Você está na página 1de 19

COMO SER UM ESPOSO INCRÍVEL

Como você define o casamento é uma pergunta essencial. Mas, como Deus define o
casamento é uma questão eterna.

Tendemos a pensar que o casamento é constituído pelo homem e sua mulher e se


eles se amarem o casamento será feliz e bem-sucedido.

Mas, de acordo com a Palavra de Deus, a família possui uma terceira pessoa, o
Senhor.

Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o


SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Salmos 127:1

Deus não é apenas o criador da família, mas um de seus membros. Na verdade Ele é
o Senhor da família.
Quando o homem se esquece que o Senhor é um membro da família e Ele é deixado
de fora, então o casamento começa a desintegrar-se.

O casamento não foi estabelecido por uma lei humana, nem inventado por alguma
civilização. Ele antecede toda a cultura, tradição, povo ou nação. É uma instituição
divina.

Abaixo de Deus, nada e ninguém, deve ocupar um lugar de tanto destaque no coração
do cônjuge que não o outro. É por essa razão que deixará o homem seu pai e sua mãe e
se unirá à sua mulher (Ef 5.31). Sem este tipo de honra mútua, o casamento está fadado
ao fracasso.
Quando Deus criou Eva para Adão, Ele disse:

“Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma
auxiliadora que lhe seja idônea. Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da
terra todos os animais do campo e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem,
para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os
seres viventes, esse seria o nome deles. Deu nome o homem a todos os animais
domésticos, às aves dos céus e a todos os animais selváticos; para o homem,
todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea. Então, o SENHOR
Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das
suas costelas e fechou o lugar com carne. E a costela que o SENHOR Deus
tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe” (Gênesis 2:18-22).

Deus criou-nos para o casamento.

Considere estes importantes fatos sobre o relacionamento do casamento que emerge


desta passagem:
1.Deus O Fez Incompleto. Deus criou os homens e mulheres para corresponderem um
ao outro. Nós somos semelhantes, porém, ainda assim diferentes. A mulher é a
complementadora do homem, não sua cópia. Os computadores e softwares são
diferentes, mas um não pode funcionar sem o outro; assim os maridos e esposas são
indispensáveis um para o outro: “No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do
homem, nem o homem, independente da mulher. Porque, como provém a mulher do
homem, assim também o homem é nascido da mulher; e tudo vem de Deus” (1 Coríntios
11:1-12).

2.Deus Quer Lhe Completar. Deus fez a mulher para ser a auxiliadora do homem. Sem
a mulher, o homem, mesmo em sua condição perfeita, estava incompleto. Portanto, o
SENHOR Deus disse, “Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só;
far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” (Gênesis 2:18).
3. Deus Quer Lhe Abençoar. Deus fez a mulher para ser uma auxiliadora idônea.
Nenhum dos animais podia proporcionar o tipo de ajuda que o homem necessitava.
Apenas a mulher podia fazer isso. Se os maridos enchem suas vidas com atividades e
ministério, mas negligenciam seu ministério primário que é o casamento, eles são
fracassos aos olhos de Deus. (O mesmo se aplica às esposas). “O que acha uma esposa
acha o bem e alcançou a benevolência do SENHOR... Mulher virtuosa, quem a achará? O
seu valor muito excede o de finas jóias. O coração do seu marido confia nela, e não
haverá falta de ganho” (Provérbios 18:22; 31:10-11).

4.Deus Tem O Plano. O status do andar com Deus de um homem casado está sempre
vinculado à sua posição como marido. No fim de sua vida, Pedro escreveu duas
poderosas e práticas cartas repletas de imperativos. Só o livro de 1 Pedro tem cerca de
duas dúzias de mandamentos; um deles diz que os maridos apenas serão bem-sucedidos
se seus casamentos refletem Cristo: “Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar,
com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais
frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida,
para que não se interrompam as vossas orações” (1 Pedro 3:7, ênfase adicionada).
5.Siga O Plano E Seja Abençoado. Os maridos têm necessidades e insuficiências que
só podem ser preenchidas por uma esposa piedosa.

