Você está na página 1de 4

Prezados,

Em 01/02/2014 por volta das 18:00, conforme o documento “Solicitação de


Informações à INTERPOL parte”
https://pt.scribd.com/document/203928759/Solicitacao-de-Informacoes-a-
INTERPOL-parte , efetuei questionamento referente à Situação do Cidadão
Ítalo Brasileiro, Sr. Henrique Pizzolato, do qual não obtive qualquer resposta.

Em 31/12/2014 por volta das 12:00, conforme o documento “INTERPOL


Esclarecimentos Situação de Henrique Pizzolato
”, https://pt.scribd.com/document/251387073/INTERPOL-Esclarecimentos-
Situacao-de-Henrique-Pizzolato , efetuei questionamento referente à Situação
do Cidadão Ítalo Brasileiro, Sr. Henrique Pizzolato, do qual não obtive qualquer
resposta.

Tendo em vista a Situação reconhecida pela INTERPOL relacionada ao


Cidadão Espano Brasileiro, Sr. Tacla Duran, proponho que a Interpol obtenha
todos os documentos sobre o HC131033 - HABEAS CORPUS que levou,
apenas e tão somente, 639 dias para ter uma Decisão, sobre seus Embargos
de Declaração, ocorrida em Plenário Eletrônico do Supremo Tribunal Federal,
onde ficou decidido que Habeas Corpus não tem o condão de questionar
postura de Ministro ou de Tribunal, com a ressalva de que a mesma não foi
Unânime, pela existência do VOTO DISCORDANTE do Excelentíssimo ministro
Marco Aurélio Mello.

Tal, tem como, objetivo, obter Desta Importante Instituição Internacional, a


confirmação de que a solicitação feita pelo Estado brasileiro de capturar o Sr.
Henrique pizzolato, também transgrediu os Estatutos das Normas da Interpol,
bem como, a declaração de Direitos Humanos.

vale ressaltar que a corte de 1ª Instância Italiana, que avaliou o processo


de extradição, INDEFERIU a mesma por questões Técnicas Jurisdicionais,
diferentemente, das Instâncias Superiores que avaliaram a questão sob a ótica
política.

No aguardo da citada avaliação, e dos esclarecimentos, prementes, e


necessários,

Atenciosamente,

Plinio Marcos Moreira da Rocha

Rua Gustavo Sampaio nº112 apto. 603 - LEME

Rio de Janeiro - RJ - Brasil

CEP - 22010-010

Tel. Cel. +55 21 98618-3350