ESTADO DA PARAÍBA

SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA ANEXO-06_ ANEXO-06_ ANEXO-06_

ATUALIZADO EM 04.03.10 DECRETO Nº 30.927, DE 27.11.09 PUBLICADO NO DOE DE 29.11.09

A N E X O 06 Art. 335, do RICMS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO/PROCESSAMENTO DE DADOS

1 - APRESENTAÇÃO

1.1 - Este manual visa a orientar a execução dos serviços destinados à emissão de documentos e escrituração de livros fiscais e a manutenção de informações em

meio magnético, por contribuintes do IPI e/ou do ICMS usuários de sistema eletrônico de processamento de dados, na forma estabelecida no Convênio ICMS 57/95, de 28 de junho de 1995; 1.2 - Contém instruções para preenchimento do Pedido/ Comunicação de Uso de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados, para emissão de documentos fiscais, escrituração de livros e fornecimento de informações à Secretaria da Receita Federal, e às Secretarias de Fazenda, Economia, Finanças e Tributação dos Estados e do Distrito Federal e, finalmente, instruções sobre preenchimento do respectivo Recibo de Entrega; 1.3 - As informações serão prestadas em meio magnético e/ou formulários.

2 - DAS INFORMAÇÕES

2.1 - O contribuinte, usuário de sistema eletrônico de processamento de dados, está sujeito a prestar informações fiscais em meio magnético de acordo com as especificações indicadas neste manual, mantendo, pelo prazo decadencial, arquivo magnético com registros fiscais referentes à totalidade das operações de entradas e de saídas e das aquisições e prestações realizadas e prestações realizadas no exercício de apuração:
2.1.1 - por totais de documento fiscal e por item de mercadoria (classificação fiscal), quando se tratar de Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A e o cupom fiscal.

Nova redação dada ao subitem 2.1.1 pelo inciso I do art. 6º do Decreto nº 30.927/09 - DOE de 29.11.09 OBS: Efeitos a partir de 01.08.09

2.1.1 - por totais de documento fiscal e por item de mercadoria (classificação fiscal), quando se tratar de Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A e modelo 55, podendo, a critério de cada unidade da Federação, ser exigido neste formato a Nota Fiscal do Produtor, modelo 4, e o cupom fiscal (Convênio ICMS 22/07);

2.1.2 - por totais de documento fiscal, quando se tratar de: a) Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica, modelo 6;

b) Nota Fiscal de Serviços de Transporte, modelo 7; c) Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8; d) Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas, modelo 9; e) Conhecimento Aéreo, modelo 10; f) Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 11; g) Nota Fiscal de Serviço de Comunicação, modelo 21; h) Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicações, modelo 22;

Acrescentado a alínea “i” ao subitem 2.1.2 pelo inciso II do art. 7º do Decreto nº 30.927/09 - DOE de 29.11.09.

i) Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário, modelo 27 (Convênio ICMS 22/07);

Acrescentado a alínea “j” ao subitem 2.1.2 pelo inciso II do art. 7º do Decreto nº 30.927/09 - DOE de 29.11.09.

j) Conhecimento de Transporte Eletrônico, modelo 57 (Convênio ICMS 42/09).

2.1.3 – por total diário, por equipamento, identificando cada situação tributária, quando se tratar de saída emitida por equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, terminal Ponto de Venda - PDV ou máquina registradora, documentada por: a) Cupom Fiscal; b) Cupom Fiscal PDV; c) Bilhete de Passagem Rodoviário, modelo 13; d) Bilhete de Passagem Aquaviário, modelo 14;

2. b) Bilhete de Passagem Aquaviário. por espécie de documento fiscal.3 . modelo 4. 2. C e Única e à antiga Nota Fiscal de Entrada. modelo 16. . g) Nota Fiscal de Venda a Consumidor. modelo 24.Observações: 2.e) Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem. g) Manifesto de Carga. modelo 15. modelo 15.1 . modelo 18.1. modelo 2.1.2 se aplica também às antigas Notas Fiscais modelo 1. séries A. modelo 20. modelo 25. c) Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem. quando se tratar de: a) Autorização de Carregamento e Transporte.4 se aplica também à Nota Fiscal Simplificada.5 . emitidas até 29 de fevereiro de 1996 (REVOGADO . modelo 17. modelo 2. d) Bilhete de Passagem Ferroviário. 2.2 .1. modelo 2. f) Despacho de Transporte.Convênio ICMS 76/03). i) Nota Fiscal de Produtor. e) Bilhete de Passagem Rodoviário. 2. l) Resumo Movimento Diário.o registro fiscal por item de mercadoria de que trata o subitem 2.1 fica dispensado quando o estabelecimento utilizar sistema eletrônico de processamento de dados somente para a escrituração de livro fiscal. modelo 4.por resumo mensal por item de mercadoria. modelo 13.por total diário.2. modelo 14. modelo 16.4 .1. B. quando se tratar de Nota Fiscal de Produtor. modelo 3. j) Ordem de Coleta de Carga. emitida até 13 de dezembro de 1994 (REVOGADO .o disposto no item 2.2. 2.o disposto no item 2.2.Convênio ICMS 76/03). h) Nota Fiscal de Venda a Consumidor. f) Bilhete de Passagem Ferroviário.2 .1. ou Nota Fiscal de Venda a Consumidor.

3.Cessação de Uso a Pedido .2 .QUADRO I .CAMPO 03 . conforme o caso.Processamento . de modo que este documento reflita a situação atual proposta pelo usuário.2 . além das alterações.1. 07 e/ou 08.Campo 01 – Pedido/Comunicação de: ITEM 1 .para uso da repartição fazendária.cessação de Uso de Ofício (Uso Exclusivo do Fisco) .apor carimbo ou informação de inscrição estadual. e os campos 24 a 28. quando deverão ser preenchidos os campos de 04 a 06.Carimbo de Inscrição Estadual . b) cessação parcial referente a livros ou documentos específicos. Este pedido deverá conter.1.3 .identificação do usuário: .Recadastramento . b) cessação parcial referente a livros ou documentos específicos.QUADRO II .1 .INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO PEDIDO/COMUNICAÇÃO 3.3 . quando deverão ser preenchidos os campos de 04 a 06. 07 e/ou 08. quando deverão ser preenchidos os campos de 04 a 06.CAMPO 02 .Assinalar com "x" numa das seguintes situações: a) cessação total.1. quando deverão ser preenchidos os campos de 04 a 06 e 24 a 28. . ITEM 5 . ITEM 3 .assinalar com "x" no caso de novo cadastramento.ALTERAÇÃO DE USO – assinalar com “x” quando se tratar de alteração referente a quaisquer das informações de pedido anterior.assinalar com "x" numa das seguintes situações: a) cessação total.Motivo do Preenchimento 3. ITEM 4 . 3.USO – assinalar com “x” o pedido inicial de autorização para uso do sistema eletrônico de processamento de dados para emissão de documentos fiscais e/ou escrituração de livros fiscais. as demais informações relativas ao uso do sistema eletrônico de processamento de dados.1. ITEM 2 . conforme o caso. 3.

modelo 18. modelo 10 Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas.Número do CNPJ/MF .3 . modelo 02 Ordem de Coleta de Carga. modelo 24 Bilhete de Passagem Aquaviário. 3. modelo 25 Nota Fiscal. modelo 17 Manifesto de Carga.2 .preencher com os códigos dos documentos fiscais.2. modelo 3 Nota Fiscal de Serviço de Comunicação. modelo 1 Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica. modelo 9 Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas. . modelo 8 Despacho de Transporte. modelo 6 Nota Fiscal de Entrada. modelo 15 Bilhete de Passagem Ferroviário.CAMPO 07 . 3. modelo 7 Nota Fiscal de Venda a Consumidor. modelo 11 Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas.137/04 .DOE de 29. modelo 21 Nota Fiscal de Produtor.3. modelo 13 Conhecimento Aéreo.06.04 (Convênio ICMS 18/04).CAMPO 04 . modelo 4 Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicações.preencher com o número da inscrição estadual do estabelecimento no cadastro de contribuintes do ICMS.Nome Comercial (Razão Social/Denominação) .2. conforme tabela abaixo: TABELA DE MODELOS DE DOCUMENTOS FISCAIS CÓDIGO 24 14 15 16 13 10 11 09 08 17 25 01 06 03 21 04 22 07 02 20 18 MODELO Autorização de Carregamento e Transporte.1 .3 . 7º do Decreto nº 25. Evitar abreviaturas. Acrescentado o código 26 pelo inciso I do art.1 . modelo 20 Resumo Movimento Diário. modelo 16 Bilhete de Passagem Rodoviário.preencher com o número da inscrição do estabelecimento no Cadastro Geral de Contribuintes do Ministério da Fazenda.3.CAMPO 06 .CAMPO 05 . modelo 14 Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem. modelo 22 Nota Fiscal de Serviço de Transporte.Livros e/ou Documentos Fiscais Emitidos por Sistema Eletrônico de Processamento de Dados: 3.Códigos dos Documentos Fiscais .Número da Inscrição Estadual . 3.QUADRO III .2.preencher com o nome comercial (razão social/denominação) do estabelecimento.

CAMPO 9 . 57 Conhecimento de Transporte Eletrônico. modelo 27 (Convênio ICMS 22/07) Acrescentado o código 55 pelo inciso I do art.Livros Fiscais .indicar o sistema operacional e seu número de versão. Os campos deste quadro deverão ser preenchidos com as especificações técnicas dos equipamentos e programas utilizados para emissão e escrituração por sistema eletrônico de processamento de dados: 3.UCP .Especificações Técnicas. utilizando. 27 Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário.DOE de 29.1 .3.CAMPO 8 .26 Conhecimento de Transporte Multimodal de Cargas.2 .09.assinalar o(s) livro(s) objeto do pedido.09.2 .QUADRO IV . modelo 55 Acrescentado o código 57 pelo inciso I do art. modelo 26 Acrescentado o código 27 pelo inciso I do art. se necessário.Fabricante/Modelo . 7º do Decreto nº 30.06.DOE de 14.indicar o fabricante e o modelo da unidade central de processamento.CAMPO 10 .11. o verso do formulário.11.243/06 . 3.4 .06 (Convênio ICMS 12/06).DOE de 29.4.927/09 . 55 Nota Fiscal Eletrônica.927/09 . 3.Sistema Operacional . 7º do Decreto nº 30.4. 6º do Decreto nº 27. . modelo 57 (Convênio ICMS 42/09) 3.

3. 3. 3.CPF/MF ou da carteira de identidade do signatário.CAMPO 26 . 3.4. 3.Nome do Signatário .Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados (SGBD) indicar o gerenciador do banco de dados.1 . 3. o conjunto de rotinas que administra o banco de dados.CAMPO 15 .CPF/Número de Identidade . Evitar abreviaturas.2 .1 . município.6. unidade da Federação.5.Identificação do Estabelecimento onde se Localiza a UCP: 3.5.CAMPO 13 . se houver.6.Nome Comercial (Razão Social/Denominação) – indicar o nome comercial (razão social/denominação) do estabelecimento onde se encontra a unidade central de processamento.CAMPO 14 .Cargo na Empresa .CAMPO 16 .CAMPO 24 .6. número.2 . 3.4 .Número de Inscrição no CNPJ/MF .preencher com o número de inscrição no CNPJ/MF do estabelecimento onde se encontra a unidade central de processamento. 3.4.QUADRO VI . com o número de inscrição municipal do estabelecimento onde se encontra a unidade central de processamento.4.preencher com o número da inscrição estadual ou. título e nome do logradouro. .indicar o nome da pessoa que.preencher com tipo.preencher com o número de inscrição no cadastro de pessoas físicas . 3.Linguagem de Programação .6.5 .CAMPOS 17 A 23 .3 . 3.assinalar com "x" o meio magnético de apresentação do registro fiscal. complemento. CEP do endereço do estabelecimento onde se encontra a unidade central de processamento e o número do telefone.QUADRO V .4 .Endereço e Telefone do Estabelecimento . no caso de este inexistir.CAMPO 11 . representando a empresa requerente/declarante.5 .TELEFONE/FAX – preencher com o número de telefone do estabelecimento para contatos sobre processamento de dados.CAMPO 12 .CAMPO 27 . assinar o pedido de comunicação.6 . precedido da letra M.CAMPO 25 .Número de Inscrição Estadual/Municipal .3 . ou seja.4 .5.Meios Magnéticos Disponíveis .indicar a linguagem em que foram codificados os programas.3 .5. 3.Responsável pelas Informações: 3.Preencher com o nome do cargo ocupado pelo signatário na empresa.

5 .2 . em quatro (4) vias que.FITA MAGNÉTICA OU CARTUCHO: 5.1 .7. 4 .1 .2 .1 .1 .2 .CAMPO 32 .Não preencher.DISCO FLEXÍVEL DE 3 1/2": 5.Para uso da Repartição Fazendária: 3.CAMPOS 29 A 31 .2. 3.Data e Assinatura . 5.serão retidas pelo Fisco. 4.densidade de gravação: dupla ou alta. preenchido datilograficamente. após o despacho.preencher a data e apor a assinatura.QUADRO VII . 3.A via original e outra via .os dados não poderão ser entregues utilizando fita magnética ou cartucho.1.face de gravação: dupla.para uso da Repartição Fazendária . terão a seguinte destinação: 4. 4.6.Uma via .será devolvida ao requerente/declarante. . uso da Secretaria da Receita Federal.FORMA DE ENTREGA E DESTINAÇÃO DAS VIAS O Pedido/Comunicação de Uso de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados será apresentado à repartição fiscal a que estiver vinculado o estabelecimento interessado. para servir como comprovante.2 .3.será entregue pelo requerente/declarante à Divisão de Tecnologia e Informações da Delegacia da Receita Federal a que estiver subordinado.não preencher.DADOS TÉCNICOS DE GERAÇÃO DO ARQUIVO 5.3 .Uma via .7.Visto/Carimbo da Receita Federal . 5 .CAMPO 28 .7 . 5.1 . uso da repartição fazendária.2.

5.numérico (N).2 .2.FORMATO DOS CAMPOS: 5.3 . 5. alinhado à direita.PREENCHIMENTOS DOS CAMPOS: 5. sem sinal.1 – os dados poderão ser entregues utilizando CD-ROM de 51/4‟ e 3 1/2' em formato circular.formatação: compatível com o MS-DOS e windows. com as posições não significativas zeradas.3 . 5. 5.5 .2.7 .6 .6.1 .ETIQUETA DE IDENTIFICAÇÃO DO ARQUIVO . As datas deverão ser expressas no formato ano.5.2.4 – OUTRAS MÍDIAS E FORMAS DE TRANSMISSÃO: 5.alfanumérico (X) .5 .3. 5.4.4 .1 .1 .5. mês e dia (AAAAMMDD). 5.2. acrescidos de CR/LF (Carriage return/Line feed) ao final de cada registro. suprimidos a vírgula e os pontos decimais. os campos deverão ser preenchidos com brancos. 5. os campos deverão ser preenchidos com zeros.tamanho do registro: 126 bytes.6.os dados não poderão ser entregues utilizando fitas DAT.alinhado à esquerda. com as posições não significativas em branco.NUMÉRICO . 5.na ausência de informação. 5.5.codificação: ASCII.na ausência de informação.2.organização: seqüencial.6 .FITA DAT: 5. não compactado. 5. 6 .ALFANUMÉRICO .os dados gerados com as características descritas neste subitem poderão ser enviados via teleprocessamento.2 .

1.Tipo 10 . quando aplicável. que delimitam o período a que se refere o arquivo.6. 7.Tipo 11 . No caso de documentos com mais de uma alíquota de ICMS e/ou mais de um Código Fiscal de Operação – CFOP. 6. Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica. modelo 6.datas.CNPJ/MF do estabelecimento a que se referem as informações contidas no arquivo. modelo 22.ESTRUTURA DO ARQUIVO MAGNÉTICO 7.Registro de total de Nota Fiscal modelos 1 e 1-A.1.indica em que densidade foi gravado o arquivo.5 .1 .6 . Cada mídia deverá ser identificada através de etiqueta.1.3 .O arquivo magnético compõe-se dos seguintes tipos de registros: 7. 6. de tal forma que as .1.abrangência das informações .Tipo 50 . 7.1. modelo 21. modelo 4.1. 6.a expressão "Registro Fiscal" e “Convênio ICMS 57/95”. 6. 12.7 .2 .Registro mestre do estabelecimento.número de mídias onde BB significa a quantidade total de mídias entregues e AA a seqüência da numeração na relação de mídias.Inscrição Estadual . 6. 6.8 . 6.1.1 . 7 .1.1.999.1.999/9999-99. relativamente ao ICMS.1. contendo as seguintes informações: 6. destinado à identificação do estabelecimento informante. 14 e 15) correspondendo à soma dos itens que compõe o mesmo.AA/BB . 13. inicial e final.número de inscrição estadual do estabelecimento informante.3 .1 . Nota Fiscal de Serviço de Comunicação.densidade de gravação .4 .tamanho do bloco.2 . Nota Fiscal de Produtor. destinado a especificar as informações de totalização do documento fiscal.Os arquivos deverão estar acondicionados de maneira adequada de modo a preservar seu conteúdo.nome comercial (razão social/denominação do estabelecimento). com valores nos campos monetários (11. no formato 99. e Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicações. deve ser gerado para cada combinação de „alíquota‟ e „CFOP‟ um registro tipo 50.Dados complementares do informante.1 .

