Você está na página 1de 15

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

FUNDAÇÃO CECIERJ

CURSO DE LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COM


ÊNFASE EM ACTIONSCRIPT

André Neves 2010


Conteúdo

INTRODUÇÃO: .......................................................................................................................................................... 3

1 – VARIÁVEIS ......................................................................................................................................................... 4

2 – OPERADORES ................................................................................................................................................... 5

3. IF – SE (ESTRUTURA DE DECISÃO) ....................................................................................................... 6

4. IF...ELSE -SE...SENÂO (ESTRUTURA DE DECISÃO) ....................................................................... 7

5. IF...ELSE IF -SE...SENÂO SE (ESTRUTURA DE DECISÃO) .......................................................... 8

6. FOR -PARA (ESTRUTURA DE LAÇO) ....................................................................................................... 9

7. WHILE – ENQUANTO (ESTRUTURA DE LAÇO)................................................................................ 10

8. DO WHILE -FAÇA ENQUANTO (ESTRUTURA DE LAÇO) ............................................................. 11

9. SWITCH... CASE (ESTRUTURA DE DECISÃO).................................................................................. 12

10. FUNCTION – FUNÇÃO ................................................................................................................................ 13

CONCLUSÃO: ........................................................................................................................................................... 15
INTRODUÇÃO:

Lógica de programação é a maneira de estabelecer passos depois de um


instante inicial para se chegar a um objetivo almejado.

Utilizamos lógica em nosso dia-a-dia para resolver problemas em nosso


cotidiano, mesmo sem ter noção disto.

Temos como objetivo fornecer conhecimentos básicos de lógica de


programação para facilitar a compreensão de conhecimentos mais avançados de
linguagens específicas de programação.

Na construção de programas é necessário a formulação de soluções através da


Lógica de Programação e estas soluções são conhecidas como algoritimos.

O dicionário Aurélio define algoritmo como: “Conjunto de regras e operações


bem definidas e ordenadas, destinadas à solução de um problema, ou de uma classe
de problemas, em um número finito de etapas.”

Uma boa forma de compreender algoritmos é a seqüência de ações


necessárias para atingir uma finalidade, precisa ter Início, meio e fim.

Planejar bem cada passo a ser dado nos da certeza de que atingiremos uma
solução para o problema.

Serão abordadas as principais e mais utilizadas estruturas, que irão facilitar


muito a sua vida.
1 – VARIÁVEIS

As variáveis são depósitos de dados que devem ser declarados para


posteriormente serem utilizados pelo sistema.

Uma maneira fácil de compreender as variáveis é imaginá-las como uma caixa


que possui algo em seu interior e este “algo” pode ser alteradas no decorrer do
tempo.

As variáveis devem ser declaradas e deve ser feita a “tipagem” antes do início
da programação propriamente dita.

A “tipagem” é de vital importância para uma boa programação, pois diz


exatamente o que é a variável e permite utilizar ajudas do sistema.
2 – OPERADORES

O operador de atribuição define o valor de uma variável ou modifica o valor


existente por um novo valor.

Os operadores de incremento e decremento fazem o aumento, ou


diminuição, de uma unidade a uma variável numérica.

Os operadores matemáticos são utilizados para se fazer operações


matemáticas básicas.

Os operadores de comparação são utilizados para comparar duas variáveis e


com base nisto estabelecer relações.

Os operadores lógicos são para viabilizar mais de uma comparação entre


variáveis.
3. IF – SE (ESTRUTURA DE DECISÃO)

A estrutura de decisão IF é utilizada para tomar decisões.

Explicando melhor: caso a condição colocada dentro dos parênteses for


verdadeira o código colocado dentro das chaves será executado.

O exemplo irá imprimir o valor da variável “numPontuacao” na janela output,


ou seja, imprimirá “1”.
4. IF...ELSE -SE...SENÂO (ESTRUTURA DE DECISÃO)

Esta é uma variação da estrutura de decisão IF, o diferencial é que caso a


condição não seja atingida ela obrigatoriamente retornará uma parcela de código que
esta dentro das chaves após o ELSE.

Explicando melhor: caso a condição colocada dentro dos parênteses for


verdadeira o código colocado dentro da primeira chave será executado, caso a
condição não seja verdadeira a parte do código dentro da segunda chave será
executado.

O exemplo irá imprimir na janela output a mensagem “O valor da variável


numPontuacao não é igual a 2”.
5. IF...ELSE IF -SE...SENÂO SE (ESTRUTURA DE DECISÃO)

Outra variação da estrutura de decisão IF, mas o diferencial desta vez é que
mais de uma condição pode ser checada.

Explicando melhor: caso a condição1, colocada dentro dos parênteses, for


verdadeira o código colocado dentro do primeiro par de chaves será executado, caso
a condição2, colocada dentro dos parênteses, for verdadeira o código colocado dentro
do segundo par de chaves será executado.

OBS.: Esta estrutura pode ser fundida com um ELSE para ter um retorno padrão.

O exemplo irá imprimir na janela output a mensagem “O valor da variável


numPontuacao é igual a 1”.
6. FOR -PARA (ESTRUTURA DE LAÇO)

A estrutura de repetição FOR pode ser entendido como uma forma de executar
uma parcela do código um número definido de vezes. Muito utilizado quando sabemos
o número de vezes que o código será executado.

Explicando melhor: o bloco de código dentro do laço FOR é executado até o


momento que a condição não for mais verdadeira.

O exemplo irá imprimir na janela output a seqüência numérica:

“1

10”
7. WHILE – ENQUANTO (ESTRUTURA DE LAÇO)

É uma estrutura de repetição utilizada quando não sabemos exatamente o


número de vezes em que será necessário realizar uma determinada parcela do
código.

A condição deve se cumprir para que a ação seja realizada.

O exemplo irá imprimir na janela output a seqüência numérica:

“1

10”
8. DO WHILE -FAÇA ENQUANTO (ESTRUTURA DE LAÇO)

É uma variação da estrutura de repetição WHILE e seu diferencial é que


assegura que o código será executado pelo menos uma vez, mesmo que a condição
não seja atingida, por isto a checagem é feita após a execução.

O exemplo irá imprimir na janela output a seqüência numérica:

“1

10”
9. SWITCH... CASE (ESTRUTURA DE DECISÃO)

É uma estrutura de decisão muito utilizada, pois permite colocar várias


comparações dentro da estrutura e uma opção padrão caso nenhuma destas seja
satisfeita.

O exemplo irá imprimir na janela output “Numero 2”.


10. FUNCTION – FUNÇÃO

Uma função é uma estrutura utilizada em programação para poder reutilizar o


mesmo código várias vezes dentro de um programa maior sem a necessidade de
repeti-lo várias vezes.

Imagine que você teria que fazer a soma de dois valores uma infinidade de
vezes, repetir um código de soma seria algo muito trabalhoso, desorganizado e
dificultaria qualquer manipulação diferente destes valores.

Imagine se um dia tivesse que alterar o código de maneira a multiplicar e não


somar. Para corrigir o código o programador teria de reescrever em todas as vezes
que a operação ocorre.

Quando se utiliza funções se escreve a operação uma vez e depois disto


quando quisermos alterar a operação (por exemplo) apenas alteraríamos na função e
automaticamente todas as chamadas seriam alteradas, facilitando e poupando tempo.
O exemplo irá imprimir na janela output o valor numérico “4”.
CONCLUSÃO:

Não adianta estudar uma única vez lógica de programação e depois esquecê-la
em uma gaveta, pois quando for utilizá-la novamente terá que ser aprendida mais
uma vez.

Para fixar estes conhecimentos é necessário exercitar várias vezes através de


exercícios para “destravar” a mente e poder fixar o conteúdo.

Tenha bons estudos e lembre-se que o aprendizado depende mais da sua força
de vontade do que de um bom material de estudo.

Lembre-se que estes conhecimentos serão úteis em várias ocasiões de sua


vida.

Boa sorte, muito sucesso e bons estudos.