Você está na página 1de 2

Podemos, então, definir a civilização como o modo de vida que resulta da combinação

de conhecimento e previsão. (pag. 81)

A ciência e o industrialismo são atualmente as marcas distintivas da civilização


ocidental (...) (pag. 81)

O caráter distintivo ocidental começa com os gregos, que descobriram o hábito do


raciocínio dedutivo e a ciência da geometria. (pag. 82)

A coesão política, alcançada de uma maneira ou de outra, é o que, no entanto, se


tornou o sinal distintivo da civilização ocidental, em oposição às civilizações de outras
regiões. (pag. 83)

A coesão política, baseada essencialmente no patriotismo, tem aumentado


constantemente no Ocidente desde o fim das guerras religiosas, e ainda está
crescendo rapidamente. (pag. 83-84)

A ciência, por si só, não nos oferece qualquer idéia moral, e podemos nos perguntar
quais idéias morais virão substituir aquelas que devemos à tradição. A tradição muda
lentamente, e nossas idéias morais ainda são, em essência, as que eram apropriadas
para um regime pré-industrial; mas não devemos esperar que as coisas continuem
assim. Gradualmente, os homens passam a ter pensamentos que estão de acordo
com seus hábitos físicos e ideais que não contradizem sua técnica industrial. (pag.
84)

A ciência só recentemente começou a encorajar o desenvolvimento de novas idéias


morais, liberando a benevolência dos grilhões das crenças éticas supersticiosas. (pag.
85)

Um dos efeitos mais notáveis da tecnologia moderna na vida social têm sido o alto
grau de organização em grandes grupos de atividades dos homens, de modo que os
atos de um deles freqüentemente produzem, muitas vezes, grandes efeitos em algum
grupo de homens completamente remoto, com quem ele tem relações de cooperação
ou conflito, outro grupo ao qual ele pertence. (pag. 85)
Na civilização ocidental, tal é hoje, a ciência e a tecnologia industrial são muito mais
importantes do que todos os fatores tradicionais reunidos. E não devemos supor que
o efeito dessas novidades na vida humana tenha atingido, muito menos, seu mais alto
grau de desenvolvimento; as coisas acontecem mais rapidamente agora do que nos
tempos passados, mas não até esse ponto. (pag. 86)

O último evento no progresso humano, comparável em importância à expansão do


industrialismo, foi a invenção da agricultura (...) (pag. 86)

A energia, a intolerância e o pensamento abstrato distinguiram os melhores tempos


da Europa dos melhores tempos do Oriente. (pag. 87)