7.Tipo 55 .4 .Registro de Produto (classificação fiscal).Tipo 61 . modelo 16. modelo 8. 7. quanto à substituição tributária. 7. modelo 14. Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem.Tipo 53 .DOE de 29.1. destinado a especificar as informações de totalização do documento fiscal. quando não emitidos por equipamento emissor de cupom fiscal: Bilhete de Passagem Rodoviário. relativamente ao IPI. 7.1.030/08 .1.7 .8A – Tipo 57 – Registro complementar para indicação do número de lote de fabricação. e de Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas. 7.Registro de Guia Nacional de Recolhimento. Acrescentado o subitem 7. 7.Registro dos documentos fiscais descritos a seguir. modelo 14. . modelo 10. corresponderão aos valores totais da mesma. modelo 13.Registro de total de documento fiscal.Tipo 51 . de Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas. modelo 2. destinado a especificar as informações de totalização do documento fiscal. modelo 15. Cupom Fiscal – PDV. 7.1. Bilhete de Passagem Ferroviário. de Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas.Tipo 70 . 3º do Decreto nº 29.Tipo 60 – Registro destinado a informar as operações e prestações realizadas com os documentos fiscais emitidos por equipamento emissor de cupom fiscal os quais são: Cupom Fiscal. 7.1. Bilhete de Passagem Ferroviário. e Nota Fiscal de Venda a Consumidor.9 . Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem.5 . 7. Bilhete de Passagem Aquaviário. modelo 15. Nota Fiscal de Venda a Consumidor.11 .8A ao item 7 pelo inciso I do art.1.8 – Tipo 56 – Registro complementar relativo às operações com veículos automotores novos realizadas por montadoras. Bilhete de Passagem Aquaviário.6 .1. modelo 13.10 . de Conhecimento Aéreo.Registro de total de Nota Fiscal modelos 1 e 1 A. Bilhete de Passagem Rodoviário. modelo 11.somas dos valores dos campos monetários dos diversos registros que representam uma mesma nota fiscal.Registro de Total de Nota Fiscal de Serviço de Transporte.1. concessionárias e importadoras. modelo 16.08 (Convênio ICMS 136/07).Tipo 54 . relativamente ao ICMS.01.1. modelo 7. modelo 2. modelo 9.1.

modelo 9.Nova redação dada ao subitem 7.16 – Tipo 77 – Registro de serviços de comunicação e telecomunicação. modelo 22. e Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas. 6º do Decreto nº 30.DOE de 29. modelo 8. modelo 11. modelo 10. 7. . modelo 8.Registro de Informações da carga transportada referente a Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas. destinado a especificar as informações de totalização do documento fiscal. modelo 11.Registro de Código de Produto e Serviço.Registro de total de Nota Fiscal de Serviço de Transporte.1. Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas.11. modelo 10. Nota Fiscal de Serviços de Telecomunicações. modelo 21.11 pelo inciso II do art.1. Conhecimento Aéreo. relativamente ao ICMS (Convênio ICMS 42/09).Tipo 75 . 7.927/09 . modelo 9.09.1. de Conhecimento Aéreo. de Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas. 7.Tipo 71 . 7.11. modelo 8.11 .15 – Tipo 76 – Registro de total de Nota Fiscal de Serviços de Comunicação.1.12 – Tipo 71 – Registro de Informações da carga transportada referente a Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas. modelo 7. modelo 9.927/09 . de Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas. Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas. Conhecimento Aéreo. modelo 57. modelo 11 e de Conhecimento de Transporte Eletrônico. modelo 10. 7. 6º do Decreto nº 30. 7. e de Conhecimento de Transporte Eletrônico.09.DOE de 29.1.Tipo 70 .12 pelo inciso III do art. modelo 57 (Convênio ICMS 42/09).12 . Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas.1.1. Nova redação dada ao subitem 7.13 – Tipo 74 – Registro de Inventário .14 .1.1. de Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas. 7.

1. A.1 . 8 .17 – Tipo 90 – Registro de totalização do arquivo. 51. destinado a fornecer dados indicando a quantidade de registros.7. 53 POSIÇÕES DE CLASSIFICAÇÃO A/D DENOMINAÇÃO DOS CAMPOS DE CLASSIFICAÇÃO OBSERVAÇÕES 1º registro 2º registro 1a2 31 a 38 3 a 16 19 a 21 22 a 27 35 a 37 31 a 38 4 a 11 12 a 31 3 3 4a9 10 a 23 A A A A A A A A A * Tipo Data CNPJ Série Número Número do Item Data Data Número de série de fabricação Subtipo Subtipo (“R”) Mês e Ano de emissão Código da mercado-ria/produto ou serviço Tipo Data Tipo Código da mercado-ria/produto Tipo Data Data Código da mercado-ria/produto Código da mercado-ria/produto ou serviço *observar a seguinte ordem de classificação: Mestre/Analítico/Diário/Item 54 e 56 55 60 (subtipos M.O arquivo deverá ser composto pelos seguintes conjuntos de registros. D e I) 60 (subtipo R) A A A A A A A A A A A 61 1a2 31 a 38 1a3 10 a 23 1a2 31 a 38 3 a 10 11 a 24 19 a 32 61R 70 e 71 74 75 . classificados na ordem abaixo: TIPOS DE REGISTROS 10 11 50.MONTAGEM DO ARQUIVO MAGNÉTICO DE DOCUMENTOS FISCAIS 8.

76 1a2 52 a 59 37 a 46 3 a 16 19 a 20 21 a 22 23 a 32 38 a 40 A A A A A A A A Tipo Data Número CNPJ Série Subsérie Número Número do Item Últimos registros“.030/08 .1 – O arquivo deverá ser composto pelos seguintes conjuntos de registros. classificados na ordem abaixo: Tipos de Registros 10 11 50.04 (Convênio ICMS 20/04).137/04 .1 pelo inciso I do art.DOE de 29. 53 Posições de Classificação A/D 1a2 31 a 38 3 a 16 19 a 21 22 a 27 35 a 37 31 a 38 A A A A A A A Denominação dos Campos Observações de Classificação 1º registro 2º registro Tipo Data CNPJ Série Número Número do Item Data 54 e 56 55 Acrescentado o registro 57 ao item 8 pelo inciso II do art.08 (Convênio ICMS 136/07). 4º do Decreto nº 25.06. 3º do Decreto nº 29. 51. .DOE de 29. 77 90 Nova redação dada ao subitem 8.01. 8.

57 3 a 16 33 a 35 36 a 41 49 a 51 A A A A CNPJ Série Número Número do Item 60 (subtipos 4 a 11 12 a 31 A A Data Número de fabricação Subtipo série *observar a seguinte ordem de classifi-cação: de Mestre/Analítico/Diário/Item M. D e I) 60 (subtipo R) 3 3 4a9 10 a 23 * Subtipo (“R”) A A A A A A A A A A A A A A A A Mês e Ano de emissão Código da mercadoria/produto ou Serviço Tipo Data Tipo Código da ria/produto Tipo Data Data Código da mercadoria/produto Código da mercadoria/produto ou Serviço Tipo Data Número CNPJ Série mercado- 61 1a2 31 a 38 1a3 10 a 23 61R 70 e 71 1a2 31 a 38 3 a 10 11 a 24 74 75 76 19 a 32 1a2 52 a 59 37 a 46 3 a 16 19 a 20 77 . A.

21 a 22 23 a 32 38 a 40 1a2 14 a 21 03 a 13 95 a 102 86 1a2 15 a 22 03 a 14 59 a 66 90 A A A A A A A A A A A Subsérie Número Número do Item Tipo Data da DDE Número da DDE Data emissão NF exportação Tipo Data de emissão do RE Número do RE Data da emissão da NF de remessa com fim específico Últimos registros 85 8. 9 .2 .REGISTRO TIPO 10 MESTRE DO ESTABELECIMENTO Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO 03 04 "10" CNPJ/MF do estabelecimento informante 14 Inscrição Inscrição estadual do Estadual estabelecimento informante 14 Nome do Nome comercial (Razão Contribuinte Social/denominação) do Tipo CNPJ/MF TAMA.A indicação "A/D" significa "ascendente/descendente".POSIÇÃO NHO 02 1 2 FORMATO N 3 16 N 17 30 X .

Código da finalidade lidade do arquivo utilizado no arquivo magnético magnético.contribuinte 35 05 Município Município onde domiciliado estabelecimento informante da Unidade da Federação Referente ao Município 2 07 Fax Número do fax do estabelecimento informante 10 A data do início do período referente às informações prestadas 8 09 Data Final A data do fim do período referente às informações prestadas 8 10 Código da Código da identificação identificação do da estrutura do arquivo Convênio magnético entregue. conforme tabela abaixo operações informadas 1 12 Código da fina. conforme tabela abaixo 116 123 N 96 97 X está o 31 65 X 30 06 Unidade Federação 66 95 X 98 107 N 08 Data Inicial 108 115 N 1 11 Código da Código da identificação da identificação da natureza das operações natureza das informadas. . conforme tabela abaixo 1 124 124 X 125 125 X 126 126 X.

com as alterações promovidas pelo Convênio ICMS 76/03 2 3 9. Nova redação dada ao subitem 9.1. na versão estabelecida pelo Convênio ICMS 69/02 e com as alterações promovidas pelo Convênio ICMS 142/02.1.1.06.Tabela para preenchimento do campo 11: TABELA PARA CÓDIGO DA IDENTIFICAÇÃO DA NATUREZA DAS OPERAÇÕES INFORMADAS CÓDIGO DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DA NATUREZA DAS OPERAÇÕES .1 .2 .1 – Tabela para preenchimento do campo 10: TABELA DE CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DA ESTRUTURA DO ARQUIVO MAGNÉTICO ENTREGUE Código 1 Descrição do código de identificação da estrutura do arquivo Estrutura conforme Convênio ICMS 57/95.1 pelo inciso II do art.1 . Estrutura conforme Convênio ICMS 57/95.1.9.1.1 – o contribuinte deverá entregar o arquivo magnético atualizado de acordo com a versão mais recente do Convênio 57/95. 9.DOE de 29.1.04 (Convênio ICMS 19/04). Estrutura conforme Convênio ICMS 57/95. na versão estabelecida pelo Convênio ICMS 31/99 e com as alterações promovidas até o Convênio ICMS 30/02. 9. 4º do Decreto nº 25.OBSERVAÇÕES: 9.137/04 .Tabela para preenchimento do campo 10: TABELA DE CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DA ESTRUTURA DO ARQUIVO MAGNÉTICO ENTREGUE CÓDIGO 1 2 DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DA ESTRUTURA DO ARQUIVO Estrutura conforme Convênio ICMS 57/95 na versão do Convênio ICMS 31/99 Estrutura conforme Convênio ICMS 57/95 na versão atual.

5 pelo inciso II do art. não será adotado pelo Estado da Paraíba.04 (Convênio ICMS 18/04).DOE de 29.Tabela para preenchimento do campo 12: TABELA DE FINALIDADES DA APRESENTAÇÃO DO ARQUIVO MAGNÉTICO CÓDIGO 1 2 3 5 DESCRIÇÃO DA FINALIDADE Normal Retificação total de arquivo: substituição total de informações prestadas pelo contribuinte referentes a este período Retificação aditiva de arquivo: acréscimo de informação não incluída em arquivos já apresentados Desfazimento: arquivo de informação referente a operações/prestações não efetivadas .1.1.3 . apenas os registros referentes às operações/prestações não efetivadas. 9.1.REGISTRO TIPO 11 . deverá ser enviado novo arquivo completo.06.Retificação aditiva de arquivo: acréscimo de informação não incluída em arquivo já apresentado. utilizando a “Retificação total de arquivo” (código 2). Neste caso.1. 7º do Decreto nº 25.3 . o arquivo deverá conter. 9.137/04 .1 2 3 Interestaduais somente operações sujeitas ao regime de substituição tributária Interestaduais – operações com ou sem substituição tributária Totalidade das operações do informante. 10 . além dos registros tipo 10 e tipo 90.4 – No caso de “Retificação corretiva de arquivo: substituição de informação relativa a documento já informado” prevista nas versões anteriores do Convênio 57/95.5 – O Código 3 do subitem 9. Acrescentado o subitem 9. 9.1.

Nota Fiscal de Serviços de Telecomunicações. modelo 22 (código 22). quanto ao ICMS. modelo 4 (código 04). modelo 4 (código 04). modelo 21 (código 21).DADOS COMPLEMENTARES DO INFORMANTE Nº 01 02 03 04 05 06 DENOMINAÇÃO DO CAMPO Tipo Logradouro Número Complemento Bairro CEP CONTEÚDO "11" Logradouro Número Complemento Bairro Código de Endereçamento Postal Pessoa responsável para contatos 28 08 Telefone Número dos telefones para contatos 12 115 126 N.04 (Convênio ICMS 12/06). Nota Fiscal de Serviço de Comunicação. 5º do Decreto nº 27. 11 . Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica. modelo 1 ou 1-A (código 01). Nota Fiscal do Produtor. Nova redação dada ao cabeçalho do item 11 pelo inciso I do art.06.DOE de 14. Nota Fiscal do Produtor. .243/06 . modelo 1 ou 1-A (código 01). modelo 6 (código 06). 87 114 X TAMANHO 02 34 5 22 15 POSIÇÃO 1 3 37 42 64 2 36 41 63 78 FORMATO N X N X X 8 07 Nome do Contato 79 86 N 11 – REGISTRO TIPO 50: Nota Fiscal. modelo 6 (código 06).REGISTRO TIPO 50 Nota Fiscal. Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica. quanto ao ICMS.

Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO "50" CNPJ do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas Tipo CNPJ TAMANHO 02 POSIÇÃO 1 2 FORMATO N 14 03 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas 14 04 Data de emissão ou recebimento Data de emissão na saída ou de recebimento na entrada 8 05 Unidade da Fede-ração Sigla da unidade da Federação do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas 2 06 Modelo Código do modelo da nota fiscal Série da nota fiscal Número da nota fiscal Código Fiscal de Operação e Prestação Emitente da Nota Fiscal (P-próprio/Tterceiros) Valor total da nota fiscal (com 2 decimais) 2 3 6 3 16 N 17 30 X 31 38 N 39 40 X 07 08 09 Série Número CFOP 41 43 46 42 45 51 N X N 4 10 Emitente 52 55 N 1 56 56 X 11 Valor Total . modelo 22 (código 22)’ Nota Fiscal Eletrônica.Nota Fiscal de Serviço de Comunicação. Nota Fiscal de Serviços de Telecomunicações. modelo 55 (código 55). modelo 21 (código 21).

nas operações decorrente das vendas de produtos agropecuários. 11. obedecendo à sistemática semelhante à da escrituração dos livros Registro de Entradas e Registro de Saída. Nota Fiscal de Serviços de Comunicação e de Telecomunicação. ICMS 46/94 de 29 de março de 1994 e Conv. .13 12 Base de Cálculo do ICMS Valor do ICMS Base de Cálculo do ICMS (com 2 decimais) 13 13 Montante do imposto (com 2 decimais) 13 14 Isenta ou nãotributada Valor amparado por isenção ou não incidência (com 2 decimais) 13 15 Outras Valor que não confira débito ou crédito do ICMS (com 2 decimais) 13 16 Alíquota Alíquota do ICMS (com 2 decimais) Situação da Nota Fiscal 4 1 57 69 N 70 82 N 83 95 N 96 108 N 109 121 N 17 Situação 122 126 125 126 N X.1.OBSERVAÇÕES: 11.2A – Nas operações decorrentes de serviços de telecomunicações ou comunicações o registro deverá ser composto apenas na aquisição. com os dados dos estabelecimentos remetente e destinatário. 11.1 .1 . devendo a cada registro Tipo 50 corresponder um registro Tipo 71. em nome de produtores (Conv. 03 e 05 devem conter os dados do emitente da Nota Fiscal. 11.3 – Em se tratando de Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica.1.1. 11.1. efetuadas pelo Banco do Brasil S/A. em leilão na bolsa de mercadorias. os CAMPOS 02.2 . o registro deverá ser composto apenas na entrada de energia elétrica ou aquisição de serviços de comunicação e telecomunicações. inclusive café em grão.este registro deverá ser composto por contribuinte do ICMS. ICMS 132/95 de 11 de dezembro de 1995).

1. deixando em branco a posição não significativa. 11.3.5.4 ..7 . corresponderão aos valores totais da mesma. modelo 1 e 1-A (código 01).1. 12.2 .6 .2 .CAMPO 03: 11. do subitem 3. “Série C-Única ou Série E-Única”). preencher com a respectiva letra (B . No caso de documentos fiscais de “Série Única” preencher com a letra U. “2” etc. 11.no caso de documentos com mais de uma alíquota de ICMS e/ou mais de um Código Fiscal de Operação – CFOP.8 . 11. preencher com o algarismo designativo da série ( “1”.CAMPO 06 .1.9.1.1 .1.1.6.1. 11. preencher com o CPF.1 – Em se tratando de pessoas não obrigadas à inscrição no CNPJ/MF. o campo assumirá o conteúdo "ISENTO".1 . deve ser gerado para cada combinação de „alíquota‟ e „CFOP‟ um registro tipo 50. em que seja obrigatória a emissão de Nota Fiscal de Entrada.1.9.3 . .em se tratando de documento sem seriação deixar em branco as três posições.1. C ou E).1.CAMPO 05 .preencher conforme códigos da tabela de modelos de documentos fiscais. 11.1.tratando-se de operações com o exterior ou com pessoas não obrigadas à inscrição estadual.9.2 .em se tratando de documentos com seriação indicada por letra.CAMPO 02: 11.9.9 .tratando-se de operações com o exterior.1.5. o campo assumirá o “CPF” do produtor agropecuário. de tal forma que as somas dos valores dos campos monetários dos diversos registros que representam uma mesma nota fiscal.1. preencher com a respectiva letra (B.4 . C ou E) na primeira posição e com a letra U na segunda posição. 13. 11. colocar "EX".5 .na hipótese de registro referente a fornecimento feito por produtor agropecuário.) deixando em branco as posições não significativas.em se tratando dos documentos fiscais de série indicada por letra seguida da expressão “Única” (“Série B-Única”. na falta da inscrição estadual. 11. 14 e 15) correspondendo à soma dos itens que compõe o mesmo.6. 11. 11.1.no caso de Nota Fiscal. 11.11. com valores nos campos monetários (11.tratando-se de operações com o exterior ou com pessoa física não inscrita no CPF zerar o campo.CAMPO 07: 11.

