Você está na página 1de 21

Referencia Bibliográfica:

PENDER, Tom. UML, a Bíblia; tradução de Daniel Vieira. Rio de Janeiro: Elsevier,
2004.
Tradução de: UML Bible ISBN 85-352-1408-9

UML
UML – Unified Modeling Language
Formalmente tem estado em desenvolvimento desde 1994.
Padrão de software – 70% dos centros de TI
Arquitetura padronizada da UML – baseada na MOF (Meta-Object Facility – facilidade
de metaobjeto}.
1997 – UML 1.0

UML organizadas em 3 categorias:


Visão estática (ou estrutural – inclui diagramas que modelam os recursos usados na
construção de sistemas.
Diagramas de Classes – modelam fatos ou exemplos a respeito dos recursos e
relacionamentos permitidos.
Diagramas de Objetos – modelam fatos ou exemplos a respeito dos recursos.
Diagrama de Componentes – modela as partes físicas do software em um sistema,
incluindo aplicações, arquivos, interfaces com usuário e qualquer coisa que possa ser
executado em um processador, seja algo armazenado na memória ou executado por uma
pessoa.
Diagrama de implantação – modela o ambiente de hardware, a saber, os processadores
onde os componentes podem ser executados. A definição livre para processadores
permite que seres humanos sejam processadores, de modo que os processos manuais
também possam ser modelados.

Visão dinâmica – inclui diagramas que modela o comportamento dos objetos em


termos de interações.
Diagrama de seqüência e diagrama de colaboração utilizam meios ligeiramente
diferentes para modelar objetos passando mensagens de um lado para outro, a fim de
realizar uma tarefa.
Obs: a visão dinâmica é útil para descobrir os requisitos de interface que oferecem
suporte ás interações. As interações também revelam os dados que são passados e que
precisam ser possuídos e gerenciados pelos objetos. Tanto as interfaces quanto os dados
revelam atualizações na estrutura dos objetos definidos no diagrama de classes.
Diagrama statechart – examina o efeito da interação em termos do funcionamento
interno de um único objeto. Ele rastreia as mudanças no estado de um objeto e os
motivos para as mudanças. Os motivos para as mudanças, normalmente, são mensagens
de outros objetos, vista claramente nos diagramas de interação. Aqui também pode
revelar mudanças para o diagrama de classes.

Visão funcional – controla os requisitos para a maioria das aplicações. Os usuários


querem que o sistema ofereça informações ou comportamento para dar suporte ao
processo ou aos objetivos dos negócios.
Diagrama de caso de uso – modela o que os usuários esperam ver quando interagem
com o sistema. Captura o dialogo entre o usuário e o sistema na realização de uma
tarefa especifica. Ex: usuário em um caixa eletrônico de banco quando solicita saque...
Diagrama de atividades – modela a lógica. Como alógica aparece por todo o projeto de
um sistema, o diagrama atividade, possui uma ampla aplicação.

Diagrama de Classe
Visão Estática/Estrutural
Diagrama de objetos
Diagrama de Componentes
Diagrama de Implantação

Visão Funcional
Diagrama de Caso de Uso Visão Dinâmica
Diagrama de Atividades Diagrama de Seqüência
Diagrama de Colaboração
Diagrama Statechart
UML
Livro: Desenvolvendo Software com UML 2.0 Definitivo
Ernani Sales de Medeiros
Pearson Education – Makron Books, 2004

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.


CORA CORALINA

Observações :
1- Ferramentas Visuais para modelagem UML:
http://www.objectsbydeing.com/tools/modeling_tools.html
http://www.objectsbydeing.com/tools/umltools_byCompany.html

2- UML não indica como fazer um software, indica apenas as formas que podem
se usadas para representar um software em diversos estágios de desenvolvimento.
3- UML è uma forma de comunicação que um processo pode usar.

