Você está na página 1de 78

UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERP

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (CEAD)

Curso Superior: SERVIÇO SOCIAL

Página 1 de 78
Polo: SOBRADINHO

Página 2 de 78
DISCIPLINA MONIORAMENTO E AVALIAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA - ATPS

Página 3 de 78
Semestre 8º

Página 4 de 78
Sobradinho/DF
AGOSTO / 2015

Página 5 de 78
ATPS: DISCIPLINA: Monitoramento e Avaliação em Serviço Social

Página 6 de 78
Semestre 8º

Página 7 de 78
Página 8 de 78
ATPS apresentada como atividade avaliativa da disciplina
de Monitoramento e Avaliação em Serviço Social do
Curso de SERVIÇO SOCIAL do Centro de Educação a
Distância da Universidade Anhanguera-Uniderp, sob a
orientação do professor-tutor presencial SHEILA
OLIVEIRA, Professor EAD.

Página 9 de 78
Sobradinho/DF
Agosto /2015

INTRODUÇÃO
Página 10 de 78
A produção de um projeto social inclui obrigatoriamente as fases de planejamento, execução,
avaliação e monitoramento, bem como abranger as atuais políticas sociais do país. Portanto é
imprescindível a identificação de métodos usados para avaliação de políticas e programas
sociais. Faz-se necessário a aplicação dos conceitos, princípios e abordagens de avaliação
afim de que o projeto alcance o objetivo a que se propõe: melhoria social. O objetivo deste
trabalho é apresentar as mudanças de politicas nesse campo, enfatizando um sistema mínimo

Página 11 de 78
mais efetivo, com uma produção de dados e informações suficientes, que permitam uma
compreensão segura sobre o resultado. Surgindo principalmente na ultima década, uma
alternativa ao enfoque convencional, quantitativo e orientado a produtos na avaliação de
projetos. O processo de avaliação encontra-se presente em todas as etapas do processo de
planejamento. A ação planejada deve conter os indicadores por meio dos quais ela será
monitorada e avaliada, de forma a possibilitar correções e adaptações no curso do projeto. As

Página 12 de 78
estratégias de ação e os indicadores escolhidos deverão mostrar como os objetivos propostos
serão alcançados. Batista diz:

É na avaliação que mais se apresenta o conteúdo dialético, quando nega para


superar. Para ela, são destacados e reconhecidos elementos fundamentais
nesta etapa do planejamento, tais como: a dimensão do futuro; a dimensão da
historicidade; a dimensão da contradição, a dimensão do enfrentamento e da
retificação. A avaliação das Políticas Sociais no Brasil tem se destacado nas

Página 13 de 78
últimas décadas, devido às evidências dos indicadores que expressam a
questão social. (2003; 113).

Página 14 de 78
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO--------------------------------------------------------------------------3
Página 15 de 78
DESENVOLVIMENTO---------------------------------------------------------------5

Monitoramento e Avaliação das Politicas Públicas----------------------------------------------5

Critérios de Avaliação: Eficiência, Eficácia e Efetividade nos Projetos Sociais-----------6

Indicadores Sociais e Software Brasil--------------------------------------------------------------7

Página 16 de 78
Lista de Indicadores das Políticas Públicas-------------------------------------------------------9

Pesquisa Quantitativa X Qualitativa---------------------------------------------------------------9

Pesquisa Quantitativa---------------------------------------------------------------------------------9

Pesquisa Quantitativa--------------------------------------------------------------------------------10

Quadro Comparativo entre os dois Métodos de Pesquisa------------------------------------10

PROJETO----------------------------------------------------------------------------------------------11
Página 17 de 78
CONSIDERAÇÕES FINAIS-----------------------------------------------------------------------15

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS-----------------------------------------------------------16

