Você está na página 1de 28

Teste de

Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva

Teste de Hipóteses - Parte II

José Waldemar da Silva

FAMAT - UFU

13 de fevereiro de 2014

1 / 28
Teste de Hipótese Para Duas Variâncias: σ12 e σ22 .

Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Suposição: as duas amostras são independentes e oriundas de
Waldemar da populações normais.
Silva

Procedimentos:

1-Hipóteses: Formule as hipóteses conforme o caso, isto


é, escolha uma situação dentre as três abaixo

H0 : σ12 = σ22 H0 : σ12 = σ22


 
1.1: ou 1.2:
H1 : σ12 6= σ22 H1 : σ12 > σ22

H0 : σ12 = σ22

ou 1.3:
H1 : σ12 < σ22

2 / 28
Teste de Hipótese Para Duas Variâncias: σ12 e σ22 .

Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva
2-Estatı́stica de Teste:

S12
Fc = (1)
S22

A variável em (1), tem distribuição F de Snedecor com graus


de liberdade n1 − 1 e n2 − 1.

3 / 28
Teste de Hipótese Para Duas Variâncias: σ12 e σ22 .

Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva
3- Decisão:

A variável em (1) tem distribuição F de Snedecor com graus de


liberdade dados por n1 − 1 e n2 − 1.

Logo, o(s) valor(es) crı́ticos (valores que determinam a região


ou as regiões de rejeição de H0 ) são determinados a partir
desta distribuição.

4 / 28
Teste de Hipótese Para Duas Variâncias: σ12 e σ22 .

Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva
Exemplo 3: Considere o exemplo anterior (exemplo 2) sobre a
concentração de arsênio em suprimentos públicos de água
potável. Mostre que a suposição de igualdade de variância é
rejeitada a 10% de significância.

n1 = 10 e s1 = 7, 63 (local ou amostra 1)
n2 = 10 e s2 = 15, 3 (local ou amostra 2)

5 / 28
Teste de Hipótese Para Duas Variâncias: σ12 e σ22 .

Teste de
Hipóteses -
Parte II Solução
José
H0 : σ12 = σ22

Waldemar da
Silva 1-Hipóteses:
H1 : σ12 6= σ22

2 - Estatı́stica do Teste:

7, 632
Fc = = 0, 2486 (2)
15, 32

3 - Decisão (Regiões de Rejeição de H0 ou Regiões Crı́ticas)


RRH0 = {F ∈ R| F < 0, 31 ou F > 3, 18}
Conclusão: Logo, os resultados amostrais fornecem evidências
suficientes para concluirmos que as variâncias diferem
significativamente a 10% de significância.
6 / 28
Teste de Hip. P/ a Diferença de Médias: µ1 − µ2 .
(Caso 1)
Teste de
Hipóteses -
Parte II (Caso 1: σ12 e σ22 conhecidos ou n1 > 30 e n2 > 30)
José
Waldemar da
Silva

Procedimentos:

1-Hipóteses: Formule as hipóteses conforme o caso, isto é,


escolha uma situação dentre as três abaixo
 
H0 : µ 1 − µ 2 = 0 H0 : µ 1 − µ 2 = 0
1.1: ou 1.2:
H1 : µ1 − µ2 6= 0 H1 : µ 1 − µ 2 > 0

H0 : µ 1 − µ 2 = 0
ou 1.3:
H1 : µ 1 − µ 2 < 0

7 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 1)
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
2-Estatı́stica de Teste:
Waldemar da
Silva
(X¯1 − X¯2 ) − (µ1 − µ2 )
Zc = q 2 (3)
σ1 σ22
n1 + n1

e zc conforme expressão (3) sob H0 , tem distribuição normal


padrão.

OBS.: O teste pode ser realizado utilizando a expressão


(3) com σ12 e σ22 desconhecidas, substituindo estas, pelas
variâncias amostrais desde que, n1 > 30 e n2 > 30.

