Você está na página 1de 2

DESAFIOS DA POPULAÇÃO LGBTQ+ AO ACESSO AS POLITICAS

PUBLICAS DE SAÚDE: UMA REVISÃO BIBLIOGRAFICA

Pierre Gonçalves de Oliveira Filho (M., Docente, pierrefilho@fiponline.edu.br)


Andrezza Clementino Vicente (Discente UNIFIP- Centro Universitário)
Danúbia Laisa Souza Pereira (Discente UNIFIP- Centro Universitário)
Mariana Santana Fernandes (Discente UNIFIP- Centro Universitário)
Rayane Maria Soares Palmeira Ferreira (Discente UNIFIP- Centro Universitário)
Resumo. A saúde é um direito de todos e é dever do estado garantir acesso igualitário
aos serviços da rede pública de saúde. Devido a isso, se faz necessário repensar sobre a
situação atual e o cumprimento desse direito frente a grupos marginalizados pela
sociedade como a comunidade LGBTQ+. Conquistas significativas nas políticas podem
ser consideradas durante os últimos anos como, por exemplo, a Política Nacional de
Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) (Portaria
nº 2.836 de 1º de dezembro de 2011). Entretanto, certos comportamentos de
profissionais da área demonstram a falta de informação e manutenção das políticas
implantadas, especialmente no atendimento ao paciente LGBTQ+, que por vezes são
tratados com indiferença devido a sua orientação ou gênero. Por essa razão este trabalho
apresenta como objetivo identificar as dificuldades que a comunidade LGBTQ+
enfrenta nas políticas públicas de saúde no Brasil. Trata-se de uma revisão bibliográfica,
utilizando sites de busca, como BAGOAS, LILACS e SCIELO, através das palavras-
chave: comunidade LGBTQ+, políticas públicas, saúde, direitos humanos. Como
resultado foi possível identificar, nos artigos publicados com o tema que, diante das
lutas e desafios perpetuados pela comunidade LGBTQ+ eles ainda são notados como
sujeitos marginalizados, insuficientes para terem sua integralidade psicológica, física e
sua autonomia moral. O movimento possui um caráter reivindicatório, uma luta pela
cidadania e a busca por políticas publicas que atenda a comunidade, objetivando maior
visibilidade social e empoderamento, com isso é de extrema importância à capacitação
dos profissionais da saúde para melhor atender essa comunidade.

Palavras-chave: Saúde; comunidade LGBT; direitos.