Você está na página 1de 54

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

1

U.E PROF EDGAR TITO - NOITE PROF. RANILDO LOPES DISCIPLINA: Lógica de Programação

APOSTILA 02

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

de Programação APOSTILA 02 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Visite nosso sítio http://ueedgartito.wordpress.com “Nele

Visite nosso sítio

http://ueedgartito.wordpress.com

“Nele estão os resumos e trabalho de sala de aula”

Obrigado pela preferência de nossa ESCOLA!

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

2

Sumário

I - CONCEITOS INICIAIS

3

Lógica de programação

3

Algoritmo

3

Instrução

4

EXERCÍCIOS

4

Programa de Computador

4

Fases

4

Diagrama de Blocos

5

EXERCÍCIOS

5

II - VARIÁVEIS

5

Tipos de Variáveis

6

Numéricas

6

Cadeia ou String ou Alfanuméricas

6

Caractere

6

Lógico

7

Constantes

7

III - EXPRESSÕES

7

Operadores Aritméticos

7

Operadores Relacionais

7

Operadores Lógicos

8

EXERCÍCIOS

9

IV – COMANDOS BÁSICOS

10

Comando de Atribuição

10

Comando de Entrada

10

Comando de Saída

10

Primeiro Exemplo – Português Estruturado e Pascal

10

EXERCÍCIOS - Estrutura Seqüencial

12

V – ESTRUTURAS DE SELEÇÃO

13

Conceitos

13

Seleção Simples

13

13

Seleção Composta Exemplo

13

EXERCÍCIOS – Estrutura de Seleção

14

Alternativa de Múltiplas Escolhas

15

EXERCÍCIOS – Alternativa de Múltiplas Escolhas

17

VI – ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

17

Comando Enquanto (While - Do)

17

Comando Repita (Repeat - Until)

18

EXERCÍCIOS – Comando Enquanto (WHILE)

18

Comando Para (For)

20

EXERCÍCIOS – Comando Para (For)

21

ANEXO I – Questões de Raciocínio Lógico

2

ANEXO II - Transferência de Comandos: Português Estruturado para Pascal

3

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

I - CONCEITOS INICIAIS

3

Lógica de programação

É

técnica é necessário, para quem quer trabalhar com desenvolvimento de sistemas e programas.

a técnica de encadear pensamentos para atingir determinado objetivo. O aprendizado desta

Algoritmo

É

uma seqüência de passos finitos com o objetivo de solucionar um problema.

O estudo da lógica é o estudo dos métodos e princípios usados para distinguir o raciocínio correto do incorreto. Naturalmente, essa definição não pretende afirmar que só é possível argumentar corretamente com uma pessoa que já tenha estudado lógica. Afirmá-lo seria tão errôneo quanto pretender que só é possível correr bem, se estudou física e fisiologia, necessárias para a descrição dessa atividade. Alguns excelentes atletas ignoram completamente os processos complexos que se desenrolam dentro deles próprios quando praticam o esporte.

Assim também acontece no nosso dia-a-dia. Quantas vezes já vimos um algoritmo e não sabíamos que aquela seqüência de passos chamava-se algoritmo.

Um exemplo bem freqüente é quando queremos falar em algum telefone público.

Exemplo de algoritmo para falar em um telefone público

1 – Retirar o telefone do gancho;

2 – Esperar o sinal;

3 – Colocar o cartão;

4 – Discar o número;

5 – Falar no telefone;

6 – Colocar o telefone no gancho. O algoritmo é exatamente esse conjunto de passos que resolveu o problema de uma pessoa falar no telefone. É como se fôssemos ensinar uma máquina a fazer alguma tarefa específica. Outro exemplo clássico é um algoritmo para resolver o problema de fritar um ovo que poderia estar escrito em forma de uma receita. A receita é um algoritmo, pois é formada de ações que devem ser tomadas para fritar um ovo.

Exemplo de algoritmo para fritar um ovo

1 – pegar frigideira, ovo, óleo e sal;

2 – colocar óleo na frigideira;

3 – acender o fogo;

4 – colocar a frigideira no fogo;

5 – esperar o óleo esquentar;

6 – colocar o ovo;

7 – colocar o sal;

8 – retirar quando estiver pronto.

Cada linha do algoritmo pode-se chamar de uma instrução, logo, podemos dizer que um algoritmo é um conjunto de instruções.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

4

Assim como fritar um ovo, nos algoritmos computacionais não podemos trocar ou omitir certas instruções, caso contrário não obteremos o resultado esperado. Por exemplo, se omitirmos a instrução acender o fogo, não teremos ao final do algoritmo um ovo frito.

Instrução Indica a um computador uma ação elementar a ser executada. Até as coisas mais simples podem ser descritas por um algoritmo. Por exemplo:

Algoritmo para o fim de semana

1 – vejo a previsão do tempo;

2 – se fizer sol vou à praia;

senão

vou estudar;

3 – almoçar;

4 – ver televisão;

5 – dormir.

EXERCÍCIOS

1 – Fazer um algoritmo para tomar banho:

2 – Crie um algoritmo para fazer uma prova:

3 – Faça um algoritmo para somar dois números:

Programa de Computador Nada mais é do que um algoritmo escrito numa linguagem de computador (C, Pascal, Fortran, Delphi, Cobol, Java e outras). É a tradução para o inglês do algoritmo feito em português. O mais importante de um programa é a sua lógica, o raciocínio utilizado para resolver o problema, que é exatamente o algoritmo. A forma de escrever um algoritmo em pseudocódigo (algoritmo que não usa nenhuma linguagem de programação) vai variar de autor para autor, pois, um traduz ao pé da letra a linguagem C, outro, o Pascal, outro, mistura as duas linguagens e assim por diante. É importante lembrar que estas variações vão sempre ocorrer, podemos dizer que é uma variação de autores adotados. Fases

A principal finalidade de um computador é realizar a tarefa de processamento de dados, isto é, receber dados através de dispositivos de entrada que podem ser, por exemplo, teclado, mouse, scanner, entre outros; realizar operações com estes dados e gerar uma resposta que será expressa em um dispositivo de saída que pode ser, por exemplo, uma impressora, um monitor de vídeo, entre outros.

Entretanto ao montar um algoritmo, precisamos primeiro dividir o problema apresentado em três fases fundamentais:

ENTRADA DE

DADOS

PROCESSAMENTO DE DADOS

SAÍDA DE DADOS

ENTRADA DE DADOS PROCESSAMENTO DE DADOS SAÍDA DE DADOS ENTRADA: São os dados de entrada do
ENTRADA DE DADOS PROCESSAMENTO DE DADOS SAÍDA DE DADOS ENTRADA: São os dados de entrada do

ENTRADA: São os dados de entrada do algoritmo. PROCESSAMENTO: São os procedimentos utilizados para chegar ao resultado final.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

5

SAÍDA: São os dados já processados, os resultados, mostrados na tela do computador (monitor

de vídeo) ou impressora.

Diagrama de Blocos

É

Com o diagrama, também conhecido como fluxograma, podemos definir uma seqüência de símbolos, com significado bem definido, portanto, sua principal função é a de facilitar a visualização dos passos de um processamento.

uma forma padronizada para representar os passos lógicos de um determinado processamento.

Simbologia do Diagrama de Bloco Existem diversos símbolos em um diagrama de bloco. Veja no quadro abaixo alguns dos símbolos que iremos utilizar:

 

Símbolo

 

Função

TERMINAL

 

Indica o início ou fim de um processamento Exemplo: Início do algoritmo

     

Processamento em geral Exemplo: x<- 2+3

PROCESSAMENTO

 
  Indica entrada de dados pelo usuário via teclado Exemplo: Digite a nota da prova 1

Indica entrada de dados pelo usuário via teclado Exemplo: Digite a nota da prova 1

ENTRADA MANUAL DE DADO

EXIBIR

EXIBIR Mostra informações ou resultados Exemplo: Mostre o resultado do cálculo

Mostra informações ou resultados Exemplo: Mostre o resultado do cálculo

EXERCÍCIOS

1. Construir um diagrama de blocos que:

-

-

-

leia quatro números

calcule a média

mostre o resultado.

2. Construa fluxograma que:

- leia o salário de um empregado

- calcule o novo salário sabendo que lê teve um aumento de 15%

- mostre o resultado na tela

3. Agora faça um algoritmo para o exercício 2.

II - VARIÁVEIS

É

O

(cadeia), lógico, entre outros. Uma vez definidos o nome e o tipo de uma variável, não podemos alterá-los no decorrer de um algoritmo. Por outro lado, o conteúdo da variável pode ser modificado no decorrer do programa, de acordo com a necessidade. Em algoritmos, as variáveis são definidas no início por meio do comando definido:

conteúdo de uma variável pode ser de vários tipos: inteiro, real, caractere (literal), String

um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Nome da variável: tipo da variável;

Exemplos:

A: inteiro; X: real; Nome: string (ou cadeia); Regras para formação do nome de uma variável:

6

1

– O primeiro caractere é uma letra;

2

– Se houver mais de um caractere, poderemos usar letras ou dígitos; 3 – Nomes de variáveis escritas com letras maiúsculas serão diferentes de letras minúsculas em muitas linguagens de programação. Lembre-se: peso é diferente de PESO;

4

– Nenhuma palavra reservada poderá ser nome de uma variável.

