Você está na página 1de 12

Solução Comentada da Prova de Geografia

VTB 2008 – 2ª ETAPA

01. De acordo com a ONU (2007), a população mundial é de aproximadamente 6,6 bilhões de pessoas. Desse total mais de 5,0 bilhões vivem em nações subdesenvolvidas. Apesar da existência de organizações transnacionais destinadas a resolver o drama da pobreza, só aumenta a disparidade entre o mundo rico e o mundo pobre. As questões abaixo versam sobre a população mundial, sua distribuição, suas características e seus problemas.

A) Cite quatro dos dez países mais populosos do mundo.

A) Cite quatro dos dez países mais populosos do mundo. B) Cite três conseqüências da desigualdade

B) Cite três conseqüências da desigualdade socioeconômica presente entre os povos.

C) Aponte dois fatores que contribuem para o aumento da expectativa de vida que ocorre mesmo em muitos países ou regiões de acentuada pobreza.

D) Dê dois exemplos de fluxos migratórios ocorridos no Brasil em decorrência das diferenças de condições de desenvolvimento das regiões brasileiras.

Resposta:

Item A: China (1.285,0 habitantes), Índia (1.025,1 habitantes), Estados Unidos (285,9 habitantes), Indonésia (214,8 habitantes), Brasil (169,6 habitantes), Paquistão (145,0 habitantes), Federação Russa (144,7 habitantes), Bangladesh (140,4 habitantes), Japão (127,3 habitantes), Nigéria (116,9 habitantes). Item B: Migrações, em busca de trabalho, das populações de áreas pobres para áreas mais desenvolvidas, (onde os migrantes geralmente exercem trabalhos subalternos e de baixa remuneração); ocorrência de políticas assistenciais internacionais e nacionais (“bolsa escola” no Brasil; programas da UNICEF, do Banco Mundial etc.), xenofobia; turismo sexual; “exportação” de mulheres dos países pobres para os ricos, visando ao exercício da prostituição; dependência econômica; empréstimos e financiamentos a juros altos dos países ricos para os países pobres, entre outras conseqüências. Item C: melhoria nas condições médico-sanitárias, expansão das redes de esgoto e água encanada, vacinação em massa da população, controle de um grande número de enfermidades, expansão do processo de urbanização, expansão de aposentadorias e de outras formas de renda familiar. Item D: Início do século XX – saída de nordestinos para a exploração da borracha na Amazônia; entre 1940 e 1970 – saída da população nordestina e mineira para as grandes cidades do Centro-Sul; anos 70 – migração de nordestinos e sulistas (Sul e Sudeste) para áreas de investimento na Amazônia e Centro Oeste; anos 80 (século XX) – migração de retorno de nordestinos para as regiões de origem; dias atuais migração de nordestinos e sulistas (Sul e Sudeste) para cidades do Centro Oeste e da Amazônia. Comentário:

para cidades do Centro Oeste e da Amazônia. Comentário : Os países citados na resposta do

