Você está na página 1de 3

Tema: Restaurando a sua vida

Texto: João 21:1-17


Introdução — Há muitos obreiros cansados na obra e da obra. Portanto, mesmo cansados na obra,
quando encontram outro trabalho para tomar de conta, o seu vigor se renova, o desanimo se
transforma em alegria. Todavia quando os obreiros se cansam da obra precisamos urgentemente
orar por eles. Pois, sabemos que há muitos obreiros feridos no campo e abatidos emocionalmente.
E é neste contexto que analisaremos a vida do apostolo Pedro, o seu desanimo bem como a
restauração da sua vida e o seu ministério. Quero, portanto, considerar três maneiras que o Senhor
Jesus fez para restaurar a vida de Pedro.
Em primeiro lugar, Jesus se MANIFESTOU DE MANEIRA MILAGORASA (Vs. 1). O texto nos diz:
Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e foi assim que
ele se manifestou:
Vejamos então 4, aspectos dessa manifestação:
1. Aspecto: Foi uma Manifestação no momento adequado, no momento confuso e de
desanimo que Jesus se manifestou. O versículo 2,3 nos diz que Pedro volta a pescar, e não
somente volta a sua antiga profissão, mas, como também influência os demais discípulos que
estavam com ele. Veja o versículo 3a. “Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Disseram-lhe os
outros: Também nós vamos contigo.”

Queridos! O que se passa na mente do apostolo Pedro? Senão, que era um pescador que tinha sido
chamado para ser pescador de homens e que havia decepcionado o seu mestre. É bom também,
verificarmos a vida de Pedro. Somos informados pelas Escrituras, que Pedro, vivia uma vida de
discípulo de Cristo, de altos e baixos.

Exemplos:

 Uma vida em Alta: Ele crer e conhece que Cristo é o Messias de Deus. (João 6: 67,68).
Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos?
Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida
eterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus.

 Uma vida em baixa: Sua arrogância e prepotência em ser melhor que os demais discípulos
(Mt 26:31,33). Então, Jesus lhes disse: Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo; porque
está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas. Disse-lhe Pedro: Ainda
que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei. E todos os discípulos
disseram o mesmo.

 Uma vida em baixo nível: Agora Pedro chega ao fundo do poço. Pois, ele nega Jesus três
vezes. (Mt 26:71-75) E, saindo para o alpendre, foi ele visto por outra criada, a qual disse
aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o Nazareno. E ele negou outra vez,
com juramento: Não conheço tal homem. Então, Pedro se lembrou da palavra que Jesus
lhe dissera: Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes. E, saindo dali, chorou
amargamente.
Imagina agora! O que se passa na mente e no coração de Pedro. Senão conflitos, confusão,
crise de identidade e desanimo. Certamente as críticas bateram a porta de seu coração. No
entanto ele começou a refletir: Eu que deveria ser o exemplo para os demais colegas, sou um
péssimo modelo, e não sou digno de ser mais apostolo. Portanto, é melhor pra mim, daqui pra
frente segui a minha vida comum. E é nesse momento que Pedro desisti de seu ministério.
Mas, Jesus não desisti dele, quando fora desprezado, ele foi amparado. E nesse momento de
ausência e solidão, que Cristo, fez-se presente em sua vida.

2. Aspecto: Foi uma Manifestação Amorosa! O versículo 4 e 5, nos diz assim: Mas, ao clarear
da madrugada, estava Jesus na praia; todavia, os discípulos não reconheceram que era
ele. Perguntou-lhes Jesus: Filhos, tendes aí alguma coisa de comer? Observem, que o Senhor
Jesus, não destratou e nem desmereceu os discípulos. Ele não disse assim! Ei! Seus bandos
de traíras, seus covardes etc. Mas sim, os tratou de forma amorosa. Sigamos! O princípio de
restauração do mestre em (Mt 12:20). “Não esmagará a cana quebrada...”

3. Aspecto: Foi uma Manifestação Poderosa. O versículo 3, nos diz: Que os discípulos, pós o
convite de Pedro, Saíram, e entraram no barco, e, naquela noite, nada apanharam. Então o
Senhor Jesus aparece, dizendo-lhe: Lançai a rede à direita do barco e achareis. Assim fizeram
e já não podiam puxar a rede, tão grande era a quantidade de peixes.
Diante dessa manifestação temos algumas observações a fazer:
Em Primeiro lugar, esse mesmo episódio já havia acontecido com Pedro, em (Lc 5:1-10). A
chamada pesca maravilhosa. Quando eles passaram a noite toda pescando e não conseguiram
nada. O texto nos diz: Respondeu-lhe Simão: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada
apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes. (Lc 5:5).
Em segundo lugar, temos a providência divina em suprir o alimento aos discípulos. E essa é
uma das razões que vemos o Senhor Jesus, repetindo o mesmo filme, a mesma cena da pesca
maravilhosa. Para que Pedro aprendesse a confiar, naquele que chama é o mesmo que cuida de
cada um de seus obreiros.
Sabemos que Pedro tinha preocupações com relação ao seu trabalho e profissão da qual ele
tirava o seu sustento, e podemos ver isso claramente em. (Mt 19:27). “Então, lhe falou Pedro: Eis
que nós tudo deixamos e te seguimos; que será, pois, de nós?”
No entanto diante de tal realidade Pedro precisa compreender que acima de suas
preocupações e ansiedades, está a providência divina. O que realmente aprendeu a lição, quando
escreve a sua primeira carta. Em (Pd 5:7) “lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele
tem cuidado de vós.”

4. Aspecto: Foi uma Manifestação gradual, o versículo 14, nos diz: E já era esta a terceira vez
que Jesus se manifestava aos discípulos, depois de ressuscitado dentre os mortos. Observe
que o Senhor, havia se manifestado de forma paulatina. Mas o que me chama atenção no
texto é que mesmo depois de o Senhor ter aparecido três vezes. Pedro está decidido a
aposentar-se da obra e pendurar as chuteiras. E somente na terceira aparição que o Senhor
Jesus começa o processo da restauração de Pedro.
Em segundo lugar, Jesus realizou uma RESTAURAÇÃO MARAVILHOSA (Vs. 9-17). O texto diz: Ao
saltarem em terra, viram ali umas brasas e, em cima, peixes; e havia também pão.
Neste segundo tópico, quero considerar os detalhes da restauração de Pedro:
1. Foi uma restauração a Comunhão pessoal com Jesus. E esta restauração foi feita em duas
áreas: Física e Espiritual. Observe que Jesus deu a Pedro a oportunidade de se Secar, de se
aquecer, de se alimentar e de desfrutar a comunhão pessoal. Sem sombra de dúvida, o
espiritual é mais importante do que o físico, mas o cuidado com o físico preparar o caminho
para o ministério espiritual.

2. Foi uma restauração Compartilhada, no versículo 10, Disse-lhes Jesus: Trazei alguns dos
peixes que acabastes de apanhar. No texto podemos ver o Senhor Jesus, envolvendo os
discípulos na comunhão. Ele não priva os apóstolos de se envolverem pessoal e
coletivamente com Ele.

3. Foi uma restauração Cuidadosa,