Página 18 de 78
Página 19 de 78
DESENVOLVIMENTO

Monitoramento e Avaliação das Politicas Públicas

Os programas sociais, no seu processo de implementação e avaliação, exigem negociação,


articulação e adesão de um conjunto heterogêneo de atores sociais (Estado, sociedade civil,
Página 20 de 78
iniciativa privada e a própria comunidade beneficiaria). Já no Brasil, o marco legal para as
grandes mudanças no campo da Política de Assistência Social foi a Constituição Federal de
1988, considerada inovadora, moderna que estabelece, como uma de suas prioridades, a
defesa dos direitos de cidadania. Monitoramento diz respeito à observação regular e
sistemática do desenvolvimento das atividades, do uso dos recursos e da produção de
resultados, comparando-os com o planejamento inicial. Devendo produzir informações e
dados confiáveis para subsidiar a análise da razão de eventuais desvios, assim como, das

Página 21 de 78
decisões de revisão do plano. Este sistema de monitoramento e avaliação deve oferecer
informações substantivas para influir nos fatores institucionais e processuais passíveis de
gerar ineficiência crônica no desempenho das políticas e dos programas sociais. Na avaliação
é julgar a importância de uma ação em relação a um determinado referencial valorativo e
aceito como tal pelos sujeitos que avaliam. Avaliar, então, não significa apenas medir, mas
julgar a partir de um referencial de valores. A avaliação tem o papel de analisar criticamente o
andamento do serviço/projeto, segundo seus objetivos, tendo por base as informações

Página 22 de 78
produzidas pelo monitoramento. Alcançar a dimensão da efetividade é necessário que a
avaliação contenha três aspectos considerados fundamentais: o primeiro se relaciona ao
cenário histórico-social; o segundo, além de associado ao anterior, contempla o papel social
da própria avaliação; e, ligado a ambos, o terceiro aspecto se refere a uma perspectiva de
conhecimento como instrumento para uma melhor qualidade de vida. Uma avaliação de
impacto contém, portanto, o inter-relacionamento destes três aspectos, sem os quais, o
conhecimento da efetividade de programas ou projetos, ficaria comprometido. Quadro da

Página 23 de 78
pobreza no Brasil está estampado, exige-se o debate sobre a gestão de benefícios e serviços
que devem ser implantados e ou implementados pelas Políticas Sociais, caracterizando um
sistema de proteção. Expressões desse reconhecimento se manifestaram na regulamentação do
ECA e da LOAS e, recentemente, na aprovação da nova Política Nacional de Assistência
Social – PNAS, que orienta a construção do Sistema Único da Assistência Social – SUAS. No
processo do aprimoramento da vigilância social, é fundamental a criação de instrumentos que
possibilitem a gestão da Política de Assistência Social por meio da constante interpretação dos

Página 24 de 78
dados recolhidos. Faz-se também necessário identificar as pessoas, seus territórios e todas as
formas de risco e vulnerabilidade social aos quais estas famílias estão diariamente sujeitas.
Outros instrumentos de destaque para a realização da vigilância social são os sistemas de
prontuário digital com leitura das vulnerabilidades das famílias usuárias dos serviços sociais.

Critérios de Avaliação: Eficiência, Eficácia e Efetividade nos Projetos Sociais.

Página 25 de 78
Os critérios de avaliação julgam a importância de uma ação em relação a um
determinado referencial valorativo e aceito como tal pelos sujeitos que avaliam. Existem
alguns aspectos que são fundamentais para o critério de avaliação, o primeiro é relaciona-lo
ao cenário histórico-social; o segundo é observar o papel social da própria avaliação; e o
terceiro é ter uma perspectiva de conhecimento usada como instrumento, para uma melhor
qualidade de vida. Para complementar esses aspectos, são aplicados alguns critérios de

Página 26 de 78
avaliação para um melhor desenvolvimento social, que são: a eficácia, a efetividade e a
eficiência, conhecidos como os 3 Es.

