Você está na página 1de 2

Entre nessa onda Participe de campanhas

contra a caça de baleias e


incentive a criação do Santuário
de Baleias do Atlântico Sul.

Quando presenciar atividades


ilegais nos mares, denuncie!
Colabore com o clima do
planeta: quanto menos
Pratique o turismo emissões, menor
sustentável nas o impacto nos
Não compre
áreas marinhas e oceanos.
artesanatos
costeiras. feitos com
animais
marinhos
- é crime.

Não deixe
lixo nas
praias.
Cobre do governo uma
fiscalização eficiente
e Á reas dos mares nacionais.
d
Não orce
n t a gem as
tegid
é a p has Pro elo
construa in
Mar endada
m
p

ilegalmente Coma apenas


reco peace.
Gree
n
em áreas espécies que não
estão ameaçadas.
costeiras.
Filie-se ao Greenpeace
e entre nessa onda pela
preservação dos oceanos!

Apóie a criação de uma


Política Nacional
Economize energia e de Oceanos.
incentive uma matriz
energética limpa.
© Greenpeace/Rodrigo B

www.greenpeace.org.br
ale
ia
www.greenpeace.org.br Yashwant ndra
©Greenpeace/Shaile
São Paulo, SP, 05509-006
Rua Alvarenga, 2.331, Butantã
Greenpeace

© Osmar Luiz Junior/Instituto Laje Viva


conseqüências, inclusive você. League of Conservation Photographers
nos mares, o planeta inteiro sente as © Luciano Candisani / International
das modificações que ocorrerem
num organismo vivo, dependendo
nessa onda © Guilherme Dutra/CI Brasil
© Greenpeace/Roger Grace
© Greenpeace/Rodrigo Baleia
formações. Segundo, porque, como adequado para a gestão do ambiente marinho.
humana é a principal responsável por essas trans-
ver com isso?” Tudo a ver. Primeiro, porque a ação
Entre © Greenpeace/Marco Care
© Greenpeace/Jiri Rezac
© Greenpeace/Gavin Newman
para resolver essa crise e desenvolver um planejamento
exigimos do governo brasileiro uma atuação mais direta
Você pode se perguntar: “O que é que eu tenho a brasileira sobre a situação dos mares nacionais. Também
Fotos do pôster:
países como o Brasil e trazer furacões para o nosso litoral. nessa Onda pretende informar e conscientizar a sociedade
elevação do nível do mar, que pode destruir parte da costa de A campanha do Greenpeace Proteção dos Oceanos: Entre
seqüências do aquecimento global para os oceanos, como a disponíveis para as próximas gerações de brasileiros.
marinhas caminham para a extinção. Isso sem contar as con- Junte-se a nós! mos utilizá-los de maneira racional, esses recursos estarão
que passa, diminui a quantidade de peixes e muitas espécies quisa científica, mas já bastante degradados. Se souber-
Algo parecido está acontecendo com os oceanos. A cada dia pessoas a se tornarem responsáveis pelo planeta. e diversos ecossistemas ainda pouco explorados pela pes-
ficações, todo o corpo é prejudicado. para esta e para as futuras gerações e inspiramos vem 42 milhões de pessoas (25% da população brasileira)
fundamentais para os seres humanos. Se eles sofrerem modi- guras e socialmente justas, que ofereçam esperança Em nosso litoral, com 8.698 quilômetros de costa, convi-
em todos os órgãos e tecidos, os líquidos cumprem papéis Também defendemos soluções ambientalmente se- comunidades costeiras e dependem deles para sobreviver.
os oceanos ocupam 71% da superfície do planeta. Presentes por danos ambientais. matérias-primas importantes. Milhões de pessoas vivem em
humano, a maior parte desse organismo é formada por água: gamos, expomos e confrontamos os responsáveis nos fornecem alimentos, energia, água, sal, entre outras
Considere a Terra um organismo vivo. Assim como no corpo mudarem atitudes e comportamentos. Nós investi- Toda vida que existe na Terra depende dos oceanos. Eles
o meio ambiente e a paz, inspirando as pessoas a
Nos e os mares pendente que promove campanhas para defender
O Greenpeace é uma organização global e inde-
O mar e vida

