FOTOS DE CASAMENTOS A fotografia de casamentos é um dos caminhos que exigem mais responsabilidade e cuidados do fotógrafo.

Não se pode repetir um casamento ou pedir que se repita algo que você não fotografou direito, como a entrada da noiva por exemplo. Iremos ver algumas idéias e reflexões sobre este tipo de fotografia. São conclusões pessoais e você pode nem concordar com boa parte delas, mas algumas são de grande valia para se buscar bons resultados. Recebi algumas mensagens pedindo dicas e aqui vai o início de algumas opiniões. Antes de ir à cerimônia vou tratar do “antes”. Depois escrevo mais. BYE ANTES Para começar a oferecer seus serviços você precisa de um mostruário. Como ter um se você está entrando no ramo agora? Você pode se oferecer para fotografar o casamento de algum amigo, mas desaconselho fazer qualquer casal de cobaia em tão significativa data. O mais fácil é você começar auxiliando um profissional estabelecido. Desta forma aprenderá dicas essenciais ao trabalho e poderá, em algum tempo, ser designado para fazer parte do evento e, após demonstrar talento, fará tudo sozinho. Poderás então negociar o uso de algum serviço feito como mostruário. Lembre que precisa de autorização por escrito dos fotografados para direito de uso das imagens. Não compensa ir logo abrindo micro empresa. Você pode buscar um registro de autônomo na Prefeitura da cidade. Paga-se uma taxa anual e só. Imposto só o IR. Quando crescer aí abre-se a empresa. O cliente não poderá exigir nota fiscal, só recibo (que você indicará ao IR). Caso não possa alugar um local evite atender clientes em sua casa. Vá até ele com tudo em mãos para uma visita em domicílio. Se possível com o casal, pois os dois poderão expressar melhor que tipo de foto eles esperam que você faça. Faça um modelo de contrato em duas vias onde descreverá todos os direitos e deveres de ambas as partes, bem como uma descrição do tipo de serviço(incluindo aí a escolha entre fotos formais, fotojornalismo ou ambos), preço e forma de pagamento. Caso não tenha um bom capital de giro lucro (segunda parte do valor) fica para ficarem “sem nenhuma banda” após a ficando muito tempo com as provas sem peça antecipado um valor que cubra todo seu custo, o quando você entregar tudo pronto. É comum os casais festa, o que poderá fazê-los adiar a encomenda final, haver uma definição. Enquanto isso nada de dinheiro.

Se for indicar outros profissionais conhecidos, ligue a eles avisando que o cliente irá procurá-los. A indicação é um caminho de duas mãos. Se tiver sido indicado ligue agradecendo. Evite indicar cinegrafistas que fotografem. O pacote de serviços deles pode te por pra fora do evento. PRIMEIRO CONTATO A primeira pergunta que te fazem normalmente por telefone é: quanto custa? Evite este caminho. Explique que você não pode informar o preço de algo que a pessoa não está vendo, não conhece. Se insistirem desista. Cliente que só vê preço normalmente causa problemas. Afinal você busca oferecer algo mais, um trabalho focado na qualidade. Ao mostrar o mostruário explique que você mesmo fará as fotos. Mostruários de empresas são feitos pelo melhor fotógrafo e na hora mandam outro da equipe, dizendo que é tudo igual. Explique que este é o “calcanhar de aquiles” de grandes empresas e que o cliente, com você, receberá exatamente o que está sendo oferecido. É bom que se faça um albinho 10X15 ou 9X12 com poses e efeitos artísticos. Cada foto é numerada. O cliente irá dizer de quais gostou mais. Anote e leve as provinhas no dia. Nem você nem ele esquecerão o que foi combinado. Mostrar as fotos na hora das pose vai facilitar o serviço. Os noivos, olhando a prova fazem a pose

