Você está na página 1de 8
PAIXAO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO SEGUNDO O EVANGELHO DE SAO JOAO Para narrador ou grupo de jograis ¢ céro misto Jodo Wilson Faustini PublicagZo Coral Religiosa “Evelina Harper” Supervisio de Loyde e Zuinglio Faustini Produgaio € Distribuigao da Imprensa Metodista Ay. Liberdade, 655, Caixa Postal 8051, Tel. 278-6356 Sao Paulo - Brasil PAIXAO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO Segundo o Evangelho de Sao Jodo Jodo 18:1 a 19:30 Ministro ou Narrador: Tendo Jesus dito isto, saiu_com seus discipulos para além do ribeiro de Cedron, onde havia um nérto, no qual Ele e Seus discipulos entraram. E Judas, que 0 trafa, também conhecia aquéle lugar, porque Jesus muitas vézes se ajuntava ali com os Seus b b: £ Disse-Ihes Jesus: tral ‘Sou eu.” E Judas, que O , estava também com éles. Quando, pois, Je - sus, 0 Ni Fe - no, f A de = sus, 0 Na-za - re-no, J, W. FAUSTINI, 1967 discipulos. ‘Tendo, pois, Judas recebido a corte € oficiais dos principais sacerdotes e fariseus, yeio para ali com lanternas, ¢ archotes e armas. Sabendo, pois, Jesus tédas'as coisas que sobre Ble haviam de vir, adiantou-se e disse-lhes: “A quem buscais?" Responderam-Lhe: A Je - sus, 0 Na-za - re-no. b: hes disse: “Sou eu”, recuaram e cafram por terra, Tormou-thes, pols, a perguntar: “A quem buseais?” E éles disseram Na-za” - re-no. tbe Jesus respondeu: “Jé vos disse que sou eu; se, pois, me buscais a mim, deixai ir éstes.” Para que'se cumprisse a palavra que tinha dito: “dos que me deste nenhum déles perdi.” Entao Simio Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e ferit © servo do sumo sacerdote, cortando-the a orelha Gireita, Eo nome do servo era Malco, Mas Jesus disse a Pedro: “Mete a tua espada na bainha; nao beberei eu 0 cdlice que o Pai me deu?” "Entao a cérte, eo tribuno, e os servos dos judeus prenderam a Jesus ¢ © maniataram, E conduziram-nO primeiramente a Anés, por ser sogro de Caiffig, que era o sumo sacerdote daquele ano. Ora, Caifas era quem tinha acon- sethado aos judeus que convinha que um ho- mem morresse pelo povo. E Simio Pedro e outro discipulo Seguiam a Jesus. E éste disci- ulo era conhecido do sumo sacerdote, e entrou com Jesus na sala do sumo sacerdote. E Pedro estava da parte de fora, & porta. Saiu entao © outro disefpulo que era conhecido do sumo copyrignt 1971 J, W. FAUSTINI 2 sacerdote e falou porteira, levando Pedro para dentro, Entdo a porteira disse a Pedro: “Nao es tu também dos discipulos déste homem?” Disse dle: “Nao sou.” Ora, estavam ali os ser- vos e 0s criados, que tinham feito brasas, ¢ se aquentavam, porque fazia frio; e com éles esta- va Pedro, aquentando-se também, Eo sumo sacerdote interrogou Jesus acérea dos seus dis- cipulos e da sua doutrina. Jesus the respondeu: “Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre en- sinei na sinagoga e no templo, onde todos os judeus se ajuntam, e nada disse em oculto. Por que me perguntas a mim? pergunta aos que ou- viram o que é que Ihes ensinei; eis que éles sa- bem o que eu Ihes tenho dito.” E tendo dito isto. um dos criados que ali estavam deu uma bofetada em Jesus, dizendo: “Assim respondes ao sacerdote?” Respondeu-ine Jesus: “Se falei mal. da testemunho do mal; e, se bem, por que me feres?” E