Nomes Válidos

Nomes Não-Válidos

Nome, profissao,n, n1,PESO, A

2X -> Começa por algarismo peso do aluno -> espaço não é permitido

Tipos de Variáveis Numéricas São aquelas que armazenam dados numéricos, podendo ser divididos em duas classes:

Inteiro: são aqueles que não possuem componentes decimais ou fracionários, podendo ser positivos ou negativos.

Normalmente uma variável do tipo inteira poderá ocupar 1, 2 ou 4 bytes na MP.

Exemplos:

10 número inteiro positivo

-10

número inteiro negativo

Real: são aqueles que podem possuir componentes decimais ou fracionários, podendo também ser positivos ou negativos.

Normalmente uma variável do tipo real poderá ocupar 4 ou 8 bytes na MP.

Exemplos:

25.03

número real positivo com duas casas decimais

 

235.

número real positivo com zero casas decimais

 

-10.5

número real negativo com uma casa decimal

Cadeia ou String ou Alfanuméricas São aquelas que possuem letras e/ou números. Pode em determinados momentos conter somente dados numéricos ou somente letras. Se usado somente para armazenamento de números, não poderá ser utilizado para operações matemáticas.

O número de bytes possíveis para armazenamento de uma variável desse tipo dependerá da quantidade de caracteres.

Exemplos:

“Maria”

String de comprimento 5

“123”

String de comprimento 3

“A”

String de comprimento 1

Caractere É aquele que armazena apenas uma letra ou dígito, é uma string de comprimento 1. Se usado para armazenar número não poderá ser utilizado para operações matemáticas.

Normalmente uma variável do tipo caractere ocupará 1 byte na MP.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes 7

7

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes 7

Exemplos:

“A”

caractere que armazena uma letra

“5”

caractere que armazena um número

Lógico Também conhecido como booleano. É representado no algoritmo pelos dois únicos valores lógicos possíveis: verdadeiro ou falso. Porém é comum encontrar em outras referências outros pares de valores lógicos como: sim/não, 1/0, true/false, verdadeiro/falso. Constantes Constante é um determinado valor fixo que não se modifica ao longo do tempo, durante a execução de um programa. Conforme seu tipo, a constante é classificada como sendo numérica, lógica ou literal. As declarações das constantes em um algoritmo são feitas antes das declarações das variáveis:

Sintaxe:

Nome da constante = valor da constante;

III - EXPRESSÕES

O conceito de expressão em termos computacionais está intimamente ligado ao conceito de expressão (ou fórmula) matemática, onde um conjunto de variáveis e constantes numéricas relaciona-se por meio de operadores compondo uma fórmula que, uma vez avaliada, resulta num valor. Operadores Aritméticos Os operadores matemáticos são:

Operador

Função

+

Somar

-

Subtrair

*

Multiplicar

/

Dividir

Div

Quociente inteiro

Mod

Resto da divisão

Os operadores Div e Mod só podem ser aplicados com operandos inteiros.

O operador / sempre conduz a um resultado real. Com os operadores +, - e * , se pelo menos um dos operandos for real, então o resultado será real. Exemplos de expressões aritméticas:

3

* 3 = 9

9

/ 2 = 4.5

9

DIV 2 = 4

9

MOD 2 = 1

2

/ 9 = 0.22

2

+ 4.6 = 6.6

Operadores Relacionais Uma expressão relacional é uma comparação realizada entre dois valores de mesmo tipo, tendo como resposta sempre um valor booleano (verdadeiro ou falso). Estes valores são representados na relação através de constantes, variáveis ou expressões aritméticas.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

8

Os operadores relacionais são:

 

Símbolo

Descrição

=

Igual

< >

Diferente

< =

Menor ou igual

> =

Maior ou igual

>

Maior que

<

Menor que

Exemplo de relações:

 

X = 1

y = 2

z = 5

 

X * X + Y > Z

1

1

> Resultado desta expressão: FALSO Operadores Lógicos Uma expressão lógica serve para combinar resultados de expressões aritméticas e/ou relacionais, variáveis e/ou constantes, retornando verdadeiro ou falso. Exemplo de operadores lógicos, matematicamente conhecidos:

3

*

+

1

2

5

+ 2 > 5 > 5

E

And

Ou

Or

Não

Not

E / AND Uma expressão AND (E) é verdadeira se todas as condições forem verdadeiras. OR / OU Uma expressão OR (OU) é verdadeira se pelo menos uma condição for verdadeira. NOT / NÃO Uma expressão NOT (NÃO) inverte o valor da expressão ou condição, se verdadeira inverte para falsa e vice-versa.

Tabela E (AND)

Tabela OU (OR)

Tabela NÃO (NOT)

V

e V = V

V

ou V = V

Não V = F

V

e F = F

V

ou F = V

Não F = V

F

e V = F

F

ou V = V

 

F

e F = F

F

ou F = F

 

As prioridades entre os operadores são:

-

( )

- funções

- Não

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

5º - +, -, Ou 6º - =, < >, <, <=, >, >=.

9

Observação: em caso de empate entre as prioridades, resolver da esquerda para a direita. EXERCÍCIOS

1. Identifique o tipo dos dados:

(a)

inteiro;

(b)

real;

(c)

lógico;

(d)

cadeia ou literal

(

) verdadeiro

(

) ‘c*d’

(

) falso

(

) ’1 2 3 4’

 

(

) ‘aula’

(

) 897

(

) ‘345’

(

) -18.589

(

) -0.342

(

) 35.23

(

) -23

( ) ‘Maria’

2.

Indique os identificadores como válidos ou inválidos:

 

(a)

identificador válido

 

(b)

identificador inválido

(

) ano

(

) ai!

(

) 3/1

(

) media_salario

(

) A15B34

(

) nome-aluno

 

(

) média

(

) ‘aula’

(

) 5ª

3.

Faça a declaração de 2 variáveis do tipo inteira,

2

do

tipo

real,

2

de

um único

caractere e 2 do tipo cadeia de caracteres.

4. Indique qual o resultado das expressões aritméticas abaixo:

 

Sendo: x = 6.0

y = 2

z = 4.0

a = 8

 

b = 7.5

c = 7.7

d = 12

p = 4

 

q = 3

r = 10

s = 2.5

a)

x

+ y – z * a =

 

f)

((z / a) + b * a) – d =

 

b)

d

div y =

g)

100 * (q div p) + r =

c)

d

mod y =

h)

p * (r mod q) –q/2

d)

y

div d =

i)

raiz (r – (q * q ) ) =

e)

y

mod d =

j)

(a + r) * r

=

 

5.

Dadas as informações abaixo, informe qual o valor das relações (verdadeiro ou

falso):

 

a)

a

= 2.0,

b = 9.0,

nome = ‘ana’,

profissao = ‘advogado’

 

a

+ 1 > = raiz (b)

 

(

)

nome < > ‘ana’

(

)

profissao = ‘médico’

(

)

b)

a = 6.0,

b = 121.0,

nome = ‘pedro’,

profissao = ‘médico’

 

a + 1 > = raiz (b)

 

(

)

nome < > ‘ana’

(

)

profissao = ‘médico’

(

)

c)

x

= 3,

y = 4,

z = 16,

nome = ‘maria’,

 

( x + y > z ) and (nome = ‘maria’)

 

resultado = verdadeiro (

)

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

10

(resultado) or ( y > = x )

(

)

(not resultado) and ( z div y + 1 = x )

(

)

(nome = ‘josé’) and ( x + y + z < ( y * y ))

(

)

IV – COMANDOS BÁSICOS

Comando de Atribuição Este comando é utilizado para atribuir valores a variáveis e, em portugol (português estruturado), é representado por <- (seta da direita para esquerda). Exemplos de comandos de atribuição:

Cor <- ‘verde’; Teste <- falso; Media <- (n1 + n2) / 2; X <- raiz (16);

Comando de Entrada

O comando de entrada LEIA é utilizado para receber dados do teclado.

É o comando que permite que o usuário digite dados, possibilitando um “diálogo com o

computador”. O dado digitado é armazenado na variável indicada no comando.

Lembre-se de que o nome de uma variável representa uma posição de memória. Sintaxe:

Leia (nome de uma variável);

Exemplo:

Leia (n);

Comando de Saída

É o comando responsável por enviar um resultado, uma informação ao usuário. O valor de

cada variável é buscado na memória e mostrado em um dispositivo de saída. Através desse comando o computador pode emitir os resultados e outras mensagens para o usuário através da tela do computador (monitor) ou uma impressora. Sintaxe:

Escreva (expressão ou variável ou constantes); Exemplos:

Escreva (‘ Aprender lógica com esta apostila ficou bem mais fácil!’); Escreva (‘ Digite o seu nome: ‘); Escreva ( A + B ); Escreva (‘A média das notas é = ‘, media);

Primeiro Exemplo – Português Estruturado e Pascal Algoritmo que lê um nome digitado pelo usuário e mostra uma mensagem.

