Você está na página 1de 2
EQUINODERMOS PROFº: WAGNER SOUTO Frente: 01 Aula: 11 ITA:31/05/07 (AC)
EQUINODERMOS
PROFº: WAGNER SOUTO
Frente: 01
Aula: 11
ITA:31/05/07
(AC)
WAGNER SOUTO Frente: 01 Aula: 11 ITA:31/05/07 (AC) Introdução Os equinodermos (do grego echinos espinhos;

Introdução

Os equinodermos (do grego echinos espinhos; derma

Os equinodermos (do grego echinos espinhos; derma pele) constituem um grupo de animais exclusivamente

pele) constituem um grupo de animais exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto calcário muitas vezes provido de espinhos salientes, que justificam o nome zoológico do grupo. Entre os equinodermos estão as estrelas-do-mar, os pepinos-do-mar, os lirios-do-mar e os

ouriços-do-mar entre outros. Uma das características mais marcantes dos equinodermos é a presença de um complexo sistema de lâminas, canais e válvulas, denominado sistema aqüifero ou ambulacrário (do latim ambulare = caminhar), que se relaciona com a locomoção, secreção, respiração, circulação

e

até mesmo com a percepção do animal. Esse sistema

madrepórica ou madreporíto,

inicia-se com a placa

geralmente de localização dorsal, por onde a água do mar penetra; em seguida, a água alcança uma série de canais e, por eles, atinge os pés ambulacrais, que são cilindros fechados que se estendem para o meio externo através de poros existentes no esqueleto. Os pés ambulacrais são dotados de paredes musculares e de ampolas que acumulam líquido; as variações de pressão do líquido no sistema deter- minam a expansão ou retração dos pés, fato que culmina com o deslocamento do animal.

2. Características gerais dos equinodermos

São animais exclusivamente marinhos, de vida livre, predadores ou detritívoros. Apresentam simetria bilateral

na forma larvar e pentarradial na maioria dos adultos;

São triblásticos, celomados, enterocelomados e

deuterostômios;

Têm corpo sem cabeça e desprovido de segmentação. Possuem endoesqueleto calcário, recoberto por uma epiderme fina;

ambulacrário. São animais dióicos, com fecundação externa e desenvolvimento indireto; produzem vários tipos de larvas ciliadas (exemplo: plúteo). Não possuem sistema excretor especializado; os excretas são eliminados por difusão em qualquer

superfície exposta á água (inclusive através dos pés ambulacrais). Não apresentam sistema circulatório, sendo que

a circulação dos nutrientes é feita através do

sistema ambulacrário; Têm sistema digestivo completo; nas estrelas e

Na figura acima anatomia interna de uma holotúria. Observe com atenção a árvore respiratória e
Na figura acima anatomia interna de uma holotúria. Observe com atenção
a árvore respiratória e os pés ambulacrais.

São

dotados

de

sistema

aqüífero ou

ouriços, a boca localiza-se na face inferior, e o ânus, na face superior. Ocorre a presença de dentes que estão ligados a uma estrutura de apoio, composta

por uma armação de ossículos, chamada de Lanterna-de-Aristóteles; Nos equinodermos as brânquias encarregam-se das trocas de gases respiratórios entre a água e fluido celômico e também contribuem na eliminação de excretas. Nas estrelas-do-mar existem centenas de papilas entre os espinhos, que funcionam como

brânquias, e nas holotúrias há um conjunto de tubos ramificados internos, chamados de árvores respiratórias, responsáveis pela respiração e excreção.

Sistema nervoso constituído de um anel nervoso situado em torno da boca, do qual partem cinco nervos radiais que se ramificam por todo o corpo. O sistema sensorial é muito reduzido, sendo que nas estrelas-do-mar existem células fotorreceptoras, como minúsculos olhos nas extremidades dos olhos.

3. Sistema ambulacral ou hidrovascular

Agora vamos estudar uma pouco mais detalhadamente o sistema ambulacrário dos equinodermos, pois o mesmo é de extrema importância para a fisiologia desses animais.

O sistema ambulacral ou hidrovascular, exclusivo dos equinodermos, é um conjunto de tubos e ampolas cheios de água do

mar, daí o nome "hidrovascular" (do grego hýdor, água, e do latim vasculum, vaso, recipiente). O sistema hidrovascular é

responsável pela movimentação dos pés ambulacrais.

A água penetra no sistema ambulacral através de poros em uma das placas do esqueleto, a placa madrepórica, situada na

face dorsal do corpo, e segue pelo canal madrepórico (ou canal pétreo), que se liga a um canal circular localizado em torno do

tubo digestivo. Nesse canal circular existem expansões, as vesículas de Poli, de onde partem canais radiais, que percorrem o corpo junto à face interna das chamadas zonas ambulacrais. Em cada canal radial existem inúmeras bolsas musculosas, as ampolas, cada uma ligada a um pé ambulacral. O pé ambulacral desponta para o interior do corpo através de um orifício do esqueleto.

o interior do corpo através de um orifício do esqueleto. 3.1 Funcionamento do sistema ambulacral O

3.1 Funcionamento do sistema ambulacral

O sistema ambulacral funciona pela pressão de água em seu interior. A contração da musculatura da parede da ampola força a água a penetrar no pé ambulacral oco e

musculoso, e este se distende e fixa sua ventosa a um substrato. A contração da musculatura do pé ambulacral

faz a água voltar para a ampola, e o pé toma-se flácido,

soltando-se do substrato. Esse mecanismo permite a

locomoção, a fixação a um substrato e a captura de alimento.

Na figura à direita, de (A) a (D), seqüência que mostra a adesão do pé ambulacral a um substrato. As setas indicam o sentido de deslocamento da água no interior do sistema ambulacral.

4. Classificação dos equinodermos

Os equinodermos estão divididos em cinco classes :

Asteroidea (estrelas-do-mar), Echinoidea (ouriços-do-mar

e bolachas-do-mar), Holothuroidea (pepinos-do-mar),

Crinoidea (lírios-do-mar) e Ophiuroidea (serpentes-do-

mar).

dos

temos

representantes das cinco classes de equinodermos:

Na

tabela

abaixo

as

características

Classe

Representantes

Características

Asteroidea

Estrelas-do-mar

Corpo achatado, em forma de estrela, com 5 a 50 braços. Locomoção por pés ambulacrais, localizados na face ventral do corpo.

Echinoidea

Ouriços-do-mar e Bolachas-do-mar (currupios)

Corpo circular, abaulado (ouriços) ou achatados (corrupios), sem braços. Locomovem-se pelos movimentos dos espinhos e dos pés ambulacrais.

Holothuroidea

Pepinos-do-mar

Corpo alongado, em forma de salsicha, sem braços. Locomoção por pés ambulacrais localizados em fileiras ao longo do corpo.

(holotúrias)

Crinoidea

Lírios-do-mar

Corpo em forma de taça, com cinco braços ramificados, finos e flexíveis, que lembram plumas. Alguns são fixos ao fundo do mar por meio de pedúnculos; outros nadam movimentando os braços.

(crinóides)

Ophiuroidea

Serpentes-do-mar

Corpo achatado, com cinco braços finos e flexíveis, separados uns dos outros, ligados a um disco central. Locomoção por movimentos ondulantes dos braços.

(ofiúros)