Ans mandou-O, maniatado, ao sumo sacerdote Caifés. E Simao Pedro estava ali, e aquentava-se. Disseram-Ihe, pois: Fxao es tam-pom tu 2 E Ge negou, e disse: “Néo sou." E um dos servos do sumo sacerdote, parente daguele a quem Pedro cortara a oreiha, disse: “Nao te vi eu no hérto com fle?” E Pedro negou outra vez, € logo 0 galo cantou, Depois levaram FSe es-te nfo f08~ se mal -tei - tor, um dos Scus dis - ci - pu - los? Jesus da casa de Caifés para a audiéncia, para nao se contaminarem, mas poderem comer a pascoa, Entdo Pilatos saiu fora e disse-Ihes: “Que acusacio trazeis contra éste homem?” Res- ponderam e disseram-lhe: Nao VO cn-tre - ga - ri - a - mos. bs Disse-thes, pois, Pilatos:"Levai-O v6s ¢ julgai-O segundo a vossa lei”, Disseram cntao os judeus ci - to tar pes - so-aal-gu - b (Para que se cumprisse a palavra que Jesus tinha aito, significando de que morte havia de morrer.) Tornow pois, a entrar Pilatos na audiéncia, & chamou a Jesus, e disse-Lhe: “Tu és 0 rei dos judeus?”” Respondeu-Ihe Jesus: “Tu dizes isso de ti mesmo, ou disseram-te outros de mim?” Pilatos respondeu: “Porventura sou eu judeu? ‘A Tua nacao e os principais dos sacerdotes entre- garam-Te a mim; que fizeste?” Respondeu Jesus: O meu reino nao é déste mundo; se o meu reino fésse déste mundo, pelejariam os meus servos para que eu no fOsse entregue aos judeus; mas agora 9 meu reino no ¢ daqui.”. Disse-Lhe, pois, Pila- tos: “Logo, tu és Rei?” Jesus respondeu: “Tu dizes que sou rei, Eu para isso nasei, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da ver- dade, Todo aquéle que é da verdade, ouve a nha voz.” Disse-Ihe Pilatos: “Que é a verdade?” F, dizendo isto tornou a ir ter com os judeus, € disse-tIhes: “Nao acho n’Ble crime algum; mas vos tendes por costume que eu vos solte alguém pela pascoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos judeus?” Entéo todos’ tornaram a clamar dizendo f Bs-te — ndo,mas Bar -ra- bas, fis- te nao, mas Bar - ra - bas, Bar-ra - Dd b: b b: £ Bar-ra - bas, — Bar-ra - bas, E Barrabés era um salteador. Pilatos, pois, to- tecendo uma coroa de espinhos, Lha puseram mou entao a Jesus e O acoitou. E os soldados, sobre a cabeca, e vestiram-Lhe uma veste de pur- pura, E diziam: an Sal-ve Rei dos Ju-deus, Sal-ye Rei dos Ju-deus, Sal-ve Rei dos Ju - deus, Sal-ve — Rel dos du - deus. 2 i 2 E davam-Lhe bofetadas, Entio Pilatos saiu outra espinhos ¢ o vestido de purpura. E dissehes ver fora, e disse-Ihes: “Eis aqui v6-lO trago fora, Pilatos: “Bis aqui o homem.” Vendo-0, pois, os para que saibais que nao acho n’Ble crime al- principais dos sacerdotes ¢ os servos, clamaram gum.” Saiu, pols, Jesus fora, levando a coroa de sizendo: Cruel - fi-ca-0, Cru-ci - ti-ca- 0, bi ddie i-fi-ea-O, Cru-ci-fi- ca-O, Disse-lhes Pilatos’ “mos u- ma ar? se-gun-do a nos h 2 dd de-ve mor fa ) rs E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais ate- morizado ficou. E entrou outra vez na audiéncia, e disse a Jesus: “De onde és Tu?” Mas Jesus no The deu resposta. Disse-Ihe, pois, Pilatos: “Néo me falas a mim? néo sabes Tu que tenho poder para Te crucificar e tenho poder para Te soltar?” Se sol-tas és - te Dp quer que se 2? faz 6 por ~ que con-tra lez par | “Tomal-O vés, e crucificai-O, porque eu nenhum crime acho n’fie.” Respon- deram-he