Eficácia = avaliação da relação entre metas alcançadas x metas pretendidas

Efetividade = avaliação de impacto social

Eficiência = avaliação de processo

Página 27 de 78
Página 28 de 78
Página 29 de 78
Existe uma necessidade crucial de mais eficiência, eficácia e efetividade (3es) das ações
governamentais, esta questão está relacionada ao desenvolvimento, pois suas possibilidades são,
muitas vezes, cerceadas devido aos limites que surgem quando os atores envolvidos na gestão
pública não estão comprometidos com estes conceitos, resultando em impactos negativos na vida
de todos os cidadãos. A avaliação de um programa público também requer indicadores que
possam dimensionar o grau de cumprimentos dos objetivos dos mesmos, o nível de utilização dos
recursos frente aos custos em disponibilizá-los e a efetividade social.

Página 30 de 78
Os indicadores são instrumentos de gestão essenciais nas atividades de monitoramento
e avaliação das organizações, assim como seus projetos, programas e políticas, pois permitem
acompanhar o alcance das metas, identificar avanços, melhorias de qualidade, correção de
problemas, necessidades de mudança etc. Possuem duas funções básicas: a primeira é
descrever por meio de geração de informações o estado real dos acontecimentos e o seu
comportamento; a segunda é de caráter valorativo que consiste em analisar as informações
presentes com base nas anteriores de forma a realizar proposições valorativas.

Página 31 de 78
A construção de indicadores não é uma tarefa fácil, pois o indicador é um elemento
frio e neutro, e sua importância pode variar de acordo com determinadas intencionalidades
políticas. Porém estas informações devem ser realizadas para a construção de novas políticas
públicas e a continuação das politicas já existentes.

Monitoramento e Avaliação Social

Página 32 de 78
ABORDAGEM ATIVIDADES AVALIAÇÃO MONITORAMENTO
EXPERIMENTAL PROPOSTAS PROCESSUAL
Adolescentes de 14 Cursos de capacitação Reuniões e Visitas nas empresas e
a 21 anos para inserção ao relatórios mensais questionário de
mercado de trabalho com a equipe. avaliação com os
Questionário de responsáveis e os
avaliação sobre o Jovens.
desenvolvimento
dos jovens.

Página 33 de 78
Indicadores Sociais e Software Brasil

O Brasil hoje é um software que reúne indicadores sociais e educacionais, produzidos por
diversos institutos de pesquisas nacionais, com o objetivo de facilitar o acesso e a análise
dessas informações, sendo possível produzir relatórios agregando diferentes indicadores e
estabelecendo comparações com outros municípios/ localidades. O Brasil Hoje – indicadores
sociais para a gestão do município, é resultado de uma parceria estabelecida entre a Fundação
Itaú Social (FIS), o UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e o Cenpec (Centro

Página 34 de 78
de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária), é um site que reúne em
um único ambiente, informações criteriosamente selecionadas, produzidas de diversos
institutos de pesquisa nacionais, para que se possam conhecer as características de cada um
dos municípios brasileiros. Os indicadores sociais ganham cada vez mais espaço na gestão
pública, como fontes privilegiadas para o mapeamento da realidade e para nortear ações e
investimentos sociais. O Brasil Hoje, além de permitir o conhecimento e o monitoramento da

Página 35 de 78
realidade, pode se constituir em um valioso instrumento para subsidiar decisões estratégicas
de implementação e avaliação de políticas, programas e projetos.

Constitui-se da divisão de aplicativos, designados por temas, como: Mapas, aplicativo que
possibilita realizar pesquisas por município, estado e país, com visualização dos resultados
através de um mapa temático, que distribui a informação dos indicadores selecionados pelo
maior e menor valor. Um software permite algo fundamental para um gerente de projetos: o
acompanhamento das atividades em tempo real. Esta função permite visualizar com precisão
Página 36 de 78
recursos financeiros, recursos humanos, prazos, desempenho, entre outros. Com um software
é possível com facilidade a alocação de horas de todos os funcionários, entender como estar o
desempenho de cada um dos projetos. Um software de gerenciamento de projetos ajuda,
através das informações que fornece o acompanhamento em tempo real.
Acredita-se que o Brasil Hoje possa contribuir para o aprimoramento de uma “cultura de
avaliação”, calcada em permanente processo investigativo, que envolva diferentes atores
sociais e sirva de referência para o planejamento de políticas públicas a curto, médio e longo