Português Estruturado

Programa exemplo1; Var nome: literal;

Início Escreva (‘Digite um nome: ‘); Leia (nome);

Escreva(nome, ‘ bonito! ‘);

é

um

nome muito

Fim.

Pascal

Program exemplo1; Var nome: string;

Begin Write (‘Digite um nome: ‘); Read (nome);

 

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Write

(nome,

é

um

nome

muito

End.

bonito! ‘);

 

11

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

12

EXERCÍCIOS - Estrutura Sequencial

1. Faça um algoritmo que leia dois números, calcule e imprima a soma desses dois números.

2. Faça um programa que receba dois números reais, calcule e mostre a subtração do primeiro

número pelo segundo.

3. Faça um programa que receba dois números inteiros, calcule e imprima a divisão do primeiro

número pelo segundo.

4. Faça um programa que leia um número e informe a metade e o dobro desse número.

5. Escreva um programa que receba um número via teclado e informe em seguida a metade e o

quadrado desse número.

6. Escrever um programa que permita receber o nome e a idade de uma pessoa e em seguida,

informar o nome digitado e a idade da pessoa daqui a 30 anos.

7. Faça um programa que leia três notas de um aluno, calcule e imprima a média aritmética

entre essas notas.

8. Faça um programa que receba dois números inteiros, calcule e imprima:

- soma do dois números;

- subtração do primeiro pelo segundo;

- subtração do segundo pelo primeiro;

- produto dos dois números;

- divisão do primeiro pelo segundo;

- quociente inteiro da divisão do primeiro pelo segundo;

- resto da divisão do primeiro pelo segundo.

9. Faça um programa que receba quatro números inteiros, calcule e mostre a soma desses

números.

10. Faça um programa que receba três notas e seus respectivos pesos. Calcule e mostre a

média ponderada dessas notas.

11. Faça um programa que receba o valor do salário de um funcionário. Calcule e mostre o novo

salário, sabendo-se que este sofreu aumento de 25%.

12. Faça um programa que receba o valor do salário de um funcionário e o percentual de

aumento, calcule e mostre o valor do aumento e o novo salário.

13. Faça um programa que receba o valor do salário-base de um funcionário, calcule e mostre o

salário a receber, sabendo-se que este funcionário tem gratificação de 5% sobre o salário-base e paga imposto de 7% sobre o salário-base.

14. Faça um programa que receba o valor do salário-base de um funcionário, calcule e mostre o

salário a receber, sabendo-se que este funcionário tem gratificação de R$ 1.000,00 e paga imposto de 10% sobre o salário-base.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

13

V – ESTRUTURAS DE SELEÇÃO

Conceitos Os algoritmos até agora seguiram um mesmo padrão: entrava-se com dados, estes eram processados e alguma informação era mostrada na tela. Dessa forma, o computador mais parecia uma máquina de calcular. O aprendizado de novos conceitos, como a estrutura de seleção, nos dará uma visão maior da complexidade de tarefas que ele poderá executar. Um exemplo do nosso dia-a-dia: imagine-se diante de um caixa eletrônico e suponha que sua senha seja 1234:

Na tela aparece a mensagem:

- Digite sua senha :

E o cursor (

Você digita os algarismos da sua senha. Neste momento, a Unidade Lógica e Aritmética (um dos componentes da CPU) verifica se os números que você digitou são iguais a 1234. Caso tenha sido, a transação bancária continua; mas, se você digitou algo diferente, aparece na tela a mensagem: SENHA INVÁLIDA.

Sintaxes:

aparece na tela a mensagem: SENHA INVÁLIDA. Sintaxes: ou | ) fica piscando: Seleção Simples Seleção
aparece na tela a mensagem: SENHA INVÁLIDA. Sintaxes: ou | ) fica piscando: Seleção Simples Seleção

ou | ) fica piscando:

Seleção Simples

Seleção Composta Se condição então Início

Comando (s);

Se condição então Início

Comando (s);

Fim

Senão

Fim;

Início

Comando (s);

Fim;

Podemos constatar que esta estrutura faz parte do nosso cotidiano:

- Se eu não tiver prova, vou ao clube; senão vou estudar.

- Se eu tiver aumento, troco de carro; senão espero o 13° salário.

- Se minha média for maior ou igual a sete, passo direto; senão faço exame final.

A única coisa diferente é a forma como iremos escrevê-la, vamos adaptar os algoritmos para uma

linguagem específica de um modo formal, obedecendo as regras da linguagem.

Exemplo Algoritmo que lê um número e mostra uma mensagem dizendo se o número digitado é ou não múltiplo de 5.

Português Estruturado:

Programa ExemploSe; Var num, resto: inteiro; Início Escreva (‘Digite um número: ‘); Leia (num); resto <- num mod 5; Se resto = 0 então Escreva (num, ‘ é múltiplo de

5’)

Senão Escreva (num, ‘ não é múltiplo de 5’); Fim.

Pascal:

Program ExemploSe; Var num, resto: integer; Begin Write (‘Digite um número: ‘); Read (num); resto := num mod 5; If resto = 0 then Write (num, ‘ é múltiplo de 5’)

Else Write (num, ‘ não é múltiplo de

5’);

End.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

14

Observações:

- Antes de Else não se usa ponto e vírgula;

- O Begin e o End são obrigatórios somente quando se tem mais de um comando dentro do If e do Else.

EXERCÍCIOS – Estrutura de Seleção

1. Faça um programa que leia um número e informe se o dobro do número é maior que 35.

2. Faça um programa que leia um número e informe se a metade do número é menor que 12.

3. Faça um programa que leia dois números e informe apenas se o primeiro é maior que o

segundo.

4. Faça um programa que leia dois números e informa se o primeiro é igual ao segundo.

5. Faça um programa que leia dois números e informe se o primeiro é maior, menor ou igual

ao segundo.

6.

Faça um programa que leia três números e informe qual dos três é o maior.

7.

Fazer um programa que receba um número e mostre se ele é positivo, negativo ou nulo (0)

.

8.

Elabore um algoritmo que leia um número e mostre o número com a mensagem ‘é par’ ou

‘é ímpar’.

9. Faça um programa que leia a altura e o sexo de uma pessoa, calcule e imprima seu peso

ideal, utilizando as seguintes fórmulas:

Para homens: (72.7 * h) – 58

Para mulheres: (62.1 * h) – 44.7

(h = altura)

10. Faça um programa que receba quatro notas de um aluno, calcule e imprima a média

aritmética das notas e a mensagem de aprovado para média superior ou igual a 7.0 ou a mensagem de reprovado para média inferior a 7.0.

11. Faça um programa que calcule e imprima o salário reajustado de um funcionário de acordo

com a seguinte regra:

- salários até R$ 300,00, reajuste de 50%

- salários maiores que R$ 300,00, reajuste de 30%

12. A prefeitura do Rio de Janeiro abriu uma linha de crédito para os funcionários municipais. O

valor máximo da prestação não poderá ultrapassar 30% do salário bruto. Fazer um algoritmo que permita entrar com o salário bruto e o valor da prestação e informar se o empréstimo pode ou não ser concedido.

13. Ler um número qualquer e exibir na tela uma mensagem indicando se ele é positivo,

negativo ou nulo (zero). Se ele for positivo, exibir também a raiz quadrada deste número. Se ele for negativo você deve escrever uma mensagem dizendo ‘Não é possível calcular a raiz deste

número’.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

15

14. Ler um número inteiro e exibir na tela a mensagem ‘Par’ se ele for um número par, ou

‘Ímpar’ se ele for um número ímpar.

15. Faça um programa que receba três notas de um aluno, calcule e mostre a média

aritmética e as mensagens de acordo com a tabela abaixo. Para os alunos de exame, calcule e mostre a nota que deverá ser tirada no exame para aprovação, considerando que a média no exame é de 6,0.

MÉDIA

 

MENSAGEM

[

0,0

a

] 3,0

Reprovado

[

3,0

a

] 7,0

Exame

[

7,0

a

10,0 ]

Aprovado

16. Faça um programa que receba três números e os mostre em ordem crescente.

17. Dados três valores X, Y e Z, verificar se eles podem ser os lados de um triângulo e, se

forem, verificar se é um triângulo eqüilátero, isósceles ou escaleno. Se eles não formarem um triângulo informar ao usuário tal situação. Considerar que:

Condição para ser triângulo: O comprimento de cada lado de um triângulo é menor que a soma dos outros dois lados.

Chama-se triângulo eqüilátero o triângulo que tem os três lados iguais; Chama-se triângulo isósceles o que tem o comprimento de dois lados iguais; Chama-se triângulo escaleno o triângulo que têm os três lados diferentes.