Os países citados na resposta do Item A são atualmente os mais populosos do mundo. Segundo a ONU, a população mundial (2007) é de 6,6 bilhões de pessoas. Desse total a grande maioria vive em nações subdesenvolvidas. No mundo, a distribuição populacional sempre foi muito irregular. Durante milhares de anos, os lugares anecúmenos, como os desertos e as montanhas, permaneceram desabitados ou com população rarefeita. Por outro lado, os lugares ecúmenos, como os vales fluviais, ricos em água e solos férteis, e as zonas costeiras, planas e dotadas de acesso fácil, foram sendo ocupados, alguns deles constituindo-se em verdadeiros “formigueiros humanos”. Atualmente, segundo a ONU, 95% do crescimento populacional no mundo ocorre nos países mais pobres. Esses deverão abrigar 8,2 bilhões de habitantes em 2050. Essa estimativa deriva do fato de que suas taxas de crescimento vegetativo deverão permanecer elevadas (superiores a 1,6% ao ano) nos próximos 15 anos. Item B. A busca de áreas que ofereçam oportunidades de trabalho intensifica as migrações de áreas pobres para áreas mais desenvolvidas, onde os migrantes geralmente exercem trabalhos subalternos e de baixa remuneração. As diferenças de riqueza e desenvolvimento entre países e regiões levam a institucionalização de políticas assistenciais internacionais e nacionais (“bolsa escola” no Brasil; programas da UNICEF, do Banco Mundial etc.). O preconceito entre etnias, religiões ou nacionalidades diferentes gera uma intolerância exacerbada entre povos: a xenofobia. O turismo sexual e a “exportação” de mulheres dos países pobres para os ricos visando ao exercício da prostituição são estimulados pela ocorrência de desemprego nos primeiros que, em geral, mantêm dependência econômica dos países desenvolvidos, buscando, nestes, empréstimos e financiamentos a juros altos. Item C. Muitos são os fatores que contribuem para o aumento da longevidade da população mundial, dentre eles pode-se destacar: a melhoria nas condições médico-sanitárias; a expansão das redes de esgoto e água encanada, que reduz a incidência de doenças infeto contagiosas; a vacinação em massa da população, que permite o controle ou eliminação de um grande número de enfermidades; a expansão do processo de urbanização, que amplia o acesso aos avanços da medicina preventiva e curativa; a ampliação das aposentadorias e de outras formas de renda familiar. Muitos desses benefícios, como a vacinação e o uso de medicamentos mais eficientes, atingem os países pobres com o conseqüente aumento da expectativa de vida nos mesmos. Item D. As diferenças regionais, com relação ao desenvolvimento socioeconômico, foram aprofundadas, a partir do século passado, com o início do processo de industrialização do Brasil. Desde o final do século XIX, vamos encontrar movimentos populacionais, como a saída de nordestinos para a exploração da borracha na Amazônia, em especial para o Acre. Foi, sobretudo, em meados do século XX, que as migrações internas se intensificaram. Entre 1940 e 1970, ocorreu a saída da população nordestina e mineira para as grandes cidades do Centro-Sul, com destaque para os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Os anos 70 foram marcados pela migração de nordestinos e sulistas para áreas de investimento na Amazônia e Centro Oeste. Estados como o Pará, Mato Grosso e Tocantins foram procurados em decorrência das políticas de incentivos fiscais e projetos de colonização. Os anos 80 do século XX foram marcados com um fenômeno diferenciado, a saber, a migração de retorno de nordestinos para as regiões de origem. Nos dias atuais, continua ocorrendo a migração de nordestinos e sulistas (Sul e Sudeste) para cidades do Centro Oeste e da Amazônia. Nesse contexto, as principais áreas de repulsão têm sido o Nordeste e o

Sul. Os principais fatores da repulsão são a estagnação econômica e a grande concentração fundiária nessas regiões. As principais áreas de atração populacional são as regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte. Os fatores de atração das regiões Centro-Oeste e Norte têm sido a expansão da fronteira agrícola acompanhada de infra-estrutura local, como rodovias e ferrovias, indústrias de mineração e grandes empresas agrícolas entre outros fatores. Já, na região Sudeste, a atração populacional deve-se à continuidade da expansão urbano-industrial. Pontuação:

Item A, dois pontos; item B, três pontos; item C, dois pontos; item D, três pontos.

]
]

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. O desafio ambiental. Rio de Janeiro. Record, 2004. p.23

As questões abaixo dizem respeito à questão ambiental e aos problemas, ou soluções, relativos a ela, encontrados na atualidade.

A)

Aponte, para cada elemento natural destacado, um desafio ambiental relativo a este mesmo elemento:

A.I. Águas doces:

A.II. Solos:

02. O elevado crescimento da população mundial lança ao homem um grande desafio: assegurar a sobrevivência do Planeta como astro habitado e habitável para uma humanidade cada vez mais

o período

atual, de globalização neoliberal, difere dos outros períodos que o antecederam pela especificidade do desafio ambiental que o acompanha e que, também, o constitui. Afinal, até os anos 1960, a dominação da natureza não era uma questão e, sim, uma solução – o desenvolvimento. É a partir desse período que intervém explicitamente a questão ambiental.”

consumista. Tratando do desafio ambiental, Carlos Walter Porto-Gonçalves afirma “[

A.III. Vegetação:

B) Nomeie os dois grupos de Unidades de Conservação que hoje são propostos para superação do desafio ambiental:

C) Cite dois objetivos das Unidades de Conservação:

D) Cite dois elementos essenciais do conceito de Desenvolvimento Sustentável:

Resposta:

Item A: democratização do uso e do acesso à água de qualidade por todos os seres vivos (A.I); conservação dos solos (A.II); uso das florestas sem desmatamento, respeitando a biodiversidade ((A.III). Item B: Unidades de Proteção Integral e Unidades de Uso Sustentável. Item C: contribuir com a manutenção da diversidade biológica e dos recursos genéticos; proteger espécies em extinção; preservar e restaurar a diversidade de ecossistemas e de paisagens naturais; estimular estudos científicos e monitoramento ambiental; gerar uma maior responsabilidade ecológica; promover o desenvolvimento sustentável, entre outros. Item D: promoção do desenvolvimento atual e futuro da sociedade; manutenção das condições ecológicas nos vários ecossistemas do Planeta. Comentário:

A Questão aborda parcialmente os conteúdos arrolados no item III, subitem 3.5. Item A. Relativamente às águas doces, os problemas são variados, indo deste a escassez qualitativa até a escassez quantitativa, passando inclusive por questões de poder, planejamento de uso e gestão das águas e até mesmo pela possibilidade do estresse hídrico, mas o grande desafio está na democratização do uso e do acesso à água de qualidade por todos os seres vivos. Relativamente aos solos, muitas questões são postas, como, por exemplo, exaustão, erodibilidade, manejo adequado e conservação dos solos, sendo esse último o grande desafio. Relativamente à vegetação, um dos maiores problemas é o do desmatamento através de vários processos e para diversos fins. O grande desafio é como fazer uso das florestas sem desmatá-las, respeitando a biodiversidade, ou melhor, sem destruir a vida e a possibilidade de existência do planeta Terra. Item B. As Unidades de Conservação são agrupadas de acordo com a restrição ao uso, sendo classificadas em dois grupos principais: o de restrição total – Unidades de Proteção Integral, e o de menor restrição com uso voltado ao desenvolvimento cultural, educacional e recreacional – Unidades de Uso Sustentável. Item C. Vários são os objetivos das Unidades de Conservação; entre eles podemos destacar: contribuir com a manutenção da diversidade biológica e dos recursos genéticos; proteger espécies em extinção; preservar e restaurar a diversidade de ecossistemas e de paisagens naturais; estimular estudos científicos e monitoramento ambiental; gerar uma maior responsabilidade ecológica; promover o desenvolvimento sustentável. Item D. A proposta de desenvolvimento sustentável enfatiza a importância de atender as necessidades presentes sem comprometer as possibilidades de que as gerações futuras satisfaçam suas próprias necessidades. Pode-se destacar, portanto, como elementos essenciais da proposta tanto a promoção ao desenvolvimento sócio-econômico, quanto o respeito à ordem ecológica, o que significa promover o desenvolvimento econômico e social, assegurando o equilíbrio da natureza. Pontuação: item A três pontos; item B dois pontos; item C três pontos; o item D dois pontos.

dois pontos; item C três pontos; o item D dois pontos. 03 . Minerais, rochas e

03. Minerais, rochas e solos são elementos fundamentais da dinâmica de transformação da Natureza. As questões abaixo versam sobre esses elementos: os fatores de sua formação e interação e a importância de sua conservação.

A) Dê exemplo de um tipo de rocha magmática e aponte os principais minerais que a constituem.

B) Cite um fator fundamental para a origem das rochas metamórficas.

C) Aponte os principais tipos de intemperismo; a ação que realizam sobre as rochas e os principais fatores condicionantes de cada um deles.

C.I. Tipos de intemperismo:

C.II. Ação que produzem:

C.I. Tipos de intemperismo: C.II. Ação que produzem: C.III. Principais fatores de cada tipo de intemperismo:

C.III. Principais fatores de cada tipo de intemperismo:

D) Indique uma das razões que justificam as preocupações com as condições atuais de conservação dos solos no Estado do Ceará.

Resposta:

Item A: o granito é um dos exemplos mais comuns de rocha magmática. Ele é constituído por quartzo, feldspato e mica. Item B: a pressão e a temperatura muito elevadas e os fortes atritos. Item C: Tipos de intemperismo: intemperismo físico e intemperismo químico. Ação que produzem:

intemperismo físico, que promove a desagregação das rochas; intemperismo químico, que promove a decomposição das rochas. Principais fatores de cada tipo de intemperismo: o intemperismo físico a variação de temperatura e o intemperismo químico a interação química da água com as rochas. Item D: o modo de ocupação e o uso da terra com manejo inadequado; susceptibilidade à erosão. Comentário:

A questão aborda parcialmente os conteúdos arrolados no item II, destacadamente no subitem 2.1. Uma das principais classificações das rochas fundamenta-se no modo de sua formação na natureza, ou seja, na sua gênese. Essa classificação define três grandes grupos de rochas: as ígneas ou magmáticas, as sedimentares e as metamórficas. Dentre os fatores definidores dos tipos de rochas magmáticas, pode-se ressaltar a constituição química do magma e o modo (e ou profundidade) de consolidação, ou seja, uma rocha consolidada no interior da crosta solidifica-se lentamente formando as rochas intrusivas ou plutônicas. Atingindo a superfície, o magma resfriará rapidamente dando origem às rochas extrusivas ou vulcânicas. Item A. O granito é um dos exemplos mais comuns de rocha magmática constituído por quartzo, feldspato e mica. Item B. As rochas metamórficas também se formam no interior da crosta terrestre e, para sua formação, destacam-se fatores como a pressão e a temperatura muito elevadas e os fortes atritos. Item C. O intemperismo é um conjunto de processos que desagregam e decompõem as rochas. Os dois tipos principais são o intemperismo físico e o intemperismo químico. O intemperismo físico, que promove a desagregação das rochas, tem como principal fator a variação de temperatura. O intemperismo químico, que promove a decomposição das rochas, tem como principal fator a interação química da água com as rochas. O intemperismo promove a formação do manto de alteração das rochas que, quando associado à presença da matéria orgânica, permite a formação dos solos. Item D. No Estado do Ceará, destacam-se fortes razões que justificam as preocupações com as condições atuais de conservação dos solos. Entre elas encontram-se o modo de ocupação e uso da terra com manejo inadequado e as condições de susceptibilidade à erosão das diversas paisagens. Pontuação: item A, dois pontos; item B, um ponto; item C, seis pontos; item D, um ponto.

B , um ponto; item C , seis pontos; item D , um ponto. 04 .

04. Mesmo após ter sofrido intemperismo e erosão intensos no decorrer do tempo geológico, a crosta continental situa-se acima do nível do mar.

A) Indique o princípio que explica este fato.

B) De acordo com esse princípio, a camada superficial da Terra, relativamente rígida, flutua sobre um substrato mais denso. Aponte a denominação do substrato denso.

C) As forças internas e externas, ao longo do tempo geológico, interagem para produzir variadas formas de relevo, fato que implica na interface entre os estudos geomorfológicos e geológicos. Indique três fenômenos relacionados à geodinâmica interna.

D) A combinação e interação entre os elementos naturais ao longo do tempo permitem a formação de paisagens diversificadas, por vezes denominadas de unidades geoambientais. Aponte as Unidades Geoambientais Costeiras do Ceará, relacionando-as à sua classificação quanto às potencialidades e/ou limitações ao uso agrícola.

Unidade geoambiental

Unidade geoambiental Potencialidades e/ou limitações ao uso
Unidade geoambiental Potencialidades e/ou limitações ao uso

Potencialidades e/ou limitações ao uso

Unidade geoambiental Potencialidades e/ou limitações ao uso
Unidade geoambiental Potencialidades e/ou limitações ao uso

Resposta:

Item A: Princípio da Isostasia. Item B: Astenosfera. Item C: magmáticos vulcânicos e plutônicos, os terremotos, os dobramentos, os falhamentos, a orogênese e a epirogênese, a deriva continental e a tectônica de placas. Item D: Planícies Litorâneas / instáveis com fortes limitações ao uso agrícola produtivo e os Tabuleiros Pré-Litorâneos / condição de estabilidade desde que ocupados racionalmente. Comentário:

A Questão aborda parcialmente os conteúdos arrolados no item II, destacadamente os subitens 2.1. e 2.3. Item A. O Princípio da Isostasia pressupõe que a camada superficial da Terra, relativamente rígida, flutua sobre um substrato mais denso. Esse princípio explica, por exemplo, porque determinadas rochas metamórficas formadas em situação de profundidade na crosta terrestre estejam aflorando em superfície hoje. Isto ocorre devido à remoção generalizada de massa rochosa em dada porção da crosta, o que implica, em função de uma diminuição dessa massa rochosa, no processo de soerguimento desse setor da crosta. No setor de deposição da massa removida e transportada, ocorre o processo inverso, isto é, a subsidência daquela porção da crosta. A existência desses processos pressupõe a interação da dinâmica interna e externa da Terra. Sendo um dos desdobramentos dessa interação a formação do relevo terrestre. Item B. O substrato mais denso recebe a denominação de astenosfera. Item C. Os fenômenos relacionados à geodinâmica interna são: os magmáticos vulcânicos e plutônicos, os terremotos, os dobramentos, os falhamentos, a orogênese e a epirogênese, a deriva continental e a tectônica de placas. Item D. As Unidades Geoambientais Costeiras do Ceará são: Planícies Litorâneas e os Tabuleiros Pré- Litorâneos. As planícies litorâneas representam áreas de ecossistemas instáveis com fortes limitações ao uso agrícola produtivo. E os tabuleiros pré-litorâneos, principalmente frente sua constituição e situação de fraca declividade, apresentam condição de estabilidade, favorecendo ao uso racional com atividades agrícolas: comercial e de subsistência. Pontuação: item A, dois pontos; item B um ponto; item C três pontos; item D quatro pontos.

B um ponto; item C três pontos; item D quatro pontos. 05 . Os rios são

05. Os rios são correntes naturais de água doce, com canais definidos e fluxos perenes ou intermitentes que desembocam nos oceanos, lagos ou em outros rios. Nessa condição, os rios realizam ações de transformação das paisagens e têm grande importância social.

A) Cite os processos associados aos rios a partir dos quais ocorre a transformação das paisagens naturais.

B) Aponte três situações de uso dos rios pela sociedade.

C) Aponte a maior e mais importante bacia hidrográfica do Ceará e nomeie os dois maiores açudes nela localizados.

C.I. Bacia hidrográfica:

C.II. Maiores açudes nela localizados:

hidrográfica: C.II . Maiores açudes nela localizados: Resposta : Item A : erosão, transporte e sedimentação.

Resposta:

Item A: erosão, transporte e sedimentação.

Item B: obtenção de água potável, abastecimento de cidades, produção de energia, transporte, dessedentação

de

Item C: Rio Jaguaribe. Açude do Orós e a Açude Castanhão. Comentário:

Questão aborda parcialmente os conteúdos arrolados no item II, subitem 2.5. e no item IV. Item A. Os

processos associados aos rios, a partir dos quais ocorre à transformação das paisagens naturais, são erosão,

transporte e sedimentação. A erosão, apesar de poder ser vista por diversos aspectos, como, por exemplo, do ponto de vista do pedólogo ou do geomorfólogo, é a remoção propriamente dita dos materiais e tem como conseqüência a modelagem do vale fluvial a partir da ação das águas superficiais canalizadas. O transporte fluvial dos sedimentos realiza-se por vários processos, como, por exemplo, por arrasto, rolamento ou saltos, para a carga de maior diâmetro; por suspensão, material de calibre cuja energia do fluxo pode manter em movimento sem ocorrer a deposição e, por solubilidade do material que se mistura com a água em fluxo. A sedimentação dos materiais ocorre em vários setores do vale, notadamente nos setores de mais baixa energia para o transporte, como o baixo curso do rio, considerando-se o perfil longitudinal e, em um perfil transversal do canal, a deposição predomina na planície de inundação. Item B. Podemos destacar que a água é um dos mais importantes elementos naturais tanto do ponto de vista da dinâmica da natureza quanto do ponto de vista da dinâmica social, e que existem múltiplos usos da água e dos rios, podendo-se destacar:

A

animais, recreação.

obtenção de água potável, abastecimento de cidades, produção de energia, transporte, dessedentação de animais, recreação entre outros. Item C. Os maiores açudes do Estado do Ceará, o açude do Orós e o açude do Castanhão, foram construídos no Rio Jaguaribe. O Açude do Orós tem como principal atribuição a perenização do curso do rio a jusante desse. Pontuação:

Item A, três pontos; item B, três pontos; item C, quatro pontos, sendo dois para a citação correta do rio e um ponto para a cada açude citado corretamente.

06. O Brasil tem, cada vez mais, buscado investir em novas fontes de energia, o que tem exigido da sociedade mudanças de hábitos e reflexões sobre maneiras de utilizá-las. Sobre essa problemática, atenda ao que se solicita nos itens abaixo.

A) Nomeie duas das principais fontes de energia do país.

B) Aponte três áreas onde estão localizadas importantes fontes de energia do país.