Página 37 de 78
prazo.. Estamos cientes que não é suficiente socializar dados e informações. É preciso saber
ler e interpretar os indicadores, com o objetivo de enxergar e compreender a realidade
retratada por meio deles. É necessário programar estratégias para que se possa estabelecer
uma correlação entre os dados e o cotidiano das instituições, transformando os indicadores e
resultados das avaliações em programas e ações concretas para a promoção e a melhoria da
qualidade da política pública.

A origem dos indicadores está atrelada à organização dos governos para demonstrar, por meio
Página 38 de 78
de dados quantitativos ou qualitativos, como determinada política social, ou intervenção está
impactando na sociedade, com vistas a aprovar as intervenções, alterá-las, mantê-las,
aprimorá-las e mesmo, receber financiamento para a execução das mesmas. Assim, podemos
afirmar que os indicadores sociais estão diretamente relacionados às políticas públicas
existentes e às suas diferentes áreas de intervenção. Essa relação entre indicadores e políticas
públicas/planos/programas/projetos, não é por acaso, e está presente já no momento de
elaboração das intervenções.

Página 39 de 78
Lista de Indicadores das Políticas Públicas
Ministério do Desenvolvimento Social e combate à fome;
Ministério da Educação;
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão;
Ministério da Previdência Social;

Página 40 de 78
Ministério da Saúde;
Ministério do Trabalho e Emprego;
Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada- IPEA;
Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP; e
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Pesquisa Quantitativa X Qualitativa

Página 41 de 78
Em sentido amplo, para Richardson (1989, p. 29) “(...) método em pesquisa significa a
escolha de procedimentos sistemáticos para a descrição e explicação de fenômenos”. Desta
forma, todo trabalho de pesquisa deve ser planejado e executado de acordo com as normas
que acompanham cada método. As duas estratégias de pesquisa, em termos de aplicabilidade,
podem ser chamadas de abordagem qualitativa e abordagem quantitativa. As pesquisas
quantitativa e qualitativa são dois tipos distintos de pesquisas, que podem muitas vezes se
complementarem. A diferença está na abordagem de cada um dos métodos, no objetivo, na amostra e
em alguns outros aspectos.
Página 42 de 78
Pesquisa Quantitativa
A Pesquisa Quantitativa tem como objetivo identificar a presença e medir a frequência e
intensidade de comportamentos, atitudes e motivações de um determinado público-alvo. Ela
gera medidas precisas, confiáveis e que podem ser replicadas para o universo estudado, pois
se baseia em uma amostra estatisticamente determinada.

Página 43 de 78
Por meio de entrevista, os pesquisadores buscam em nos entrevistados características voltados
ao objetivo da pesquisa. As entrevistas são feitas individualmente. As informações são
coletadas por meio de um questionário estruturado, com perguntas claras e objetivas para
garantir a uniformidade de entendimento das perguntar e a padronização dos resultados. O
relatório de pesquisa quantitativa, além das interpretações e conclusões, disponibiliza tabelas
e gráficos que podem ser preparados de forma cruzada de acordo com os diferentes perfis de

Página 44 de 78
idade, sexo, classe social, comportamento, etc. desde que haja um número suficiente de
respostas em cada uma dessas células.

