Você está na página 1de 48

O MARC BIBLIOGRÁFICO:

UM GUIA INTRODUTORIO

CATALOGAÇAO

LEG~VEL

POR COMPUTADOR

Cíntia Nara

Machudo ~trrc~rlra

Betty Furrie

Cíntia Nara

Machado fcrrrfra

O MARC BIBLIOGRÁFICO:

UM GUIA INTRODUTÓRIO

C,\T~\LOGAÇXO

I,EG~\~I'L POR COMPUTADOR

Tradução de:

Beafrix I/a/odarer Cetidóti, Jónia Birrnier, Mana Heletia .I'unlos, e ATdfú/iaG~riné de hfello Can,a/ho

I'stn

01x1 i<>loriçinnlnienrc cd~+.~.il.i

por Follctt Soit\i.xrc Co. eni 198s

~ciindi

edigio: 19S9, 1crce;ra edicio: 1990. quarta cdiciu: 1994)

tcndo sido cscnra por Hetn I'iirric cni associag.io com a

Dar2 Uasc Dc\-clopii3cnt Dcparinicnt da Follctr Soinvnrc Comlinn).

.\ quinta cdigii>uulizadn ncsta tiaduqão ioi revista e ediridn pelo

Xcnvorl, Dc\.clopmcnt 2nd hZr\RC Standards Oihce da Library of Congress,

tcnrlo si&> piililicadn

pelo Cxtalo@ns Distril>iiuon Scr\.icc da I.il>rary r,f

Con~rcs~,

cni colnh<>r;iqiocii~ii 3 I:ollcrt S<>ii\i-arcC<>iril,.iny

Dirciri>\ dcsta trn<luçi<~plra o portugubs c~didnspelo Catalo~ingDistribiition

Scr\.icc dn Lil>riry of Congess c FoUctt Sofnnre CompanJ-

'I'itiilo

i>rixinal cri, inglbs: llndcrstnnrling hI/\RC-Bibl~iik~aliIiic

Por Uctq Furric.

Cópias do oriL?nal cni injilt-s podcm ser ~dquiridlsde:

Follctt Sofnvnrc Coiiipany

I

lòii?n Cnrporri/io~r(lot,pm!i.

1391 Corpnntc Drivc

.\lcllcnr!-, 11. 60050

T<lS.l~n l:~~rric,l3cty

O i\I \RC ..

biblioFitico: uni intr»dut<irio; oralopnç.-io lcsi\.cl

por conipurndor / Beq Furnc : mduçào de Beatriz \'alxdares CendOn,

Siinin Uurnicr, hlxria Hclcna Santns c Narilia Guiné de Alcllo

<:rnxllio. - Dnsllia : Thcsxurus. 2000.

9.5

p.

Timio oripnril: "Undersunding hL\RC Bihlio,vaphicn

CDU 01531.4 : 681.3.06

CDD 025

LISTA DE TABELAS

Tabela 1:

Rcgisuo com "sinalizadorcs"

de tcsto ....................

.

.

.

.

Tabela 2:

hlcsmo registro com ctiquctas KlRC ............................

..

I!,

0 QUE E UM REGISTRO MARC E PORQUE

ELE É IMPORTANTE?

PARTEI O quc significa iLíARC? .....................................................

11

.

PARTEI1

Porque o rcgistro MARC C necessário? ...........................

15

PARTEI11

Tcrrnos do UShL4RC e suas definições ..........................

21

PARTEiV

Ondc os rcgistros UShíARC sc originam? .....................

33

PARm v

Questõcs sobrc os dados em UShfilRC ..........................

37

PARTEVI

Conclusão

...........................................

39

~TERIALDE REFE&NCIA

DO USMARC

PARTEVI1

Ilcsumo dos cnmpns mais usados do USMARC ............

41

PARTI-.VI11

Lista <Ir outros campos cncontrndos com freqüência

nos registros ESLL-\RC .....................................................

59

PARTEI X

O Lidcr ....................

PARTEX Campo 008 para livros ....................................................

65

PARTEXI Eseiiiplo de um rcçistro em virios formatos .................

71

PARTEXII

Rcçistros de mntcriai audio\pisual: das fichas ao

 

C:SLL.\RC

...............................................

77

RE\.ISÃO

DOS DESIGSADORES

DE CO~TEUDOMARC

...............

59

Respostas da revisão dos desipadorcs de conteúdo ;\L\RC ...............................................................................

91

0 QUE É UM REGISTRO MARC E POR QUE

ELE É IMPORTANTE?

12 impossivcl nos dias dc hoje Icr uma revista espccializada em bibliotcconomia, ir a um congresso de biblioteconomia ou

:

mesmo convcrsar informalmcntc com outros bibliotecários sem ouvir as esprcssões "formato MARC", "registros MARC" ou "compatibilidade com o MARC". Muitos profissionais da informação ainda não tiveram a oportunidade dc fazer cursos formais sobre o importante tema de automação dc bibliotccas e sobre a funçiio do hWRC, embora em brcvc suas bibliotccas possam cstar sendo automatizadas. Esta piihlicaçio explicará, da mancira mais simplcs possível, o quc é uni registro hfARC, e fornecerá as informaç6cs bisicas

,

nccessirias para sc cntcndcr e avaliar unl rcgistro hfARC.

PARTE I

0 QUE SIGNIFICA MARC?

O quc é um registro MARC?

A sigla MARC quer dizer h4Achine Readable CatuLoging record, ou

scja, um registro catalográfico legível por computador.

i

I

E

o

que

é

um

computador?

registro

catalográfico

legível

por

Registro catalográfico:

,

Registro catalográfico significa um registro bibliográfico, ou a informação tradicionalmente apresentada numa ficha catalografica. O rcgistro - inclui (não nccessariamcntc nesta ordem): 1) a descrição de um item, 2) a entrada principal e as entradas secundárias, 3) cabeçalhos de assunto e 4) a classificação ou número de chamada. (Em geral, um registro MARC contém muitas outras informações adicionais).

  • I) Descripio: os bibliotecários adotam as Regras de Catalogapio At'gIo- Anmicalras (Arg/oAnzerica~rCa/a(qui~'gRu/es, 2. ed., revisão de 1988), popularmcntc conhecidas como AACR2R, para compor a descrição de um item bibliográfico. Esta "descrição" é mostrada nos parágrafos das fichas catalográficas. Inclui o título, menção de rcsponsabilidndc, cdição, informaçòcs cspccificas sobre o matc- na], informação sobre publicação, descrição física, série, notas c números padronizados.

2) Errtr~~d~zp~irrr~alr nrfrad~~s .rt.~-~irrdiriax As ,\;\CR?R tanibém contfm rcgras parn dctcrminaçio dos "pontos dc accsso" para o regisuo (os quis sio gerdmente rcfcridos como a "entrada principal" e C' entradas sccundirias"), c as formas quc estes pontos dc accsso tcrào. Pontos de accsso são os pontos de recuperação no catálogo que pcrmitcm ao usiiário procurar um itcm. TXm outras pnlavras, as rcçras hr\CR?R sio usadas para rcspondcr pcrguritas do upo: Para um dctcrniinado livro, dcvçri havcr no catálogo entradas para mais de um autor ou mais de um únilo? Dcvcrá haver um ponto dc accsso para o título da séric? Como dcvcrá o nome do autor ser escrito? A obra tcm cntradn principd pclo titulo (não tcm autor)?

3) C~II~C~~II~O

dr oss~i~ifo

(c~itr~~dos

SPC-1111di17u.r

de assr~rito): 131bLotecirios

podctii usar a Sears Lirt o / Sii4ect Hrnr/j>~~s (Scars), a Librari. o f

Coi~n í-lrndi~<qs (LCSI I) ou outras listas padronizadas de

..

isSiil~rrt

cabcçalhos de assunto para selecionar assuntos sob os quais o iteni scrá listado. O uso de uma lista aprovada é importantc para

sc manter consistSncia, de modo a asscgurar quc todos os itcns sobrc um dctcrminado assunto serão encontrados sob o mesmo cabcçdio e, portanto, estarno reunidos no mesmo lugar do cadoço. Por exemplo, a lista dc cabcçalhos dc assunto indica que a todos os livros sobre gatos deve scr auibuido o assunto G;\TOS. O uso deste cabcçalho autorizado elimina a possibilidade de se colocar alguns livros cm GI\TOS c outros em FELIXOS. i\lcsmo que um livro tenha o título Tiido sobre Frliiios, o cabcçalho dc assunto será GATOS. Assim, todos os livros dcste assunto escario listados cm um único local do catiioço para que o usuário os encontre. O usuário não precisará imagnar todos os possiveis sinonimos para a palavra quc clc procura.

4) Srim~roa'r iiromodn: Bibliotecários utilizain a Classificação Dcci- mal dc De\\-c!; a tabcla de classificação da Library of Conçress ou a Clncqiticnçào Decimal Universal, cntre outras, parn sclccionar o

númcro de chamada para um itcm. O objcuvo do númcro dc chamada é colocar os itens que tratam do mcsmo assunto juntos na mcsma prateleira da biblioteca. Além desta organização das

cstantcs por assunto, a maioria dos itens é ainda subordenada pela

ordcm alfabética do nome do autor, como segunda chave.

A

segunda parte do númcro dc chamada geralmente é Fbrmada por uma rcprcscntação do nome do autor facilitando assim csta sul~ordcnação.

Legível por computador:

"Idegivcl por computador" significa que um dcterminado tipo de máquina, o computador, pode ler e interpretar os dados dc um registro catalografico. As páginas seguintes explicarão porque isto é importantc c como isto é possível.

i

PARTE I1

PORQUEO REGISTRO MARC E NECESSÁRIO?

Porque o computador não pode simplesmente ler a ficha catalográfica?

