Você está na página 1de 2

1.

Inferência (é a forma usada na tradução para português europeu): em lógica formal,
é uma operação de dedução que consiste em tomar por verdadeira uma proposição
em função da sua relação com outras proposições já tomadas como verdadeiras.
Do ponto de vista da linguística, os fatos da língua estão submetidos a condições de
verdade, mas não se podem reduzir a uma descrição puramente lógica. É preciso ter
em conta a situação empírica na qual os enunciados são produzidos e interpretados.
Nesta medida, o ato de inferir não é um ato psicológico, mas uma forma de o
interlocutor captar o sentido de uma enunciação de modo não literal. Para tal, coloca
em cena dados constantes no enunciado, mas também dados retirados do contexto e
da situação de enunciação.
2. Pressuposição:
inferência, a partir de um enunciado, de informação não explicitada, sendo que a
relação entre o que se explicita e o que se pressupõe é sempre de natureza
semântico-pragmática.
«O marido da Ana perdeu o emprego.»
Pressuposto: «A Ana é casada.»
Teste aplicável:
O conteúdo pressuposto mantém-se inalterado perante a negação e a interrogação:
«O marido da Ana não perdeu o emprego.»
Pressuposto: «A Ana é casada.»
«O marido da Ana perdeu o emprego?»
Pressuposto: «A Ana é casada.»
3. Subentendido:
inferência exclusivamente retirada do contexto, através de um raciocínio mais ou
menos espontâneo, determinado pelas leis do discurso (lei da informatividade, lei da
exaustividade, lei da litotes).
«Zé: – Vamos à praia?
Carlos: – Está chovendo.»
O Zé presume que o Carlos é colaborante na interlocução e que a transgressão
da sua resposta é feita para veicular um conteúdo implícito: «Não, não vamos à
praia.»
Características do subentendido:
(i)

a sua existência está associada a um contexto particular;
(ii) é decifrada graças a um cálculo efectuado pelo locutor;
(iii) o interlocutor pode sempre negá-lo e refugiar-se atrás do sentido literal.

a) Os resultados da pesquisa ainda não chegaram até nós. b) Uma mulher provavelmente deixaria implícito que o que cria problema para o casamento é a incapacidade de “ouvir” e/ou de “conversar” dos homens. PRESSUPOSTO: O caso não era público antes. Marcela Nogueira. 2. POSTO: PRESSUPOSTO: MARCADOR DEC PRESSUPOSIÇÃO: d) Ela adoeceu de novo. Maria Luiza. POSTO: PRESSUPOSTO: MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÂO: e) João ficou gripado depois que apanhou muita chuva. 173. através dele. O posto não pode ser negado. PRESSUPOSTO: Pedro bebia. Exemplo: Pedro deixou de beber. PRESSUPOSTO: Ela já havia adoecido antes. POSTO: Ela adoeceu de novo. . MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: O verbo que indica mudança de estado: “tornar. 1. PRESSUPOSTO: João apanhou muita chuva. / Os resultados vão chegar mais tarde. todavia. PRESSUPOSTO: João tentou fechar a porta. b) A análise desses implícitos nos permitiria concluir que o autor da tira é homem. MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: A expressão temporal “depois de”. o que ela provavelmente deixaria implícito sobre os homens? GABARITO: 1. a) Explicite os conteúdos implícitos da tira. POSTO: João ficou gripado depois que apanhou muita chuva. Se uma mulher fosse fazer uma tira semelhante (identificando os problemas do casamento). de exclusiva competência do locutor que. é o de que a fala incessante das mulheres “enlouquece” os homens. Na frase “Pedro deixou de beber”.o que faz o discurso progredir. MARCADOR DEC PRESSUPOSIÇÃO: O verbo implicativo “conseguir”. POSTO: João conseguiu fechar a porta. O segundo. FADEL. Português: língua. recorrendo ao interlocutor para. O posto corresponde ao que está dito no enunciado. POSTO: O caso da corrupção tornou-se público. POSTO: Pedro deixou de beber. 1Agora. mas que o leitor pode perceber a partir de certas palavras ou expressões contidas na frase. MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÂO: A expressão iterativa “de novo”. identifique o posto. d) Ela adoeceu de novo. sobre o casamento. Já o pressuposto possibilita ao locutor dizer implicitamente algo. 2005.a) O primeiro conteúdo implícito. Vol.CEDERJ – Português I Aula 12 Os implícitos e os subentendidos: pressupostos e inferências Pressupostos são aquelas ideias não expressas de maneira explícita. São Paulo: Moderna. b) O caso da corrupção tornou-se público. pressupõe que Pedro bebia antes. POSTO: PRESSUPOSTO: MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: 2. p. literatura. / Antes de apanhar muita chuva João estava bem. O verbo “deixar”. produção de texto. / João não conseguia fechar a porta.1 1 Questão extraída do livro didático: ABAURRE. no momento da fala. POSTO: Os resultados da pesquisa ainda não chegaram até nós. c) João conseguiu fechar a porta. garante a realização do discurso: as novas informações se encadeiam . PRESSUPOSTO: Os resultados da pesquisa já deviam ter chegado. MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: O conector “ainda”. Tatiana. sobre as mulheres. é o de que falam sem parar. e) João ficou gripado depois que apanhou muita chuva.O humor da tira ao lado foi construído a partir de dois subentendidos (implícitos): um sobre o casamento e o outro sobre as mulheres. MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: O verbo “deixar”. interpretarem o que foi dito. o pressuposto e o marcador de pressuposição nos enunciados a seguir: a) Os resultados da pesquisa ainda não chegaram até nós. juntos. POSTO: PRESSUPOSTO: MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: c) João conseguiu fechar a porta. PONTARA. diz-se explicitamente que.se”. Pedro não bebe. POSTO: PRESSUPOSTO: MARCADOR DE PRESSUPOSIÇÃO: b) O caso da corrupção tornou-se público.