18. Faça um programa que receba o código de origem de um produto e informe a sua

procedência. A procedência obedece a seguinte tabela:

Código de origem

Procedência

1

Sul

2

Norte

3

Leste

4

Oeste

5 ou 6

Nordeste

7, 8 ou 9

Sudeste

10

até 20

Centro-oeste

21

até 30

Noroeste

Alternativa de Múltiplas Escolhas

É uma alternativa para quando o algoritmo tiver muitos SEs, deixando o programa com uma estrutura melhor. Sintaxe:

Português Estruturado

Alvo 2: comando 2; Alvo n: comando n; Fim;

Caso <nome da variável> seja Alvo 1: comando 1;

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Ou Caso <nome da variável> seja Alvo 1: comando 1; Alvo 2: comando 2;

Alvo 3: comando 4; Senão comando 5; Fim;

16

Pascal

Case <nome da variável> of Alvo 1: comando 1; Alvo 2: comando 2; Alvo n: comando n; End;

Observações:

Ou Case <nome da variável> of Alvo 1: comando 1; Alvo 2: comando 2; Alvo 3: comando 4; Else comando 5; End;

-

No Case também pode fazer uso do Else;

-

Antes do Else se usa ; (ponto e vírgula);

-

O Case não tem Begin, mas, tem End;

-

A variável que fará a verificação deverá ser declarada do tipo Integer, Char ou Boolean.

Exemplo:

Este programa lê a idade de um nadador e informa a sua categoria seguindo as seguintes regras:

Infantil A (5 - 7 anos), Infantil B (8 – 10 anos), Juvenil A (11 – 13 anos), Juvenil B (14 – 17 anos), Sênior (maiores de 18 anos).

Português Estruturado

Programa Exemplo;

var idade: integer;

Início Escreva('Idade do nadador: '); Leia (idade);

Caso idade seja

7: 5

A');

10:Escreva 8

Escreva ('Categoria Infantil

('Categoria Infantil

B');

11

13:Escreva('Categoria

JuvenilA');

14

17:Escreva('Categoria

JuvenilB');

18

99:Escreva('Categoria

Sênior');

Senão

Escreva('Idade inválida!');

Fim;

//Fim do Caso

Fim.

Pascal

Program Exemplo;

var idade: integer;

Begin Write ('Digite a idade do nadador:

');

Read(idade);

Case idade of

5

7:

Write ('Categoria Infantil

A');

8

10:Write

('Categoria Infantil

B');

11

13:Write('Categoria

Juvenil A');

14

17:Write

('Categoria

Juvenil

B');

18

99:Write

('Categoria Sênior');

Else

Write('Idade inválida!');

End;

//End do Case

End.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

17

EXERCÍCIOS – Alternativa de Múltiplas Escolhas

de origem de um produto e informe a sua

procedência. (Obs.: este é o exercício 14 da estrutura de seleção se, mas, agora ele será feito utilizando o escolha caso.) A procedência obedece a seguinte tabela:

1. Faça um programa que receba o código

Código de origem

Procedência

1

Sul

2

Norte

3

Leste

4

Oeste

5 ou 6

Nordeste

7, 8 ou 9

Sudeste

10

até 20

Centro-oeste

21

até 30

Noroeste

2.

Faça um programa que leia um número digitado pelo usuário e o escreva por extenso se ele

estiver entre 1 e 5 inclusive, caso contrário mostrar uma mensagem: ‘Opção de número inválida!’

3. Escrever um algoritmo que leia um peso na Terra e o número de um planeta e imprima o

valor do seu peso neste planeta. A relação de planetas é dada a seguir juntamente com o valor das gravidade relativas à Terra:

gravidade relativa

Planeta

1 0.37

Mercúrio

2 0.88

Vênus

3 0.38

Marte

4 2.64

Júpiter

5 1.15

Saturno

6 1.17

Urano

Para calcular o peso no planeta escolhido use a seguinte fórmula:

Peso no Planeta = Peso / 10 * gravidade.

VI – ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

Vamos supor que nossos algoritmos precisarão ser executados mais de uma vez e, para que não tenhamos que reescrever trechos idênticos que aumentariam consideravelmente o tamanho do programa, utilizaremos as estruturas de repetição.

Comando Enquanto (While - Do)

Esta estrutura é recomenda quando o número de repetições for desconhecido. Para que funcione corretamente é necessário observar:

- É necessário um teste (uma condição) para interromper a repetição, esta estrutura testa a condição e só executa o que está dentro dela se for verdadeira.

- A variável que testa a condição deverá ter seu valor atribuído no início do programa

através de um comando de leitura ou de atribuição, antes da estrutura do enquanto e dentro da estrutura, como último comando.

- O Enquanto começa com Início (Begin) e termina com Fim (End;)

- Pode-se usar outras estruturas dentro do Enquanto (While), como: If, Case, etc.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

18

Sintaxe:

Português Estruturado:

ENQUANTO condição FAÇA INÍCIO Comando 1; Comando 2; Comando n;

FIM;

Pascal:

WHILE condição DO BEGIN Comando 1; Comando 2; Comando n;

END;

Exemplo: Faça um programa que leia vários números e imprima a metade de cada número, o programa termina quando o 0 (zero) for digitado:

PORTUGUÊS ESTRUTURADO:

PROGRAMA Enquanto1; VAR num: INTEIRO; metade:REAL; INÍCIO ESCREVA (‘Digite um número inteiro ‘); LEIA (num); ENQUANTO num <> 0 FAÇA INÍCIO metade <- num/2; ESCREVA (‘A metade de ‘, num, ‘ é ‘, metade); ESCREVA (‘Digite outro número ou zero para sair do programa: ‘); LEIA (num); FIM; FIM.

Comando Repita (Repeat - Until) Estrutura recomendada quando o número de repetições for desconhecido, sendo necessária uma chave (um teste) para interromper a repetição. Sua diferença em relação ao enquanto é que ela testa a condição ao final, significando que ela executa o trecho pelo menos uma vez. Muitas pessoas não entendem por que existe esta estrutura se a estrutura Enquanto (While) pode fazer o que ela faz. Na verdade tem muito programador que não faz uso dela.

PASCAL:

PROGRAM Enquanto1; VAR num: INTEGER; metade:REAL; BEGIN WRITE ('Digite um número inteiro '); READ(num); WHILE num <> 0 DO BEGIN metade := num/2; WRITELN ('A metade de ', num, ' é ',

metade:0:1);

WRITELN ('Digite outro número ou zero para sair do programa: '); READ(num); END; END.

Sintaxe:

Português Estruturado:

Repita comandos; Até condição;

Pascal

Repeat

comandos;

Until condição; EXERCÍCIOS – Comando Enquanto (WHILE)

1. Entrar com vários números e imprimir quantos números foram digitados.

2. O IBGE fez uma pesquisa, ele quer saber quantos dentistas foram entrevistados. Fazer um

programa que pergunte aos entrevistados qual a sua profissão e ao final diga quantas pessoas

foram entrevistadas e quantas são dentistas (considerar dentista, Dentista e DENTISTA).

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

19

3. Dado um país A, com 5.000.000 de habitantes e uma taxa de natalidade de 3% ao ano, e

um país B com 7.000.000 de habitantes e uma taxa de natalidade de 2% ao ano, calcular e imprimir o tempo necessário para que a população do país A ultrapasse a população do país B.

4.

Uma pousada estipulou o preço da diária em R$ 40,00 e mais uma taxa de serviços diários

de:

- R$ 15,00, se o número de dias for menor que 10;

- R$ 8,00, se o número de dias for maior ou igual a 10.

Criar um algoritmo que imprima o nome, o valor da conta de cada cliente e ao final o total arrecadado pela pousada.

5. Criar um algoritmo que entre com vários números inteiros e positivos e informe a

quantidade de números múltiplos de 3 (três). O programa será encerrado quando o usuário digitar

0 (zero) ou menos.

6. Criar um algoritmo que entre com vários números inteiros e positivos e informe a média dos

números múltiplos de 3 (três). O programa será encerrado quando o usuário digitar 0 (zero) ou menos.

7. Uma fábrica produz e vende vários produtos e para cada um deles tem-se o nome,

quantidade produzida e quantidade vendida. Criar um algoritmo que mostre:

- Para cada produto, nome, quantidade no estoque e uma mensagem se o produto tiver menos de 50 itens no estoque.

8. Faça um programa que leia a idade e a altura de várias pessoas. Calcule e informe a média

das alturas das pessoas com mais de 50 anos. Para encerrar o programa digite zero para idade.

9. Faça um programa que leia vários números, quando o zero for digitado o programa será

finalizado. Mostre no final desse programa a soma dos números positivos, a soma dos negativos e a soma total dos positivos e negativos juntos.

10. O GDF realizou uma pesquisa entre vários habitantes do DF, coletando dados sobre o

rendimento familiar e o número de filhos de cada família. O GDF quer saber:

- A média dos rendimentos da população;

- Média do número de filhos.