As informaçòes constantes de uma ficha catalográfica não podem ser simplcsmentc digitadas no computador para produzir um catálogo automatizado. O computador requer um meio para interpretar a informação encontrada no registro bibliográfico. O registro URC contém um pia para estes dados, ou pequenos "sinalizadorcs", antes de cada clernento da informação bibliográfica. O local destinado a cada elcmcnto da informação bibliográfica (autor, título, número dc chamada, etc.) é chamado dc "campo". Os registros em arquivos mais simples de computador às vezes tem um número fixo de campos, e cada campo contém um número fixo de caracteres. Entretanto, para pcrmitir a catalogação adcquada de livros ou de outros itens bibliográficos, a melhor estrutura de arquivo é a que permite registros com um número ilimitado de campos e tamanhos ilimitados de campo. Esta flcxibilidade é necessária porque nem todos os títulos ti.m a mesma cxtcnsão (comparar The robe versus Alexander and the ferrible, horrible, no good, uey bad day). Alguns livros pcrtencem a uma série, c requerem um campo especifico para esta informação, cnquanto outros não fazem parte de uma série. Materiais audiovisuais tCm uma

'

I

descrição física muito mais longa (5 películas de filme : son., co1. ; 35mm. + manual de ensino) do que a maioria dos livros

(403 p.

: i1.

; 22cm.).

Por isso, na criaçáo de rcgisuos de dados bibliográficos, não se pode esperar que certo tipo de informação comece e termine

semprc na nicsma posiçáo cm todos os rcçistros. \r

rncnçào dc

rcsponsat~ilidadc,por escmplo, nem semprc comcçará no 1.15' caractcrc do rcçistro c tcrminnrá na 207' posicào. Portanto cada registro LIiIRC contém um pequeno "sumário" do registro, que segue

um padrão pré-definido.

"Sinnlizadorcs" de dados:

O computador ncccssita de ajuda para ler c interpretar o rcçistro biblioçráfico. A Tabela 1 a seguir ilustra as informações quc os "sinalizadores" prccisam transmitir. Sc um rcçisn-o bibliográfico for marcado corretamcntc com os sinnlizadorcs c nrmazcnado em um arquivo em meio magnético, podcráo scr escritos programas de computador para colocar pontuqào C forrnatar a inforrnaçào corrctamcntc para impressão dc um conjunto de fichas catalográficas ou csibição da informação na tela dc um computador. Programas podcm ser cscritos para fazer buscas c rccupcrar dctcrininados tipos de informaçào dcntro de campos espccificos e também mostrar uma lista dos itens encontrados quc satisfxzem nos crittrios de busca.

Por quc um único padrão?

I

I'oci podcria criar scus próprios métodos de orçanizar as informações bibliográficas, mas estaria deixando sua biblioteca isolada, limitando suas opçõcs, e criando muito mais trabalho para si mesmo. O uso do padrão MRC evita duplicação de pabalho c peri-i-iite o melhor compartilhamento de recursos bibliográficos en- trc bibliotecas. A opção pelo uso do ;\b\RC permite quc as bibliotecas adquiram dados catalográficos prcvisivcis c confiáveis. Se uma biblioteca dccidc utilizar um sistema de automação desenvolvido localmente que nào utilize registros i\b\RC, esta biblioteca não cstará usufruindo da vantagem dc sc utilizar um padrào de amplo cmpreço no setor cujo propósito primário C promover a comunicação dc informaçào.

Tabela 1 : Re~Istroconi "JI~~a/r~adores"

de texto

"SINALIZADORES"

DADOS

Entrada principal, nome pcssoal com sol>rcnorne simples:

O nome:

Arnosky, Jim.

dc titulo c menção de rcsponsaliilidadc. usc o úmlo paracntrada secundária, arquive sob "Ra ... Timio:

"

AIençZo de responsabilidade:

 

Raccoons and ripe corn / Jim Arnosky

iircadc Edição:

Edição:

,\rca dc pul>licação.distribiiiçio, etc.:

 

ILncai de publicaqào:

New York :

Nome da editora:

Lorhrop, ize&

Shepard Uooks,

Data de pubiicação:

~1987.

 

Área de descrição fisica:

Paginação:

25

p. :

Ilustrações:

11. col. ;

 

Dimensão:

26

cm.

Arca dc notas:

Rcsumo:

"brroo,rr"

famintos

banqueteiam-se num milharal maduro.

~ ~p

~ -

r

Entradas sccundárins de assunto, da lista dc

cabeçalhos dc assunto para criangas da Libraty o€

 

Congress:

Assunto:

 
 

c~bcfoo,,r"

I Número de chamada locai:

1 Código de I~arnslocal:

l'reço local:

1 599.74ARN

1 8009

515.00

I

I

i\ ndoçài) do padrào hL!\RC taiiibfni permite que as bibliotccas fnçmi o ouso de sistemas de automação de bibliotccas disponivcis comercialiiicntc no gercnciamcnto de suas operações. Existem niouiros sisteiiias dc automaçiio, para bibliotccas dc qoialqucr tamanho, CIUC forani projetados para trabalhar com o formato AL\RC. Estcs sistcmns sso riiantidos e constantciiicnte apriniorados pclos tõrnccedorcs, cle forma que as bibliotccas possam se bcneficiar dos mais recentes avanços da inforniática. O padrào ALIRC também pcrmitc que as bibliotecas substituam um sistema automatizado por outro com a certcza de quc scus dados continuarão compatíveis.

USMARC:

i\ Librar). of Congrcss atua como a bibliotcca oficial de dcpósito legal das publicações dos Estados Unidos c é a fonte primária dc informações catalográficas de publicações norte- anicricnnas c intcrnacionais. Quando a Library of Conçrcss começou a utilizar coniputadorcs, na década de 1960, ela projetou o formato 1.C hír\RC: urii sistcina qoic utiliza\rn núnicros curtos, Ictras c siiiibolos dentro do registro bibliográfico, para marcar diferentes tipos de informação. O formato LC AURC original evoluiu para o UShIi\RC c sc tornou o padriio tisado pcln riiaiorin dos progrnmns de coi-iiputador para automaçáo de bibliotecas. O formato bibliográfico UShíARC, bcm como toda a documentação oficial sobrc ele, 6 maritido pela Library of Congrcss. poiblicado com o título de UJi\lllRC I'or~~~atforBiI,/io~rnphic Dato. Uma comparação do mesmo registro, com informaçòcs textuais e com etiquetas USAURC ilustra a forma compacta do UShLhRC. Esta é uma maneira de se ganhar espaço de armazenagem nuni coiiiputador. Examine as Tabelas 1 e 2. O formato UShls\RC

usa "23,"

"L

+a

" "L

+b

"

e "$c"

para marcar o campo que contém os

dados de imprcnta ao invés de armazenar as palavras "área dc

plil,licaçào,"

"locnl de publicaçào,"

"nomc da ctlitora"

c "data

clc

publicaçào" em cada registro. Esta convenção torna mais eficiente o uso do espaço de memória do computador.

Tabela 2: Mesr110 r~istrocom e!iql(e!ar

MAKC

"SINALIZADORES"

DADOS

  • 100 1

Sa

 

10

$a

  • 250 $2

  • 260 Sa

 

$b

$C

$2

tb

$C

570

$1

  • 650 $a

1

  • 900 $;I

  • 901 $a

  • 903 ?a

Arnosky, Jim.

1st cd.

New York :

cl987.

25

i]. col, ;

26

cm.

  • 245 Raccoons and ripe corn / Jirn Arnosky. Lothrop, Lec & Shepard Uooks,

  • 300 p. :

"Rrrccoo~ir"famintosbanqucteiarn-sc num milharal maduro.

"Raccoonr ':

599.74 ARN

8009

$15.00

I

I1

i

PARTE I11

TERMOSDO USMARC E SUAS DEFINIÇ~ES

Esta seção explica como ler, entender e usar um registro USAIIIRC. Esta partc lida com as informaçõcs quc os bibliotecários, ao usar um sistema de automação de biblioteca, vêem na tela dc seus computadores e que precisam compreendçr quando adicionam, editam ou examinam um rcgistro. Os cscmplos usados cnfatizam os materiais comumentc catalogados cm bibliotecas cscolarcs ou pcqucnas bibliotccas púl>licas,isto i., livros c rnatcriais audiovisuais. Entretanto, a informação cobcrta nesta seção se aplica tambCm a qualquer outro tipo de matcrial, incluindo discos, programas para , computador, mapas ou outros itcns quc nSo scjam livros. Mudanças aprovadas rcccntcmentc no formato bibliográfico USMARC, algumas das quais já foram implcmcntadas, cnvolvcram o conceito de Integração dc Formato. "Integração de Formato" significa quc os mcsmos "sinalizadorcs" são usados para marcar os dados cm registros para todos os tipos de matcrial, ao invfs dc se usar conjuntos diferentcs de "sinalizadores" para difcrentes tipos dc material. Em linguagem técnica, com o uso do Formato dc Intcgração, um grupo de etiquctas é usada para registros dc todos os tipos dc rnatcriais ao invés dc se definirem conjuntos dc ctiquctas para cada tipo dc material. ATabcla 2, na página 17, mostrou um registro MRC marcado com "sinalizadores". Os nomcs técnicos destes "sinalizadores" mostrados na tabela são: campo, ctiqucta, indicador, subcampo, código dc subcampo, e designador de contcúdo. Estes termos do USMARC serão cobcrtos ncsta scçào.

:

.

i

\

1. CAMPOS são marcados por ETIQUETAS.
I Campo:

Cada rcçistro biblio,grifico é dividido logicamcnte cm cam-

pos. I~liuin campo para autor, um canipo para a informação do

titulo e assim por diante. Esses campos são subdivididos em um ou

iiiais "subcmpos".

Conio já foi dito antcriornicntc, os norncs dos campos sio

muito longos para serciil rcproduzidos dcntro dc cada registro

US,\lr\RC. ,.\o invés disso, os nomes dos campos são

rcprcscntados por ctiquctas dc 3 digitos. (Einbora catilogos oi~/ii,r

possam csibir os norncs dos campos, estcs nomcs são fornccidos

pclo programa dc coniputador, e nào pelo registro USAlrIRC).

Etiqueta:

Cada campo é associado a um numero de 3 digitos chamado

"ctiqueta". Uma etiqueta identifica o campo - o tipo de dado -

que se segue. Embora a exibição dcstes dados por uma impressora

ou pela tela do computador possa mostrar a etiqueta

imcdiatarnente scguida de indicadores (fazendo com que a etiqueta

pareça ter 4 ou 5 digitos), a etiqueta sempre se constitui dos

priinciros trk digitos.