De acordo com as Escrituras, a esposa foi criada para suprir as necessidades e


insuficiências de seu marido.

Ela foi criada para ser a única auxiliadora de seu marido. Ela “lhe faz bem e não mal,
todos os dias da sua vida” (Provérbios 31.12).

O casamento é um presente de Deus para nossas vidas.

Quando olhamos para o texto de Efésios 5.22-33 vemos o papel não só da mulher,
mas inclusive do marido.

O Curioso é que é que para descrever o papel da mulher Paulo usa 3 versículos, mas
para descrever o papel do marido, Paulo usa 9 versículos.
E Se a palavra que caracteriza o dever da esposa é "submissão", a palavra que
caracteriza o dever do marido é "amor".

O que representa ser submissa? É entregar-se a alguém.

O que representa amar? E entregar-se por alguém.

Você deve amar o próximo como a ti mesmo, mas a sua esposa você deve amar
mais do que a você mesmo.

O amor do marido pela esposa deve ser perseverante, santificador, sacrificial,


romântico, protetor e provedor.

Cristo, como Senhor da igreja, a serviu. Como cabeça da igreja, morreu por ela.
Há um outro texto que gostaria de compartilhar com vocês.

“Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e,


tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com
dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que
não se interrompam as vossas orações” (1 Pedro 3:7).

Em primeiro lugar, o aspecto físico. “Maridos... vivei a vida comum do lar... (3.7).

A expressão “vivei a vida comum do lar” Trata-se de algo que vai muito além de ter o
mesmo endereço. O casamento é, fundamentalmente, um relacionamento físico, de
toque, de calor humano. "E se tornarão os dois uma só carne" (Ef 5:31).

A primeira responsabilidade do marido é cuidar da esposa e do lar (Tt 2.4,5).


Parte do projeto de Deus para o casamento é que os maridos sejam apegados às suas
esposas.

Ser apegado significa intimidade, a qual transcende o sexo – Deus espera que as
vidas dos maridos incluam toda a dimensão da vida de sua amada esposa –
emocionalmente, espiritualmente e fisicamente.

Ficar perto um do outro com os nossos corações escutando e compartilhando. Isso é


apego – intimidade.

Integração

Casais unidos permanecem unidos. A integração não significa apenas estar juntos
fisicamente.

A integração é quando o casal começa a pensar no outro, vendo a vida sempre a dois.
Cada pessoa tem sua própria identidade, mas quando o casal é unido, fica difícil
diferenciar um do outro.

As pessoas sempre os veem como um casal, é difícil para outras pessoas imaginar os
dois separados. E isso é um ótimo sinal.

O marido deve reservar tempo para ficar em casa com a esposa. Muitos são casados,
mas querem viver como solteiros.

Qualidade de tempo significa que o marido deve reservar tempo durante o dia, durante
a semana, durante o mês, para usufruir de momentos especiais com sua esposa.

Não seja um marido ausente!


Em segundo lugar, o aspecto intelectual. “...com discernimento... (3.7a).

O discernimento é fruto do conhecimento. Homem e mulher são dois universos


distintos. Têm profundas diferenças físicas e emocionais. Essas diferenças, porém,
complementam a relação.

É impressionante como duas pessoas casadas podem viver juntas sem se


conhecerem de verdade! A ignorância é perigosa em qualquer área da vida, mas
especialmente no casamento.

O marido precisa conhecer as variações de humor, sentimentos, medos e esperanças


da esposa. Precisa “ouvir com o coração” e falar a verdade em amor.

Muitos homens que conhecem pouco as peculiares femininas. Tratam a mulher como
se estivessem lidando com outro homem.

Faltam-lhes conhecimento e tato. “O que mais as esposas desejam, é a compreensão


dos homens quanto aos seus gostos e suas emoções”.
Alguém perguntou à esposa de Aibert Einstein se ela entendia a teoria da relatividade
do doutor Einstein, ao que ela respondeu: "Não entendo a teoria, mas entendo o doutor".

Bons casamentos se constrói com inteligência conjugal.

Ninguém casa sabendo tudo sobre “ser marido”, mas é necessário amadurecer,
crescer, aprender dentro do casamento.