(REVOGADO .1. preencher com o algarismo de subsérie ( “1”.12.CAMPO 12 – base de cálculo do ICMS: 11. modelo 1 e 1-A (código 01). 11.3 . "Búnica".) preencher com a letra U na primeira posição. “Série B Subsérie 2” ou “Série B-1”.1.) deixando em branco a posição não significativa.1.12.5 – No caso de documento fiscal de “Série Única” seguida por algarismo arábico ( “Série Única 1”. “Série Única 2” etc. colocar "U" na primeira posição e o número da subsérie na segunda posição.1.10.11.Convênio ICMS 76/03). 11.10 – CAMPO 10 – Preencher com “P” se nota fiscal emitida pelo contribuinte informante (próprio) ou “T”.. 11.Convênio ICMS 76/03). “Série Única 2” etc. “2” etc.06.10..no caso de Nota Fiscal. 11.CAMPO 09 e 16 . (REVOGADO .11 .06 (Convênio ICMS 12/06).1.1.4 . Acrescentado o subitem 11.. 11. quando não se tratar de operação ou prestação com substituição tributária.1 .12 . preencher com brancos.Ver observação 11.no caso de subsérie designada por algarismo aposto à letra indicativa da série ( “Série B Subsérie 1”. "C-única" e "E-única".1. se emitida por terceiros.).1.1. quando se tratar de operação . 11. 11.2 . “Série B-2” etc.quando se tratar de operação ou prestação com substituição tributária deve-se: 11. 11.1.9A – CAMPO 08 – Se o número do documento fiscal tiver mais de 6 dígitos.1 .9.1.4... 11.no caso de subseriação de documentos fiscais de séries "A-única"..10.1 .em se tratando de documento fiscal sem subseriação deixar em branco as duas posições. e o algarismo respectivo deverá ser indicado nas posições subseqüentes.) ou de documento fiscal de série Única com subsérie designada por algarismo ( “Série Única 1”.colocar o valor da base de cálculo ICMS próprio.2 . (REVOGADO .Convênio ICMS 76/03).Convênio ICMS 76/03).9A pelo inciso II do art.2.10.DOE de 14. preencher com os 6 últimos dígitos.12.colocar o valor da base de cálculo do ICMS. (REVOGADO .1. 6º do Decreto nº 27.243/06 .1.1..

Nova redação dada ao subitem 11.CAMPO 17 .1. 11. quando não se tratar de operação com substituição tributária.13 .quando se tratar de operação com substituição tributária deve-se: 11. para lançamento de documento regularmente cancelado.Valor do ICMS: 11.CAMPO 17 .06. para lançamento normal de documento fiscal não cancelado.CAMPO 13 .1. 11. para lançamento extemporâneo de documento fiscal cancelado. 11.1.de saída e o informante for o substituto tributário.14 . quando se tratar de operação de saída e o informante for o substituto tributário.13. para lançamento extemporâneo de documento fiscal não cancelado. 11. com “S”.1.2 . 11.zerar o campo quando o informante não for o substituto tributário.2 .14 .12.13.1 .1.1.1.colocar o valor do ICMS.Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo: Situação Documento Fiscal Normal Documento Fiscal Cancelado Lançamento Extemporâneo de Documento Fiscal Normal Lançamento Extemporâneo de Documento Fiscal Cancelado Conteúdo do Campo N S E .DOE de 14. 11.2.13.zerar o campo quando o informante não for o substituto tributário.243/06 .1 .13.14 pelo inciso II do art.1.06 (Convênio ICMS 12/06).2.2 .1.2. com “X”.Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo: SITUAÇÃO Documento Fiscal Normal Documento Fiscal Cancelado Lançamento Extemporâneo de Documento Fiscal Normal Lançamento Extemporâneo de Documento Fiscal Cancelado CONTEÚDO DO CAMPO N S E X O campo 17 deve ser preenchido conforme os seguintes critérios: com “N”. 5º do Decreto nº 27.colocar o valor do ICMS próprio. com “E”.

X Documento com USO DENEGADO – exclusivamente para uso dos emitentes de Nota Fiscal Eletrônica – Modelo 55 2 Documento com USO inutilizado – exclusivamente para uso dos emitentes de Nota Fiscal Eletrônica – Modelo 55 4 Nova redação dada ao subitem 11.14 pelo inciso V do art.DOE de 19. C ou U. Modelo 57 11.05. série E.Modelo 55 e Conhecimento de Transporte Eletrônico.1.Modelo 55 e Conhecimento de Transporte Eletrônico.DOE de 29.Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo (Convênio ICMS 42/09): Situação Conteúdo do Campo Documento Fiscal Normal N Documento Fiscal Cancelado S Lançamento Extemporâneo de Documento Fiscal Normal E Lançamento Extemporâneo de Documento Fiscal X Cancelado Documento com USO DENEGADO .11.1.912/05 .exclusivamente para 2 uso dos emitentes de Nota Fiscal Eletrônica . somente poderá se referir a emissões anteriores a 01 de março de 1996.14 .CAMPO 17 .exclusivamente para 4 uso dos emitentes de Nota Fiscal Eletrônica . Modelo 57 Documento com USO inutilizado . modelo 1.927/09 .16 pelo inciso I do art. 6º do Decreto nº 30. 11. 8º do Decreto nº 25.1.05 (Convênio ICMS 12/05). Acrescentado o subitem 11. séries A.15 – o registro das antigas Notas Fiscais. .1. B.09. e modelo 3.

1.REGISTRO TIPO 51 TOTAL DE NOTA FISCAL QUANTO AO IPI Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 01 02 Tipo CNPJ "51" CNPJ do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas 2 1 2 N 14 03 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas 14 04 Data de emis.16 – Nos documentos fiscais emitidos em operações ou prestações também registradas em equipamento Emissor de Cupom Fiscal – ECF os campos 11 a 16 devem ser zerados.11. 12 . não devendo ser informados registros tipo 54.Data de emissão na são/recebimento saída ou recebimento na entrada 8 Unidade da Fede.Sigla da unidade da ração Federação do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas 3 16 N 17 30 X 31 38 N 05 06 07 08 Série Número CFOP Série da nota fiscal Número da nota fiscal Código Fiscal de Operação e Prestação Valor total da nota fiscal (com 2 decimais) 2 3 6 39 41 44 40 43 49 X X N 4 09 Valor Total 50 53 N 13 10 Valor do IPI Montante do IPI (com 2 decimais) 13 54 66 N 67 79 N .

12. 12.POSIÇÃO NHO 2 1 2 FORMATO N .1.1.1. 12 13 14 Brancos Situação Brancos Situação da Nota Fiscal 12.Valem as observações do subitem 11.11 Isenta ou não. 12.1 .1.2 .1. obedecendo à sistemática semelhante à da escrituração dos livros Registro de Entradas e Registro de Saídas.5 .1. 12.CAMPO 03 .1.Valor amparado por tributada – IPI isenção ou não incidência do IPI (com 2 decimais) 13 80 92 N Outras – IPI Valor que não confira débito ou crédito do IPI (com 2 decimais) 13 20 1 93 106 126 105 125 126 N X X.6 .14.4.7 – CAMPO 14 .Valem as observações do subitem 11.5. 12.CAMPO 02 .1.CAMPO 08 .6.OBSERVAÇÕES: 12.Este registro deverá ser composto somente por contribuintes do IPI.1.9.1 .CAMPO 06 – Valem as observações do subitem 11.CAMPO 05 .7.Valem as observações do subitem 11.Valem as observações do subitem 11. 13 .Valem as observações do subitem 11.REGISTRO TIPO 53 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO Tipo CNPJ CONTEÚDO "53" CNPJ do contribuinte Substituído TAMA.1.1. 12.1.1.3 .4 .

Código que identifica o pação tipo da Antecipação Tributária 1 Brancos 29 2 3 6 3 16 N 17 30 X 04 31 38 N 05 39 40 X 07 08 09 Série Número CFOP 41 43 46 42 45 51 N X N 4 10 Emitente 52 55 N 56 56 X 57 69 N 70 82 N 13 14 15 83 96 95 96 N X X”.14 03 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do Contribuinte substituído 14 Data de emis.Sigla da unidade da ração Federação do contribuinte substituído 2 06 Modelo Código do modelo da nota fiscal Série da nota fiscal Número da nota fiscal Código Fiscal de Operação e Prestação Emitente da Nota Fiscal (P-próprio/T-terceiros) 1 11 Base Cálculo do Base de cálculo de ICMS Substituição retenção do ICMS (com 2 decimais) Tributária 13 12 ICMS retido ICMS retido pelo substituto (com 2 decimais) 13 Despesas Soma das despesas Acessórias acessórias (frete.1 . seguro e outras – com 2 decimais) 13 Situação Situação da Nota Fiscal 1 Código da Anteci.OBSERVAÇÕES .Data de emissão na são/recebimento saída ou recebimento na entrada 8 Unidade da Fede. 16 97 98 97 126 13. X”.

7 – CAMPOS 11 e 12 – Devem ser incluídas nestes campos.Valem as observações do subitem 11.1. além das operações normais de substituição tributária.1.137/04 .8 .1.1. quando não efetuada ou efetuada a menor pelo substituto 1 Antecipação tributária efetuada pelo destinatário apenas com complementação do diferencial de aliquota 2 Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado). 4º do Decreto nº 25.5 . 13.CAMPO 15 – Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo: SITUAÇÃO CONTEÚDO DO CAMPO Substituição Tributária informada pelo substituto ou pelo substituído Branco Pagamento de substituição efetuada pelo destinatário. os valores referentes às operações relativas ao Convênio ICMS 51/00.DOE de 29.Valem as observações do subitem 11. 13.Valem as observações do subitem 11.11.8 pelo inciso III do art.6. 3 e 5 serão informados os dados do contribuinte substituto/remetente da mercadoria/produto. – Este registro será.1. nos campos 2.1.CAMPO 09 .Valem as observações do subitem 11.CAMPO 06 . .1. 13.1.1. 13.1.1.1.7 com a redação a seguir pelo art. 13.04 (Convênio ICMS 18/04).1. efetuada pelo destinatário sem encerrar a fase 3 de tributação Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado). 13.030/08 .3 . 13.6 .DOE de 29.1.CAMPO 03 .1.Este registro só é obrigatório para o contribuinte substituto tributário. também.1.Valem as observações do subitem 11.01.CAMPO 14 .4 . 4º do Decreto nº 29.1.1. 13. Acrescentado novo subitem 13.CAMPO 07 . exigido do contribuinte substituído.2 .1.08 (Convênio ICMS 142/07).CAMPO 10 .14. efetuada pelo destinatário encerrando a fase de 4 tributação Nova redação dada ao subitem 13.7 . 13. ou sujeito à antecipação tributária.1 .13.8.Valem as observações do subitem 11. nas operações em que há destaque do imposto retido no documento fiscal.10.9. Neste caso.06.1. nas operações com mercadorias.

683/05 .1.01.DOE de 29. 2º do Decreto nº 25.1.13.01.8 pelo inciso I do art.CAMPO 15 – Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo: Situação Pagamento de substituição efetuada pelo destinatário.1. efetuada pelo destinatário sem encerrar a fase de tributação Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado).9 pelo art.DOE de 29. efetuada pelo destinatário encerrando a fase de tributação Substituição tributária interna motivada por regime especial de tributação Substituição Tributária informada pelo substituto ou pelo substituído que não incorra em nenhuma das situações anteriores Conteúdo do Campo 1 2 3 4 5 Branco Nova redação dada ao subitem 13.1. quando não efetuada ou efetuada a menor pelo substituto Antecipação tributária efetuada pelo destinatário apenas com complementação do diferencial de alíquota Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado).Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo: Situação Pagamento de substituição efetuada pelo destinatário. 13.Valem as observações do subitem 11.1.8 .1.8 .CAMPO 14 .030/08 .9 .08 (Convênio ICMS 142/07). 4º do Decreto nº 29.08 (Convênio ICMS 142/07).1.Preencher o campo de acordo com a tabela abaixo: . 13.1.05 (Convênio ICMS 114/05). Renumerado o subitem 13.030/08 .1.8 pelo art. Renumerado o subitem 13. quando não efetuada ou efetuada a menor pelo substituto Antecipação tributária efetuada pelo destinatário apenas com complementação do diferencial de alíquota Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado).8 .CAMPO 15 . 4º do Decreto nº 29.8 para 13. 13.1.14.DOE de 20.CAMPO 15 . efetuada pelo destinatário sem encerrar a fase de tributação Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado).01. efetuada pelo destinatário encerrando a fase de tributação Substituição tributária interna motivada por regime especial de tributação ICMS pago na importação Substituição Tributária informada pelo substituto ou pelo substituído que não incorra em nenhuma das situações anteriores Conteúdo do Campo 1 2 3 4 5 6 Branco.7 para 13.

incorra em nenhuma das situações anteriores 14 . 6º do Decreto nº 25.DOE de 19. efetuada pelo 3 destinatário sem encerrar a fase de tributação Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado). efetuada pelo 4 destinatário encerrando a fase de tributação Substituição tributária interna motivada por regime especial de tributação 5 ICMS pago na importação 6 Substituição Tributária informada pelo substituto ou pelo substituído que não Branco. quando não efetuada ou 1 efetuada a menor pelo substituto Antecipação tributária efetuada pelo destinatário apenas com complementação 2 do diferencial de alíquota Antecipação tributária com MVA (Margem de Valor Agregado).POSIÇÃO NHO 2 1 2 FORMATO N 14 03 Modelo 3 16 N 04 05 06 Série Número CFOP 2 3 6 17 19 22 18 21 27 N X N 4 07 CST 3 28 32 31 34 N Nova redação dada ao campo 07 do item 14 pelo inciso I do art.05.912/05 .Situação Conteúdo do Campo Pagamento de substituição efetuada pelo destinatário.05 .REGISTRO TIPO 54 PRODUTO Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO Tipo CNPJ CONTEÚDO “54” CNPJ do remetente nas entradas e do destinatário nas saídas Código do modelo da nota fiscal Série da nota fiscal Número da nota fiscal Código Fiscal de Operação e Prestação Código da Situação Tributária TAMA.

Conce-dido no item sória (com 2 deci-mais). 12 13 Base de Cálculo do Base de cálculo do ICMS ICMS (com 2 decimais) 12 Base de Cálculo do Base de cálculo do ICMS para ICMS de retenção na Substituição Tri. .com 2 decimais 12 12 Valor do Descon.Substituição Tributária butária (com 2 decimais) 75 86 N 32 34 X 35 37 N 09 38 51 X 10 52 62 N 11 63 74 N 87 98 N 14 12 15 Valor do IPI Valor do IPI (com 2 decimais) 12 Alíquota Utilizada no Cálculo do ICMS (com 2 decimais) 4 99 110 N 111 122 N 16 Alíquota do ICMS 123 126 N.(Ajuste SINIEF 02/05). 07 08 CST Código da Situação 3 Tributária Número do Item Número de ordem do item na nota fiscal 3 Código do Produto Código do produto ou ou Serviço serviço do informante 14 Quantidade Quantidade do produto (com 3 decimais) 11 Valor do Produto Valor bruto do produto (valor unitário multiplicado por quantidade) .Valor do Desconto to/Despesa Aces.

preencher conforme códigos da tabela de modelos de documentos fiscais do subitem 3. 14. obedecendo os seguintes critérios: 14.1. 14. o segundo dígito será de 0 a 9.1.3. 14.4 – 993 – PIS/COFINS.1.observações: 14.1 .registros para informar valores do frete.CAMPO 08 – Deve refletir a posição seqüencial de cada produto ou serviço na nota fiscal.1.1 .1. 14.1. 14. de 15. seguro e outras despesas acessórias que constem do corpo da nota fiscal (ver observações nos subitens 14.2 .1.2 – 991 – identifica o registro do frete.4 – CAMPO 07 – O primeiro dígito da situação tributária será: 0.5.1. conforme tabela A – Origem da Mercadoria do Anexo ao Convênio SINIEF s/nº.1. 14.1.14. 14. 14.valem as observações do subitem 11.5 .5 e 14.1.9.12.6.1 .CAMPO 03 .1.1. 14. listando esta codificação e os demais dados do produto/mercadoria.1.5. e o terceiro dígito será zero ou um.6. ambos conforme tabela B – Tributação pelo ICMS.5. 1 ou 2. 14.5.1.1. 14.7 – 999 – identifica o registro de outras despesas acessórias.7).5. do mesmo anexo. .3 – 992 – identifica o registro do seguro.1 .um registro para cada produto ou serviço constante da nota fiscal e/ou romaneio.CAMPO 04 .5 – 997 – complemento de valor de Nota Fiscal e/ou ICMS.Em se tratando de registros para indicar o valor de frete.2 .Informar a própria codificação utilizada no sistema de controle de estoque/emissão de nota fiscal do contribuinte. exceto 8. 14.5.5. 14.1. através do registro “Tipo 75” (considera-se o código EAN-13 ou equivalente como codificação própria).1.3 .1.1.devem ser gerados: 14.70.1.1.2 .6 -CAMPO 09 14.1 – 001 a 990 – número seqüencial do produto ou serviço.1.6 – 998 – serviços não tributados.

com o valor constante da nota fiscal do respectivo campo.1.1.1.1 . 14. quando se tratar dos itens referenciados nas observações 14.8.8.8 . 14.Deve ser preenchido com valor de desconto concedido para o item da Nota Fiscal (utilizar o critério de rateio proporcional.zerar o campo quando o informante não for o substituto tributário.1. 14.quando se tratar de operação ou prestação com substituição tributária deve-se: 14.1.CAMPO 14: 14.8.2 . quando se tratar de operação de saída e o informante for o substituto tributário.2 a 14. quando não se tratar de operação ou prestação com substituição tributária. 14. deixar em branco.2.1.1.9.1 . 15 – REGISTRO TIPO 55 GUIA NACIONAL DE RECOLHIMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO Tipo CNPJ CONTEÚDO "55" CNPJ do contribuinte Substituto tributário Inscrição Estadual na Unidade da Federação TAMANHO 2 POSIÇÃO 1 2 FORMATO N 14 03 Inscrição Estadual 3 16 N .9 .1.1.colocar o valor da base de cálculo do ICMS.zerar o campo quando não se tratar de operação ou prestação com substituição tributária.5.colocar o valor da base de cálculo do ICMS na substituição tributária. quando se tratar de desconto generalizado sobre o total da nota fiscal) ou.seguro e de outros itens cuja posição seqüencial do produto está definida no item 14.5. discriminados na nota fiscal. 14.7 .2 .1 .9.8.1.CAMPO 12 .CAMPO 13 – base de Cálculo do ICMS: 14.colocar o valor da base de cálculo ICMS próprio.2 .7.1.1.2.5. 14. para as operações de entrada (informante substituído) e saída (informante substituído e substituto tributário).

. formato MMAAAA 6 Número do Convênio Preencher com o ou conteúdo do campo Protocolo/Mercadoria 15 da GNRE Banco GNRE 30 17 30 X 31 38 N 05 39 40 X 06 41 42 X 07 43 45 N 08 46 49 N 09 50 69 X 10 70 82 N 11 83 90 N 12 91 96 N 13 97 126 X.Federação do tituto contribuinte substituto tributário 2 Unidade da Sigla da unidade da Federação Federação de destino Favorecida (favorecida) 2 Código do Banco onde foi efetuado o recolhimento 3 Agência GNRE Agência onde foi efetuado o recolhimento 4 Número GNRE Número de autenticação Bancária do documento de Arrecadação 20 Valor GNRE Valor recolhido (com 2 decimais) 13 Data Vencimento Data do vencimento do ICMS substituído 8 Mês e ano de Mês e ano referente à Referência ocorrência do fato gerador.destinatária) do contribuinte substituto tributário 14 04 Data da GNRE Data do pagamento do documento de Arrecadação 8 Unidade da Sigla da unidade da Federação do Subs.