11. Uma empresa decidiu fazer um levantamento em relação aos candidatos que se

apresentarem para preenchimento de vagas no seu quadro de funcionários. Suponha que você seja o programador dessa empresa, criar um programa que leia para cada candidato a idade, o

sexo e se tem experiência no serviço (S ou N). Para encerrar o programa, digite zero para idade. Calcule e escreva:

- O número de candidatos do sexo feminino;

- O número de candidatos do sexo masculino;

- A idade média dos homens que já tem experiência no serviço.

12. Uma empresa classifica seus funcionários em três níveis de acordo com um índice de

produtividade. São eles (1) Excelente, (2) Bom e (3) Regular. Cada nível acrescenta um abono ao salário base do funcionário, de acordo com a seguinte tabela:

- Excelente

- Bom

80% do salário base;

50% do salário base;

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

20

-

Regular

30% do salário base.

O

programa deve ler a matrícula do funcionário, seu salário base e seu nível de abono. Calcular e

imprimir o salário a ser pago (salário a ser pago é = salário base + abono). O programa será encerrado quando for digitado 0 para matrícula.

13. Faça um programa que receba vários números positivos ou negativos, terminada por zero.

O programa deve fornecer como saída, a soma dos números positivos e a soma dos números

negativos.

14. Faça um programa que leia os dados de vários alunos, contendo o número da matrícula, as

três notas e a freqüência. Calcule e mostre: para cada aluno o número de matricula, a nota final e

a mensagem (aprovado ou reprovado); a maior e a menor nota da turma; o total de alunos

reprovados;

15. Faça um programa que receba a idade, a altura e o peso de várias pessoas. Calcule e

mostre:

A quantidade de pessoas com idade superior a 50 anos;

A média das alturas das pessoas com idade entre 10 e 20 anos;

A percentagem de pessoas com peso inferior a 40 quilos entre todas as pessoas analisadas.

16. Uma empresa deseja aumentar seus preços em 20%. Faça um programa que leia o código,

o preço de custo de vários produtos e que calcule o novo preço de cada um deles. Calcule

também a média de preços com e sem aumento. Mostre o código e o novo preço de cada produto e, no final, as médias. A entrada de dados deve terminar quando for recebido um código de produto menor ou igual a zero.

17. Faça um programa que apresente um menu de opções para cálculo das seguintes

operações entre dois números: adição, subtração, multiplicação e divisão. O programa deve permitir a escolha da operação desejada, a entrada dos números, a exibição do resultado e a volta ao menu de opções. O programa só termina quando for escolhida a opção de saída.

Comando Para (For)

Esta estrutura de repetição é utilizada quando se sabe o número de vezes em que um trecho do programa deve ser repetido.

Sintaxe:

Português Estruturado

PASCAL

PARA a<-valor inicial ATÉ valor final FAÇA INÍCIO

FOR a := valor inicial ATÉ valor final DO INÍCIO Comando 1; Comando 2;

Comando 1;

Comando 2;

FIM;

END;

Observações:

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

21

1. O identificador (a variável “a” no exemplo anterior) tem que ser declarada do tipo inteiro

(Integer).

2. A variável que controla a repetição poderá ser impressa se precisarmos dela para numerar

uma lista, posicionar, etc.

3. A variável que controla a repetição jamais aparecerá num comando de leitura dentro do

bloco de repetição.

Exemplo:

Algoritmo para escrever os números de 1 até 10:

PASCAL

Português Estruturado

Programa para1; Var

Início Para i <- 1 até 10 faça Início Escreva (‘ - ‘, i);

Fim.

Program para1; Var

I : Integer;

Begin For i := 1 to 10 do Begin

End.

Write (‘

End;

-

I : Inteiro;

‘, i);

fim;

EXERCÍCIOS – Comando Para (For)

1. Imprimir todos os números de 100 até 1.

2. Criar um algoritmo que imprima todos os números pares no intervalo de 1 a 100.

3. Criar um algoritmo que entre com cinco números e imprima o quadrado de cada número.

4. Entrar com 10 números e imprimir a metade de cada número.

5. Criar um algoritmo que imprima todos os números de 1 até 100 e a soma deles.

6. Escreva um programa que receba a idade de 10 pessoas, calcule e imprima a quantidade

de pessoas maiores de idade (idade >= 18 anos).

7. Entrar com nome, idade e sexo de 10 pessoas. Imprimir o nome se a pessoa for do sexo

masculino e tiver mais de 21 anos.

8. Em uma eleição presidencial, existem três candidatos. Os votos são informados através de

código. Os códigos utilizados são:

1, 2, 3

0

outros códigos

Escreva um programa que calcule e imprima:

- total de votos para cada candidato;

- total de votos nulos;

- total de votos em branco.

votos para os respectivos candidatos;

de votos em branco. votos para os respectivos candidatos; votos em branco votos nulos 9. Criar

votos em branco

votos nulosvotos para os respectivos candidatos; votos em branco 9. Criar um algoritmo que entre com quatro

9. Criar um algoritmo que entre com quatro notas de cada aluno de uma turma de 20 alunos e

mostre:

- A média de cada aluno;

- A média da turma;

- Quantos alunos foram aprovados (média 7.0)

10. Imprimir as tabuadas de multiplicar de 1 até 10.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

12. Um empresa está fazendo a estatística de seus funcionários, ela precisa saber quantas

funcionárias têm com mais de 40 anos para encaminhá-las para exames de mamografia. Fazer um programa que leia o nome, a idade e o sexo de seus 10 funcionários e imprima o nome se for do sexo feminino e tiver mais de 40 anos.

13. Faça um programa que receba a idade de 10 pessoas. O programa deve calcular e mostrar

a quantidade de pessoas com idade maior que 18 anos.

14. Faça um programa que mostre a tabuada de multiplicação (de 1 a 10) para os 6 primeiros

números primos. Ao mudar de uma base para outra o programa deve mostrar uma mensagem ao usuário e aguardar que alguma tecla seja pressionada para então montar a tabuada para a próxima base.

15. Faça um programa que receba a idade de 15 pessoas, calcule e mostre a quantidade de

pessoas em cada faixa etária.

Faixa etária

Idade

1

Até 15 anos

2

De 16 a 30 anos

3

De 31 a 45 anos

4

De 46 a 60 anos

5

Acima de 61 anos

16. Faça um programa que leia uma série de números positivos inteiros. Calcule e mostre o

maior número digitado. A entrada de dados deve terminar quando um número negativo foi digitado.

17. Faça um programa que receba um número, calcule e mostre o fatorial desse número.

Sabe-se que: n! = 1*2*3*

0! = 1, por definição.

*(n-1)*n;

ANEXO I – Questões de Raciocínio Lógico

1. Preencha o quadro a seguir de tal maneira que a soma dos números que ficam sobre

uma linha, ou sobre uma coluna, ou sobre uma diagonal, dê sempre 15 e todos os números tê de

ser diferentes:

dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par
dê sempre 15 e todos os números tê de ser diferentes: 2. Entram num restaurante par

2. Entram num restaurante para jantar três mulheres, cada uma com duas filhas. Só

existiam 7 lugares. Nenhuma ficou de pé. Como isso é possível?

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

3. Tenho 3 camisas: A, B e C. Uma é VERDE, uma é BRANCA e outra é AZUL, não

necessariamente nesta ordem. Sabe-se somanete que a a camisa A é VERDE, B não É VERDE e C Não é AZUL. Quais as cores de A, B, e C, nessa ordem?

4. Dentro de uma caixa fechada, há uma bola branca e uma bola preta. Numa segunda

caixa fechada, há duas bolas brancas e, numa terceira caixa fechada, há duas bolas pretas. Cada caixa possui uma etiqueta indicando o conteúdo das caixas, mas alguém misturou as três etiquetas de modo que todas as etiquetas estão erradas. Você seria capaz de escolher apenas uma das seis bolas de modo tal que, olhando a sua cor, você possa dizer o conteúdo de cada uma das caixas?

ANEXO II - Transferência de Comandos: Português Estruturado para Pascal

Veja como seria a transferência de alguns comandos de Português Estruturado para Pascal:

OBS: Os dados da tabela estão em ordem alfabética.

Português Estruturado

Pascal

(atribuição)

 

:=

Algoritmo ou Programa

 

Program

Cadeia (de caracteres) ou Literal

String

Caracter

Char

E

And

Enquanto n <> 0 faça

 

While n <> 0 do

 

Escreva (‘

’)

Write (‘

’);

Fim

End

Início

Begin

Inteiro

Integer

Leia (nome da variável);

 

Read (nome da variável);

Nome:arranjo [1

10]

de cadeia (ou string);

Nome: array [1

10]

of string;

Ou

Or

Para i 1 até 10 faça

 

For i:= 1 to 10 do

 

Se x > 10 então

 

If x > 10 then

 

Senão

Else

Var ou Variáveis

 

Var

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

U.E PROF EDGAR TITO - NOITE PROF. RANILDO LOPES DISCIPLINA: Lógica de Programação

APOSTILA 03

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

de Programação APOSTILA 03 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Visite nosso sítio http://ueedgartito.wordpress.com “Nele

Visite nosso sítio

http://ueedgartito.wordpress.com

“Nele estão os resumos e trabalho de sala de aula”

Obrigado pela preferência de nossa ESCOLA!