As ctiquetas usadas com mais frequhcia são:

0 10

marca o i~lirtlerode coi~troleda Libra9 of Coi~gr~ss (LCCN)

  • 020 marca o Iirtrrtiatioiinl Staildard Book C:\T~~~~~l~er (lSi3K)

  • 100 a

marca

eiltradn p1711cpaIpe/o UOIIIPPPSSOOI (autor)

 
  • 245 a irfon~~n;ãode tit111o (que inclui o tímlo proprinmentc

marca

dito, outras inforrnaçòes sobrc o titulo e mcnção dc

rcsponsabilidadc)

  • 250 marca a rdip?o

'

niarca

  • 260 a

iifori~la.jode ~1111licnr~o8; r,

i

  • 300 marca a descriçãoJsica (também chamada de "colação" no caso dc livros)

  • 440 marca a ~nei~;ãode sérielentrada secundúria de série

  • 520 marca a tioto de resllmo

  • 650 marca o cabe,calbo h asst~ntotópico

  • 700 marca a entrada sect~ndúriapelot~or~~epessoal

(colaborador, editor

ou ilustrador)

A scguir vejam um cxcmplo de um campo. O número 100 é a

ctiqueta do campo que o define como o campo de entrada principal

pclo nome pcssoal (autor).

1001b $a

Pirsig,

Robert M.

I

O Cataloging Distribution Service da Library of Congrcss

fornece uma lista detalhada de todas as ctiquetas tanto na publicação

UfiURC For111utjor Uibliograpbic Data, cm dois volumes, como no

livro USAURC Coilcise Forr~~ats, em um volume. Para aqueles que

trabalham continuamcnte com o rcgistro USMARC, estas

publicações são altamente rccomendadas por scrcm detalhadas c

conterem muitos exemplos. (Veja a bibliografia na página 83 para

uma citação complcta destas obras).

No registro USMARC, 10% das etiquetas são usados sempre,

-

e os outros 90% são usados ocasionalmente ou raramente. Mesmo

dcpois dc uma convivcncia brcvc com o formato USMARC, não C

raro sc ouvir os bibliotecários falando o jargão típico do formato,

isto C, o "MARCcs". Os bibliotecários que trabalham com rcgistros

AfiRC, em pouco tempo memorizam os números das ctiquctas para

os campos mais comuns aos materiais que eles catalogam.

Uma lista das ctiquctas que são usadas mais frcquentcmcntc

cstá incluída na parte VI1 desta publicação. Uma lista de outras

ctiquetas cstá incluída na parte VIII.

2. Alguns campos são definidos por INDICADORES.

para este itcm e que uma entrada para "Tímlo" deverá scr incluida 1

Indicadores:

Duas posições de caracteres scguciii cada etiqueta (csceto

nos caiiipos 001 até o 009). Uma ou ambas posiçòes podem ser

~isadaspara contcr indicndorcs. Em alçiins campos. somcriic a

primeira ou a sc\pnda posiçào é utilizada; em outros, as duas sào

usadas; c em alguns campos, como os 020 c 300, nenhuma é usada.

Q~inndounia posiçào de indicador náo c utilizada, aquclc indicador

é rcferido como "indcfinido" c a posição C deixada cm branco. Por

convcnçio

usa-se o caractere 6 0, cortado), para representar uma

posiçào dc indicador ein brnnco ou indefinida.

Cada valor do indicador e um numero de O a 9.

(ilpcsar das regras dizerem que os indicadorcs podem ser uriin

letra, o uso de letras nno C muito comuin). \'crido-se dois indicadores

juntos, eles parccem um número dc dois dígitos, mas, na x-crdade,

eles sào dois númcros independentes de um dicjto. O valor permitido

para indicadorcs e seu significado são detalhados na documentação

do UShLIRC. No cseiiiplo que se segue, os primciros trks dígitos

sào as ctiquctns (245 define cstc campo como sendo um campo dc

titulo) c os próximos dois dígitos (1 c 4) são valores de indicadores.

O "1" c o primeiro indicador; "3" é o segundo indicador.

23514

$a

Thc cmperor's nexv clothcs /$c adapted from

Hans Christian Xndcrsen and illusuatcd b!.

Janet Stevens.

Opritl~iiroi~ldirodor com valor "I", no campo dc titulo, indica

quc dcx-erá liaxrcr uiiia cntrada de úmlo no catilogo. Xum catálogo

dc ficlia, isso significa que uma ficha dc timio de\-cri ser impressa

na pista. O primeiro indicador com valor "0" significaria o caso de

entrada principal por úmlo; a ficha deveria ser impressa com o rccuo

tradicional c não seria preciso incluir na pista a indicação de ficha de

timlo, que esta é a entrada principal.

1

i

Carac~eresa &r~ora>tUm dos indicadores mais intcressantcs C o

scgundo indicador do campo dc titulo. Ele indica o número de

caractcres no comcço do campo (incluindo cspaços) quc dcvcm scr

ignorados pclo computador no processo de alfabetação c

arquivamento. Para o título The evperori tieiu clothes, o segundo

indicador é "4" de forma que os primeiros 4 caractcres (o "T", o

"I1",

o "c"

e o espaço) dcvcm scr ignorados e quc o titulo será

alfabctado cm ''enperor?''.

3. SUBCAMPOS são marcados por CÓDIGOS DE

,

SUBCAMPO e DELIMITADORES.

Subcampo:

A maioria dos campos contém vários elementos de dados

relacionados. Cada tipo dc dado dentro dc um campo i. chamado dc

subcampo, e cada subcampo é precedido de um código de

subcampo. Os campos 001 até 009 não possuem subcampos.

Por exemplo, o campo para a descrição física de um livro

(definido pela etiqueta 300) inclui um subcampo para extensão

(número de páginas), um subcampo para outros detalhes físicos

(informações de ilustração) c um subcampo para dimensões

(centímetros):

300w $a

675 p. : $b il.

;

$c

24 cm.

Código de subcampo:

J

Códigos de subcampo são letras minúsculas (ocasionalmente

niimcros) precedidos de um dclimitador. Um dclimitador é um

cnractcrc usado para separar os subcampos. Cada código de subcampo

indica quc tipo de dado o sc<pira. (Para cada campo no formato

bibliográfico UShlARC, a documentação USAL\RC lista e descreve

os códigos \.didos para os subcampos).

Delimitador:

Diferentes programas de computador usam diferentes

carnctcrcs para rcprcscntar um dcliniitador na tcla dc cntrada dc

dados ou na iniprcssão. Exemplos são: a adaga dupla

($), a arroba

(a),o cifrso (S), o travessão (-) ou o simbolo çrifico ''* ". Ncsta

publicação cstá sendo usado o simbolo $ .

Ko cscniplo acima, os códigos de subcampo são $a para o

numcro dc phqinas, $b para ilustraçào c $c para diincnsi,cs.

4. DESIGNADORES DE CONTEÚDO é um termo

abrangente urado para sc referir às etiquetas, indicadores e

códigos de siibcampos.

Os très tipos dc dcsignadorcs de conteúdo - ctiqiictas,

indicadorcs e códigos de subcampo - sáo as chavcs do sistema de

notaçiio do USSIr\RC. Em scu li\.ro, AWKC/or ú'brilv Use: Uiidrr-

.r/oilrlii~thr U.FAIAKC Forti,nts ', \X1ait Crawford se rcfcrc ao sistema

.\íi\RC como uni sistctiia dc "notaçio abrcviada". Os très tipos dc

dcsignadorcs de conteúdo são símbolos abreviados que rotulam c

csplicam o registro bibliogrifico.

5. Algumas REGRAS GERAIS.

Esistcni algumas rcgrns gcrais quc ajudam a dcfinir o quc

siLmificam os númcros usados como etiquetas de campos. Observem,

por favor, quc em discuss6cs sobre as ctiquetas USLLIRC, a notação

SS i. frcqucntcmcnte usada para se referir a um grupo de etiquetas

relacionadas. Por esemplo, 1SX rcfere-se a todas as etiquetas cujo

primciro diçito é "1":

100, 110, 130 c assim por diante.

A. As ctiquetas são divididas em centenas.

As divisócs básicas dos registros bibliográficos USMt\RC são:

oxx

Informação dc controle, númcros, códigos

  • lxx Entrada principal

2LY

Títulos, edição, imprenta (cm geral, o titulo, mcnção

de responsabilidade, edição e informação dc

publicação)

Descrição física, etc.

Série (como aparece no livro)

Notas

Entradas sccundárias dc assunto

Entradas sccundárias, cxceto de assunto ou séric

Iintrada secundária dc série (outras formas

autorizadas 2

Os 9Xs foram dcixados livres para usos locais, tais como

números de códigos de barras. Bibliotecas, fornecedores ou sistemas

podem defini-los e usá-los para adicionar outros tipos de informação

aos registros. (11s etiquetas X9X, em cada um destes grupos -

O9S, 59);. ctc. - são também rcscrvadas para usos locais, cxceto

a etiqueta 490).

A lista das ctiquctas mais comuns mostra como cada ctiqucta

se encaixa cm uma destas divisões: 100 é uma entrada principal dc

autor, 520 é uma nota de resumo, e assim por diante.

B. Pontos de acesso:

Pontos de accsso (uma entrada principal, entradas secundárias

dc assunto e outras entradas secundárias) são partcs importantes

dc um registro bibliográfico. Estes são os cabeçalhos para os quais

fichas separadas eram criadas nos tradicionais catálogos de fichas, e

-

que servem para o usuário ou bibliotccário fazer buscas em um

catalogo onlirre. A maioria dos pontos de accsso estão nos seguintes

campos:

Caiiipos 1x1 (cntrndn principal)

Campos 4SS (série)

Campos 6SS (cabe~alliosde assunto)

Campos 7SS

(cntradas secundarias, exccto as dc assunto ou

séric)

Campos SSS (cntradns secundárias de série)

Estcs siio os canipos que estão sujcitos

autoridade.

a controle dc

"Controle de autoridade" significa adotar uma forma

aiitorizndn ou cstabclccida. Em geral, o catalogador escolhe as

cntradns dc noinc c assunto nunia lista dc cabeçalhos oficial. Du-

rnntc unia conversa, se vocè falasse sobre uma visita ao "Getg A1i1-

si~i~rn"ou ao '7. Prii~lGetg ~\Jii.rc~~ri~"ern Alalibu, na Califórnia, o

ouvinte sabcria quc vocé estava falando do mesmo muscu. Alas se

o catalogador algunias vezcs usa "Getp AJ~~sri~r>i" e outras usa

'7.PnillGctf~ I\~IIs~II~,," como cabeçalho em um catálogo, o usuário da

biblioteca terá niuitn dificuldade para encontrar todos os livros sobre

cstc assunto. Sc o catalogador adotar a lista dc formas cstabclecidas

pnrn noincs próprios da Librav of Congrcss, clc usará o cabeçalho

'7.P,o~l Gctq Afi~st.iir~/". Dcsde que o catalogador scmprc use uma

niesrna forma estabelccida, todos os livros sobre aquelc museu scrão

cncontrndos num único lugar no catálogo.

Para nomes, a melhor lista de autoridadc é o arquivo dc nomcs

autorizados (Xorne Ar~thoriqFile) da Library oi Congress. Este

arquivo cstá disponivcl em microficha ou CD-ROA1 no Cataloging

Distribution Scr~iceda Librar!. of Congrcss. h forma do nome a

ser usada (nome pessoal, nomc de cntidadcs coletivas, nomcs de

congressos ou eventos, titulo de skrie ou título uniforme) pode scr

veriticada ncsta lista dc autoridadc.

Para termos de assunto tópico ou nomcs gcoçráticos, as listas

de autoridndc de assunto mais comumente usadas são a Lbri7~a/ '

Cor~~qrs.rs .TII/~CT~ Hr~di>lgJ ou a Srnrs Lirf oj' .~rl@rrtH~~7dil1.q. i\ forma

do cabeçalho dc assunto dcvc coincidir com a quc se cncontra na

lista ou scguir as rcgras de formação de cabeçalhos ali cstabelccidas.

Em sistemas residentes em microcomputador não é possivel

colocar na memória da máquina todos os arquivos de autoridadc da

Library of Congress. São necessários cinco volumcs gigantescos para

Iistar os cabeçalhos de assunto da Library of Congrcss. Estcs cinco

-

!

i

.

grandes volumes ocupam atualmente 29 microfichas ou um CD-

ROAI. O Nanze Al~thotigFile da Library of Congrcss ocupa mais dc

1400 microfichas ou quatro CD-ROMs! A parccla usada por

bibliotecas escolares ou especializadas seria apenas uma fração do

total.

Nos catálogos onlitle residentes em microcomputadores, o quc

I

'

é mais importantc é o quc é se chama de "controle de autoridadcs

local". O controlc de autoridades local permite ao bibliotccário

examinar a lista de cabeçalhos de assunto ou a lista dc nomcs dc

autores utilizados e sclccionar uma forma que tcnha sido adotada

;

,

anteriormcntc. Desta forma, todas as entradas dc autor ,

correspondentes à mesma pessoa ou ao mesmo assunto serão

rcgistrados exatamente da mesma maneira - o quc é o objcúvo

central do controle dc autoridadc. Nos Estados Unidos, os nomcs

utilizados nos dados de Catalogação na Fontc (CIP)* irnprcssos nos

livros, baseiam-se também nos rcgistros de autoridadc da Library of

Congress. Num catálogo orihe dc biblioteca que tcnha passado por

uma convcrsáo rctrospectiva, as formas de nomes adotadas para

publicações correntes devem cstar corretas, que as bases de dados

de quasc todos os forneccdores de livros ou de bases de dados dc

rcgistros bibliográficos sc baseiam nas fitas de registros MARC da

1-ibrary of Congrcss.

A expressão "conversão retrospectiva" descrcve um projeto

que converte registros bibliográficos de sua forma atual- tais como,

fichas do catálogo topográfico ou registros resumidos para a

*

N.T.: CIP é a sigla para Cataloging in Publicatinn; em português cquivalc a Catdo&nçãona 1:ontc.

  • i circulaç3o - para rcrjstros bibliográficos coinplctos lcgivcis por

! coriipiitndor. O tcrnio "rctrospccti\.a" c usado porquc o projcto C

j

feito para uni aceno ji existente - todos os itens incluidos no aceno

  • I da bibliotcca atC o presente momento. Em gcral, a con\.crsào

j rctrospccti\~aC fcitn procurando os rcgistros antigos da bibliotcca

  • I (scjani clcs contidos crn fichas dc catálogo manual ou num arquivo

  • I dc computador com registros em formato difcrente do formato

! ;\L-\RC) em uma base de dados comercial dc regstros bibliográficos

coti~plctos.:\o invés de sc rcdigitar os registros antigos, a bibliotcca

podc comprar os registros hL\RC equivalentes. '

C. Conteúdo paralelo:

Os campos quc rcqucrcm controlc dc autoridade sào também

os canipos que utilizam a construçào de ctiquctas paralelas. Em

çcrd, nos campos ISS, 4SS, 6SS, 7SS e 8SS, um nome pcssoal

terá 00 constituindo os dois últimos dígitos da etiqueta. Portanto,

para uri1a entrada principal (1 LX) que é um nome pessoal (SOO), a

ctiqueta correta e 100. Para um cabeçalho dc assunto (6XY que é

um nome pessoal, a etiqucta é 600, c assim por diante. Este

conteúdo paralclo pode scr resumido da seguinte forma:

SOO

Nomes pessoais

SI0

Nomcs de cntidadcs coleti\ras

Sl 1

Nomcs de congressos/eventos

S30

Títulos uniformes

S40

Tiniios bibliográficos

S50

Termos tópicos

S51

Nomcs gcograficos

S.T.: Eniborn estes scr\.iços

de \.cndas dc registros lLr\RC cm forma

clctr6nicn sejam comuns nos Estados Unidos, nao esistcm, n%presente

data, ser~icosbrnsileiros equi\.aleotes.

Combinando esta tabela com as "Etiquetas divididas por

ccntcnas" (vcr 51\), fica cvidentc que sc o assunto dc um livro (6);s)

é uma pessoa (Lincoln, Abraham), a etiqueta será 600; sc o assunto

do livro é uma empresa (Apple Computer, Inc.), a etiqueta será 610;

sc o assunto do livro é um tópico (Estrada dc fcrro), a etiqucta scrá

650; sc o assunto dc um livro C um lugar (Estados Unidos), a ctiqucta

,

será 651. Uma entrada secundária (7XX3 para um colaborador (nome

pcssoal) terá a etiqueta 700.

I

A Classificação Decimal dc Dcwcy usa uma forma similar de

construção para as suas tabelas de localizações gcográficas c de

subdivisòcs-padrão.

:

!

G. Informações que aparecem apenas no inicio do registro

USMARC.

Precedendo as partes principais de um registro bibliográfico

- que são conhecidas dc todos os bibliotecários porquc estão

presentes nas fichas catalográficas - o USMARC contém algumas

informaçõcs menos conhecidas. Sistemas de catalogação automatizada

geralmente fornccem informações pré-programadas (defauld ou

oricntaçõcs @ror,lpts) para ajudar o catalogador na entrada dessas

informaçócs.

A. Lider:

O líder consiste dos primeiros 24 caractcres do registro. Cada

posição tem um significado, mas muitas informações do líder são

para uso do próprio programa de computador. Os programas de

criação c edição de registros USMARC geralmente oferecem

informações (dados dejault) c/ou protnpts para ajudar o catalogador

no preenchimento de quaisquer elementos de dados do iídcr que

requeiram entradas. Os detalhes neccssários para se intcrpretar o Iídcr

estão na partc IX desta publicação.

B. Dirctório:

Os rcgistros USAIARC sào chaniados dc rcçistros

"ctiquctados" (toxrd. 11ntcs dclc se tornar uni registro "etiquctado",

o registro L!SAL\RC (chnniado nesta fase de formato LiSLL.\RC de

comunicaç~o)tcni uma npnrência bciii di\-crsa - parccendo unia

longa scqu6ricia dc caractcrcs. No forniato dc comunicnçào os cam-

pos n5o sno precedidos de ctiquetns. Entretanto, imediatamente

ap6s o lidcr, \.cm tini bloco dc dados chamado dirctório. Este dirctório

informa quc ctiquctns cstào no rcçistro e ondc estão localizadas

(dando o núriicro do caracterc ondc cada canipo começa). O diretório

é construido (pelo computador) a partir de um rcptro bibliogrifico.

baseado na informação dc catalogação. Se qualquer informaçào

catalogrifica for alterada, o dirctório podc ser reconstruido da mesma

Foriiia. A partc SI iiiostra uin rcçistro no formato dc comunicaçào

LISAíARC, incluindo scu cliretório.

C. Campo 008:

Este campo é chamado de Elcmcntos de Dados de Tamanho

Fixo, ou Códigos de Campos Fixos. Scus 40 caracteres contém

informaçócs muito iiiiportantcs, mas abreviadas. Embora cle nào

seja ainda usado na siia totalidade em catálogos oiilii~t,cstc campo

podc scr usndo para identificar e recuperar rcçistros que satisfaçam

a critérios cspccificos.

Por cscniplo, ncstc canipo csistc um código para idcntificar

se o livro é uma imprcssào com tipos paúdos, outro para indicar o

país dc publicaç?ío, outro para identificar o público alvo (por

cscmplo: ju\.cnil), outro para idcntificar o idioma do testo c assim

por diantc. Os detalhes ncccssários para intcrprctar o campo 008

para livros cstào na partc S.

PARTE IV

ONDEOS REGISTROS USMARC SE ORIGINAM?