Pesquisa Qualitativa
A pesquisa qualitativa está mais relacionada em levantar dados sobre as motivações de um
grupo, em compreender e interpretar determinados comportamentos, a opinião e as
expectativas dos indivíduos de uma população. É exploratória e pode indicar nuances

Página 45 de 78
imprevisíveis sobre uma questão-problema. Os recursos mais usados na pesquisa qualitativa
são as entrevistas semiestruturadas em profundidade, observação em campo (observar o
comportamento do consumidor, por exemplo), entrevistas por telefone, etc. A pesquisa
qualitativa é ótima para analisar em profundidade dados já quantificados e já estabelecidos.
Neste tipo de pesquisa, a interpretação especializada é outra característica fundamental. A
pesquisa qualitativa é indicada quando há a necessidade, por exemplo, de entender a
percepção do cliente quanto a um novo produto, compreender a escolha de voto dos eleitores,

Página 46 de 78
analisar o modo de trabalho da concorrência, indicar as melhores ações para uma campanha
de marketing, etc.

Quadro Comparativo entre os dois Métodos de Pesquisa

Página 47 de 78
Página 48 de 78
O Projeto “VIVENDO
PROJETO “VIVENDO EE APRENDENDO”
APRENDENDO”, está sendo desenvolvido para jovens e
adolescentes da comunidade de Sobradinho e adjacências. Esses jovens receberão uma
APRESENTAÇÃO
capacitação profissional e será encaminhado ao mercado de trabalho. O projeto se destina
a apoiar jovens em situação de risco e vulnerabilidade, afastando-os das drogas e da
criminalidade, fazendo com que os mesmos se tornem cidadãos esclarecidos e
conscientes de seus direitos e deveres. As atividades serão desenvolvidas nas entidades
parceiras, onde serão realizadas as aulas teóricas e práticas, as aulas de reforço escolar e
debates sobre ética e cidadania. Serão feitos contatos com empresas Página
do ramo49 para
de 78
realização de estágio e possível contratação.
JUSTIFICATIVA
Fazer com que os jovens sejam retirados da vida ociosa e das drogas, fazendo com que
os mesmos sejam multiplicadores desta ideia, tornando-os cidadãos esclarecidos
Página 50 dee78
conscientes de direitos e deveres.
ATIVIDADES DESENVOLVIDAS
Marketing Pessoal, Cursos nas áreas administrativas e de vendas, aulas de ética,
cidadania e reforço escolar.

OBJETIVO GERAL
Página 51 de 78
Capacitar os jovens em situação de risco e vulnerabilidade para a inserção no mercado de
trabalho.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Atuar sobre a demanda dos jovens em situação de risco;
 Identificar as parcerias voltadas para o mercado de trabalho;
 Auxiliar no reforço escolar.
Página 52 de 78
PÚBLICO ALVO

Jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

METODOLOGIA
 Técnicas administrativas;
 Técnicas de vendas;
Página 53 de 78
 Técnicas de marketing pessoal;
 Palestras e dinâmicas de grupo sobre ética e cidadania;
 Aulas de reforço escolar;
 Oficinas culturais.

AVALIAÇÃO PROCESSUAL
Serão realizados reuniões e relatórios mensais de avaliação com toda a equipe. Nestas
reuniões serão discutidas todas as situações decorrentes do convívio entre educadores e
Página 54 de 78
jovens observando assim a eficácia dos métodos aplicados. A cada 3 meses será aplicado um
questionário de avaliação do desenvolvimento dos jovens. Ao termino dos 6 meses faremos
painéis indicadores sobre o rendimento da equipe, dos jovens e sua frequência, avaliando se
as metas do projeto foram atingidas. Serão realizados também questionários de avaliação ao
termino da execução do projeto. Serão realizados questionários com os pais para avaliação
dos jovens quanto a mudança de comportamento, melhora no aprendizado, maior
participação na escola e em casa.

Página 55 de 78
AVALIAÇÃO DE RESULTADOS
 Questionários;
 Aumento na frequência escolar;
 Manutenção da média escolar;
 Mudança de comportamento;
Avaliação constante feita pelos coordenadores e educadores do projeto.

AVALIAÇÃO DE IMPACTO
 Relatórios;
 Reuniões periódicas da Equipe e jovens com a coordenação do projeto.
Página 56 de 78
Através das reuniões e relatórios será avaliada a efetividade do projeto.