1.3 .1 . 15. descontados os valores relativos a devoluções e ressarcimentos decorrentes de operações efetuadas sob o regime de substituição tributária.1.registro composto apenas por contribuintes substitutos tributários. 15. substituto tributário.CAMPO 03 – caso o informante. devendo ser gerado um registro para cada Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais – GNRE.Observações: 15. não possua inscrição estadual na unidade da Federação destinatária.valor líquido após a compensação: resultado do ICMS por substituição devido.REGISTRO TIPO 56 OPERAÇÕES COM VEÍCULOS AUTOMOTORES NOVOS Nº 01 02 03 DENOMINAÇÃO DO CAMPO Tipo CNPJ/CPF CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 1 3 2 16 N N 04 05 06 07 08 09 "56" 2 CNPJ ou CPF do 14 adquirente Código do modelo da nota Modelo fiscal 2 Série Série da nota fiscal 3 Número Número da nota fiscal 6 Código Fiscal de Operação CFOP e Prestação 4 CST Código da Situação 3 Tributária Número do Item Número de ordem do item na nota fiscal 3 Código do Código do produto ou Produto ou serviço do informante Serviço 14 Tipo de operação Tipo de operação: 1 – venda para concessionária. 15A .1 . preencher com “INEXISTENTE”.1. 3 – Venda direta) 17 19 22 18 21 27 N X N 28 32 31 34 N N 35 37 N 38 51 X 10 .15.CAMPO 10 .2 . 2 – “Faturamento Direto” – Convênio ICMS 51/00.

2 – Deverá ser informado apenas para os itens relativos aos veículos automotivos. de Tipo de operação: 1 – venda para concessionária.4 .CAMPOS 02 a 09 – Devem ser preenchidos com o mesmo conteúdo dos campos do registro 54 equivalente.137/04 .1 52 52 N Nova redação dada ao campo 10 do item 15A pelo inciso IV do art.1. 0 – Outras 1 52 52 N 10 Tipo operação 11 CNPJ da CNPJ da concessionária Concessionária Alíquota do IPI 14 Alíquota do IPI (com 2 44 decimais) Código do Chassi do 17 veículo Brancos 39 53 66 N 12 13 14 Chassi Brancos 67 71 88 70 87 126 N X X 15A. concessionárias e importadoras. 2– “Faturamento Direto” – Convênio ICMS 51/00. 15A.3 .1.CAMPO 11 – Colocar o CNPJ da concessionária envolvida na operação. nas operações com veículos automotores novos.Este registro deverá ser composto pelas montadoras.04 (Convênio ICMS 18/04). 3 – Venda direta.1 .1 .1. 15A. . 4º do Decreto nº 25.1.06. 15A.DOE de 29.OBSERVAÇÕES: 15A. quando se tratar de “faturamento direto” efetuado pelas montadoras ou importadoras. Zerar o campo nos demais casos.

15B – REGISTRO TIPO 57 NÚMERO DE LOTE DE FABRICAÇÃO DE PRODUTO Nº 01 02 Denominação do Campo Tipo CNPJ “57” Conteúdo Tamanho 2 1 3 Posição 2 16 Formato N N CNPJ do remetente nas 14 entradas e do destinatário nas saídas Inscrição Estadual Contribuinte do 14 03 04 05 06 07 08 09 10 11 Inscrição Estadual Modelo Série Número CFOP CST Número Item Código Produto Número lote produto Branco 17 31 33 36 42 46 49 52 66 30 32 35 41 45 48 51 65 85 X N X N N X N X X Código do modelo da nota 2 fiscal Série da nota fiscal Número da nota fiscal Código Fiscal Operação e Prestação Código da Tributária 3 6 de 4 Situação 3 do Número de ordem do item 3 na nota fiscal do Código do informante produto do 14 de 20 do Número do lote do fabricação do produto 12 41 86 126 X .030/08 .DOE de 29.Acrescentado o item 15B pelo inciso III do art.08 (Convênio ICMS 136/07). 3º do Decreto nº 29.01.

conforme subitem 16. Cupom Fiscal – PDV . conforme cláusula quinta do Convênio ICMS 57/95. informando as situações tributárias praticadas. conforme subitem 16. 16.Item”.1.Mestre”.2 – Deverá ser informado por fabricantes.2 – para cada dia. os respectivos registros “Tipo 60 – Resumo Diário”. um registro “Tipo 60 . de modo que o conjunto de registros relativos a itens de idêntica situação tributária represente a informação constante do respectivo registro Tipo 60 – Analítico. de 28 de junho de 1995. e Nota Fiscal de Venda a Consumidor (modelo 2) 16. de modo que este conjunto de registros represente os dados fiscais escriturados pelo contribuinte. como indicado no subitem 16.Devem ser gerados para cada equipamento: 16.e os seguintes Documentos Fiscais quando emitidos por Equipamento Emissor de Cupom Fiscal: Bilhete de Passagem Rodoviário (modelo 13). Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem (modelo 15). Bilhete de Passagem Aquaviário (modelo 14). conforme subitem 16. informando o total diário do item registrado em cada equipamento. .3 – os respectivos registros “Tipo 60 .3.1 – para cada dia.1 . 16. nas operações com produtos classificados nos códigos NBM/SH 3003 e 3004.REGISTRO TIPO 60: Cupom Fiscal.15B. Bilhete de Passagem Ferroviário (modelo 16).4.1 – Este registro se destina a informar dados relativos ao número de lote de fabricação de medicamentos.2 e os respectivos registros “Tipo 60 – Analítico”.1.1. atacadistas e varejistas que atuem como centro de distribuição e que estejam obrigados a manter arquivo eletrônico contendo registro fiscal por item de mercadoria.3 – Deverá ser gerado um registro para cada item da nota fiscal 16 .5. 15B.1.1.1 – OBSERVAÇÕES: 15B. 15B.1.

Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 01 02 03 Tipo Subtipo Data de emissão “60” “M” Data de emissão documentos fiscais 2 1 dos 8 1 3 2 3 N X 4 11 N 04 Número de série de Número de série de fabricação fabricação do equipamento 20 12 31 X Número de ordem Número atribuído pelo seqüencial do estabelecimento ao equipaequipamento mento 3 32 34 N 05 06 Modelo do mento fiscal docu.4 – os respectivos registros “Tipo 60 – Resumo Mensal”.1.Código do modelo documento fiscal do 2 35 36 X 07 Número do Contador de Ordem de Operação no início do dia Número do primeiro documento fiscal emitido no dia (Número do Contador de Ordem de Operação COO) 6 37 42 N 08 Número do Contador de Ordem de Operação no final do dia Número do último documento fiscal emitido no dia (Número do Contador de Ordem de Operação COO) 6 43 48 N 09 10 Número Contador Redução Z Contador Reinício Operação do Número do Contador de de Redução Z (CRZ) 6 de Valor acumulado no de Contador de Reinício de Operação (CRO) 49 54 N . conforme subitem 16.16.6.2 – Registro Tipo 60 – Mestre (60M): Identificador do equipamento. 16.

1. do subitem 3.3 (Registro Tipo 60 – Analítico). Já para os demais Documentos Fiscais deve ser preenchido conforme códigos da tabela de modelos.1.2. 16.2.1. deste modo identifica o equipamento emissor de cupom fiscal no contribuinte. 16.Os dados diários de cada um dos totalizadores parciais de situação tributária do equipamento deverão ser informados no registro especificado no subitem 16. indica que este registro é mestre.1.Registro utilizado para identificar o equipamento emissor de cupom fiscal no estabelecimento.2. 16. quando se tratar de Cupom Fiscal (emitido por ECF).1 – Observações: 16.2.3 .2. ou “2D”.1 .6 – campo 11 – caso o equipamento não tenha o respectivo totalizador preencher com o valor da venda bruta do dia. 16.3. quando se tratar de Cupom Fiscal PDV. quando se tratar de Cupom Fiscal emitido por máquina registradora (não ECF). 16. 16.3 11 Valor Bruta da Venda Valor acumulado no totalizador de Venda Bruta 16 12 Valor do Totalizador Valor acumulado Geral do Totalizador Geral equipamento no 55 57 N 58 73 N 13 Brancos 16 37 74 90 89 126 N X.1.5 -CAMPO 06 . Máquina Registradora e ECF. 16.1.CAMPO 02 – “M”.Preencher com “2B”.4 .1.2.2 .2. quando emitidos por PDV.3 .Registro composto apenas pelos emitentes dos documentos fiscais em questão. com “2C”.Registro Tipo 60 – Analítico (60A): Identificador de cada Situação Tributária no final do dia de cada equipamento emissor de cupom fiscal Nº DENOMINAÇÃO DO CONTEÚDO TAMA- POSIÇÃO FORMATO .

3.4 .1.1 – Observações: 16.3.1 .CAMPO NHO 01 02 03 Tipo Subtipo Data de emissão “60” “A” Data de emissão documentos fiscais 2 1 dos 8 1 3 2 3 N X 4 11 N 04 Número de série Número de série de de fabricação fabricação do equipamento 20 12 31 X Situação Tributária/ Alíquota Valor Acumulado no totalizador parcial Identificador da Situação Tributária / Alíquota do ICMS 4 Valor acumulado no final do dia no totalizador parcial da situação tributária / alíquota indicada no campo 05 (com 2 decimais) 32 35 X 05 06 07 Brancos 12 79 36 48 47 N 126 X 16.Registro composto com as informações dos totalizadores parciais das máquinas ativas no dia.3.2 .1.CAMPO 02 – “A”. . 16.Deve ser gerado um registro para cada um dos totalizadores parciais de situação tributária por dia e por equipamento. 16. indica que este registro é Tipo 60 – Analítico.1.3.3 .1 .CAMPO 05 – Informa a situação tributária / alíquota do totalizador parcial: 16.1. Ela deve ser informada como campo numérico com duas casas decimais. Como exemplos.3.1.4.3. 16. este campo deve indicar alíquota praticada.4% deve ser informado -à”0840”. alíquota de: * 8.Quando o totalizador parcial for de operação tributada na saída.

1.3.2 Quando o totalizador parcial se referir a outra situação tributária.CAMPO 06 – Deve informar o valor acumulado no totalizador parcial da situação tributária/alíquota indicada no campo 05. informar conforme tabela abaixo: SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA Substituição Tributária Isento Não incidência Cancelamentos Descontos ISSQN CONTEÚDO DO CAMPO F I N CANC DESC ISS 16.4.5 . emitido no final de cada dia.1. escriturado pelo contribuinte. 16. 16.Código doria/produto ou mercadoria/produto Serviço serviço do informante da ou 05 14 06 Quantidade Quantidade comercializada da mercadoria/produto no dia (com 3 decimais) 32 45 X . Este valor acumulado corresponde ao valor constante na Redução Z.Registro Tipo 60 – Resumo Diário (60D): Registro de mercadoria/produto ou serviço constante em documento fiscal emitido por Terminal Ponto de Venda (PDV) ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF) Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 01 02 03 Tipo Subtipo Data de emissão “60” “D” Data de emissão documentos fiscais 2 1 dos 8 1 3 2 3 N X 4 11 N 04 Número de série Número de série de de fabricação fabricação do equipamento 20 12 31 X Código da merca.* 18% deve ser informado -à”1800”.3.4 .

1 .Valor líquido (valor bruto doria/produto ou diminuído dos descontos) Serviço da mercadoria/produto acumulado no dia (com 2 decimais) 16 08 Base de Cálculo Base de cálculo do ICMS – do ICMS valor acumulado no dia (com 2 decimais) 16 09 Situação Identificador da Situação Tributária / Tributária / Alíquota do Alíquota da ICMS (com 2 decimais) mercadoria/produto ou Serviço 4 13 19 46 58 N 59 74 N 75 90 N 10 11 Valor do ICMS Brancos Montante do imposto 91 95 108 94 107 126 X N X 16.1. 16. registradas no equipamento identificado no campo 04.1. 16. .CAMPO 02 – “D”.1 .1.CAMPO 06 – Quantidade da mercadoria/produto comercializada no dia. com 3 decimais.4.2 .1.4. 16. 16. indica que este registro é Tipo 60 – Resumo Diário.1.6.1.5 . 16.4 .4.1.Observações: 16.4.3 – Para cada código de mercadoria/produto ou serviço deve ser gerado um registro com o total diário por equipamento.6 .4.CAMPO 05 .13 07 Valor da merca.Registro composto com as informações totalizadas por código da mercadoria/produto ou serviço registrado em documentos fiscais emitidos no dia pelo equipamento identificado no campo 04.Registro cuja adoção fica condicionada ao tipo/modelo de ECF que permita gerar estes arquivos.Valem as observações do subitem 14.4.4.

CAMPO 10 – Preencher com zeros no caso de Situação Tributária igual a F.POSIÇÃO NHO 2 1 2 1 3 3 8 20 4 12 11 31 FORMATO N X N X 05 06 2 6 32 34 33 39 X N 07 3 40 42 N 08 09 Código da mercadoria/produto ou Serviço Quantidade 14 13 43 57 56 69 X N 10 Valor mercadoria/produto da 12 12 83 83 94 94 N N 11 Base de Cálculo do ICMS Situação Tributária / Alíquota da mercadoria/produto ou Serviço 12 4 95 98 X . N ou I.4.4. 16.1.Registro Tipo 60 – Item (60I) : Item do documento fiscal emitido por Terminal Ponto de Venda (PDV) ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF) Nº 01 02 03 04 DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO “60” “I” Data de emissão do documento fiscal Número de série de fabricação do equipamento Código do modelo do documento fiscal Número do Contador de Ordem de Operação (COO) Número de Ordem do item no Documento Fiscal Código da mercadoria/produto ou serviço do informante Quantidade da mercadoria/produto (com 3 decimais) Valor líquido (valor bruto diminuído do desconto) da mercadoria/produto (com 2 decimais) Base de Cálculo do ICMS do Item (com 2 decimais) Identificador da Situação Tributária / Alíquota do ICMS (com 2 decimais) Tipo Subtipo Data de emissão Número de série de fabricação Modelo do documento fiscal Nº de ordem do documento fiscal Número do item TAMA.16.7 .1.CAMPO 09 – Valem as observações do subitem 16. 16.8 .5 .4.3.1.

5.5.5 .Valem as observações do subitem 16.13 Valor do ICMS Montante do imposto 12 99 110 N Nova redação dada ao campo 13 do subitem 16.DOE de 29.5.1.7 pelo inciso IV do art.2.1.Valor unitário líquido (valor bruto diminuído do desconto) da mercadoria/produto com 2 decimais (Convênio ICMS 42/09). 16.Valor utilizado como base de cálculo do ICMS.1.1.7 .7 .CAMPO 05 . 16.CAMPO 12 .Valem as observações do subitem 16.1 .1.1.5 pelo inciso V do art.6 .09.2 .5.registro cuja adoção fica condicionada ao tipo/modelo de ECF que permita gerar estes arquivos.5.5. Nova redação dada ao subitem 16.1 .CAMPO 08 .1.DOE de 29.CAMPO 10 . .4.5.3.04 (Convênio ICMS 18/04). 16.5.“I”.Deve ser gerado um registro para cada mercadoria/produto ou serviço constante do documento fiscal.9 .1. 6º do Decreto nº 30.1. 16.8 .CAMPO 11 .3 .927/09 .1. indica que este registro é Tipo 60 – Item.5.1.11. 16.5.Observações: 16.1.1.137/04 .CAMPO 02 .Valem as observações do subitem 14. 16. 16.5. 16.4 .5.CAMPO 10 . 4º do Decreto nº 25.5. 16.Valor unitário da mercadoria/produto com três decimais.6.1.06.Registro composto apenas pelos emitentes de documentos fiscais emitidos por Terminal Ponto de Venda (PDV) ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF). 13 Valor do ICMS Montante do Imposto (2 decimais) 12 99 110 N 14 Brancos 16 111 126 X 16.

8.5. 16.4.Valem as observações do subitem 16.1. 16. 16. com o campo 12 indicando a expressão “CANC”.1.5.06.DOE de 29.1.11 pelo inciso III do art.1. 7º do Decreto nº 25.06.1.Quanto se tratar de cancelamento de item o registro deve ser completo indicando no campo 12 a expressão “CANC”. Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 01 02 03 04 Tipo “60” 2 Subtipo “R” 1 Mês e Ano de Mês e Ano de emissão emissão dos documentos fiscais 6 Código da merca.11 .5. Acrescentado o subitem 16.Registro Tipo 60 – Resumo Mensal (60R): Registro de mercadoria/produto ou serviço processado em equipamento Emissor de Cupom Fiscal.137/04 .12 .12 pelo inciso IV do art. Acrescentado o subitem 16.Quanto se tratar de cancelamento de Cupom Fiscal todos os registros devem ser reapresentados. 7º do Decreto nº 25.5.Código da doria/produto ou mercadoria/produto ou Serviço serviço do informante 14 1 3 2 3 N X 4 9 N 10 23 X 05 Quantidade Quantidade da mercadoria/produto no mês (com 3 decimais) 13 24 36 N .10 – CAMPO 13 .137/04 .1.16.DOE de 29.6 .04 (Convênio ICMS 18/04).5.04 (Convênio ICMS 18/04).

3 .2 .6.6 .ICMS (com 2 decimais) to ou Serviço 37 52 N 53 68 N 09 Brancos 4 54 69 73 72 126 X X 16.1.Valor bruto da doria/produto ou mercadoria/produto ou Serviço serviço acumulado no mês (com 2 decimais) 16 07 Base de Cálculo Base de cálculo do ICMS do ICMS – valor acumulado no mês (com 2 decimais) 16 08 Situação Tribu. indica que este registro é Tipo 60 – Resumo Mensal. 16.7 . acumulado por estabelecimento no mês. 16.6.1. . 16.6.1.6.Deve ser gerado um registro para cada tipo de mercadoria/produto ou serviço processado em equipamento Emissor de Cupom Fiscal. 16.Registro composto com as informações sintéticas dos itens de mercadoria/produto e serviço dos Cupons Fiscais emitidos pelas máquinas ECF ativas no mês.1.CAMPO 05 – Quantidade de itens da mercadoria/produto comercializados no mês com 3 decimais.4 .1.1 .6.CAMPO 02 – “R”.Registro obrigatório.1.CAMPO 04 .6.1.Valem as observações do subitem 14.CAMPO 03 – Mês e Ano de emissão no formato “MMAAAA”.5 .1.6.1 .Identificador da Situação tária/Alíquota da Tributária / Alíquota do mercadora/produ.06 Valor da merca.Observações: 16.6.6. 16. 16.

6.3. Bilhete de Passagem Rodoviário (modelo 13) e Nota Fiscal de Venda a Consumidor (modelo 2).07. Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem (modelo 15).1.8 .4.DOE de 20. Bilhete de Passagem Ferroviário (modelo 16).8 .6.189/04 .CAMPO 08 – Valem as observações do subitem 16. Nova redação dada ao subitem 16.1. Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 1 3 17 2 16 30 N X X 01 02 03 04 05 06 07 Tipo “61” 2 Brancos 14 Brancos 14 Data de emissão Data de emissão do(s) documento(s) fiscal(is) 8 Modelo Modelo do(s) documento(s) fiscal(is) 2 Série Série do(s) documento(s) fiscal(is) 3 Subsérie Subsérie do(s) documento(s) fiscal(is) 2 31 38 N 39 40 N 41 43 X 44 45 X .4.1.1.Valem as observações do subitem 16.1. quando não emitidos por equipamento emissor de cupom fiscal : Bilhete de Passagem Aquaviário (modelo 14).CAMPO 08 .8 pelo art. 5º do Decreto nº 25. 17 – REGISTRO TIPO 61: Para os documentos fiscais descritos a seguir.16. excluídas as posições de „Cancelamentos‟ e „Descontos‟.3.04 (Convênio ICMS 33/04) 16.6.

08 Número inicial Número do primeiro de ordem documento fiscal emitido no dia do mesmo modelo. série e subsérie 6 09 Número final de Número do último ordem documento fiscal emitido no dia do mesmo modelo. 17.Valor amparado por isenção tributadas ou não-incidência / total diário (com 2 decimais) Valor do ICMS 13 14 Outras Valor que não confira débito ou crédito de ICMS / total diário (com 2 decimais) 13 15 Alíquota Alíquota do ICMS (com 2 decimais) Branco 4 1 46 51 N 52 57 N 58 70 N 71 83 N 12 84 95 N 13 96 108 N 109 121 N 16 Branco 122 125 N 126 126 X.Observações: . série e subsérie 6 10 Valor Total Valor total documento(s) fiscal(is)/movimento (com 2 decimais) do(s) diário 13 11 Base de cálculo Base de cálculo do(s) ICMS documento(s) fiscal(is) / total diário (com 2 decimais) 13 Valor do montante do imposto / total diário (com 2 decimais) 12 Isenta ou não.1 .

). preencher com a respectiva letra (D).2 .3.1.2 .CAMPO 07: 17. 17.5 . deixando em branco as posições não significativas. “Série D-2” etc.4..1.3 .1. quando não emitidos através de equipamento emissor de cupom fiscal.em se tratando dos documentos fiscais de série indicada por letra seguida da expressão “Única” (“Série D-Única”). 8º do Decreto nº 25. preencher com a respectiva letra (D) na primeira posição e com a letra U na segunda posição.1.1. deixando em branco a posição não significativa.4. 17.. “Série D Subsérie 2” ou “Série D-1”. No caso de documentos fiscais de “Série Única” preencher com a letra U. não devendo seus itens ser incluídos nos registros tipo 61R.05. Acrescentado o subitem 17.3. 17.CAMPO 09 – no caso da emissão de apenas um documento fiscal na data.1 .1 .1.1 .em se tratando de documentos com seriação indicada por letra. “2” etc.. preencher com o mesmo número indicado no campo 08 (Número inicial de ordem).) deixando em branco a posição não significativa. preencher com o algarismo de subsérie ( “1”.1.no caso de subsérie designada por algarismo aposto à letra indicativa da série ( “Série D Subsérie 1”. 17.DOE de 19.6 – Os valores dos documentos fiscais emitidos em operações ou prestações também registradas em equipamento Emissor de Cupom Fiscal – ECF devem ser considerados zerados para o preenchimento dos campos 10 a 15. 17.este registro deverá ser composto conforme lançamento efetuado no livro Registro de Saídas respectivo. 17A .1.em se tratando de documento fiscal sem subseriação deixar em branco as duas posições. 17.2 .registro composto apenas pelos emitentes dos documentos fiscais em questão.1. 17.4 .1.912/05 .6 pelo inciso II do art.REGISTRO TIPO 61 .CAMPO 06: 17.05 (Convênio ICMS 12/05).1.17.

1.1 – Observações: 17A. se determinado produto saiu do estabelecimento com alíquotas distintas no período informado. 17A.2 – Deve ser gerado um registro para cada combinação de código de produto e Alíquota.1. Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO “61” “R” Tipo Mestre/Analítico/Resumo Mês e Emissão Ano TAMANHO 02 POSIÇÃO 1 2 FORMATO N 01 03 de Mês e Ano de emissão dos documentos fiscais 06 04 Código do Produto Código do informante produto do 14 05 Quantidade Quantidade do produto acumulada vendida no mês (com 3 decimais) 13 06 Valor Bruto Produto do Valor bruto do produto . deve ser gerado .Registro obrigatório. Ou seja.1 .valor acumulado da venda do produto no mês (com 2 decimais) 3 3 X 4 9 N 10 23 X 24 36 N 16 07 Base de Cálculo do Base de cálculo do ICMS do ICMS valor acumulado no mês (com 2 decimais) 16 04 37 52 N 08 09 Alíquota do Produto Brancos Alíquota do ICMS do produto Preencher posições com espaços em branco 53 69 68 72 N N 54 73 126 X 17A.Resumo Mensal por Item (61R): Registro de mercadoria/produto ou serviço comercializados através de Nota Fiscal de Produtor ou Nota Fiscal de Venda a Consumidor não emitida por ECF.

indica que este registro é Tipo 61 – Resumo Mensal por Item.6 – CAMPO 04 .1.“.5 .1.4. através do registro “Tipo 75” (considera-se o código EAN-13 ou equivalente como codificação própria).CAMPO 03 – Mês e Ano de emissão no formato “MMAAAA”. 17A.1.1. 17A. 17A. 17A.04 (Convênio ICMS 18/04).Base de Cálculo do ICMS – Valor acumulado no mês de acordo com a Alíquota aplicada ao produto no mês.9 – CAMPO 08 – Valem as observações do subitem 16. 17A.06.8 – CAMPO 06 .REGISTRO TIPO 70 Nota Fiscal de Serviço de Transporte Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas Conhecimento Aéreo Acrescentado ao “caput” do item 18 pelo inciso V do art.Código do Produto ou Serviço – Informar a própria codificação utilizada no sistema de controle de estoque/ emissão de nota fiscal do contribuinte. 18 .3 – Cada Registro tipo 61R deve estar relacionado a um Registro tipo 75 correspondente.4 – CAMPO 02 – Resumo – “R”. 7º do Decreto nº 25.1.CAMPO 05 – Quantidade de itens da mercadoria/produto comercializados no mês com 3 decimais.1. listando esta codificação e os demais dados do produto/ mercadoria.1. 17A.DOE de 29.137/04 .um registro para cada ocorrência desse tipo. .7 .3.1. 17A.

ou data de utilização do serviço para o tomador 8 17 30 X 31 38 N . CNPJ do tomador do serviço. Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO "70" CNPJ do emitente do documento. Inscrição Estadual do tomador do serviço.09. 7º do Decreto nº 30.DOE de 29.927/09 . no caso de aquisição de serviço. Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário (Convênio ICMS 22/07). Conhecimento de Transporte Eletrônico (Convênio ICMS 42/09). no caso de emissão do documento TAMANHO POSIÇÃO 1 2 FORMATO Tipo CNPJ 2 N 14 03 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do emitente do documento.Conhecimento de Transporte Multimodal de Cargas Acrescentado ao “caput” do item 18 pelo inciso III do art.11. no caso de aquisição de serviço. no caso de emissão do documento 3 16 N 14 04 Data de emissão / Data de emissão para o utilização prestador.

05 Unidade Federação da Sigla da unidade da Federação do emitente do documento. no caso de aquisição de serviço.Um registro para cada CFOP do documento fiscal 4 Valor total do Valor total do documento fiscal documento fiscal (com 2 decimais) 13 Base de Cálculo do Base de cálculo do ICMS (com ICMS duas decimais) 14 Valor do ICMS Montante do imposto (com duas decimais) 14 Isenta ou não.Valor amparado por isenção tributada ou não incidência (com duas decimais) Série Subsérie Número CFOP 14 41 43 44 46 42 43 45 51 N X X N 52 55 N 56 68 N 69 82 N 83 96 N 97 110 N 15 Outras Valor que não confira débito ou crédito do ICMS (com duas decimais) 14 111 125 124 125 N N 16 CIF/FOB Modalidade do “1” – CIF ou “2” – FOB frete – 1 . no caso de emissão do documento 2 06 Modelo Código do modelo documento fiscal do 39 40 X 07 08 09 10 11 12 13 14 2 Série do documento 1 Subsérie do documento 2 Número do documento 6 Código Fiscal de Operação e Prestação . ou do tomador do serviço.

18.7.1 .valem as observações do subitem 11.CAMPO 05 .04 (Convênio ICMS 18/04).1.no caso de documento fiscal de “Série Única” seguida por algarismo arábico (“Série Única 1”. 18.valem as observações do subitem 11. 18.1. “Série Única 2” etc.6 .1. No caso de documentos fiscais de “Série Única” preencher com a letra U. “2” – FOB ou “0” OUTR0S (a opção “0” – OUTROS nos casos em que não se aplica a informação de cláusula CIF ou FOB) 16 CIF/FOB/OUTROS 1 17 Situação Situação do documento fiscal 1 125 125 N 126 126 X.3 . .1.137/04 .6.2 .1.1 .6.CAMPO 03 .8. tomadores ou prestadores de serviços de transporte.5. preencher o campo série com a respectiva letra (B ou C) e a primeira posição do campo subsérie com a letra U. 18. O algarismo respectivo deverá ser indicado no campo Subsérie.1.6...valem as observações do subitem 11. 18.OBSERVAÇÕES: 18. 4º do Decreto nº 25.este registro deverá ser composto por contribuintes do ICMS.) preencher com a letra U.5 .6. 18.1.em se tratando dos documentos fiscais de série indicada por letra seguida da expressão “Única” (“Série B-Única”.CAMPO 7 – Série: 18.1.1.1.3 .1 .1. 18.CAMPO 06 .DOE de 29.1.Nova redação dada ao campo 16 do item 18 pelo inciso VI do art.4 .1. preencher com a respectiva letra (B ou C). “Série C-Única”).em se tratando de documentos com seriação indicada por letra.2 . deixando em branco a posição não significativa. 18. Modalidade do frete – “1” – CIF.06.CAMPO 02 .valem as observações do subitem 11.1.

1.1. 18.7. Conhecimento de Transporte Multimodal de Cargas Acrescentado ao “caput” do item 19 pelo inciso IV do art. 18.7 .4 .DOE de 29..1 .1.) ou de documento fiscal de série Única com subsérie designada por algarismo (“Série Única 1”. 18.DOE de 29. preencher com o algarismo de subsérie (“1”. 7º do Decreto nº 25.18.09.7.8 . “Série B Subsérie 2” ou “Série B-1”.06. 19 – REGISTRO 71 Informações da Carga Transportada Referente a: Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas Conhecimento Aéreo Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas.no caso de subsérie designada por algarismo aposto à letra indicativa da série (“Série B Subsérie 1”.11. 7º do Decreto nº 30.em se tratando de documento fiscal sem subseriação deixar em branco as duas posições.14.). “2” etc.1.1.6.CAMPO 8 – subsérie: 18.) deixando em branco a posição não significativa. “Série Única 2” etc..CAMPO 17 – valem as observações do subitem 11. Acrescentado ao “caput” do item 19 pelo inciso VI do art. . “Série B-2” etc..04 (Convênio ICMS 18/04).927/09 ..em se tratando de documento fiscal sem seriação deixar em branco..2 .1.137/04 .

05. se o remetente for o tomador 2 52 53 X . se o destinatário for o tomador ou unidade da Federação do destinatário. 6º do Decreto nº 25.DOE de 19. Nº 01 02 03 04 05 DENOMINAÇÃO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO DO CAMPO Tipo "71" 2 1 2 CNPJ do tomador CNPJ do tomador do 14 3 16 serviço Inscrição Estadual Inscrição estadual do do tomador tomador do serviço 14 17 30 Data de emissão Data de emissão do conhecimento 8 31 38 Unidade da Unidade da Federação Federação do do tomador do serviço tomador 2 39 40 Modelo Modelo do conhecimento 2 41 42 FORMATO N N X N X X 06 Nova redação dada ao campo 06 do item 19 pelo inciso II do art.05 (Ajuste SINIEF 02/05).912/05 .Conhecimento de Transporte Eletrônico (Convênio ICMS 42/09). 06 07 08 09 10 Modelo Série Subsérie Número Unidade Federação remetente destinatário nota fiscal da do / da Modelo conhecimento do 2 41 43 44 46 42 43 45 51 Nº X X N Série do conhecimento 1 Subsérie do 2 conhecimento Número do 6 conhecimento Unidade da Federação do remetente.

1 . e Conhecimentos Aéreos.OBSERVAÇÕES: 19.1. Conhecimentos de Transporte Aquaviário de Cargas. se o remetente for o tomador 14 13 Data de emissão Data de emissão da nota da Nota fiscal fiscal que acoberta a carga transportada 8 14 Modelo fiscal Série fiscal da nota Modelo da nota fiscal que acoberta a carga transportada 2 nota Série da nota fiscal que acoberta a carga transportada 3 16 Número da nota Número da nota fiscal fiscal que acoberta a carga trans-portada 6 Situação do documento 1 fiscal 12 68 81 X 82 89 N 90 91 X 15 da 92 94 X 17 18 Situação Brancos 95 126 115 100 126 126 N X X.CNPJ do remetente. se o remetente for o tomador 14 54 67 N 12 Inscrição Estadual do remetente/ destinatário da nota fiscal Inscrição Estadual do remetente. Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas.registro composto apenas por emitentes de Conhecimentos de Transporte Rodoviário de Cargas.1 . 19.11 CNPJ do remeten. excetuando-se os . que gravarão um (1) registro para cada nota fiscal constante dos conhecimentos. se o te/destinatário da destinatário for o tomador nota fiscal ou CNPJ do destinatário. se o destinatário for o tomador ou Inscrição Estadual do destinatário.

1.CAMPO 10 . 19.1.CAMPO 11 .valem as observações do subitem 11.1 .5.1.7.CAMPO 02 . 19A .valem as observações do subitem 11.conhecimentos regularmente cancelados.1.4 .valem as observações do subitem 11. 19.1.2 . 19.1.3 .1.valem as observações do subitem 11.1. em leilão na bolsa de mercadorias.6.1. 19. inclusive café em grão.1.12 .1.8. os CAMPOS 02.CAMPO 16 .valem as observações do subitem 11.CAMPO 15 .valem as observações do subitem 11.valem as observações do subitem 18.1.1.6.10 .8. em nome de produtores (Conv.5 . (REVOGADO Convênio ICMS 69/02).1.REGISTRO TIPO 74 REGISTRO DE INVENTÁRIO Nº 01 02 DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO Tipo Data do Inventário “74” Data do Inventário no formato AAAAMMDD 2 1 2 N 8 3 10 N .CAMPO 05 .6 .nas operações decorrente das vendas de produtos agropecuários.CAMPO 03 .1.CAMPO 06 . 19.7 .8 .9.9 .1.5.valem as observações do subitem 11.1. ICMS 132/95 de 11 de dezembro de 1995).CAMPO 12 . ICMS 46/94 de 29 de março de 1994 e Conv.10. 19.1.1.valem as observações do subitem 11.1. 19.1.1.1.11 . 19.CAMPO 08 . 19.6.valem as observações do subitem 11.1.7.CAMPO 14 .1. efetuadas pelo Banco do Brasil S/A. e os CAMPOS 10 a 12 os dados do estabelecimento destinatário. 03 e 05 devem conter os dados do estabelecimento remetente. 19.1.valem as observações do subitem 11. 19. 19.

Inventariadas conforme tabela abaixo 1 51 51 X 07 CNPJ Possuidor Proprietário do CNPJ do Possuidor da / Mercadoria de propriedade do Informante. ou do proprietário da Mercadoria em poder do Informante 14 08 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do do Possuidor / Possuidor da Mercadoria de Proprietário propriedade do Informante.com 2 decimais 13 38 50 N 04 05 Valor do Produto 06 Código de Posse Código de Posse das das Mercadorias Mercadorias Inventariadas. ou do proprietário da Mercadoria em poder do Informante 66 79 X 10 Brancos 2 45 80 82 81 126 X X .03 Código do Produto Código do produto do informante 14 11 24 X Quantidade Quantidade do produto (com 3 decimais) 13 25 37 N Valor bruto do produto (valor unitário multiplicado por quantidade) . ou do proprietário da Mercadoria em poder do Informante 52 65 N 14 09 UF do Possuidor/ Unidade da Federação do Proprietário Possuidor da Mercadoria de propriedade do Informante.

