Você está na página 1de 10

Escola Secundária Manuel Cargaleiro

Trabalho realizado por:


Andreia Silva, nº4

Andreia Nunes, nº5

Andreia António, nº6

Clara Simões, nº9

Diana Rocha, nº11


Programação Linear

1ª Parte p.
Definição, Aplicação e História da Programação Linear ………………………………. 2

2ª Parte
Resolução de um Problema ……………………………………………………………. 5

Bibliografia …………………………………………………………………………….... 9

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 2


Programação Linear

A Programação Linear (PL) é um conjunto de técnicas que se destina à


resolução de problemas de optimização, ou seja, destina-se, de uma forma geral, à
diminuição dos custos e ao aumento dos lucros, sendo linear tanto a função objectivo
como as restrições. Deste modo, o termo “programação” significa “planeamento” e
“linear” deixa antever que todas as expressões matemáticas utilizadas são funções
lineares.
A Programação Linear tem uma vasta aplicação prática, destinando-se à
resolução de problemas no campo dos sistemas económicos, de produção industrial
ou das intervenções militares. Por exemplo: no planeamento da distribuição e
produção de produtos; no planeamento a curto prazo em aproveitamento
hidroeléctrico; nas decisões ligadas às políticas microeconómicas e macroeconómicas
de governação dos países; na utilização como sub-rotinas para suporte de tarefas
específicas em códigos de programação não linear; formulação de alimentos, rações e
adubos; blendagem de ligas metálicas e petróleo; transporte; localização industrial;
carteira de acções (investimento); alocação de recursos em fábricas, fazendas,
escritórios, etc.; designação de pessoas e tarefas (composição de tabelas de horários) e
corte de barras e chapas.
O desenvolvimento da Programação Linear foi inspirado pelos três tipos de
problemas que se seguem:
 Transporte (A)
Considere-se um sistema de distribuição que alimenta cinco armazéns
localizados em diferentes cidades (Lisboa, Seixal, Amadora, Almada e Setúbal) a
partir de três grandes unidades produtoras localizadas em Sintra, Braga e Porto.
Conhecendo-se os custos de transporte, a procura prevista para cada
armazém e as capacidades (máximas) de produção de cada unidade, pretende-
-se optimizar o programa de distribuição.

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 3


Programação Linear

 Composição (B)
Conhecendo-se os conteúdos calóricos e vitamínicos de diversos alimentos,
bem como os seus preços, pretende-se optimizar a composição da dieta a
adoptar de modo a minimizar o seu custo e a satisfazer níveis mínimos de
calorias.

 Formação e Produção (C)


Uma indústria pretende satisfazer uma encomenda em certo prazo, o que
exige aumentar o número de operários especializados. Para este efeito, deverá
contratar novos elementos e usar parte dos seus recursos humanos no treino e
formação de novos elementos. Pretende determinar-se qual o programa
óptimo de contratação e formação, de produção e armazenamento a fim de
satisfazer a entrega pretendida.

Designação Recursos e
Intensidade Função
Problema da(s) correspondentes
(incógnita) Objectivo
actividade(s) restrições
Quantidade a Soma dos custos
Transporte do Máxima capacidade
transportar de transporte de i
A armazém i para produtiva em i; procura
de i para j para j em função
o armazém j. satisfazer em j.
(xij). de xij.
Colocação do Percentagem
Níveis calóricos e Custo global de
B alimento i na de i na dieta
vitamínicos mínimos. composição.
dieta. (xi).
Contratação de
novos
operários na
unidade de Número de Produção acumulada até
tempo t; operários T que deve atingir o Custo global de
utilização de contratados total encomendado; produção
parte dos em t (xt) utilização em t de expresso em
C recursos números de operários para formação termos do custo
humanos na operários não superior aos da mão-de-obra e
formação afectados à existentes em t (já de
durante a produção em formados); produção em armazenamento.
unidade t, t (yt). t utilizando os operários
sendo t=1, …, já formados e não
Tem que T é o afectados à formação em
prazo de t.
entrega.