rapidinho. Não vai parecer amadorismo de sua parte, mas uso da inteligência para agilizar o serviço. É comum os noivos não terem paciência para perder muito tempo nas poses. Tudo que agilizar é bem vindo. E você não corre o risco de esquecer as poses escolhidas quanto fecharam o negócio. Mas cuidado. Se você mostar poses tiradas de fotos escaneadas de revistas de noivos (uma boa fonte de inspiração e plágio) tenha cuidado para estudar com cuidado a iluminação. Normalmente é feita estilo clássico(não sei o termo técnico). Uma luz principal a 45 graus da modelo e a luz da camera sendo de enchimento. Treine bem com o auxiliar e no ajuste do equipamento para obter o resultado esperado. Ofereça para que o cliente coloque no álbum umas cinco fotos manipuladas artísticamente. E que escolha logo as que deseja, de umas vinte possibilidades que você vai oferecer. Assim você anota e não esquece depois. Não venda dezenas de fotos manipuladas artísticamente num evento. O álbum vai parecer um carnaval e você vai ficar muitas horas trabalhando no computador sem o retorno financeiro viável, a não ser que se cobre a mais por fotos extas manipuladas. Mas lembre que o álbum busca mostrar um evento real, não um mundo de fantasia com imagens que são bonitas mas não existem, na realidade é uma beleza virtual criada para embelezar o álbum e não mudar a realidade totalmente. EQUIPAMENTO Não importa que marca de euipamento vá usar, mas tenha os devidos cuidados. Tem um ditado que diz: “quem tem duas cameras tem uma e quem tem uma não tem nenhuma”. Procura levar duas cameras ao serviço. Se uma pifar na hora e não houver outra será um desastre. Lembre que você escolheu um tipo de foto de grande responsabilidade. Se usar digital e só tiver uma, busque comprar uma de filme, aprenda a usá-la e leve alguns rolos de filme junto. Enfim nunca leve só um equipamento, se não quiser correr o risco de ter sérios problemas no dia e depois do casamento. Baterias e pilhas de reserva. Filmes e cartões de memória a mais. Flashes, fotocélulas e cabos sobrando. Faça uma lista padrão do equipamento e principalmente cheque tudo ANTES de sair e não na véspera. Ninguém é prefeito e você pode esquecer algo. Lembre que você vai precisar de um equipamento que te dê um ângulo de cobertura equivalente a 28mm em filme. Fotos de grandes grupos, como família e padrinhos, em recintos pequenos são comuns. Cobertura de 24mm seria ideal. E veja se seus flashes iluminam toda imagem.

VOCÊ E A EQUIPE Escolha bons auxiliares, que saibam se concentrar e que tenham reponsabilidade para não sumirem no dia do evento e te deixarem na mão. Treine-os com antecedência, não só como se posicionar mas como se portar. Normalmente são jovens e precisam saber se portar com profissionalismo. Nada de conversinhas, paqueras e risadinhas no evento, principalmente na cerimônia. Comer na recepção. Eis algo que divide opiniões. Alguns obrigam a toda a equipe a uma abstinência total. Outros permitem um refrigerante, quando oferecido pelo garçom, lá pelo meio da recepção. Se for comer, só se conhecer o dono do buffet e ele por tudo em local reservado. Mas somente quando terminar o serviço e estiver naquela hora de “estar à disposição” do cliente para fotos eventuais. Use terno e gravata. Todos estarão assim e você tem que se misturar visualmente. Quem tem que chamar a atenção são os noivos. Os auxiliares poderão usar blusa de manga comprida com gravata. Tudo limpo, arrumado, discreto e elegante.

