Você está na página 1de 7

Material de Apoio

Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

Material de Apoio

DIREITO TRIBUTÁRIO
Página 1
Material de Apoio
Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

QUADRO SINÓTICO SOBRE IMPOSTOS FEDERAIS:

Quadro Sinótico sobre Impostos


CONCEITO DE IMPOSTOS É o tipo de tributo que tem por hipótese de incidência um fato qualquer, não consistente
numa atuação estatal. É um tributo não-vinculado e encontra fundamento de validade no
poder de império da pessoa política tributante. Ver art. 16 do CTN .
Possui a seguinte Pessoal – é aquele que alcança a pessoa (IR)
classificação econômica
(não jurídica) Real – alcança bem móvel ou imóvel (IPTU e IPVA)

Direto (tributos que não repercutem) – o pagamento é suportado pelo contribuinte

Indireto (tributos que repercutem) – o pagamento é suportado por terceira pessoa de


algum modo relacionado com o contribuinte, que, em regra, é o consumidor.
Os impostos possuem a a) Federais (art. 153 da CF)
seguinte classificação b) Estaduais (art. 155 da CF)
jurídica: c) Municipais (art. 156 da CF)
Princípio Informador: Princípio da capacidade contributiva (art. 145, § 1º, 1ª parte), que diz que, sempre
que possível os impostos terão caráter pessoal e serão graduados segundo a capacidade
econômica do contribuinte. Tal princípio hospeda-se nas bases do princípio da igualdade (é
a aplicação do princípio da igualdade nos impostos

Página 2
Material de Apoio
Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

Quadro Sinótico sobre Impostos Federais:


1) Imposto de Importação (art. 153, I da CF);
2) Imposto de Exportação (art. 153, II da CF);
3) Imposto de Renda (art. 153, III da CF);
4) Imposto sobre produtos industrializados (art. 153, IV da CF)
Impostos Federais: 5) Imposto sobre operações de crédito; câmbio; e seguro; ou relativas a títulos
ou valores mobiliários (art. 153, V da CF);
6)Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (art. 153, VI da CF)
7) Imposto sobre grandes Fortunas (art. 153, VII da CF)
8)Impostos Extraordinários
9) Impostos Residuais
- Função: extrafiscal de intervenção na economia (art. 153, § 1º da CF)
- Legislação: a) CF - 153, I: que traço gerais do tributo; b) normas gerais: arts.19 a 22 do
CTN e c) instituído pelo DL 37/66.
-Hipótese de incidência: a mercadoria no território nacional, que se exterioriza com o
registro da declaração de importação (DI). Ou a arrematação dos bens apreendidos
-Alíquotas: Podem ser específicas ou ad valorem que é a alíquota multiplicada sobre
valor da mercadoria ou similar nacional.
-Base de Cálculo: A medida adotada por lei quando da utilização da alíquota
específica (metro , kg, etc.) ou ainda o preço do produto ou seu similar ou, por fim,
preço obtido na arrematação dos bens apreendidos.
-Lançamento:é por homologação (declara + paga).
1) Imposto de Importação -Contribuinte: O importador pessoa física ou jurídica ou o arrematante (art. 22 do CTN).
(art. 153, I da CF): (II) - Competência: União.
- Observações: ver art. 150, § 1º da CF

Página 3
Material de Apoio
Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

- Função: extrafiscal (art. 153, § 1º da CF).