8 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 1)
Teste de
Hipóteses -
Exemplo 1: Efeito do halotano em cirurgias cardı́acas, em
Parte II relação à morfina, a partir da pressão sanguı́nea. Teste a
José
Waldemar da
hipótese de que os pacientes anestesiados com holonato
Silva
apresentam pressão sanguı́nea, em média, menor que os
pacientes anestesiados com morfina, a 10% de significância.

Tabela: Média e desvio-padrão da pressão sanguı́nea segundo o tipo


de anestesia.

Informações Anestesia
sobre a amostra Halonato Morfina
x̄ 66,9 73,2
s 12,2 14,4
n 61 61

9 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 1)
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da Solução
Silva 
H 0 : µ1 = µ2
1-Hipóteses:
H1 : µ1 < µ2

2 - Estatı́stica do Teste:

(66, 9 − 73, 2) − 0
zc = r = −2, 61 (4)
12, 22 14, 42
+
61 61

10 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 1).
Teste de
Hipóteses -
Parte II
cont. Solução
José
Waldemar da
Silva 3 - Decisão (Regiões de Rejeição de H0 ou Regiões Crı́ticas)

RRH0 = {z ∈ R| z < −1, 28}

(ilustrar graficamente)

Logo, os resultados amostrais fornecem evidências suficientes


para sustentar a afirmativa que o holonato faz com que a
pressão sanguı́nea dos pacientes submetidos à cirúrgia cardı́aca
fique em média, mais baixa que a pressão sanguı́nea dos
pacentes anestesiados com morfina a 10% de significância.
11 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 2: σ12 = σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses -
Parte II Suposições:
José
Waldemar da 1 - amostras independentes e oriundas de populações normais e;
Silva
2 - variâncias populacionais desconhecidas e iguais σ12 = σ22 .

Procedimentos:

1-Hipóteses: Formule as hipóteses conforme o caso, isto


é, escolha uma situação dentre as três abaixo
 
H0 : µ 1 − µ 2 = 0 H0 : µ 1 − µ 2 = 0
1.1: ou 1.2:
H1 : µ1 − µ2 6= 0 H1 : µ 1 − µ 2 > 0

H0 : µ 1 − µ 2 = 0
ou 1.3:
H1 : µ 1 − µ 2 < 0
12 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 2: σ12 = σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
2-Estatı́stica de Teste:
Silva
(X¯1 − X¯2 ) − (µ1 − µ2 )
tc = r   (5)
Sp2 n11 + n12

em que
(n1 −1)S12 +(n2 −1)S22
Sp2 = n1 +n2 −2

e tc conforme expressão (9) sob H0 , tem distribuição t de


Student com graus de liberdade igual n1 + n2 − 2.

13 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 2: σ12 = σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva

3-Decisão

A variável em (9) tem distribuição t de Student com graus de


liberdade igual n1 + n2 − 2.

Logo, o(s) valor(es) crı́ticos (valores que determinam a região


ou as regiões de rejeição de H0 ) são determinados a partir
desta distribuição.

14 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 2: σ12 = σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses - Exemplo 1: Dois colégios vão realizar competições esportivas
Parte II

José
entre seus alunos mas, turmas mais altas ou com altura média
Waldemar da mais alta tem vantagem na competição. O coordenador da
Silva
escola 1 afirma que está em desvantagem pois seus alunos tem
altura média menor que o colégio 2. Amostras de alunos das
duas escolas foram realizadas e os dados são como a seguir:

Amostra do colégio 1: 150, 152, 153, 160, 161, 163 (seis


alunos).

Amostra do colégio 2: 165, 166, 167, 172, 178, 180, 182, 190
(oito alunos).
O coordenador da escola 1 tem razão? A sua escola tem altura
média significativamente menor? Teste esta hipótese a 5% de
significância supondo variâncias populacionais iguais.
15 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 2: σ12 = σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Solução
Waldemar da 
Silva H 0 : µ1 = µ2
1-Hipóteses:
H1 : µ1 < µ2

2 - Estatı́stica do Teste:

(6 − 1) × 29, 9 + (8 − 1) × 80, 28571


Sp2 = = 59, 29167
6+8−2

(156, 5 − 175) − 0
tc = q  = −4, 449 (6)
59, 29167 16 + 18

16 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 . (Caso 2: σ12 = σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
cont. Solução
Waldemar da
Silva
3 - Decisão (Regiões de Rejeição de H0 ou Regiões Crı́ticas)

RRH0 = {t ∈ R| t < −1, 782}

(ilustrar graficamente)

Logo, os resultados amostrais fornecem evidências suficientes


para sustentar a alegação do coordenador do colégio 1, isto é,
os alunos deste colégio tem altura média menor que os alunos
do colégio 2 a 5% de significância.