O conipartilhamcnto dc informaçócs catalográficas -

t

:

compartilhamcnto dc rcgistros bibliográficos - tem sido uma

realidade há muitos anos. Muitos bibliotecários, ao invés dc criar os

dados catalográficos, preferiram adquiri-los, otimizando o cmprcgo

dos recursos limitados de que dispunliam. Por quase um século as

bibliotccas vêm adquirindo da Library of Congrcss os conjuntos de

i

,

I

,

,

ficlias catalográficas para os novos livros que adquirem. Mais

reccntemcnte, esta aquisição tanibbm tcm sido feita junto aos

fornccedorcs de livros.

Outras bibliotecas continuam datilografando suas próprias

fichas, usando dados da Catalogação na Fonte (Cataloging in Pub-

lication - CIP) encontrados no verso da página-dc-rosto de muitos

livros. Os bibliotccários também fazem adaptaçócs de rcgistros

catalográficos (parciais ou complctos) cncontrados em revistas

cspecializadas ou em bibliografias.

Dcsdc que os computadores se tornaram disponívcis, não é

mais nccessirio que os bibliotecários continuem constantemente

"rcinvcntado a roda". Por que centenas de catalogadores têm dc usar

um tcmpo valioso para redigir registros bibliográficos. quase idênticos,

de um mesmo itcm, quando um único catalogador podc Fazer isto c

compartilhar o rcgistro criado? Por que centenas dc datilógrafos

rcdigitam o mcsmo rcgistro cm fichas, quando o computador podc

ser programado para imprimi-las?

Após o desenvolvimento do rcgistro UShfARC, todas as

bibliotccas putlcram compartilhar os bcncficios da catalogação

lcgivcl por coiiiputador, indcpcndcntcriientc dc possuircm ou iiào

sistcmas otiliiic. As fichas catalojiráficas. conipradas da Library of

Conjircss o11 dc outros forncccdorcs, passarani a scr impressas por

coiiiputador a partir das fitas magnéticas dos rcgistros hfARC da

Library of Corigrcss.

Univcrsidadcs e faculdades, corii grandes orçamentos para a

biblioteca, afiliaram-sc a ser\-iços bibliográficos. como Online Coni-

putcr Library Ccntcr (OCLC), \Kcstern Library Nenvork (WT4N),

Rcsearch Librnrics Information Ncnvork (RIJN) c I\-G Canadi.

Por uma taxa mcnsal, alcni dos custos dc tclecomunicaçào, os

dcpartnriicntos dc proccssamento técnico destas bibliotecas puderam

sc coriectar OII~IPcom OS poderosos coniputadores dc gandc porte

dcstcs scrviços bibliográficos. Estas iniciativas permitiram a essas

bibliotecas usnr registros UShL4RC esistcntes c contribuir com

novos registros. ils fichas catalográficas poderiam scr encomendadas,

e unia irnprcssora poderia ser acoplada aos sistcmas para recebcr os

dados através das linhas tclcfònicas e imprimir as etiquctas dos livros.

Nn cra atud, microconiputadores potcntes c de baixo custo

cstào disponivcis para a administração de scrviços em bibliotecas

de qualqiicr tatiianlio. Prograrii~spara microconiputadorcs pcrmitcin

que cada bibliotcca tenha seu prbprio sistcrrin dc circulaçào ou

cntálogo oirliiic para acesso público.

Estes prograriias, gcrnlnicnte, podcn~ler, armazenar c iriiprirnir

rcgistros no formato UShL-\RC. i\ maioria dos microcotiiputadorcs

de hoje utilizam discos rigidos e disquetes, para armazenar

informaçócs ao invés das fitas magntticas usadas pelos

computadotcs de grande porrc. Nos microcomputadores, os dados

geralmcntc sào cnviados e recebidos cni disquetcs. Dos disquctcs, os

rcgistros bibliográficos sào transferidos para o disco rígido, que faz

partc do niicrocomputador.

;\ rncdida quc as tccnoloçias dc automaçào de bibliotecas e

as ncccssidadcs <Iccatalogaçào sofrem mudanças, o formato US>L.\RC

c sua respectiva documcntaqio tambcm vào passando por altcraçóes.

Embora o forriiato L\RC rcnha sido otiginalmcnte desenvolvido

pela Library of Congress quc tambtm mantém c publica a

documentação do formato UShMRC, esta biblioteca não rcaliza estas

modificaçócs c rcvisòcs unilatcralnicntc.

Dois grupos, rcsponsávcis

por

rever e modificar a

documentação do USiçIARC S~Oo Machinc-Rcadable Biblio-

graphic Information Committee (MARBI) e o US MARC Advi-

sory Committec. O hl1lRB1 é um comitê da Amcrican 1.ibrary

Association (ALA), e é formado por três representantes de cada

uma das seguintes divisócs da ALI\: ALCTS (proccssamento

técnico), LITA (automação) e RUSA (rcferéncia). A ALA se esforça

.

por garantir que todos os tipos dc especialidades cstejam

i

reprcscntados no MRBI. O US Mt\RC ildvisory Committec i: ,

composto dc rcprcsentantcs das bibliotccas nacionais nortc-

americanas, dos

serviços

bibliográficos,

dos

grupos

de

fornecedores e de outras associações bibliotecárias ou acadêmicas.

O bíARBI se reúnc conjuntamcntc com o US mRC Advisory

Committee em cada

congresso da ALA (anual c no periodo dc

,

;

I

inverno). A principal atividadc deste comitê é a revisão de

documentos de discussão e propostas de altcraçóes ou acréscimos

aos formatos MARC csistcntcs, aprcscntadas pcla Library of Con-

grcss ou por seu intcrmtdio. Outra atividadc importantc i: o

desenvolvimento dc novos formatos hMRC para árcas que estão

surgindo.

Em 1987, a Library of Congrcss publicou a primeira edição

do docurncnto USMARC Spec$cationrjor Record Structrrre, Character

Seis and Exchal~gehledza, para auxiliar bibliotecas c outras

organizaçóes que produzem c adquirem rcgistros USMARC. Uma

segunda ecliçáo foi publicada em 1990. Este documcnto fornece

informaçóes técnicas sobrc a estrutura do registro USiMARC, o

conjunto de caractercs usados no registro USMARC c o formato

para as fitas magnéticas usadas para distribuir os rcgistros

US;\IriRC. Destina-sc ao liso de pessoal envolvido no projcto c

manutençào de sistemas para o intercâmbio e processamento de

registros USSIARC.

Coiii a prolifcraç5o de sisteiiias de iiiicroconiputadorcs cni

bibliotecns. ficou evidcnte a ncccssidadc de um padrào tambfm pnra

o intcrc5ini>io de resistros CSlL.\RC em disquetes. Trabalhando

conjuntnmcnte corii rcprcscntantes dc forncccdores dc livros e

dacios, hcni como dc sistemas clc autoiuaç5o de biblioteca, o .\L.\RUI

e o ES ;\I;\RC Ad\.ison Committce rcconicndaram propostas que

rcsultnram cni riiudanças e acrfsciiiios ao formato US.\L-\RC e na

piiblicaçáo cni 1991 do docunicnto Ií.L\L4RCDikettr

Lnbrl.+er~ira-

.\[ais recentcniente, foram desenvolvidas especificaçóes

tanibcin para a distribuiçáo dos registros USLMRC via transfercncia

rlc arcliiivos (ITP).

i\s cspccificaçõcs para <listribuição via disqiictc

c kTP apnrcccni na ediçào de 1994 das espccificaçócs do USALARC.

Bibliotccirios, fornccedores, todos cnfim, qiic distribuem

dnclos catnlogrificos precisam estar cm condiqòes de fornecer

rcçistros L!ShIr\RC cni forniato padronizado. Fornccedores de

sistemas dc autoiiiaçio de bibliotecas deveriam projetar seus

sistemas de modo a recebcr e processar registros USSIARC

corrctamentc. Os bibliotecários que empregam microcomputadores

-

-

na adtiiinistraçào de suas bibliotecas são os beneficiários diretos dc

todos cstcs trabalhos dc padronizaçáo do UShMRC.

PARTE V

QUEST~ES

SOBRE OS DADOS EM USMARC

i

i\ mcclida que os computaclorcs c a tccnologia continuam a

progredir, surgem qucstões importantes sobre a qualidade dos dados

bibliográficos c os sistemas de automação dc bibliotecas baseados

cm niicrocompiitadores. I< ncccssário cstar cientc dcstas clucstòcs c

de sua importância para a bibliotcca.

A. Questõcs sobrc os dados:

i

;

i

Quando se avaliam registros bibliográficos convfni fazer

algumas pcrguntas importantes: QIIUIa q~~aíidadedos dados AUKC?

  • - Oilais cartpor do USAL4RC estão presentes? Os dados baseiam-se tios regirtros IIMRC da Libra13 of Co~lgress? Caso se ilrrseiern, a injor/.vapio conpleta constairte dos registros dasjitas &iLibraty oj Congress estáprese,rte iros registros? Alg,~rlm coisajoi acresce~itadaao registro?

Alguns bibliotecários solicitam cópias impressas dos registros

NARC a diferentes Fornecedores dc dados bibliográficos para poder

compará-los quanto à sua complctcza c compatibiiidadc com os

padrõcs UShLr\RC.

Naturalmente, o conteúdo dos registros bibliográficos

determinará, em grande parte, o êxito da automação dos serviços

da biblioteca para bibliotecários e usuários. I? muito importante

que estcjam sendo obtidos registros da mais alta qualidade.

B. Questõcs sobrc os progrzimas:

As próximas perguntas que logicamentc devem ser Fcitas

são: O sist<,/nade n~~tor/~ayüo

de bibliotecas que está retido avaliadn uftli2a

II~IIIII 1. III~

os?

O S~SIII~P.~I-II

/odos os d,ldos

P os de.r&imn'oi?

..

r

de roii/t,~idod o I!S.\L-iRC?

