Você está na página 1de 8

Trabalho nega a aplicação de um dos inci· de direito privado a relação de emprego

sos do questionado art. 37 a empregados entre ela e seus empregados;


de sociedade de economia mista (a posição 29) por via de conseqüência, não se
jurídica da empresa pública, como entida. aplicam à Consulente as restrições cons-
de da administração pública indireta, é tantes do art. 15 da Lei n Q 7.173, de 1989,
idêntica), porque não são servidores pú. eis que os seus empregados não são ser·
blicos. vidores públicos.
31. Em face de todo o exposto, cumpre S.M.J., é o nosso parecer.
concluir: Rio de Janeiro, 15 de dezembro de 1989.
19) a Consulente é uma pessoa jurídica
de direito privado, razão por que é também Arnaldo Siissekind (OAB-RJ-2.1QO)

ATO ADMINISTRATIVO - DECISÃO AD REFERENDUM - CONSELHO


MONET ARIO NACIONAL

PARECER

o Presidente do Conselho - ao qual,


como visto, é outorgada competência de de-
A matéria submetida à nossa apreciação liberação ad referendum - é o Ministro
se refere ao exame de legalidade de atos de Estado da Fazenda (atualmente Ministro
de execução da operação de compra de da Economia. Fazenda e Planejamento),
café no Terminal de Londres, conhecida co- nos termos do art. 19, n9 I do Decreto n9
mo "Operação London Terminal" ou "Ope· 83.323, de 11 de abril de 1979, com are·
ração Patrícia". dação que lhe atribui o Decreto n9 85.776.
A referida operação, que teve por finali- de 26 de fevereiro de 1981.
dade a sustentação do preço internacional Em cumprimento ao ato Ministerial, o
do café, obedeceu a esquema proposto pe- Instituto Brasileiro do Café adotou medi-
lo então Ministro da Indústria e do Co- das de execução do programa de sustenta-
mércio em voto submetido ao Conselho Mo· ção do preço do café, formalizando contra-
netário Nacional, por intermédio do Pre· tos com empresas com tradição no setor,
sidente desse colegiado. convocadas a operacionalizar providências
no mercado externo, sob coordenação da
Essa autoridade atendendo à urgência do
Jnterbrás.
procedimento proposto com a indicada fi-
Embora não tenha sido identificada de-
nalidade, valeu-se da competência - espe-
liberação posterior do plenário do Conselho
cialmente concedida no Decreto n9 85.176,
Monetário Nacional, ratificando o ato mi-
de 26 de fevereiro de 1981 e confirmada
nisterial. a eficácia imediata deste produ-
pelo Decreto n Q 94.303, de 19 de maio de
ziu efeitos jurídicos. notadamente em re-
1987, para o efeito de aprovar a proposta.
lação a terceiros.
ad referendum do plenário do Conselho.
Argüidas dúvidas sobre a legitimidade do
A norma em causa assim dispõe: procedimento, foram instauradas verifica·
"O Conselho Monetário Nacional- CMN, ções quanto à regularidade das providên-
deliberará por maioria de votos, com a pre· cias adotadas, sobre as quais foi emitido
sença, no mínimo, de quatorze membros, minucioso parecer da Procuradoria Geral
cabendo ao Presidente também o voto de da Fazenda Nacional. Após detalhada ex-
qualidade e a prerrogativa de deliberar ad posição da matéria de fato e inspirada em
referendum do plenário" (grifo nosso). parecer do então Consultor-Geral da Re-