Construção de um Software: (comparação com a eng. civil)


Primeiro estágio – Concepção:
Formato nebuloso, existe certamente uma necessidade – Razoes: falta de conhecimento
tecnológico ou aversão inicial a tecnologia.
Segundo estágio – Aprovação da Concepção:
Entrega de diversos diagramas – necessidade de alguns cursos superiores,
especialização, mestrado, doutorado, etc (mesmo para o pessoal de TI). Podem ocorrer
mudanças na concepção, pois a idéia nebulosa foi melhorada.
Terceiro estágio – Detalhamento completo das necessidades do software:
Detalhamento completo do software è escrito e interessado pode dar aprovação. Porem,
nada è construído, apenas funcionalidades desejadas são escritas. Novamente podem
ocorrer mudanças, pois o seu nível de abstração foi melhorado. Sua idéia sofreu
amadurecimento. Também a equipe dedicada à construção descobre inconsistência que
são significativas e passam uma segurança que não havia sido encontrada antes.
Quarto estágio – Inicio da Construção:
Interface gráfica (protótipos de tela) será apresentada. Idéia do interessado sobre a
forma como a sua necessidade será atendida pode sofrer mudanças, pois o sue nível da
abstração melhorou e agora ele vê algo mais concreto.
Quinto estágio – Construção e Teste:
Usuário afastado do contato com o software. Premissa: tudo já foi resolvido.
Usuário avalia somente o andamento do cronograma.
BD escolhido passa por testes. Códigos de progs também, etc.
Demissão de um alista ou programador causam problemas – muito personalismo
durante a confecção de códigos.
Sexto estágio – Entrega:
Ocorre com raros estouros de champanha – problemas de adaptação de pessoal,
tecnologia e política, cronograma sempre com prazo alterado...

Forma de construção de software depende:


Do conhecimento do negocio a ser modelado
Do conhecimento da tecnologia que será usada, por parte de quem fará a construção
Da capacidade de abstração do principal interessado no software
Da capacidade de abstração de quem construirá o software
Do volume de dinheiro dedicado à aquisição de software de autoria, banco de dados,
ferramenta de desenvolvimento, hardware e terceiros, como provedores de acesso e data
centers.

Um padrão de como construir um software não existe.

UML 2.0 composta de 13 diagramas, são:


UML 1.x UML 2.0
Atividades Atividades
Caso de Uso Caso de Uso
Classe Classe
Objetos Objetos
Seqüência Seqüência
Colaboração Comunicação
Estado Estado
------------------------------- Pacotes
Componentes Componentes
Implantação Implantação
------------------------------- Interação – Visão Geral
------------------------------- Timing
------------------------------- Composit Structure Diagram

Motivos para se modela software


Impreciso entendimento das necessidades do usuário
Inabilidade de conduzir as alterações nos requerimentos
Módulos que não se conversam de forma inteligível
Softwares difíceis de se manter e estender
Descoberta tardia de falhas graves de projeto
Desempenho inaceitável
Equipe de desenvolvedores: cada um tentando descobrir quem alterou o que, quando e
por que
Falta de confiança no processo de construção e implantação

CMM (Capability Maturity Model) certificação internacional que atesta que sua
empresa está madura no desenvolvimento de software.

Diagrama de Caso de Uso


Parte mais importante na construção de um software na UML. Acompanha o software
do início até sua conclusão.

É uma ferramenta de consulta, acerto, discussão, reuniões, alterações em requisitos e


alterações em desenho.
É uma análise intrínseca de um negócio, dentro de um processo de desenvolvimento de
software.
Ator
Pode ser uma pessoa, um sistema, uma entidade externa, etc., ou seja, realiza uma
atividade e sempre atua sobre um Caso de Uso.

Um Caso de Uso pode ser explicado como uma MACROATIVIDADE que encerra
diversas tarefas ou atividades.

Exemplo:
Descrição de um pagamento de compras. A mostra e validação de um cartão de débito,
a informação do valor a ser debitado, a informação da senha a ser validada, o retorno da
instituição financeira sobre a operação e o resumo dessa operação impressa. Todas essas
tarefas são correlatas da atividade: Efetuar pagamento de compras.
Entretanto, quando se fala de Nota Fiscal, tem-se uma outra Macroatividade de Nota
Fiscal, então, outro Caso de Uso.
Limite de Caso de Uso é pessoal e depende da experiência.