Com o passar do tempo você conhecerá cerimonialistas, decoradores, cinegrafistas, donos de buffet, maquiadores, enfim profissionais que, como você, estão ali para ganhar o seu pão. As amizades irão surgir e no fim você verá que, mesmo sendo independentes, vocês estarão entrosados e trabalharão em conjunto para o êxito total do evento. Além de que poderá fazer parcerias do tipo “eu te indico, tu me indicas”. Faça fotos da decoração para uso do buffet, é um bom início de amizade profissional. A CERIMÔNIA Procure saber com antecedencia quem fará o cerimonial. Desta forma você pode informar-se quanto ao desenrolar da cerimônia. Algumas são triviais, outras completamentes fora do convencional. Você e os auxiliares tem que fazer um planejamento prévio de posições e deslocamentos na hora da cerimônia. Se não conhecer o local é bom fazer uma visita antes. Os cerimonialistas fazem ensaios com os noivos no local. Comparecer será ótimo para definir o plano de trabalho. Com o passar do tempo você adquire prática e pode dispensar isto, com exceção dos cerimoniais muito elaborados. Nas entradas você pode fotografar de frente à quem entra ou um pouco deslocado para o lado, principalmente se tiver alguém filmando com tripé a partir do altar. Em locais apertados é inevitável que você atrapalhe um pouco o cinegrafista e ele a você, mas nada que o bom senso e a boa comunicação não resolvam. Nunca fotografe de pé, ao nível do olho. Procure agachar um pouco e manter a camera na altura do tórax do fotografado. O ângulo deste nível é bem melhor. Fotogarafar as entradas de forma horizontal mostra mais a decoração. Na vertical centraliza a atenção e evita obstruções laterais. Tudo depende de gosto pessoal e do local. Evite fazer de forma diferente do que foi mostrado previamente ao cliente. Use velocidade de pelo menos 1/90. Nesta fase é preferível perder um pouco da luz ambiente em troca de imagens estáveis. Hoje em dia todo mundo leva compactas digitais aos eventos. Ter suas fotocélulas disparadas pelos intrusos é bem desagradável. Se possível use radio flash ou tenha certeza de seus flashes auxiliares estarem com carga ok. Se for um Metz é melhor pois carrega quase instantaneamente. Nos eventos cobertos pela imprensa este problema se agrava. Alguns fazem uma cobertura para a fotocélula ficar bem direcional, aí ela tem que ser apontada para seu flash. Um cuidado. Os flashes com cabeça de ângulo variável (zoom interno) costumam fechar a abrangência da luz, o que pode dificultar que a fotocélula seja disparada. Novamente o uso de flashes Metz com capa difusora minimiza este risco. No altar procuro ficar do lado em que a noiva está, desta forma nas fotos ela fica em primeiro plano. O noivo é coadjuvante e, sendo normalmente mais alto, não fica encoberto. Procure saber do cerimonial se na hora dos votos eles vão ficar de frente um para o outro, pois você tem que ir ao corredo e enquadrá-los juntamente com o padre e o altar. Na hora do beijo, idem. Se o padre for do tipo que fala muito pode dar tempo ir ao fundo da igreja fazer uma panorâmica do altar. Se for de cima melhor ainda. Cuidado onde pisa. O vestido longo da noiva e o véu, caso pisados pode ocorrer grande desastre. Um dia, ao passa por trás da noiva pisei nas continhas do véu. Escorreguei e quase caí, foi um quase desastre e todo mundo olhou pra mim...Já pensou se você ou seu auxiliar pisa no véu e arranca tudo da cabeça da noiva? Saiba se o celebrante permite sua estada próximo a ele no altar. Já fui a igrejas onde uma 70210(em 35mm) foi essencial porque ninguém podeia chegar perto. Saiba disto com bem antecedência para avisar aos noivos das consequencias inevitáveis ao seu trabalho. Celebrações em religiões que você não conhece possuem momentos importantes que não podem ficar sem registro. O cerimonial pode lhe alertar de tudo. Alguns cerimonialistas ficam um pouco arredios se tiverem indicado um fotógrafo que foi preterido. Busque a cordialidade e o diálogo diplomata para quebrar barreiras.