407
pÓblica, Professoi" Themistoctes Cavatcantt, elas por' ele contratadas, implicou referendo
concluiu a PGFN;-no ,sentido de que o ato do ato ministerial antem?
pratiêàdo ',M' ieferêlidum "reflete; '.apenas, ';'4 ~ Adrriitido que op;imeiro ~to do Mi-
parte ,Ib" :pidcedirneritó' ,administratiV'o de nistro' da Fazé~da ainda não tenha sido
formação do iit~; não 'tornando' presCindí- referendado pelo CMN, a deliberação atual
vel. para sua plena executoriedade e eficá- desse órgão no sentido de declarar, ou re-
da, o placet do Plenário do CMN". conhecer, esse referendo terá por efe:to ex-
Informa-se. ainda, na consulta, que em cluir definitivamente quaisquer dúvidas so-
novo voto emitido sobre a matéria, o Se- bre a validade e eficácia do ato?
nhor Ministro da Indústria e do Comércio, 5 - O valor das obrigações nascidas dos
referindo-se à autorização dada ao IBC pa- contratos firmados pelo IBC pode ser, in-
.. a condução da política de sustentação de dependentemente de autorização legislativa,
preços do café no mercado internacional verificado e reconhecido pelo repre,sentante
(a mencionada operação London Termintil) legal do IBC. ou (terminado o processo de
propôs a adoção de medidas específicas pa- extinção da autarquia, com sua sucessão
ra a "liquidação ordenada da operação". pela União Federal) pela autoridade com-
Esse novo ato relativo à operação em petente do Tesouro Nacional?
causa - igualmente aprovado pelo Senhor
Ministro da Fazenda ad referendum do II
Conselho Monetário Nacional - foi ccnfir-
mado pelo plenário do órgão, em delibera-
O Parecer da Procuradoria Geral da Fa-
ção expressa, constante da ata de suas reu-
zenda Nacional, referido na consulta, ana-
niões.
lisa a competência atribuída ao Ministro da
Em face do exposto, a consulta se tra- Fazenda, na qualidade de Presidente do
duz nos seguintes quesitos: CMN. para a prática do ato ad referen-
1 - O ato do Ministro da Fazenda que, dum em confronto com a que incumbe ao
na qualidade de Presidente do Conselho Plenário do Conselho, no sentido da con-
Monetário Nacional e ad referendum do firmação do ato singular da Presidência.
plenário desse órgão, autorizou, em agosto Qualifica a decisão do CMN como um
de 1986. o Instituto Brasileiro do Café a ato administrativo simples, entendendo que
executar o pl'Ograma de compra de café a prerrogativa outorgada ao Presidente, não
no Terminal de Londres, que ficou conhe- goza de eficácia, dependendo, para a pro-
cido como "Operação Patrícia", constituiu dução de efeitos, do definitivo pronuncia-
autorização válida e eficaz para que o Ins- mento do Plenário.
tituto iniciasse imediatamente a contrata- A manifestação da PGFN se apóia subs-
ção das compras, ou essa validade e eficá- tancialmente em parecer do Consultor Ge-
cia ficaram na dependência da aprovação ral da República, emitido em 14 de junho
do ato pelo plenário do CMN'? de 1945, com respeito a caso específico de
2 - Esse ato do Ministro da Fazenda deliberação ad referendum relativa à com-
tornou-se inválido pelo fato de não ter sido pra de imóvel por autarquia previdenciária
submetido por aquela autoridade ao refe- (Revista de Direito Administrativo, vol. 2.
rendo do plenátio do CMN? Em caso afir- Parte lI. p. 854/862).
mativo. a partir de que época? A leitura, na íntegra, desse parecer evi-
3 - A deliberação do CMN que, em ses- dencia, no entanto. que outros são seus
são de 18-6-87, referendou outro ato do pressupostos.
Ministro da' Fazenda e aprovou novas pro- O ato praticado ad referendum nele se
vidências de execução da Operação Patrí- identifica como parte inicial de um ato
cia, inclusive proveu o IBC de recursos pa- complexo; a .se concluir com a manifesta-
ra pagamento parcial das empresas priva- ção confirmatória do plenário.