Caso de Uso
Deve ser bastante detalhado.
Extração de um Caso de Uso é feita através da Observação e da Entrevista.

Sugestão de Estrutura de um Caso de Uso:


Nome Referência - nome do Caso de Uso
Descrição – breve descrição de que se trata o Caso de Uso
Pré-condições – descrição que informa o que é necessário acontecer para que este Caso
de Uso se inicie.
Atores envolvidos – separados por vírgula
Cenário principal - a descrição de uma tarefa que represente um mundo perfeito, sem
exceções. Verbos no presente do indicativo ou substantivos, iniciando a frase com:
Registra, Informa, Compra,...
Cenário alternativo – qualquer situação que represente uma exceção de um cenário
principal.
Requisitos Especiais – qualquer situação não contemplada anteriormente
Dados – tipos de dados que foram encontrados durante a descrição de um Caso de Uso.
Como por exemplo, texto, número, data, etc, ou tipo de dado e tamanho.
Observação - informações do tipo lembretes
Analista de negócio - ________________________________
Entrevistado - ______________________________________
Área - __________________________________________
Data - _____/_____/_____
Versão - ________________________________________

Obs: fazer um Diagrama de Caso de Uso é um exercício pessoal. Um diagrama desse


tipo apenas informa visualmente os principais tópicos que podem ser explorados ao
longo do projeto. Pode ser que uma elipse não tenha elementos suficientes para ser
explorada em outro diagrama, o de nível 1. Isso não fere em nada o seu software ou
planejamento.
Assim, os Casos de Usos devem representar macroatividades a serem realizadas e os
atores aqueles que executam essas atividades.
Fase de Visão aceita pelo cliente, então pode-se passar para o momento do nível da
análise, propriamente dita.
Começa:
1- Documento Nomenclatura - pode-se usar o formato de notação de sua
linguagem, por exemplo o Java.
2- Documento Glossário

Obs – vai para arquivo aula 3

Anexo I
Processo Unificado – iterativo e incremental
Primeira Fase: Concepção
Visão do software – avaliação da tecnologia relacionar os riscos principais, detectar áreas mais criticas...
Entrega: diagrama de caso de uso da parte mais critica do software, diagrama de classe (previsão), com
essas informações pode-se informar prazo e preço. E começo da documentação de nomenclatura e
glossários que ocorrer em todo o processo.
Nesta fase sabe-se o escopo do software, tecnologia a ser usada, como por exemplo, banco de dados,
linguagem de desenvolvimento, ambiente e desenvolvimento, tipo de rede, tipo de sistema operacional,
etc...
Esta fase incrementa o entendimento do software como um todo para todos os participantes.
Fase no período de uma a duas semanas ou mais - depende do tamanho do software.
Segunda fase: Elaboração
Nesta fase os requisitos das áreas mais criticas são levantadas. Consolida a fase de concepção. Durante
todo o ciclo da vida do software.
Terceira fase: Construção
Versão beta – protótipos
Quarta fase: Transição
Versão de produção

Processo unificado prevê 5 Workflows, que são:


1- Requisitos
Obter todos os requisitos necessários para a formação de caso de uso bem escrito
2- Anàlise
Quem realizará caso de uso
3- Projeto
4- Implementação
5-Teste
Notação do Diagrama de Caso de Uso na UML

Aqui descreve-se o Nome do Autor

Nome do 2 - Representação de um Caso de Uso – realiza uma


Caso de Uso atividade. É uma macroação que o ator realiza.
3 Cadastrar Cadastrar
Cliente Beneficiário

3 – Relação de dependência. Significa que cadastrar beneficiário


depende diretamente da conclusão do Caso de Uso Cadastrar cliente.

Calcular Calcular
4 Fidelidade Pontos

Incluir cenário principal de Cálculo de Pontos de Fidelidade


<<include>>

4 - Aqui a notação pressupõe uma inclusão de Caso de Uso ou de parte


dele em outro caso de Uso. O Caso de Uso Calcular pontos usará
integralmente a forma Calcular pontos de Fidelidade que se encontra
documentada em Calcular Fidelidade.
5 Calcular Calcular
Fidelidade Bonificação

O Caso de Uso Calcular bonificação extende a fórmula de cálculo de Fidelidade


<<extend>>

Caso de Uso relativo ao documento Visão


(Nível 0 - Visão ou pacote de sistema)
Software de Locação de DVDs via

Administrar
Promoções

Locar DVD

Entregar Locação

Administrar

Cliente Administrar
Marketing Site
Devolver DVD

Controlar Estoques

Fornecedor
Obs: fazer um Diagrama de Caso de Uso é um exercício pessoal. Um diagrama desse tipo apenas
informa visualmente os principais tópicos que podem ser explorados ao longo do projeto. Pode
ser que uma elipse não tenha elementos suficientes para ser explorada em outro diagrama, o de
nível 1. Isso não fere em nada o seu software ou planejamento.
Assim, os Casos de Usos devem representar macroatividades a serem realizadas e os atores
aqueles que executam essas atividades.

Fase de Visão aceita pelo cliente, então pode-se passar para o momento do nível da análise,
propriamente dita.
Começa:
1- Documento Nomenclatura - pode-se usar o formato de notação de sua linguagem, por
exemplo o Java.
2- Documento Glossário

Diagrama de Caso de Uso (nível 1) da Visão ou subsistema


Exemplo 1: Caso de Uso envolvendo o processo de Locar DVDs
Obs: Explosão do nível 0
Casos de Uso referentes ao processo de alugar DVDs via internet

Devolução

Cliente

Locar DVD

Site

Entregar DVD Locado

Beneficiário
UML - Documentos Iniciais de um Software:
1) Documento Visão (Modelo – Resumido)
Software: Locação de DVDs pela Internet
Data: 28/03/2007
Requisitantes: Empresa Cliente
Principais contatos:
Contato 1 – e-mail, fone, etc...
Contato 2 – e-mail, fone, etc...
Descrição:
Este software tem o objetivo de disponibilizar a locação de DVDs, via Internet, a
clientes j já cadastrados ou novos.
O software deve prever o cadastramento de usuários locadores, com seus dados
pessoais, principalmente, os dados de endereço, que são tão importante para a entrega como
para a recuperação de produtos alugados.
O software atenderá a todas as cidades onde o cliente contratante tiver depósito de
DVD. Serão disponibilizados somente DVDs da cidade onde o cliente locador reside, visando a
entrega.
O cliente locador deve informar o modelo de seu equipamento de DVD, a fim de se
avaliar se ele é ou não adequado a reproduzir o filme.
O cliente locador terá, no máximo, 5 dias para a devolução de um DVD alugado, sendo que esse
período dependerá do tipo de DVD, que pode ser: desde lançamento até DVDs antigos. O
processo de fidelizar o cliente locador leva em consideração tanto o número de locações quanto
as devoluções pontuais.
A não devolução de um DVD no prazo estipulado implica no pagamento de multa.
O cliente locador pode designar, desde que apresente a documentação necessária,
beneficiários capazes de efetivar um aluguel de DVD.
As entregas serão feitas somente dentro da cidade em que o locador reside.
Os administradores do site poderão, controlar Programa de fidelidade, Programa de
promoções, preços e Marketing.
Os pagamentos serão feitos antecipadamente, pelo cartão de crédito ou boleto bancário.
Observações:
1) as descrições aqui são de alto nível.
2) este documento deverá conter a as assinaturas do cliente contratante e da equipe
desenvolvedora.
3) incluir o Caso de Uso Relativo ao Documento Visão (Nível 0)

2) Documentação Nomenclatura: (opcional – não é necessário)


Serve para criar um padrão único de pré e pós fixação para todos as palavras envolvidas em
estrutura de código, escrita de Caso de Uso ou mesmo criação de banco de dados.
Ex: variáveis, tipo, nome do bd e tabelas, nome de operações, etc...

3) Documento Glossário:
Exemplos:
Locação: ato de alugar um produto disponível no estoque da empresa.
Beneficiário: aquele que é um agregado, por parentesco ou designação de um cliente locador.
Multa: valor monetário pago a empresa detentora do produto.
Diagrama Caso de Uso (Nível 1) da Visão ou <subsistemas>

Caso de Uso Nível 1 para a aplicação de Locação de DVDs pela Internet

Obs: a construção desse diagrama não é definitiva, poderá ocorrer mudanças.

1) Caso de Uso Locar DVD


Obs: explosão do nível 0 – dá uma idéia dos Casos de Uso envolvidos em Locar DVD.

2) Caso de Uso Cadastrar


- Primeira versão do Diagrama Caso de Uso Cadastrar

3) Caso de Uso Cadastrar


- Necessidade de se criar o novo Caso de Uso – Administrar Documentos, pois ao se
cadastrar o cliente, é necessário apresentar alguns Documentos que validem a sua
admissão ao SITE.
- O beneficiário passa pelo mesmo processo e este não é simples, então foi criada uma
segunda versão desse diagrama. Assim, pode-se observar que não existe um Caso de
Uso em definitivo.

Conclusão
- Casos de Usos: parte importante da construção de software, usando a UML dentro do
processo Iterativo. Observamos que um Caso de Uso sempre é iniciado por um ATOR.
Se não conseguir identificar um Ator, então o Caso de Uso estará errado. Um Caso de
Uso pode ter vários Atores, depende da complexidade do sistema.
- Meios para extrair Caso de Uso: Observação e Entrevista.
- Apresentação de sugestão de uma Descrição de Caso de Uso. Um padrão depende da
empresa.
Descrição de Caso de Uso (versão final)
Obs: todos os cenários terão algo que possibilite àquele cenário transformar-se em
código de programação.

LV001 Locar DVD


Breve descritivo: Este Caso de Uso descreve o processo de locar DVD
Pré-Condições: Clientes seleciona grupos de produtos para locar
Atores: Cliente locador, Cliente beneficiário, Site
Cenários Principais:
1 – Visualiza os grupos de produtos existentes, a partir de uma lista criada logo na
entrada do cliente na loja, através da descrição do grupo. Os grupos são: infantil,
adulto, ação/policial, antigos, romance, comédia, drama e todos. A opção todos indica
que o cliente locador poderá efetuar uma busca por todos os grupos existentes – Cliente
Locador, Cliente Beneficiário.
2 – Escolhe determinado tipo de grupo selecionando sua descrição - Cliente Locador,
Cliente Beneficiário.
3 – Escolhe o tipo de busca desejada, a partir de uma descrição. Esta busca pode ser
por: nome de um ator, nome do diretor ou título do filme - Cliente Locador, Cliente
Beneficiário.
4 – Informa o texto relativo à busca, com mais de 3 caracteres - Cliente Locador,
Cliente Beneficiário.
5 – Visualiza os resultados da busca através de uma relação. A relação é mostrada por
aproximação do texto pedido. A relação deve aparecer por percentual de aproximação.
Os títulos com maior aproximação deverão ser apresentados em primeiro lugar. O
cliente locador visualiza, também, o percentual de aproximação. Assim, a lista
mostrada inicia em 100% e termina em 5%. A lista deve conter 20 nomes possíveis em
cada página. Junto à lista, resultado da pesquisa, o cliente locador vê uma cópia fiel da
frente da capa do DVD, por meio de uma figura. Ele pode visualizar detalhes como:
nome do filme, resenha, atores principais e coadjuvantes, prêmios recebidos, quantas
vezes esse DVD foi locado, crítica dos jornais, ano de lançamento e opinião até de 10
locadores desse DVD - Cliente Locador, Cliente Beneficiário.
6 – Seleciona determinado filme, por meio de descrição, e adiciona á cesta de locações
- Cliente Locador, Cliente Beneficiário.
7 – Deduza a quantidade do DVD escolhido do estoque de cópias – Site.
8 – Executa busca novamente a fim de obter outros títulos - Cliente Locador, Cliente
Beneficiário.
9 – Identifica-se, por meio de seu login e senha do cliente locador ou beneficiário -
Cliente Locador, Cliente Beneficiário.
10 – Valida o login do cliente locador ou beneficiário, certificando-se de que ele já se
encontra cadastrado, e verifica se o cliente locador está em estado de Aprovado para
Locação. (Ver Caso de Uso Controlar Estado de Cliente Locador e Cliente
Beneficiário) – Site.
11 – Informa o numero do cartão de debito para permitir o debito da locação. - Cliente
Locador, Cliente Beneficiário.
12 - Valida o cartão de debito informado – Site.
13 – Informa o tempo aproximado de entrega, em horas, no endereço listado pelo
cliente locador como endereço de entrega – Site.
Cenários Alternativos:
1.1 – Escolhe um filme que esteja em promoção ou lançamento, logo que entra na loja,
sem recorrer a nenhuma busca. (Ver Caso de Uso Administrar Promoções) - Cliente
Locador, Cliente Beneficiário.
4.1 – Não aceita texto com menos de 3 caracteres, não processa a busca. Alerta o
Cliente Locador ; Site.
4.2 – Não aceita texto com mais de 10 caracteres, não processa busca. Alerta o cliente
locador – Site.
5.1 – Não existindo o resultado a ser exibido, permite retorno à seleção de tipo busca –
Site.
5.2 – Não existindo o resultado a ser exibido, cliente locador ou beneficiário, sai da loja
sem locar filmes - Cliente Locador, Cliente Beneficiário.
9.1, 10.1 – Não cadastrado, cliente locador ou beneficiário, é levado ao cadastramento.
(Ver Caso de Uso Cadastrar Cliente Locador e Cadastrar Cliente
Beneficiário).Caso o login ou a senha apresentam apresentem problemas, solicita nova
digitação – Site.
10.1 – Caso o cliente locador não esteja no estado de Aprovado para Locação, pode
entrar em contato com a loja, via fax, e-mail, ou telefone para solicitar alteração de
estado - Cliente Locador.
12.1 – Identifica cartão inválido, pede providencia do cliente para regularização – Site.
12.2 – Adiciona a quantidade do DVD escolhido ao estoque de cópias, devido a não
locação – Site.
13.1 – Altera o endereço de entrega. Se desejar alterar endereço de entrega, o cliente
locador deve enviar novo comprovante de endereço, que deve estar no nome do cliente
locador - Cliente Locador.
Requisitos Especiais:
1 – Deve ser adicionado ou deduzido do número disponível de cópias no estoque,
imediatamente, após a ação que provocar uma dessas situações.
2 – O cliente locador, ou cliente beneficiário, pode abandonar a loja a qualquer
momento.
Dados:
Descrição dos grupos de produtos: Texto 50
Nome do filme: Texto 100
Resenha: Texto 200
Nome do ator principal: Texto 100
Nome do ator coadjuvante: Texto 100
Nome do premio: Texto 50
Quantidade de locação: Número 3
Críticas recebidas: Texto 200
Ano de lançamento do filme: Texto 4
Opinião dos leitores: Texto 200
Login do cliente locador ou beneficiário: Texto 10
Estado do cliente locador ou beneficiário: Número 1
Nome do cartão de debito: Texto 50
Número do cartão de debito: Texto 37
Banco do cartão de debito: Texto 5
Agencia do cartão de debito: Texto 5
Tempo de entrega: Texto 15
Observação: Prever Caso de Uso Controlar Estoque, Entregar Locação, Cadastrar
Cliente Locador, Cadastrar Cliente Beneficiário, Fidelizar Cliente Locador e
Cliente Beneficiário
Analista de negócio: João Pedro
Entrevistado: José Manuel
Área: Direção de Lojas
Data: 12/04/2006
Versão: 1.n – Alterados os cenários principais 5 e 10, com os respectivos cenários
alternativos.
Descrição de Caso de Uso (versão final)
Obs: todos os cenários terão algo que possibilite àquele cenário transformar-se em
código de programação.

