Você está na página 1de 5

CONFIGURANDO O SQUID

Introdução:

O que é Squid? O Squid é um servidor proxy que suporta os protocolos HTTP, HTTPS, FTP e outros. Ele reduz a utilização da
conexão e melhora os tempos de resposta fazendo cache de requisições frequentes de páginas web numa rede de
computadores. Pode ser usado para controle de banda, restrição de sites, usuários, entre outros. Podemos executar o Squid
nas principais plataformas do mercado, como GNU/Linux, Unixes e Windows.

Instalando o Squid

Para fazer a instalação, basta digitar, como root, no terminal, o comando:


# apt-get install squid

Editando o squid.conf.

O arquivo original do Squid é gigantesco devido aos seus inúmeros comentários. Nesse tutorial vamos criar um arquivo de
configuração a partir do zero. Mas primeiro vamos conservar o arquivo original, renomeando-o com o comando:
# mv /etc/squid/squid.conf /etc/squid/squid.original

Agora sim vamos começar a editar nosso arquivo com o comando:


# vim /etc/squid.conf

Idioma e cachê
Configurando o idioma:

É possível alterar as mensagens que o Squid mostra quando um cliente tenta acessar um site ou fazer um download bloqueado
por exemplo, bem como mensagens de erro de DNS, entre outras.

Para isso vamos criar a linha:

error_directory /usr/share/squid/errors/Portuguese

Obs.: Você pode criar suas próprias páginas de mensagens de erro ou então editar as já existentes. Basta ir no seu diretório
indicado acima e utilizar um editor de textos simples.

Configurando cache. Crie as linhas:

cache_mem 700 MB

Esta linha define quanto da memória RAM (no caso 8MB) será usada pelo cache: em um servidor dedicado é recomendado
reservar 1/3 da memória RAM para o cache.

maximum_object_size_in_memory 32 KB

Esta linha define o tamanho máximo dos objetos na RAM. Defina um tamanho pequeno para que sejam salvos apenas páginas
html na RAM e não downloads por exemplo, que devem ser salvos no disco.

maximum_object_size 1024 MB
Define o tamanho máximo dos objetos no cache do disco. Aqui serão armazenados os downloads por exemplo. Se tem
costume de baixar arquivos grandes, coloque um tamanho grande.

minimum_object_size 0 KB

Tamanho mínimo dos objetos no cache.

cache_swap_low 90
cache_swap_high 95

Essas linhas indicam que a partir do momento em que o cache atingir 95%, serão descartados arquivos mais antigos até que a
porcentagem volte para um número abaixo de 90%.

cache_dir ufs /etc/squid/cache 30000 16 256

Esta linha é a que realmente define o tamanho total do cache em disco. O endereço refere a que diretório se deseja utilizar
como cache, seguido do tamanho máximo do cache no disco (em MB) e os dois últimos números da linha indicam a quantidade
de pastas e subpastas que o Squid utilizará para se organizar ao gravar o cache;

cache_access_log /etc/squid/access.log

Esta linha indica o caminho para onde devem ser exportados os logs que depois poderão ser analisados, manualmente, com
com algum gerador de relatórios como o SARG.

Basta então editar estas linhas de acordo com a capacidade do seu servidor e a sua necessidade.

Limpar cache e recriar estrutura.

Sempre que alterar configurações referentes ao cache, é recomendável limpá-lo e recriá-lo. Basta fazer os seguintes
comandos.

Apagar os arquivos:

# rm -rf /var/spool/squid/*

Recriar estrutura, pastas e subpastas:

# squid –z

Porta e regras ACL


Porta do Squid e nome do servidor.

Crie as seguintes linhas:

http_port 3128
visible_hostname ServLinux

Onde 3128 é a porta padrão do Squid, mas você pode alterá-la se desejar e ServLinux é o nome do meu servidor.

Configurando regras ACL

O Squid lê as regras de cima para baixo, então se quer bloquear algo, primeiro bloqueie o que deseja, depois libere o restante.