408
"Assim ~ proc!ama o parecer eni cau'sa Há', .no caso, duas competências disdn.
- o ato da autorização ter·se·ia de conside· tas, com finalidade própria, que, ademais,
rar como o resultado da colaboração de se distinguem pelo conteúdo.
mais de uma autoridade, os seus efeitos de- O ato ad referendum, que tem como mo-
pendem do concurso de duas ou mais von- tivo determinante a urgência no resultado
tades e, portanto, só se torna executória a pretendido, é de natureza provisória, sujei-
autorização quando todas as autoridades to a condição resolutiva. Os efeitos produ-
administrativas lhe de:em o seu placet" zidos dependem, para sua definitividade,
(RDA - cit. p. 859). da ratificação pelo colegiado ao qual pri-
Em verdade, é da essência do ato com- mariamente incumbe a competência em re·
plexo que a sua perfeição, e a conseqüente lação à substância do ato.
eficácia, dependem da fusão de vontades Quando a autoridade a que se permite a
que a lei de competência subordina à for- deliberação prévia excepcional, emite a ma·
mação do ato, que inexiste enquanto não nifestação de vontade ad referendum, o ato
se realiza a integração. ordinariamente simples se apresenta coma
Nos atos complexos, como define Manoel um ato composto, ou seja, conforme elucida
Maria Diez, "todas las voluntades se fun- Sandulli, a hipótese em que seus compo-
dem y se unificam en una sola voluntad" nentes "non sono tra loro omogenei" (Aldo
(Derecho Administrativo - tomo 11, p. Sandulli - Manuali di Diritto Amminis·
214). trativo - 1952 - p. 232).
Cada manifestação isoladamente conside- A deliberação ad referendum não é parte
rada, é impotente para produzir efeitos essencial de ato de competência do CMN
posto que são parcelas de um todo indi- que pode nascer diretamente de manifes-
visível, oriundo da concorrênc'a sucessiva tação única do órgão competente.
das vontades que se imbricam. Somente quando não se possibilite, na
Diversamente, não se configura um ato oportunidade exigida, a direta emissão do
complexo quando - na síntese de Gabino ato, pelo colegiado, é que a lei faculta a
Fraga - "Ias diversas voluntades que con- prática ad referendum, sob condição reso-
currem no se fundem en un solo acto, sino lutiva.
que dan nacimento cada una de eIlas Confilmado, o ato antecipado adquirirá
a actos que sucessivamente se condicionan" eficácia definitiva. Não se compadece, po-
(Derecho AdministratiJ'o - 3." edição - rém, com a finalidade do ato a ser refe-
1958 - p. 124). rendado, a inércia da deliberação ad refe-
Na hipótese da consulta, a competência rendum até que venha a ser confirmada.
plena do CMN prescinde de ato prévio do A ser assim, haveria uma contradictio in
Presidente, podendo ser diretamente exerci- terminis: o ato provisório, se desprovido
da, em deliberação do plenário. ~, assim de eficácia enquanto não homologado, de-
(como bem observa o pareceI' da PGFN), satenderia ao pressuposto de urgência que
ato administrativo simples, exercício ordi- elementarmente o lastreia e justifica. A efi·
nário dos poderes do órgão colegiado. cácia imediata, como antecipação do efeito
A lei considera, porém, a eventualidade futuro, é inerente ao exercício da compe-
de que a substância do ato imponha ou tência ad referendum, que, de outra for-
recomende a sua prática imediata, em ra- ma, será uma superfluidade inútil.
zão de urgência no atendimento de rele- A deliberação ad referendum exprime um
vante interesse público. juízo sobre o mérito do ato administrativo,
E, para acudir a essa situação especial, antecipando, por motivo de convemencia, a
dota a autoridade singular da prert'ogativa oportunidade do exercício antecipado da
de antecipar a prestação administrativa, atividade administrativa.
mediante deliberação sobre a matéria ad O fundamento da prerrogativa não é ou-
relerenaum do plenário da Comissão. tro senão o de atender a uma razão de ur-