LV002 Cadastrar Cliente Locador


Breve descritivo: Este Caso de Uso descreve o processo de cadastramento do Cliente
Locador
Pré-Condições: Cliente informa a sua intenção de se cadastrar como Cliente Locador
Atores: Cliente locador, Site
Cenários Principais:
1 – Informa Login e Senha desejada. O Login e a Senha devem conter letras e números
e ter no mínimo 6 caracteres.
2 – Informa os seguintes dados: Nome (100 char.), Data de Nascimento (10 char.),
Estado Civil (1 num.), RG (10 char.), CPF (11 char.), Logradouro (100 char.), CEP (9
char.), Bairro (50 char.), UF (Escolhe de uma lista de possíveis) (2 char.), Cidade
(Escolhe de uma lista de possíveis) (100 char.), País (Brasil), Número de dependentes
(2 num.) para efetivar locação, e-mail para contato (100 char.), Telefone comercial
(100 char.), Telefone residencial (100 char.). O país Brasil deve vir selecionado, estará
inicialmente em uma lista de escolha, prevendo-se a expansão da loja de locações.
Somente serão permitidos cadastramento de clientes em UFs e cidades que tenham
franquias da loja de locação, a fim de permitir a entrega – Cliente Locador.
3 – Informa os dados dos aparelhos de DVD que possui (Marca, Modelo, Ano de
fabricação) - Cliente Locador.
4 – Informa que permite o envio do material de divulgação e News da loja de locação,
através da seleção de assuntos pertinentes à News da loja. (Ver Caso de Uso
Administrar texto para Clientes.) - Cliente Locador.
5 - Envia por fax ou e-mail, cópia de um comprovante de residência (Ver Caso de Uso
Administrar Documentos.) - Cliente Locador.
6 – Escolhe se deseja cadastrar beneficiários para futuras locações da loja (Ver Caso de
Uso Cadastrar Beneficiário.) - Cliente Locador.
7 – Altera estado de cliente locador para cliente em análise. O cliente em estado de
cliente em análise não poderá efetivar locação – Site.
8 – Providencia envio de e-mail para cliente em status de Cliente em Análise,
informando do cadastramento e solicitação que aguarde contato – Site.
Cenários Alternativos:
1.1 – Caso o login já esteja em uso para outro cliente locador, a situação deve ser
informada ao cliente em cadastramento e devem ser sugeridos até 5 logins possíveis a
partir da combinação do nome cliente com os 2 primeiros e 2 últimos números do CPF
– Site.
1.2 – Caso o login ou senha tenha menos que 6 caracteres com a combinação de
número e letras, a situação deve ser informada ao cliente em cadastramento e devem
ser sugeridos até 5 logins possíveis a partir da combinação do nome cliente com os 2
primeiros e 2 últimos números do CPF – Site.
2.1 – Os dados do CPF são testados quanto a sua validade e também quanto a sua
regularização através da pesquisa disponibilizada pela Receita Federal. Caso apareça
invalidade de CPF ou situação irregular na consulta à Receita Federal, o cliente é
informado que existem inconsistências no número ou na situação do CPF. Deve ser
solicitada a regularização. O nome informado pelo cliente deve ser igual ao que consta
na Receita Federal. Caso haja inconsistência aqui, essa diferença deve ser informada ao
cliente e feita conseqüente solicitação de correção.
2.2 – Caso o cliente locador esteja em localidades não coberta pela loja, é informado se
existe previsão de expansão da loja para aquela localidade – Site.
2.4 – Após o cadastramento inicial, o cliente recebe um e-mail informando seu estado
de em análise (CP4 e cenários alternativos respectivos), e um texto solicitando que
aguarde contato posterior.
3.1 – Caso seja informado um aparelho de DVD que venha apresentando problemas
para reprodução de DVDs, o cliente locador deve ser informado e concordar (pela
leitura de texto) que a loja de locação não se responsabiliza por mau funcinamento
apresentado para aqueles tipos de aparelhos.
7.1 – Após a análise do comprovante de residência, o cliente poderá ir para o estado de
Aprovado para Locação, Pendente ou Reprovado para Locação (Ver Caso de Uso
Controlar Estado de Cliente Locador e Beneficiário).
Requisitos Especiais:

Observação: Prever Caso de Uso Administrar Textos para Clientes.


Analista de negócio: João Pedro
Entrevistado: José Manuel
Área: Direção de Lojas
Data: 28/04/2006
Versão: 1.n
Descrição de Caso de Uso (versão final)
Obs: todos os cenários terão algo que possibilite àquele cenário transformar-se em
código de programação.