O sistcnia carrega o registro completo, sem limitaçòes

dcscabi<las ou incorretas, c111 rclnçào n, por cscriiplo, número

dc

cnbcçallios dc assunto quc iridcsará ou a cstcnsào dos campos dc

notas? hiesnio quc o disq~rctecontenha registros cscelentcs e

coniplctos, qunlqiicr sisrcnia dc automnç5o dc l>il>liotccaspoclcri

usar apcnas o quc foi transferido para o disco riçido. @Iesmo quc o

sistema ama1 scja um sistema apcnas para circulação que usc dados

mais siriiplcs, é importante niantcr os disquetcs de dados USMARC

parn posterior carregamento dos rcgistros bibliográficos completos,

visnndo a cspansào parn um catálogo oirlirre).

As ctiquctas ALARC, indicadores c códigos de subcampos

aparcceni na tcln dc entrada dc dados do bibliotecário?

Os

indicadores sào usados corrctnn~cnrc? Os códigos de subcampo

s5o usndos corrctniuicntc? (21 inhrr-iinçào na partc \'I1 dcsra

publicaçào njudnri na avnliqào do uso corrcto dos desiçnadorcs

dc contciido).

Dcpois dos rcgistros scrcrii inseridos na bnsc dc dados. é

iniportantc qiic cstcs scjam armnrcnados no formato bibliográfico

USAL\RC, pois projctos ftimros podem csigir o seu uso. O formato

hL\RC i. uni pndrso adotado por rodn a indústria dn informação. '4

medida que surgcm novos programas, a possibilidade de a biblioteca

participar dcles irá depcnder da qualidadc de seus registros

bibliogrificos.

As observações acima suscitarii ainda uma outra questão. O

sistcnia pcrmite a importação dos registros ou a sua gravação em um

tlisquctc, paxi quc os iilcsnios zcjaill usacios c111 oiitros projctos, coiiio

por cscniplo, uni projeto dc catalogo coleti~o?Haverá um programa

quc gravc os registros no formato dc comunicaçào US,\L\RC? (Veja

a prtc SI cicsta p~il>licaç?íoparn uma discussão de \-ários formatos

dc coniunicnção c dc csibiç5o cm tcln).

PARTE VI

CONCLUSÃO

Nas páginas anteriores aprendemos o significado da sigla

hWRC. Foi explicado porque um formato padrão para idcnuficação

dos elementos dc dados bibliográficos se tornou necessário e porque

clc ainda é importante. Aprendemos a definir e identificar os três

.

1

!

,

tipos dc dcsignadorcs dc conteúdo i\lARC: etiquetas, códigos dc

subcampo e indicadores. Mais importante, com este conhecimento,

,

podemos compreender as questõcs que se dcvem considerar quando ;

da compra dc dados bibliográficos ou dc um sistcma dc automagão

de biblioteca.

i

Para ampliar esta introdução básica ao tópico, scrão bcnkficas

leituras adicionais sobre o assunto ou cursos sobrc catalogação onliire.

Outras lcituras cstão sugcridas na bibliografia na página 83. Talvcz,

a primeira vista, o MARC possa parecer difícil, mas, com o

conhecimento c uso, começará a fazer scntido. Quanto mais nos

familiarizamos com o klARC, mais simples elc se torna.

~~TERIAL

DE REFERENCIA DO USMARC

PARTE VI1

i

RESUMO DOS CAMPOS MAIS USADOS DO UsmC

Aqui apresentaremos um resumo dos campos USMARC mais

usados pelas bibliotecas na entrada de dados de seus próprios

registros bibliográficos. Para a lista complcta de todas as cticluctas,

indicadorcs e códigos de subcampos, veja a publicação USM1RC

Forrimt for Ai6ho~rapbicData.

Xo resumo que se seguc, o1,scrvc que:

Etiquetas:

As etiquetas (número de três dígitos) são seguidas pelo nomc

do campo que elas representam. Ncstc resumo e na publicação

LJSiI~blRCForrnat for Bibliograpbic Data, sc uma etiqucta puder

aparcccr mais dc uma vez num registro bibliográfico, será marcacla

como rcpctitiva (R). Se a ctiqucta somcntc pudcr ser usada uma

vez, i: marca<la comi] não-repetitiva (NR). Por cxcmplo, um registro

bibliográfico pode ter vários assuntos, de modo que as etiquetas

para as entradas secundárias dc assunto (6XS7 serão marcadas como

etiqiictas rcpctitivas (R).

Indicadores:

O uso dos indicadores c explicado nos campos em que são

usados. Os indicadores são números de um dígito. A partir do campo

010, em todos os campos - após a etiqueta - encontram-sc duas

posiçóes de caracteres, uma para o Indicador 1 e uma para o

Indicador 2. Entretanto, os indicadores não são definidos para todos

os campos. E é possível quc o 2" indicador venha a ser usado,

ciiqiinnro o 1'' iridicnclor pcriiiancça indcfinido (ou vicc-vcrsa). Q~iaii<l<~

iim indicndor c indcfinido, a posiçào do caractcre será rcprcscntada

pclo carnctcrc d (para cspaço cm branco).

Códigos dc subcampo:

Em cndn campo (a partir do campo 010), todos os dados sào

divididos c111 subcninpos, c cada um

i. precedido por uma conibinaçào

de dclimitndor c código de subcampo. Os códigos de subcampo

ninis comuns, usados com cada etiqueta, sào mostrados a seguir. Cada

código de subcanipo é precedido pclo caractere $ que indica um

delimitndor. Após o código vcm o nome do subcampo.

Em geral, todos os campos DEJ'EhI tero subcampo "a" ($a).

Uma csccçào obscrvadn frcquentcmcnte ocorrc no campo 020

(ISUN), quando nso csistc a informação do ISBN (subcampo ta),

nias o preço (subcnmpo $c) 6 conhecido. i\lLguns subcampos sào

rcpctitivos. Neste rcsumo, a rcpctitividndc é mostrada somcntc para

os subcanipos rcpctitivos mais comuns.

Escrnplos:

11 esplicnçào para cada cainpo i: seguida dc exemplos. Para

facilitar n comprccnsio, uni cspaço foi colocado cntre a ctiqueta c

o primeiro indicador, uni cspaço foi colocado entrc o segundo

indicador c o primciro delimitador-código dc subcanipo, c uin cspaço

foi colocado entrc o delimitador-código dc subcampo e os dados

do siibcninpo.

010 Número de controle da Library of Congrcss (1-CCN -

Library of Conçrcss Control Numbcr) @'R, ou não-rcpeutivo)

Iiidi<adores i~idtjpfinidos.

.Si~Lra~~~pos

~iiais ~isados:

$a Núiiicro de controlc da Library of Conçrcss

  • 020 Númcro Intcrnacionul Normalizado para Livros (Intcrna- tional Standard Book Numbcr - ISBN) (R, ou Repetitivo)

Iiidicadores iiidefiiiidos.

.T~ll>cat~/posnrais rlsados:

ta

$c

$2

International Standard Book Number QSBN)

Condições de disponibilidade (geralmente preço)

ISBN cancclado/inválido (R)

  • 040 Fonte de catalogação (NR)

Iiidicadores i~lde/i~~idos.

Sulcanpos mais usados:

ta

Agência catalogadora original

$c

Agência dc transcrição

 

td

Agência modificadora (R)

I;;xfi//p/o:

040

dd

$a

DLC

 

$c

DLC

$d

gwhs

  • 100 Entrada principal - Autor pessoal (autor primário) @R; pode haver apenas uma entrada principal)

.

.

Ii~dicarlor1: Tipo de cntrada de nome pessoal

O

Prcnomc

1

Sobrenome (esta é a forma mais comum)

3

Nomc dc fam~lia

Iirdicador 2: if~d./i~rido. O indicador 2 se tornou obsoleto cm

1990. Registros mais antigos podem contcr O ou 1

SII~C~II~OS

1~1aisr~sados:

$a

Nomc pessoal

$b

Numeração

$c Tidos e ouuas pala\-ras associadas coni o nome (R)

0-9 Número de caractcres presentes a serem ignorados

$q

Forma completa do nomc

 

na alfabctação (para artigos iniciais, incluindo

 

$d

Datas associadas com o nomc keralnienre, ano de

nnscimcnto c morte)

espaços)

Si~bca~~pos

mais ~~sador:

  • i ! !

 

$a

Titulo uniforme

1 I

E.~-rr?plo:

100

16

$2 Grcgory, Ruth \V

Idioma da obra

 

$q (Rurli \\;'ilhclme),

$f

Data da obra

$d 1910-

 

Exenqlo:

240

10

$a Uc mystérieusc.

  • 130 Entrada principal - Titulo uniforme (SR)

Iiid;o~dor I:

Caractcrcs a scrcm ignorados na alfabctaçio

0-9

Xúmcro dc caractcrcs prcscntcs a serem ignorados

na alfabetai;ão (para artigos iniciais, incluindo

cspaços)

Iiidiciidor 2: ,>irir/j>i~rlo.

O indicador dois sc tornou obsolcto

cni 1990. Q'cr

100 acinia).

.Sii/,~~~,q~os ~m7i.r 11smd0.r:

$a

Titulo uniforme

$p

$1

Nonic da parte/seç%o da obra (R)

Idioma da obra

$s

$f

\'ersio

Data da obra

Esrr~plo:

130

O$

$a Bíblia.

$p h. T.

$p Salmos.

240 Titulo uniforme @R)

Iiidirndor 1: Titulo uniforiiic imprcsso ou csibido na tcla

O

Niio impresso ou exibido na tela

1

lmprcsso ou csibido na tela (mais comum)

IO:

Caractcres a serem ignorados na alfabetaçio

., .

.~. .

.

$IInglês.

$f 1978.

245 Titulo - Indicação de titulo (NR)

Ilcaor I: Entrada secundária de título (O título dcve ser

indcsado como cntrada secundária dc título?)

O Ncnhuma cntrada sccundária de útulo (indica iim:i

entrada principal dc título; isto 6, nenhum autor c

 

indicado)

1

Entrada secundária dc titulo (o indicador adcquado

quando um autor aparcce cm IXX; a situação mais

comum)

Iiidicador 2: Número de caractcres a screm ignorados na

 

alfabctação

0-9 Número de caracteres incluindo espaços;

geralmentc zero, exccto quando o útulo começa

com um artigo; por cxcmplo, para The robe, o scgunclo

indicador scria 4. As Ictras T, h, e, c o cspaço quc

sc segue a clas são ignorados na alfabctação de

títulos. O rcgistro será automaticamente alfabetado

cm "r" dc Rohe.