409
gência que nâo se compatibiliza com a es- Je Hely Lopes Meirelles, é aquele que "se
pera da ação, por natureza intermitente, do apresenta com um ato principal e comum
órgão colegiado, de funcionamento perió- ato complementar que o ratifica ou apro-
dico_ va" ( Direito Administrativo Brasileiro -
Não há nos dois momentos - o da de- 14." edição - p. 134). Há. em suma. atos
Iibe;'ação ad referendum e o da confirma- próprios de autoridad<!s diversas, que se
ção - o sentido unitário próprio, por de- sucedem e se completam, ao contrário do
finição. do ato complexo. São atos autôno- ato complexo em que as vontades parciais
mos, de competência própria e motivação e inoperantes se fundem em um ato único,
específica. de eficácia final.
O ato definitivo pode existir sem a práti-
ca do ato provisório mas este, se ocorrer, III
de logo terá existência eficaz, embora não
se consolide senão quando confirmado. O Instituto Brasileiro do Café, dando
Ato administrativo típico, a deliberação execução ao programa previsto na Opera-
ad referendum assemelha-se à figura, inau- ção London Terminal ou Operação Patrí-
gurada no plano legislativo, pela medida cia, celebrou contratos com terceiros, em
provisória, que a Constituição atual inscre- cumprimento ao despacho do Ministro da
ve na competência do Poder Executivo Fazenda, na qualidade de Presidente do
(art. 62). Conselho Monetário Nacional, exarado no
Também aqui o motivo determinante do exercício da competência legal que lhe fa-
ato é a "relevância e urgência" da medida cultava aprovar, ad referendum do plená-
extraordinária que passa a vigorar "com rio, proposta constante em voto de mem-
força de lei" a partir de sua publicação. bro do colegiado.
A eficácia imediata, que é inerente à sua Dotado de eficácia imediata, o ato pro-
natUlcza, cessará se lhe for denegada a visório assim emitido deveria ter sido con-
conversão pelo Congresso Nacional, em firmado pelo plenário do Conselho para
prazo estipulado. adquirir definhividade. Dessa complemen-
Não é outro o trâmite do ato adminis- tação não há evidência de haver sido opor-
trativo provisório, a que se dirige a con- tunamente realizada.
sulta. O pressuposto de relevância e urgên- No curso da execução do programa,
cia igualmente informa a competência de- diante da conveniência de regular o desti-
cisória ad referendum, sujeita à necessária no dos estoques de café acumulados, o Mi-
confirmação, para a qual, contudo, a lei nistro da Indústria e do Comércio, mem-
não estabelece prazo - como na medida bro nato do CMN, voltou a apresentar es-
provisória - para a caducidade do ato. quema complementar de desenvolvimento
A deliberação ad referendum - insista- da operação.
se - não é essencial ao ato definitivo, a O voto CMN 139/87, por ele exarado,
excluir, portanto, a qualidade de ato com- expressamente alude à origem da operação,
plexo. Não há, no caso, fusão de vonta- e aos atos de execução atribuídos ao IBC,
odes a produzir, geneticamente, um ato conducentes a contratos com empresas ex-
único. portadoras, e propõe medidas específicas
Verifica-se antes a exis:ência de atos au- para a liquidação progressiva da operação.
tônomos, ainda que a sobrevivência do O voto em causa foi igualmente aprovado
primeiro dependa da emissão do outro, pelo Ministro da Fazenda, ad referendum,
confirmatório daquele, de eficácia provisó- em despacho de 2 de abril de 1987, que
ria em curso. mereceu homologação expressa pelo plená-
Compõe-se, na espécie, como antes indi- rio, em decisão definitiva de 18 de junho
cado, um ato composto que, na definição de 1987, conforme ata da 475: reunião.

