Você está na página 1de 28
‘TEORIAS ESTRUTURALISTAS E POS- ESTRUTURALISTAS Thomas Bonnici As Novas IDEIAS E intrigante saber o porqué da preocupacio dos formalistas russos ¢ da Escola de Praga sobre a forma © a esirutura das obras literdrias. Seria insuficiente a tradicional andlise da obra literdria? Nao seria perda de tempo discutir algo de segunda importancia, como a estrutura? Discussdes sobre a forma dos textos literdrios nao seriam tediosas e macantes, j4 que deslocam a nossa aten¢io do prazer da leitura de um romance ou de um poema para a discussio sobre sua forma c estrutura? Muitas pessoas, habituadas ao método critico humanista, sentem que a discussio sobre a forma e a estrutura dos textos ameaga sua experiéncia de leitura. Para muitos, isso subverte 0 espirito c a liberdade do romance ou do poema, implode a perspectiva humanista supostamente subjacente e introduz uma abordagem depreciativa a literatura e a cultura. E interessante notar que, 3 semelhanga das “provocagées” dos formalistas russos, as abordagens dos estruturalistas desafiam certos conceitos arraigados no leitor. Para muitos a obra literétia € 0 produto da criatividade do autor e expressa o seu intimo. Ou seja, 0 texto € 0 lugar onde comungamos ‘0s pensamentos e os sentimentos do autor. Outros assumem que o texto do romance ou da pega teatral nos revela como sao as coisas realmente. Nao se pode, todavia, prescindir da forma ¢, mais ainda, da estrutura. Parece que a arte exige forma e estrutura. Por mais préximo que um romance esteja da realidade, ¢ 0 produto ¢ o resultado de muitas decis6es, que envolvem a forma e aestrutura com que 0 “material” seria apresentado ao leitor. Para os formalistas, a forma esté intimamente ligada ao significado. Para os estruturalistas, a estrutura € a condicio para que o significado seja compreendido. Em outras palavras, a estrutura contribui para que o significado do texto literério venha 3 tona Enquanto os formalistas russos desenvolviam seus trabalhos literérios sobre a forma, iniciava-se talvez 0 derradeiro esforco literério para 0 controle e a explicagio da realidade histérica, Yeats, Eliot, Pound, Joyce, Lawrence insistiam sobre o antropocentrismo da literatura € da compreensio exaustiva da realidade através do texto literério. @owwies Aperspectiva humanista de andlise textual faz com que o leitor fique quase alheio As estruturas que funcionam na formagio do significado. Tem-se a impressio de que 0 autor ¢ 0 leitor criam 0 significado. Nao € verdade que criamos o significado quando queremos expressar algo através da linguagem, da misica, da pintura, da coreografia? Parece que o significado 6 criado por nds ¢ jamais pela estrutura fria, intocével e invisivel. Apesar dessas indagacées, a “morte” do autor jé foi declarada pelos estruturalistas, os quais também afirmam que o discurso literério carece do conceito “verdade”. Os estruturalistas opGem-se a todas as formas de critica literéria nas quais 0 individuo é a fonte ¢ a origem do significado literdrio, ou seja, jamais pode expressar-se nos textos literérios. O Estruturalismo ¢, portanto, uma pritica interpretativa que procura certa ordem e inteligibilidade nas intimeras possibilidades de padres do texto. O critico estruturalista € capaz de isolar os padres significativos de signos a partir dos quais poder4 chegar a conclusdes sobre o significado ea cultura que estio sendo transmitidos e pesquisados. A BASE LINGUISTICA O Estruturalismo tem sua origem na obra do linguista suio Ferdinand de Saussure (1857- 1913), que revolucionou o estudo da linguagem no inicio do século XX. A linguistica do século XIX consistia em trabalhos filolégicos, ou seja, estava interessada na histéria das Iinguas naturais € formulava as leis que regiam os processos de alteracdes linguisticas. Seu interesse, portanto, consistia em reconstruir a maneira pela qual as virias linguas europeias se desenvolveram diacronicamente. No mesmo século houve também o trabalho dos gramiticos, que sistematizavam as regras gramaticais que usamos inconscientemente quando falamos ou escrevemos. Os gramiticos analisavam insténcias individuais da linguagem (mais tarde chamadas de parole por Saussure) para obter as regras gramaticais. A abordagem de Saussure era algo completamente diferente. A abordagem diacrénica foi abandonada e a linguagem comecou a ser tratada do ponto de vista a-hist6rico ¢ abstrato. Perguntava-se: Como é que a langue funciona? E