S~ibcnriposmais usados:

$a

$h

Titulo eopriamcnte dito

*.

.

..

.

..,

.

.

Meio (frequentemente usado para materiais

especiais)

ip

$b

$c

Noiiic dn partc/scçào da obra (R)

Outrns informaçòes sobre o título (subtitulos, etc.)

Outras informaçõcs dn transcrição da página-dc-

rosto/mcnçáo dc responsabilidade

Escr~qlo:

245

14

$2

$b

$c

The DNh stoq :

a docuincntary histo~of gcnc

cloning /

Jnmcs D. \Yrntson, John Toozc.

246 Forma variante do titulo

Iiidirodor I: Nota/Controlador de cntrada secundária dc útulo

  • 1 Nora, entrada secundária dc útulo

  • i Scm nota, cnuada secundária dc titulo

Iiidicodor 2: Tipo de titulo

Kenliuma inforniação íornccida

O

Partc do útulo

  • 1 Titulo paralelo

  • 4 Titulo da capa

  • 8 Titulo da lombada

Slll>rn~,,pos~flais IIS~L~OS:

$a

Titulo proprinmentc dito

Eserl,p/o:

246

3

a

Four corncrs po\xrcr re\-iew

250 Edição (XR)

Iiidic~doresirirlj~~idos.

Si~brar~posr~~nis

11sad0.r:

$a

Edição

J/O:

350

v!b

$a

6'h ed.

I

I

  • 260 Publicação, distribuição, etc. (NR)

Iiidicadores i,tde/iiiidos. O indicador 1 se tornou obsolcto cim

1990. Registros mais antigos podem mostrar O ou 1.

Sz~l>canlposmais ilsados:

$a

$b

$c

Local de publicação, distribuição, ctc. (R)

Nome da editora, distribuidora, etc. (R)

Data dc publicação, distribuiçio, etc. (R)

I

Exeri/plo:

260

$a

Ncw York:

 

fb

Chelsca House,

$c

1986.

1

1

1

!

  • 300 Descrição física (R)

Iiidicadores iildeji~idos.

Siibcanpos mals .vsados:

  • 1 $a Extensão (número de páginas) (R) $b

Outros dados físicos (gcralmentc informaçõcs

1

i

!

sobre ilustrações)

$C Dimensões (cm.) (R)

$e hlatcrial que acompanha a obra (por ctcmplo, "bwia

para o professor" ou "manual")

Exenqlo:

300

vj6

$a

139 p. :

 

$b

il. ;

$c

24 cm.

  • 440 Série / Entrada secundária - Titulo (R)

Iiiiicador 1:

Iiidirador 2:

itid$/iido.

Caractcres a screm ignorados na alfabetação

0-9 Número dc caractcrcs prcscntcs a scrcm ignorados

na alfabctaçio (para artigos iniciais, inclusive

cspaços)

SII/><-~III~OS

III~I~

1i.rado.r:

 

I -

504 Nota de bibliografia, etc. (R)

 

$a

Titulo

Itrdicadores i~idej~iidos.

 

Xútncro do volumc

 

J'i~bcanlporriais i~sados:

 

$a

Nota de bibliografia, ctc.

 

Esrt~piu:

440

bO

ja

hlodern critical vicufs ;

 

i\.

26

Eser?p/o:

504

vjd

$a

Inclui refcrência bibliográficas.

490 Scric (Ncnlilimn cnrrada secundária c dcsdobrada para cstc

cari-ipo) (R)

Idrdor 1:

Espccifica se a séric c dcsdobrada (se houver

taiiibtni uma cticlucta SSS, a séric c dcsdobrada

dc forma difcrcntc)

O

Sfric nio dcsdobrada

1

i\

scric

dcsdobrada de modo difcrcntc (SSS existe

no rcçistro)

Itidicador 2: itrd~it~ido.

J'iibc,~~~,pos

mnis r~sados:

 

$a

Skric (R)

$v

Núnicro do volumc (R)

o:

490

I$

$a

Colonial Arnerican craftsmen

500 Notas Gerais (R)

1,idiiadore.r ~t~d$iridos.

Siiiicninpos riiais ~isados:

$a

Xota gcral (Usada quando ncnhum caiupo cspc-

cial dc notas foi dcfinido para a informaçáo.

Excrnplos: Notas a rcspcito do indicc; a fonte do

titulo; variaçòcs no titulo; dcscriçòcs sobre a

natureza, forma, ou abrnnçfncia do item).

o:

500

v~

$a

Inclui indicc.

505 Nota de conteúdo (R)

I~idicador7 :

Tipo de nota de conteúdo

O

Conteúdo complcto

 

.

,

1

Contcúdo incompleto (usado com obras dc '

múltiplos volumcs quando alguns volumcs náo fo-

ram publicados ainda)

 

2

Contcúdo parcial

Itidicarlor 2:

Nível dc designação dc conteúdo

 
 

Básico

Jf16caiipos ??/ais r~sados:

 

$a

Nota de contcúdo

Exer~lplo:

505

O$

$a

Pride and prejudice - Emma

 

Northangcr Abbcy.

520 Nota do resumo, etc. (R)

1)idicador 7: Controlador de constantc de cxibição

 

y,

Ncnhuma informação fornccida

1

Rcvisão critica

 

2

Escopo c contcúdo

?

Altstract

Ilrdicador 2: i~rdfirido.

Si16ca111pos riiais ~isados:

I

I

+a Rcsunio, <~l>.c/~i~r/ou anotaçio

+b I~spansàoda nota clc resumo

lcgislativo esplica como dirigir

e pamcipar apropriadamcntc de

unia rcuniào.

espccifico para cstcs cabcçaihos dc assunto. Portanto,

o indicador 7 C usado, e o código "Sears" definido

no UShIilRC C usado no subcampo $2).

S116cnf,,posmois ~~sndos:

$a

$b

Nomc pcssoal (prcnome c sobrcnomc)

Numeração

$c

Títulos c outras palavras associadas com o nome

$q

(R)

Forma complcta do nome

i

$d

Datas relativas ao nomc (geralmente, ano de

600 Entrada secundária dc assunto - Nome pessoal (R)

 

nascimento c mortc)

 
 

Iirdicndor 1: Tipo de entrada de nome pcssoal

 

$t

Título

O

Prcnome

+v

Subdivisão dc forma (R)

 

1

Sobrcnonic (csta C a forma mais comiini)

$x

Subdivisão gcral (R)

3

Nome de família

$y Subdivisão cronológica(R)

Iii~/ic~~dor 2: Sistcnia dc cabeçalho de assunco/tcsauro

 

$2 Subdivisão gcogrifica (R)

 

(identifica a lista especifica ou o arquivo usado)

$2 Fontc do cabeçalho ou tcrmo (usada quando o

 

0

L.ibrary of Congrcss Siibject Headings/arquivo dc

segundo indicador for o "7")

 
 

autoridndcs da Libran of Conçress (LC)

 

1

Cabeçalhos dc assunto da Libran of Congress para

Exe~~~plo:

600

10

$a

Shakespcare, \Villiam,

 

literatura infantil

$d

15641616

 

3

Slcdical Subjcct 14cadings/arqui\~osde autoridades

$s

Comédias

 

da National Libran of Alcdicinc (NLAT)

$s

História do teatro.

 

3

Arquivo de autoridades de assunto da National

 

i\gricultural Librar)

 

4

5

Fonte nào especiticada

Canndian Subjcct I-Icadings/arquivo dc autoridaclcs

Exe~q~lo:

600

10

$a

$c1

$s

Shakcspearc, William,

15641616

Conhecimentos

 

da National Library of Canada (NLC)

$2

Roma

 

6

RCpcrtoirc des vcdettcs-matiCre/arquivo

de

$v

Congressos.

 

autoridndcs da Nationai Librag of Canada P1LC)

 

7

Fonte cspecificada no subcampo $2

vota a rcspcito dos cabeçalhos de assunto Sears:

O formato USLLIRC não fornece um indicador

Observe que os subcampos $v, $x e $2 no campo 600 são repctitivos.

Os subcampos $v, $x, $y

c

$z

não precisam estar em ordem

nlfabctica. Elcs de\-crio cstar na ordciii prescrita pelas instr~içi,cs

dnd:is pclo sisteriia de cabcçnllios de assunto.

610 Entrad:~secundária de assunto -

Nomes de entidades

coletivas (R)

o

1: Tipo de cntr:ida de entidades coleul-as

  • 0 Xoiiic invertido (nio usado coin 3s I\I\CR?R)

    • I Nome da jurisdição

      • 7 Xomc eiii ordem direta

Idodo 2:

Sistema tle cabe~alliodc assunto/tcsauro. Ver

in<lica<lor7 cni 000

~.II/I,',I/II~O.~

??/o;.r /l.r,~do~.:

$a Nome da enudade colctiva ou nome da jurisdiç5o

coiiio cleii~cntode entrada

$b Gnid:idc suhordinadn (R)

)

Subdivisio dc tíiriiia (R)

+ Subdivisio geral (R)

$y Siibdivisiio cronológica (R)

$z

$2

Subdi\-isào geográfica (R)

Fontc dc cabeçallio ou tern-io (usado quando o

seçundo indicndor for o "7")

E.~t/uplo:

61 0

10

$a

Estados Unidos.

 

$b

:\rm!.

.\ir

Forces

$7

Biografia

650 Entrada secundária de assunto - Tcrmos tópicos (A

ti-iaioria dos cabeçallios de assunto se encaixa neste caso.) (R)

Iddor I: Geralmente em branco (Nenhuma informaçáo

fornccida).

Iiid~cndor7: Sistcma dc cabeçalho dc assiinto/tcsauro

(identifica n lista cspccifica ou o arquivo quc foi

utilizndo)

O

Library of Congress Subjcct Hcadings -

1

Cabeçalhos de assunto da Librar). of Congrcss para

literamra infantil

2

blcdical Subjcct Headings

3

Arquivo de autoridades de assuntos da National

Agricultura1 Libray

4

Fonte não cspccificada

5

Canadian Subject Hcadings

6

Répertoire des vedettes-matièrc

7

Fontc especificada no subcampo $2

(Nota a rcspeito dos cahcçalhos dc assunto Scars:

O formato USkMRC não fornccc um indicador

especifico para cabeçalhos de assunto Scars.

Portanto, o indicador 7 é usado, c o código "Sears"

definido no USMARC i. usado no subcampo $2).

.S~~Lcur?@osn~nis ~~sodos:

$a

$v

$s

$y

$2

$2

Termo tópico

Subdivisão de forma (R)

Subdivisão geral (R)

Subdivisáo cronológica (R)

Subdivisáo geográfica (R)

Fontc do cabcçalho ou termo (usada quando o

segundo indicador for o "7")

$2

Estados Unidos

Obscrvc que os subcampos tv,Ss c $L no campo 650 sáo rcpctitivos.

Os subcampos $v, $s, $y e

$2 não precisam cstar cm ortlem

alfabética. Elcs deverão estar na ordem prescrita pelas instruções

dadas pclo sistema de cabeçalhos de assunto.

  • 1 651 Entrada secundária de assunto - Nomes geográficos (R)

!

Iitdii<~dor1: iitdc~itido.

Idrdor 2:

Sistema de cabeçalhos de assunto/tcsauro. J'cr

indicador 2 em 600

i

.T~I~>~~II,,/>os

~mlist~stldoi:

I

$a

Nonic gco,qático

$v

Sitbdivisão dc fornia (R)

+I

L.

Subdivisão gera1 (R)

 

Subcli\~is5ocronológica (R)

 

$2

Siibdi~isãogeográfica (R)

$2

Fonte do cabeçalho ou tcrnio (usada quando o

scLpnclo indicador for o "7'3

Ext,~~Ip/o:

6

0

$a

Estados Unidos

 

$s

Histbria

+v

Cronologia.

Obscr~cque os subcnnipos e,+s e $z no campo 651 são rcpctiti~os.

Os subcanipos @, $s, $y e tz n5o precisa111estar cni orclcni alíabttica.

Eles dcvcrão cstar na ordctri prescrita pclns instruções dadas pelo

sistcma dc cnbcçallios de assunto.

700 Entrada sccundária -Nome pessoal (R)

Iitdirndor 1: Tipo de cntrada de nome pcssod

O

Prcnonie

1

Sobrcnome (esta é a forma mais comum)

3

Nonic de Faniíiia

Ii1diindor2: Tipo de cntrada secundária

6

Xcnhuma informação fornecida (o mais comum; co-

autores, cditorcs, ctc.)

2

Entrada annlitica

(Os valores para o Indicador 7 Foram alterados cm

1994 com a Integração de Formatos, e registros mais

antigos poderão mostrar valores adicionais. Uma

entrada analítica envolve um autor/útulo de um item

contido cm uma obra).

J~ílirnr>posr~ois ~lsotlos:

$a

Nome pcssoal

$b

$c

$q

$d

$e

$4

Numeração

Títulos c outras palavras associadas ao nomc (R)

Forma completa do nome

Datas rclativas ao nomc (gcralmcntc, ano de

nascimento e morte)

Relação do autor com a obra (tal como il.) (R)

Código da rclação (R)

Ex-prplo:

700

1s

+a

Baldridge, Lctitia.

  • 710 Entrada secundária - Entidades coletivas (R)

Idiodor 1

Tipo de cntrada de entidade colctiva

O

Nome invertido (não usado com as MCKZR)

1

Nomc da jurisdição

2

Nomc em ordcm direta

Iirdicador 2: Tipo de cntrada sccundária. Ver indicador 2 em

 

700

6

Ncnhuma informação fornccida

2

Entrada analítica

Sitlicat~~os

rrirris t~sados:

$a

Nomc da entidade colctiva ou nomc da jurisdição

como elemento de cntrada (NR)

$b

Unidadc subordinada (R)

Exer~pfo:

710

26

$a

Sunburst Communications

(Firma)

  • 740 Entrada sccundária -Titulo relacionado, n2o controlado/ titulo anditico (R)

1iihindo1- 1: Caractcrcs a scrcm ignorados na alfabctaçào

0-9 Núiiicro de caractcres prcscntes a screni ignorados

na alfabctaç5o (para artigos iniciais, inclusive

cspaços)

Iiidirodor 2: Tipo de enunda secundária. I'cr indicador 7 em

700

Ncnliuina informaçào Fornecida

  • 7 Entracla analitica (Este campo foi rcdefinido cm 1994 com a Intcgraçào de Formatos. iintcriormcnte, o campo cra tntiibi.iii usado para variaçòcs do titulo, tais como foriiins difcrcntcs dc cscrcvcr o út~ilon:i lot~ibada.Em registros criados após a Integração dc Formatos, estcs títulos variantes aparecem no

 

cniiipo 746).

J'II/I~-OII~O

111ois /(.rodo:

$a

Titulo

800 Entrada secundária de série - Nomc pessoal (R)

1nd;rmior I:

Tipo dc entrada de nomc pessoal

O

Prcnonie

1

Sobrenoiiic

3

Nomc dc família

111d;fndoi-2: ~i~dejiiido.

Si~í~~oiiipos

iiinis itrodor:

$a Nomc pcssoal

$b Nurncraç~o

$C Títulos c outras palavras associadas ao nome (R)

$q

Forma completa do nome

 

$d

Datas rclativas ao nomc (geralmente, ano de

nascimento c mortc)

 

$t

Titulo da obra (série)

$v

Número do volume

 

!

 

I

Exe~~pto:

800

I$

+a

Fisher, Leonard Everctt.

 

+t

Colonial Amcrican craftsmcn.

830 Entrada secundária de sfrie -Titulo

I>ldicador I:

zrtde/inido.

uniformc (R)

dcdor 2:

Caractcrcs a scrcm ignorados na alfabctaçáo

0-9

Númcro dc caractcrcs prcscntcs a scrcm ignorados

!

I

na alfabetação (para artigos iniciais, inclusive

 

espaços)

Sribcai~,posr11uis i~sador:

 

$a

Titulo uniforme

 

$v

Número do volumc

Exe~>$lo:

830

$0

$a

Railroads of Amcrica

(Macmiiian)

PARTE VI11

Número de controle

Identificador do número de controle

Data e hora da última transaqão

Elementos de dados de tamanho fixo - características do

matcrial adicional

Campo fixo de descrição física

Elementos de dados de tamanho fixo (ver parte X?

International Standard Serial Number (ISSN) (Número

Internacional Padronizado de Publicações Seriadas)

Fonte de aquisição

Código de idioma

Código de área geográfica

Número dc chamada da Libraty of Congrcss

Númcro

dc chamada da National I>ibrary of Mcdicine

Número de chamada da Classificação Decimal de Dewey

o rccomendado pcla Library of Congress; o número de

chamada local pode aparcccr em outro lugar)

Entrada principal - Nomcs dc cntidades coletivas (menos

frequente nas regras AACR2R)

Caractcristicas do arquivo (programa de computador)

Data prevista dc publicação (indica um registro CIP -

Catalogação na Fonte)

Tempo de execução

Nota de créditos de criaqão/produção

Nota de citação/refcr6ncia (fontes de revisão)

Xota dc participante ou csecutante

Sotadc púl~licoalvo (primeiro indicador: 0 = nível de leitura,

1 = nível dc idndc, 7 = nh-cl de intcrcssc, 3 = caracterisucas

dc audièncias cspccini5, 4 = i\-c1 de moti\-açào/intercsse)

Xota de disponibilidndc em oiitra forma física

Nota de dctdhcs do cistctna

Nota de prcmiação

Termo de indcxaçào - Ocupação

Entrada sccundiria - Tinilo iiniformc

Locnlizaçào

;\cesso e localizaçào clctr0nica

Rcservndos para uso local. (Sào usados por forticccdorcs,

sistcn~asou bibliotecas para intcrcirnbio de dados adicionais)

PARTE IX

O LIDER

24 posiçócs no

Lidcr,

numcradas

de

00

à

23.

Para

csplicaçócs completas, ver a publicação U.TAMI<C Format for Uill-

IIo~rapbIcData.

00-04 Comprimento lógico do rcgistro (calculado pelo computador

para cada rcgistro)

05 S~CJ~IIJ

do registro

a

= acr~scimono nível de codificação

  • c = corrigido ou revisto

  • d = deletado

n

=

novo

p = acréscimo na codificação da pré-publicação (para

registros CIP/Catalogação na Fonte)

  • 06 Tipo dc rcgistro

a = impresso

c

= música impressa

d

= música manuscrita

c

= matcrial cartográfico

f = matcrial cartogt-áfico manuscrito

g = meio projetávcl

i

= rcgistro sonoro não musical

j

= rcgistro sonoro musical

k = gráfico bi-dimcnsional não projctávcl

m

= arquivo de computador

o = cstojo/kit

p = niateriais niistos

r

= artcfato tridinicnsional ou objeto de ocorrtncin nnturnl

(rcnlin)

t

= iiinnuscrit~

i

07 Nivel BibliogrSráfico

n

=

analitica dc monogratia

f, = analítica de publicaçáo seriada

I

c

= colcç5o

d

= sub-unidade

m

=

~iionogatin/item

s

= piiblicação scriada

OS Tipo de Controle

f, = tipo nào especificado

a

= arquivo

10 Contaçcm dc indicadores (sempre "2'3

11 Contaçcni de códigos dc subcampos (sempre "3")

12.1 6 Endereço-base dos dados (calculados pelo computador para

cada registro)

17 Kivcl de coditicação

= nivcl completo

  • 1 = nivcl completo, material náo examinado

  • 7 = nivel inconipleto, material não examinado

  • 3 = nivcl abre\-iado

  • 5 = nivcl parcial (preliminar)

  • 7 = nivcl minimo

8 = nível de pr6-publicação (CIP / Catalogação na Fonte)

  • I u = desconhecido

    • I z = não aplicivcl

1

i

l

I

i

I

I

I

  • 18 Forma dc catalogaçào descritiva