1.4 .Os Registros de Inventários devem ser incluídos nos arquivos referentes ao período de apuração do ICMS em que foi realizado o inventário e nos arquivos referentes ao período seguinte.1.Deve ser gerado pelo menos um registro para cada tipo de produto constante do inventário codificando de acordo com o sistema de controle de estoque/emissão de nota fiscal utilizado pelo contribuinte. 20 .3 . se o campo 06 for igual a 2.1.REGISTRO TIPO 75 CÓDIGO DE PRODUTO OU SERVIÇO .6 – CAMPO 07 – Se o campo 06 for igual a 1.Registro obrigatório.5 – CAMPO 06 – Deverá ser preenchido conforme tabela abaixo: TABELA DE CÓDIGO DE POSSE DAS MERCADORIAS INVENTARIADAS CÓDIGO 1 2 3 DESCRIÇÃO DA POSSE DAS MERCADORIAS INVENTARIADAS Mercadorias de propriedade do Informante e em seu poder Mercadorias de propriedade do Informante em poder de terceiros Mercadorias de propriedade de terceiros em poder do Informante 19A.7 – CAMPO 08 – Se o campo 06 for igual a 1. preencher com a Inscrição Estadual da proprietária da mercadoria em poder do informante.19A. se o campo 06 for igual a 3.CAMPO 03 – Informar a própria codificação utilizada no sistema de controle de estoque/emissão de nota fiscal do contribuinte. 19A.1.1 . por CNPJ de empresa depositária/depositante deste item.1 . 19A. preencher com o CNPJ da proprietária da mercadoria em poder do informante. Será gerado um registro distinto para cada item. preencher com a Inscrição Estadual da empresa que detém a posse da mercadoria de propriedade do informante. 19A.1. preencher com o CNPJ da empresa que detém a posse da mercadoria de propriedade do informante. se o campo 06 for igual a 2. se o campo 06 for igual a 3. 19A.2 . 19A.1. preencher com zeros. preencher com brancos.Observações: 19A.1.

kg. mt. frd. nas ICMS operações internas (com 2 decimais) 5 11 Base de Cálculo Base de Cálculo do ICMS de do ICMS de substituição tributária (com 2 105 108 N 109 113 N . sc. kWh..) 6 Alíquota do IPI do produto (com 2 decimais) 5 Alíquota do ICMS aplicável a mercadoria ou serviço nas operações ou prestações internas ou naquelas que se tiverem iniciado no exterior (com 2 decimais) 1 2 N 3 10 N 11 18 N 19 32 X 33 40 X 41 93 X 94 99 X 100 104 N 4 10 Redução da Base % de Redução na base de de Cálculo do cálculo do ICMS. m3. etc.Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO 01 02 Tipo Data Inicial 03 Data Final 04 05 Código Produto Serviço Código NCM do ou 06 Descrição 07 Unidade de Medida de Comercialização 08 Alíquota do IPI 09 Alíquota do ICMS “75” 2 Data inicial do período de validade das informações 8 Data final do período de validade das informações 8 Código do produto ou serviço utilizado pelo contribuinte 14 Codificação da Nomenclatura Comum do Mercosul 8 Descrição do produto ou serviço 53 Unidade de medida de comercialização do produto (un.

Substituição Tributária decimais) 13 114 126 N 20.5 – CAMPO 11 20. ficando opcional para os demais. 20.1. ou no registro tipo 74.Período de validade das informações contidas neste registro. 22) nas prestações de serviço Nº DENOMINAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDO TAMANHO POSIÇÃO FORMATO .2 – colocar o valor unitário da base de cálculo do ICMS na substituição tributária. 20A . ou no registro tipo 60.1 . ou no registro tipo 77.1 – zerar o campo quando não se tratar de produto ou serviço sujeito à substituição tributária.REGISTRO TIPO 76 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO (MOD.1.CAMPO 04 – Deve ser gerado um registro para cada tipo de mercadoria/produto ou serviço que foi comercializado no período ou constante no registro inventário se informado no arquivo. 20.3 . Este campo deve ser preenchido com o mesmo código da mercadoria/produto ou serviço informado no registro tipo 54.OBSERVAÇÕES 20. 20.5. 21) nas prestações de serviço NOTA FISCAL DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES (MOD.1.5. Em ocorrendo alteração de qualquer informação do produto/serviço.1..4 – CAMPO 05 – Obrigatório para contribuintes do IPI.Obrigatório para informar as condições do produto/serviço. 20.2 – CAMPO 2. CAMPO 3 .1 . incluir novo registro com outro período de validade. codificando de acordo com o sistema de controle de estoque/emissão de nota fiscal utilizado pelo contribuinte. 20.1.1.1.

conforme tabela abaixo 1 Data de Data de emissão na emissão/Recebimento saída ou de Recebimento na entrada 8 Unidade da Sigla da Unidade da Federação Federação do Remetente nas entradas e do destinatário nas saídas 2 1 2 N 3 16 N 17 30 X 31 33 35 37 32 34 36 46 N X X N 47 50 N 51 51 N 52 59 N 60 61 X 12 Valor Total Valor total da nota fiscal (com 2 decimais) 62 74 N 13 14 15 13 Base de Cálculo do Base de Cálculo do ICMS ICMS (com 2 decimais) 13 Valor do ICMS Montante do imposto (com 2 decimais) 12 Isenta ou não Valor amparado por tributada isenção ou nãoIncidência (com 2 decimais) 75 87 N 88 99 N .01 02 Tipo CNPJ/CPF 03 04 05 06 07 08 09 10 11 "76" 02 CNPJ/CPF do tomador do serviço 14 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do tomador do serviço 14 Modelo Código do modelo da nota fiscal 2 Série Série da nota fiscal 2 Subsérie Subsérie da nota fiscal 2 Número Número da nota fiscal 10 CFOP Código Fiscal de Operação e Prestação 4 Tipo de Receita Código da identificação do tipo de receita.

20A. 20A.No caso de documentos com mais de uma alíquota de ICMS e/ou mais de um „Tipo de Receita‟ e/ou mais de um Código Fiscal de Operação ou Prestação – CFOP.2 .1. prestadores de serviço de comunicação e telecomunicação.CAMPO 04 . 3º do Decreto nº 25. 13. 20A.Valem as observações do subitem 11. Acrescentado o subitem 20A. 20A.6.CAMPO 02 .1.5.1. 14.1.1 .1 – Em se tratando de documentos com seriação indicada .1.Valem as observações do subitem 11.1. de tal forma que as somas dos valores dos campos monetários dos diversos registros que representam uma mesma nota fiscal corresponderão aos valores totais da mesma.1.Este registro deverá ser composto por contribuintes do ICMS.1.CAMPO 03 .OBSERVAÇÕES 20A.8.1.1 .5.12 16 Outras Valor que não confira débito ou Crédito do ICMS (com 2 decimais) 12 17 Alíquota Alíquota do (valor inteiro) ICMS 2 1 100 111 N 112 123 N 18 Situação Situação da nota fiscal 124 126 125 126 N X 20A. com valores nos campos monetários (12.4 . 15 e 16) correspondendo à soma dos itens que compõe o mesmo.05 (Convênio ICMS 114/04).1.DOE de 20. deve ser gerado para cada combinação de „alíquota‟.Valem as observações do subitem 11.01.1. 20A.1. „Tipo de Receita‟ e „CFOP‟ um registro tipo 76.1 .683/05 .3 . 20A.1.1.5 – CAMPO 05 – Série.1 pelo art.

por letra, preencher com a respectiva letra ( B ou C). No caso de documentos fiscais de “Série Única” preencher com a letra U; 20A.1.5.2 – Em se tratando dos documentos fiscais de série indicada por letra seguida da expressão “Única” (“Série B-Única”, “Série C-Única”), preencher o campo série com a respectiva letra (B ou C) e a primeira posição do campo subsérie com a letra U, deixando em branco a posição não significativa; 20A.1.5.3 – No caso de documento fiscal de “Série Única” seguida por algarismo arábico (“Série Única 1”, “Série Única 2” etc...) preencher com a letra U. O algarismo respectivo deverá ser indicado no campo Subsérie; 20A.1.5.4 - Em se tratando de documento fiscal sem seriação deixar em branco; 20A.1.6 – CAMPO 06 – Subsérie; 20A.1.6.1 - Em se tratando de documento fiscal sem subseriação deixar em branco as duas posições; 20A.1.6.2 – No caso de subsérie designada por algarismo aposto à letra indicativa da série (“Série B Subsérie 1”, “Série B Subsérie 2” ou “Série B-1”, “Série B-2” etc..) ou de documento fiscal de série Única com subsérie designada por algarismo (“Série Única 1”, “Série Única 2” etc...), preencher com o algarismo de subsérie (“1”, “2” etc...) deixando em branco a posição não significativa. 20A.1.7 - Tabela para preenchimento do campo 09:

TABELA DE CÓDIGO DA IDENTIFICAÇÃO DO TIPO DE RECEITA CÓDIGO 1 2 DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO TIPO DE RECEITA Receita própria Receita de terceiros

20A.1.8 - CAMPO 11 - Valem as observações do subitem 11.1.7; 20A.1.9 - CAMPO 18 – Valem as observações do subitem 11.1.14;

20B - REGISTRO TIPO 77

SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO

DENOMINAÇAO DO CAMPO

CONTEÚDO

TAMANHO

POSIÇÃO

FORMATO

01 02

Tipo CNPJ/CPF

03

Modelo

04 05 06 07

Série Subsérie Número CFOP

08

Tipo de Receita

“77” 2 CNPJ/CPF do tomador do serviço 14 Código do modelo da nota fiscal 22 Série da nota fiscal 2 Subsérie da nota fiscal 2 Número da nota fiscal 10 Código Fiscal de Operação e Prestação 4 Código da identificação do tipo de receita, conforme tabela abaixo 1

1

2

N

3

16

N

17 19 21 23

18 20 22 32

N X X N

33

36

N

37

37

N

09

Número do Item

Número de ordem do item na nota fiscal 3 38 40 N Código do informante serviço do 11 41 51 X

10

Código do Serviço

11

Quantidade

Quantidade do (com 3 decimais)

serviço 13 52 64 N

12

Valor do Serviço

Valor bruto do serviço (valor unitário multiplicado por Quantidade) – com 2 decimais

12 13 Valor do Valor do Desconto Desconto/Despesa Concedido no item (com 2 Aces-sória decimais).

65

76

N

12 14 Base de Cálculo Base de cálculo do ICMS do ICMS (com 2 decimais) 15 Alíquota do ICMS 12 Alíquota Utilizada no Cálculo do ICMS (valor inteiro) 2 CNPJ/MF da operadora de destino 14 (nº Código que designa o usuário final na rede do informante 10

77

88

N

89

100

N

101

102

N

16

CNPJ/MF

103

116

N

17

Código terminal)

117

126

N

20B.1 – OBSERVAÇÕES: 20B.1.1 - Este registro deverá ser composto por contribuintes do ICMS, prestadores de serviço de comunicação e telecomunicação; 20B.1.2 - CAMPO 02 - Valem as observações do subitem 11.1.5; 20B.1.3 - CAMPO 03 - Valem as observações do subitem 11.1.8; 20B.1.4 – CAMPO 04 – Série; 20B.1.4.1 – Em se tratando de documentos com seriação indicada por letra, preencher com a respectiva letra ( B ou C). No caso de documentos fiscais de “Série Única” preencher com a letra U; 20B.1.4.2 – Em se tratando dos documentos fiscais de série indicada por letra seguida da expressão “Única” (“Série B-Única”, “Série C-Única”), preencher o campo série com a respectiva letra (B ou C) e a primeira posição do campo subsérie com a letra U, deixando em branco a posição não significativa; 20B.1.4.3 – No caso de documento fiscal de “Série Única” seguida por algarismo arábico (“Série Única 1”, “Série Única 2” etc...) preencher com a letra U. O algarismo respectivo deverá ser indicado no campo Subsérie; 20B.1.4.4 - Em se tratando de documento fiscal sem seriação deixar em branco; 20B.1.5 – CAMPO 05 – Subsérie;

DOE de 20. 20B.5. 20B.. utilizar a codificação determinada pela Anatel.).6 .01.Para efeito exclusivo de controle do tipo de receita relativa ao serviço prestado...06. 20B.1. 7º do Decreto nº 25.5.20B. 2º do Decreto nº 25. Acrescentado o item 20C pelo inciso VII do art. “Série B Subsérie 2” ou “Série B-1”.Em se tratando de documento fiscal sem subseriação deixar em branco as duas posições. “Série B-2” etc. Nova redação dada ao subitem 20B.7.1.05 (Convênio ICMS 114/05).) ou de documento fiscal de série Única com subsérie designada por algarismo (“Série Única 1”.2 – No caso de subsérie designada por algarismo aposto à letra indicativa da série (“Série B Subsérie 1”.1. “Série Única 2” etc...1. – CAMPO 10 – para efeito exclusivo de controle do tipo de receita relativa ao serviço prestado. preencher com o algarismo de subsérie (“1”.7 – CAMPO 10 .683/05 .7 pelo inciso II do art.137/04 .) deixando em branco a posição não significativa.1.1.DOE de 29.04 (Convênio ICMS 20/04). “2” etc.REGISTRO TIPO 85 – Informações de Exportações Nº Denominação do Campo Conteúdo Tama- Posição For- .Tabela para preenchimento do campo 08: TABELA DE CÓDIGO DA IDENTIFICAÇÃO DO TIPO DE RECEITA CÓDIGO 1 2 DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO TIPO DE RECEITA Receita própria Receita de terceiros 20B. informar o código do serviço utilizado pelo contribuinte que deve ter como limite máximo (11) onze dígitos.1 . 20C .

nho

mato

01 Tipo
02 Declaração de Ex-portação

“85”
Nº da Declaração de Exportação

02
11

01
03

02
13

X
N

Nova redação dada ao campo 02 do item 20C REGISTRO TIPO 85 pelo inciso I do art. 4º do Decreto nº 28.484/07 DOE de 11.08.07 (Convênio ICMS 70/07).
02 Declaração de Exportação/Declaração Simplificada de Exportação 03 Data da Declaração
04 Averbação

Nº da Declaração de Exportação/Nº Declaração Simplificada de Exportação Data da Declaração de Exportação (AAAAMMDD)
Informação quanto à averbação do Despacho de Exportação. (Preencher com “S”- SIM ou “N” – Não)

11

03

13

N

08
01

14
22

21
22

N
X

Nova redação dada ao campo 04 do item 20C pelo inciso I do art. 7º do Decreto nº 25.912/05 - DOE de 19.05.05 (Ajuste SINIEF 02/05). NOTA: Vigor a partir de 01.07.05.

04

Natureza da Exportação

Preencher com: “1” – Exportação Direta “2” – Exportação Indireta

01

22

22

X

Nova redação dada ao campo 04 do item 20C REGISTRO TIPO 85 pelo inciso II do art. 4º do Decreto nº 28.484/07 DOE de 11.08.07 (Convênio ICMS 70/07).
04 Natureza Exportação da Preencher com: "1" – Exportação Direta "2" – Exportação Indireta "3" – Exportação Direta Regime Simplificado "4" – Exportação Indireta 01 22 22 X

05 Registro de portação 06 Data do Registro

Regime Simplificado Ex- Nº do registro Exportação Data do Registro Exportação

de de

12 08

23 35

34 42

N N

07 08 09

10

(AAAAMMDD) Conhecimento de Nº do conhecimento de embarque embarque Data do Conheci- Data do conhecimento de mento embarque (AAAAMMDD) Tipo do Conheci- Informação do tipo de mento conhe-cimento de transporte (Preencher conforme tabela de tipo de do-cumento de carga do SISCOMEX - anexa) País Código do país de destino da mercadoria (Preencher conforme tabela do SISCOMEX)
Comprovante de

16 08 02

43 59 67

58 66 68

X N N

04

69

72

N

11 Comprovante de Ex-portação Número do Exportação

08

73

80

N

Nova redação dada ao campo 11 do item 20C pelo inciso I do art. 7º do Decreto nº 25.912/05 - DOE de 19.05.05 (Ajuste SINIEF 02/05). NOTA: Vigor a partir de 01.07.05. 11 Reservado
12 Data do comprovante exportação

Preencher com zeros
de Data do comprovante exportação (AAAAMMDD) de

08
08

73
81

80
88

N
N

Nova redação dada ao campo 12 do item 20C pelo inciso I do art. 7º do Decreto nº 25.912/05 - DOE de 19.05.05 (Ajuste SINIEF 02/05). NOTA: Vigor a partir de 01.07.05.

12 Data da Averbação da Data da averbação da 08 Declaração de Declaração de exportação

81

88

N

Exportação
13 Nota Fiscal de Exportação

(AAAAMMDD)
Número de Nota Fiscal de Exportação emitida pela Comercial Exportadora ou “Trading Company” 06 89 94 N

Nova redação dada ao campo 13 do item 20C pelo inciso I do art. 7º do Decreto nº 25.912/05 - DOE de 19.05.05 (Ajuste SINIEF 02/05).

NOTA: Vigor a partir de 01.07.05.
13 Nota Fiscal Exportação 14 Data da emissão de Número de Nota Fiscal de 06 Exportação emitida pelo Exportador Data da emissão da NF de 08 exportação/revenda (AAAAMMDD) Código do modelo da NF 02 Série da Nota Fiscal 03 Brancos 19 89 94 N

95

102

N

15 Modelo 16 Série 17 Brancos

103 105 108

104 107 126

N N X

20C.1 - OBSERVAÇÕES: 20C.1.1 - Este registro se destina a informar dados relativos à exportação, obrigatório para as Empresas Comerciais Exportadoras e “Trading Companies”;

Nova redação dada ao subitem 20C.1.1 pelo inciso II do art. 7º do Decreto nº 25.912/05 - DOE de 19.05.05 (Convênio ICMS 12/05). NOTA: Vigor a partir de 01.07.05.

20C.1.1 - Este registro se destina a informar dados relativos à exportação, obrigatório para os exportadores, inclusive Comerciais Exportadoras e “Trading Companies;

Caso haja mais de uma nota fiscal vinculada a uma mesma Declaração de Exportação.2 . deverão ser gerados tantos registros quantos documentos fiscais existirem.912/05 .Deverá ser gerado um registro 85 para cada Registro de Exportação vinculado a uma mesma Declaração de Exportação.07.1.1.1.Deverá ser gerado um registro 85 para cada Registro de Exportação vinculado a uma mesma Declaração de Exportação.Deverá ser gerado um registro 85 para cada Declaração de Exportação averbada e no arquivo do período de referência em que ocorrer a averbação. 20C.Deverá ser gerado um registro 85 para cada Declaração de Exportação averbada.A obrigatoriedade de informar esse registro não dispensa a obrigatoriedade de informar os registros tipo 50. 4º do Decreto nº 28. 20C.1. 20C.05.2 .1.DOE de 19.4 .484/07 .05 (Convênio ICMS 12/05) NOTA: Vigor a partir de 01.3 .CAMPO 09: Preencher conforme tabela de “Tipo de documento de carga” do SISCOMEX: . 20C.07 (Convênio ICMS 70/07).20C.08. Nova redação dada ao item 20C.4 pelo inciso III do art.1.4 .1. 20C. Nova redação dada ao subitem 20C.DOE de 11. 54 e 75 relativos aos documentos fiscais de exportação.1. Neste caso preencher os campos 5 e 6 com zeros. 7º do Decreto nº 25.1.. 20C.2 pelo inciso II do art.6 .5 . Também deverá ser gerado um registro 85 nos casos de Declaração Simplificada de Exportação.05.