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Variáveis x Dados

Variável é o local de memória onde serão armazenados os dados de forma temporária. Em nossos algoritmos não nos preocuparemos com o endereço real dessas variáveis, pois a maioria das linguagens de programação tornam estes endereços transparentes ao programador.

ão tornam estes endereços transparentes ao programador. Para exemplificarmos a diferença entre dados (c onstantes)

Para exemplificarmos a diferença entre dados (constantes) e variáveis, bem como entender

melhor o endereçamento de variáveis, podemos citar o exemplo de uma estante de prateleiras, onde estão guardados livros ou quaisquer outros objetos (veja figura). Os livros e objetos podem ser chamados de dados, conteúdo das variáveis. Para nos referenciarmos à variável é necessário darmos um nome à mesma, pois não trabalharemos com endereço de memória propriamente dito, e sim com identificadores.

É aconselhável que o nome da variável expresse o que vai ser armazenado dentro dela, p.e.

nomeAluno, quantidade_alunos. As variáveis podem ainda ser simples ou compostas. As variáveis simples são aquelas que recebem um único dado por vez, enquanto que as compostas podem armazenar vários dados de uma só vez, porém, esta última não é objeto de nossa apostila. Quando declaramos uma variável, temos que associar a ela algumas características:

NOME ou IDENTIFICADOR

TIPO do dado Como dissemos anteriormente, o endereço físico da variável não precisa ser declarado, a menos que estejamos programando em alguma linguagem de baixo nível, como o ASSEMBLER. As linguagens de alto nível procuram espaços livres na memória do computador para associarem bytes à variável declarada.

Uso das Variáveis no Algoritmo

O nome a ser associado à variável (ex.: X, Y, KTI34), não é importante para o computador, pois

este servirá apenas como uma mera referência. Entretanto para outros programadores que

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

possam vir a analisar os seus programas, ou até para você mesmo após algum tempo, é necessário que esses nomes sejam expressivos, simples e objetivos. Vejamos agora alguns exemplos de identificadores:

SALARIO

Um bom nome para variável que irá armazenar um valor salarial;

CONT

Um bom nome para variável que irá registrar uma contagem;

TOTAL

Um bom nome para variáveis acumuladoras de somas;

DATANASC

Um bom nome para variáveis usadas para armazenar uma data de nascimento.

Devemos evitar nomes do tipo: X, K, C1, ABC, etc

Nomes de variável, na maioria das linguagens, NÃO devem:

Iniciar por números: 1C2, 9ANOS, 100, 4CANTOS, etc Ser descontínuos: DATA NASC, FONE COMERC, etc Outros requisitos podem aparecer dependendo de cada linguagem. O COBOL por exemplo permite nomes longos para variáveis, já o CLIPPER, com apenas 10 bytes. O COBOL permite separadores como hífens, barras, entre outros. Linguagens derivadas do DBASE permitem

apenas o UnderLine (Nome_Aluno) como caracter separador. A maioria das linguagens apresenta certas restrições à livre escolha dos nomes das variáveis. A mais evidente é a impossibilidade da utilização de palavras reservadas da própria linguagem. Por exemplo, a palavra MOVE representa um comando para o COBOL. Não é possível utilizarmos este nome como identificador

de qualquer variável nesta linguagem. Já para o CLIPPER, o MOVE pode ser um identificador.

Outras vezes, a linguagem traz consigo algumas variáveis reservadas. Tratam-se de algumas variáveis que são automaticamente declaradas pela linguagem. Normalmente elas registram a data e a hora do sistema operacional, ou algumas informações internas como códigos de periféricos, endereços de memória para buffers, etc.

a menos que eles expressem algo real.

Escolhendo o TIPO do Identificador da Variável

O segundo argumento presente na declaração de uma variável é o seu tipo.

variável define que tipos de dados poderão ser armazenados nela. A declaração (definição das variáveis) será feita no início do algoritmo.

Tipo inteiro Sinaliza que o conteúdo será de números e que não terá a parte decimal em sua composição. Ex.: 1200; -12; 0; etc

O tipo de uma

Tipo real Sinaliza que o conteúdo será de números e que é permitida a digitação da parte decimal.

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Ex.: 1200,00; -12,88;

0;

etc

Tipo Literal

Sinaliza que o conteúdo aqui armazenado será toda a rede de caracteres alfanuméricos e os ditos caracteres especiais. Os conteúdos destas variáveis SEMPRE serão demonstrados entre aspas (simples ou dupla, dependendo da linguagem);

“São variáveis que aceitam conteúdos de qualquer natureza, portanto: números, letras e símbolos em geral, não podendo estes números ser utilizados para operações aritméticas”. Ex.: "MARIA JOSE"; "Recife"; "123"; "NOMES" Observações:

a) Não confundir os valores numéricos com os literais ou entre os literais. Vejamos os casos a seguir. Caso 1. 42 (inteiro) é diferente de “42” (literal) – Os tipos são diferentes, logo, seus valores em memórias são diferentes; Caso 2. “01”(literal) é diferente de “1” (literal) – Os tipos são iguais, mas a representação em memória é diferente.

Tipo Lógico Este tipo de variável não permite o registro de dados numéricos ou literais. Uma variável lógica só armazena um entre dois valores: VERDADEIRO ou FALSO. Em nossa disciplina, não nos ateremos ao como exatamente, o computador registra esta informação na memória. Pode ser por bytes zerados e não zerados, pelas letras V ou F, ou por um outro mecanismo qualquer. O que nos interessa de fato é que este tipo de variável não registra outro tipo de informação exceto Verdadeiro ou Falso. Para efeito de representação, diremos que o conteúdo de uma variável lógica será representado pelas letras V e F, representando respectivamente, Verdadeiro e Falso:

Tamanho das Variáveis Quando declaramos uma variável não precisamos delimitar o byte inicial e final que esta irá ocupar na memória do computador, entretanto é imprescindível entendermos que elas ocupam um espaço na memória e que os tipos de dados trazem definições sobre as variáveis, inclusive o que pode armazenar e os seus limites. Outros tipos de variáveis também são tratados por novas linguagens, tais como: HORA, MEMORANDO, OBJETO. Entretanto aqui só trataremos os tipos mencionados anteriormente, ou seja: Literal, Inteiro, Real e Lógico

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Declaração de Variáveis TODAS as variáveis que o programa vier a utilizar têm que existir antes de serem referenciadas. Por esse motivo, necessitamos declarar estas. Como fazer isso? Através do comando DECLARE. Comando DECLARE

DECLARE <Nome da variável>[,<Nome da variável>]: <tipo>;

<Nome da variável> Nome ou identificador da variável

<Tipo>

Tipo da variável definida: Literal, Inteiro, Real e Lógico.

Exemplos:

DECLARE NOME : Literal;

DECLARE IDADE : Inteiro;

DECLARE ALTURA: Real;

DECLARE DEPENDENTE: LOGICO;

Podemos declarar diversas variáveis utilizando apenas um comando DECLARE.

Exemplos:

DECLARE NOME : Literal;

IDADE : Inteiro;

ALTURA: Real;

DEPENDENTE, LOGICO;

Ou ainda, em uma mesma linha, desde que sejam do mesmo tipo de dados.

Exemplo:

DECLARE IDADE, CONTADOR:inteiro;

(obs.: tipo e tamanho iguais}

Observação: As vezes substituímos o comando Declare por Var ou Defina, dependendo da linguagem que estamos querendo nos aproximar. Outros comandos poderão sofrer variações. Cabendo ao professor da disciplina fazer os ajustes baseados no direcionamento que queira dar à disciplina.

Operadores Podemos atribuir a uma variável o resultado de uma expressão numérica. Atribui é uma ação que as linguagens possuem e que representa o ato de preencher o espaço da variável com um conteúdo, conforme o tipo de dado (veremos mais detalhadamente em tópico específico). Entendemos por expressão numérica um conjunto de operações aritméticas combinadas entre operandos e operadores. Mas além das expressões numéricas, existem expressões que exigem tratamentos particulares, como veremos a seguir. Operadores Numéricos São elementos (símbolos) utilizados para representar uma operação de cunho aritmético.

+ indica SOMA

- indica SUBTRAÇÃO

* indica MULTIPLICAÇÃO

/ indica DIVISÃO

Relembrando um pouco a matemática elementar, a ordem de execução de uma expressão aritmética segundo as prioridades de operações é:

Parêntesis:

Multiplicação e Divisão:

Soma e Subtração: + , -

(

* ,

)

/

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Obs.: Caso existam numa mesma sentença operadores de mesma ordem de prioridade, a execução será feita da esquerda para direita.

