Você está na página 1de 1

Generalidades

Hipnose, no sentido de transe ou estado hipn�tico, pode ser auto-induzida ou alter-


induzida.

Hipnose auto-induzida, tamb�m chamada de auto-hipnose, consiste na aplica��o das


sugest�es hipn�ticas em si mesmo.

Hipnose alter-induzida pode, por analogia, ser chamada alter-hipnose � embora esta
n�o seja express�o de uso corrente � e consiste na aplica��o de sugest�es
hipn�ticas por outra (latim alter = outro) pessoa (o hipnotizador) num aquiescente
(hipnotizado, paciente).

Alguns especialistas afirmam que toda hipnose �, afinal, auto-hipnose, pelo fato de
depender precisamente da aquiesc�ncia ou consentimento (num dado grau ou n�vel,
ainda que incipiente) daquele que deseja ou, pelo menos, concorda com ser
hipnotizado.

Na maioria dos indiv�duos, � poss�vel induzi-la com m�todos e t�cnicas diversos.

Quando um hipnotizador induz um transe hipn�tico, estabelece uma rela��o ou


comunica��o muito estreita com o hipnotizado. Isso, de fato, � essencial para o
sucesso da hipnose.

Hipnose muitas vezes � empregada em tratamentos psicol�gicos e m�dicos (e/ou


psiqui�tricos). Quando em uso por psic�logos e m�dicos � sendo o paciente submetido
� hipnose, para o desejado fim terap�utico � fala-se apropriadamente em hipnose
terap�utica (hipnoterapia).

Com efeito, � poss�vel tratar alguns problemas de comportamento, como o tabagismo,


as disfun��es alimentares (como anorexia, bulimia, desnutri��o e obesidade), bem
como a ins�nia, entre tantos problemas, com o uso adequado e competentemente
supervisionado da hipnose � a hipnoterapia.

Se � o terapeuta que se acha em estado ou transe hipn�tico (usualmente auto-


induzido, conquanto possa ser tamb�m alter-induzido) � e, nesse estado hipn�tico,
prescreve tratamento para a cura de doen�as ao paciente em estado n�o-hipn�tico,
emprega-se o termo hipniatria, sendo que o terapeuta, neste caso, passa a ser
chamado de hipniatra.