Você está na página 1de 1

Um bom programa de treinamento permite que você responda “automaticamente”:

• reduzindo os efeitos de seu choque emocional;

• contribuindo para sua proteção em conflitos armados e em outras situações de violência, independente do medo e do ambiente arriscado, evitando que você fique ferido ou doente;

• aprimorando suas capacidades e fortalecendo sua flexibilidade, a despeito da natureza altamente específica das situações, das vítimas e das tarefas.

Não se esqueça de explicar os problemas para seus parentes e amigos, de forma que eles se familiarizem com suas obrigações e demonstrem apoio em relação aos deveres, direitos e tarefas que você tem nessas situações excepcionais e perigosas. Isso, naturalmente, é semelhante às explicações que você

já dá acerca de suas responsabilidades e atividades

em tempos de paz.

3

Preparação

No meio de uma situação violenta, você trabalhará de forma eficiente graças às rotinas e aos reflexos automáticos aprendidos e praticados nos

situação violenta, você trabalhará de forma eficiente graças às rotinas e aos reflexos automáticos aprendidos e praticados nos períodos de paz.

3.1 O papel humanitário dos socorristas

3.1.1 Conhecimento e respeito pelos emblemas distintivos e as normas básicas que protegem os indivíduos

Se você é socorrista da Cruz Vermelha ou do

Crescente Vermelho, não é suficiente ter experiência em salvamento de vidas e nas medidas de proteção

à saúde; você também precisa oferecer sua ajuda em

todos os períodos (tanto de guerra como de paz), a fim de garantir que toda a população compreenda

e

apoie o direito das pessoas de serem protegidas

e

receberem cuidados, além da necessidade de se

respeitarem os emblemas distintivos, fazendo com

que a ajuda humanitária seja prestada com mais eficiência, para o benefício de todos.