . 𝑠𝑒𝑛20]


𝐸𝑐 =
3,5 . 𝜋 . 𝑐𝑜𝑠20

𝐸𝑐 = 1,75
Onde:

𝑅𝑒𝑝 = raio externo do pinhão

𝑅𝑏𝑝 = raio de base do pinhão

𝑅𝑒𝑐 = raio externo da coroa

𝑅𝑏𝑐 = raio de base do coroa

𝑅𝑝𝑝 = raio primitivo do pinhão

𝑅𝑝𝑐 = raio primitivo da coroa

𝑠𝑒𝑛𝜃 = seno do ângulo de pressão

𝑐𝑜𝑠𝜃 = cosseno do ângulo de pressão

𝑚 = módulo

Momento torçor do motor


𝑁 7,5
𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 𝑛  𝑀𝑡𝑚 = 716,2 . 55,05  𝑀𝑡𝑚 = 97,57 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Onde:
N = potência do motor em CV
n = rotação do motor em rpm

Momento torçor do pinhão


𝑀𝑡𝑝 = 𝑀𝑡𝑚 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 97,57 . 0,985  𝑀𝑡𝑝 = 96,11 𝑘𝑔𝑓. 𝑚

Força tangencial nos dentes do pinhão


2.𝑀𝑡𝑚 2 . 96,11
𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 =  𝑄𝑡 = 2034,10 𝑘𝑔𝑓
𝐷𝑝𝑝 0,0945

Observação: 𝐷𝑝𝑝 está em metros.

Correção na força tangencial nos dentes do pinhão

𝑄𝑡′ = 𝑄𝑡 . 𝛾  𝑄𝑡′ = 2034,10 . 2,5  𝑄𝑡′ = 5085,25 𝑘𝑔𝑓


𝜸 - é um fator que leva em consideração o aumento do conjugado do motor durante a
aceleração. Valores sugeridos para 𝜸, são encontrados na tabela no Anexo A deste documento.

De acordo com a Tabela 1, o valor adotado para o cálculo foi 2,5 para um motor de 7,5 CV.
Resistência do dente do pinhão a flexão
A seguir serão adotados valores observando tabelas e gráficos para determinados fatores, são
eles:

𝐾𝑒 – coeficiente de aplicação de carga sobre o dente, (Anexo B)

𝑙𝑒 – comprimento efetivo do dente (Anexo B)

𝐾𝑓 – coeficiente de concentração de tensão (Anexo B)

𝐶𝑣 – fator de velocidade (Anexo B)

𝑌𝑡 – fator de forma

𝑌𝑐 – fator que leva em conta a posição da carga no dente

Considerando a necessidade de um redutor de grande potência e com maiores requisitos de


precisão, garantindo um contado de 100 % dos dentes, adotaremos a 4ª opção da tabela que
consta no Anexo B, para valores de 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒 .

𝐾𝑒 =1,00

𝑙𝑒 = 109,9 mm (largura da engrenagem)

Para determinarmos 𝐾𝑓 , teremos que dividir o raio de concordância da raiz do dente pelo
módulo das engrenagens, pois de acordo com o resultado obteremos o valor de 𝐾𝑓 no gráfico
que consta no Anexo B. Portanto:
𝑟𝑓 0,833
 = 0,1666 ~ 2.00
𝑚 5
Onde:

𝑟𝑓 – raio de concordância (módulo dividido por 6)

De acordo com o gráfico (Anexo B), o valor encontrado para 𝐾𝑓 é igual a 1.

A seguir adotaremos um valor para 𝑐𝑣 (fator de velocidade Anexo B)

De acordo com o gráfico o valor que adotaremos de 𝑐𝑣 para o de resistência a flexão do


pinhão do primeiro par será 0,5.

Em seguida, através da tabela para fator de forma (Anexo B), determinatermos 𝑌𝑡 , de acordo
com o número de dentes tanto do pinhão, quanto a coroa.