Mudancas climaticas Estoques pesqueiros Areas Marinhas Protegidas Politica Nacional dos Oceanos
Todo o mundo sabe que, quando esquentamos um líquido, ele se O mar é infinito? Essa visão romântica, A principal solução para salvar os oceanos é a criação de O que impede o Brasil de avançar na gestão dos oceanos é a falta
expande – quem nunca deixou o leite da chaleira entornar? Mas, que povoa o nosso imaginário, só é ade- reservas marinhas, em que a pesca seja proibida, ou unida- de vontade política. Temos leis suficientes para criar e implemen-
se isso ocorresse nos oceanos, como faríamos para limpar o estra- quada para a arte e a poesia. No dia-a-dia des de conservação sustentável, onde a atividade só seja tar reservas marinhas, com recursos humanos capacitados,
go quando eles “entornassem”? de quem vive do mar, a realidade é bem permitida quando feita de modo planejado. Em ambos os equipamentos adequados, fiscalização e atividades para
Esse é um dos principais de- diferente: o mar tem fim e seus principais casos, a biodiversidade marinha fica protegida dos impac- a sociedade. Se a realidade hoje é diferente, foi por
safios atuais da humanidade: recursos, os peixes, podem acabar um dia. tos da ação humana. opção dos governantes.
o aquecimento global. Com o No Brasil, 80% dos peixes economica- Hoje, apenas 0,4% dos mares nacionais estão protegidos Além disso, a popu-
aumento da temperatura dos mente explorados estão ameaçados. O em unidades de conservação. O Greenpeace recomenda que lação desconhece
oceanos e o derretimento das grande desafio, para o setor da pesca, é 40% dos oceanos sejam reservas marinhas e o Brasil tam- os problemas que
geleiras, perde-se a biodiversi- encontrar maneiras de manter a produção, bém pode fazer a sua parte. Estamos muito longe do ideal. afetam os mares. Os
dade, o nível do mar aumenta sem ultrapassar a capacidade natural de Mesmo entre as Áreas Marinhas Protegidas criadas, boa resultados das poucas
e as zonas costeiras correm reposição dos estoques pesqueiros. parte não foi implementada adequadamente – algumas pesquisas científicas sobre
perigo – até o final do século, A pesca marinha nacional gera 800 nem mesmo saíram do papel. As poucas áreas existentes o ambiente marinho não
estima-se que cerca de 125 mil empregos, responsáveis pela estão sem equipamentos, funcionários e recursos finan- chegam à sociedade e não afe-
milhões de pessoas serão sobrevivência de 4 milhões de bra- ceiros, e estão vulneráveis à ação humana, em atividades tam as decisões dos governos.
desabrigadas no mundo pelas sileiros. Com tamanha importância, como a pesca ilegal e o turismo desordenado. A criação de uma Política Nacional
mudanças climáticas. é necessário e urgente desenvolver de Oceanos, com o envolvimento
Para combater esse problema, um modelo sustentável de explo- de toda a sociedade no debate, é a
é preciso reduzir os níveis de ração dos recursos pesqueiros, única maneira de enfrentar a crise dos
emissões de CO2; acabar com com a participação de todos os mares brasileiros. O oceano precisa ser
o desmatamento e as queima- atores sociais envolvidos. pensado de maneira integrada. Nenhuma das
das; e mudar o comportamen- questões relacionadas a esse bioma pode ser tratada
to diário dos cidadãos, promo- isoladamente, pois uma influencia a outra.
vendo o consumo racional de ©
Gr © Insti
ee
recursos naturais. np tuto B
aleia Ju

A
© Greenpeac eace/Sutton-Hibbert; barte

M
e/Daniel Beltrá J