As ACLs são criadas no seguinte modelo:

acl nome_da_acl parâmetros


Primeiro, aproveitando o arquivo original do Squid, vamos criar as regras que permitem o acesso apenas a algumas portas
específicas e não a qualquer coisa, como no exemplo abaixo.

acl all src 0.0.0.0/0.0.0.0


acl manager proto cache_object
acl localhost src 127.0.0.1/255.255.255.255
acl SSL_ports port 443 563 873
acl Safe_ports port 80 # http
acl Safe_ports port 21 # ftp
acl Safe_ports port 443 563 873 # https, snews
acl Safe_ports port 70 # gopher
acl Safe_ports port 210 # wais
acl Safe_ports port 280 # http-mgmt
acl Safe_ports port 488 # gss-http
acl Safe_ports port 591 # filemaker
acl Safe_ports port 777 # multiling http
acl Safe_ports port 901 # swat
acl Safe_ports port 1025-65535 # portas altas
acl purge method PURGE
acl CONNECT method CONNECT

http_access allow manager localhost


http_access deny manager
http_access allow purge localhost
http_access deny purge
http_access deny !Safe_ports
http_access deny CONNECT !SSL_ports

Agora vamos inserir nossas regras de bloqueio e permissão.

Aqui criamos uma regra chamada "sites_proibidos" que bloqueará as palavras ou URLs contidas no arquivo indicado no
caminho "/etc/squid/sites_proibidos". Não esqueça de criar este arquivo com as palavras proibidas, uma por linha.

Em seguida, com a instrução deny, proibimos o acesso aos sites listados na regra que criamos na linha cima.

acl sites_proibidos url_regex -i "/etc/squid/sites_proibidos"


http_access deny sites_proibidos

Nesta regra bloqueamos o download de alguns tipos de extensões. Da mesma maneira criamos a regra primeira e bloqueamos
depois.

acl downloads_proibidos url_regex -i \.exe \.torrent \.avi \.mp3


http_access deny downloads_proibidos

A ACL abaixo indica a nossa faixa de rede para que apenas os computadores nessa faixa possam usar o proxy. Substitua os
valores de acordo com sua rede.

acl redelocal src 192.168.254.0/24

Proibindo e liberando acessos finais.

Por fim, vamos criar 3 linhas:

http_access allow localhost


http_access allow redelocal horario
http_access deny all

Na primeira linha liberamos o acesso total para o servidor onde está o Squid.

Na segunda linha liberamos o acesso aos computadores da rede local de acordo com o horário determinado na acl horario.

E na terceira linha proibimos o resto, ou seja, proibimos que pessoas fora da nossa rede usem o nosso proxy.
Exemplo de squid.conf

Abaixo vai um exemplo de Squid já configurado, com base no que foi explicado acima:

# Configuração Squid
# Configurado por: Equipe de Informática

# Mensagens de erro em Português


error_directory /usr/share/squid/errors/Portuguese

# Porta do Squid
http_port 3128

# Nome do servidor
visible_hostname ServLinux

# Cache
cache_mem 700 MB
maximum_object_size_in_memory 32 KB
maximum_object_size 1024 MB
minimum_object_size 0 KB
cache_swap_low 90
cache_swap_high 95
cache_dir ufs /etc/squid/cache 30000 16 256

# Logs de acesso
access_log /var/log/squid/access.log squid

# Regras acl padrão


acl all src 0.0.0.0/0.0.0.0
acl manager proto cache_object
acl localhost src 127.0.0.1/255.255.255.255
acl SSL_ports port 443 563 873
acl Safe_ports port 80 # http
acl Safe_ports port 21 # ftp
acl Safe_ports port 443 563 873 # https, snews
acl Safe_ports port 70 # gopher
acl Safe_ports port 210 # wais
acl Safe_ports port 280 # http-mgmt
acl Safe_ports port 488 # gss-http
acl Safe_ports port 591 # filemaker
acl Safe_ports port 777 # multiling http
acl Safe_ports port 901 # swat
acl Safe_ports port 1025-65535 # portas altas
acl purge method PURGE
acl CONNECT method CONNECT

# Permissões e bloqueios padrão


http_access allow manager localhost
http_access deny manager
http_access allow purge localhost
http_access deny purge
http_access deny !Safe_ports
http_access deny CONNECT !SSL_ports

# Bloqueio de sites por URL


acl sites_proibidos url_regex -i "/etc/squid/sites_proibidos"
http_access deny sites_proibidos
# Bloqueio de downloads por extensão
acl downloads_proibidos url_regex -i \.exe \.torrent \.avi \.mp3
http_access deny downloads_proibidos

# Permissão rede local e servidor


acl redelocal src 192.168.254.0/24
http_access allow localhost
http_access allow redelocal

# Bloqueio de usuários fora da rede


http_access deny all