os judeu sa lei, de-ve mor-rer, 22 1 203 - se Fi - tho wy de Deus. 2 Respondeu Jesus: “Nenhum poder terias contra mim, se de cima te nao fosse dado; mas aquéle que me entregou a ti maior pecado tem.” Desde entdo Pilatos procurava solta-l0; mas os judeus clamavam dizendo: Ce - sar, & con-tra Ouvindo, pols, Pilates éste dito, levou Jesus para fora e assentou-se no tribunal, no lugar chamado Litostrotos, e em hebraico Gabata. E era a pre- Ti-ra, ti-ra, tera, i= ra, f ‘Ti-ta, ti-ra, 2 ti-ra, ti-ra, ti-ra, Paracdo da pascoa, e quase a hora sexta; e disse aos judeus: “Eis ‘aqui 0 vosso Rei.” Mas éles bradaram: lista, ti - ra, ti-ra, Cro-ci-fi-ca-O - Oru-ci-ti - ca-O ee Disse-lhes Pilatos: “Hei de crucificar 0 vosso Rei?" Responderam os principais dos sacerdotes: f Néo te-mos rei se-nao o gee Entéo entregou-lhO, para que fésse crucificado. E tomaram a Jesus, ¢ O levaram. ‘ E levando Ble, as costas, a Sua cruz, salu para © lugar chamado Cavelra, que em hebraico se chama Gélgota, onde O crucificaram, e com Ele outros dois. um de cada lado, e Jesus no meio. N&ote-mos rei sc-nfo o — Cé-sar + E Pilatos escreveu também um titulo, e pé-lo em cima da cruz; e néle estava escrito: Jesus Naza- reno, Rei dos Judeus. E muitos dos judeus leram éste titulo, porque o lugar onde Jesus estava erueificado era préximo da cidade, e estava es- erito em hebraico grego e latim. ‘Diziam, pois, 9s principais sacerdotes dds judeus a Pilatos: 7 Naoes-ere-vas, Reidos Judeus,mas que Ele dis-se:"Sou rel dos ju-deus, Sou rei dos Judeus” b edunp don p ddod Respondeu Pilatos: “O que escrevi, escre' ‘Tendo, pois, os soldados crucificado a’ Jesus, to- maram 0s Seus vestidos e fizeram quatro partes, ras-gue-mos, mas lan- ce - mos ££ para cada soldado uma parte; e também a tini- ca. A tonica, porém. tecida téda de alto a baixo, ndo tinha costura. Disseram, pois uns 20s outros: sor-te sd-bre e - Ia, £ ver de quem se ra, para ver Para que se cumprisse a Escritura que din: “Divi- diram entre si os meus vestidos. e sobre a minha yestidura lancaram sortes.” Os soldados, pois, fizeram estas coisas. E junto @ cruz estava sua mie. e a irma de sua mae, Maria de Cleofas, € Maria Madalena. Ora, Jesus, vendo ali Sua mie, € que 0 disefpulo a quem Ele amava estava pre- sente, disse & Sua mae: “Mulher, eis ai o teu filho.” Depois disse ao disefpulo:’ “Eis af tua, a | raver dequemse - ra. quem se =r I mile.” B desde aqueia hora o discipulo a recebeu em sua casa. Depois, sabendo Jesus que tédas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: ““Tenho séde.” Estava, pois, ali um vaso chelo de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e pondo-a num hissope, Lha chegaram & boca. E quando Jesus tomou © vinagre, disse: “Esta consumado.” E inclinan- do a cabeca, entregou o espirito. CORO FINAL Joao 3:16 Sentido ¢ ligado \ Deus a-mou o mun - do, Deus a-mou 0 mun-do, do de tal me - ra gue deu o Seu ie Jo P Fi - ihou-ni - gé - ni-to + = | to-doa-qué - le mp pa - ra ee pa-ra to-doa-qué - le que cré nfo pe - re - ga a oO ¥W - daje-ter ileempo Targa ———_[_ f nao, pe - re - ga mas tenhaa vidae - ter - Vi- da e- 2 ter- na, = -Vi-dae - ter - - na, Tena avi-dae - pb ‘Te-nha a vi-dae - ter = na, te - pha -dae- Te - nha vi- dae - — unt P Deus a-mou 0 mun-do, Deus a - mou °