C)

Cite dois tipos de energia alternativa em expansão no Brasil.

D) Cite três exemplos de atitudes e mudanças de hábitos cotidianos que podem contribuir para uma melhor maneira de utilizar os recursos energéticos.

uma melhor maneira de utilizar os recursos energéticos. Respostas : Item A 1. Água (usinas hidrelétricas)

Respostas:

Item A 1. Água (usinas hidrelétricas) 2 . Cana-de-açúcar (para a produção de álcool). 3. Petróleo (para a produção de gasolina e de outros derivados para fins de combustão). Item B. 1. Bacia do rio Amazonas – Hidrelétricas de Tucuruí, Balbina e Xingu. 2. Bacia do rio São Francisco – Hidrelétricas do Sobradinho (BA), Três Marias (MG), Paulo Afonso I, II e III e Moxotó (AL) e Itaparica e Xingo (AL/SE). 3. Bacia Platina – Hidrelétricas de Itaipu (Brasil/Paraguai). 4. Recôncavo Bahiano (BA) e Bacia de Campos (RJ) – Bacias petrolíferas. 5. São Paulo/Pernambuco e Alagoas – Produção de Cana-de- açúcar. Item C. 1. Eólica – fonte: ventos 2. Solar – fonte: luz solar 3. Biodiesel – fonte: produtos vegetais, como a cana-de-açúcar e a mamona. Item D. 1. Desligar os aparelhos elétricos das tomadas após o uso. 2. Optar por lâmpadas e aparelhos elétricos econômicos 3. evitar desperdício de água (banhos prolongados, torneira vazando etc). 4. não jogar lixo nas ruas ou nos rios. 5. preferir o uso de biocombustíveis. Comentário:

Item A. No Brasil, a maior parte da produção de energia elétrica é obtida com o aproveitamento das usinas hidrelétricas. As hidrelétricas geram aproximadamente 85% da eletricidade total consumida no país. A produção e a exploração de petróleo no Brasil ganharam importância no período posterior a Segunda Guerra Mundial. No Brasil, a primeira área pesquisada a apresentar resultados positivos no que concerne ao petróleo foi o Recôncavo Baiano, estreita faixa de terra que se estende ao longo da Baía de Todos os Santos. A adoção do transporte rodoviário como prioridade, influenciada pelos capitais estrangeiros ligados ao setor automobilístico e petrolífero, estimulou a exploração de novas jazidas de petróleo no Brasil. A cana-de- açúcar como fonte de energia para a produção de álcool no país foi resultado da crise provocada pelos aumentos exagerados do preço do petróleo. O projeto denominado Proálcool (Programa Nacional do Álcool) baseava-se em incentivos fiscais e em outras formas de subsídios oferecidos aos produtores de álcool (usineiros) e às indústrias automobilísticas. Item B. No Brasil, um aspecto importante propiciado pelo relevo é o grande potencial hidráulico existente no território. Assim, a localização das fontes de energia do país deve destacar três das principais bacias hidrográficas: a bacia do rio Amazonas, com as hidrelétricas de Tucuruí, Balbina e Xingu; a bacia do rio São Francisco, com as hidrelétricas do Sobradinho (BA), Três Marias (MG), Paulo Afonso I, II e III e Moxotó (AL) e Itaparica e Xingo (AL/SE) e a bacia Platina, com a hidrelétricas de Itaipu (Brasil/Paraguai). Também, são importantes fontes de energia do país as bacias petrolíferas localizadas no Recôncavo Bahiano (BA) e a bacia de Campos (RJ). A produção de cana-de-açúcar voltada para a produção de álcool está localizada, sobretudo, no Estado de São Paulo e, em menores proporções na área entre os Estados de Pernambuco e Alagoas. Item C. A exploração de energia renovável ou alternativa é tida, cada vez mais, como alternativa para um desenvolvimento sustentável no mundo. No Brasil, essas tecnologias suscitam um interesse cada vez maior, não só devido às vantagens ecológicas e sociais que oferecem, mas porque os custos estão a diminuir. Os melhores resultados registrados no campo da pesquisa com energia alternativa estão ligados à energia eólica, tendo como fonte os ventos litorâneos, a energia solar que tem como fonte a luz do sol e os biocombustíveis que têm como fonte produtos vegetais como a cana-de-açúcar e, mais recentemente, a mamona. As importantes pesquisas desenvolvidas com fontes de energias renováveis no país devem desempenhar um papel cada vez maior no seu abastecimento de energia. As pesquisas com energias alternativas oferecem novas possibilidades de diversificação baseadas em perspectivas a longo prazo de fontes de energias seguras e sustentáveis. Item D. O desenvolvimento da sociedade moderna está

intrinsecamente relacionado à atividade industrial e à elevada concentração populacional nas cidades. O capitalismo constituiu um modo de vida hegemônico, no qual o uso desregrado dos recursos energéticos, aliado a outros problemas sociais, como o acumulo de lixo, a devastação das florestas e a degradação dos solos, entre outros, foi feito a partir de uma leitura que considerou, por muito tempo, a água, os solos etc. como recursos naturais infinitos. Repensar essa leitura nos coloca diante do desafio da mudança de hábitos e atitudes cotidianas. Desligar os aparelhos elétricos das tomadas após o uso; optar por lâmpadas e aparelhos elétricos econômicos; evitar desperdício de água (banhos prolongados, torneira vazando etc); não jogar lixo nas ruas ou nos rios; preferir o uso de biocombustíveis são atitudes que podem contribuir de forma singular para uma melhor utilização dos recursos energéticos na sociedade. Pontuação:

Item A, dois pontos; Item B, três pontos; Item C, três pontos. Item D, dois pontos.

três pontos; Item C , três pontos. Item D , dois pontos. 07 . Nas cidades

07. Nas cidades nordestinas, as feiras têm tradicionalmente sido mantidas como espaços privilegiados de comercialização de mercadorias. Os produtos vendidos nas feiras refletiam, até a década de 90 do século passado, a economia e a cultura regional. Com o processo de globalização, essa realidade passou por transformações.

A) Nomeie três das principais cidades nordestinas onde ocorre importante atividade comercial em feiras.

B) Aponte duas características sociais e/ou econômicas do comércio presente nas feiras nordestinas.

C) Dê três exemplos de produtos presentes nas feiras que representam, em parte, o processo de globalização da economia.

Resposta:

Item A. 1. Caruaru – PE; 2. Crato – CE; 3. Campina Grande – PB; 4. Recife – PE; 5. Salvador – BA. 6. Aracaju – SE. Item B. 1. Expansão da venda de produtos importados; 2. substituição dos produtos comercializados pelos feirantes; 3. redução na venda de produtos agrícolas regionais 4; aumento do trabalho informal nos centros urbanos; 5. expansão do comércio de produtos ilícitos. Item C. 1. Celular; 2. Aparelhos de som/rádio; Cd´s, microfones, relógios, objetos “piratas”; 4. Brinquedos eletrônicos; 5. Cartão de crédito. Comentário:

Item A. As cidades nordestinas apresentam importantes feiras regionais. A feira de Caruaru, em Pernambuco; a de Campina Grande, na Paraíba; a da cidade de Aracaju, em Sergipe e a do Crato, no Ceará, são alguns exemplos de importantes feiras nordestinas. Em geral, as capitais nordestinas possuem nas feiras importantes pontos de comercialização de produtos, trocas de informações e pontos de encontros e conversas. O que faz desse espaço um lugar de encontro e festa. Item B. Nas cidades, a atividade comercial é realizada em lojas, mercados e feiras, entre outros pontos. O comércio nas feiras nordestinas tem se apresentado em meio ao processo de globalização da economia, isso tem contribuído para a expansão da venda de produtos importados, sobretudo, de brinquedos e jogos eletrônicos, substituição dos produtos comercializados pelos feirantes que, muitas vezes, optam por trabalhar

com produtos importados devido à agilidade na manipulação e na venda. Com isso, tem-se reduzido a venda de produtos agrícolas regionais, o que pode desestimular a produção e aumentar o trabalho informal nos centro urbanos, assim como a expansão do comércio de produtos ilícitos entre os feirantes. Item C. As feiras representam uma forma de comercialização bastante antiga nas cidades. O processo de globalização da economia recolocou para a sociedade o desafio da permanência da diversidade própria das feiras no mercado urbano. Nelas, desde sempre, são comercializados produtos diversos: frutas, legumes, redes, panelas, potes e brinquedos próprios do mercado regional. Atualmente, acrescidos a esses, podemos encontrar nas feiras produtos industrializados que, em parte, representam o processo de globalização da economia que se reflete na região, como, por exemplo, aparelho celular, aparelho de som e rádio, cd´s, microfones, relógios “piratas” e brinquedos eletrônicos. Muitas vezes, a forma de pagamento é o cartão de crédito. Desse modo, a globalização fortalece a diversidade e a importância das feiras nas cidades nordestinas. Pontuação:

Item A. três pontos; Item B, quatro pontos; Item C, três pontos.

pontos; Item B , quatro pontos; Item C , três pontos. 08 . As transformações profundas

08. As transformações profundas por que tem passado o campo cearense nas últimas décadas têm gerado um aumento significativo dos movimentos sociais rurais, em luta pela terra e por melhores condições de vida e de trabalho.

A) Cite dois fenômenos espaciais presentes no campo cearense que foram desenvolvidos a partir da luta pela terra.

B) Nomeie duas entidades e/ou movimentos sociais rurais de luta pela terra.

C) Cite três reivindicações das entidades e/ou movimentos sociais de luta pela terra.

Resposta:

Item A. 1. Ocupações de terras devolutas, privadas e/ou públicas, de estradas e de prédios públicos; 2. Assentamentos rurais; 3. Acampamentos. Item B. 1. Federação dos Trabalhadores Rurais do Ceará – Fetraece; 2. Movimento dos Atingidos por Barragem – MAB; 3. Via Campesina; 4. Comunidades Eclesiais de Base – CEB´s; 5. Conselho Indigenista Missionário – CIMI; 6. Comissão Pastoral da Terra – CPT; 7. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST; 8. Sindicato dos Trabalhadores Rurais - STR´s. Item C. 1. luta pela posse de terra camponesa; 2. luta pela posse de terra indígena; 3. luta por educação do campo; 4. luta por financiamentos governamentais para a produção agrícola; 5. luta por assistência à saúde; 6. luta pela água; 7. luta pela reforma agrária; 8. luta por assistência técnica. Comentário:

Item A. O Brasil tem registrado sangrentos conflitos no campo ao longo de toda a sua história. No início, as principais vítimas foram os indígenas, expulsos de suas terras pelos europeus “civilizados”. Hoje, os conflitos no campo se mantêm, tendo como principais vítimas os trabalhadores do campo: meeiros, posseiros, sem terra, etc. A luta pela posse da terra, a partir dos anos 1970, ganhou novas configurações a partir de ações estratégicas que recolocam para a sociedade a necessidade da reforma agrária no Brasil. As ações de luta pela terra se revelam através de fenômenos espaciais, como as ocupações de terras devolutas, privadas e/ou públicas, de estradas e de prédios públicos; os assentamentos rurais e os acampamentos organizados, e são mantidas por um movimento nacional de luta pela terra. Item B. A luta

pela posse da terra é antiga. No Brasil, os movimentos sociais no campo foram intensificados em meados do século XX com o movimento das Ligas Camponesas no Nordeste. Se de um lado, a ditadura militar calou boa parte das lideranças no campo, por outro lado, fortaleceu a emergência de uma série de entidades e movimentos sociais rurais em luta pela terra no país entre esses podemos citar: os Sindicato dos Trabalhadores Rurais – STR´s; as Comunidades Eclesiais de Base – CEB´s; o Conselho Indigenista Missionário – CIMI; a Comissão Pastoral da Terra – CPT; o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST; a Federação dos Trabalhadores Rurais do Ceará – Fetraece; o Movimento dos Atingidos por Barragem – MAB e a Via Campesina entre outros mais. Item C. A extrema miséria presente no campo brasileiro coloca a população rural diante de uma dura realidade. Fome, seca, analfabetismo, mortalidade infantil elevada, doenças endêmicas, entre outros problemas sociais, são fatos vividos cotidianamente pelos trabalhadores do campo, numa demonstração inquestionável de que, para o problema da miséria, a modernização não trouxe respostas. Desse modo, a luta pela reforma agrária é muito mais que luta por terra, sendo, sim, luta pela posse de terra camponesa; luta pela posse de terra indígena; luta por educação do campo; luta por financiamentos governamentais para a produção agrícola; luta por assistência à saúde; luta pela água; luta por assistência técnica e, ainda, por uma sociedade diferente, se possível. Pontuação:

Item A, dois pontos; item B, dois pontos, Item C, seis pontos

Item A , dois pontos; item B , dois pontos, Item C , seis pontos CCV/UFC/Vestibular