PARCERIAS
 SENAC
 SESI
 SENAI
 SEBRAE
RECURSOS FÍSICOS

Página 57 de 78
Instalações das Instituições parceiras

ORÇAMENTO DO PROJETO
Itens de despesa Totais
Recursos Materiais;
 Material de consumo  R$
 Material pedagógico  R$
Recursos Humanos
 1 coordenador do projeto  R$
Página 58 de 78
 1 coordenador pedagógico  R$
 4 educadores  R$
 1 psicólogo  R$
 1 auxiliar administrativo  R$
Bolsa auxílio  R$
Outros  R$
Total Mensal  R$

Custo Mensal do Projeto = R$


Custo Anual do Projeto = R$
Página 59 de 78
DETALHAMENTO DOS GASTOS
Material de Consumo: material de limpeza, material de primeiros socorros.
Material Pedagógico: apostilas, canetas, cadernos.
Bolsa Auxílio: será oferecida para cada jovem inscrito no projeto ”Vivendo e Aprendendo”
uma bolsa auxílio no valor de R$.
Outros: tarifas bancárias, ingressos, e outros.

Página 60 de 78
RECURSOS HUMANOS
 1 Coordenador do projeto
40hs semanais
 1 Coordenador pedagógico
40hs semanais
 4 Educadores
20hs semanais
 1 Psicólogo
20hs semanais

Página 61 de 78
 1 Auxiliar administrativo
40hs semanais

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
Cronograma: as oficinas têm duração de 6 meses e logo após o seu termino começam outra
turma, sendo compostas por 20 jovens em cada turma em um total de 4 turmas por período e
Página 62 de 78
carga horária de 12hs semanais. A faixa etária dos candidatos é de 15 a 18 anos. As aulas se
dividem entre as técnicas administrativas, vendas e marketing pessoal. O projeto também
proporcionará atividades de reforço escolar, noções de ética e cidadania e passeios culturais;
como forma de criar estímulos para a permanência dos jovens no projeto.

Atividades 1º Mês 2ºMês 3ºMês 4ºMês 5ºMês 6ºMês


Téc. Administrativas X X X X X X
Téc. Vendas X X X X X X
Página 63 de 78
Téc. Marketing X X X
Pessoal
Reforço Escolar X X X X X X
Ética e Cidadania X X X X X X

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO
O monitoramento será efetuado através de reuniões periódicas e relatórios, efetuados de
forma sistemática mensalmente. A avaliação será participativa por meio de questionários,

Página 64 de 78
através dos quais se poderão analisar alguns aspectos e problemas relacionados ao
planejamento, execução, resultados e a eficácia do projeto.

Página 65 de 78
Página 66 de 78
CONSIDERAÇÕES FINAIS

As ações interventivas, em sua maioria, fazem parte de serviços sociais prestados por meio de
projeto e programas sociais, que devem ser geridos de forma a construir respostas
profissionais às demandas da população. Para que as políticas sociais consigam alcançar as
metas é preciso passar por um processo de planejamento, isso deixa claro, a importância da
Página 67 de 78
avaliação e do monitoramento, e a necessidade da elaboração de um plano. Para o
fortalecimento de um projeto e a garantia de sua implementação faz-se necessária à
construção de um sistema de monitoramento e avaliação, que possibilita a mensuração de sua
eficiência, eficácia e efetividade. Para isso o processo deve ser coletivo, transparente, e ter
acompanhamento, informação além da realização de estudos, pesquisas e diagnostico a fim de
contribuir para gestão desta política. A origem dos indicadores está atrelada à organização dos
governos para demonstrar, por meio de dados quantitativos ou qualitativos, como determinada

Página 68 de 78
política social, ou intervenção está impactando na sociedade, com vistas a aprovar as
intervenções, alterá-las, mantê-las, aprimorá-las e mesmo, receber financiamento para a
execução das mesmas. Os indicadores sociais, embora possam ser também um instrumento de
controle, são um dos elementos que contribuem para uma gestão democrática, preocupada
com a construção de respostas profissionais que atendam às demandas sociais e, aí está o
desafio do assistente social, tomar posse desse instrumento na dimensão ético-político
profissional.