A := 2 * 6 / 3 12
A :=
2
*
6
/
3
12

4

Operadores Relacionais São elementos (símbolos) utilizados

comparações, recebendo como resposta o valor verdadeiro ou falso.

para

realizarmos

operações

de

 

> maior que

< menor que

= igual a

=

>= maior ou igual a

<= menor ou igual a

<> diferente

igual

Exemplos:

Dados A = 3,

a

B = 2, C = ‘Jose’ , D = ‘Jose’, NOME = ‘JOSE’

A

> B

Retorna V

C

= D

Retorna V

NOME = "JOSE"

Retorna V (Está sendo comparado o conteúdo da variável NOME com a string “JOSE”.

NOME = D

Retorna F (estão sendo comparados os conteúdos das variáveis NOME e D).

Os operadores relacionais incidem sobre dados e variáveis numéricas e caracteres. Assim sendo, podemos comparar não apenas números, mas também palavras. Neste sentido, a comparação respeitará a ordem alfabética das iniciais de cada uma.

Exemplos:

"MARIA" > "ANA"

Retorna V

"MARIA" < "MARIO"

Retorna V

observação: as comparações só podem ser feitas com elementos dos mesmos tipos.

Operadores Lógicos

Estes elementos são necessários quando você deseja realizar comparações entre resultados lógicos obtendo como resposta outro valor lógico. Estranho, não? Mas é exatamente isso que ocorre. Por exemplo: se você ler um anuncio sobre emprego que tenham as seguintes solicitações:

Precisa-se de pessoas do sexo feminino e com idade máxima 40 anos. O que você consegue extrair deste anuncio? A resposta seria: duas exigências, a saber, o SEXO da pessoa deve ser igual a feminino (“F”) e a IDADE deve ser menor ou igual a 40 anos. Logo, estamos diante de duas sentenças, que, dependendo do que seja colocado como dados na comparação, poderemos ter a possibilidade do resultado ser falso ou verdadeiro. Se o SEXO for igual a “M” (masculino), a primeira sentença será falsa. Para você poder ocupar a vaga oferecida, necessário que sejas do sexo feminino e sua idade esteja na faixa etária solicitada. Para o programa, o raciocínio é exatamente igual.

Para que gerenciarmos esta etapa da lógica, utilizaremos os operadores a seguir:

Operador

 

Detalhamento

Prioridade

 

de execução

OU

A

sentença que contiver este operador será verdadeira se pelo

3

º

(Opcionalidade)

menos uma das expressões nela contida retornar valor verdadeiro.

 

E

A

sentença que contiver este operador será verdadeira se as

2

º

(Simultaneidade)

expressões nela contida resultarem valores verdadeiros.

 

NÃO

Quando queremos inverter (negar) o resultado de uma condição ou expressão lógica.

1

º

(Negação)

 

Observação: caso sejam colocados os parênteses na sentença, a prioridade de execução será alterada iniciando-se pelos elementos contidos dentro destes. Caso exista mais de uma sentença nesta condição, observar-se-á, além do exposto acima, a execução dos comandos da esquerda para a direita da expressão.

Vejamos a “TABELA VERDADE” a seguir para entendermos melhor.

E

OU

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

   

V

V

V

 

V

V

V

 
 

F

V

F

F

V

V

 

V

F

F

V

F

V

 

F

F

F

F

F

F

Exemplos:

 

X =

90

E

Z

=

100

A >= 67

OU

A <= 200

 

NOME <> "ANA" E NAO (NOME = "MARIA")

(NOME <> "ANA") E (NAO (NOME="MARIA") OU (NOME="PEDRO"))

Entendendo Representações de Sintaxes

Agora que você já aprendeu o primeiro comando de nossa linguagem algorítmica, é importante aprender a forma sintética de se representar um comando. Note que, ao enunciarmos o comando DECLARE, nós utilizamos algumas nomenclaturas e simbologias que você, certamente, encontrará em qualquer livro sobre quaisquer linguagens. Assim, vamos elucidar algumas delas:

Repetindo o comando,

DECLARE <Nome da variável>[,<Nome da variável>]: <tipo>;

<

>

Delimita o espaço reservado para inserirmos um parâmetro do comando. A maioria dos comandos das linguagens possui parâmetros.

[

]

Delimita o espaço reservado para inserirmos um parâmetro opcional do comando, ou seja, tudo o que vier entre colchetes nem sempre precisará ser especificado no comando.

Ex:

 

DECLARE SOMA : Inteiro;

DECLARE SOMA, QUANTIDADE_ALUNOS:inteiro;

Observe ainda que os colchetes [ ] e os delimitadores maior/menor < > podem acumular-se entre si, ou seja, dentro de um grupo de parâmetros opcionais [ ], poderemos ter outros [ [ dependendo apenas da característica do comando. Atribuição de Valores a Variáveis Até agora, vimos conceitos e exemplos de variáveis. Agora vamos aprender a utilizá-las em algoritmos. Representaremos o comando de atribuição pela combinação de dois símbolos do teclado, que são dois pontos e o sinal de igual, sem espaços entre eles(:=). Este símbolo representará a atribuição de um dado a uma variável.

] ],

<variável> := <dado a ser armazenado>

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes
EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes
EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes
EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Exemplos:

NOME := "JOÃO";

Dados Literal têm que vir entre aspas

IDADE := 25;

Dados Inteiros não precisam de aspas

ALTURA := 1,67;

Dados tipo Real, possuem uma vírgula como delimitador entre a parte decimal e a parte inteira (linguagens comerciais adotam o ponto).

DEPENDE := F;

Dados LOGICO devem vir entre pontos

Também podemos atribuir, a uma variável, o valor de outra:

Exemplo:

ALTURA := IDADE;

a variável ALTURA recebe o valor de IDADE

Também podemos atribuir o resultado de uma expressão numérica, ou de outro tipo, a uma variável:

SOMA := QUOEF * (VALOR + 10) / DIVISOR;

Estruturação do Algoritmo

Existem alguns formatos para organizar um algoritmo, porém adotaremos o mais global, facilitando assim o aprendizado. Vejamos a seguir:

Algoritmo <nome do programa>; Declare {Local para declaração das variáveis} Início

{Local para inicialização das variáveis / mensagens montando a tela} {Local para receber dados, processar dados e dar saída nos dados / mensagens}

Fim

Entrada e Saída de Dados Até aqui nós vimos como atribuir um valor a uma variável dentro de um programa. Mas este valor foi atribuído pelo próprio programa, não é? Mas como fazer com que um programa, em um dado momento, receba um valor digitado pelo usuário? Como receber este dado através do teclado? Como exibir o resultado de uma operação qualquer no monitor? Existem nas linguagens de programação, comandos de entrada e saída de dados. No caso do algoritmo, estes comandos são os seguintes: Leia (entrada), Escreva (saída - tela). Comando LEIA

Leia <variável>;

Ou

Leia (<variável>);

<variável> -

Variável que receberá os dados digitados pelo usuário.

Algoritmo Declare wnome:literal; Widade:Inteiro;

Inicio

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Leia wnome; Leia widade; <seqüência de comandos>;

Fim

A execução do comando LEIA provoca uma pausa na execução do programa. O programa fica em estado de espera, aguardando a digitação de algo que deva ser atribuído às variáveis especificadas na sintaxe do comando. É bom deixar claro que o LEIA, permite um preenchimento por vez. Se você desejar digitar várias informações referente a mesma variável, terá que utilizar uma estrutura de repetição (veremos mais adiante) e fazer com que o fluxo do programa passe pelo mesmo local onde o LEIA está posicionado No exemplo acima, veja que o computador aguarda que o usuário digite dois valores distintos através do teclado. Estes dois valores irão ocupar, respectivamente, as variáveis NOME e IDADE. Comando ESCREVA (lista informações no vídeo)

Escreva <string>[, <variável>][, <operação>]; Ou Escreva (<string>[, <variável>][, <operação>] );

Importante! Pelo menos um dos parâmetros deve ser informado quando da utilização deste comando.

<string> -

Texto que está sendo encaminhado para tela.

<variável> -

Qualquer variável utilizada no programa.

<operação> -

Algum cálculo executado durante a exibição. Neste caso o processador realiza a operação de cálculo e depois libera o resultado para a exibição na tela.

Por dentro dos termos: string = conjunto de caracteres dentro de uma mesma variável.

Exemplo:

Algoritmo exemplo;

Declare wnome:Literal; INICIO

ESCREVA “ NOME LEIA wnome; ESCREVA FIM;

"Seu nome é ",

:”;

NOME;

Quando estudamos lógica algorítmica não nos preocupamos em que coordenada ou posição a informação será exibida, mas sim com o fato de que deve ser dado o comando de saída dos dados. No exemplo acima, teremos o conteúdo da variável NOME exibido no vídeo logo após a mensagem “Seu nome é ”, como mostra a ilustração abaixo.

NOME

:

Karla Silva

 

Seu nome é

Karla Silva

Manipulaçao de valores

1)

Dados 2 números digitados via teclado, faça um algoritmo capaz de exibir a soma deles no vídeo. Algoritmo soma; Declare X:Inteiro; Y:Inteiro; SOMA:Inteiro;

Inicio

Leia X;

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Leia y; SOMA := X + Y; Escreva SOMA;

Fim

Na solução acima, declaramos 3 variáveis de memória. X e Y foram criadas para armazenar os dois números que seriam digitados pelo usuário, e SOMA serviu para armazenar o resultado final da operação com essas duas variáveis.