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 4


Programação Linear

Em 1826, Fourier efectuou estudos sobre sistemas lineares de inequações,


sendo o marco das funções lineares sujeitas a restrições lineares.
O russo L. V. Kantorovich deu os primeiros passos na programação linear, em
1939, ao resolver problemas relacionados com a optimização de recursos das
organizações, utilizando um algoritmo primitivo de programação linear como uma
ferramenta ao serviço da Economia. Este visava obter uma maior produção/lucro
possível com base numa utilização óptima dos recursos disponíveis. Pelo seu
contributo neste campo recebeu o prémio Nobel da Economia, em 1975.
A época áurea da programação linear foi na década de 1940, mais
concretamente em 1946, quando George. B. Dantzig inventou e incrementou o
“Método Simplex” como forma de solucionar problemas de optimização relacionados
com questões de logística da Força Aérea dos Estados Unidos da América, aquando da
Segunda Guerra Mundial.
Em 1947, T. C. Koopmans mostra que a programação linear é um modelo
indicado para a análise da teoria económica clássica. Frank L. Hitchcock formulou o
problema base de transporte, quase em simultâneo com o professor Koopmans. Já no
que respeita a problemas de fluxos máximos e a problemas de fluxos de custo mínimo
em rede, considera-se que estes foram formulados e investigados pela equipa de Lester
Ford e Delbert Fulkerson.
Entre 1950 e 1965, desenvolveram-se diversos algoritmos para modelos de
programação linear em rede, nos quais se destacam a especialização do método
Simplex e o método Primal-Dual.
Os desenvolvimentos tecnológicos dos computadores e da informática foram
marcantes para a rápida evolução da programação linear, pois o primeiro problema de
tamanho considerável resolvido pelo Algoritmo do Simplex foi o das dietas de Stingler
com nove equações e setenta e sete variáveis não negativas, gastando cento e vinte
horas Homem nas calculadoras de secretária da época e menos de um segundo nos
actuais computadores pessoais.

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 5


Programação Linear

Uma modista possui 100 m2 de tecido de algodão e 140 m2 de tecido de lã.


Uma sweat-shirt necessita de 1 m2 de algodão e 3 m2 de lã e um casaco de 2 m2 de
cada um dos tecidos. Cada sweat-shirt rende 35€ e cada casaco 50€.
a) Quantas sweat-shirts e casacos vendeu a modista, de modo a maximizar a sua
venda?
b) Qual o lucro máximo?
c) Será possível produzir 50 sweat-shirts e 25 casacos? Justifique.

Partindo deste enunciado é possível construir uma tabela para esquematizar os


dados:

Sweat-Shirt Casaco Total

Algodão 1 m2 2 m2 100 m2

Lã 3 m2 2 m2 140 m2

Lucro 35€ 50€

x = número de Sweat-Shirts produzidos pela modista


y = número de Casacos produzidos pela modista

Para confeccionar ambos os produtos, Sweat-Shirt e Casaco, existem no total


100 m2 de algodão, sendo necessários 1 m2 de algodão para produzir uma Sweat-Shirt
e 2 m2 para fazer o Casaco. Desta forma, obtém-se a seguinte restrição:
1x 2 y 100

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 6


Programação Linear

Para produzir uma Sweat-Shirt são necessários 3 m2 de lã, enquanto que para
produzir um Casaco são precisos 2 m2. Sabendo que apenas estão disponíveis 140 m2,
obtém-se a restrição seguinte:
3x 2 y 140

Sabendo ainda que a produção é não negativa, obtêm-se mais duas condições:
x 0
y 0
Tendo em conta que cada Sweat-Shirt origina um lucro de 35€ assim, para x
unidades produzidas, obtém-se 35x euros de lucro.
Sabendo que cada Casaco produz um lucro de 50€ então com y unidades produzidas,
obtém-se 50y euros de lucro.
Desta forma a expressão matemática que exprime o lucro é:
L 35 x 50 y
35 x
L 0 y
50
Sintetizando:

 Variáveis de decisão: x = número de Sweat-Shirts produzidos pela modista;


y = número de Casacos produzidos pela modista.
 Função Objectivo: L 35 x 50 y
 Restrições:
100 x
1x 2 y 100 y
2

140 3x
3x 2 y 140 y
2
x 0
y 0

Resolvamos o problema graficamente (Método Gráfico):

Como x ≥ 0 e y ≥ 0, a condição obtida está apenas definida no 1º Quadrante.