Página 69 de 78
Página 70 de 78
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 MARTINS, M. L. P et al. Avaliação e Monitoramento nas Políticas Sociais. Disponível

Página 71 de 78
em: <http://www.uel.br/revistas/ssrevista/c-v10n2_lucimar.htm>. Acesso em: 21
maio 2014.
 VAITSMAN, J.; RODRIGUES, R. W. S. ; PAES-SOUSA, R. O sistema de avaliação e
monitoramento das Políticas e Programas Sociais: a experiência do Ministério do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome do Brasil. Organização das Nações
Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, 2006. Disponível em:
<http://aplicacoes.mds.gov.br/sagirmps/ferramentas/TemplateHTML/PDFs/Mo

Página 72 de 78
st/mostport.pdf>. Acesso em: 21 maio 2014.
 SANO, H.; MONTENEGRO FILHO, M. J. F. As técnicas de avaliação da eficiência,
eficácia e efetividade na gestão pública e sua relevância para o desenvolvimento
social e das ações públicas. Revista Desenvolvimento em Questão. Editora Unijuí: ano
11, n. 22, jan./abr., 2013. Disponível em:
<https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/desenvolvimentoemquestao/artic
le/view/186>. Acesso em: 21 maio 2014.

Página 73 de 78
 Melhoria da gestão pública por meio da definição de um guia referencial para medição do
desempenho da gestão, e controle para o gerenciamento dos indicadores de eficiência,
eficácia
e de resultados do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização. Brasília,
2009. Disponível em: <http://www.gespublica.gov.br/Tecnologias/pasta.2010-05-
24.1806203210/guia_indicadores_jun2010.pdf>. Acesso em: 21 maio 2014
 Brasil Hoje: indicadores sociais para a gestão do município. Disponível em:

Página 74 de 78
<http://undime.org.br/wp-content/uploads/2012/05/Indicadores-Sociais-para-
Gest%C3%A3o-do-Munic%C3%ADpio-Elaine-Teixeira-Cenpec.pdf>. Acesso em: 21
maio 2014.
 JANMUZZI, Paulo de Martino. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e
avaliação de programas sociais no Brasil. Revista do Serviço Público. Brasília 56 (2):
137-160. Abr/jun, 2005. Disponível em:
<http://indicadores.fecam.org.br/uploads/28/arquivos/4054_JANUZZI_P_Constr

Página 75 de 78
ucao_Indicadores_Sociais.pdf>. Acesso em: 21 maio 2014.
 Pesquisa Quantitativa e Qualitativa. Brasil Escola. Disponível em:
<http://monografias.brasilescola.com/regras-abnt/pesquisa-quantitativaqualitativa.
htm>. Acesso em: 21 maio 2014.
 DALFOVO, Michael Samir; LANA, Rogério Adilson; SILVEIRA, Amélia. Métodos
quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica
Aplicada, Blumenau, v.2, n.4, p.01-13, Sem II. 2008 - ISSN 1980-7031. Disponível em:

Página 76 de 78
<http://www.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/metodos_quantitativos_e_qu
alitativos_um_resgate_teorico.pdf>. Acesso em: 21 maio 2014.
 Diferenças entre pesquisa quantitativa e qualitativa. Portal Educação. Disponível em:
<https://www.portaleducacao.com.br/gestao-elideranca/
artigos/40088/diferencas-entre-pesquisa-quantitativa-e-qualitativa>.
Acesso em: 21 maio 2014.

Página 77 de 78
RICO, E. M. (Org.) Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo:
Cortez, 2009.

Página 78 de 78