20C1.08.“PROPRIO” Campo 08 .Para os casos de não existência de Conhecimento de Embarque.CÓDIGO 01 02 03 04 06 07 08 09 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 91 92 93 99 DENOMINAÇÃO AWB MAWB HAWB COMAT R. nas operações de exportação. EXPRESSAS AV7 BL MBL HBL CRT DSIC COMAT BL RWB HRWB TIF/DTA CP2 NÂO IATA MNAO IATA HNAO IATA OUTROS Acrescentado o subitem 20C.7 pelo art. REXPRESSAS HR.DOE de 11.“99” .1.7 . EXPRESSAS ETIQ.484/07 . 5º do Decreto nº 28.zeros Campo 09 .07 (Convênio ICMS 70/07). preencher os seguintes campos do Registro 85 conforme abaixo: Campo 07 .

20D .04 (Convênio ICMS 18/04). 7º do Decreto nº 25.REGISTRO TIPO 86 – Informações Complementares de Exportações Nº Denominação do Campo Conteúdo Tamanho Posição Formato 01 Tipo “86” 02 Registro de Nº do registro de Exportação Expor-tação 03 Data do Registro Data do Registro de Exportação (AAAAMMDD) CNPJ do contribuinte Produtor/Industrial/Fabricante que promo-veu a remessa com fim específico Inscrição Estadual do contribuinte Produtor/Industrial/Fabricante que promoveu a remessa com fim específico Unidade da Federação do Produtor/Industrial/Fabricante que promoveu remessa com fim específico Nº da Nota Fiscal de remessa com fim específico de exportação recebida Data de emissão da Nota Fiscal da remessa com fim específico (AAAAMMMDD) Código do modelo do documento fiscal Série da Nota Fiscal Código do produto adotado no registro tipo 75 quando do registro de entrada da Nota Fiscal de remessa com fim 02 12 08 01 03 15 02 14 22 X N N 04 CNPJ do remetente 14 23 36 N 05 Inscrição Estadual remetente 14 37 50 X do 06 Unidade da Federação 02 51 52 X 07 Número de Nota Fiscal 08 Data de emissão 06 53 58 N 08 59 66 N 09 Modelo 10 Série 11 Código Produto 02 03 14 67 69 72 68 71 85 N N X do .06.Acrescentado o item 20D pelo inciso VIII do art.137/04 .DOE de 29.

2 . NOTA: Vigor a partir de 01.05 (Convênio ICMS 12/05).1.1 pelo inciso III do art.12 13 14 15 16 específico Quantidade Quantidade.05.1.1 . efetivamente exportada. 20D. do produto declarado na Nota Fiscal de remessa com fim específico recebida (com três decimais) Valor unitário do Valor unitário do produto (com produto duas decimais) Valor do Produto Valor total do produto (valor unitário multiplicado pela quantidade) – com 2 decimais Relacionamento Preencher conforme tabela de códigos de relacionamento entre Registro de Exportação e Nota Fiscal de remessa com fim específico – Tabela A Brancos Brancos 11 86 96 N 12 12 97 109 108 120 N 01 121 121 N 05 122 126 X 20D. 20D. obrigatório para as Empresas Comerciais Exportadoras e “Trading Companies”. 7º do Decreto nº 25.Este registro se destina a informar dados relativos à exportação. obrigatório para as Empresas Comerciais Exportadoras e “Trading Companies”.1 .OBSERVAÇÕES: 20D.1.DOE de 19.1.07.912/05 .05.Deverá ser gerado um registro “86” para cada Nota Fiscal de remessa com fim específico de exportação relacionada com o . Nova redação dada ao subitem 20D.Este registro se destina a informar dados relativos a remessa com fim específico de exportação com declaração de exportação averbada.1 .

Nova redação dada ao item 20D.Deverá ser gerado um registro “86” para cada registro de exportação emitido. 20D.CAMPO 15 – Preencher o campo conforme códigos contidos na tabela abaixo: Código de Relacionamento entre Registro de Exportação e Nota Fiscal de remessa com fim específico: CÓDIGO 0 (zero) DESCRIÇÃO Código destinado a especificar a existência de relacionamento de um Registro de Exportação com uma NF de remessa com fim específico (1:1).registro de exportação em questão. 1 Código destinado a especificar a existência de relacionamento de um Registro de Exportação com mais de uma NF de remessa com fim específico (1:N).4 .08.07 (Convênio ICMS 70/07).4 pelo inciso IV do art.4 – campo 15 – Preencher o campo conforme códigos contidos na tabela abaixo CÓDIGO 0 (zero) DESCRIÇÃO Código destinado a especificar a existência de relacionamento de um Registro de Exportação com uma NF de remessa com fim específico (1:1) Código destinado a especificar a existência de relacionamento de um Registro de Exportação com mais 1 .DOE de 11.1. 2 Código destinado a especificar a existência de relacionamento de mais de um Registro de Exportação com somente uma NF de remessa com fim específico (N:1). 4º do Decreto nº 28. 20D.1. mesmo que isso implique em repetição de informações sobre a Nota Fiscal emitida com fim específico.1.1.484/07 .3 . 20D.

...de uma NF de remessa com fim específico (1:N) Código destinado a especificar a existência de relacionamento de mais de um Registro de Exportação com somente uma NF de remessa com fim específico (N:1) Código destinado a especificar exportação através da DSE . Os campos 4 e 5 se repetirão para totalizar todos os tipos de registros existentes no arquivo magnético... e .registro com “lay-out” flexível. 11 e 90.... .. 40 .1. 54 e 75 relativos aos documentos fiscais recebidos com o fim específico de exportação..5 . Número de registros tipo 90 1 N N X 31 32 N 33 .. N ..Declaração Simplificada de Exportação 2 3 20D..1 . ... 21 – REGISTRO TIPO 90 TOTALIZAÇÃO DO ARQUIVO Nº DENOMINAÇÃO DO CONTEÚDO CAMPO TAMANHO POSIÇÃO 1 3 17 2 16 30 FORMATO 01 02 03 04 05 ... 126 126 N 21... exceto os tipos 10....1 .OBSERVAÇÕES 21.. 06 Tipo “90” 2 CNPJ/MF CNPJ/MF do informante 14 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do 14 informante Tipo a ser Tipo de registro que será totalizado totalizado pelo próximo campo 2 Total de registros Total de registros do tipo informado no campo anterior 8 ..1.........A obrigatoriedade de informar esse registro não dispensa a obrigatoriedade de informar os registros tipo 50..

Os registros fiscais poderão ser mantidos em características e especificações diferentes. contidos no arquivo magnético. seguindo as seguintes diretrizes: 21. 22 . 21. 21.4. 21.a posição 126 de todos os registros tipo 90 sempre conterá o número de registros tipo 90 existentes no arquivo. 11 e 90.3.6 – CAMPO 06 21. 21.LISTAGEM DE ACOMPANHAMENTO .será formado pelo número de registros especificados no campo anterior.1.um Total Geral de registros. gabarito de registro ("lay-out") dos arquivos e listagens de programas.o limite máximo do registro é de 126 posições. 21.1.1 .INSTRUÇÕES GERAIS 22. acrescentar tantos registros tipo 90 quantos forem necessários. 21. dispensada a indicação de tipos não informados. 22.5.1.1.1. 21.1.2 .as posições não utilizadas (anteriores à posição 126) devem ser preenchidas com brancos.O contribuinte usuário de sistema eletrônico de processamento de dados deverá fornecer.6. incluindo os registros tipo 10.2 .3. 22. entende-se que este corresponde ao somatório de todos os registros contidos no arquivo.3 . 3 e 6 em todos os registros de tipo 90 existentes no arquivo.5 – CAMPO 05 21.caso as 126 posições não sejam suficientes para totalizar todos os tipos de registros. quando exigidos. documentação técnica minuciosa. 23 .CAMPO 04 21.1.2 .O fornecimento dos registros fiscais de forma diversa da prevista no subitem anterior dependerá de consulta prévia ao Fisco estadual ou à Receita Federal.5.4 . 11 e 90.1.manter iguais os campos 1. sendo dispensada a informação de total de tipo 10.quando for informado o Total Geral.4.1.1 .1 . conforme o caso.1.deverá conter o tipo de registro do arquivo magnético que será totalizado no campo a seguir. este campo deverá ser preenchido com “99”.2 – no último dos registros tipo 90 incluir um campo para o Total Geral de registros do arquivo. sejam fornecidos nas condições previstas neste manual. completa e atualizada do sistema.1. contendo descrição. 21.1. quando solicitado. desde que.1 .2 . 2.3 .1.

2 ..1 .. 23.6 . registros.1. 23. quando aplicável. 23. registros.. . contendo as seguintes informações: 23.endereço completo do estabelecimento informante. no formato 99...08 (Convênio ICMS 136/07).1. cada tipo em uma linha: tipo 10 = tipo 11 = tipo 50 = tipo 51 = tipo 53 = tipo 54 = tipo 55 = 1 .marca e modelo do equipamento utilizado na geração do arquivo.1.. registro..3 ..5 .1 .1.1.23. registros.CNPJ do estabelecimento informante. ..inscrição estadual do estabelecimento informante.O arquivo em meio magnético será apresentado com Listagem de Acompanhamento. 23. 23..tamanho do bloco e densidade de gravação.indicação dos totais por tipo de registro.1..1..999/9999-99..999.7 .9 .. registros.nome comercial (razão social/denominação) do estabelecimento informante..01.030/08 ... .período abrangido pelas informações contidas no arquivo. registros. indicando apenas os tipos existentes no arquivo magnético..DOE de 29. 23.. Acrescentado o tipo 57 pelo inciso IV do art.1.1..... 23.8 . . 3º do Decreto nº 29.indicação do meio magnético (fita ou disquete) apresentado com o respectivo total de mídias. . . registros.4 .. 23.

.CAMPO 01 .preencher com o número da inscrição estadual do estabelecimento no cadastro de contribuintes do ICMS do estado da Paraíba. de acordo com a situação: Sim .CAMPO 02 ..... registros..... registros.preencher com o número da inscrição do estabelecimento no Cadastro Geral de Contribuintes do Ministério da Fazenda CNPJ/MF.2 – a Listagem de Acompanhamento aqui especificada.. 24 . registros.identificação do Contribuinte: 24.2.1 ...1 .. registros...Primeira Apresentação . Não . ...Inscrição Estadual .RECIBO DE ENTREGA A apresentação do arquivo será acompanhada de Recibo de Entrega..Dados Gerais: 24. preenchido em três (3) vias pelo estabelecimento. registros.total geral de registros no arquivo..2.CAMPO 03 . 24.1.. será substituída por Recibo de Entrega gerado pelo seu programa validador.. 23.no caso de primeira apresentação de cada período solicitado..1 . ... 23. .. .2 .1. . registros.tipo 57 = tipo 60 = tipo 61 = tipo 70 = tipo 71 = tipo 75 = tipo 90 = ..CNPJ/MF .. 24.assinalar com um "X" uma das seguintes opções.10 .2 .. obedecidas as seguintes instruções: 24.no caso de retificação à primeira apresentação.. registros. .

CAMPO 06 .telefone . acompanhada .FORMA. 24.1 .Responsável pelo Processamento .24.3 .1 .3 .não preencher. 24. 25 .Responsável pelo Recebimento .CAMPO 11 .5 . poderá ser substituído por Recibo de Entrega gerado pelo seu programa validador.2 .Meio Magnético Entregue . LOCAL E PRAZO DE APRESENTAÇÃO A entrega do arquivo magnético será efetivada segundo instruções complementares ou intimação lavrada pela autoridade competente. 24.3.CAMPO 04 .2 .anotar a quantidade de mídias apresentadas do arquivo magnético. do responsável pelo estabelecimento.CAMPO 10 .2 .CAMPO 07 .assinalar com um "X" conforme a situação.3 .3 .Data .CAMPO 13 .lançar a assinatura.Nome .Para uso da Repartição: 24. 24.Especificação do Arquivo Entregue: 24.4. 24.3. 24. 24.4 .CAMPO 12 .1 .5.Número de Mídias do Arquivo .Indicar o número do telefone para contatos.Nome Comercial (Razão Social/Denominação) preencher com o nome comercial (razão social/denominação) do estabelecimento.2. 24.CAMPO 09 .Assinatura .4 . em todas as vias.CAMPO 05 . 24.não preencher.Período – indicar a data inicial e final (DD/MM/AAAA a DD/MM/AAAA) dos registros contidos no arquivo. 24. uso da repartição fazendária. Evitar abreviaturas.4.CAMPO 08 .indicar o nome do responsável pelo estabelecimento.Responsável pelas Informações: 24.5.indicar a data de preenchimento do formulário. a critério da unidade federada.6 – O Recibo de Entrega aqui especificado.4.4. uso da repartição fazendária.3.

de Listagem de Acompanhamento e do Recibo de Entrega. A listagem será fornecida em papel ou meio magnético.2 .MODELOS DOS LIVROS FISCAIS EMITIDOS POR PROCESSAMENTO ELETRÔNICO DE DADOS 27.3 . o arquivo será devolvido para correção. de 28 de junho de 1995. de acordo com a conveniência da Repartição Fazendária.1.1. utilizando códigos apropriados. sendo permitido: 27. 27.2 .2 .suprimir a coluna destinada a "OBSERVAÇÕES" desde que as eventuais observações sejam impressas em seguida ao registro a que se referir ou ao final do relatório mensal com as remissões adequadas.dimensionar as colunas de acordo com as possibilidades técnicas do equipamento do usuário. 27.1 .1 . emitido em três (3) vias.O arquivo magnético será recebido condicionalmente e submetido a teste de consistência.suprimir as colunas que o estabelecimento não estiver obrigado a preencher. uma das quais será devolvida ao contribuinte.1.Admitir-se-á o preenchimento manual da coluna "OBSERVAÇÕES" para inserir informações que somente possam ser conhecidas após o prazo de emissão do livro fiscal.Constatada a inobservância das especificações descritas neste manual. acompanhado de Listagem Diagnóstico indicativa das irregularidades encontradas.1. como recibo.1 .DOCUMENTOS FISCAIS .Os relatórios que compõem os livros fiscais deverão obedecer aos modelos previstos no Convênio ICMS 57/95. 27 .DEVOLUÇÃO DO ARQUIVO MAGNÉTICO 26. 26 . 26. 27.imprimir o registro em mais de uma linha. 28 .4 . 27.

numerado tipograficamente.1 .2 .28. 28.3 .Considera-se como documento fiscal previsto no SINIEF o formulário numerado tipograficamente. 28. de 28 de junho de 1995. for inutilizado antes de ser numerado pelo sistema eletrônico de processamento de dados. que também for numerado pelo sistema eletrônico de processamento de dados. já numerado pelo sistema eletrônico de processamento de dados. também. hipótese em que o próximo formulário poderá ter a mesma numeração dada pelo sistema ao formulário inutilizado.Serão. aplicando-se-lhe as disposições sobre documentos fiscais estatuídas no SINIEF.Caso o formulário destinado à emissão dos documentos fiscais referidos no subitem anterior. aplicar-se-lhe-ão as regras do inciso V da cláusula décima quarta do Convênio ICMS 57/95. aplicadas as regras do inciso V da cláusula décima quarta do Convênio ICMS 57/95. que for inutilizado por defeito na impressão. . de 28 de junho de 1995. ao formulário.

.

PEDIDO/COMUNICAÇÃO DE USO DE SISTEMA ELETRÔNICO DE PROCESSAMENTO DE DADOS 01 PEDIDO/COMUNICAÇÃO 1 2 3 4 5 USO ALTERAÇÃO DE USO RECADASTRAMENTO CESSAÇÃO DE USO A PEDIDO CESSAÇÃO DE USO DE OFÍCIO 02 PROCESSAMENTO 03 CARIMBO ESTADUAL DE INSC. QUADRO II 04 Nº INSCRIÇÃO ESTADUAL 06 NOME COMERCIAL (RAZÃO SOCIAL/DENOMINAÇÃO) IDENTIFICAÇÃO DO USUÁRIO 05 Nº CNPJ/MF QUADRO III LIVROS FISCAIS E/OU DOCUMENTOS FISCAIS EMITIDOS POR SISTEMA ELETRÔNICO DE PROCESSAMENTO DE DADOS 07 CÓDIGOS DOCUMENTOS FISCAIS MODELO MODELO MODELO 08 LIVROS FISCAIS 1 REGISTRO DE ENTRADAS 2 3 4 5 REGISTRO DE SAÍDAS REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE REGISTRO DE INVENTÁRIO REGISTRO DE APURAÇÃO DO ICMS QUADRO IV 09 UCP FABRICANTE/MODELO 11 MEIOS MAGNÉTICOS DISPONÍVEIS 1 DISQUETE 3 ½ 2 DISQUETE 5 ¼ ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 10 SISTEMA OPERACIONAL: 3 FITA MAGNÉTICA 4 OUTROS _______________ 12 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO 13 SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCOS DE DADOS QUADRO V 14 16 17 19 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO ONDE SE LOCALIZA A UCP 15 Nº INSCRIÇÃO CNPJ/MF 18 NÚMERO 23 TEL/FAX Nº INSCRIÇÃO ESTADUAL/MUNICIPAL NOME COMERCIAL (RAZÃO SOCIAL/DENOMINAÇÃO) LOGRADOURO COMPLEMENTO 20 MUNICÍPIO 21 UF 22 CEP QUADRO VI 24 NOME DO SIGNATÁRIO 26 CARGO NA EMPRESA 28 DATA ______/______/__________ RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES 25 TELEFONE/FAX CPF / Nº IDENTIDADE ASSINATURA 27 _________________________________________________ QUADRO VII PARA USO DA REPARTIÇÃO FAZENDÁRIA .

29 RECEBIDO EM ______/______/__________ 30 AUTORIZADO O PEDIDO EM ______/______/__________ 31 PROCESSADO EM ______/______/__________ SIM NÃO PROTOCOLO Nº _____________ _______________________ ASSINATURA 32 VISTO/CARIMBO DA RECEITA FEDERAL __________________________ ASSINATURA ________________________________________________________________ ____________________________ ASSINATURA/MATRÍCULA 01 PRIMEIRA APRESENTAÇÃO? SIM RECIBO DE ENTREGA DE ARQUIVO MAGNÉTICO NÃO IDENTIFICAÇÃO DO CONTRIBUINTE 02 INSCRIÇÃO ESTADUAL |___|___|___|___|___|___|___|___|___|___|___|___|___| 04 NOME COMERCIAL (RAZÃO SOCIAL / DENOMINAÇÃO) 03 CNPJ/MF ESPECIFICAÇÃO DO ARQUIVO ENTREGUE 0 MEIO MAGNÉTICO ENTREGUE 5 .