Mas quase sempre existe mais de uma maneira de solucionarmos um problema, não é? Com algoritmos não é diferente. Tente repensar o algoritmo acima utilizando apenas 2 variáveis, em vez de 3 ! Como você pode observar, existem no mínimo duas soluções para este problema:

Comentário

Algoritmo soma; Declare X:Inteiro; Y:Inteiro; SOMA:Inteiro;

Inicio

Fim

Leia X;

Leia y;

X := X + Y;

Escreva X;

Ou ainda:

Algoritmo soma; Declare X:Inteiro; Y:Inteiro; SOMA:Inteiro;

Inicio

Leia X;

Leia y;

Y := X + Y;

Escreva Y;

Fim

Qual a solução mais eficiente das duas? Somente o fato de economizar uma variável torna qualquer uma dessas soluções bem mais eficiente que a primeira. O mesmo caso, sem precisar utilizar as variáveis para guardar o resultado, agiliza ainda mais o processamento. Mas este caso deve ser utilizado só quando você não precisar do valor resultante da operação.

Algoritmo soma; Declare X:Inteiro; Y:Inteiro; SOMA:Inteiro;

Inicio

Leia X;

Leia y;

Escreva (X+Y);

Fim

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Conceitos Fundamentais

Contador x Acumulador Estes nomes são dados a expressões que realizam adição de dados, porém, no primeiro caso, CONTADOR, é a expressão de adição que contabiliza valores fixos e predeterminados. No segundo caso, ACUMULADOR, é a expressão de adição que contabiliza valores variáveis. Exemplo de Contador:

QtdFem := QtdFem +

1)

(note que o valor adicionado a quantidade de femininos será sempre

1
1

Exemplo de Acumulador:

(note que o valor adicionado a soma das idades seráidade de femininos será sempre 1 Exemplo de Acumulador: variável) Observação: na maioria das vezes, estes

variável) Observação: na maioria das vezes, estes elementos são iniciados com o 0 (zero). Percentuais Encontramos algumas dificuldades quando tratamos estes temas. Aqui daremos algumas regras básica para que você se sinta a vontade no momento do cálculo.

Encontrando um valor percentual:

SomaIdade := SomaIdade +

Veja esta continha simples 50 bolas 25 bolas

SomaIdade + Veja esta continha simples 50 bolas 25 bolas 100 % % x Chegaremos a

100 %

%

x

Chegaremos a conclusão:

X

% =

25

x

100

(50 = Todo) (25 = Parte do Todo)

/

50

Estas informações nos levam a fórmula:

<perc> := < Parte do Todo>

*

100

/ < Todo>

Encontrando um valor final após aplicação do percentual:

<Novo valor> := <valor anterior>

Ex.:

*

1,<valor do percentual>;

adicionar 5 % sobre o salário e informar o valor do novo salário.

Nsal := Salario * 1,05;

Encontrando um valor adicionado percentualmente a uma variável:

<Novo valor> := <valor anterior> * 0,<valor do percentual>; Ex.: adicionar 5 % sobre o salário e informar o valor acrescido ao salário. Reajuste := Salario * 0,05; Observação: quando você não sabe o valor a ser aplicado pois vem dentro de uma variável, não podemos fazer a aplicação literal do que explicamos neste tópico, mas precisamos

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

traduzir em termos de programa este processo. Vamos fazer os mesmos exemplos

anteriores, mas imaginando que o percentual virá em variáveis.

a) Nsal := Salario * (1 + perc / 100);

b) Nsal := Salario * (perc / 100);

Maior Valor

Existirão momentos em que você sentirá necessidade de identificar o maior elemento dentro de

um conjunto de dados processados. Só existe uma forma de sabermos qual o maior valor:

comparando as grandezas do conjunto. Para descobrirmos qual será o maior elemento,

inicializaremos uma variável, que armazenará o maior valor do conjunto, com um valor bem

pequeno para a situação, e, cada dado existente no conjunto iremos comparar com esta dita

variável. Caso o valor encontrado seja superior, este será colocado como conteúdo da variável

maior, já que este novo dado representa a maior grandeza neste momento do processamento.

Encontrando o maior valor dentro de um conjunto:

Obs.: para entender melhor esse exemplo, é bom estar familiarizado com a estrutura de repetição

comentada mais adiante.

Algoritmo

maior;

Declare MAIOR_ID:Inteiro;

Idade:Inteiro;

Cont:Inteiro;

Inicio MAIOR_ID := 0; Para cont := 1 até 10 Faça Inicio Leia Idade; Se Idade > MAIOR_ID então Inicio MAIOR_ID := Idade; Fim

Fim Escreva “A maior idade é “, MAIOR_ID; Fim

Menor Valor

De igual forma iremos trabalhar para encontrar o elemento que possui o menor valor. Para tanto,

iremos inicializar uma variável, que armazenará o menor valor do conjunto, com um valor bem

alto adequado para a situação, e, cada dado existente no conjunto iremos comparar com esta dita

variável. Caso o valor encontrado seja inferior, este será colocado como conteúdo da variável

menor, já que este novo dado representa a menor grandeza neste momento do processamento.

Encontrando o menor valor dentro de um conjunto:

Algoritmo

Menor;

Declare menor_ID:Inteiro;

Inicio

Idade:Inteiro;

Cont:Inteiro;

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

menor_ID := 999; Para cont := 1 até 10 Faça Inicio Leia Idade; Se Idade < Menor_ID então Inicio menor_ID := Idade; Fim

Fim Escreva “A menor idade é “, Menor_ID; Fim

Estruturas Condicionais

Sabemos que as linhas de um programa estruturado são executadas de cima para baixo de forma seqüencial (na orientação ao objeto, apenas os métodos seguem este conceito). Mas freqüentemente precisamos mudar este curso natural de acordo com decisões a serem tomadas. Por exemplo, imagine se dentro de um conjunto de alunos você desejasse verificar a quantidade de homens. Só existiria uma forma para sabermos o resultado: fazendo uma pergunta sobre se os dados processados continham na variável SEXO o conteúdo igual a “M”. O comando que realiza esta “pergunta” é o SE, que possui três situações bem definidas dentro da programação: Estrutura Condicional Simples, Composta ou Encadeadas(Ninhos de SE’s). Estrutura Condicional SE (Símples)

Se <condição> então inicio <sequência de comandos>; Fim

<condição> - Expressão lógica qualquer.

<sequência de comandos> São comandos que serão executados caso o resultado da expressão lógica seja verdadeira. Esses comandos devem ser escritos entre as delimitações da gerência do comando, ou seja, entre as palavras Início e fim.

Em tempo de execução, se a expressão lógica retornar verdadeiro então a seqüência de comandos será executada. Para fixar esta idéia, tente depurar o seguinte algoritmo:

Algoritmo exemploSE1;

DECLARE

Idade, Numérico, 3 Nome, Caracter , 35 Sexo, Caracter , 1

Inicio Leia Nome; Leia Sexo; Leia Idade; Se Sexo = “M” então Inicio Escreva "A idade de ", Nome, “ é “, Idade;

Fim Escreva "Fim da transacao"; Fim

Estrutura Condicional SE (Composta)

Se <condição> então Inicio <sequência de comandos 1>;

Fim senão inicio <sequência de comandos 2>; Fim

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes
EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes
EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes
EDGAR TITO - INFORMÁTICA 2014 – Prof. Ranildo Lopes

Onde:

<condição> - Expressão lógica qualquer.

<sequência de comandos 1> São comandos quaisquer que serão executados caso o resultado da expressão lógica seja verdadeira (V).

<sequência de comandos 2> São comandos quaisquer que serão executados caso o resultado da expressão lógica seja falsa (F)

Senão - Variação do comando, para atender o tratamento de informação que não foi contemplada na <condição>, por ser falso o resultado. Só deve ser utilizado para otimizar ou se precisar tratar a negativa da <condição>.

Para fixar esta idéia, tente depurar o seguinte algoritmo:

Algoritmo exemploSE2;

DECLARE

Inicio

Idade: Inteiro; Nome : Literal; Sexo : Literal;

Leia Nome;

Leia Sexo;

Leia Idade;

Se Sexo = “M” então Inicio ESCREVA "A idade de ", Nome, “ é “, Idade, “Sexo Masculino”; Fim senão Inicio

SE

Inicio ESCREVA "A idade de ", Nome, “ é “, Idade, “Sexo Feminino”;

Sexo = “F” ENTAO

Fim Fim Escreva "Fim da transacao"; Fim

Estrutura Condicional SE (Encadeada) Aqui vale comentar que esta estrutura não é algo preestabelecido, mas sim, uma estrutura formada de várias condições, separando informações e dando os tratamentos de acordo com a necessidade da questão. Abaixo segue um modelo hipotético de uma estrutura SE (Encadeada).