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 7


Programação Linear

Na figura seguinte estão representados os pontos (área sombreada) que


respeitam as restrições do problema.

y2

y1

P

y3 Q

R
 
0

100 x
y1
2
140 2 x
y2
2
35 x
y3
50

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 8


Programação Linear

Podemos considerar que a solução que procuramos se encontra no polígono


[OPQR].
Os pontos que estão nesta região são designados pontos admissíveis. E os
vértices O= (0,0), P= (0,50), Q= (40,30) e R= (70,0) dizem-se vértices da região
admissível. O ponto Q é a solução óptima do exercício
Tendo em conta os vértices da região admissível, construímos a seguinte tabela:

Pontos x y Lucro (L=35x+50y)

O 0 0 L 35 0 50 0 L 0
P 0 50 L 35 0 50 50 L 2500
Q 40 30 L 35 40 50 40 L 2900
R 70 0 L 35 70 50 0 L 2450

a) Quantas sweat-shirts e casacos vendeu a modista, de modo a maximizar a sua


venda?
R: De modo a maximizar a sua venda, a modista vendeu 40 sweat-shirts e 30
casacos.

b) Qual o lucro máximo?


R: O lucro máximo é de 2900€, correspondendo esse valor à venda de 40 sweat-
-shirts e 30 casacos.

c) Será possível produzir 50 sweat-shirts e 25 casacos? Justifique.

x 2 y 100 50 2 25 100 100 100 V


3x 2 y 140 3 50 2 25 140 200 140 F

R: É impossível produzir este número de sweat-shirts e casacos, pois a lã não


chega para fazer essa quantidade de peças de roupa, visto que seriam necessários
200 m2 de lã, quando apenas estão disponíveis 140 m2.

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 9


Programação Linear

 TAVARES, L. V., & CORREIA, F. N. (1999). Optimização Linear e não Linear –


Conceitos, Métodos e Algoritmos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
 AUBYN, M. C., BRITO, C, & MARTINS, A. C. (1999). MAT 11 – Tema 1 –
Geometria no Plano e no Espaço – 11.º ano – Ensino Secundário. Lisboa: Lisboa
Editora.
 SOVERAL, A. A., & SILVA, C. V. (2005). Matemática A – 11.º ano – Volume 1.
Lisboa: Texto Editores.
 FERNANDES, A. M. P. G., & BORGES, C. R. (2006). Matemática A. Edições Asa.
 Silva, Prof. L. S. (2006). Fundamentos da Programação Linear, acedido em Janeiro
13, 2007 em http://www.agais.com/ms0106_programacao_linear.pdf
 INDG (2005). Programação Linear, acedido em Janeiro 13, 2007 em
http://www.indg.com.br/po/prog_linear.asp
 Wikipedia (2007). Programação Linear, acedido em Janeiro 13, 2007 em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Programa%C3%A7%C3%A3o_linear
 Sousa, J. (2005). Breve História sobre a Programação Linear, acedido em Janeiro
14, 2007 em http://pwp.net.ipl.pt/deea.isel/jsousa/Doc/SIG2005.pdf
 Northwestern University and Argonne National Laboratory (2005). Linear
Programming Frequently Asked Questions, acedido em Janeiro 14, 2007 em
http://www-unix.mcs.anl.gov/otc/Guide/faq/linear-programming-faq.html
 NetMBA (2006). Linear Programming, acedido em Janeiro 14, 2007 em
http://www.netmba.com/operations/lp/
 Applications of Linear Programming, acedido em Janeiro 14, 2007 em
http://www.rpi.edu/~mitchj/handouts/lp/lp.pdf
 Pinto, J. A. P. (2004), Programação Linear [no Secundário], acedido em Janeiro 14,
2007 em
http://www.prof2000.pt/users/j.pinto/vitae/textos/04_ProgLinear_JPinto.pdf

Escola Secundária Manuel Cargaleiro 10