Você está na página 1de 2

Solidão é uma flor, um lótus florescente em teu coração.

Solidão é positiva, solidão é saúde.


É a alegria de seres tu mesmo.
É a alegria de teres teu próprio espaço.
Meditação significa: bênção em estando só.
Só se está realmente vivo quando tornamo-nos capazes disso, quando não mais
existe dependência em relação a ninguém, a nenhuma situação, a nenhuma
condição.
E por ser tua, podes permanecer nela de manhã, à tarde e à noite,
na mocidade e na velhice, na saúde e na doença.

Na vida, na morte também, pode ela permanecer,


por não ser algo que está acontecendo a ti vindo do exterior.
É algo que aflora de ti.
É tua natureza verdadeira, É tua natureza ela-mesma...

Uma jornada interior é uma jornada em direção à solidão absoluta;


não tens como levar alguém a ela contigo.
É impossível que compartilhes teu centro com quem quer que seja;
nem mesmo com teu amado.
Esta é tua natureza, e não há o que possa ser feito para mudá-la.
No momento em que te diriges ao interior,
quebram-se todas as comunicações com o mundo externo.
Na verdade, o mundo inteiro desaparece.

Eis porque os místicos têm dito que o mundo é ilusório,


é maya.... não que ele não exista,
mas para quem medita é quase como se o mundo não existisse.

O silêncio é de tal modo profundo... nenhum ruído o penetra.


A solidão vai tão fundo que é necessária a coragem.
Mas dessa mesma solidão irrompe a bênção!
Dessa solidão - a experiência de Deus.
Não há outro modo; nunca houve, nunca haverá.

Celebrai a solidão, celebrai vosso espaço puro


e um grande cântico há de brotar em vosso coração.
Um cântico de consciência, um cântico de meditação.
Será um cântico de pássaro solitário chamando à distância - não chamando por
alguém em particular, mas apenas chamando;
por seu coração estar repleto ele sente o ímpeto de chamar;
como a nuvem, estando repleta, tem o ímpeto de chover; como a flor,
ao estar repleta, faz com que suas pétalas se abram e sua fragrância se liberte...
sem direcioná-la.

Deixai vossa solidão tornar-se uma extasiada dança.

O Livro da Sabedoria, Osho


Aproveite e veja: Quando o melhor é ficar em silêncio