Você está na página 1de 64
ESTETICA DA CRIAGAO VERBAL Mikhail Bakhtin Prof? Eliza Miranda Estégio Supervisionado em Ensino de Geografia e Material Didético Texto / Copias sKomuto mi cartruto HL [A FORMA ESPACIAL DA PERSONAGEM 1.0 EXCEDENTE DA visko EstETICA Quando consmplo no todo um homem stud Forte dante de rim, oss0shorzonesconcreosefevament vvenies no enn dem, Porque em qualquer snsgS0 on prosimidade que ese sutso {que contemplo poss estar em rego 4 mim, sempre vers e sabes algo que ee, da sus posi ora e diane de mim, no pode ves par tes deseu corpo inacstves a seu ppt olhar~acabefs, 0 oso, sua expresso o mundo aes del, rods uma sti de objeos crea esque, em fino dessa on daguca rlago de reiprociade entre ‘és, slo acesvisa mim einacesce ade. Quando ns clhamos dois dieeates mundos se relzem na pila dos nos lhos. Asumindo a devi pos, é pose eure ao minima esa dfetege de ho. ons, ns para cling a intiramente ure fundies em um dod co tomas una 6 pesos Ese eedente da minha visio do meu conhesiment, dt mina posse = erent sempre presente cm face de qualquer out individ ‘condicionado pla inglaridade ela insubsutbildade do me ugar no mundo: porque nese momento € nese lg, em que sou 9 ‘nico a estar stuadoem dado conjunc de cizcunseincay, todos oon ‘to sto fra de mim, Ess disinciaconctets de mim ede dos os ‘outros indviduos~sem excogo para mim, eo excedente de mia visio por le condiconado em rags aca um dels (dete excsdente correlativa uma cert cttacs, pou o que veo prdominantemente ‘outro em mim mesmo 0 out vm ese caso sono nos i ora uma vez que na vida iner-elado “an” nope se on «rctamente reverse pra mim) so superados pelo onetime, que «ontr um universotinico ede siglo eral em todos setids ‘orlmene independence daquca poco nica econeretaocupada por ‘ese ou aqueenivduo; para ele nio exit ampouco a rel abl tamenteimeversivel “ee ads or ou“ 0 aur para 9 cone mento, por srem conebides, constitu uma reas eave ever ‘vel, uma vee que o suet do conbecimento como tl io acu um a 3 concrewo detersinado a exténca,Porém, ese mundo dni do conhesimento aio pode ser percebido coma nico todo coneret, preenchido pla divenidade de qualidade da existncs, da mesa for. ‘ma como pevedhemos uma psigem, uma cena drastic, ut ilo, ‘ec poisa percep eva de um tad concret presupde olga ple- namente definide do coneemplador su sngularidade c possbilidade de encamagio; 0 mundo de conhecimente cada i de ses lementoe podem ser supostos. De gual mania exe aque ivenciaento i ‘eter €0 todo da vida interior poder er experimentados concrete te perches imemamente~sjana categoria do -pre-min, sa ‘aregoria do oure-pan-ming io & como meu vivencmento ot co vivenciamento dese outo indivi nico e determina, ‘Acontemplaio eséia eo ato dio no podem abs sing lara concreta do lugar que osujeto dese ato e da contemplasio| satin ocupa ma exiténcia ‘O excedente de miaha visio em relgio ao outro indvduo condi- ona cera esfra do mew ativismo" exh ito & ut conju da- ogre imac tok no ic hic “dae rs esnglt Tap dem gue eqen snp Da etd oe, esas om nae, por as ‘opie inna miosis appro aha alguna coin ava ecg mesa dep eins gene {cima como sto deer dsc dao To os ‘am ona to inporane ma eles ese Bals ti h ‘Secome" ain” cede uve 0) —