Você está na página 1de 1

ALGUM, NINGUM

O que seria de mim


se no existisse
o outro?
Um nufrago solitrio,
procura de um Sexta-Feira,
pois para o outro
que falo,
no outro
que me reflito,
e me descubro,
por causa do outro
que me expando
e me limito,
e com o outro
que aprendo
a amar,
que meus interesses
ganham sentido,
meus projetos,
consistncia,
meus pensamentos
e sentimentos,
um rumo
de bumerangue.
Pelo outro
eu avano,
eu me aprimoro,
eu me desafio.
Sem o outro,
por falta de ressonncia,
eu seria algum
que nunca se realiza.