a pergunta fundamental de Saussure, a qual deu inicio a linguistica moderna. A finalidade de Saussure, portanto, era Proporcionar entendimentos que seriam vélidos para todas as Iinguas e para todos as funcdes da lingua. Os principios basicos da linguistica saussuriana so: (1) a linguagem deve ser coneebida como um sistema de significantes (Saussure no usou 0 termo estrutura); (2) os significantes s40 arbitrarios, j4 que o significado nao Ihes di uma forma especifica; (3) os significantes tém a atual forma devido a sua diferenga de outros significantes. Vamos entender melhor esses princfpios. Os significantes so as palavras faladas ou escritas: livro, cdo, ilha. Sabe-se que essas palavras, referentes a objetos conhecides no nosso dia-a-dia, so diferentes em outras linguas (book, dog, island, em inglés; livre, chien, ile, em francés). Compreende-se, portanto, que é arbitrariaa ligacao fundamental entre o significante © o significado. Isso significa que 0 modo de dizer ou escrever ifha nao é uma necessidade. Na realidade, essa ligacio arbitréria tornou-se uma convengio porque, na mesma Iingua, hé um relacionamento padrio entre, por exemplo, o significante ilha e “terra cercada por Agua de todos os lados”, Se no hé relacao entre as palavras e 0 significado, de onde se origina o significante? Saussure responde que vem da diferenciagio: 9 sistema de linguagem esta baseado nas diferencas, Nas palavras porta, morta, torta, corta, aorta, apenas o primeiro fonema é diferente. As palavras, portanto, funcionam num sistema que usa a diferenca para criar seus componentes. Porém encontramos aqui a genialidade da teoria de Saussure, quando diz que o principio da diferenca no apenas cria 08 significantes (palavras), mas também seu sentido. Nesse ponto, a l6gica exigiria que os objetos no mundo real em gue vivemos dessem as palavras 0 seu sentido. Os objetos deveriam dar 0 132 —TEORIA LITERARIA sentido as palavras. Isso no acontece. Se fosse assim, as palavras nao difeririam de uma lingua para outra SIGNIFICADO (0 conceito abstrato de casa) SIGNIFICANTE, REFERENTE ‘Mkaza/ (0 objeto real chamado casa em portugues) Quadro 1. Esquema linguistico de Saussure Para Saussure, o significante (a forma) ¢ o significado (0 sentido) nao podem ser separados. Se trocarmos porta por aorta, teremos nao apenas outro significante (outra forma, ou palavra) mas também um significado completamente diferente. O principio diferenciador nao funciona apenas para distinguir as palavras, mas, ao mesmo tempo, diferenciar os significados. Uma mudanga, por menor que seja, no significante, produz novo significado. Hi outro item extremamente importante. Talvez contrariamente aquilo que normalmente pensamos, 0 significado no é um objeto no mundo real (referente). No dicionario, o verbete peixe € definido como “animal cordado, aquatico, com nadadeiras”. Essa definigao nao se refere a um peixe especifico no mundo real, mas a uma categoria de objetos. Peixe poderia incluir o dourado, a curvina, a sardinha, a piapara ¢ outros. O significado € uma categoria humana e um conceito. Todas as palavras, como amor, pais, crianca, mao, referem-se a conceitos, indiretamente relacionados 20 mundo real. Os significados s4o o resultado de generalizagio e de abstragio. O EsTRUTURALISMO ANTROPOLOGICO s princfpios analisados acima so findamentais para que se compreendam as varias abordagens no campo da literatura que formam o Estruturalismo literario desenvolvido nas décadas de 1960 ¢ 1970. Serdo ainda mais indispensaveis para compreender o Pés-estruturalismo. Seré com tal intuito que analisaremos alguns aspectos do Estruturalismo antropol6gico desenvolvido na década de 1940 pelo francés Claude Lévi-Strauss (nascido em 1908). Emborao Estruturalismo antropolégico exercesse apenas influéncia indireta nos estudos litersrios, stia compreensio ¢ adaptacio pelos estruturalistas € pelos pés-estruturalistas sio grandemente significativas. Um dos prinefpios mais importantes no Estruturalismo antropolégico consiste na concepgio saussuriana de que a linguagem é um sistema de signos regido pela diferenga. O Estruturalismo antropolégico alargou a aplicacao desse principio, estendendo-o a antropologia, ou seja, a0 estudo das culturas “primitivas”. O encontro e a colaboragio entre Roman Jakobson (1896- 1982) e Claude Lévi-Strauss, na New School of Social Research em Nova York, a partir de Tuomas Bonwict / Lucia Osana Zotin (oxcantzanones) — 133