410
Esta decisão plenária, importa, em suma, . Nâo é isolada a opinião do ilustre pro-
ratificação pelo órgão competente das deli- fessor da Universidade de Nápoles. Em li-
berações anteriores, suprindo a deficiência vro clássico sobre a teoria do ato aclrrinis-
de que padeceria a primeira delas diante trativo; anota RaneUetti que "o vício do
da incerteza da homologação do ato origi- ato é removido em primeiro lugar pela su-
nai, aprobatório do programa de sustenta- perveniência de requisitos faltantes reque-
ção do preço internacional do café. ridos para a validade do ato" ("V iene ri-
O exercício, ainda que tardio, da com- mosso iI vizio deU'atto in primo luogo eon
petência confitmatória da primeira delibe- la sopravvenienza dei requisiti maneanti,
ração ad referendum, conduz ao saneamen- richiesti per la validitá delI'atto". Teoria
to ou convalescença do ato se viciado em degli atti Amministrativi: speciali - 7.' edi-
sua origem. ção - 1945 - p. 113).
lÔ correntio, em direito administrativo, o A sanatória deve operar ex tunc, lembra
convalescimento de atos irregulares, com Luciano Orusa (Novissimo Digesto Italiano
base no princípio da preservação de valo- - verbete Sanatória - volume XVI -
res jurídicos na esfera da Administração p. 464).
Pública. Também nesse diapasão comunga Cino
A doutrina italiana apl'Ofundou o concei- Vitta (Diritto Amministrativo - 7.. edição
to de saneamento (sanatoria) do ato admi- - volume I - p. 442), observando que
nistrativo, carente de ratificação, com a con- "a autorização ou aprovação pode inter-
seqüente convalidação dos efe:tos já pro- vir mesmo tardiamente e atribuir efeito ao
duzidos. ato pelo período intermediário" (l'autoriz-
A ausência de outro ato ou requisito de zazione ad approvazione pio intervenire an-
validade, que em princípio vicia determi- che tardivamente ad attribuire effeeto alI'
nado ato, poderá ser suprida, ainda que alto per iI tempo intermedio").
tardiamente, segundo a precisa lição de No mais completo estudo sobre a conva-
Aldo SanduUi. lidação do ato administrativo (La convalida
Aludindo à hipótese "in cui iI vizio degli atti amministrativi - 1937, p. 127),
deU'alto dipendesse daUa mancanza di un atesta Paolo Ravà que, por via da confirma-
atto pressuposto" (que é a específica ques- ção "ao estado de validade relativa substi-
tão em análise) acrescenta: tui-se uma situação de validade completa e
"Em tais casos, todavia, é de se admitir absoluta" ("in virtu delIa conforma alIo slato
- pela aplicação do princípio de conserva- di validità relativa si sosti tuisee una situa-
ção dos valores jurídicos - que o ato ve- zione di validità completa ed assoluta").
nha a ser saneado pela tardia intervenção E o mesmo autor demonstra que a retro-
reparadora (idônea a assegurar garantias atividade é inerente ae processo confirma-
não inferiores às asseguradas na hipótese tório:
normal) por parte do agente que deveria "Pela via lógica chega-se à conclusão da
te:- cumprido o pressuposto faltante" (lI eficácia retroativa da confirmação pelo ca-
tali casi tuttovia c da ammettere - in ráter de correlação que subsiste entre essa
applicazione dei principio de conservazione e a anulação: se este último desfaz ex tunc
dei valori giuridici - che l'atto venga sa- os efeitos produzidos pelo ato, igual retro-
nato da un tardivo intervento riparatore atividade deverá ter a confirmação, que vi-
(idoneo a assecurare garanzie non minori di sa a consolidá-lo"
queUe assicurate daUa ipotesi normale) da ("In via puramente logica si arriva alIa
parte dell'agente che avrebbe dovuto porre concluzione deUa efficacia retroativa delIa
in essere iI presupposto mancato"). (Ma- conferma, per il earattere di eorrelatività,
nuale di Diritto Amministrativo - 1952 - che sussiste tra essa e l'annullamento: se
p. 227). questo fa venire meno ex tune gli effetti pro-