Por exemplo, pergunte para um homem se há diferença entre a cor bege, marfim,
creme e palha. Com certeza ele vai dizer, para mim é tudo bege. Imagine um marido
tentando convencer a mulher que tudo é uma cor só e a mulher por sua vez, insiste em
querer comprar quatro sandálias, uma bege, outra marfim, uma creme e outra
palha. Como você acha que vai acabar essa discussão?

Percebo que na maioria das vezes as grandes brigas entre os casais começam com
aquilo que é trivial, insignificante, banal.
São duas pessoas pensando e vendo de maneiras totalmente diferentes, o que não
significa que uma das duas esteja errada. A busca pelo acordo deve levar em
consideração o conceito de que o respeito é a base do entendimento.

Bons casamentos se constrói com inteligência


conjugal.

Quando eu digo que às vezes é melhor dar "razão" ao outro, não estou afirmando que
você deve se anular e nunca participar das decisões na vida a dois. Estou me referindo
aquelas brigas que giram em torno de coisas pequenas, insignificantes, irrisórias que não
vale a pena perder tempo insistindo até haver uma explosão de raiva.

. A pessoa que se mantém calma é sábia, mas a que facilmente perde a calma mostra que não

tem juízo. Pv 14.29 ntlh


Em terceiro lugar, o aspecto emocional. “...tendo consideração para com a vossa
mulher como parte mais frágil... (3.7b). O marido precisa tratar a mulher com
cavalheirismo. Precisa ser romântico, carinhoso e amável no trato.

Deve dirigir-se constantemente a ela, dizendo Palavras de Elogios e Estímulos.

Nada fere mais uma mulher que um marido casca-grossa e rude no trato.

É óbvio que Pedro não está dizendo que a mulher é a parte mais frágil em termos
mentais, morais ou espirituais, mas sim em termos físicos e emocionais.

A mulher é mais sensível e frágil na alma.

A expressão “ter consideração” significa que o marido respeita os sentimentos da


esposa.
Se eu perguntar, a cada marido, se ama sua esposa, estou certo de que a maioria
responderá que sim.

Mas a pergunta que eu quero fazer ao marido cristão é: será que sua esposa percebe
o seu amor por ela?

Uma atitude que faz a esposa sentir-se amada é através da manifestação verbal, das
palavras de afirmação, de encorajamento.

Ela precisa ouvir palavras de elogios e de afirmação como: "- Eu te amo!" "Querida,
você é muito especial!". "Querida, gostei do jeito como você falou comigo naquele
momento". "Querida, aquele jantar que você preparou foi uma delícia! Obrigado!"
"Querida, gosto do perfume que você está usando hoje".

Faça Elogios em publico e criticas em particular.


Palavras de elogio não são adulação. São simplesmente uma maneira de encorajar,
incentivar a sua esposa e de reconhecer o valor que ela tem. Agindo assim, você a fará
sentir-se amada.

Aprenda a tocar a alma, antes de tocar o corpo da esposa.

“Quando o homem toca apenas o corpo da mulher, ela se sente usada como objeto
descartável e o casamento vai empobrecendo”.
Veja Cantares 1
VEJA CANTARES 4
Quais as implicações em não ser um bom esposo? para que não se interrompam as
vossas orações

O que Pedro está dizendo é que, se o marido falhar em amar, honrar e respeitar sua
mulher, tal comportamento interromperá suas orações, pois “os suspiros da mulher
maltratada se interpõem entre as orações do esposo e os ouvidos de Deus”.

“Deus não aceita as orações que marido e mulher oferecem num ambiente de luta,
briga e discórdia. Ele quer que se reconciliem, para que possam orar juntos em paz e
harmonia e, assim, gozar as incontáveis bênçãos divinas”.
CONCLUSÃO

O relacionamento a dois é uma fonte inesgotável de aprendizado.

Numa relação de tamanha intimidade muitos são os obstáculos que surgem e superá-
los exige amadurecimento.

O ser humano só cresce quando adquire consciência de que essa é uma necessidade.

 A necessidade de se viver a DOIS