LV003 Cadastrar Cliente Beneficiário de Cliente Locador


Breve descritivo: Este Caso de Uso descreve o processo de cadastramento do Cliente
Beneficiário do Cliente Locador
Pré-Condições: Cliente informa a sua intenção de se cadastrar um cliente beneficiário
para efetivar locação na loja.
Atores: Cliente locador, Site
Cenários Principais:
1 – Identifica-se por meio de Login e Senha adquirida – Cliente Locador.
2 – Informa Login e Senha desejada para beneficiário. O login e a senha devem conter
letras e números e ter no mínimo 6 caracteres.
3 – Informa os seguintes dados do beneficiário: Nome (100 char.), Data de Nascimento
(10 char.), e-mail para contato (100 char.). Os telefones e endereços para entrega da
locação serão os mesmos do cliente locador. Não é permitido o cadastramento de
clientes beneficiários fora do endereço do cliente locador. Os dados de documentação
(CPF, RG, comprovante de endereço), devem ser os do cliente locador e não os do
cliente beneficiário – Cliente Locador.
4 – Informa se permite o envio do material de divulgação e News da loja de locação,
através da seleção de assuntos pertinentes à News da loja. (Ver Caso de Uso
Administrar texto para Clientes.) - Cliente Locador.
5 – Informa se concorda em se responsabilizar pelos danos causados pelo cliente
beneficiário, conforme texto. (Ver Caso de Uso Administrar texto para Clientes.)
Cenários Alternativos:
1.1 – Caso o login já esteja em uso para outro cliente locador, a situação deve ser
informada ao cliente em cadastramento e devem ser sugeridos até 5 logins possíveis a
partir da combinação do nome cliente com os 2 primeiros e 2 últimos números do CPF.
1.2 – Caso o login ou senha tenha menos que 6 caracteres com a combinação de
número e letras, a situação deve ser informada ao cliente em locador e devem ser
sugeridos até 5 logins possíveis a partir da combinação do nome cliente beneficiário
com os 2 primeiros e 2 últimos números do CPF do cliente locador.
1.3 – Caso o cliente locador não esteja no estado de Aprovado para Locação, ele não
poderá cadastrar novos beneficiários. Imediatamente após o cadastramento, o cliente
beneficiário estará apto para efetivar locações. A alteração do estado de um cliente
locador atinge todos os beneficiários dependentes daquele cliente locador – Site.
Requisitos Especiais:
Observação: Prever Caso de Uso Administrar Textos para Clientes.
Analista de negócio: João Pedro
Entrevistado: José Manuel
Área: Direção de Lojas
Data: 29/04/2006
Versão: 1.n
Diagrama de Atividade

Exemplo: Atividade de alto nível – como processar um pedido (incluir o trabalho


realizado pelo pessoal de processamento de pedido e contabilidade).
A definição inicial da atividade focaliza a seqüência de tarefas, independente de quem
as realizas. Porém, para as tarefas serem implementadas, elas precisam ser atribuídas a
alguém. As ações que compõem a atividade completa do processamento de um pedido
cruzam os limites da responsabilidade entre 2 tipos de funcionários, processamento de
pedido e contabilidade. Partições de atividade oferecem os meios visuais de mapear
ações em grupos para cada tipo de funcionário que será responsável por realizar as
tarefas. Cada partição de atividade modela parte de uma atividade e representa a
participação de algum classificador.
A figura abaixo modela duas partições para a atividade de processar um pedido. Quando
o processamento do pedido tiver preenchido o pedido, a contabilidade poderá gerar a
fatura. Quando o pagamento tiver sido aceito e o pedido tiver sido entregue, o pedido
pode ser fechado. O processamento de pedido tem responsabilidade pelas tarefas que
envolvem o tratamento físico dos produtos. A contabilidade tem responsabilidade pelas
tarefas que envolvem o registro dos aspectos financeiros da transação.

Processador de pedidos Funcionário da Contabilidade

Receber
Pedidos

Pedido
Aceito

Preencher
Pedido

Enviar
Fatura
Fatura
Enviar
Pedido Aceitar
Pagamento

Fechar
Pedido