411
dotti dall'atto, eguaie retroa:ttività dbvrà Operou-se, na oportunidade, o sa:neamêrt-
avere la conferma, ché mira a consolidarli"). to (sanatoria) de eventual vício ou insufi-
A doutrina,entre nós, sé coloca na mes- ciência do ato convalidado.
ma esteira conceitual, consagrando o efeito Oriundo da mesma autoridade, a mani-
retroativo do ato confirmatório. festação ulterior ratifica a deliberação ad
Themistocles Cavalcanti assinala que "a referendum, assegurando-lhe definitividade
ratificação do ato visa a sanar 05 defeitos e executoriedade plena.
que o tornam suscetível de anulação. O seu Legitimando-se pela sanatoria, os efeitos
efeito principal é a revalidação do ato, re- produzidos pelo ato se tornam perfeitos e
troagindo à data do ato ratificado" (Teoria acabados, com o suprimento da formalida-
dos atos administrativos - 1973 - p. 200). de aprobatória.
Por via de conseqüência, os atos executó-
Na definição de Cretella Jun:or, "ratifica-
rios praticados pelo IBC ficaram, ig!.lalmen-
ção é o ato administrati\'o pelo qual a au-
te, consolidados em todos os seus efeitos_
toridade competente supre requisito ausente
ou sana vício existente de outro ato ante- A par da presunção de legitimidade dos
rior, considerando-o íntegro desde a ori- atos administrativos que favorece terceiros
gem" (Tratado de Direito Administrativo- de boa fé, a validade de contratos pactua-
1966 - vol. 11 - p. 327). dos em execução do esquema da Operação
Patrícia se fortaleceu com a ratificação da
Celso Antonio Bandeira de Melo abona
execução provisória a que a deliberação ad
o mesmo entendimento:
referendum deu origem.
"O ato convalidador remete-se ao ato in-
válido para legitimar seus efeitos pretér:-
IV
tos" (Elementos de Direito Administrativo
- 1980 - p. 94).
f: mister destacar, ainda, que o IBC, uma
li. luz dessa uniforme compreensão tor- vez autorizado pela deliberação ad referen-
na-se inequívoco que a convalidação do ato dum a iniciar a Operação Patrícia, no re-
administrativo em virtude do suprimento a gime de urgência exigida pela emergência,
posteriori de requisito necessário tem efei- pactuou com empresas privadas a compra
tos retroperantes, purificando o ato, desde de café para sustentação dos preços, bem
a sua origem, de vício ou defeito que pos- como a armazenagem dos estoques adqui-
sa tê-lo maculado. ridos.
No caso da consulta, a inexistência de Os contratos que nesse sentido celebrou
homologação, pelo plenário da CMN, da com terceiros correspondem a relações ju-
primeira delibenação ad referendum, ficou rídicas bilaterais que obrigam as partes e
sanada quando o colegiado, em sessão ple- não podem depender da retificação dos po-
na, aprovou a segunda deliberação provi- deres que capacitam a autoridade adminis-
sória que deu continuidade à cogitada ope- trativa a assumir obrigações.
ração. O terceiro de boa fé com quem o agente
O voto aprovado pelo plenário tem como público negociou não pode se submeter à
premissa necessária das providências suge- pendência do vínculo em função de ato fu-
ridas a validade plena da operação tal co- turo da estrita vontade da Administração.
mo programado e posta em execução. Nos termos da lei, é vedado estipular
Acolhendo a proposta sobre a liquidação condição sujeita ao arbítrio de uma das
de estoques acumulados na dinâmica do partes (aPl. 115 do Código Civil).
programa de sustentação de preços, cbvia- Cumprido o contrato pelo particular, me-
mente o CMN não somente conheceu como diante compra do café, não pode a Admi-
deu .por perfeita e válida a própria opera- nistração, representada pelo IBC, se eximir
ção e os resultados em sua execução. da contra prestação a que se obrigou.

412
Ainda que se pretenda alegar que o po- A executoriedade imediata do ato ad re-
der de agir do IBC, oriundo da delibera- ferendum permifa, no caso concreto, que
ção ad referendum, era de caráter provisó- o IBC, agente executivo da Operação Pa-
rio, a limitação não se transmite aos efeitos trícia, contratasse as compras de café ne-
consumados em relação a terceiros de boa cessárias à obtenção do resultado almeja-
fé perante o qual se apresentava a osten- do, a saber, a sustentação do preço do pro-
siva capacidade do órgão administrativo. duto no mercado internacional.
Não é possível exigir-se de pessoa estra- Segundo - Esse ato do Ministro da Fa-
nha ao serviço público que contrata com a zenda tornou-se inválido pelo fato de não
Administração senão a diligência ordinária ter sido submetido por aquela autoridade ao
na avaliação da competência do órgão. referendo do plenário do CMN? Em caso
A teoria da aparência, quc remonta ao afirmativo, a partir de que época?
direito romano, igualmente transita pelo Resposta - A deliberação ad referendum
direito administrativo, consagrando a vali- antecipa a prestação administrativa que al-
dade de obrigações assumidas pelo agen- cança definitividade mediante aprovação
te, mesmo se fora ou acima de sua com- plenária. Sua rejeiç}o importará no desfa-
petência regular, quando o erro não se tor- zimento dos efeitos produzidos durante a
na perceptível ao homem comum, conven- execução provisória.
cido pela presunção de legitimidade da ação Não há ato normativo que tenha esta-
do administrador.
belecido prazo determ:nado para a mani-
festação sucessiva do plenário, ou regulado
v a hipótese de manifestação tácita negativa.
Em cada caso, considerada a situação de
POI' todo o exposto, oferecemos aos que-
fato, caberá ao intérprete avaliar prazo ra-
sitos as seguintes respostas.
zoável para que a deliberação ad referen-
Primeiro - O ato do Ministro da Fa-
dum seja incluída em pauta para a decisão
zenda que, na qualidade de Presidente do
definitiva do plenário.
Conselho Monetário Nacional e ad referen-
dum do plenário desse órgão, autorizou, em Terceiro - A deliberação do CMN que,
agosto de 1986, o Instituto Brasileiro do em sessão de 18-6-87, referendou outro ato
Café a executar o programa de compra de do Ministro da Fazenda aprovou novas
café no Terminal de Londres, que ficou co- providências de execução da Operação Pa-
nhecido como "Operação Patrícia", consti- trícia, inclusive proveu o !BC de recursos
tuiu autorização válida e eficaz para que para pagamento parcial das empresas pri-
o Instituto iniciasse imediatamente a con- vadas por ele contratadas, implicou refe-
tratação das compras. ou essa validade e rendo do ato ministerial anterior?
eficácia ficaram na dependência da apro- Resposta - A segunda deliberação ad re-
vação do ato pelo plenário do CMN? ferendum pela qual o Ministro da Fazenda
Resposta - Nos termos expostos, enten- aprovou medidas complementares, em pros-
demos que a deliberação do Presidente do seguimento e em decor'l'ência da Operação
CMN, ad referendum do plenário, goza de Patrícia, foi expressamente aprovadl em
eficácia imediata, em razão do pressuposto reunião plenária do CMN.
de relevância e urgência, que é o motivo Estando essa última decisão, por sua
determinante da competência excepcional a substância e natureza, diretamente vincula-
ele atribuída. da à existência regular da primeira delibera-
A p:"evisão legal da concessão provisória ção, somos de parecer que nela se caracte-
de autorização seria inócua se fosse ino- riza específica modalidade de confirmação
perante, somente produzindo efeitos quan- do procedimento da Operação Patrícia. tal
do aprovada pelo plenário, a título defini- como autorizada, em seu lnICIO, pela pri-
tivo. meira deliberação ad referendum.

413
Evidencia-se, no caso, a tipicidade de sa- Quinto - O valor das obrigações nasci-
neamento (sanatoria) do eventual vício que das dos contratos firmados pelo IBC pode
pudesse ser inquinado ao ato inicial do ser, independentemente de autorização le-
programa de sustentação do preço do café_ gislativa, verificado e reconhecido pelo re-
A sanatoria - como acima demonstrado presentante legal do IBC, ou (terminado o
- opera retroativamente, com eficácia ex processo de extinção da autarquia, com sua
tunc, convalidando os efeitos do ato ratifi- sucessão pela União Federal) pela autorida-
cado, desde o seu início. de competente do Tesouro Nacional?
Resposta - A execução dos conll atos
Quarto - Admitindo que o pnimeiro ato
pactuados pelo IBC, ao abrigo da execução
do Ministro da Fazenda ainda não tenha
da Operação Patrícia, é matér,ia de sua
sido referendado pelo CMN. a deliberação
competência como ato regular de adminis·
atual desse órgão no sentido de declarar,
tração.
ou reconhecer, esse referendo terá por efei-
Portanto, quaisquer obrigações que, por
to excluir definitivamente quaisquer dúvi-
sua natureza, se vinculam ou decorram de
das sobre a validade e eficácia do ato?
relações contratuais estabelecidas com ter-
Resposta - Pelas razões enunciadas quan- ceiros independem de autorização legisla-
to ao quesito anterior, respondemos afirma- tiva.
tivamente ao presente quesito. Na hipótese focalizada, de extinção da
A convalidação do ato, pela eficácia re- autarquia, caberá à União Federal, que a
troativa da sanatoria, afasta definitivamen- sucederá, responder pelo acervo de direitos
te qualquer alegação de invalidade da apro- e obrigações que integram o patrimônio da
vação do procedimento relativo à Opera- pessoa jurídica extinta, praticando os atos
ção Patrícia. a que esta estiver obrigada.
A ratificação torna o ato ratificado extre- Rio de Janeiro, 13 de setembro de 1990.
me de dúvidas quanto à sua existência, va-
lidade e eficácia. Caio Tácito.

414