17 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Médias:
µ1 − µ2 (Caso 3: σ12 6= σ22 e desconhecidas).
Teste de
Hipóteses -
Parte II Suposições:
José
Waldemar da 1 - amostras independentes e oriundas de populações normais e;
Silva
2 - variâncias populacionais desconhecidas e diferentes σ12 6= σ22
.

Procedimentos:
1-Hipóteses: Formule as hipóteses conforme o caso, isto
é, escolha uma situação dentre as três abaixo
 
H0 : µ 1 − µ 2 = 0 H0 : µ 1 − µ 2 = 0
1.1: ou 1.2:
H1 : µ1 − µ2 6= 0 H1 : µ 1 − µ 2 > 0

H0 : µ 1 − µ 2 = 0
ou 1.3:
H1 : µ 1 − µ 2 < 0
18 / 28
Teste de Hipótese para a Diferença de Duas
Médias (Caso 3: σ12 6= σ22 e desconhecidas)
Teste de
Hipóteses -
2-Estatı́stica de Teste:
Parte II A variável (7), a seguir,
José
Waldemar da
Silva
(X¯1 − X¯2 ) − (µ1 − µ2 )
tc = q 2 (7)
S1 S22
n1 + n2
tem distribuição t de Student com graus de liberdade dado por,

(s12 /n1 + s22 /n2 )2


υ= 2 2 (8)
s2 s2
 
1 2
n1 n2
(n1 −1) + (n2 −1)

O Valor crı́tico (que “separa” a RNRH0 da(s) RRH0 ) é obtido


na tabela da distribuição t de Student com graus de liberdade
igual a υ. O valor de υ deve ser arredondado, quando
necessário, para o inteiro inferior mais próximo. 19 / 28
Teste de Hipótese para a Diferença de Duas
Médias (Caso 3: σ12 6= σ22 e desconhecidas)
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva
3- Decisão:

A variável em (7) tem distribuição t de Student com graus de


liberdade igual υ.

Logo, o(s) valor(es) crı́ticos (valores que determinam a região


ou as regiões de rejeição de H0 ) são determinados a partir
desta distribuição.

20 / 28
Teste de Hipótese para a Diferença de Duas
Médias (Caso 3: σ12 6= σ22 e desconhecidas)
Teste de
Hipóteses -
Parte II Exemplo 2: A concentração de arsênio em suprimentos
José públicos de água potável é um risco potencial à saúde. Um
Waldemar da
Silva artigo no jornal Arizona Republic (Domingo, 27 de maio de
2001) reportou as concentrações, em partes por bilhão (ppb),
de arsênio em água potável para 10 comunidades
metropolitanas de Fênix (local ou amostra 1) e 10 comunidades
rurais do Arizona (local ou amostra 2). Os dois locais parece
diferir quanto à média de arsênio nos suprimentos públicos de
água potável? Justifique testando a hipótese de interesse a 5%
de significância. Considere variâncias populacionais diferentes.

x¯1 = 12, 5 e s1 = 7, 63 (local ou amostra 1)


x¯2 = 27, 5 e s2 = 15, 3 (local ou amostra 2)

21 / 28
Teste de Hipótese para a Diferença de Duas
Médias (Caso 3: σ12 6= σ22 e desconhecidas)
Teste de
Hipóteses -
Parte II  Solução
H 0 : µ1 = µ2
José 1-Hipóteses:
Waldemar da
Silva
H1 : µ1 6= µ2
2 - Estatı́stica do Teste:

(12, 5 − 27, 5) − 0
tc = q = −2, 774 (9)
7,632 15,32
10 + 10

3 - Decisão (Regiões de Rejeição de H0 ou Regiões Crı́ticas)


