Você está na página 1de 4

Tópicos de Correção

Exame de Introdução ao Direito Público

1/02/2019 – Época de recurso


Duração: 2h30m

I
Distinga, sucintamente, os seguintes conceitos, dando exemplos sempre que possível:
a) Mar Territorial/ Zona Contígua (1,5 valores)
• Inserção no território e domínio marítimo
• Delimitação em milhas, a contar da linha de base: 12 (MT) e 24 (ZC)
• Poderes exercidos pelo Estado territorial (MT e ZC)
• Direito de passagem inofensiva (MT)
b) Territorialização do Poder/ Personalização do Poder (3 valores)
• Personalização do poder:
o Característica das organizações políticas medievais;
o Poder resulta de relações de fidelidade; território como propriedade e instrumento
para exercício do poder;
o Princípio da personalidade na aplicação do Direito;
• Territorialização do poder:
o Característica do Estado Moderno;
o Modificação da natureza do território;
o Princípio da territorialidade das leis.
c) Função administrativa/Função judicial (3,5 valores)
• Noção de função administrativa
• Noção de função jurisdicional
• Natureza Prospetiva/Retrospetiva;
• Natureza Instrumental/ realização do direito;
• Natureza Parcial (interesse público)/ imparcial (justiça);
• Natureza Ativa/Passiva
• Hierarquia ascendente e descendente/ hierarquia ascendente.

v.s.f.f

II
Comente a afirmação, não deixando de explicitar cada um dos conceitos relevantes: “os
regulamentos administrativos são verdadeiros atos normativos” (2,5 valores).
• Noção de ato normativo.
• Contraposição com ato não normativo
• Exemplos de atos normativos
• Noção de regulamento administrativo:
o Atos normativos emitidos pela AP no exercício da função administrativa
o Especificam, desenvolvem ou complementam lei anterior, para garantir a sua
aplicabilidade prática ao caso concreto (instância normativa intermédia)
o Exemplo de forma
o Exemplo de órgão com competência.

III
Entre agosto de 2015 e novembro de 2016, Bram van Sant, cineasta holandês,
realizou uma longa-metragem sobre as suas origens. As filmagens decorreram na Sé do
Porto, onde a sua avó materna havia nascido e vivido os primórdios da sua infância, no
seio de uma família portuguesa. A obra cinematográfica pretendia retratar a história da sua
avó, antes de ser adotada por um jovem casal holandês, que acabaria por levá-la para terras
holandesas.
Em setembro de 2015, durante um curso de língua portuguesa, Bram conhece Kyla
Tan, fotojornalista filipina, que havia fugido do seu país natal, perseguida por documentar e
denunciar algumas das atrocidades comandadas pelo Presidente filipino. Em outubro desse
ano, Kyla fixa residência legal no Porto e, no mês seguinte, Bram e Kyla passam a viver
juntos.
Após terminar o seu projeto, Bram decidiu permanecer em Portugal, junto de Kyla.
Imagine que, hoje, o casal procura os seus conhecimentos jurídicos, de forma a saber se e
quando poderão adquirir a nacionalidade portuguesa. Responda à questão, indicando o
tipo, a via e os efeitos das aquisições de nacionalidade em causa. (4,5 valores)
• No caso de Bram, aquisição da nacionalidade por via do art. 1.º, n.º 1, al. d) da LN:
aquisição da nacionalidade originária, por efeito da lei e da vontade, com efeitos retroativos
(art. 11.º da LN). Explicação.
• Apreciação dos requisitos no caso concreto; ponderação da existência de “laços de ligação efetiva
à comunidade nacional, nos termos do art. 1.º, n.º 3 da LN.

• No caso de Kyla, aquisição da nacionalidade por via do art. 3.º, n.º 3 da LN: aquisição da
nacionalidade derivada, por efeito da lei e da vontade, com efeitos prospetivos (art. 12.º da
LN). Explicação.
• Apreciação dos requisitos no caso concreto. Uma vez que Bram será tido como português, desde
o momento do seu nascimento (efeitos retroativos), não será de colocar, neste caso, a questão da
problemática interpretativa.

IV
No dia 4 de dezembro de 2018, na reunião habitual de terças-feiras, a Câmara
Municipal do Porto deliberou o encerramento compulsivo das instalações do Colégio ABC,
por risco iminente de queda do telhado de um dos pavilhões. Estiveram presentes à
reunião o Presidente da Câmara e 8 dos 12 Vereadores.
O Colégio ABC entende que a deliberação é inválida, alegando que (i) a reunião de
Câmara não foi convocada nem o assunto em causa constava da respetiva ordem do dia;
(ii) que não estava presente o Vereador com a pasta da educação pelo que não havia
quórum; e (iii) não foi lavrada ata da reunião.
Não se conformando com a deliberação da Câmara, e tendo em vista suspender os
seus efeitos, o Colégio ABC interpôs recurso dirigido ao Ministro da Educação.

a) Identifique as figuras organizatórias referidas no enunciado e referindo-se à espécie


de Administração Pública que integram. (1,25 val.)
• Câmara Municipal (órgão colegial, permanente, ativo, externo)/Município do Porto
(PC)/Administração Autónoma do Estado
• Ministro da Educação (órgão)/ Estado (PC) /Administração Estadual Direta
• Presidente/Vereador – titulares do órgão.
b) Concorda com os argumentos do Colégio ABC quanto à invalidade da deliberação?
(2,5 val.)
• Reunião ordinária não carece de convocação;
• Necessário constar da ordem do dia
• Sanação 26.º/1
• Estava reunido quórum constitutivo (7 membros - artigo 29.ºCPA)
• Ata é requisito de eficácia e não validade do ato.
c) Seria procedente o recurso do Colégio ABC? (1,25 val.)
• Noção de recurso
• O recurso em causa seria um recurso tutelar (199/1/b) CPA);
• Contudo, a relação de tutela, a existir, seria meramente inspetiva, e não anulatória nem
revogatória, pelo que seria improcedente;