Pergunte antes aos noivos se querem que fotografe a entrada dos padrinhos. Normalmente não querem. Não perca a entrada dos pais nem deixe de fotografar a noiva saindo do carro. Se a noiva e as daminhas estiverem posicionadas na entrada de fora da igreja não perca esta foto. No altar um auxiliar seu pode ficar no lado oposto, ao lado do cinegrafista, pondo uma luz que sendo um ponto mais forte delineará os rostos e iluminará bem o noivo, a despeito da roupa escura . Outro auxiliar faz luz de fundo. Fotografar só com aluz de seu flash é meio suicida. Você terá que usar baixa velocidade (1/30 ou 1/15) e grande abertura(2.8) para captar luz ambiente e não deixar o fundo todo preto. O problema é que irá captar também a luz da filmagem e terá que corrigir o tom amarelado depois. Não sei se ficará bom. Cada caso é um caso. O ideal são dois auxiliares fazendo luz de fundo, um de cada lado da igreja. Mesmo tendo escolhido um lado você pode se deslocar, se houver espaço e fazer umas fotos do outro lado. Uma hora boa é a do sermão porque você não perde um momento importante enquanto se desloca. Gosto de fazer umas fotos dos noivos (com filme ISO200) sem flash, com abertura 2.0 ou 2.8 a 1/60. Pego toda luz ambiente, o foco fica centralizado e tudo num tom amarelado que fica belíssimo no papel metálico. O ideal é que a luz da filmagem fique vindo do lado oposto do altar, você pega o angulo do lado sombreado. Isso pode ser feito também nas pose dos noivos. Umas duas fotos com aberturas diferentes é suficiente. Faça uma foto em grande angular pegando toda a igreja e se possível os noivos. Uma 24mm(em filme) é ideal. Após a cerimônia os noivos viram para os convidados e são apresentados. Esteja no corredor. Uma foto ali com pais e celebrante também é comum. Veja se vão lançar pétalas nos noivos no fim do corredor, esteja pronto e pegue o beijo feito ali. Uma dica final. Na cerimônia é FUNDAMENTAL que você fique de olho na carga de bateria do equipamento e na memória do cartão (ou número de fotos do filme) para não precisar trocar em um momento crucial. Já perdi algumas fotos de fim de filme para não arriscar ficar sem na hora errada. Veja se vão jogar arroz na saída e esteja lá. Quando os noivos estiverem no carro, peça licença ao motorista, sente no banco da frente e , com grande angular faça umas três fotos deles no banco de trás. Se os noivos quiserem uma cobertura totalmente em estilo fotojornalismo seja honesto e só aceite se souber realmente fazer. Conste a solicitação no contrato para evitar depois a cobrança de fotos clássicas que não foram pedidas. Mesclar os estilos é o ideal. Faça o obrigatório nas fotos tradicionais e use a criatividade nas fotos casuais e improvisadas. A RECEPÇÃO O ideal com relação à noiva é que você realize suas fotos antes da cerimônia. Se a mesma se arrumar no buffet e o mesmo estiver com a decoração pronta é o melhor. Closes, fotos de corpo inteiro e tudo que ela tiver pedido, olho nas provinhas. Na recepção você ganha tempo pois só fará grupos e fotos do casal. A noiva deve estar sempre com o bouquet em mãos. O cerimonial deve se encarregar em organizar os padrinhos e parentes. Se não houver cerimonial você vai ter que fazer isso e pedir ajuda de uma parente dos noivos. Já vi cerimonialista quere mandar no fotógrafo e impor as poses das fotos. Mostre educadamente que é você que irá dirigir os noivos e que já acertou com eles previamente as fotos que fará. Noivos impacientes precisam ser avisados de duas coisas: depois vão cobrar de você fotos que não tiveram paciencia de tirar e de que depois de tudo terminado só sobram as fotos e a filmagem. Seja profissional mas educado e cordial. Os melhores fotógrafos procuram ser simpáticos, objetivos e rápidos. Nas fotos de grupos faça duas de cada grupo, isto minimiza os olhos fechados. Faça sempre: pais juntos e separados(do noivo e da noiva), padrinhos de cada lado(do noivo e da noiva), avós, irmãos, melhores amigos, tios, noiva só com a mãe e só com o pai e se o noivo quiser umas fotos só dele