Graus de Liberdade: υ = 13, 21576 ' 13
RRH0 = {t ∈ R| t < −2, 160 ou t > 2, 160}
Conclusão: Logo, os resultados amostrais fornecem evidências
suficientes para concluirmos que as duas regiões diferem
significativamente quanto à média de arsênio nos suprimentos
públicos de água potável a 5% de significância. 22 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Duas
Proporções : p1 − p2 .
Teste de
Hipóteses -
Parte II Suposição:
José
Waldemar da 1 - as duas amostras são amostras aleatórias simples e
Silva
independentes;
2 - para ambas as amostras np ≥ 5 e nq ≥ 5.

Procedimentos:
1-Hipóteses: Formule as hipóteses conforme o caso, isto
é, escolha uma situação dentre as três abaixo
 
H0 : p1 = p2 H0 : p1 = p2
1.1: ou 1.2:
H1 : p1 6= p2 H1 : p1 > p2

H0 : p 1 = p 2
ou 1.3:
H1 : p 1 < p 2
23 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Duas
Proporções : p1 − p2 .
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
2-Estatı́stica de Teste:
Waldemar da
Silva
Sob H0 isto é, quando a hipótese nula postular que p1 − p2 = 0
a estatı́stica de teste sera como na expressão em (10).

(pˆ1 − pˆ2 ) − 0
zc = r (10)
p̄q̄ p̄q̄
+
n1 n2
x1 + x2
A variável em (10), tem distribuição normal com p̄ = ,
n1 + n2
em que x1 e x2 são, respectivamente as quantidades de sucessos
nas amostras 1 e 2 e n1 e n2 são os tamanhos destas amostras.

24 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Duas
Proporções : p1 − p2 .
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Waldemar da
Silva
3- Decisão:

A variável em (10) tem distribuição normal padrão (tabela z).

Logo, o(s) valor(es) crı́ticos (valores que determinam a região


ou as regiões de rejeição de H0 ) são determinados a partir
desta distribuição.

25 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Duas
Proporções : p1 − p2 .
Teste de
Hipóteses -
Parte II Exemplo 4
José
Waldemar da Uma empresa que presta serviços de assessoria econômica a
Silva
outras empresas está interessada em comparar a taxa de
reclamações sobre os seus serviços em dois dos seus escritórios
em duas cidades diferentes. Suponha que a empresa tenha
selecionado aleatoriamente 100 serviços realizados pelo
escritório da cidade A e foi constatado que em 12 deles houve
algum tipo de reclamação. Já do escritório da cidade B foram
selecionados 120 serviços e 18 receberam algum tipo de
reclamação. A empresa deseja saber se estes resultados são
suficientes para se concluir que os dois escritórios apresentam
diferença significativa entre suas taxas de reclamações. Use
α = 0, 10

26 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Duas
Proporções : p1 − p2 .
Teste de
Hipóteses -
Parte II  Solução
H0 : p1 − p2 = 0
José 1-Hipóteses:
Waldemar da
Silva
H1 : p1 − p2 6= 0
2 - Estatı́stica do Teste:

12 + 18 30
p̄ = = = 0, 1364 logo q̄ = 0, 8636
100 + 120 220

(0, 12 − 0, 15) − 0
zc = r
0, 1364 × 0, 8636 0, 1364 × 0, 8636
+
100 120
−0, 03
= q = −0, 65
0,1178 0,1178
100 + 120
27 / 28
Teste de Hipótese Para a Diferença de Duas
Proporções : p1 − p2 .
Teste de
Hipóteses -
Parte II

José
Cont. Solução
Waldemar da
Silva
3 - Decisão (Regiões de Rejeição de H0 ou Regiões Crı́ticas)

RRH0 = {z ∈ R| z < −1, 65 ou z > 1, 65}

(ilustrar graficamente)

Logo, os resultados não fornecem evidências suficientes para


concluirmos que os dois escritórios apresentam diferença
significativa entre suas taxas de reclamações a 10% de
significância.

28 / 28