- Legislação: art. 153, II da CF regulamentado pelos arts. 23 a 28 do CTN (o art. 28 do
CTN não foi recepcionado pela CF/88) e instituído pelo DL 1578/78.
-Hipótese de incidência: exportação de produtos nacionais, isto é, a saída da
2) Imposto de Exportação mercadoria do território nacional que se exterioriza na data da expedição da guia de
(art. 153, II da CF): (IE) exportação
-Alíquotas: Também específica ou ad valorem
-Base de Cálculo: Igual do II, mas o preço de mercado é o preço FOB (Free on Board),
que é o preço da mercadoria descontado o frete e o seguro.
-Lançamento: por homologação.
-Contribuinte: o exportador ou o equiparado nos termos da lei.
- Competência: União.
- Observações: ver art. 150, § 1º da CF
- Função: Fiscal.
- Legislação: art. 153, III da CF, regulamentado pelos arts. 43 a 45 do CTN e instituído
por várias leis, destacando-se a lei n. 9.430/96
-Hipótese de incidência: acréscimo patrimonial decorrente do trabalho, do ganho de
capital ou de ambos (conceito de renda). Também é fato gerador o acréscimo
patrimonial decorrente de proventos de qualquer natureza, são os demais
rendimentos não incluídos no conceito de renda tributário.
-Alíquotas: podem ser: a) Pessoa Física: 15% ou 27,5%, conforme a renda auferida; b)
Pessoa Jurídica: podem ser: b.1) as que são tributadas pelo lucro real, recolhem
pelas alíquotas de 15% ou 25%; b.2) As pessoas jurídicas que recolhem pelo lucro
3) Imposto de Renda presumido, em regra, recolhem 8%;
(art. 153, III da CF): (IR) -Base de Cálculo: a) Pessoa Física: o rendimento da pessoa, com algumas deduções
previstas em lei, tais como gastos com saúde e de forma limitada escola para os filhos; b)
Pessoa Jurídica: b.1) Lucro Real: será tributada pelo lucro real a empresa que fatura
mais que 48 milhões de reais anuais ou as instituições financeiras ou ainda as
empresas que auferem lucros no exterior. Lucro real é o lucro líquido do período,
isto é, o lucro bruto ajustado pelas deduções e compensações previstas em lei.
b.2) Lucro Presumido: pode ser utilizado pelas firmas individuais e pelas demais
pessoas jurídicas que têm faturamento inferior a 48 milhões de reais anuais. A base de
cálculo corresponde a um percentual sobre a receita, variável de atividade
para atividade. b.3) Lucro Arbitrado: na hipótese da fiscalização não encontrar
documentação idônea na empresa, poderá arbitrar o lucro dentro de parâmetros

Página 4
Material de Apoio
Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

previstos em lei (aferição indireta com base em parâmetros legais).


-Lançamento: por homologação.
- Contribuinte: pessoa física ou jurídica.
- Competência: União.
-Princípios: a) generalidade: Todos os contribuintes devem ser tratados da mesma
forma, isto é, o IR atinge a todos; b) universalidade: Toda a renda deve ser tributada; c)
progressividade:Majora-se a alíquota em conformidade com o aumento da base de
cálculo (art. 153 § 2° da CF).
- Observações: ver art. 150, § 1º da CF
- Função: Extrafiscal, pois uma das características do IPI é a obrigatoriedade da
seletividade das alíquotas em face da essencialidade do produto.
- Legislação: art. 153, IV e parágrafos 1° e 3°, regulamentado pelos arts. 46 a 51 do
CTN
-Hipótese de incidência: a)importação dos bens; b) saída econômica de um produto
industrializado, ressaltando que produto industrializado é aquele que sofreu
transformações ou beneficiamento antes da venda; c) a arrematação de bens
apreendidos ou abandonados nos portos ou aeroportos.
-Alíquotas: As mais variadas previstas no TIPI (tabela de IPI), com parâmetro na
seletividade em face da essencialidade do produto. Sua majoração não precisa respeitar o
princípio da legalidade tributária e de igual forma o princípio da anterioridade previsto no
4) Imposto sobre art. 150, III, b. Por outro lado precisa respeitar o p. da anterioridade nonagessimal
produtos industrializados segundo doutrina majoritária (art. 150, III, c).
(art. 153, IV da CF) -Base de Cálculo: a) preço do produto somado o valor do imposto de importação, mais
(IPI) taxas (para importação); b) valor da operação ou preço da mercadoria no mercado c) ou
preço da arrematação,
-Características: art. 153, § 3° da CF: destaca-se a não não cumulatividade e que o IPI
não incide sobre produtos destinados ao exterior (imunidade).
-Lançamento: por homologação (art. 150 do CTN).
-Contribuinte: a) o importador, inclusive pessoa física para uso próprio; b) industrial, e c)
arrematante dos bens apreendidos.
-Competência: União.
- Observações: ver art. 150, § 1º da CF.

Página 5
Material de Apoio
Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

- Função: Extrafiscal (art. 153, § 1º da CF).