(é meio esquisito mais tem quem gosta). Isto tudo no local principal para fotos de grupos. Normalmente na mesa do bolo. Se os arranjos forem altos aí só na frente da mesa nos grupos grandes. Cuidado com espelhos. Procure usar locais alternativos para grupos e poses. Nos grupos coloque os casais ordenados, com o corpo voltado um pouco para os noivos(na diagonal) para ganhar espaço. Cuidado com mãos fora do lugar (homens no bolso)ou braços sobre ombros. Nas fotos informais, na bagunça com os amigos vale tudo. Não perca a valsa dos noivos nem os mesmos em sua mesa preparada de jantar(antes de começarem a comer, claro). O brinde no bolo pode ser feito de vários angulos bem como o corte do bolo(olhando para o bolo e olhando para a camera—não corte o bolo no enquadramento). Não deixe de fazer as fotos do casal para fazer fotos de convidados que sempre aparecem pedindo. Explique que faz quando terminar com os noivos. Nas poses faça fotos com a noiva ou noivos olhando para o horizonte à sua direita ou esquerda. Fotos olhando só para a máquina ficam repetitivas. Nos livros você vê dicas de composição e como evitar erros grosseiros como posição errada dos olhos. Use a iluminação de forma criativa. Faça poses pegando corpo inteiro e mostrando todo véu do vestido bem aberto no chão. Lembre que as fotos serão ampliadas e tudo que no visor parece pequeno ficará bem grande no álbum. Quando a noiva jogar o bouquet fique de frente pra ela e ponha os auxiliares pegando as amigas. Clique quando o bouquet estiver no ar. Nos grupos evite cortar as penas no local errado. Estude os planos fotográficos para evitar erros. Se observar o trabalho dos profissionais aprenderá vendo. Sobre uso de flash leia esta resposta que dei ao Fernando no fórum Mundo Fotográfico sobre flash que estoura : Bem Fernando quero passar umas dicas de luz rebatida que aprendi apanhando em casamentos(usando negativo me beneficio da latitude mas acho que as dicas ajudam no digital tmb). Vc perde pelo menos uns dois pontos de luz ao rebater no teto, por isso cuidado pois as cores ficam mais suaves mas não podem ficar sem vida pois perde toda beleza e fica muito diferente de alguma foto com luz direta feita no mesmo evento(nesta hora uma objetiva fixa clara faz diferença--com uma 28 vc obteria um angulo próximo ao de uma normal) ; se for fotografar a menos de tres metros do assunto (angulo de 50mm), esqueça, vai dar sombra nos olhos, nariz e pescoço e vc pode ter a metade superior da foto bem exposta e a metade inferior subexposta; uso o Sigma 500(mais simples que o seu) mas ele falta potencia para rebater no teto em alguns casos, por isso uso o Premier 100(antigão pendurado do lado) ligado na entrada pc para reforçar a luz rebatida; às vezes ponho o Sigma direto e o Premier pro teto, só a prática vai te dar o instinto(lá atrás tá um Metz 45 CL1 pra garantir a luz de fundo); cuidado com teto colorido ou com sanca e lustres atrapalhando o caminho da luz, teto de lambri nem pensar. A qualidade ótica da objetiva faz uma diferença danada com relação à luz. Vc fotografa com uma Zeiss de Hassel a f:16 com luz direta e obtém uma imagem linda, suave, que os americanos chamam de creamy. Ao fazer o mesmo com uma Nikkor 50 1.4 fica uma foto seca, dura, horrível. O tamanho do filme faz muita diferença mas a ótica tmb faz. Por isso o pessoal usa luz direta com cameras 120 e o pessoal do 35mm tem que rebater para ter uma imagem suave. Creio que essa suavidade o digital tem com mais facilidade, até mesmo por causa do pós processo, já as altas luzes estourando só com rebatedor, difusor na cabeça do flash e/ou luz pro teto. Bye Mando encadernar as fotos na Alpha's Encadernadora. Quanto a preços eu deixo pra falar depois pois varia de região pra região. Eu tenho estes livros que comprei na amazon.com:

Professional Techniques for the Wedding Photographer: A Complete Guide to Lighting, Posing and Taking Photographs That Sell (Photography for All Levels: Advanced) -- by George Schaub, Kenneth Sklute; The Best of Wedding Photography: Techniques and Images from the Pros -- by Bill Hurter Corrective Lighting and Posing Techniques for Portrait Photographers -- by Jeff Smith São bons e pretendo comprar alguns sobre Digital Wedding Photography. Compre revistas de noivas também. Acho que já teclei demais. Bye Fonte: http://forum.brfoto.com.br/index.php?showtopic=9033

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful