Você está na página 1de 7

Direito Tributário Especial Profa.

Vanessa Kamel
Bibliografia

Código Tributário Nacional:


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5172Compilado.htm

CF (arts. 145 a 162):


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm

Direito Tributário Esquematizado – Ricardo Alexandre

Manual de Direito Tributário – Alexandre Mazza

Manual de Direito Tributário - Eduardo Sabbag

Curso de direito tributário - Hugo de Brito Machado

Direito Tributário - Constituição e Código: Tributário - Leandro Paulsen

AULA 1 - CONCEITO DE TRIBUTOS

O conceito de tributo está definido no art. 3° do Código Tributário Nacional (CTN):

"Art. 3° Tributo é toda prestação pecuniária¹ compulsória², em moeda ou cujo valor


nela se possa exprimir³, que não constitua sanção de ato ilícito4, instituída em lei5
e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada6."

***Obs:
1- “Prestação Pecuniária” = dinheiro

2- “Compulsória”: obrigatória

3 – “moeda ou cujo valor nela se possa exprimir”


"Art. 156. Extinguem o crédito tributário: XI - a dação em pagamento em bens
imóveis, na forma e condições estabelecidas em lei."
Direito Tributário Especial Profa. Vanessa Kamel
4- “não constitua sanção de ato ilícito” ≠ multa

Princípio do pecúnia non olet, que tem como tradução "dinheiro não cheira". A origem da
expressão se deve a um imperador romano, que cobrava pelo uso dos banheiros públicos,
e, ao ser questionado sobre o fato pelo seu filho, o imperador segurou uma moeda de
ouro e lhe perguntou: cheira? Seu filho disse: não cheira.

5- “Instituído em Lei”

6- “cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada”

ESPÉCIES TRIBUTÁRIAS

Art. 5°CTN/Art. 145 da CF/88 : Os tributos são impostos, taxas e contribuições de


melhoria
Arts. 148 e 149 CF: empréstimo compulsório e as contribuições sociais

NATUREZA JURÍDICA DOS TRIBUTOS

"Art. 4°CTN A natureza jurídica específica do tributo é determinada pelo fato gerador da
respectiva obrigação,
sendo irrelevantes para qualificá-la:
I - a denominação e demais características formais adotadas pela lei;
II - a destinação legal do produto da sua arrecadação**

**OBS1: Art. Art. 167 CF . São vedados:


IV - a vinculação de receita de impostos (...)

** OBS2: art. 16 do CTN "o imposto é o tributo cuja obrigação tem por fato gerador uma
situação independente de qualquer atividade estatal específica, relativa ao contribuinte."

Impostos: não vinculados ; não contraprestacionais


EC e CS: vinculados
Taxas e CM: contraprestacionais
Direito Tributário Especial Profa. Vanessa Kamel

Princípios

1- Legalidade

art. 150, I, da CF proíbe os entes federados de “exigir ou aumentar tributo sem lei
que o estabeleça”.
CTN, art. 3.º “instituída em lei”.

'' Art. 97 CTN. Somente a lei pode estabelecer:


I - a instituição de tributos, ou a sua extinção;
II - a majoração de tributos, ou sua redução (...)

OBS¹: art. 62, § 2° CF dispõe sobre a instituição e majoração de impostos por meio de
MP, e que, além disso, esse tem sido o entendimento do STF:

EMENTA: Recurso extraordinário. 2. Medida provisória. Força de lei. 3. A Medida


Provisória, tendo força de lei, é instrumento idôneo para instituir e modificar tributos e
contribuições sociais. Precedentes. 4. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STF, AI 236.976/MG-AgR, Segunda Turma, Rel. Min. Néri da Silva, Julgamento em
17/08/1999)

Destaque-se que a MP não pode tudo na seara tributária, pois a CF (art. 62, 1°, III)
proibiu a edição de MPs que versem sobre matéria reservada a lei complementar.

OBS²:Chefe do Executivo (o Presidente da República) pode criar leis delegadas,


inclusive sobre matéria tributária, pois tal assunto não foi proibido no § 1° do art. 68
da CF/88, o qual elenca as restrições de tais normas. Além disso, instrumento
normativo foi usado poucas vezes, por ser mais fácil editar uma medida provisória.
Direito Tributário Especial Profa. Vanessa Kamel
* Regra: o tributo só pode ser criado ou extinto por lei, seja ordinária, casos
em que pode haver a utilização de Medida Provisória, ou complementar
(somente no caso de Empréstimos Compulsórios, do Imposto sobre Grandes
Fortunas – IGF, e dos Impostos ou Contribuições Residuais – conforme os
arts. 148; 153, VII; 154, I e 195, § 4.º, todos da CF).

Para a instituição e extinção, devemos considerar que a regra não possui


exceção, ou seja, todos tributos são criados e extintos por lei!

**Exceção: Em caso de majoração/redução de tributos no texto


constitucional inicial, foram previstas quatro exceções ao princípio da
legalidade, no que se refere à alteração unicamente de alíquotas dentro dos
limites legais.

Trata-se de tributos extrafiscais, cuja finalidade principal não é arrecadar,


mas sim intervenção na economia.

• Imposto de Importação (II);


• Imposto de Exportação (IE);
• Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
• Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Nesses casos, a alteração das alíquotas não ocorre por lei, mas por atos infralegais
(por decreto do Presidente da República, por exemplo).

*** Além dessas exceções ao princípio da legalidade, duas outras surgiram


com a Emenda Constitucional 33/2001, tratando sobre a tributação de
combustíveis.

 CIDE-Combustíveis. A exceção foi prevista no art. 177, § 4°, I, b, da


CF/88, que afirma que a alíquota da referida contribuição poderá ser
reduzida e restabelecida por ato do Poder Executivo.

 ICMS-Combustíveis, prevista no art. 155, § 4°, IV, da CF/88. As alíquotas


serão fixadas mediante deliberação dos Estados e do DF, por meio de
Direito Tributário Especial Profa. Vanessa Kamel
convênios interestaduais, que, hoje, são realizados no âmbito do Conselho
de Política Fazendária (CONFAZ).

2- Não surpresa

2.1- Princípio da Irretroatividade

Art. 150, III, a CF: ...“é vedado a todos os entes federativos cobrar tributos "em
relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei que os houver
instituído ou aumentado".

2.2 Princípio da Anterioridade (exercício financeiro seguinte)

Art. 150, III, b, da CF/88, é vedado a qualquer dos entes federativos (União, Estados,
DF e Municípios) cobrar tributos "no mesmo exercício financeiro em que haja sido
publicada a lei que os
instituiu ou aumentou".
Direito Tributário Especial Profa. Vanessa Kamel

2.3 – Anterioridade Nonagesimal / Noventena

art 150 CF: ... é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
III - cobrar tributos:
c) antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido publicada a lei que os
instituiu ou aumentou, observado o disposto na alínea b
Direito Tributário Especial Profa. Vanessa Kamel

Principio da Anterioridade Nonagesimal

art 150 CF: ... é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
III - cobrar tributos:
c) antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido publicada a lei que os
instituiu ou aumentou, observado o disposto na alínea b