- Legislação: art. 153, V c/c 153, p. 5° da CF;-arts. 63 a 67 do CTN e inúmeras leis que o
instituem.
-Hipótese de incidência: é o mútuo (empréstimos); câmbio (momento em que se tem
5) Imposto sobre efetiva conversão); seguro (dia da emissão da apólice); operações com títulos mobiliários.
operações de crédito; -Alíquotas: são variáveis, as quais podem ser alteradas por decreto e não respeitam o
câmbio; e seguro; ou princípio da anterioridade.
relativas a títulos ou -Base de Cálculo: valor econômico subjacente a operação (ex: contrato de mútuo é o
valores mobiliários (art. empréstimo realizado).
153, V da CF): -Contribuinte: depende da lei instituidora dispuser.
-Competência: União.
(IOF) -Lançamento: por homologação (art. 150 do CTN).A instituição financeira ou o
segurador, por exemplo efetuam o regulamento.
- Observação1: Ouro como ativo financeiro (art. 153, § 5º da CF).
- Observação2: ver art. 150, § 1º da CF
- Função: Extrafiscal (está relacionada com a utilização da propriedade rural).
- Legislação: Art. 153, IV da CF c/c art. 153, p. 4° da CF. Regulamentado quanto as
normas gerais nos arts. 29 a 31 do CTN e instituído pela lei n. 9.393/96.
-Hipótese de incidência: a propriedade, a posse ou o domínio útil do imóvel rural, isto
é, aquele que nos termos do art. 32 do CTN não é considerado imóvel urbano (é portanto,
residual, devendo a lei municipal determinar as características imóvel rural).
-Alíquotas: 0,3% até 20%. As alíquotas devem ser progressivas de forma a desestimular
6)Imposto sobre a a manutenção de propriedades improdutivas.
Propriedade Territorial -Base de Cálculo: valor da terra nua, ou seja, o terreno sem as construções (está
Rural (art. 153, VI da CF): excluída também da base de cálculo as áreas de preservação ambiental).
-Lançamento: de ofício, com base em dados do imóvel.
(ITR) -Contribuinte: Proprietário, possuidor e titular do domínio útil.
-Competência: União.
- Observações: art. 153, § 4º da CF – a) deve ser progressivo; b) não incidirá nas
pequenas glebas de terra utilizadas pelo proprietário que não possua outra
(imunidade) e estão isentos do recolhimento de ITR as terras para assentamento da
reforma agrária e imóveis que tenham até 100, 50 ou 30 hectares dependendo da região
(lei 9393/96); c) 50% da receita é repassada para o Município sede do imóvel rural.
Entretanto, é possível que o município assuma a fiscalização e cobrança (EC-42), neste
caso permanecerá com 100% da receita .

Página 6
Material de Apoio
Curso PREPARATÓRIO PARA ORDEM

7) Imposto sobre grandes Ainda não foi instituído pela União. Exige Lei Complementar para definição do que seria
Fortunas (art. 153, VII da “grandes fortunas”, a qual deve ser analisada dentro da razoabilidade.
CF): (IGF)

- Legislação: art. 154, II da CF c/c art. 76 do CTN.


-Pressupostos Instituição: Iminência ou efetividade de guerra externa. Trata-se de
imposto temporário e que deverá encerrar no máximo no prazo de 05 anos a contar
do final da guerra, a teor do disposto art. 76 do CTN (a doutrina entende que este prazo
foi recepcionado pela CF/88.
-Hipótese de incidência: depende da lei instituidora. Pode ser a mesma base de
8)Impostos cálculo de outro imposto federal ou atingir também fatos geradores de estaduais e
Extraordinários (art. municipais.
154,II da CF): -Alíquotas: depende da lei instituidora, não podendo ter caráter confiscatório.
-Base de Cálculo: depende da lei instituidora. Pode ser a mesma base de cálculo de
outro imposto federal e pode atingir também fatos geradores de impostos previstos na
CF, inclusive de impostos estaduais e municipais.
-Lançamento: depende da lei instituidora
-Contribuinte: depende da lei instituidora.
-Competência: União.
A União é o único ente da federação brasileira pode criar novos impostos, ou seja,
impostos não previstos na CF (os demais entes necessitariam de EC). Pode fazê-lo por
9) Impostos Residuais meio de lei complementar, porém, estes impostos chamados residuais
(art. 154,I da CF) necessariamente serão não cumulativos e não poderão ter base de cálculo ou
fato gerador já previsto na CF.

Página 7