𝐾𝑓 = 1

Para o pinhão: 𝑌𝑐𝑝 = 𝑌𝑡𝑝 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑝 = 0,612

Para a coroa: 𝑌𝑐𝑐 = 𝑌𝑡𝑐 . 𝐸𝑐  𝑌𝑐𝑐 = 0,793

Onde:

𝐸𝑐 – grau de recobrimento
𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 5085,25 . 1 . 1
𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 3,5 . 109,9 . 0,612 . 0,79
27,32 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Resistência do dente do pinhão à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑝 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 2034,1 . 1 4,62+1


𝜎𝑐𝑝 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √109,9 . . ( )
94,5 . 0,79 4,62

𝜎𝑐𝑝 = 82,77 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²

Valores finais de tensão


Por fim definiremos os valores de mais dois fatores que são :

𝐾𝑎 = Fator de aplicação de carga

𝐿𝑓 = Fator de vida (tensão)

𝐿𝑓𝑐 = Fator de vida (desgaste)

De acordo com a tabela de características do órgãos acionadores e acionados (Anexo C)


obteremos valores práticos de 𝐾𝑎 , por se tratar de um redutor para elevação de uma ponte
rolante temos choque moderados e é acionado por um motor elétrico, devemos cruzar as
informações na tabela (Anexo C), e obtermos o valor de 1,00

Para o fator de vida 𝐿𝑓 , é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑡 , da resistência à flexão do pé
do dente, supondo que o redutor deva funcionar por 5 anos, a razão de 720 horas/ mês.
Teremos uma vida esperada em ciclos de:

𝑁°𝑑𝑒 𝐶𝑖𝑐𝑙𝑜𝑠 = 5 . 12 . 720 . 60 . 1190 = 3,1𝑥109


De acordo com o gráfico para valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓 (Anexo C), temos um valor
de 1,00.

Agora para o fator de vida 𝐿𝑓𝑐 é aplicado para cálculo final de tensão 𝜎𝑐 , da resistência do ao
desgaste, para adotar um valor, utilizaremos a tabela de valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐

(ANEXO C), que de acordo com o valos do número de ciclos nos da um 𝐿𝑓𝑐 igual a 1,00.

Portanto os valores são:

𝐾𝑎 = 1
𝐿𝑓 = 1

𝐿𝑓𝑐 = 1
Substituindo esses valores na equação para fatores finais de tensão teremos:
′ 𝐾 ′ 1′
𝜎𝑡𝑝 = 𝜎𝑡𝑝 . 𝐿𝑎 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 27,32 . 1 . 100  𝜎𝑡𝑝 = 2732 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑝 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑝 = 82,77 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑝 = 8277 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para o pinhão foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.

Calcularemos agora, a resistência do dente a flexão, resistência do dente a compressão e


valores finais de tensão.

Resistência do dente da coroa à flexão


𝑄𝑡′ .𝐾𝑒 .𝐾𝑓 5085,25 . 1 . 1
𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑐 =  𝜎𝑡𝑝 =
𝑚 . 𝑙𝑒 . 𝑌𝑐𝑝 . 𝐶𝑣 3,5 . 109,9 . 0,792 . 0,79
21,11 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Resistência do dente da coroa à compressão


0,73 𝑄𝑡 .𝐾𝑒 𝑖+1
𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛𝜃 .𝑐𝑜𝑠𝜃 . √𝑙 . ( )
𝑒 .𝐷𝑝𝑐 .𝐶𝑣 𝑖

0,73 2034,1 . 1 4,62+1


𝜎𝑐𝑐 = 102 . √𝑠𝑒𝑛20 .𝑐𝑜𝑠20 . √109,9 . . ( )
441 . 0,79 4,62

𝜎𝑐𝑐 = 38,31 𝑘𝑔𝑓/𝑚𝑚²

Valores finais de tensão


′ 𝐾𝑎 ′ 1 ′
𝜎𝑡𝑐 = 𝜎𝑡𝑝 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 21,11 . . 100  𝜎𝑡𝑝 = 2111 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝐿𝑓 1

′ √𝐾𝑎 ′ √1 ′
𝜎𝑐𝑐 = 𝜎𝑐𝑝 . 𝐿 . 100  𝜎𝑐𝑐 = 38,31 . 1
. 100  𝜎𝑐𝑐 = 3831 𝑘𝑔𝑓/𝑐𝑚²
𝑓𝑐

Material adotado para a coroa foi o aço 4340 com 48 a 53 Rc.


Anexo A: Valores sugeridos para 𝜸

Motor classe – CV 𝛾
A – até 12,5 1,25 ~ 1,50
B – 12,5 a 25 1,50 ~ 2,00
C – 25 a 50 1,75 ~ 2,25
D – acima de 50 2,25 ~ 2,75

Anexo B: Tabelas e gráficos para cálculos Resistência do dente do pinhão a flexão

Tabela para determinar 𝐾𝑒 e 𝑙𝑒

Tabela para determinar 𝐾𝑓


Fator de velocidade (𝐶𝑣 )
Fator de forma 𝑌𝑡
Anexo C - Características dos órgãos acionadores e acionados

Valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓


Valores práticos do fator de vida 𝐿𝑓𝑐