Você está na página 1de 4

Guerra das Malvinas

História da Guerra das Malvinas, fatos, causas, resumo, foto, o que foi a guerra

(https://www.suapesquisa.com/historia/guerra_malvinas.htm)

O que foi

A Guerra das Malvinas foi um conflito militar entre Argentina e Reino Unido, ocorrido
entre 2 de abril e 14 de junho de 1982.

Causas

Em 2 de abril de 1982, as forças armadas da Argentina invadiram as Ilhas Malvinas (Ilhas


Falklands para os britânicos), situadas a 464 km da costa argentina. O arquipélago, embora
pouco habitado, tem uma posição geográfica estratégica.

Os britânicos colonizaram e dominaram o arquipélago desde 1833. Em 1982, a


Argentina alegou que as Ilhas Malvinas deveriam ser incorporadas ao território da Argentina,
pois com a independência em 1822, teriam direito ao território que antes pertencia à Espanha.

Havia também uma questão política envolvida no caso. Em 1982, a Argentina era uma
ditadura, governada pelo presidente Galtiere. Com pouca popularidade, a guerra seria uma
forma de unir a opinião pública do país contra um inimigo externo e dar fôlego ao governo. Por
outro lado, o Reino Unido era governado pela ministra Margareth Thatcher que também
enfrentava um período de baixa popularidade e usou a guerra como arma política interna,
reagindo prontamente.

Desenvolvimento e acontecimentos importantes:

Em 2 de abril de 1982 a Argentina tomou a capital do arquipélago, Port Stanley,


passando a chamá-la de Puerto Argentino. O Reino Unido tentou resolver de forma pacífica,
exigindo a saída imediata das tropas argentinas da região. Porém, com a recusa argentina, os
britânicos enviaram forças militares prontas para o combate para o arquipélago.

No final de abril de 1982, 100 navios de guerra e 27 mil soldados britânicos chegaram
nas ilhas.

Embora tivessem a vantagem da proximidade territorial, os argentinos não


conseguiram fazer frente ao preparo dos militares britânicos e também à superioridade bélica.
Enquanto os britânicos combateram com 100 navios de guerra, os argentinos tinham apenas
40. Os britânicos também contavam com aviões de guerra de última geração.

Final (resultado)
Com ampla superioridade militar, o Reino Unido saiu vencedor da guerra e manteve o
controle das Ilhas Malvinas. O governo trabalhista de Thatcher ganhou força e ela conseguiu se
reeleger primeira-ministra. Já a Argentina entrou em profunda crise econômica e política, teve
o presidente Galtiere deposto e deu inicio ao processo de redemocratização do país.

Durante todo conflito, que durou 75 dias, 258 britânicos e 649 argentinos morreram.

Pós-guerra

As relações diplomáticas entre britânicos e argentinos ficaram suspensas e só foram


reatadas em 1990. Mesmo assim, ainda existe um clima pouco amigável entre as duas nações.

Em fevereiro de 2012, 30 anos após o conflito, o governo argentino solicitou a


reabertura do caso para negociações. O governo britânico recusou prontamente, causando
novamente um mal-estar nas relações diplomáticas entre os dois países.

Disponível em: <https://www.suapesquisa.com/historia/guerra_malvinas.htm>. Acesso em: 05


mai. 2018.

Guerra das Malvinas

Disponível em:

https://www.todamateria.com.br/guerra-das-malvinas/

A Guerra das Malvinas (Falklands War ou Guerra de las Malvinas) foi um conflito que
ocorreu em 1982 entre a Grã-Bretanha e Argentina. O intuito era conquistar a posse do
arquipélago que está situado a 464 quilômetros da costa argentina.

Foram dois meses de guerra que teve início em 2 de abril e permaneceu até 14 de junho
de 1982. Por fim, os ingleses venceram e permaneceram com a posse do território.

Causas

O conflito foi iniciado pela ordem do ex-ditador argentino Leopoldo Galtieri (1926-
2003). Ele ordenou a ocupação das ilhas, que estavam em posse da Grã-Bretanha desde 1833.

A justificativa era a unificação das ilhas ao território argentino. Na avaliação do ditador,


o território argentino deveria ser indivisível. A posse por uma nação estrangeira significava
ameaça à soberania.

Resumo
No dia 2 de abril de 1982, o governo argentino ordenou o desembarque de uma força
conjunta da Marinha e do Exército na ilha de Port Stanley.

A "Operação Rosário", como foi chamada, tinha o objetivo de expulsar os militares e as


representações do governo inglês.

A retomada ocorreu com pouca resistência e a ilha foi rebatizada de Puerto. A ocupação
foi comemorada nas ruas da Argentina. Milhares ocuparam a frente da Casa Rosada, sede do
governo argentino em Buenos Aires, como sinal de apoio ao fim de 149 anos da presença inglesa
na região.

No mesmo dia, a Coroa Britânica anunciou o corte de relações entre Grã-Bretanha e


Argentina. A premiê britânica Margareth Thatcher (1925-2013) enviou um poderoso contra-
ataque. Foram 27 mil soldados e 111 navios de guerra.

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) também foi


acionado. A Argentina estava isolada diplomaticamente e tinha visível desvantagem militar.

A ação argentina também foi colocada como uma oportunidade de expansão soviética
na América do Sul. O resultado seria um contragolpe dentro de uma ditadura apoiada pelos
Estados Unidos da América.

Os EUA eram os principais apoiadores dos britânicos por meio do fornecimento de


armas e informações por satélites. Além do apoio logístico, abriram em 8 de abril a passagem
do Canal do Panamá para a passagem dos 111 navios britânicos.

Apoio do Brasil

O governo argentino nomeou o Brasil como seu representante na Grã-Bretanha. Na


prática, a ação poderia ser traduzida como apoio moral.

O Brasil reconhecia a posse da ilha pelos argentinos desde 1833, mas tem na Grã-
Bretanha um importante parceiro comercial.

Fim da Guerra

A guerra terminou após sucessivas negociações de paz na ONU. Até mesmo o papa João
Paulo II pediu a paz em visita aos dois países.

Sem acordo, o conflito terminou em 14 de junho de 1982. O Reino Unido recuperou o


território, e desde então nenhum outro conflito armado questionou o resultado.

Consequências

Em 75 dias de guerra, morreram 649 soldados argentinos, 255 britânicos e três civis. A
guerra das Malvinas derrubou a Junta Militar que governava o país. Foi assim que a Argentina
restaurou a democracia.

Do lado britânico, a vitória no confronto foi uma eficiente propaganda eleitoral. Após a
guerra, Margaret Thatcher venceu as eleições de 1983.

Guerra das Malvinas – 2012

30 anos passados depois de seu início, a disputa sobre a posse das ilhas Malvinas foi alvo
de um incidente diplomático registrado em 2012.
Dessa vez, a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner acusou a Grã-Bretanha
de colonialismo por manter a soberania sobre as ilhas.

Na ocasião, o ex-premiê britânico David Cameron respondeu que a situação não


mudaria. O então premiê alegou que o povo das Malvinas se autodetermina britânico e essa
vontade seria respeitada.

Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/guerra-das-malvinas/>. Acesso em: 05 mai.


2018.