.../ -------------- DATA ---------../ ---------------- ------------------------------------------......./ ----------.-------------------------ASSINATURA MATRÍCULA ___________________________ _________________ ASSINATURA MATRÍCULA ..........FITA MAGNÉTICA (ESPECIFICAR) DISCO FLEXÍVEL 3 ½” DISCO FLEXÍVEL 5 ¼” OUTROS (ESPECIFICAR) _______________________________________________.____________________________________________ __ 0 6 NÚMERO DE MÍDIAS DO ARQUIVO 07 PERÍODO |___|___|___|___|___|___|___|___| A |___|___|___|___|___|___|___|___| RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES 0 8 NOME 09 TELEFONE 1 0 DATA 11 ASSINATURA ____ / _____ / ________ __________________________________________________________________ PARA USO DA REPARTIÇÃO 1 2 RESPONSÁVEL PELO RECEBIMENTO 13 RESPONSÁVEL PELO PROCESSAMENTO DATA ------./ --------------..___________________________________________ ____ ______________________________________________.

99 TOTAL IPI 1 2 99.999.99 99. (a) BASE DE CÁLCULO VALOR DA OPERAÇÃO ALÍQ.999.99 TOTAL 9 1 2 3 99.999.99 XXXXXX 9. (a) (a) CÓDIGO DE VALORES FISCAIS 1 – OPERAÇÕES COM CRÉDITO DO IMP CNPJ (MF): MÊS OU PERÍODO/ANO: CODIFICAÇÃO 2 – OPERAÇÕES SEM CRÉDITO DO IMP 3 – OPERAÇÕES SEM CRÉDITO DE IMP VALORES FISCA ENTRADA IPI VALOR DA OPERAÇÃO 99/99/99 XXXXX XXX 999999 99/99/99 XXXXXXXXXX XX 99.999.999.99 99.999.999.999.99 TOTAL ICMS 1 2 3 99.999.99 99/99/99 XXXXX XXX 999999 99/99/99 LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS – RE – MODELO P1/A REGISTRO DE ENTRADAS FIRMA: INSC. EST.9 CREDITADO 9. IMPOSTO UF ORIGEM VALOR CONTÁBIL FISCAL CÓ SUBSÉRIE DOCUMENTO EMITENTE XXXXXXXXXX CONTÁBIL XX 99.99 99.999.999.999.999.99 .99 ICMS IPI 9 19 99.999.999.999.99 9.999.999.99 XXXXXX 9.999.999.999.99 99.999.999.: FOLHA: DOCUMENTOS FISCAIS VALOR DATA DE ESPÉCIE SÉRIE SUBNÚMERO SÉRIE DATA DO CÓDIGO UF CONTÁBIL DOCUMENTO EMITENTE ORIGEM CONTÁBIL FISCAL ICMS BASE DE CÁLCULO CÓD.99 99.99 99.999.99 99.999.999.999.99 99.: FOLHA: DATA DE ESPÉCIE ENTRADA SÉRIE CNPJ (MF): MÊS OU PERÍODO/ANO: DOCUMENTOS FISCAIS NÚMERO DATA DO CÓDIGO (a) C 1 2 TR 3 CODIFICAÇÃO ICMS VALORES FISCAIS CÓD.999.999.REGISTRO DE ENTRADAS – RE – MODELO P1 REGISTRO DE ENTRADAS FIRMA: INSC.999. EST.

999.999. EST.999.99 99.999.99 99.999.999.999.999.999 99 XX 99.999. EST.999.999.9 99. LIVRO REGISTRO DE SAÍDAS – RS – MODELO P2/A REGISTRO DE SAÍDAS FIRMA: INSC.99 99.99 99 .999.99 99.9 99.99 99.3 99.: FOLHA: DOCUMENTOS FISCAIS VALOR ESPÉCIE SÉRIE NÚMERO DIA UF CONTÁBIL CONTÁBIL SUBSÉRIE DESTINO IPI FISCAL ICMS BASE DE CÁLCULO ALÍQ.99 LIVRO REGISTRO DE SAÍDAS – RS – MODELO P2 REGISTRO DE SAÍDAS FIRMA: INSC.999.999.99 99.999.9 99.9 99.999. OPERAÇÕES COM DÉBITO DO IMPOSTO IMPOSTO DEBITADO VALORES FISC OP IS NÃO XXXXX XXX 999.9 99.999.99 XXXXXX 9.999.99 99.: FOLHA: DOCUMENTOS FISCAIS ESPÉCIE SÉRIE SUBSÉRIE NÚMERO DIA CNPJ (MF): MÊS OU PERÍODO/ANO: CODIFICAÇÃO UF DESTINO VALOR CONTÁBIL CONTÁBIL FISCAL BASE DE CÁLCULO ALIQ. 99.999.9 99.999.999.99 99. 99.999.99 XXXXXXXX 9.99 ICMS IPI ICMS IPI 99.999.999.99 99 TOTAL 99.999.99 99.99 99.999.999.999 99 XX 99.999.999.99 99.999.999. TOTAL 99.999. IMPOSTO DEBITADO CNPJ (MF): MÊS OU PERÍODO/ANO: CODIFICAÇÃO VALORES FISCAIS OPERAÇÕES COM DÉBITO DO IMPOSTO OPER ISE NÃO-T XXXXX XXX 999.999.999.

999 9. 999 999 99.999.99.999.999.99 .999. 999 99.999.99 9 XXXXX 9 X S 9 *SUB TOTAL 9 E S 9 9 ** *SUB TOTAL 9 9 TOTA PERÍO L DO DO E S (PRODUTO ) 9.: FOLHA: PRODUTO: XXXXXXXXXXXXXXXXXX 9999. 999 99.999.9999 (a) CÓDIGO DE ENTRADAS E SAÍDAS 1 – NO PRÓPRIO CNPJ (MF): ESTABELECIMENTO MÊS OU PERÍODO/ANO: UNIDADE: XXXXX CLASSIFICAÇÃO FISCAL: 2 – EM OUTRO ESTABELECIMENTO 3 – DIVERSAS DOCUMENTO LANÇAMENT O DATA DI A ENTRADAS E SAÍDAS ESTOQUE OBSERVAÇ ÕES ESPÉC IE SÉRIE SUBSÉ RIE NÚME RO CODIFICAÇÃ E/ CÓD. 999 99.999.999.999.999 .999 9.999.999. EST.99 9 XXXXX 9. 999 99.999.99 99.999.999. 999 99.( QUANTIDA O a) S DE CONTÁ FISC BIL AL VALOR IPI XXXX X XXXX X XXX XXX 999999 99.999.99.999 .999.99 X E 999999 99. 999 .999.99 .99 X 9 X 9.999. 999 9.999.999.99.999.999. 999 99.999. 999 99.999.99 99.REGISTRO CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE – RCPE – MODELO P3 REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE FIRMA: INSC.999.999. 99.

.

999.999.999.999.999.99 99.99 99.LIVRO REGISTRO DE INVENTÁRIO – RI – MODELO P7 REGISTRO DE INVENTÁRIO FIRMA: INSC.99 .999.999.999.999.99 99.999.999.99 99.99 9.99 99.999.99 99.999.999.999.99 CODIFICAÇÃO CONTÁBIL FISCAL ICMS – VALORES FISCAIS VALORES CONTÁBEIS 99.99 99.99 99.999.99 99.00 DO ESTADO 99.99 SAÍDAS 99.999.99 99.999.99 99.99 99.999.999.99 99.999.999.999.99 9.999.999.999.99 99.999.99 99.99 SUBTOTAIS ENTRADAS 99.999.999.999.999.99 99.999.999.99 99.999.999.99 99.999.99 2.9 9 9 LIVRO REGISTRO DE APURAÇÃO DO ICMS – RAICMS – MODELO P9 REGISTRO DE APURAÇÃO DO ICMS FIRMA: INSC.999.999.999.999.999.99 99.999 999.999.99 99.999.999.99 99.99 99.999.99 99.99 9.999. EST.999.999.999.999.999.999.999.999.999.99 99.999.999.999.99 99.999.999.99 99.99 99.999.99 TOTAIS 99.999.999.999.999.999.999.999.99 99. EST.99 99.999.999.99 3.999.999.999.999.999.999.999.: FOLHA: CNPJ(MF): MÊS OU PERÍODO/ANO: ENTRADAS CODIFICAÇÃO VALORES CONTÁBEIS ICMS – VALORES FISCAIS OPERAÇÕES COM CRÉDITO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO IMPOSTO CREDITADO OPERAÇÕES SEM CRÉDITO DO IMPOSTO ISENTAS OU N/TRIBUTADAS OUTRAS CONTÁBIL FISCAL XXXXXX XXXXXX XXXXXX 9.999.999.999.999.999.99 99.999.00 DE OUTROS ESTADOS 99.999.999.999.99 99.99 99.999.9 999.99 1.99 99.999.99 99.999.999.999.999.999.999.99 9.99 99.999.99 99.999.99 99.99 99.999.99 99.999.999.99 99.: FOLHA: CLASSIFICAÇÃ O FISCAL CNPJ (MF): ESTOQUES EXISTENTES EM: DISCRIMINAÇÃO VALORES UNIDAD QUANTIDAD UNITÁRIO TOTAL E E XX XX X XX XX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX X XX 999.99 OPERAÇÕES COM DÉBITO DO IMPOSTO OPERAÇÕES SEM DÉBITO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO IMPOSTO DEBITADO ISENTAS OU NÃOTRIBUTADAS OUTRAS XXXXXX XXXXXX XXXXXX 9.999.99 99.999.999.99 99.999.999.99 99.00 DO EXTERIOR 99.

999.99 SOMAS 999.POR SAÍDAS/PRESTAÇÕES COM DÉBITO D IMPOSTO É B I T O 002 – OUTROS DÉBITOS (DISCRIMINAR ABAIXO) XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX DO 999.999.999.999.999.999.999.999.99 999.999.999.999.999.999.99 999.99 004 – SUBTOTAL 999.999.999.99 999.99 99.999.999.999.99 99.999.999. EST.999.99 99.99 99.999.999.99 99.999.999.99 001 .999.999.999.999.SUBTOTAIS SAÍDAS 5.99 7.999.99 LIVRO REGISTRO DE APURAÇÃO DO ICMS – RAICMS – MODELO P9 RESUMO DA APURAÇÃO DO IMPOSTO FIRMA: INSC.999.999.999.999.999.99 TOTAIS 99.999.999.999.999.999.99 6.99 999.99 99.00 PARA OUTROS ESTADOS 99.99 99.999.999.99 99.999.99 003 – ESTORNO DE CRÉDITOS (DISCRIMINAR ABAIXO) XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 999.99 99.99 99.99 99.999.999.999.999.99 99.99 999.999.99 99.99 .999.999.99 99.999.99 99.999.999.999.999.00 PARA O EXTERIOR 99.999.999.: CNPJ(MF): FOLHA: MÊS OU PERÍODO/ANO: DÉBITO DO IMPOSTO VALORES COLUNA AUXILIAR 999.999.999.00 PARA O ESTADO 99.999.99 99.

999.999.999.999.99 008 – SUBTOTAL 999.999.POR ENTRADAS/AQUISIÇÕES COM CRÉDITO DO C IMPOSTO R É D I 006 – OUTROS CRÉDITOS (DISCRIMINAR ABAIXO) T O XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 999.999.999.CRÉDITO DO IMPOSTO VALORES COLUNA AUXILIAR SOMAS 005 .999.999.999.99 999.999.999.999.999.999.999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 013 – IMPOSTO A RECOLHER 014 – SALDO CREDOR (CRÉDITO MENOS DÉBITO) A TRANSPORTAR P/O PERÍODO SEGUINTE .99 007 – ESTORNO DE DÉBITOS (DISCRIMINAR ABAIXO) 999.99 APURAÇÃO DO SALDO VALORES COLUNA AUXILIAR SOMAS 999.99 999.999.999.99 S 011 – SALDO DEVEDOR (DÉBITO MENOS CRÉDITO) A L D O 012 – DEDUÇÕES (DISCRIMINAR ABAIXO) XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 999.99 999.999.999.99 99/9.999.999.999.999.999.999.99 009 – SALDO CREDOR DO PERÍODO ANTERIOR 999.999.999.99 999.99 999.99 999.999.99 999.99 999.999.999.999.99 999.999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 999.999.999.99 010 – TOTAL 999.999.99 999.999.999.

999.999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX 999999999999 99/99/99 99.: FOLHA: CÓDIGO DO EMITENTE CNPJ (MF): DATA: EMITENTE DO DOCUMENTO FISCAL FEDER NO CNPJ ESTADUAL AÇÃO XXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXX XXXXXX XX 99.999.99 XXXXXXX 9/9999-99 XXXXXX UNIDA INSCRIÇÃ INSCRIÇÃ DE DA O O .99 XXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 999999999999 99/99/99 99.999.999.INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES GUIAS DE RECOLHIMENTO GUIA DE INFORMAÇÃO NÚMERO DATA (BANCO/REPARTIÇÃO) VALOR ÓRGÃO ARRECADADOR DATA DA ENTREGA LOCAL DA ENTREGA 999999999999 99/99/99 99. EST.999.999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX OBSERVAÇÕES: 99/99/99 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XX LISTA DE CÓDIGOS DE EMITENTES – LCE – MODELO P10 LISTA DE CÓDIGOS DE EMITENTES FIRMA: INSC.

TABELA DE CÓDIGO DE MERCADORIAS – LCP – MODELO P11 TABELA CÓDIGO DE MERCADORIAS FIRMA: INSC. EST.: FOLHA: CÓDIGO DO PRODUTO XXXXXXXXXX CNPJ (MF): DATA: DISCRIMINAÇÃO CLASSIFICAÇÃO FISCAL XXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX .

UF CEP XXXXXXXXXXXXXXXXX 99.999.999.999.999.99 RAZÃO SOCIAL VR.99 999.999.99 999 99.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX 99. ICMS SUBST.999.999.99 999999 X99 99.99 TOTAIS 999.999.999.999.999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX 99.99 FOLHA 99.999.999.999.999.99 XXXXXXXXXXXX 99.99 999.99 XX 99 99999.999.999.99 ESTADO DESTINATÁRIO: XXXXXXXXXXXXXXXXX PRESTAÇÕES INTERESTADUAIS MODELO P13 LISTAGEM DE LPI EMITENTE:: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX PÁGINA: 999.999.999 -999 INSCRIÇÃO EST.999.999.999.999.999.999.999.999.999.999/9999-99 99.999. DO ICMS ENDEREÇO CNPJ.999.999/9999-99 PERÍODO:DE MM/AA A MM/AA CIDADE: XXXXXXXXX UF: XX CEP: 99999 INSCRIÇÃO EST.999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX 99. DO IPI INSC.999.999.999.99 DA 99. VR.999 ENDEREÇO: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX CNPJ: 99.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX 99.99 999.999.999/9999-99 99.999.: XXXXXXXXXXXXXXXXXX EMISSÃO: DD/MM/AAAA DADOS DO CONHECIMENTO DADOS DA CARGA TRANSPORTADA . VR.999.999.999.999.99 999 99.999. ESTADUAL IS/N TRIB DESP ACESS 999999 99. CONTÁBIL BASE DE CÁLC.ESTADO DESTINATÁRIO: XXXXXXXXXXXX OPERAÇÕES INTERESTADUAIS MODELO P12 LISTAGEM DE LP1 – EMITENTE: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX PÁGINA: 999.999.999.999.99 CIDADE VT SUBST B C SUBST X99 DD/MM/AA 999.: XXXXXXXXXXX EMISSÃO:DD/MM/AAAA Nº NF SER EMISSÃO VR.999.999.99 DD/MM/AA 999.999/999999 PERÍODO: DE MM/AA A MM/AA CIDADE: XXXXXXXXXXXXXXXX UF: XX CEP: 99.999.99 XX 99 99999.99 XXXXXXXXXXXXXXXXX 99.999 ENDERE ÇO: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX CNPJ: 99.999.999.99 XXXXXXXXXXXX 99.

Nº EMISSÃO VR.99 X99 99.999/9999-99 99/99/99 99 99/99/99 99.999.999.99 XXX 999999 99.99 10 = TIPO DCTO.: XXXXXXXXXX DD/MM/AAAA DE LP1 – XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX PERÍODO: DE UF: XX CEP: 99999 EMISSÃO: DATA GNR RESSARCIMENTO DD/MM/AA 999999999999 99.999. ICMS CIF/FOB TIPO ESTADUAL: SOCIAL: Nº DOC CNPJ: EMISSÃO INSC.999.999.: NF = NOTA MODELO: 8 = CONHECIMENTO DE TRANSP.99 XXX _____________ TOTAIS DA 999. CONHECIMENTO AÉREO FISCAL 9 = CONHECIMENTO DE TRANSP.999.99 X99 99.999.999.999. CONTÁBIL SÉRIE MODELO VR.99 999.999.999.999.999.99 9999 .999.99 99.999/9999-99 999.999.999. CONTÁBIL DO REMETENTE DO DESTINATÁRIO DO 999999 99. AQUAVIÁRIO DE CARGAS.999.999. RODOVIÁRIO DE CARGAS.999.999.999/9999-99 999.999.999/9999-99 FOLHA _______________ 9.999.999.999 ENDEREÇO: CNPJ: 99.999.999.999.99 99.99 999 NÚMERO VALOR 9999 99.999. OU = OUTROS ESTADO DESTINATÁRIO: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX DADOS RECOLHIMENTO – GNR MODELO P14 EMITENTE: PÁGINA: 999.999.99 99/99/99 99 99/99/99 99.999.999/9999-99 MM/AA A MM/AA CIDADE: XXXXXXXXXXXXXXXX INSCRIÇÃO EST.99 DD/MM/AA VALOR GNR CCD BANCO CÓD AGÊNCIA VALOR DEVOLUÇÃO 999 99. RAZÃO DO DO DO SÉRIE REMETENTE REMETENTE DESTINATÁRIO DESTINATÁRIO XX 999999 XXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXX X99 XXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXX XX 999999 XXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXX X99 XXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXX VR.999.

999.99 99.99 99.999.999.99 .999.999.99 TOTAIS DA FOLHA 99.99 99.999.999.999999999999 99.99 99.999.999.999.999.999.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful