Você está na página 1de 5

c  

„ 
  
  





     
  c 



c       
   c  c     
  )    
          
                
 
                      
                    
         !    "            
                           
     !#              $    
                 %&         
          '    
                $  ()*)       
  '  + "             
" 
    
„    "    "  ",       '        
       "                
#  
 , "     -&+.   +
   /   #%  &  &"„"    
  .   
            "       
    ,      0           
 "1 !    .  
"        
   
     &        0          
"  "#   2   %               &     
"         .  " -  
 -             &  "     


ATA - 

En  n apesar de ampamene u ado aravés de compuadores, o VoIP


pode ser u ado aravés de adapadores para eefones ana cos ou  
VoIP, que são apare os que podem ser conecados dreamene em uma conexão
banda arga e a um apare o eefônco comum ou a um PABX em pos es de
roncos ou ramas. Ees fornecem a nergação enre as redes IP e fxas.

^  
„ procedmeno consse em dga ar a voz em pacoes de dados para que rafegue pea rede IP e
converer em voz novamene em seu desno. Segue passo a passo um caso de uso de uma gação. „
uzador rera o eefone IP do gancho, e nesse momeno é emdo um sna para a apcação
snazadora do roeador de "eefone fora do gancho". A pare de apcação eme um sna de
dscagem. „ uzador dga o número de desno, cu%os d,gos são acumuados e armazenados pea
apcação da sessão. „s   comparam os d,gos acumuados com os números programados;
quando há uma concdênca ee mapea o endereço dscado com o IP do gaeway de desno. A
apcação de sessão roda o proocoo de sessão sobre o IP, para esabeecer um cana de ransmssão e
recepção para cada dreção aravés da rede IP. Se a gação esver sendo reazada por um PABX, o
gaeway roca a snazação ana gca dga com o PABX, nformando o esado da gação. Se o
número de desno aender a gação, é esabeecdo um fuxo RTP sobre UDP enre o   de
orgem e desno, ornando a conversação poss,ve. Quando quaquer das exremdades da chamada
desgar, a sessão é encerrada.

? 
    

'omo o UDP não fornece um mecansmo para assegurar que os pacoes de dados se%am enregues em
ordem sequenca, ou anda que forneça garanas de quadade de servço, as mpemenações VoIP
sofrem com o probema de aênca e ½  (varações de araso . Esse probema é acenuado quando
uma conexão por saée é usada, devdo ao grande araso de propagação (enre 400 e 600
mssegundos para um saée geoesaconáro . „ nó recepor deve reesruurar os pacoes IP que
podem esar fora de ordem, arasados ou desaparecdos, enquano assegura o fuxo de áudo.

„uro desafo para o roeameno de ráfego VoIP são os  e os raduores de endereço. „ Skype
uza um proocoo propreáro para roear chamadas enre uzadores Skype, permndo aravessar
NAT e  [1]. „uros méodos para passar  ncuem STUN e I'E.

Em resumo, os prncpas desafos écncos do VoIP são aênca, perda de pacoes, eco, ½  e
segurança. A prncpa causa de perda de pacoes é o congesonameno, que pode ser conroado por
gerencadores de congesonameno de rede. 'ausas comuns de eco ncuem nconssêncas de
mpedânca em crcuos anaógcos.

Do pono de vsa de gesão, se a esruura de rede e os equpamenos forem angos ou nexsenes,


uma mudança para VoIP pode cusar ao para a aqusção de novos equpamenos como o cabeameno,
comuadores, roeadores, eefones IP (cu%o preço é mas ao que um eefone anaógco , e aumeno
da banda de conexão (para suporar essa nova ecnooga , aém da mão de obra especazada.

   

Teefones convenconas são conecados dreamene às nhas de eefone da empresa de eefona,


que, em caso de faha de energa, anda são funconas peo uso de geradores de energa de apoo
ocazados na cenra eefônca. Enreano, os equpamenos VoIP doméscos uzam roeadores de
banda arga e ouros equpamenos que dependem da energa eérca. Mesmo que a energa eérca
ese%a dspon,ve, o provedor de acesso à Inerne pode esar ndspon,ve. Enquano o PSTN
amadureceu aravés das décadas de uso e auamene é consderado confáve, a maora das redes de
banda arga são novas.

  


Agumas conexões de banda arga possuem uma quadade pobre de ransmssão. Quando os pacoes
IP são perddos ou arasados em agum pono da rede, exse uma queda momenânea da voz na
conversação. Isso é mas percep,ve em redes basane congesonadas ou onde exse grandes
dsâncas enre os ponos de conexão.

Aguns proocoos %á foram defndos para suporar e reaar quadade de servço em gações VoIP,
ncundo RT'P XR (RF'3611 ,       , H.460.9 Annex B (para H.3435,
H.448.30 e exensões MG'P.

 

A naureza do Proocoo de Inerne orna df,c a ocazação geográfca dos uzadores na rede.
'hamadas de emergênca porano não podem ser roeadas facmene para o cenro de chamadas mas
próxmo, e são mposs,ves em aguns ssemas. Enreano, ssemas VoIP podem roear chamadas de
emergênca para nhas de eefone não emergencas.

 

„ supore de envo de fax sobre VoIP anda é mado. „s codecs de voz exsenes não foram
desenvovdos para a ransmssão de fax. Um esforço para remedar essa suação é defnr uma
soução baseada em IP aernava para oferecer Fax sobre IP, nomeadamene o proocooT.38. „ura
soução poss,ve é raar o ssema de fax como um ssema de roca de mensagens que não necessa
ransmr em empo rea, assm como envar um fax como anexo de e-ma ou como uma mpressão
remoa.

Teefone móve VoIP-WF da BroadVoce

?
   

Enquano redes radconas e móves comparham um padrão goba comum (E.1645 que
perme aocação e denfcação de quaquer nha eefônca,exse padrão smar adoado
em redes VoIP.

ENUM ± Eeronc NUmber Mappng ± novo padrão de numeração para o ambene VoIP em
subsução ao padrão E.164.

 

„s eefones móves consuem uma ecnooga de grande uso no mercado, sendo ncusve usados
para subsur por compeo eefones radconas. Porano, não esá caro se haverá demanda
sufcene para o VoIP enre os consumdores aé que as redes sem fo possuam coberura smar às
redes de ceuar, permndo o uso dos eefones WF. Equpamenos h,brdos enre as duas redes são
esperados para que o VoIP orne-se mas popuar[4].

 

A maora das souções VoIP anda não suporam crpografa, o que resua na possbdade de se
ouvr chamadas aheas ou aerar seu coneúdo[3]. Um méodo de segurança é dspon,ve aravés de
codfcadores de áudo paeneados que não são dspon,ves para o púbco exerno, dfcuando o
enendmeno do que esá sendo rafegado e proegendo o consumdor. Enreano, ouras áreas de
segurança aravés de obscurdade não êm do sucesso a ongo prazo devdo à grupos de engenhara
reversa. Agumas empresas usam compressão de dados para ornar a escua ahea mas df,c.
Enreano, segurança aravés de crpografa e auencação anda não esá ampamene dspon,ve ao
púbco[4].

 

Aguns dos proocoos uzados no VoIP para snazação de chamadas são H.343, SIP, MG'P,
H.448/MEGA'„, Jnge e IAX (usado na presença de servdores Asersk ou FreeSWIT'H5. Aguns
dos proocoos uzados no ranspore de meda ncuem RTP e RT'P.

!

"  

Apesar de poucos ambenes de escróro e resdêncas uzarem uma nfra-esruura puramene de


eefona IP, provedores de eecomuncações usam a ecnooga roneramene, geramene em uma
rede IP dedcada para conecar esações e converer snas de voz em pacoes IP e vce e versa. „
resuado é uma rede dga genérca (ráfego de voz e dados5 com escaabdade. „ consumdor
corporavo usa a eefona IP para ober as vanagens da absração da nformação na rede. 'om o VoIP
é necessáro somene fornecer uma conexão de dados e mas banda de rede. Não sendo necessáro
dsrbur uma rede espec,fca para a eefona no ambene de rabaho. Empresas maores ambém
fazem uso de   para as redes radconas, reduzndo cusos de mão de obra exerna o servço.
Seu uso é anda mas vs,ve quando uma empresa necessa comuncar dos s,os dsanes a n,ve
nernacona. „uro po de apcação corporavo dese ssema resua na ee-conferênca com cusos
reduzdos, senão nuos, em que os ssemas envovdos, se%am ees sofware cene ou hardware
espec,fco para a apcação, dsponbzam formas smpes para város uzadores (coaboradores
das empresas5 comuncarem enre s sem que requeram grandes cenras eefóncas e/ou sequêncas
compexas de números e s,mboos no eefone para darem n,co a uma sessão. Nas suações de uso do
ssema aravés de sofware propreáro do fornecedor de servço VoIP ese poderá dsponbzar
ouro po de ferramenas como ransferênca de arquvos, parha de pasas e em aguns casos a
parha do própro compuador.

„^  #? 
Peos pro%eos auas das empresas que ho%e rabaham com VoIP, segundo anasas de mercado e
aguns ponos de opnão, uma das próxmas eapas na evoução do VoIP é a exnção por compeo do
modeo aua de gações de onga dsânca (DDD/DDI5 pea rede PSTN e, mas adane, avez a
erradcação dos ssemas convenconas de eefona.

Pare desa evoução esará à medda que os eefones IP chegarem aos ares e os acessos em banda
arga se popuarzarem. Nese sendo, város segmenos rabaham no nuo de crarem redes
convergenes, se%a uzando os meos de ransmssão eefônca aua, %á comparhado por servços
ADSL, se%a comparhando meos de ransmssão de servços de eevsão a cabo, enre ouros.

„ fuuro da ecnooga de c        (VoIP5 são as comuncações unfcadas
(U'oIP5 (   5.

$ 
% 
„ órgão responsáve pea reguamenação de eecomuncações no Bras é a Agênca Nacona de
Teecomuncações (ANATEL5.

No pora da Anae esá observado que o VoIP é um con%uno de ecnoogas que usam a Inerne ou
redes do IP prvadas para a comuncação de voz, subsundo ou compemenando os ssemas de
eefona convenconas. A agênca não reguamena as ecnoogas, mas os servços de
eecomuncações que deas se uzam. A comuncação de voz uzando compuadores conecados à
Inerne - uma das apcações desa ecnooga - é consderada Servço de Vaor Adconado, não sendo
necessára auorzação da Anae para presá-o.

Nesse conexo, o uso da ecnooga de VoIP deve ser anasado sob rês aspecos prncpas. Prmero,
a comuncação de voz efeuada enre dos compuadores pessoas, uzando programa espec,fco e
recursos de áudo do própro compuador - com acesso mado a usuáros que possuam a programa -
não consu servço de eecomuncações, mas Servço de Vaor Adconado, conforme enendmeno
nernacona. Segundo, a comuncação de voz no âmbo resro de uma rede corporava ou na rede
de uma presadora de servços de eecomuncações, de forma ransparene para o assnane, efeuada
enre equpamenos que podem ncur o apareho eefônco, é caracerzada como servço de
eecomuncações. Nese caso, é exgda a auorzação para exporação de servço de eecomuncações
para uso própro ou para presação a erceros. Por fm, a comuncação de voz de forma rresra com
acesso a usuáros de ouros servços de eecomuncações e numeração espec,fca (ob%eo de conroe
pea Anae5 é caracerzada como servço de eecomuncações de neresse coevo. É mprescnd,ve
auorzação da Agênca e a presação do servço deve esar em conformdade com a reguamenação.

0$ Ĺ
1.Ê BASET, Saman A., S'HULZRINNE, Hennng (15 de seembro de 40045.       
        (em ngês5. Págna vsada em 8 de mao de 4007.
4.Ê Ĺ *          (em ngês5. TM'ne. Págna vsada em 8 de mao e
4007.
3.Ê Ĺ x       c  (em ngês5. 'rceID. Págna vsada em 8 de mao de
4007.
4.Ê Ĺ c    (em ngês5. WheDus secury. Págna vsada em 8 de mao de 4007.